Home Clipping Em mensagem interna, comandante do Exército mostra preocupação com a crise e...

Em mensagem interna, comandante do Exército mostra preocupação com a crise e promete agir

16548
71
Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) realiza audiência pública interativa para discutir os projetos estratégicos das Forças Armadas e a relação dos mesmos com a Base Industrial de Defesa. O comandante do Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas é um dos convidados. Em pronunciamento, comandante do Exército, Eduardo Dias da Costa Villas Bôas. Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado
Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

“A manutenção da paz social e o esforço para evitar-se a desagregação do Estado devem ser objetivos de toda a sociedade brasileira”, escreveu o general Eduardo Villas Bôas

Por Marcos Mortari

ClippingSÃO PAULO – Preocupado com “a evolução da crise política judicial”, o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas afirmou, em mensagem interna aos oficiais da reserva, que a instituição acompanha com muita atenção o atual processo e terá posição “pacificadora em busca da conservação da ordem pública”. A mensagem, expedida na última sexta-feira, foi obtida pelo jornal Valor Econômico e aponta para o risco de enfrentamento entre grupos pró e contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff neste fim de semana.

“A manutenção da paz social e o esforço para evitar-se a desagregação do Estado devem ser objetivos de toda a sociedade brasileira. É mister que os atores envolvidos se posicionem de forma serena, independentemente do viés ideológico”, complementou o general em nota.

FONTE: Infomoney

71
Deixe um comentário

avatar
71 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
51 Comment authors
Kati RibeiroAgermiro GusmãwyhelioAndrietagengisduEduardo Pereira Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
assisrondonia
Visitante

Não vejo causa para a manifestação do General. Necessário é que os militares não se trevam a ficar comentando e dando pitaco em assuntos da democracia, cujas Instituições estão funcionando plenamente. No dia que o STF convocá-los eles virão sob a batuta do Estado Democrático de Direito, e sob a égide da Constituição Federal de 1988.

Francis Schonarth
Visitante
Francis Schonarth

Tenho muito medo que os militares tomem o lado errado nessa história. Muito medo mesmo.

Alex
Visitante
Alex

Acho que os irresponsáveis incentivadores de golpes militares em veiculos de comunicação, redes sociais e pelo país vão se frustar. O pronunciamento do general é estritamente constitucional e não tem qualquer entendimento fora disso.

As notas das vivandeiras Ricardo Noblat e Merval Pereira de telefonemas de genrais a governadores já foram sumariamente desmentidas pelo comando do Exército. Para as “pessoas de bem” não há saída para os problemas da democracia que não sejam dentro da democracia.

João Augusto
Visitante
João Augusto

Somos dois, Francis… Já tem um bando de anencéfalos pedindo intervenção militar constitucional… Isso pode dar uma treta sinistra. Deus nos ajude.

Lucas Lima
Visitante

Esta mensagem mostra que o Exercito não tem intenção de voltar ao poder politico, aproveitando assim deste momento, mas sim de uma Instituição mediadora entre a população e os políticos!
Ainda bem né 🙂

EParro
Visitante
EParro

Bom, parece que ao menos uma central de “trabalhadores” já “leu” a mensagem do Comandante do Exército.

rogério rufini
Visitante
rogério rufini

golpe é o que o MST ta fazendo, invadindo terras, destruindo centro de pesquisas, centenas de vagabundos andando armado com foice facas, facões etc.., nas ruas

Ivan Barbosa da Silva
Visitante

Fiquem tranquilos que os militares não tomarão o lado errado e sim o lado da Constituição Federal, artigos 142 e 144. Quanto aos Militares não devia se meter, trata-se de um equivoco e completa falta de conhecimentos da Constituição Brasileira e o conceito que a instituição Forças Armadas tem perante os brasileiros sérios desse país, mais ou menos 70%, já faz décadas!

marspbr
Visitante

Vocês abriram para qualquer um comentar no site, e já está cheio de Mavs pagos com dinheiro público inclusive e com cadastros fake, vindo comentar aqui. As únicas pessoas que não querem uma intervenção, são aqueles do governo atual. Converse com os milhões de desempregados e eles falaram o que eles acham desse governo. Ninguém aguenta mais ver comunista ir em praça pública e queimar bandeira do Brasil que inclusive é crime. Chega de invasão de propriedade pública e privada. Na cidade e no campo. Chega de Bolivarianismo!

Junior Cesar
Visitante

É isso ai ta na hora de colocar ordem na casa porque o progresso eles já retirarão de nos!!!

leandro moreira
Visitante

O comandante do exercito ja se pronunciou que atenderao a constituicao sob ordens do comandante supremo das FFAAS.

Rafael M. F.
Visitante
Rafael M. F.

