Home Cavalaria Tiro de Aceitação de Campo do REMAX

Tiro de Aceitação de Campo do REMAX

5629
87

Amambai (MS) – Nos dias 21 e 22 de setembro, o 17º Regimento de Cavalaria Mecanizado (17º RC Mec) recebeu representantes da Diretoria de Fabricação e da Empresa ARES para acompanhar a realização do Tiro de Aceitação de Campo do Reparo Automatizado X (REMAX), da Viatura Blindada de Transporte de Pessoal – Média de Rodas (VBTP-MR), 6×6, Guarani.

Nessa oportunidade, os seis sistemas REMAX do Regimento realizaram o Tiro com metralhadoras .50 e MAG. A atividade foi apoiada pela Seção de Instrução de Blindados do Regimento, utilizando seus instrutores habilitados no sistema.

O REMAX é uma estação de armas remotamente controlada com giro-estabilizado para metralhadoras .50 e 7,62 mm que foi desenvolvida a partir dos requisitos do Exército Brasileiro, por meio de uma parceria da ARES com o Centro Tecnológico do Exército (CTEx), com tecnologia nacional.

O 17º RC Mec foi a primeira tropa de Cavalaria e ter seus sistemas de armas (REMAX) certificados no âmbito do Exército Brasileiro, agregando muitas novas capacidades aos Lanceiros do 17 de Cavalaria.

Relembre

No mês de agosto, o Pelotão de Manutenção do Esquadrão de Comando e Apoio do 17º RC Mec, junto com técnicos das empresas IVECO e ARES, instalaram o Reparo de Metralhadora Automatizado X REMAX-CTEX em VBTP-MR Guarani. Com isso, as viaturas tornaram-se aptas a receberem as metralhadoras calibre 7,62 mm e .50”, aumentando o poder de fogo do Regimento nas ações de defesa externa, no Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON), nas ações de garantia da lei e da ordem (GLO) e no combate aos crimes transfronteiriços.

O sistema REMAX e o Programa Guarani

O REMAX suporta metralhadora calibre 7,62 mm ou .50 (12.7 mm) e permite a pontaria em elevação e direção do armamento, a observação, o reconhecimento e a identificação de alvos durante o dia e a noite, bem como a realização do tiro em movimento, porque o reparo é estabilizado.

O Programa Guarani tem por objetivo transformar as organizações militares de Infantaria Motorizada em Mecanizada e modernizar as organizações militares de Cavalaria Mecanizada.

FONTE: Exército Brasileiro

87
Deixe um comentário

avatar
87 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
24 Comment authors
PARANunaoCwbAgneloBosco Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Legal!
Mas está na hora do EB testar algum morteiro 120mm no Guarani. A Ruag, que conseguiu autorização para fabricar munições no Brasil, recentemente mostrou o Morteiro Cobra para o EB.
Existem outras opções de morteitos ocidentais.
Claro que o momento econômico é ruim, mas dá para conseguir alguns milhões de dólares para comprar um ou dois morteiros e desenvolver um protótipo.
Acho importante comprar de outra empresa que não a ARES, pois dependência demais de uma empresa estrangeira (ela é controlada pela Elbyt, de Israel) não é nada bom.
Aliás, cadê a TORC30?

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Essa torre simplesmente é a melhor para o que a viatura se destina.

_RR_
Visitante
_RR_

Belíssimas fotos!

qboavida
Visitante

Carlos Alberto Soares, existem ainda os Guaranis (15ª Bda Inf Mec, por exemplo) equipados com o sistema UT-30BR, muito mais poderoso.

Bardini
Visitante
Bardini

“Aliás, cadê a TORC30?”
.
Espero que esteja esperando por um veículo mais adequado para ser montada, e não o Guarani…

Walfrido Strobel
Visitante

Bardini, segundo matéria do Roberto Lopes de abril deste ano o EB vai ceder um Guarani a ARES para testes de integração da Torc30, mas não tem planos para sua compra com a decisão pelo uso do UT-30BR tambem da ARES.
Para quem quer conhecer melhor os detalhes dos Sistemas Terrestres da ARES:
REMAX
TORC30
UT30Br
CARDOM
Tem este site: http://www.ares.ind.br/new/pt/index.php

Diogo de Araújo
Visitante

Parabéns aos engenheiros e técnicos envolvidos, vcs são um orgulho para mim como brasileiro

Fresney
Visitante
Fresney

Deveria também se pensar em instalar um míssil anti carro para complementar o canhao de 30

Bardini
Visitante
Bardini

O Guarani não precisa de canhão 30 mm e nem de míssil… O que se precisa é do 8×8 com canhão 105/120mm.

