M113A2 Mk1 (M113BR)

Segundo o IHS Jane’s, o Exército Brasileiro informou que recebeu os primeiros kits para modernizar mais 236 blindados de transporte de tropas M113B para a configuração M113BR (padrão M113A2 Mk1).

Os equipamentos iniciais foram enviados pela BAE Systems ao Parque Regional de Manutenção/5(Pq R Mnt/5) em Curitiba. Espera-se que a linha de modernização inicie as atividades em agosto, com o término previsto para 2018.

M113BR - 5

A modernização, parte do “Projeto Estratégico do Exército “Obtenção de Capacidade Operacional Plena” (PEE-OCOP), foi estabelecido em dezembro de 2014, via FMS (Foreign Military Sales). A BAE Systems recebeu o contrato de US$ 54,6 milhões do US Department of Defense em julho de 2015 para o trabalho. As atualizações são destinadas à 5ª Brigada de Cavalaria Blindada e 6ª Brigada de Infantaria Blindada.

O primeiro lote de 150 blindados foi modernizado de dezembro de 2013 a 2015. A Força Terrestre está buscando modernizar veículos adicionais. O Exército originalmente recebeu 584 blindados de transporte M113.

31
Deixe um comentário

avatar
31 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
19 Comment authors
sergio ribamar ferreiraReginaldo Jose da Silva BacchiW.K.Lcaugusto Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Bueno
Visitante
Bueno

Continuar com esta modernização vale apena? levando em consideração o nível de blindagem M113 e o TO que atua

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Não sou especialista, mas acho que para o TO em que atua, ainda é um bom VBTP, desde que consiga acompanhar as colunas de CC, uns dos requisitos da modernização parece que li na Tecnologia e Defesa.

Com a palavra, os cavalarianos do blog!!!! Gente, cadê o Vader hein???

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

e o Guarani? cada vez bate forte que 13 anos daquele partido nos estragou, já era pra termos uns 300 Guarani, fica a pergunta aos colegas o M113 vai aguentar o serviço para américa do sul? e contra um país mais poderoso? (duas vezes na século passsado nos estranhamos com países europeus)

Reginaldo Jose da Silva Bacchi
Visitante
Reginaldo Jose da Silva Bacchi

Eu estou bastante confuso com um comentário feito no sitio Defesa Brasil de que o EB estava considerando continuar a repotencialização dos M113, usando motor Caterpilar nacional.

Estes 236 kits recebidos são completos? Incluem o motor DDA 6V53?

Alguem sabe algo?

Bardini
Visitante

O EB deveria trazer mais blindados de fora e fomentar a sua modernização pela indústria nacional… É a forma mais econômica e racional de se “construir” uma base industrial de defesa ou algo parecido com isso.
.
Desenvolver blindados do zero e comprá-los em quantidades suficientes, isso não funciona em um país que ainda tem forças armadas que não tem condições sustentar estes investimentos com o seu orçamento.
.
Os Turcos modernizam a linha completa: http://www.fnss.com.tr/en/product/m113-modernization

zorannn
Visitante

Tem que modernizar mesmo.
.
O EB está de parabens por buscar o melhor custo benefício. Se não tem dinheiro (por diversos motivos e não diretamente relacionado ao tamanho do orçamento) para comprar novo, tem que se buscar aumentar a disponibilidade do que já temos.
.
Este é o caminho.

Matheus
Visitante
Matheus

Carlos Camos

Os Guaranis que o EB já tem, já supera os numeros de Urutus. Ou seja, facilmente podiam aposentar todos os Urutus e colocar os Guaranis em serviço.

Alexandre
Visitante

Matheus, será que sua afirmação procede? ” O número de Guaranis e superior aí de Urutus?

W.K.
Visitante
W.K.

-Sim, o M-113 ainda é um bom blindado. Basta ver que tanto a IDF quanto o US Army ainda operam unidades do mesmo. Inclusive o M-113 esteve em operação no Iraque e Afeganistão. . -Considerando as ameaças na AL, considerando o currículo dele, ele ainda serve para o nosso TO e aguenta o tranco. . -Sendo ainda um blindado efetivo, qualquer modernização é valida e bem vinda. . . PS: Acredito que deveriam de aproveitar o trabalho de modernização e instalar nele tanques externos de combustível. Além de estudar a possibilidade de comprar alguns kits de blindagem adicional. E, já… Read more »

by mauro
Visitante
by mauro

O M113 ainda da para o gasto, pode sobreviver ate 2025, muitos países ainda usam este belo blindado só que com um armadura sobre ele, com certeza são mais protegidos que estes aqui no Brasil. Agora fico pensando com meus 2 neurônios tico e teco no Blindado CHARRUA, sera que ele teria sido bom para o EB? Lembro dos videos onde mostrava um bom desempenho na terra e na água, teria sido uma boa aquisição para o EB e hoje com tecnologia nacional e com a fabrica aqui ele já teria sofrido varias modificações modernas. Uma pena ele não ter… Read more »

Rafael M. F.
Visitante
Rafael M. F.

Outro que também insistem em não morrer…

A boa e velha caixa d’água com esteiras.

João Augusto
Visitante

Teve uma polêmica envolvendo a modernização do M113 e um estudo feito por uma universidade no sul… Alguém sabe as razões do projeto da universidade ter sido preterido?

Reginaldo Jose da Silva Bacchi
Visitante
Reginaldo Jose da Silva Bacchi

Pelo que eu entendi, um dos motivos da recusa foi seu motor diesel de baixa cilindrada, numa versão de maior potencia, ou seja motor no limite de sua utilização.

