Home Forças Armadas Governo Federal libera R$ 2,1 bilhões para a Defesa

Governo Federal libera R$ 2,1 bilhões para a Defesa

8095
41
Linha de montagem do Guarani

Ministério da Defesa teve a maior liberação de recursos; outros ministérios, Presidência e AGU também receberão parte da quantia

O  Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão publicou nesta terça-feira (3) no Diário Oficial da União uma portaria para liberar R$ 9,8 bilhões em gastos. A quantia ampliará os valores de movimentação em favor de diversos órgãos do Poder Executivo, isto é, ministérios, a própria Presidência (R$ 306 milhões) e a Advocacia-Geral da União (R$ 75 milhões). Segundo a portaria, os valores foram distribuídos a partir da reserva do governo.

Do total liberado pelo governo , R$ 3,93 bilhões são destinados ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). No total, o órgão com maior liberação de recursos foi o Ministério da Defesa, com R$ 2,11 bilhões do descontigenciamento (sendo R$ 1,1 bilhão para o PAC). Em seguida, estão o Ministério da Integração Nacional, com R$ 1,19 bilhão (R$ 822 milhões para o PAC), e o Ministério das Cidades, com R$ 925 milhões (R$ 800 milhões para o PAC).

Segundo o Ministério do Planejamento, “essa ampliação deve-se à necessidade de atendimento de diversas despesas administrativas e finalísticas dos órgãos envolvidos”. O desbloqueio de recursos foi anunciado no dia 22 de setembro pelo ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, quando divulgado o Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas do 4º bimestre.

No total, o governo liberou R$ 12,82 bilhões das despesas discricionárias para os três Poderes da União, o Ministério Público da União (MPU) e a Defensoria Pública da União (DPU). Deste valor, R$ 12,66 bilhões serão destinados às despesas do Poder Executivo. O valor é R$ 2,86 bilhões maior que o liberado nesta terça. A diferença será mantida em uma espécie de reserva e será utilizada após a avaliação de demandas realizadas pelos órgãos públicos.

O desbloqueio de recursos só ocorreu após o governo conseguir aprovar no Congresso a revisão da meta de deficit primário, isto é, o resultado negativo das contas do governo sem os juros da dívida pública. A projeção para 2017 passou de R$ 139 bilhões negativos para R$ 159 bilhões negativos. O governo, no entanto, não liberou integralmente os R$ 20 bilhões extras por conta de reduções na estimativa de receitas e aumento na previsão com despesas obrigatórias.

FONTE: iG, Com informações da Agência Brasil

41
Deixe um comentário

avatar
41 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
20 Comment authors
Rafael OliveiraManuel FláviomercenárioAlfredo C. S.Agnelo Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Renan
Visitante
Renan

Foi só um general ameaçar que o dinheiro surgiu, acho que até dezembro teremos mais dinheiro.
Abraços

Joao Moita Jr
Visitante
Joao Moita Jr

Que bom!!! E depois de irem 90%para pensoes..

Régis
Visitante

Kkkkk piada do dia defesa ficou com 2 bi, EOS ladrões com 1,7 bilhões do fundão partidário , pra depois roubar mais depois de eleitos , com os salário é benefícios que já ganhão não deveriam ter essa moleza a nossa custa .

Gabriel Barbosa
Visitante
Gabriel Barbosa

Agora vem OCEAN , Guarani , Submarinos , KC390 , GRIPEN!!!! Quem tem cu , tem medo !!!!

Augusto
Visitante
Augusto

Calma gente, foram só 2 bilhões ! Ajuda, mais não é assim não.

wwolf22
Membro
Famed Member
wwolf22

seria interessante saber se esse dinheiro liberado vai para pagar “dividas” ou para novas aquisições/projetos…

Ricardo da Silva
Visitante
Ricardo da Silva

Gabriel Barbosa 5 de outubro de 2017 at 7:27
“Sonhar não custa nada
Não se paga pra sonhar”

antonio danizete felix
Visitante
antonio danizete felix

É O CALA BOCA,KKKKK

camargoer
Visitante

Olá Colegas. O orçamento do MinD para 2017 era de 68 bilhões de reais, sendo que 47 bilhões seria para pagamento de pessoal (uns 70% do total). Como houve um contingenciamento de uns 40% no início do ano, não haveria recursos para fechar a folha de pagamento nem o custeio do MiD até dezembro. Estes 2,1 bilhões são pouco mais de 3% do orçamento aprovado e obviamente não serão usados em investimentos mas apenas para cobrir as contas dos próximos 3 meses. Ainda assim, representa 10% do aumento do deficit que foi de 139 para 159 bilhões.

camargoer
Visitante

Segundo o IBGE, o PIB no terceiro semestre foi de -1,4%. Ou seja ainda está caindo.

