Home Blindados Exército russo: MBT Armata consagra habitáculo para tripulantes longe da torre

Exército russo: MBT Armata consagra habitáculo para tripulantes longe da torre

1078
23

armata

Nos próximos cinco anos o Exército russo deve receber até 2.300 carros de combate pesados T-14 Armata, de 48 toneladas e canhão de 125mm.

Os primeiros 20 já foram distribuídos a algumas unidades da força terrestre, para que os tanquistas se familiarizem com o novo equipamento e manifestem, acerca dele, as suas primeiras impressões.

Representantes da indústria UVZ (Uralvagonzavod), da cidade de Nizhny  Tagil (Rússia Oriental), afirmaram à agência de notícias Sputnik Russo que têm condições de produzir 500 desses novos blindados ao ano.

O projeto do T-14 consagra o desenho de um habitáculo para a tripulação – que os projetistas chamam de “cápsula” – na parte dianteira da viatura, deixando à torre as funções de uma estrutura robotizada: portadora de sistemas de armas e de sensores controlados remotamente.

A “cápsula” deve funcionar como uma célula de sobrevivência.

Ela possui blindagem especial e dispõe de sistemas autônomos alimentadores de oxigênio e de energia elétrica, bem como de um equipamento anti-incêndio. Os tripulantes visualizam o que acontece à sua volta por meio de três sistemas de câmeras de alta resolução situados na parte fronteira do chassis, na torre e à ré.

A principal arma da viatura é um canhão 2A82-1, de 125mm e cadência de disparo entre 10 e 12 acionamentos por minuto. A peça de artilharia tem capacidade de abrir fogo com pontaria estabilizada, mesmo que o veículo se encontre em movimento.

Armata

Afganit Entre as várias informações sobre o programa T-14 ainda mantidas em segredo, estão aquelas relativas ao sistema de propulsão da viatura.

Calcula-se que o T-14 tenha sido equipado com um motor a diesel de potência entre 1.200 hp e 2.000 hp. A expectativa é de que a equação formada por maior potência aliada a um menor peso (os tanques de batalha ocidentais e de Israel deslocam entre 50 e 60 toneladas, ou mais) tenha produzido um carro de surpreendente mobilidade.

A velocidade do veículo em rodovia foi estimada em 85 km/h. Seu ritmo de deslocamento em terrenos não preparados é outro dos dados confidenciais, mas especialistas da Europa Ocidental calculam que ele não deva ser inferior a 30-40 km/h.

Outro ponto que chama a atenção no projeto é a promessa de uma viatura blindada com altas chances de resistir a armadilhas no solo e a postos de atiradores emboscados.

Os veículos Armata dispõem de defesa anti-minas e de um inovador sistema batizado de Afganit, que, havendo identificado – por meio de sensor próprio – a aproximação de um míssil antitanque, dispara foguetes capazes de interceptar o vetor atacante.

Também na torre está instalada uma metralhadora calibre 7,62mm, de operação igualmente remota.

Os T-14 serão apresentados oficialmente a 9 de maio próximo, durante a grande parada militar que acontecerá na Praça Vermelha em homenagem ao Dia da Vitória das tropas russas na 2ª Guerra Mundial.

Nas atuais circunstâncias de forte confrontação entre a Rússia e as potências ocidentais, por causa da política hostil de Moscou em relação à Ucrânia, espera-se uma apresentação das forças militares russas com magnitude nunca vista.

Subscribe
Notify of
guest
23 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Bosco Jr
Bosco Jr
5 anos atrás

Já que a visualização do exterior é sintética, bem que poderiam ter colocado a cápsula de sobrevivência na traseira e o motor na frente.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
5 anos atrás

Boa noite todos os Senhores!
Também concordo com teu raciocínio Bosco.
Se o carro for o que as expectativas apontam, então temos um destruidor sem precedentes.
Mal posso esperar para ver um embate entre os últimos modelos do Merkava com um T-14!
CM

Rafael Bastos
Rafael Bastos
5 anos atrás

Incrível! Bem que o EB poderia levar um desses pra casa haha.

Esses canhões laterais da torre são contra alvos aéreos?

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
5 anos atrás

Bosco, com o avanço tecnológico dos materiais de blindagem, colocar o motor à frente do MBT traria um incremento relevante à proteção?

Ter o motor na frente não seria pior para o MBT, em termos de assinatura térmica, expondo-o mais?

Bosco Jr
Bosco Jr
5 anos atrás

Rafa, Não acho que a assinatura térmica seja majorada não, haja vista a maioria dos veículos de combate terem essa disposição (motor na frente, torre, compartimento de pessoal). Claro, no caso geralmente o condutor fica do lado do motor e o comandante e atirador ficam no centro. Mas como estamos falando de sistemas eletrônicos, todo o pessoal poderia ser concentrado na traseira. . Mas penso eu que já há materiais de cobertura já desenvolvido ou prestes a serem colocados em operação que conseguem reduzir a assinatura térmica dos veículos, ficando só a esteira e o escapamento vulneráveis à observação. Por… Read more »

Bosco Jr
Bosco Jr
5 anos atrás

Rafa, Ainda não se sabe a configuração do Armata e duvido muito que tenha esses canhões laterais. Se tiver, eles seriam pra ser usados num conceito de emprego gradual conforme a ameaça. Todo MBT armado com canhão de grosso calibre tinha que ter um canhão de pequeno calibre. A configuração mais interessante é sem dúvida a do veículo BMP-3 russo, que tem o canhão de pequeno calibre alinhado com o de médio calibre (e baixa pressão). Como MBT não têm essa flexibilidade eles quebram o galho com uma metralhadora pesada. Quanto ao uso, tanto um canhão de pequeno calibre quanto… Read more »

Bosco Jr
Bosco Jr
5 anos atrás

Agora, se o Armata tiver mesmo essas armas laterais, sem dúvida que seriam mais úteis contra aeronaves e alvos urbanos, tendo em vista a grande elevação que elas apresentam.