Carvalho
Visitante
Carvalho

Bardini, talvez seja pq não há cenário futuro para o provável emprego do 105mm

Já para o Remax…é bater a chave e sair atirando (ou identificando alvos), já que a torre tem instrumentação ótica para este fim

Uma pergunta para Agnelo e Colombelli ! que são craques neste tipo de questão:
A nota diz que são 06 remax para o RCMec. São 09 pelotões..
Teremos pelotões pesados (com remax) e outros de apoio? Ou dois esquadrões completos e um na Reserva?

Saudações

Carvalho
Visitante
Carvalho

Reparem que a MAG ainda está com o bipé…
“Me dá uma MAG aí que vou botar na minha Remax !”

Carvalho
Visitante
Carvalho

Uma última pergunta:

O que é aquele fio na lateral do Guarani na primeira foto?

Bardini
Visitante
Bardini

Carvalho, uma coisa não tem nada haver com a outra. . Remax com é extremamente útil. Canhão de 30 x 173 mm é extremamente útil. Canhão de 105/120 mm é extremamente útil. . São coisas complementares… Mas o do meio é o que “menos agrega” (na minha opinião de achista, claro) quando não se tem $$$ pra ter todos e se tem um bocado de Cascavel pra substituir. . Com o valor de um Canhão 30 x 173 mm, da pra comprar um Guarani… O Guarani é um Blindado de Transporte, deve-se ter isto em mente. Torrar um dinheiro que… Read more »

Carvalho
Visitante
Carvalho

Faz sentido a argumentação Bardini !
Baita foto…o que é? VBCI Francês x Piranha?

colombelli
Visitante
colombelli

Carvalho, na minha concepção os carros com remax seriam um no carro da seção de carl gustav e o outro no do CMT Cia. Minha cia Teria 14 carros, sendo 09 com .50, 03 com 30mm e 02 com remax.

Pelo que se nota sendo 06 por unidade, serão duas por subunidade, mas não na concepção que imagino como ideal. O certo é que não serão separadas em uma fração so com elas e que estarão lotadas em outras.
O Agnelo que está na ativa deve saber ao certo.
Na minha concepção ainda, os 30mm seria dos cmt PEl.

Carvalho
Visitante
Carvalho

Valeu Colombelli !
Nada como a falta de meios para exercitar nossa criatividade tática

Abç

Bardini
Visitante
Bardini

Boxer x ASLAV
.
Competição australiana pra substituição do ASLAV (LAND 400).
https://i1105.photobucket.com/albums/h358/buglerbilly/ARMOUR/AMVASLAV_zpsug20ylvw.jpg
O outro concorrente é o Patria AMV.

Carvalho
Visitante
Carvalho

Bardini,

Aproveitando que vc está online…
Estes dias vc postou uma foto do módulo de treinamento do Guarani
A posição do motorista era na direita….É isto mesmo? Pq esta disposição?

Bardini
Visitante
Bardini

A posição do motorista é essa pq do outro lado está o motor…
comment image

Bardini
Visitante
Bardini

Interior, sem a motorização e transmissão
https://www.aviacionargentina.net/foros/filedata/fetch?id=584520

Carvalho
Visitante
Carvalho

Acho que formulei mal a pergunta.
No módulo de treinamento a posição está na direita do carro
Mas nos Guaranis a posição é na esquerda

Bardini
Visitante
Bardini

Não é. É a mesma posição.

Ádson
Visitante
Ádson

comment image|||Guarani VBTP-MR Urutu III

Matheus
Visitante
Matheus

Como se recarrega? O artilheiro tem de sair pra recarregar? Quantas munições a metralhadora (.50) leva?

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Bardini, O ideal seria possuir as 3 opções. E como vai demorar muito para termos do 8×8 com canhão de 105mm – se é que um dia teremos – penso como uma boa solução dotar parte dos Guaranis com uma torre 30mm, pois ela cumpre missões que as .50 não cumprem. Só não dá para achar que o Guarani com ela é páreo para um MBT. E, de fato, a torre é cara, mas, como eu tenho um pé atrás com o Brasil, prefiro que seja comprada aos poucos, junto com os Guaranis do que ficar comprando Guaranis “com dentes… Read more »

Ricardo da Silva
Visitante
Ricardo da Silva

Boa pedida para um pos t sobre o TORC30 !
Sobre o Remax, existe previsão para ser instalado em outras viaturas como os Leopard, M-113 e M60 ?