KAC
Visitante
KAC

Nas prévias, nós crescemos cerca de 0,5% no terceiro trimestre.

KAC
Visitante
KAC

Mas, acho que você quis se referir ao acumulado de 12 meses até o terceiro trimestre, que cai em 1,4%. De qualquer forma, acho interessente deixar esses números aqui para não restar dúvida.

Sds

Bruce_D
Visitante
Bruce_D

Camargoer, você poderia me passar sua fonte do pib do 3° trimestre deste ano? Eu não achei esse número que você indica em lugar nenhum.

Obrigado

Rodrigo Martins Ferreira
Visitante
Rodrigo Martins Ferreira

2.1 bilhões em sua esmagadora maioria vai ser para custeio, não para investimentos.

Renan
Visitante
Renan

Duvido que até dezembro não sai mais 8 bilhões para a defesa

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Isso era dinheiro do próprio orçamento da Defesa que foi contingenciado e agora estão liberando aos poucos. Todo ano é a mesma coisa. Não é verba nova.

Segundo uma amigo meu, da Receita Federal, houve sim um aumento de arrecadação inesperado nos últimos dois meses, o que facilitou um pouco as coisas. Isto não mexe com o deficit já previsto.

Joao Moita Jr
Visitante
Joao Moita Jr

A bisneta “solteira” do general agradece…

theogatos
Visitante

Camargoer boa tarde! . Acho que quis dizer trimestre certo? De qualquer maneira o terceiro trimestre de 2017 ainda não foi divulgado pelo IBGE pelo que sei e nem o mensal do BC DEPEC, mas o do segundo trimestre de 2017 apresentou um modesto avanço de 0,3% em relação a 2016 (primeira alta anual desde 2014)… Olhando o período todo de 2017, o primeiro semestre teve crescimento 0,0% ante 2016. O -1,4% a que se refere é o embalo todo deste ano e do ano passado, ou seja, crescimento acumulado do PIB nos últimos 12 meses e sofre grande influência… Read more »

colombelli
Visitante
colombelli

Pessoal, não seria interessante que antes de continuarmos falando das pensões, verificássemos quais são discrepantes das regras comuns, ou seja, aos filhos dependentes até os 24 anos ou inválidos vitalícia e vitalícia ao conjuge/companheiro? Quantas “filhas solteiras” com mais de 24 anos ainda tem recebendo? quanto se gasta nisso?

Trabalhar com generalização fica impreciso e as pensões nas regras acima referidas são a regra no direito privado e publico, para civis e militares.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Colombelli
Além disso, tanto a viuva quanto o dependente q recebem sua aposentadoria ou salário da mesma fonte, não podem acumular. Tem q optar.
Não me recordo desde quando, se é novo, ou de 2001 ou antes, mas não pode acumular.
Se o militar das antigas, pq os novos não tem esse benefício, deixou pensão pra duas filhas, cada uma tem direito a 50%, e se uma morre, a outra permanece só com sua cota/parte de 50%, não passando a receber 100 %.
Dados q muitos não conhecem.

camargoer
Visitante

Olá Bruce
Página do IBGE, na figura INDICADORES embaixo à direita.
https://ww2.ibge.gov.br/home/

camargoer
Visitante

Olá Theogato,
Sim, você tem razão. O número (-1,4%) se referre ao “segundo trimestre” de 2017.

