Home Artilharia Exército Brasileiro ganha viaturas remuniciadoras dos Estados Unidos

Exército Brasileiro ganha viaturas remuniciadoras dos Estados Unidos

7406
52
As viaturas M992A2 são novidade na artilharia do Exército Brasileiro e foram adquiridas por meio de doação das Forças Armadas norte-americanas

Por meio de doação das Forças Armadas dos EUA, a artilharia brasileira incorpora seus primeiros blindados do modelo M992A2

Andréa Barretto/Diálogo

O Exército Brasileiro (EB) deu mais um passo em direção à ampliação de sua capacidade de fogo por meio da aquisição de 40 viaturas M992A2. Os equipamentos são provenientes dos Estados Unidos e têm previsão de chegada ao Brasil no segundo semestre de 2018.

O M992A2 é uma viatura blindada de transporte especial remuniciadora originalmente do Exército dos EUA. A sua parte interna é construída para guardar a munição que alimenta os obuseiros da família M109, que também estão sendo adquiridos pelo EB e modernizados para a versão M109A5+. “Numa operação, o M992A2 é geralmente empregado de par com um obuseiro M109”, afirmou o Tenente-Coronel André Luís Ferreira Nogueira, adjunto da Seção de Blindados Classe IX, da Diretoria de Material do EB.

Ambos modelos de viaturas – M992A2 e M109 – fazem parte do conjunto de equipamentos militares colocados à disposição para doação pelas Forças Armadas dos EUA, através do programa Foreign Military Sales (vendas militares para o exterior). As unidades do M992A2 que chegarão em 2018 serão as primeiras desse tipo na artilharia do EB. Cada uma delas foi escolhida por uma comitiva técnica do Comando Logístico do EB. A equipe, formada por dois engenheiros e três mecânicos, visitou o local de armazenamento dos veículos nos Estados Unidos em dezembro de 2016.

“Fizemos a seleção dos blindados que estavam em melhor estado de conservação, segundo alguns critérios que estabelecemos, como motor, trem de rolamento e estado das lagartas”, explicou o Ten Cel Nogueira. “Por meio da avaliação desses itens, chegamos a uma nota para cada veículo. Aqueles com as maiores notas foram escolhidos”, acrescentou.

Mesmo estando em boas condições, as viaturas remuniciadoras vão passar por uma manutenção assim que aportarem no Brasil. O objetivo é verificar detalhes, como vazamento em radiador, vazamento de óleo etc. “Não haverá mudanças de projeto no veículo. As intervenções serão apenas a título de revisão e de reparos pontuais que se mostrarem necessários para a operação do material”, informou o Centro de Comunicação Social do Exército.

Essas ações serão realizadas no Parque Regional de Manutenção da 5ª Região Militar, organização especializada na manutenção de veículos blindados. Concluída essa fase, as 40 viaturas M992A2 serão encaminhadas para as duas brigadas que também estão recebendo unidades do M109A5+: a 5ª Brigada de Cavalaria Blindada (5ª Bda C Bld) e a 6ª Brigada de Infantaria Blindada, que fazem parte do Comando Militar do Sul do EB.

O obuseiro M109A5+, versão modernizada do M109A5, vai operar em conjunto com as viaturas remuniciadoras M992A2

Trabalho conjunto

Em 8 de março, no porto de Paranaguá, no sul do Brasil, foram retirados de um navio vindo dos Estados Unidos os quatro primeiros obuseiros da versão M109A5+. No total, serão 32 desses obuseiros.

Diferentemente das M992A2, as viaturas M109A5 estão sendo modernizadas em instalações norte-americanas antes de serem despachadas para o EB. Com o aprimoramento, que inclui a mudança de diferentes itens do veículo, os obuseiros passam da versão A5 para a A5+.

Os obuseiros da linha M109 são armamentos pesados chamados de autopropulsados porque são montados em veículos e podem assim ser deslocados no terreno. Esse equipamento é comumente confundido com os canhões. “Mas os canhões realizam tiro direto e os obuseiros realizam o tiro curvo”, apontou o Tenente-Coronel Sanzio Ricardo Rocha Gusmão, comandante do 5º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado, da 5ª Bda C Bld.

Quando estão em operação, os obuseiros da família M109 dependem das viaturas M992A2 para recarregarem a munição. Por isso, o emprego desses dois tipos de blindados é coordenado. No momento do tiro, a viatura remuniciadora posiciona-se bem próxima ao obuseiro. A munição que está no M992A2 é retirada manualmente pelos militares, pela parte traseira da viatura, e passada para a equipe do obuseiro, que carrega a arma.

As munições empregadas são granadas de artilharia de 155 milímetros. Elas podem ser autoexplosivas, iluminativas, fumígenas (que espalham fumaça no ambiente), entre outras, a depender dos objetivos da missão em que os blindados atuam. “O calibre, no entanto, não varia. É sempre de 155 milímetros, porque esse é o calibre do obuseiro”, contou o Ten Cel Nogueira.

As quatro primeiras unidades dos obuseiros M109A5+, provenientes dos EUA, foram retiradas do porto de Paranaguá em 8 de março

Preparo

A guarnição do M992A2 é formada por um motorista e dois militares responsáveis pela retirada da munição de dentro do veículo no momento da operação. Para atuação com o novo blindado, as brigadas preveem treinamento focado principalmente na carga e descarga de munição.

O Ten Cel Nogueira acredita que os militares dessas organizações não terão surpresa em relação à condução dos M992A2, já que estão habituados com a direção de obuseiros M109. Esses dois tipos de blindados – M992A2 e M109 – são montados sobre o mesmo modelo de chassi, quer dizer, possuem a mesma estrutura de direção. O EB possui cerca de 35 viaturas M109 na versão M109A3, adquiridas ao longo dos anos 2000 e empregadas pelas brigadas blindadas.

FONTE: Diálogo – Fórum das Américas

52
Deixe um comentário

avatar
19 Comment threads
33 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
36 Comment authors
Alfredo C. S.Felipe JoséIvan BCFlávio Henriquecamargoer Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Mateus
Visitante
Mateus

O Brasil fabrica munições 155mm?

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Parece que sim.

Jorge Augusto
Visitante
Jorge Augusto
DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Boa! Doem mais uns 50 veículos 155 mm! Assim aposentamos logos os 105 mm e ficamos com uma boa artilharia a nível Brasil!

Rodrigo Ferreira
Visitante
Rodrigo Ferreira

Esta é a realidade do EB, que vocês acham que pode operar helicópteros de ataque e ainda mais velhos que vão precisar ainda mais de suporte.

Jerônimo Torres
Visitante
Jerônimo Torres

No geral idade não acho que seja um problema.

Regras de manutenção para aeronaves, garante que ela seja feita de forma tão frequente que essencialmente enquanto houver disponibilidade de peças de reposição, elas provavelmente voarão indefinidamente.

E se o custo de manutenção para iniciar a operação for razoável, doações são sempre bem vindas. Sejam obuseiros, canhões, helicóperos etc.

Johan
Visitante
Johan

Na matéria informa que o lote composto de 4 unidades já seriam da versão modernizada, porém acredito que houve um equívoco, pois conforme já relatado em outras matérias, seriam da versão M109A5 doadas recentemente em um total de 60 unidades.

Jr
Visitante
Jr

Também acho que eles comeram mosca nessa parte, aquelas quatro são do segundo lote de 60, que ao que parece, não serão modernizadas para o padrão A5+

Control
Visitante

Srs
Jovem Johan
Pelas informações, o EB está recebendo 100 M109 A5 em dois lotes, o primeiro de 40 unidades, dos quais 32 serão modernizados para o padrão A5+ (ficando 8 para “spare parts”) e o segundo de 60 unidades que, aparentemente não serão modernizados (não há notícia sobre sua modernização).
Sds

CignusRJ
Visitante
CignusRJ

Control. Em outro lugar foi informado que eles seriam atualizados no Brasil. Fiquei na dúvida agora.

AL
Visitante
AL

Pessoal, qual é o alcance dos disparos desses obuseiros de 155mm?

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

15 km com munição normal parece e uns 30 km com munição especial. Se estou equivocado, me corrijam…

Bosco
Visitante
Bosco

24 km com munição normal e 30 km com munição assistida por foguete.

Mauricio R.
Visitante

Não tem munição BB (Base Bleed)????

XO
Visitante
XO

IPqM e CTEx estão trabalhando nisso para o calibre de 105mm… atende ao CFN e EB… abraço…

Eduardo Jardim
Visitante
Eduardo Jardim

Boa tarde foristas. A discussão sobre o reequipamento do Exército é sempre interessante. Algo que poderia contribuir para o debate e uma maior compreensão da realidade é ter uma idéia aproximada de quanto custa uma Brigada. Peço a ajuda dos militares para colaborar nesse tópico. Tomando como base a atual estrutura das Brigadas seguem algumas questões. 1- Qual o valor de uma Brigada Blindada no estado-da-arte? 2- Qual o valor de uma Brigada Mecanizada no estado-da-arte? 3- Qual o valor de uma Brigada Leve no estado-da-arte? 4- Qual o valor de uma Brigada Blindada como, por exemplo, a 5° Brigada… Read more »

Agnelo Moreira
Visitante
Agnelo Moreira

Prezado
Essa é bodosa…
Depende de tantos meios de todos os tipos q é
Dificílimo…

Silvio RC
Visitante
Silvio RC

Realmente essa resposta é bastante complexa. São multas variáveis. Ate pra se chegar a números de brigadas brasileiras é muito complexo, que dirá de unidades no estado da arte. Podem ser BDAs americanas, alemães, inglesas, israelenses, russas e ETC. Cada uma com um equipamento diferente.

Renato Vargas
Visitante
Renato Vargas

Esse General de Exercito, Guilherme Cals Theóphilo, Comando Logístico, tem conseguido desengavetar bons projetos pra o exército.

Matheus
Visitante
Matheus

Essa noticia já é velha, não.?

Ivan
Visitante
Ivan

Prefiro dizer que é continuação de uma notícia recente:
http://www.forte.jor.br/2018/01/20/boletim-do-exercito-aquisicao-de-40-viaturas-m992a2/
😉
Forte abraço,
Ivan, o Antigo.

Ivan
Visitante
Ivan

Amigos editores,
.
Sugestão:
Colocar no final do texto link para matéria recente sobre o mesmo assunto. Caso julguem conveniente, seria também interessante identificar outras sobre Obuseiros Autopropulsados M109 A5 que estão chegando para o Exército do Brasil.
.
http://www.forte.jor.br/2018/01/20/boletim-do-exercito-aquisicao-de-40-viaturas-m992a2/
.
Forte abraço,
Ivan, do Recife.

Felipe Silva
Visitante
Felipe Silva

É muita generosidade dos nossos irmãos do norte.

JOEL EDUARDO SOARES
Visitante
JOEL EDUARDO SOARES

Mantendo a tranquilidade na América do Sul!

Sds

Ronaldo de souza gonçalves
Visitante
Ronaldo de souza gonçalves

Deveriam formar uma companhia de artilharia no norte ou nordeste,sei que lá é uma área mais provável de ter alguma situação que os m-109 podem ser mais útil,no sul não temos inimigos na fronteira sul.Quanto aõ m-109 foi uma excelente doação ainda mais com os municiadores,Voltaremos a impor respeito na américa do sul.Temos de desenvolver a defesa antiaérea que é a parte mais critica do EB,mas tem que um sistema mais em conta que esse russo.Talvez Israel poderá nos vender o sistema deles,ou desenvolver junto a africa do sul um darter com booster alcance extendido.

Johnnie
Visitante
Johnnie

bateria de artilharia.

pgusmao
Visitante
pgusmao

O que me espanta é termos 12º maior orçamento militar do mundo e gastarmos quase 80% em folha de pagamento de pessoal ativo e inativo.

Mim da silva
Visitante
Mim da silva

Esse “papinho” ja ta cansando………

Vamos reclamar de outra coisa: Ajudantes de juizes do STF, ganham mais q general e nem pos graduacao tem (sao formados?)…

Salario e principalmente os “beneficios” de deputados e senadores… Aposentadorias de senadores…

Ja olhou a folha de pagamento de F.A. de outros Paises?

A por favor!

Dan7440
Visitante
Dan7440

Quantos ajudantes de Juízes do STF existem no Brasil? E quantos generais existem? Ah, tá…
Gasta-se muito com pessoal sim. Negar isso é burrice ou mau-caratismo

GeneralSofá
Visitante

Não é papinho é a verdade.

http://www.defesa.gov.br/arquivos/lai/despesas/serie_estatistica_2014.pdf

Quando 70-80% do orçamento das FA é gasto com pessoal o resultado é uma força muito quantitativa e pouco qualitativa. Até onde sei a OTAN recomenda 50-40%.

Ninguém concorda com os benefícios dos deputados e senadores. Se os outros países conseguem remunerar bem seus militares ao mesmo tempo que mantém exércitos modernos porque não procurar aprender com eles?

Flávio Henrique
Visitante
Flávio Henrique

O interessante é que o EB é o que mais gasta com pessoal e a maior parte do gasto com pessoal na MB é justamente o pessoal ativo, já a FAB tem custeio investimento sempre próximo a 30% e tanto o EB como a FAB o custo com inativo é de 63%.

Fabio
Visitante
Fabio

Papinho cansativo e possivelmente corporativista é esse seu. Então porque tem coisa errada não se deve fazer nada nas FA? Ah, faça-me um favor!

NUNCA teremos FAs críveis enquanto tivermos esse monte de filha supostamente solteira de militar morto mamando nas tetas das FA, entre outras mazelas. Não entendo até hoje porque a previdência social faz recadastramento todo ano e até hoje nenhuma FA fez uma auditoria nessas sanguessugas. Deveriam ter suas pensões sumariamente cortadas e serem condenadas a ressarcir o erário pelo dinheiro recebido indevidamente!

Agnelo Moreira
Visitante
Agnelo Moreira

Prezado

As filhas acabaram em 2001. So as anteriores continuam.
Anualmente, combina previdência social, elas passam pela confirmação de vida.
Além disso, como na previdência social, não podem acumular pensão e aposentadoria. Nem a pensionista pode.

Felipe José
Visitante
Felipe José

Agnelo, você sabe que isso não é verdade.
Em 2001 acabou a possibilidade de militares deixarem pensão para filhas solteiras. Significa que os militares que entraram até 2001 ainda tem esse privilégio. Ou seja, até todas as filhas de militares que iniciaram a carreira até 2001 morrerem ( lá por 2100 sendo otimista) ainda teremos mulheres ” empoderadas”, ” independentes”, ” modernas”, sendo sustentadas pelo erário como foram as mulheres do século passado. Você dirá: existe um desconto no soldo!!. Mas eu e você sabemos que esse desconto não cobre o custo da pensão vitalícia e imoral que continuaremos pagando.

Agnelo Moreira
Visitante
Agnelo Moreira

Eu entrei em 99 e minha filha não tem.

Agnelo Moreira
Visitante
Agnelo Moreira

Erro.
Me formei em 99. Entrei em 95.

camargoer
Visitante

Segundo dados do próprio MinDef, em 2016 foram gastos 76% do orçamento com pessoal (salário, previdência, aposentadoria), 14% com custeio e 8% em investimento. Nesse ano, o MInDef teve despesas de R$ 84,5 bilhões (algo em torno de US 22 bilhõee), equivalente a 1,3% do PIB. O MinDef tem o terceiro orçamento, depois do MinFazenda (que paga os juros) e o MEC. Os orçamentos militares de outros países também incluem os gastos previdenciários. Além disso, apenas os países envolvidos em conflitos gastos com custeio acima de 20%. Praticamentos todos os países que não estão em conflito gastam menos de 10%… Read more »

Claudio PQDT
Visitante
Claudio PQDT

Boa noite senhores!!!
Quanto aos M-108?????
Será que não poderíamos utiliza-los em alguma outra função(socorro talvez) ou converte-los em municiadores?????

Control
Visitante

Srs
Se eles estão em bom estado, considerando as tendências geopolíticas com o mundo ficando mais instável e perigoso, o mais sensato seria formar uma reserva blindada com eles. Aliás, o EB deveria aproveitar a disponibilidade do Tio Sam e obter o máximo que pudesse de equipamentos, pois é provável que logo armas se tornem de difícil obtenção.
Sds

Jerônimo Torres
Visitante
Jerônimo Torres

Ok, precisei de um tempo, mas agora que vi essa foto:
http://tecnodefesa.com.br/wp-content/uploads/2018/01/m109a2-faasv.jpg
entendi como esse negócio funciona.

Basicamente eles se ligam pela bunda (ui) e ele vai jogando municação para a equipe no obuseiro.

Agora para quem entende, ainda existe espaço para artilharia convencional, sem ser altopropulsada, no campo de combate moderno? Qual é a vantagem que apresenta? Custo?

Agnelo Moreira
Visitante
Agnelo Moreira

Existe lugar.
A Art AP é para Bda médias e pesadas. Demandam um suporte logístico muito grande.
As Bda Leves, com seus AR, são mais fáceis de se manter. Elas são empregadas em locais onde os AP são inviáveis, como Selva, por exemplo, em Operacoes aeromóveis, em locais “menos importantes” do campo de batalha, mas q não podem ser ignorados, e em ações estabilizadoras, contra um inimigo menos capaz.
Sds

Saldanha da Gama
Visitante
Saldanha da Gama

Será que este encorpamento do exército e a ligação com os EUA (acho ótimo) não tem alguma ligação em relação a nossa vizinha Venezuela? já que este país está em crise, está com contestação territorial junto a guiana e um ditador acuado, vai tentar disfarçar a crise criando um inimigo externo?

Eduardo
Visitante
Eduardo

Alguém então dá uma solução para o orçamento que é usado no pagamento dos militares ativos, inativos e pensionistas.

Parar de pagar não dá, reduzir efetivo não dá.

Agnelo Moreira
Visitante
Agnelo Moreira

Uma das soluções é o q está acontecendo, o aumento do número de temporários e diminuição do efetivo de AMAN e ESA, no caso do EB.

Eduardo
Visitante
Eduardo

Comparado a 15, 20 anos sim, diminuiu o efetivo das escolas de carreira, mas com o decreto aceitando mulheres em ambas escolas, em armas, quadros e serviços, a quantidade de vagas aumentou. A doutrina, pelo menos do exército, precisa amadurecer para o serviço temporário de sargentos e oficiais. Não adianta você ter um equipamento top, economizar dinheiro com menos militares de carreira e a formação temporária ser fraca e com pouco tempo. Atualmente, se você pegar dez sgt temporários que não sejam de infantaria é pedir pra ele planejar uma patrulha com seu gc em área urbana nenhum vai saber.… Read more »

Johnnie
Visitante
Johnnie

Isto é verdade. A formação básica dos sargentos temporários (e de carreira) que não de infantaria, nas atividade de infantaria (que todos devem saber é fraca). Mas isto é fácil de resolver: basta acrescentar está estágios paea estes profissionais durante o serviço: um ou dois por ano. é barato e eficaz. basta deslocar um grupo de instrução das unidades de infantaria durante para as outras unidades durante as pausas no programa de instrução, tal qual se faz com o estágio paraquedista.

Johnnie
Visitante
Johnnie

no estágio paraquedista são os estagiários que se deslocam.

Agnelo Moreira
Visitante
Agnelo Moreira

Isso acontece muito.

Agnelo Moreira
Visitante
Agnelo Moreira

Prezado, boa tarde.
Depende de onde e quando o cara serve.
Há sempre uma preparação intensa antes das operações. A duração depende do quão pronta a tropa está. Do soldado ao capitão, Cmt SU.
Sds

Agnelo Moreira
Visitante
Agnelo Moreira

Outra coisa, prezado.
O EB teve o projeto Força Terrestre 90, q aumentou o efetivo na formação.
Entravam 700 na preparatória, e formavam em torno de 480.
Depois foi cando, até o número atual de 400 Masc + 40 Fem.
Sds

Ivan BC
Visitante
Ivan BC

Fico feliz pela notícia. Que salto que o Brasil teve nos últimos 2 anos com essas comprar de usados, principalmente dos EUA, França e Reino Unido.

Alfredo C. S.
Visitante
Alfredo C. S.

Os recursos financeiros das FFAA tem sido sistematicamente contigenciados, cada menos recursos para investimento. A umica coisa que os politicos entreguistas nao conseguiram cortar sao os soldos. Desse modo é obvio que a proporçao dos salarios em releçao ao total dos recursos destinados as FFAA fica cada vez maior. Ai entre aquele mesmo grupinho que esta rezando para que o Moro seja um “agente da CIA” para justificar o tamanho das Forças e dizer que é necessario diminuir o contingente pois 70 a 80 porcento dos recursos sao destinados a folha de pagamentos…Foi assim que as FFAA latino amricanas se… Read more »