Home Artilharia BAE Systems vai modernizar obuseiros para o Exército Brasileiro

BAE Systems vai modernizar obuseiros para o Exército Brasileiro

8468
48
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O Jane’s noticiou que a BAE Systems obteve um contrato de US$ 54 milhões para fornecer 32 obuseiros autopropulsados M109A5 de 155 mm atualizados para o padrão BR ao Exército Brasileiro.

“A produção está prevista para começar em outubro com as entregas de veículos a partir de 2018,” disse a BAE Systems. “Entregas finais e o início do treinamento e suporte no Brasil estão previstas para ocorrer até o final de 2018.”

O trabalho vai atualizar 32 M109A5 do Exército dos EUA para a configuração M109A5+ BR para o Brasil. Os obuseiros vão equipar os 6° e 5° Grupos de Artilharia de Campanha Autopropulsados de Santa Maria e Curitiba.

Os veículos são parte de uma frota de 40 M109A5s ex-US Army anteriormente concedidos pelos EUA através do processo de “excess defence articles” (EDAs).

A atualização inclui a integração de um rádio Harris Falcon III, radar de velocidade de boca, unidade de navegação inercial, GPS, computador de tiro, diretor de fogo, bloqueio remoto de viagem, e um sistema de comando e controle de artilharia automatizado localmente designado como SISDAC (Sistema digitalizado de Artilharia de Campanha) que acredita-se ser o Advanced Field Artillery Tactical Data System (AFATDS) da Raytheon.

Dois veículos não-modernizados devem ser convertidos em treinadores pelo Exército Brasileiro, e o restante vai servir para instrução das tripulações e, como peças de reposição.

48
Deixe um comentário

avatar
48 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
22 Comment authors
leandro moreirabbJosianoaugustoGlasquis 7 Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Seal
Visitante

Além da modernização dos Obuseiros para o padrão A5+, saiu uma nota em que o EB pretende modernizar e recolocar em operação todos os 91 tanques M-60TTS, modernizar os Leopard 1A5Br e a partir de 2020 , a KMW alertou o EB do fim da vida útil dos Leopard. Estuda-se o desenvolvimento e a entrada de um novo veículo baseado no chassi do Puma com uma torre não tripulada e outro baseado no chassi do Boxer 8X8 alemão, só que isso vai depender das condições econômicas do País.

Juarez
Visitante
Juarez

Seal, la fuente no és confiable?????

G abraço

Fernando
Visitante
Fernando

O EB segue sendo a força que mais investe e mais compra equipamentos! BRASIL!!

Mauricio R.
Visitante

Essa nota é do EB ou da KMW, já selecionaram até as plataformas… O que será que a IVECO está pensando disto????

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Necessária correção é o 6º GAC AP ( Mallet) que será beneficiado e não o 3º.

Matheus
Visitante
Matheus

Alguem sabe detalhadamente o que vai mudar?

Agradeço desde já.

Seal
Visitante

Juarez 26 de setembro de 2016 at 14:02
“Seal, la fuente no és confiable?????”
G abraço
É confiável Juarez, mas é melhor aguardarmos maiores detalhes. G abraço tb

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Seal e Juarez, vi u texto onde consta isso e tem vários erros. Não creio na confiabilidade do mesmo

Carlos Crispim
Visitante
Carlos Crispim

Modernizar os M-60 é o fim da picada, só por isso já acho a notícia fajuta, embora em certos quesitos eu os ache melhor que o Leopard 1, mas é muito velho, serve bem para alvo, gastar os parcos recursos nele é um desperdício tremendo, não sei qual a dificuldade em comprar veículos novos, gasta-se dinheiro em lotes velhos pra depois gastar em modernizações que não tem fim, não é melhor comprar logo MBT novos? Ou procurar uma fonte de Leo II?

Matheus
Visitante
Matheus

Carlos Crispim 26 de setembro de 2016 at 17:28

Simples, o território brasileiro não é muito bom para tanques pesados, dai veio a preferência aos M113BR, Guarani e LMV.

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

É, só sei que o EB vai comendo pelas beiradas, modernizando aqui, comprando ali, mantendo sua capacidade sem alarde, fazendo muito com pouco, parabéns ao Estado-Maior do EB!!!