Augusto
Visitante
Augusto

Ângelo e colombelli direito se muda com Lei o absurdo e vcs militares assim como alguns outros servidores públicos (a maioria) ganharem apositendoria e pensão integral enquanto o cidadão comum no mercado de trabalho privado fica com o INSS limitado até 5 mil e pra conseguir ter uma apositendoria complementar privada tem q se matar de trabalhar isso que é o absurdo, no meu entender republicano servido público deveria ser igual aos outros no mercado de trabalho inclusive vou além seu salário deveria ser dado por forças de mercado como todos os outros brasileiros são sujeitos, ou seja, se produzem… Read more »

camargoer
Visitante

Caro Augusto
A aposentadoria integral do funcionário público foi extinta em 2003 pelo FHC. Desde 2013, todos os funcionários federais estão limitados ao teto do INSS para aposentadoria. A diferença é que o funcionário público ingressa por concurso e possui estabilidade, mas não possui FGTS. Outra diferença é que o funcionário publico contribui com 11% do salario e o CLT entre 8 e 11%, dependendo da faixa. Você encontrará estes números na página do governo federal. O que não pode é divulgar algo sem ter checado antes.

Alfredo C. S.
Visitante
Alfredo C. S.

Bom mesmo foi o dinheiro da pensao da ex-primeira dama, a qual, afinal, ninguem sabe de onde surgiu…. Essa pensao que o Lula recebe será contingenciada quando for preso em definitivo??? Ou vai ficar pra familia???

mercenário
Visitante
mercenário

Camargoer,

O profissional autônomo contribui com 20% para a previdência e, ainda assim, limitado ao teto do INSD.

Os servidores costumam receber salários maiores do que os da iniciativa privada ao desenvolverem as mesmas funções. É um disparate.

Manuel Flávio
Visitante
Manuel Flávio

O PAC Defesa teve R$1,8 bi contingenciado. Descontingenciou R$1,1bi.

Menos mal…

Agnelo
Visitante
Agnelo

Augusto
Vou falar novamente o q já disse aqui.
Contra matemática, é impossível.
Os militares custariam 60 bilhões ao ano a mais se receberem como os civis se tivessem o mesmo direito destes, enquanto a reserva economizaria alguns milhões a mais por ano até parar em cerca de 4 bilhões de economia.
A conta NUNCA vai ser favorável a pagar o militar da reserva igual ao civil, pq é dezenas e dezenas de vezes mais caro pagar o militar da ativa igual ao civil.
Me desculpe o pessoal q tá sempre lendo aqui, mas se o português está difícil, parte pra matemática q fica fácil.
Sds

Manuel Flávio
Visitante
Manuel Flávio

Olá, Agnelo,

Com o descontingenciamento de $1,1bi o PAC Defesa só não recuperou até agora $700mi. Existe a possibilidade de até descontingenciar mais. Ou seja, a coisa NÃO está TÃO RUIM assim…

O jornalista Victor Barreira, que já cometeu várias barrigadas, foi o autor daquela notícia sobre o adiamento do desenvolvimento da VBR 8X8. Será mesmo que o EPEx irá adiar o desenvolvimento dessa versão mesmo?

Abraços

Augusto
Visitante
Augusto

Ângelo, você não entendeu, eu não proponho os militares receberem “como os civis” como se nós civis recebece-mos mais o que é mentira ! O que eu proponho é eles ganharem a mesma coisa e não ganhar aposentadoria integral como qualquer civil que ganha 1 ou 2 salários mínimos . Sem mimos por ser militar ou servidor público, pronto é o certo é custaria muito menos para os cofres públicos, vocês é que não querem perde o privilégio.

Augusto
Visitante
Augusto

Camagoer apesar de eu não ser militar nem servidor público, minha família é de militares alguns já aposentados depois de 2003 e todos recebem o que recebinham na ativa só não recebem os bônus. https://www.google.com.br/amp/m.folha.uol.com.br/amp/mercado/2016/12/1842504-aposentadoria-de-militares-brasileiros-e-mais-generosa.shtml

Rodrigo Martins Ferreira
Visitante
Rodrigo Martins Ferreira

mercenário 5 de outubro de 2017 at 21:56

Isto é relativo..

Depende da região do Brasil e da sua área de atuação. Eu trabalho com tecnologia, se tivesse continuado a morar a no RN onde os poucos empregos na área pagam uma miséria eu fatalmente teria feito algum concurso.