A PF e o serviço reservado das três forças já estão acompanhando os passos do MST.
.
A mensagem do General teve endereço certo.
.
Sem contar que os governadores dos estados que estão mais sujeitos a ações do MST já estão informados do que está acontecendo e podem acionar o Exército, caso haja necessidade.

MARSP
Visitante
MARSP

Já vendo os comentários dos petistas lá em cima mostra que eles já estão com medo.

Caio Romão
Visitante
Caio Romão

O Exército brasileiro, bem como as outras duas forças, tem por missão constitucional numero um, a garantia da lei e da ordem (GLO).
Nada mais sensato que o comandante do exército faça um “aviso” à certos elementos, mais exaltados, inspirados em guerrilheiros de extrema esquerda, diga-se.
A democracia não comporta organizações criminosas que ameacem um país inteiro com uma guerra civil.
O que o General fez foi nada mais que a obrigação de todo e qualquer brasileiro de bem.

Alex
Visitante
Alex

Rafael M. F.
“Sem contar que os governadores dos estados que estão mais sujeitos a ações do MST já estão informados do que está acontecendo e podem acionar o Exército, caso haja necessidade.”

As FFAA são forças federais sobre as quais os governadores de estado não tem qualquer autoridade. As FFAA só interveem num estado a pedido de um governador, se este pedido for feito pelo governador ao presidente da República e autorizado por ele que o ramo das FFAA solicitado atenda ao pedido estadual.

Duanny D.
Visitante
Duanny D.

Se me recordo bem, Castelo Branco queria estabilizar o país e devolver o poder, mas estranhamente morreu numa queda de avião e deu no que deu.

Duanny D.
Visitante
Duanny D.

Daí amigos, chamar os militares pode ser boa ideia, mas uma vez lá, o resultado é indeterminado.

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Duanny, Quando Castelo Branco faleceu em um acidente aeronáutico, já não governava o país. Olha a Teori da Comspiracao. Para mim vos serviços reservados já devem estar de olho em vários integrantes no PT e outros. Esse pessoal vai fazer de tudo para não largar o osso!!!

Luiz Campos
Visitante
Luiz Campos

Se prender o bicho pega, se deixar livre o bicho come.

Bardini
Visitante

Resgatemos a Família real para um papel mais diplomático (vulgo bibelot) e instauremos o parlamentarismo em Barnania. Juntado isso e um maior poder de autonomia para os estados… Não tem com ser pior do que a atual penúria e incompetência administrativa.

Campos Junior
Visitante

No texto: “Preocupado com “a evolução da crise política judicial”, o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas afirmou, em mensagem interna aos oficiais da reserva, que a instituição acompanha com muita atenção o atual processo e terá posição “pacificadora em busca da conservação da ordem pública. ” Parece que algumas pessoas não leram que a mensagem do general comandante do Exército foi para o público interno e da reserva da força. Como comandante de uma força ele tem sim o direito e o dever de se comunicar com seus oficiais da reserva. Fim. E as FFAAs estão sujeitas à… Read more »

Lucas Lima
Visitante

Chega do exercito se intrometer no futuro da nação, nos POPULAÇÃO BRASILEIRA temos que procurar meios democráticos para tirar o poder do PT

Renato de Mello Machado
Visitante
Renato de Mello Machado

Vamos até o fim,eles tem o mandato.O povo deu para eles.Exercito brasileiro de tantas glórias saia dessa rabuda,64 nunca mais.

Campos Junior
Visitante

O povo outorgou o mandato. Mas para tanto existe na CF de 88 o dispositivo do impeachment. Portanto se assim for nada será fora da CF. E sem essa de golpismo. Não sejam levianos. Essa turma provocou este dispositivo contra todos os presidentes eleitos. Todos. E agora que é com eles é golpismo? Argumento sem fundamentação nenhuma e beira mesmo à leviandade e oportunismo político-ideológico anacrônico.

Luiz Henrique
Visitante
Luiz Henrique

nós precisamos de um lider de pulso firme, pq a crise politica e social só ta pioramdo, e o RJ ta ficando cada vez mais no vermelho, o governo estadual do RJ ñ ta tendo dinheiro pra bancar aulas de alunos e só pode arcar com as despesas da segurança por mais 5 meses, dps disso o governo vai entregar a segurança que já era ruim na mão de deus

camargoer
Visitante

Caro Lucas. O caminho democrático é a eleição.

Joker
Visitante
Joker

Nada demais, o Gen Villas Boas só disse que vai agir dentro dos parâmetros constitucionais. Agora se alguém pretende agir fora dela é por conta e risco, sabendo muito bem o peso da reação dos guardiões constitucionais.

Possani
Visitante
Possani

Exatamente Bardini, sou monarquista, e acredito apenas em uma monarquia parlamentar. O unico pais republicano no sistema presidencial que deu certo foram os EUA, já monarquista temos uma vasta lista.