Bardini
Visitante

Eu penso que até 2025, a solução é não reinventar a roda. Toca-se os Leopard 1A5 até onde der e depois passa-se para a reserva. O EB busca mais M60 e moderniza tudo em um mesmo pacote, estilo M113, adicionando os que se tem aqui a modernização. Nada radical como troca de canhão, passando-o para 120 mm. Melhora-se o básico: alguma blindagem adicional, propulsão e sistemas de tiro. E o foco segue com a obtenção dos blindados da família Guarani. . Para 2025+ a coisa muda. Os Leopard 1A5 começariam a ir para reserva e o M60 não duraria para… Read more »

Carlos Alberto Soares-Israel
Visitante
Carlos Alberto Soares-Israel

Carlos Crispim 26 de setembro de 2016 at 17:28
Estas errado Colega, Leo 2 não há disponível, Leo 1 difícial, mais:
http://nationalinterest.org/blog/the-buzz/raytheon-can-turn-old-american-made-m60a3-tanks-killing-16142

Carlos Alberto Soares-Israel
Visitante
Carlos Alberto Soares-Israel

Carlos Crispim 26 de setembro de 2016 at 17:28
https://www.youtube.com/watch?v=fFPuYIy3hB8

Plinio Junior
Visitante

Creio que dificilmente o EB vai encontrar Leo1A5 disponíveis para substituir os Leo 1A1 Belgas, a solução seria a aquisição de um lote de M-60A3TTS de estoques da US Army para substituir os Leo1 belgas… não precisa de muita coisa não, como o Bardini sugeriu, somente atualização de sistemas de tiro e comunicação e alguma coisa de blindagem….vai tocando o barco com a frota de Leo1A5 e M-60s até ter grana para algo melhor…..

Juarez
Visitante
Juarez

Seal, a fonte é pouco confiável, pois veio de famoso jornalista exxxpecializado de defesa muito conhecido meu e do Vader, mas vá lá .

g abraço

Seal
Visitante

Juarez, esse negócio não é de agora. Na época qdo instalaram a fábrica da KMW no Brasil em 2015, o Presidente da KMW no Brasil, engenheiro Cristian Böges, durante uma série de palestras apresentadas por dirigentes do polo industrial-militar de Santa Maria, Böges lembrou que o objetivo imediato de sua empresa era desenvolver sistemas de manutenção para a atual frota de blindados da força terrestre brasileira, além de simuladores que possibilitem a transferência de tecnologia. Mas ele também deixou claro: entre os projetos novos delineados por sua indústria, um dos principais é o de, no prazo de cinco anos, criar… Read more »

Ivan da Silveiraa
Visitante
Ivan da Silveiraa

Boa noite

Notícia muito boa! Parabéns pela iniciativa do Exército Brasileiro. Modernizar esse tipo de equipamento parece ter um ótimo custo/benefício e que preenche as necessidades.

Uma dúvida: concedidos pelos EUA através do processo de “excess defence articles” (EDAs).
Isso na prática funciona como uma doação ou foram comprados? Alguém sabe quanto custou esses 40 obuseiros?

Abraço!

Juarez
Visitante
Juarez

Seal, só uma pequena correção, não são três RCBs e sim cinco RCBs. Quanto a vontade do EB e a vontade da KMW, ambos vão esbarrar na falta total e absoluta de din din nos próximos oito a dez anos no que concerne a grandes gastos como o desenvolvimento e compra de um novo CC, lembrando que a conta do pindura com a Iveco anda alta. Agora, eu apostaria realmente que o EB busque pequenas e pontuais modernizações e atualizações de seus Leo 1A5 se valendo da estrutura da KMW, se ela estiver por aí ainda. Talvez o EB, vendo… Read more »

Leonardo Andrade
Visitante

Essas noticias são sempre interessantes mas geram sempre uma desinformação na hora dos comentários, demorei anos para saber exatamente quantos Carros de Combate o EB tem e onde estão baseados… Por exemplo 5 RCBs alguém pode citar nominalmente as OMs e quais as cidades? Sempre soube de apenas 4 unidades do tipo: No CMS entre as Brig das duas Regiões/Divisões, todos com o Leopard 1A1 e 1A5 4°RCB da 1ª Brig de Cav Mec 6°RCB da 2ª Brig de Cav Mec 9°RCB da 3ª Brig de Cav Mec No CMO com, M-60 A3 TTS 20° RCB da 4ª Brig de… Read more »

Leonardo Andrade
Visitante

Sobre os M-109 A5… O EB já possui 37 unidades de 155mm no padrão A3
Sendo assim vai adicionar 32 unidades operacionais modernizadas para serem divididas em 2 OMs (2 Grupos de Artilharia Autopropulsados) e então o que ocorre com as peças do modelo anterior, passam para reserva, serão modernizadas no futuro?
Esse numero operacional de 32 unidades me lembram o numero de Guepards divididos entre dois grupos com 16 cada… (esse é o padrão de um grupo de artilharia, 16 peças por grupo, com 4 baterias de 4 peças cada?)
Muitas duvidas, algum artilheiro ou curioso por aqui?