Achei mais fácil vir morar em SP onde eu ganho salário que poucos cargos públicos pagam mais.

camargoer
Visitante

Olá Augusto. Obrigado pelo link sobre a aposentadoria do militar ser integral. Quanto ao servidor publico federal civil do executivo, a aposentaria integral foi extinta em 2003 e desde 2013 é limitada pelo teto do INSS. Portanto, não há absurdo algum na aposentadoria dos funcionários do executivo, que são a maioria. Caro Mercenários. Para aqueles que têm emprego por CLT, a contribuição ao INSS é paga pelo empregado (8-11%) e pelo empregador (mais 11%), o que resulta em uma contribuição entre 19 e 22% no total. Como o autônomo é patrão de si mesmo, toda a contribuição ao INSS recai… Read more »

Agnelo
Visitante
Agnelo

Realmente, Augusto, português é difícil.
Eu não disse q civis ganham mais, disse q os civis tem direitos q os militares não tem, e se os militares ganharem esses direitos na ativa sairá muito mais caro, do q perderem os “privilégios” na inatividade.

Augusto
Visitante
Augusto

Que direitos Ângelo ? Que os civis tem ?

Agnelo
Visitante
Agnelo

Adicional de periculosidade, hora extra, plantão, adicional noturno, insalubridade.
Quando o patrão ou o governo empregador não tem recursos pra pagar isso, paga-se o normal, e o trabalhador fica suas 8 hrs, se não for insalubre. Já os militares, não tem hora. 24x7x365 de disponibilidade, podendo, inclusive, por ordem de seu Cmt, adiar, gozar imediatamente, ou interromper férias, os já vi diversas vezes.
Eu prefiro, pessoalmente, receber estas coisas e ter o teto da previdência, pois ganharia MUITO mais.
Porém, o Brasil não tem dinheiro pra pagar tudo isso aos militares.
Melhor deixar do jeito q tá.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Camargoer.
Empregador privado paga 20% de INSS. Ou seja, são pagos, em tese, de 28 a 31% de INSS sobre o salário do empregado.

camargoer
Visitante

Caro Rafael. Você tem razão. O total pago por um empregador (que adota o Simples) de encargos será de 33% sobre o valor do salário, dos quais 12% serão do INSS. Os outros valores serão férias, décimo-terceiro e FGTS. Como falávamos apenas de INSS não inclui os outros valores. Agora, se e empregador não adotar o Simples, dai contribuição será de 20% como você colocou corretamente, e o total de encargos (incluindo férias, 13, FGTS, etc) será de 68%. Em ambos os casos, o empregado irá contribuir entre 8-11% dependendo do valor do salário (salário mais alto paga mais). Obrigado… Read more »

camargoer
Visitante

Sobre a contribuição previdenciária, é importante lembrar que o empregado contribui durante 35 anos. Se a contribuição é de cerca de 1/3 do salário, isso significaria um valor equivalente a 10 anos. Se o empregado se aposentar com 65 com e a expectativa de vida do brasileiro é de 75 anos hoje, a contribuição previdenciária é para este período. Na média, esta seria a conta, mas é claro que isto é uma simplificação brutal da conta verdadeira. Bem, para reduzir a contribuição, existem 3 alternativas.. aposentar-se mais tarde, reduzir o valor da aposentaria ou falecer antes dos 75 anos.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Camargoer, Sim e além fo simples, também há outras formas de contribuição previdenciária (reforma feita pela Dilma para empresas que usam intensivamente mão de obra, empregadores sem fins lucrativos e etc). Sobre a simplificação, que eu também uso em exemplos, os problemas são as regras de transição (hoje se aposentam com menos de 65 e 60), mulheres tem expectativa de vida maior, pessoas que chegam ao 60 anos, em média, vivem mais de 75 anos (mortalidade infantil e de jovens derrubam a média, mas se a pessoa escapou, vive acima da média), e , principalmente, pensões por morte para companheiras(os).… Read more »

camargoer
Visitante

Olá Rafael. A questão previdenciária será sempre um problema, o que é uma boa notícia. As pessoas estão vivendo mais e melhor. Delfin Neto (que de vermelho tem bem pouco) disse em uma entrevista que o custo da previdência é também o preço que pagaremos por uma sociedade civilizada. Se queremos uma sociedade solidária, teremos um preço que será menor do que aquele que pagaríamos por viver na barbárie. Sobre a expectativa de vida, é fato que a morte de jovens masculinos entre 15 e 25 derrubam a média (é um genocídio juvenil) e que aqueles que tem nivel superior… Read more »