Tamandaré
Visitante
Tamandaré

Possani, Bardini,

Somos 3 então!! 😉 Abraço

camargoer
Visitante

Caro Lucas. O meio democrático de mudar um governo é por meio de eleições.

Jeff
Visitante
Jeff

Pedir “intervenção Militar” não é crime algum, como algumas emissoras de TV fantasiosamente divulgam e os anencéfalos são os que acreditam em tudo que a TV mostra. Para manter a constituição o exército poderia intervir sim, e a isso chama-se intervenção militar. Se for necessária a destituição de um presidente, por exemplo, após julgado procedente um motivo de impeachment, o exército poderia intervir caso “forças paramilitares mantidas com verbas públicas e atuantes nesse país – que todos sabemos quem são e quem paga – tentassem manter esse poder a força. Então, esse papo de que pedir Intervenção Militar é crime… Read more »

Claudiney
Visitante

Monarquia parlamentarista. Voto distrital e limitação quantitativa e qualitativa dos cargos de confiança (o câncer da nossa democracia).
Somos 4.

Renato de Mello Machado
Visitante
Renato de Mello Machado

Sem voto obrigatório,pois se vivemos numa democracia ,porque somos obrigados,a votar.Fora urna eletrônica,voto manual.

Pedro lUIS
Visitante
Pedro lUIS

Enquanto muita gente boa, inclusive militares falam em respeitar a constituição os marginais a desrespeitam todos os dias, prevaricando e debochando da justiça e da população, queimando a bandeira nacional, invadindo propriedades. Chega disso!

Alex
Visitante
Alex

Jeff: “Pedir “intervenção Militar” não é crime algum”
Claro que é crime, dependendo de quem “pede”. Quem vai pedir, você? O “povo” (entidade etérea)? Ela só pode ser pedida pelo presidente da Republica, pelo presidente do Congresso ou pelo presidente do STF, de acordo com a Constituição. O resto é golpe de estado de fanático de extrema-direita ou extrema-esquerda.

A população brasileira repudia esses extremos, seja do lado que for..

robertobozzo
Visitante
Roberto Rockenbah
Visitante
Roberto Rockenbah

O Brasil é um pais com a mesma extensão que Estados Unidos, e tem quase a mesma população. Claro que, o próximo presidente tem que dar respaldo as forças armadas, forças estas que foram esfaceladas pelo atual governo. Isto não significa que o Brasil se tornará um país de com ditadura, esta época passou, não volta mais mas, o país tem que ter suas forças em condições de enfrentar qualquer adversidades que por ventura vier. Inclusive olhar muito mais para nossas divisas, que hoje está largada.

OTAVIO MANOEL DE JESUS JESUS
Visitante
OTAVIO MANOEL DE JESUS JESUS

A despeito do discurso ‘certinho’ do Comandante do Exército, General Eduardo Villas Boas… Prefiro ficar com o sábio comentário do senhor JEFF, a respeito dessa matéria, contido no rol de manifestações da população (acima). Embora seja um pouco extenso, é bem coerente e esclarecedor. Confiram e verão…

Marcelo
Visitante
Marcelo

As forças armadas precisam de um plano muito bom para a neutralização da evolução do processo de desagregação MORAL do nosso país, diante de uma possível evolução da anarquia, patrocinada por partidos políticos, é sabido que estão entrando armas e militares estrangeiros pelas fronteiras do Paraguai, Bolivia e Venezuela para organizar alguma situação para uma possível manutenção do controle por parte destes partidos para a continuidade da situação “a qualquer custo”, cabe ás forças armadas esta solução e eliminação sem medo. Considero inevitável, futuros confrontos entre grupos que vão se valer da situação para partir para o “vale tudo”, com… Read more »

Marcelo Man
Visitante

O mandato da Dilma não foi validado pelo povo. Dela e de ninguém. Simplesmente porque as urnas são de primeira geração. 100% eletrônica voto virtual. Nesse modelo de urna quem vota é o software. E não você. Porque depende da confiabilidade do mesmo. Se for malicioso ele vai desviar votos. Por isso na Alemanha foi considerado inconstitucional. Por não permitirem ao eleitor conferir o destino do seu voto sem precisar de conhecimento técnicos especializados. Solução voto eletrônico com voto impresso. Ou voltar nas cédulas de papel.

zorannn
Visitante

Pouco interessa quem é o presidente ou se este é do PT, PSDB ou PQP. Não está dando certo? Tem que tirar de lá. Este é grande problema. Deixando de lado toda a corrupção existente, tem de haver uma maneira de se tirar o chefe de governo quando este não tem condições de governar por falta de credibilidade e/ou apoio politico. Ficar réfem de um presidente por 4 anos, quando este não este não consegue governar, é o maior absurdo. 4 anos é tempo demais. . Talvez seja a hora de discutirmos novamente o parlamentarismo, ou qualquer outra coisa que… Read more »