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

São quatro os RCB, tres no RS e um no MS. Aqui é em Sao Luis Gonzaga, Alegrete e São Gabriel. Leonardo voce esta correto os o 5 e 6º GAC AP serão mobiliados com 04 bateria de 04 peças pois são orgânicos de grandes unidades quaternárias. O normal são 12 peças em três baterias. Dois GAC tem 18 peças em três baterias de 06 ( os que operal o L-118). Os do lote belga serão modernizados e mobiliam as artilharias divisionárias 5 e 3, com grupos a 12 peças. Texto mencionado apresenta erros como afirmar que seriam 60 unidades… Read more »

Bardini
Visitante

Colombelli, pq o EB não adota o blindado municiador que faz par com o M-109?
Falta de dinheiro? De excedentes?
A munição é deslocada em caminhões?

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Bardini, vai um ou dois M113 normalmente com a bateria. Em treinamentos a munição vai em caminhões por questão de segurança e por ser pouca. Em combate o próprio obuseiro ja leva boa quantidade de munição que pode ser complementada por um municiador sobre lagartas. A previsão é 50 disparos como dotação dia, e é normalmente o que sai pra uma missão de tiro, compreendendo iluminativas, HE e uma muito, mas muito importante: fumígena. Sem fumígeno um ataque de infantaria é suicida.

Agnelo Moreira
Visitante
Agnelo Moreira

Prezados
O Leo A5 é prioridade para os 04 RCC. O Leo A1 para os RCB do CMS, até a substituição pelo A5, provavelmente. O M-60 é do RCB do CMO. Os RCB tem 02 Esqd CC, com 13 CC cada.
Quanto ao CC-SR dá família Guarani, ainda não foi decidido qual a plataforma. A IVECO não apresentou uma de 8 rodas, necessário para o tiro de 105mm estável, quando de lado.
Abc

Flanker
Visitante
Flanker

“Colombelli 26 de setembro de 2016 at 15:11
Necessária correção é o 6º GAC AP ( Mallet) que será beneficiado e não o 3º.”

Colombelli, o Regimento Mallet é o 3° GAC/AP, e não 6°.

Juarez
Visitante
Juarez

Pô Colombelli, pisei no tomate, são quatro RCB e não cinco. Falha minha.

G abraço

Ed Cardim
Visitante

Os 72 M108 105mmAP estão em quais om’s?

Flanker
Visitante
Flanker

Galante, o GAC/AP de Santa Maria é o 3° e não 6°.

Agnelo Moreira
Visitante
Agnelo Moreira

Os 105 AP são das Bda C Mec, mas as Bda Bld ainda tem, aguardando receber o 155 AP.
Não lembro a numeração dos GAC, mas Uruguaiana, Bagé, Santiago, Nioaque, Santa Maria e Curitiba, sendo os dois últimos das Bda Bld.

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Juarez e eu pisei no número do Mallet, logo dele onde tive o desprazer de ficar plantado horas em algumas formaturas. flanker, correto, é o 3º, o “Boi de Botas”. Eu que estava com o 6 na cabeça por causa de 6 brigada, 6 Bia AAA, 6a Cia de Engenharia e 6 Esquadrão C Mec, todos orgânicos da Brigada, onde é também o Mallet. Ed tem 48 M-108 operando. Estão nos 3º., 5º e 22 GAC AP, em grupos quaternários e baterias de 04. Vai ficar so o 22 depois de 2018. Agnelo, nas Brigadas C Mec, so a 2º… Read more »

Agnelo Moreira
Visitante
Agnelo Moreira

Blz.O companheiro que me passou pensou q já tinham atualizado. Ele serviu mais em AAAe. Eu sou de infa.
Abc

Agnelo Moreira
Visitante
Agnelo Moreira

Mas é o que a doutrina tem previsão. Bda Bld com 155 AP, C Mec com 105 AP e as AD com 155 AP e AR. As Inf Mec querem com 155 AP – SR, mas ainda está no papel, até por falta de plataformas, além do Sul-africano.

Reginaldo Jose da Silva Bacchi
Visitante
Reginaldo Jose da Silva Bacchi

Não vi nada que diga que as Brigadas de cavalaria Mecanizadas tem como previsão para o futuro o VBC OAP SL 105 mm.
Acho muito mais logico as Brigadas de Cavalaria Mecanizadas e de Infantaria Mecanizadas comunizem a artilharia para o futuro, usando armamento comum: OAP SR 155 mm. Caminhão Tatra mobiliado com obuseiro comunizado com o rebocado da AD.