Wagner
Wagner
5 anos atrás

Mais uma prova do Gênio inventivo russo.

Eu disse que eles estavam se recuperando. 😉

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
5 anos atrás

A q custo Wagner ?
Nadando em dinheiro eles não estão… Pelo contrário. A economia russa enfrenta um período de recessão…

Wagner
Wagner
5 anos atrás

O Mundo inteiro está em recessão…

Quando envolvendo tecnologia 100% nacional, investimentos militares funcionam como o sistema previsto por Keynes para reativar uma economia.

Geram know how, empregos e tecnologia.

é a lição que o Brasil nunca aprendeu…

Além disso, os russos estão apenas substituindo equipamento velho da era soviética, e não necessariamente fazendo uma mega expansao de suas forças.

Tem que repor mesmo, nao tem escolha.

😉

rsbacchi
rsbacchi
5 anos atrás

Há muito tempo venho defendendo a tese de motor dianteiro para carros de combate. A s vantagens que eu vejo são: Maior proteção para a tripulação; Obtenção de chassis padrão para o desenvolvimento de derivados como VBTP (VBCI), obuseiro auto propulsado e outros. Alteração de dimensões pode ser obtida só com a introdução de mais uma (ou eventualmente duas) roda de apoio. Exemplos destes tipos de família podem ser vistos com a família Merkava (pesados) e TAM (leves). Gostei da solução de manter tripulação de 3 pessoas. Fala-se muito, que em função dos sistemas eletrônicos modernos pode-se reduzir a tripulação… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
5 anos atrás

Bosco,

Obrigado.

Acho que são vários fatores levados em conta na hora de projetar o tanque, inclusive sendo relevante a distribuição de peso nele.

Então, concordo contigo que os russos tiveram um ou alguns motivos por essa opção.

Melky Cavalcante
Melky Cavalcante
5 anos atrás

Graças ao avanço capitalista na Rússia, todo mundo hoje têm um Smartphone 🙂
Olha quem caio na net: T-14 Armata.

https://www.youtube.com/watch?v=vMx9iWQ6w4s

Mauricio R.
Mauricio R.
5 anos atrás

O desfile do dia da VE, deste ano na Praça Vermelha; promete:

(http://snafu-solomon.blogspot.com.br/2015/04/russian-armor-parade-we-get-few-more.html)

Adam Foerster
5 anos atrás

rsbacchi,
na sua opinião o canhão 125mm e o perfil baixo não acabam reduzindo o veículo exclusivamente a função anti-tanque?

Imagino que o ângulo negativo mínimo e máximo sejam bem restritos, certo?

Isso não limita o veículo em cenários urbanos?

rsbacchi
rsbacchi
5 anos atrás

Adam, não existe nenhum dado sobre o Armata.

Não é possível fazer um comentário sem conhecer as especificações.

Como se costuma dizer: você está colocando a carroça na frente dos bois.

Espere mais um pouco.

Mauricio R.
Mauricio R.
5 anos atrás

OFF TOPIC…

…mas nem tanto!!!!

Algumas fotos do Armata MBT:

(http://snafu-solomon.blogspot.com.br/2015/04/close-up-pics-of-armata-main-battle-tank.html)

Mauricio R.
Mauricio R.
5 anos atrás

OFF TOPIC…

…mas nem tanto!!!

Possível novo modelo de SPH russo, 203mm???

(http://snafu-solomon.blogspot.com.br/2015/04/whats-with-that-new-russian-self.html)

Mauricio R.
Mauricio R.
5 anos atrás

“Todo MBT armado com canhão de grosso calibre tinha que ter um canhão de pequeno calibre.”

Talvez a única característica notável do antigo AMX-30 francês, o canhão 20mm coaxial c/ elevação independente.

Mauricio R.
Mauricio R.
5 anos atrás

OFF TOPIC…

…mas nem tanto!!!

Nova representação do MBT T-14 Armata:

(http://snafu-solomon.blogspot.com.br/2015/04/sputniks-rundown-on-new-russian-armor.html)

Mauricio R.
Mauricio R.
5 anos atrás

OFF TOPIC…

…mas nem tanto!!!

Mais fotos da nova geração de blindados russos:

(http://snafu-solomon.blogspot.com.br/2015/04/another-sneak-preview-of-russian-armor.html)

Mauricio R.
Mauricio R.
5 anos atrás

OFF TOPIC…

…mas nem tanto!!!

Comparando o tamanho entre o novo MBT Armata e o antigo T-72, exibe discreta comparação c/ o M-1 tb:

(http://snafu-solomon.blogspot.com.br/2015/05/size-comparison-between-armata-and-t-72.html)

Lyw
Lyw
5 anos atrás

Duvido muito que esse T-14 Armata seja um tanque médio (<50t), não vejo como este ter menos de 50t. A Rússia finalmente voltou a ter um Carro de Combate pesado depois do T-10 (a própria designação T-14 faz alusão à continuidade de uma linha de carros de combate pesados que teve como último representante operacional o T-10.

Maurício, ótimas imagens, só um detalhe, acho que a comparação da última imagem é com um Leopard 2A5/6. De qualquer forma serve como parâmetro para compará-los a qualquer outro CC ocidental.