Reginaldo Jose da Silva Bacchi
Visitante
Reginaldo Jose da Silva Bacchi

Leia: “… no limite extremo de sua utilização…”

Lyw
Visitante
Lyw

Reginaldo Jose da Silva Bacchi 27 de junho de 2016 at 16:09

Amigo Bacchi, até onde sei o motor instalado em todas as unidades modernizadas é o Turbo Diesel 6V53T de 265hp da Detroit Diesel Corporation (DDC), sendo uma das partes mais importantes do kit de atualização para o padrão M113A2Mk1.

Provavelmente essa informação sobre utilização do motor Caterpilar nacional foi uma confusão. Como bem explicastes, o referido motor caterpilar foi considerado limitado para o veículo.

Reginaldo Jose da Silva Bacchi
Visitante
Reginaldo Jose da Silva Bacchi

Liw, eu nunca escrevi que o motor Caterpilar nacional foi considerado limitado para o veiculo. Acho que sua potencia é mais que adequada. Eu escrevi que o veiculo proposto por uma universidade do sul (veja o post de: João Augusto 28 de junho de 2016 at 8:15) teve seu motor (se não me engano era um MWM) considerado limitado para o veiculo. Você está confundindo alhos com bugalhos. Por favor mais atenção. Devo lembrar a você que junto com Helio Higuchi, escrevi artigo na Tecnologia & Defesa descrevendo o trabalho de repotencialização dos M113 com os motores DDA 6V53, após… Read more »

Reginaldo Jose da Silva Bacchi
Visitante
Reginaldo Jose da Silva Bacchi

Afim de deixar esta situação de motores bastante clara, devo informar que o motor que foi mencionado em discussão no sitio Defesa Brasil, para usar no M113 do EB, no lugar do DDA 6V53, foi o Caterpillar C7 de cerca de 300 HP.

Este motor é o mesmo que está sendo montado nos M113A1 do CFN.

Lyw
Visitante
Lyw

Obrigado Bacchi, e desculpe a confusão.

L.D.K.
Visitante
João Augusto
Visitante

Obrigado pela resposta, Bacchi.

DaGuerra
Visitante
DaGuerra

Melhor que nada. Boa medida.

Reginaldo Jose da Silva Bacchi
Visitante
Reginaldo Jose da Silva Bacchi

Liw, tudo bem!

paco
Visitante
paco

Enquanto isso a VENEZUELA compra tudo novinho da China e da Russia. A brasília do meu tio é mais nova que esse M113 lixinho aí.

augusto
Visitante
augusto

unica coisa que o M113 precisa é de uma torre automática com uma .50 e visão e noturna para o motorista. Principalmente aqueles que se destinam a cobrir o avanço de CCs, os outros M113 só uma revitalizaçãozinha ta de boa

Reginaldo Jose da Silva Bacchi
Visitante
Reginaldo Jose da Silva Bacchi

O M113 precisa de um novo chassis, de um novo motor, de uma nova transmissão, de novas lagartas, de um novo armamento etc etc etc.

Lc
Visitante

Caro Reginaldo Bacchi, em face a seu último comentário, não seria mais viável substituí-los por um veículo mais moderno de segunda mão?. Pelo Marder, por exemplo, mesmo este não tendo capacidade anfíbia.
Ou talvez buscar uma solução autóctone baseada no Charrua, possívelmente atualizado, Mesmo sendo os dois que citei viaturas de características distintas. Um IFV puro e outro um APC anfíbio.
Permita-me questioná-lo, em sua opinião qual seria a melhor solução, deixando de lado a eterna falta de recursos.
SDS.

Reginaldo Jose da Silva Bacchi
Visitante
Reginaldo Jose da Silva Bacchi

Na minha opinião o EB deveria ter se aproveitado da liquidação de Marders do exercito alemão, e comprado um numero suficiente para mobiliar os 4 batalhões de infantaria blindada dos duas brigadas blindadas. Infelizmente o EB é apaixonado pela capacidade anfibia do M113, e aparentemente casou-se com o mesmo sem possibilidadee de divorcio. O fato de se adotar o Marder para acompanhante dos Leopard 1A5, não impediria de se usar os M113 para finalidades secundarias, como veiculo porta morteiro, posto de comando, ambulância etc etc etc. Este uso do M113 para finalidades não de 1ª linha aconteceu tanto na Alemanha… Read more »

Lc
Visitante

Engo Bacchi, partilho da mesma opinião.
Marder nos BIB e aproveitamento dos M-113 como veículos auxiliares ou até mesmo na criação de uma reserva.
SDS.

W.K.
Visitante
W.K.

E os RCB? Como ficariam?

Reginaldo Jose da Silva Bacchi
Visitante
Reginaldo Jose da Silva Bacchi

Tem razão. Peço desculpas. Minha culpa. Esqueci dos RCB.

São 4 RCBs, portanto Marders para 8 companhias.

sergio ribamar ferreira
Visitante
sergio ribamar ferreira

O EB faz o que pode e não se desespera. Mesmo com todas às adversidades ainda se planeja alguma situação para se manter em ordem o pouco que nos resta. Avante EB e demais Forças. O que precisamos é de civismo, u pouco de amor à Pátria e livrar-nos dessa súcia de bandidos que governaram nossa nação sem nenhum zelo ou caráter. Desculpem-me editores e comentaristas, mas fui de Infantaria e Artilharia .servi no extinto PEx e 8º GAcosM ,(Fortaleza de Santa Cruz) 1980 à 1986. Tenho muito orgulho e digo devo meus estudos a Deus e ao EB. Ontem,… Read more »