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Agnelo, so a 2a C Mec tem 105 AP.
Blindadas de infantaria ( 6) e cavalaria ( 5) terão 155 AP. Artilharia divisionárias 3 e 5 155 AP. Artilharia divisionária 2a DE 155 AR e 105 Ar.
Brigadas C MEC 2a com 105 AP e as demais 105 AR.

Bachi seria uma boa, tudo em roda, por artilharia não precisa ser todo terreno.

Uma coisa que não se pensou foi por um tubo 105 alongado da Royal Ordenance ou da Denel no M-108. Seria uma alternativa também com alcance indo entre 20 e 30 km

Reginaldo Jose da Silva Bacchi
Visitante
Reginaldo Jose da Silva Bacchi

VBC OAP SL 155 mm = um exemplo é o obuseiro auto propulsado M109;
OAP SR 155 mm = obuseiro 155 mm montado sobre chassi de caminhão. Um exemplo é o Caesar da NEXTER.

Glasquis 7
Visitante

Por gentileza, eu estou confuso com os números. Alguém poderia me informar, em total, com quantos Obuses Autopropulsados contará o EB ao final desta modernização?

Bardini
Visitante

Creio que ficará:
32 M-109A5+
37 M-109A3

Glasquis 7
Visitante

Bardini,

É muito grande a diferença entre o A3 e o A5???

Bardini
Visitante

A maior diferença é o canhão.
.
O M-109A3 (que é um A2 melhorado) usa canhão M185. o A5 (que é uma versão melhorada do A4) usa canhão M284, aumentando assim o alcance.
.
A parafernália eletrônica é o outro grande diferencial, mas não sei detalhar todas diferenças sem pesquisar…

Glasquis 7
Visitante

Grande mestre Bardini,
Obrigado pela atenção.

augusto
Visitante
augusto

Pra mim esses novos m109 deveriam ser orgânicos das cavalaria blindada, ficando os velhos para artilharia divisionaria

Josiano
Visitante
Josiano

Corrigindo a correção, o Mallet é o 3º GAC AP, localizado em Santa Maria-RS, e não o 6º como disse o Colombelli.

bb
Visitante
bb

Resta lamentar. Ja esta em estudo o Substituto do leclerc e do leo II , novo Merkava V, Armata etc. todos com motor de + 2000 hps, alguns com canhoes de 140 mm que superam muito os tanques de hoje. Defesa ativa, metralhadora com controle remoto. Sao mbt de 80 a 90 tonelads! Os leo 1 estao sendo retirados do Canada por insuficiencia. um tanque leve nao da nem para um comeco com armas antitanque, para dizer o minimo! Temos tanque de segunda mao para uma guerra improvavel incapaz de qqr combate atual.

bb
Visitante
bb

No caso dos obuseiros, uma revolucao! os m109 ultrapassados. necessita-se de mais precisao e mobilidade, e maior abrangencia de alvos. Chega. Por um exercito eficiente e moderno, pago com nossos impostos

leandro moreira
Visitante

Conforme informado neste mesmo espaço, em 28 de março de 2013 e 30 de julho de 2013 esta negociaçao ja estava em andamento inclusive com o pagamento da primeira parcela (portaria 39/2013 EB) minha pergunta ao For Te é se essa é uma nova aquisicao ou é o andamento natural daquela aquisicao.

Agnelo Moreira
Visitante
Agnelo Moreira

1) o Cmdo EB está bem ciente do tempo q o Leo I ainda pode rodar e q deverá ser substituído por algo muito melhor. 2) ter esta força q temos, hj, é suficiente para dissuadir quem vem de além mar, numa improvável invasão a curto e médio prazo, pois teria de trazer uma força muito pesada. quanto aos vizinhos, não é preciso nem falar… 3) nossas estradas, pontes, solo suportam uma coluna de blindados de 80 ou 90 toneladas? Um RCC tem 54 CC. Pra decidir qual Bld melhor, deve-se casar Terreno, possíveis Inimigos, probabilidade de emprego etc. Temos… Read more »

Mauricio R.
Visitante

OFF TOPIC…, mas nem tanto!!!!
.
AM General integra o Hawkeye MWS no Hummer:
.
“AM General has unveiled a new self-propelled gun system based on its M1152A1 4×4 High Mobility Multi-purpose Wheeled Vehicle (HMMWV) platform and armed with the Mandus Hawkeye 105 mm Mobile Weapon System (MWS) at the 2016 Association of the United States Army Annual Meeting & Exposition (AUSA).”
.
(http://www.janes.com/article/64363/ausa-2016-am-general-integrates-hawkeye-mws-onto-hmmwv)