Augusto
Visitante
Augusto

Colombelli mas isso q você disse seria na Cia dos regimentos de infantaria mecanizada. Nós regimentos Cav Mec no qual a reportagem fala acho que seria todos com o canhão de 30 mm, falo isso porque os esquadrões de Cav Mec tem menos blindados do que uma Cia de infantaria mecanizada

Augusto
Visitante
Augusto

E olhando as organizações dos exércitos da Otan nenhum mais emprega regimentos de cavalaria mecanizada como a do EB mais, essas funções foram relegadas totalmente para brigadas de infantaria mecanizada ou divididas entre os esquadrões de reconhecimento dos batalhões blindados e as brigadas de infantaria mecanizada. Como o EB sempre seguiu as formações da Otan não sei pq ainda não se atualizou

Carvalho
Visitante
Carvalho

Augusto,

Considerando o cenário de curto prazo e escassez de recursos, acho que a seção de vtr bld dos Pelotões CMec ainda vão permanecer com o Cascavel.

A questão é como será organizada a seç de Fuzileiros, que é mais provável que receba os Guaranis. Cada Esquadrão possui 03 vtr. Ao todo 09 vtr/RCMec.
Por isso questionei a distribuição de 06 Remax no 17º. Será que apenas 02 Esquadrões estão operacionais?

Agnelo
Visitante
Agnelo

Carvalho 28 de setembro de 2017 at 19:51
Eu não conheço o 17, mas acredito q ele deve ser tipo II, ou seja, um Esqd é mobilizável, sendo assim, dá uma remax por Pel C Mec, no seu Guarani do GC.
Sds

FCM
Visitante
FCM

O Boletim do Exército 39/2017, de 29 Set, publica portaria que transforma o 36º Batalhão de Infantaria Motorizado em 36º Batalhão de Infantaria Mecanizado (Uberlândia-MG), mantendo a subordinação à Brigada de Cristalina-GO.

colombelli
Visitante
colombelli

Na cavalaria é fácil saber. Cada pel tem uma única VBTP. Logo em um regimento completo são 09 viaturas que podem ter remax. Fecha com o que o Agnelo falou. É um Urutu e dois cascavéis por pel, 04 viaturas 3/4 de esclarecedores em duas patrulhas, uma viatura do Cmt Pel e uma viatura do mort. 81.

Não creio que o 17 tenha menos um esquadrão, o que pode ocorrer é que sejam distribuidos dois guarani por Esquadrão só ao invés de três pois ainda está em experimentação doutrinária.

colombelli
Visitante
colombelli

Não creio que o 30mm venha a ter emprego na cavalaria pois foram adquiridas poucas torres.

E não vejo um bom custo benefício na REMAX. Por 700.000 dava pra por mira telescópica e algumas noturnas em todas as metralhadoras .50 de um batalhão mecanizado ou de um Rc Mec.

Pra mim ela agrega muito pouco em vista do preço.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

qboavida 28 de setembro de 2017 at 17:53
També de DNA Israeli e ambas são excelente.
Para essa viatura bastam.
_______________________________

8 x 8 que saiu do radar por causa do $$$$$ é outra história.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares
Victor Moraes
Visitante
Victor Moraes

Galera especialista em armas… Eu tenho uma dúvida e espero que um de meus virtuais amigos me respondam. Na primeira foto do guarani, nesta matéria, na lateral do veículo tem algo que parece ser um tubo metálico de ar comprimido. que vai e volta pela blindagem. Eu estou certo? Para que serve isto?