Celso Cruz
Visitante

Jeff em 10 de março de 2016 as 14:20hs => “… subalternos ainda honram a farda que vestem…” Mesmo papo-furado de 1964. o discuso é igual (idêntico). Pedir intervenção militar é como defender o indefensável, em suma uma ilegalidade. OTAVIO MANOEL DE JESUS JESUS em 10 de março de 2016 as 19:52hs => “… Prefiro ficar com o sábio comentário do senhor JEFF, a respeito dessa matéria, contido no rol de manifestações da população (acima). Embora seja um pouco extenso, é bem coerente e esclarecedor….” Não há nada de sábio em tal discurso. Texto que desinforma mais que informa, ao… Read more »

_RR_
Visitante
_RR_

Zorannn ( 11 de março de 2016 at 7:37 ), . Instaurar uma regra para retirar um Presidente da República por mera falta de apoio político, abre brecha para que se façam manobras entre congressistas para derrubar uma pessoa democraticamente eleita por “tapetão”, sem que lhe incorra alguma culpa real… Entendo que isso poderia ser um atentado direto a democracia, pois abre brechas para manipulações fora do desejo popular… . O mais, creio que somente se poderia entrar no Artigo 85 da Constituição… Se for interpretado que o Presidente da Republica não violou o que está ali, então ele deve… Read more »

vmax
Visitante
vmax

Cada vez que vejo alguém falando sobre 52% de votos, eleição democrática, maioria de votos, e esse blábláblá eu tenho vontade de vomitar o pâncreas.
Me sinto como se alguém me segurasse para um pivete trombadinha viciado em crack tirar dinheiro da minha carteira, cuspir na minha cara e chutar meu saco enquanto debocha de mim.
Quem dera tivesse sido uma eleição honesta.
A começar, pela fraude das urnas eletrônicas.

Douglas
Visitante
Douglas

Bom; uns pedem intervenção militar outros já não. A grande verdade que a nossa bela Carta Magna não foi feita para o povo nem pelo povo. Entaum nobre colegas vamos ver um pouco a história deste país. Vamos olhar la atrás e ver oque os militares fizeram por este país e pelo povo. Nao defendo a figura longe disso…

_RR_
Visitante
_RR_

Bardini ( 9 de março de 2016 at 17:18 ) . O sistema presidencialista, embora mais burocrático, é interessante pois limita ao máximo possível a autoridade de cada membro. E isso, ao contrário, é saudável para uma democracia… Aliás, a razão de ser desse sistema é justamente evitar que uma única pessoa ou entidade tome o poder… . Enfim, acredito que o melhor caminho passa por uma autoridade limitada. No lugar de um presidente único, até se poderia pensar em algo similar ao Conselho Federal Suíço, na forma de um conselho de sete membros que exerceria a máxima autoridade executiva,… Read more »

Celso Cruz
Visitante

vmax em 11 de março de 2016 as 12:27hs => “…Quem dera tivesse sido uma eleição honesta. A começar, pela fraude das urnas eletrônicas.”

Sabe de algo ou tem alguma informação desconhecida? fique a vontade em dizer, a hora é agora. Estará prestando relevantes serviços a nação.

No mais, sem o velho papo-furado do “perigo vermelho” ou culpar os abandonados (pelo governo) de toda a sorte, defendendo ilegalidades. Se sentir mal por ter votado errado, ninguém admite. Aceitem porque isto dói menos. Na próxima (eleição) votem corretamente, e diga um NÃO aos “mesmos candidatos e/ou partidos políticos de sempre”!

José Roberto Napoleão
Visitante

Ao Blog, obrigado pela oportunidade, A muito tempo acompanho estes ótimos blogs, sem manifestar explicitamente, mas hoje assim o faço. Ao Celso Cruz, O problema é:” diga um Não aos mesmos candidatos e/ou partidos políticos de sempre”; Esta situação, sofrível ao meu ver, só se resolveria com uma ampla reforma do Sistema Politico/ Eleitoral, o que não é do interesse desta classe politica, assentada em suas cadeiras de mordomia, isto em todos os níveis. Deveria esta reforma passar pelo voto facultativo (não obrigatório como citado logo acima), extinção da famigerada Urna Eletrônica, chegando até ao aceite de candidaturas independentes de… Read more »

zorannn
Visitante

Olá RR!
.
Por isso que de repente seja uma boa hora para tentarmos o parlamentarismo. Se parar pra pensar, vivemos algo parecido. A diferença é que no parlamentarismo, governo sem apoio cai!

Andre Luiz
Visitante
Andre Luiz

Viés ideológico?

Traidores da pátria de um lado e Patriotas do outro e o Sr. fala em viés ideológico? Tá de brincadeira né…
Well, quando esses traidores terroristas começarem a por fogo no país, vamos ver quem o sr. vai escolher proteger.