Home Nota de falecimento R. Lee Ermey, ator de ‘Nascido para matar’, morre aos 74 anos

R. Lee Ermey, ator de ‘Nascido para matar’, morre aos 74 anos

4728
73
R. Lee Ermey em cena de ‘Nascido para matar’ (Foto: Divulgação)

Ex-militar que fez carreira em Hollywood teve complicações relacionadas à pneumonia, segundo empresário. Ele também atuou em ‘Arquivo X’ e ‘Toy story’

R. Lee Ermey, um ex-fuzileiro naval que fez carreira em Hollywood, morreu neste domingo (15), informou seu empresário à agência Associated Press. Ele tinha 74 anos.

O ator ficou conhecido em papéis de militares intransigentes, como o do sargento Hartman de “Nascido para matar” (1987), dirigido por Stanley Kubrick. Pelo trabalho, Ermey foi indicado ao Globo de Ouro.

O empresário do artista, Bill Rogin, disse que ele morreu devido a complicações relacionadas à pneumonia.

Os atores Matthew Modine e Vincent D’Onofrio, que atuaram com Ermey no filme de Kubrick, lamentaram a perda nas redes sociais.

“Sempre fiel. Sempre leal”, escreveu Modine, citando um poema de Dylan Thomas. “Ermey era incomparável”, disse D’Onofrio.

Nascido no Kansas (EUA) em 1944, Ermey serviu 11 anos no Corpo de Fuzileiros Navais e passou 14 meses no Vietnã e depois em Okinawa, no Japão, onde se tornou sargento.

Seu primeiro papel foi em “Apocalypse now” (1979), filme de Francis Ford Coppola, como um piloto de helicóptero.

O ator tem mais de 60 créditos no cinema e televisão. Entre eles, estão ainda a série “Arquivo X” e os filmes “Seven: Os sete crimes capitais” (1995), “O massacre da serra elétrica” (2003) e “Toy story” (1995).

FONTE: G1

Subscribe
Notify of
guest
73 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Tallguiese
Tallguiese
2 anos atrás

Será que os sargentos norte americanos no US Army, são realmente daquele jeito? Ouvi falar que eles são mais respeitados que os tenentes ou outros oficiais superiores!

Rafael_PP
Rafael_PP
Reply to  Tallguiese
2 anos atrás

Tem um vídeo que virou até ‘meme’ do recruta que mandou um “Qual é?” para o sargento, no caso do Corpo de Fuzileiros: https://youtu.be/kbqduHfYqNs

Carlos Miguez _BH
Carlos Miguez _BH
Reply to  Rafael_PP
2 anos atrás

Que fôlego espetacular !!!
O Sgt nem ficou ofegante, mesmo correndo com o uniforme de instrução.

Diogo Prado
Diogo Prado
Reply to  Tallguiese
2 anos atrás

Cara, eu vi num documentario mais recente no History, tinha um sargento comandando uma patrulha e ela foi atingida por um IED. Dois soldados morreram e ficaram presos no veiculo. Nisso chegaram reforços e tinha um tenente, ela deu a ordem de nao removerem o veiculo de uma forma la que o sargento queria. O sargento deu o maior esporro no tenente, disse que ele era o “field commander” e lá no campo o tenente se submetia a autoridade dele. Gostaria ate de saber o motivo de nesse caso o tenente estar sob comando de um sargento, se alguem que… Read more »

pangloss
pangloss
Reply to  Diogo Prado
2 anos atrás

Que bom que o EB está se modernizando, nesse campo.
Na MB, a observância à via hierárquica é vertical, completamente estratificada.

Angelo Chaves
Angelo Chaves
Reply to  pangloss
2 anos atrás

A verdade é que o citado “ranço” entre oficiais e praças não deve se perpetuar, mas os postos e graduações existem para garantir a HIERARQUIA E DISCIPLINA, sem as quais não é possível existir nenhuma organização militar. Sem hierarquia e disciplina reina o mangue, por isso devem ser respeitadas sem muitos questionamentos, não importa se o sargento tenha 20 anos de casa e o oficial seja um garoto de 21 ou 22 anos que saiu a 3 dias da academia. Ademais, aos bons militares, sempre haverão os meios de ascender na hierarquia.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Diogo Prado
2 anos atrás

Na FAB nunca houve ranço entre oficiais e praças, pelo menos nos 30 anos que passei nela.

Airacobra
Airacobra
Reply to  Rinaldo Nery
2 anos atrás

Prezado Rinaldo Nery boa noite, a grande diferenca é que na FAB a vida dos oficiais está diretamente relacionada ao trabalho do praça, enquanto que na MB é diferente

Camargoer
Reply to  Rinaldo Nery
2 anos atrás

Olá. Li uma dissertação de mestrado sobre a FEB (acho que do Luciano que sempre comenta aqui no Blog) que discutia essa questão da boa relação entre os sargentos e oficiais durante a campanha na Itália, mas que isso não foi bem aceito pelos oficias que ficaram no Brasil.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Rinaldo Nery
2 anos atrás

Na MB eu conheço. Servi três anos em São Pedro da Aldeia (Macega). Mas é fácil compreender, devido à situação específica da vida a bordo (quartel flutuante, a milhas de terra firme).

Airacobra
Airacobra
Reply to  Rinaldo Nery
2 anos atrás

Na Aviação Naval tem esse tipo de relação bem parecido com o da a FAB, enquanto que no restamte da MB é bem diferente, ao menos era

Camargoer
Reply to  Rinaldo Nery
2 anos atrás

Na universidade também houve uma radical mudança na relação entre os professores e os alunos (para melhor), inclusive gerando uma certa crise de gerações entre os professores mais velhos e os novos.

Airacobra
Airacobra
Reply to  Rinaldo Nery
2 anos atrás

É bem por ai Camargoer, quanto a essa dissertação de mestrado que você citou, quando a vida vida de um depende do outro as relações são boas, no caso da FEB era exatamente isso, enquanto pra quem ficou no Brasil não, Na Aviação a vida do oficial depende do trabalho bem feito do praça, e isso os torna nais proximos

Camargoer
Reply to  Rinaldo Nery
2 anos atrás

Olá Aircobra. O nome da dissertação é: “Memórias do front:
Relatos de guerra de veteranos da FEB”. Acho que você consegue baixar pelo google. Eu gostei bastante.

Rafael_PP
Rafael_PP
Reply to  Rinaldo Nery
2 anos atrás

Imagino que nesta equação você deveria integrar o lado dos oficiais… Quem costuma comandar raramente se dá conta dos excessos ou injustiças que comete, principalmente em um ambiente que não se tolera e até criminaliza insubordinação e suas espécies menores de desobediência.

Luciano
Luciano
Reply to  Rinaldo Nery
2 anos atrás

Camargoer, que bom que gostou do meu trabalho! Fico feliz que alguém com seu senso critico, conhecimento e experiência acadêmica tenha gostado!

Camargoer
Reply to  Rinaldo Nery
2 anos atrás

Olá Luciano. Um grande abraço. Já repassei sua dissertação para vários amigos que tem carinho ou interesse pela FEB. E o PhD? Sai quando? riso.

Agnelo Moreira
Agnelo Moreira
Reply to  Diogo Prado
2 anos atrás

Prezado Há muito tempo, o relacionamento é muito bom entre todos. Algumas coisas são muito diferentes entre as Forças e entre suas Armas, como a Infantaria da Artilharia, por exemplo. Mas no geral, se entende q “cada macaco deve estar no seu galho”. Obviamente, cabe a cada um a fiscalização e a tomada de decisão em seu nível. No caso q vc menciona, é um exemplo da hierarquia. Muitos acham q isso é só um obedecer outro, mas há algo importante q é a Cadeia de Comando. Quem manda na sua fração é vc. Já estive em operações comandando Pelotão… Read more »

claudio silva
claudio silva
Reply to  Diogo Prado
2 anos atrás

No Filme Platoon aparece o Sargento que manda mais que o Tenente, e aqui no FT mostrou uma vez caso de um subalterno ter mais moral do que o superior.

nigo
nigo
2 anos atrás

Mito!

Kornet
Kornet
2 anos atrás

RIP,SEMPER FI!
Era muito legal um programa que ele tinha no HC.

Luciano
Luciano
Reply to  Kornet
2 anos atrás

Mail call

LucianoSR71
LucianoSR71
Reply to  Luciano
2 anos atrás

Assisti muitos episódios desse programa, o último que me lembro foi ele comandando um dos primeiros tanques da História o Renault FT-17.

zanzan_pampa
zanzan_pampa
2 anos atrás

Em Barbacena tinha um bem parecido, mas era capitão!Adorava gritar.

cvn76
cvn76
2 anos atrás

Gostei muito dele no filme “Mississippi Burning”!

Mk48
Mk48
2 anos atrás

O que é que este assunto tem a ver com o blog ?

Renato Clementi
Renato Clementi
Reply to  Mk48
2 anos atrás

Se voce não entende, então não entende.

Leandro
Leandro
Reply to  Renato Clementi
2 anos atrás

Tipo falta de assunto?

Airacobra
Airacobra
Reply to  Leandro
2 anos atrás

Não é por falta de assunto, mas só porque era era uma lenda no meio militar

Flanker
Flanker
Reply to  Mk48
2 anos atrás

Qual o problema? O cara foi militar, fez um filme clássico sobre a guerra do Vietnã, encarnando um personagem que tb cirou um clássico…..então, qual o problema de citar sua morte aqui no Forte? Em absoluto, não é um assunto descolado do propósito do blog!

Camargoer
Reply to  Flanker
2 anos atrás

Olá Flanker. Às vezes, eu tento explicar a diferença entre “Kubrick” e “Cameron”, entre “Monty Python” e “Adan Sandler”, entre “Uma ponte longe demais” e “Battleship” ou entre “Bonequinha de Luxo” e “Uma linda mulher”. Dai eu desisto e vou para casar ver “Rastros de ódio” no DVD velho.

Rafael_PP
Rafael_PP
Reply to  Camargoer
2 anos atrás

Não faço parte dos seguidores do filósofo esloveno, mas Slavoj Žižek é quem melhor define Cameron e seus filmes.

Camargoer
Reply to  Rafael_PP
2 anos atrás

Olá Rafael. (riso) Segundo Zizek, o Titanic se choca com o iceberg quando a Rose declara seu amor por Jack, definindo o que Lacan chamou de “impossibilidade”. Riso.

Flanker
Flanker
Reply to  Camargoer
2 anos atrás

Isso mesmo, Camargoer….”O mais longo dos dias”, “Os canhões de Navarone” e tantos outros clássicos, ficam melhor num DVD mesmo…..a nostalgia combina. Assistir em mídias mais modernas não tem o mesmo gosto. Pena que muitos, aqui mesmo, nem saibam do que se tratam esses títulos. Um abraço.

Camargoer
Reply to  Flanker
2 anos atrás

Olá Flanker. Quando bate a dúvida, volto a assistir “Dr Fantastico” ou “Cool Hand Luke” para saber qual o meu lado.. riso.

Airacobra
Airacobra
2 anos atrás

O recuta Pyle deve está muito triste

Airacobra
Airacobra
Reply to  Airacobra
2 anos atrás

Opa, deve estar

João Adaime
João Adaime
2 anos atrás

Quem sabe agora eles reprisam a série do HC.
Ele era um eterno fuzileiro naval. Num episódio em que ele navega num subnuc, durante a refeição ele elogia a comida, mas deixa claro que a dos fuzileiros ainda era melhor.
Eram reportagens de quem é do ramo.

Diogo Prado
Diogo Prado
Reply to  João Adaime
2 anos atrás

Reprisava no Military Chanel, nao sei se ainda passa la, mudei de operadora e a NET nao tem esse canal.

João Augusto
João Augusto
2 anos atrás

Filmaço e excelente ator. Os programas no HC dele também eram formidáveis. E a versão dublada do filme também ficou muito boa.

Leandro Costa
Leandro Costa
2 anos atrás

Notícia triste. Era uma lenda.

RIP Semper Fi!

Rodrigo Tavares
Rodrigo Tavares
2 anos atrás

O que muita gente não sabe que ele foi um veterano do Vietnã

Rodrigo LD
Rodrigo LD
2 anos atrás

Off Topic: Interessante inauguração de exposição sobre a Primeira Guerra mundial no museu de Fort Benning (US ARMY) https://www.army.mil/article/203779/wwi_history_comes_to_life_at_fort_benning_museum
Sugestão de matéria para os editores!!!

Delfim
Delfim
2 anos atrás

Posso estar enganado mas nos EUA há uns 7 ou 8 níveis de sargento, e não há QAS lá, o que explica: o “sargeant master chief” nos EUA é equivalente ao capitão QAS no Brasil. . Sem falar da maior democracia e liberdade nos EUA, ao contrário do que a esquerda prega porraí… . Trabalhei com o EB e a FAB anos 90 e a diferença de cordialidade entre oficiais e graduados é enorme. A FAB trata muito melhor. Imagino que seja pela dependência que os aviadores, que são os operadores e combatentes, tenham dos graduados em mecânica, navegação e… Read more »

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Delfim
2 anos atrás

Acho que essa maior cordialidade na FAB se deve à dependência dos oficiais aviadores dos especialistas assim como a influência norte-americana.

deixemos para o Cel Rinaldo responder.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Delfim
2 anos atrás

O que acontece é que o Sargento é um tripulante, e a missão depende dele, por vezes. A tripulação deve ser um time coeso. Um E-99 voa com uma tripulação de oito homens e mulheres, onde a função dos controladores (sargentos) é primordial, embora chefiados por um oficial (chefe de missão ). O mesmo ocorre nas missões de Guerra Eletrônica.

Delfim
Delfim
Reply to  Rinaldo Nery
2 anos atrás

Tks.

Renato B.
Renato B.
Reply to  Rinaldo Nery
2 anos atrás

Coronel Nery, uma curiosidade: Geralmente, qual é o posto do chefe de missão do E-99?

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Renato B.
2 anos atrás

Vai de Tenente a Major Brigadeiro. Basta que seja Chefe Controlador de Defesa Aérea Aeroembarcado (CC-R). Quando comandei o 2°/6° o Comandante do COMDABRA voava conosco, era CC-R.

Renato B.
Renato B.
Reply to  Rinaldo Nery
2 anos atrás

Interessante saber disso, suponho que o posto vai variar de acordo com a importância da missão. Muito obrigado.

Humberto
Humberto
2 anos atrás

Mk48 16 de Abril de 2018 at 13:05 Creio que mais do que o filme, o que marcou (pelo menos para mim) foi o Mail Call onde o foco era material militar, então nada mais justo colocar esta triste noticia aqui. Lembro de um episódio no qual existe uma comparação entre a AK e o M-16, neste comparativo fica claro a facilidade na limpeza do primeiro MAS obviamente ele tira um barato (puxando a sardinha para o produto americano) e sacaneia o sujeito que está montando o AK. Tinha outras tiradas como ahhh como é bom sentir o cheiro da… Read more »

Camargoer
Reply to  Humberto
2 anos atrás

A frase original e “eu adoro o cheiro de napalm pela manhã” do filme Apocalipse Now.

Guizmo
Guizmo
Reply to  Camargoer
2 anos atrás

A frase na verdade foi originalmente cunhada pelo Gal. Patton, que dizia adorar o cheiro de pólvora pela manhã

Camargoer
Reply to  Guizmo
2 anos atrás

Olá Guizmo. Obrigado pela correção. Sabe o contexto da frase do Patton?

Guizmo
Guizmo
Reply to  Camargoer
2 anos atrás

Camargo, uma vez ouvi de um oficial essa história, no contexto da Batalha das Ardenas, cuja contraofensiva começou em Dezembro de 44 e Patton havia sido autorizado a realizar um ataque na manhã do dia 22. Ele disse depois ter sido esta sua batalha mais épica, a melhor já coordenada por ele

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
2 anos atrás

R. Lee Ermey era um grande soldado e um excelente ator sendo muito respeitado pelo USMC mesmo já fora da força. Seu papel em “Nascido para matar” é magnífico embora sua apresentação do “Mail Call” fosse um tanto quanto caricata. Outra parte pouco divulgada das suas atividades era o seu serviço junto à USO (United Service Organizations Inc.) que leva entretenimento às tropas estacionadas no exterior.

RIP Gunny

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
2 anos atrás

Será que os sargentos norte americanos no US Army, são realmente daquele jeito? Bom, aqui no US Army, existem diversos ramos de Sargeant. Quando o homem chega a Sargeant Major, isso demonstra muitíssimos anos de serviço, inclusivo para citar um exemplo, meu Sargeant Major é veterano do Vietnam, Ele é respeitadissimo. O time of service, out tempo de serviço é lavado em consideração, e o uniforme o demonstra com as campaign medals. Assim, especialmente no campo, um 2nd LT recem graduado com ZERO experiência campal sempre estará baixo a tutelagem do SGT Major de 50 anos, veterano experimentado e sobrevive… Read more »

Willhorv
Willhorv
2 anos atrás

O cara era o marketing em pessoa do sargento.
Figura esta que foi imortalizada nas grandes guerras e nos conflitos subsequêntes, estando ao lado das ações e figurando como o exemplo ou o líder em campo a seguir ou morrer por ele e seus amigos. Talvez este seja o motivo do respeito de soldados, praças e cabos pela figura do sargento.
Vi muitos episódios dele no HC.
Semper Fi!

Josiano
Josiano
Reply to  Willhorv
2 anos atrás

Soldados e cabos também são praças…

Delfim
Delfim
2 anos atrás

Quanto aos filmes sobre o Vietnam, prefiro Platoon. Apocalipse Now vi aos 17 anos (e era censurado para 18) e adorei, e um dia desses no TCM e achei-o enfadonho.
E é Martin Sheen, e não Marlon Brando, quem rouba o filme.
.
Já o roteiro de Platoon, onde os personagens antagônicos de Dafoe e Berenger disputam a alma do pobre recruta interpretado por Charlie Sheen, é mais direto e fluido. É o meu predileto.
.
Born to Kill é bom, mas ainda prefiro o Good Morning Vietnam, onde Robin Willians se superou.
.
Em último lugar, Rambo 2.

Delfim
Delfim
2 anos atrás

E o filme do Soldado Milhões vem aí…
.
https://youtu.be/NLapXBWGUKw

Delfim
Delfim
Reply to  Delfim
2 anos atrás

Ops link errado. https://youtu.be/Jh6EFT0jDAY

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Delfim
2 anos atrás

Aqui no Brasil o Wagner Moura lança o filme sobre o Marighella…

Flanker
Flanker
Reply to  Rinaldo Nery
2 anos atrás

Exato, Coronel. Nessas horas temos pequenos exemplos dos valores de país e nação que os habitantes destes cultuam. No nosso caso, principalmente pela classe “intelectual”.

Rafael Moreira Furtado
Rafael Moreira Furtado
Reply to  Delfim
2 anos atrás

A história do Sd. Milhais é sensacional.

Walfrido Strobel
2 anos atrás

Engraçado é o militar durão do filme “Unbroken” , na vida real o ator e guitarrista Miyavi tem um visual esquisito, gosta de se vestir de mulher com muitas tatuagens e piercings. . http://www.5zvezd.ru/upload/iblock/57e/nes1-detail.jpg . Miyavi é casado com a atriz havaiana de origem japonesa Melody, uma gata e tem duas filhas, o interessante é como eles se conheceram, ela tem um programa de entrevistas e ele era o entrevistado, no dia apareceu para a entrevista com duas mochilas grandes, ela perguntou onde ia tão carregado e ele disse que tinha chegado do aeroporto e ainda não tinha se hospedado,… Read more »

Rafael Moreira Furtado
Rafael Moreira Furtado
2 anos atrás

Cara, adorava o Lock n’Load!!!

Requiescat in Pace, R. Lee Ermey! Semper Fi!

Rafael Moreira Furtado
Rafael Moreira Furtado
Reply to  Rafael Moreira Furtado
2 anos atrás

Ele também fez uma ponta em “House”, como o pai do personagem principal.

Rafael Moreira Furtado
Rafael Moreira Furtado
Reply to  Rafael Moreira Furtado
2 anos atrás

Errado, o programa era o Mail Call

Rodrigo Ferreira
Rodrigo Ferreira
Reply to  Rafael Moreira Furtado
2 anos atrás

Exato…

Isto que eu ia dizer..

Só uma lenda para ser escalado para o papel de pai de outra lenda.

Jeronimo Torres
Jeronimo Torres
2 anos atrás

Uma curiosidade. Leee Ermey não era originalmente um ator em Nascidos para Matar. Era para ser o ator que depois atira do helicóptero gritando “Get Some”.

Mas Lee mandou para o Kubric uma fita k7 dele falando palavrões por 30 min sem repetir nenhum.

Kubric ficou tão impressionado que deu imediatamente o papel para ele.

“Qual a sua altura soldado?”
“1,8 senhor”
“Eu não sabia que empilhavam merda tão alto!”

claudio silva
claudio silva
2 anos atrás

No Filme Platoon aparece o Sargento que manda mais que o Tenente, e aqui no FT mostrou uma vez caso de um subalterno ter mais moral do que o superior.

claudio silva
claudio silva
2 anos atrás

Acho interessante nos EUA ex militares e da resserva também se destacam em outras aareas como cinema e politica. Fora os que também participaram de guerras.