Victor Moraes
Visitante
Victor Moraes

Se fui eu quem palpitou isto para o exército, isto é uma defesa contra projeteis com ar comprimido. Quando um tiro for disparado contra o veículo, ao mesmo tempo dispara-se um jato de ar comprimido, que para um lado ou outro desvia o projétil agressor, considerando que a força necessária para desviar lateralmente um projétil ( não frontalmente) é quase insignificante. Óbvio que um foguete anti-carro é mais difícil de desviar, mas bala de fuzil, um ventinho desvia, certo? Se for, exército me deve um beijinho elogioso pelo design.

colombelli
Visitante
colombelli

É so um cabo de aço preso nas presilhas de fixação de blindagem. Nada mais. Não existe esta tecnologia de desvio com ar

Victor Moraes
Visitante
Victor Moraes

para que serve?

colombelli
Visitante
colombelli

Victor, suspeito que para a mais trivial das funções: prender coisas, como as mochilas ou rede de camuflagem em um uso anômalo das presilhas. O cabo da parte superior que está reto sem dúvida tem sido usado para prender as mochilas para fora do veiculo, pois dentro ia ficar uma lata de sardinha.

Victor Moraes
Visitante
Victor Moraes

Eu reparei melhor e realmente não tem relação alguma com o que eu disse. Um cabo de aço. A questão é, Colombelli, esta tecnologia de desvio por jato de ar não existe, mas poderia existir? Simples, barato e eficiente, Tupiniquim, ou você já sentencia impossível? Eu pergunto para você, Colombelli, porque você tem todo um jeitão de militar e bem, eu estou mais é preocupado com a tua tchurma, entende? Então, tipo, se você estiver dentro de uma guarani, e é atacado com um tiro de bazuca, você gostaria de ter um sistema de desvio de projéteis por jato de… Read more »

colombelli
Visitante
colombelli

Victor, eu sou um militar da reserva R1 e uma vez militar sempre militar. Mas o problema pra esta solução com jato de ar é a rapidez dos projéteis e a dificuldade de localizá-los. Somente projéteis de maior tamanho podem ser detectados. Ou seja, projéteis de fuzis e metralhadoras não teria como detectar a tempo. Já os projéteis que podem ser detectados, há notória dificuldade de reagir a tempo. Ainda quando isso é possivel como em alguns sistemas que ja existem, detectar e repelir, o custo os torna inviáveis, especialmente pra nós. Por fim, mesmo estes sistemas não são eficientes… Read more »

Odilson
Visitante
Odilson

Bom senhores a notícia é referente a um regimento de CAVALARIA mecanizado, por sinal, meu regimento. Aqui temos 9 pelotões, cada pelotão tem um guarani com remax (do grupo de combate) e um sem Remax (da peça de morteiro 81mm), além de dois cascaveis e cinco VTL REC marruá, esse é o pelotão c Mec, cuja a missão é prover reconhecimento e segurança. Temos seus Remax (por enquanto), ainda faltam 3.

Odilson
Visitante
Odilson

Ah! Os arames são para facilitar o uso de camuflagem vegetal….kkkkk

Odilson
Visitante
Odilson

Cada Remax veio com uma .50 e uma mag (que vem com o bipe)….

Odilson
Visitante
Odilson

O 17 é tipo 3, temos dois esquadroes completos de efetivo profissional, um de recrutas, um de comando e apoio e uma base administrativa.

Odilson
Visitante
Odilson

Caro Augusto, sempre existirá uma tropa com a missão de reconhecimento e segurança (cavalaria) mesmo tendo o nome diferente. Da guerra da Coréia para cá, devido o implemento de sistemas de c2 e optronicos, a tropa de rec (Cav) teve seu efetivo reduzido, porém, alguns países estão voltando a adotar a nossa estrutura de brigadas de reconhecimento ( Bda C Mec), um exemplo são os Estados Unidos. Você mesmo citou os “batalhões e companhias de reconhecimento” de alguns países da Otan….essa tropa é cavalaria.

Odilson
Visitante
Odilson

Sobre a quantidade de blindados do.pel c mec, sempre foram nove blindados no pelotão, porém, até hoje, não tivemos isso…..os 5 VTL Rec deveriam.ser os ee3 jararaca (que foram desenvolvidos para esse fim) temos dois cascaveis e dois guaranis. O Iveco lmv deve acaba com esse nosso problema do grupo de exploradores cumprir sua missão de rec/seg montado em uma viatura sem blindagem.

Odilson
Visitante
Odilson

Sobre a quantidade de blindados do.pel c mec, sempre foram nove blindados no pelotão, porém, até hoje, não tivemos isso…..os 5 VTL Rec deveriam.ser os ee3 jararaca (que foram desenvolvidos para esse fim) temos dois cascaveis e dois guaranis. O Iveco lmv deve acabar* com esse nosso problema do grupo de exploradores cumprir sua missão de rec/seg montado em uma viatura sem blindagem.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares