Home Blindados Iemenitas destroem centenas de veículos da coalizão saudita em 3 semanas

Iemenitas destroem centenas de veículos da coalizão saudita em 3 semanas

10739
197
M-113 destruído no Iêmen
M-113 destruído no Iêmen

Forças iemenitas destroem 332 equipamentos militares e engajam milicianos apoiados pela Arábia Saudita nas últimas três semanas na costa oeste

Forças do Exército e grupos iemenitas destruíram um navio de guerra e 331 veículos blindados, assim como mataram e feriram mais de 1.300 mercenários liderados pela Arábia Saudita durante as três semanas da escalada da coalizão na costa oeste, de acordo com estatísticas publicadas no domingo pelo canal de televisão local Al Masirah.

A fonte observou que esta estatística foi registrada ao longo dos 23 dias a partir do discurso feito em 27 de maio pelo líder do movimento popular iemenita Ansarolá, Abdulmalik al-Houthi – em que pediu uma guerra de atrito contra o inimigo na costa oeste – até 20 de junho.

De acordo com o relatório, as forças do Exército e os comitês populares durante estes 23 dias destruíram 296 veículos de transporte de diferentes tipos e capturaram 25 veículos.

Ele também explicou que um grande número de equipamentos destruídos pela Força Aérea e mísseis balísticos não foram incluídos nas estatísticas.

De acordo com o Al Masirah, 1.323 homens armados foram mortos ou feridos durante o mesmo período, embora não tenham sido incluídos nas estatísticas de um grande número de vítimas e feridos deixados pelos ataques aéreos e de mísseis balísticos lançados por Ansarolá contra invasores.

A Arábia Saudita e seus aliados regionais começaram em 13 de junho, uma ofensiva em grande escala para assumir o controle da cidade portuária de Al-Hudaydah (Hodeida) no Iêmen Ocidental, causando a ira e condenação de muitos países e organizações de direitos humanos que avisam do risco que esta operação para a vida de milhões de iemenitas.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), a ofensiva pode matar até 250 mil iemenitas e arriscar a vida de 11 milhões de crianças.

Com esta ofensiva, Riyadh, juntamente com vários outros países árabes, de fato intensificou sua campanha militar contra o Iêmen lançada em março de 2015, com o objetivo de restaurar ao poder o ex-presidente iemenita fugitivo, Abdu Rabu Mansur Hadi.

FONTE: HispanTV

197 COMMENTS

  1. Isso é numero de guerra convencional de alta intensidade.

    Ou essas reivindicações são falsas, ou os sauditas conseguiram superar seu próprio padrão de incompetência militar.

    • Bem lembrado! São números digno de uma guerra como a do Yom Kippur e não de uma guerra de atrito como essa. E nem a notória incompetência saudita conseguiria tal proeza, o que evidencia ainda mais a mentira da mídia iraniana.

      • Talvez não. Embora as imagens mostrem veículos mais robustos, a maioria das milícias e uma boa parte das foças sauditas utilizam pickups como veículos de combate, que até um fuzil poe fora de combate.

        • Bingo!! Surpreso como pessoas AINDA não sabem analisar fotos de guerra. Até leigo no assunto percebe quando não tem “eira nem beira” essas mentiras camufladas de meia verdade… a estultice cansa viu! Deprimente esperar um Brasil melhor.

        • Provavelmente, é impossível saber ao certo, mas é evidente que a noticia não é totalmente verdadeiro, cada lado conta suas historias né… faz parte da guerra.

  2. Sem querer duvidar da incompetência de sauditas e aliados mas a HispanTV, de propriedade da ditadura teocrática iraniana, também não é uma fonte confiável de informações. Basta ver que a cada incursão israelense na Síria ela sempre noticia o abate de diversos jatos da Heyl Ha’Avir, o que salvo aquele F-16 não corresponde à realidade.

    Diante desse fato é prudente ser cético com a notícia. Quanto ao povo iemenita, não merecia estar passando por tamanha tragédia, culpa do papel desestabilizador que o regime dos aiatolás exerce no OM. Aliás o povo iraniano, farto da condição de pária do país que provoca inúmeros prejuízos à economia e à sociedade, está nas ruas de Teerã e outras cidades protestando contra o Clero.

    • Não sei se sabe, mas os invasores ali são os sauditas, a ditadura era do governo sunita, o povo está do lado de quem nisso? Ou será que vão entrar na mesma estória do “povo sírio ao lado dos rebeldes moderados”? Você que me desculpe, mas se você conhece a cultura islâmica, sabe muito bem que papel desestabilizador tem a arábia saudita e os grupos que tentam impor valores jacobinos a força por aqueles lados. Eles não vão permitir, os muçulmanos jamais aceitariam viver numa sociedade ocidentalizada secular, com casamento gay, hedonismo, materialismo etc… Nesse caso o regime do Irã está muito mais para estabilizador do que desestabilizador. Não adianta ir para o oriente médio pensando em fazer revolução francesa que isso, lá, não cola.

      • Por mais que o governo saudita seja ruim (e é mesmo) não dá para não entender as razões do mesmo ao decidir pelo bloqueio e invasão do Iêmen visto que a rebelião Houthi, armada e financiada pelo Irã, tem o poder de colocar nas fronteiras da Arábia Saudita um cavalo de tróia do regime iraniano semelhante ao que o Hezbollah representa para Israel.

        No que diz respeito à desestabilização do Oriente Médio ninguém executa esse papel como os iranianos. Não bastassem seus prepostos do Hezbollah e também no Iêmen tem também sua presença na Síria, onde mais se dedicam a ameaçar Israel a ajudar o governo de Assad a eliminar os terroristas algo que já foi reconhecido até pelos russos, que o querem fora do país árabe o quanto antes.

      • Os sauditas são tão responsáveis quanto os iranianos pela desestabilização do oriente médio. É um desconhecimento muito grande da geopolítica da região achar que um dois está lutando pela melhora da vida das pessoas, quase tão grande quanto achar que Israel, eua, Rússia, China ou qualquer outro agente externo tenha mais culpa que esses dois. O maior inimigo de um mulçumano é outro mulçumano, não é os EUA, nem os judeus, nem os cristãos, nem…

  3. Kkkkkkkkkkkkkk Ou os sauditas são muito ruins, ou os iemenitas estavam de “hack”. Já que os sauditas são amiguinhos de Israel, por que não pediram umas aulas às IDF?

      • Oxe, você anda lendo coisas demais, onde é que no meu comentário tem algo escrito contra Israel? Apenas comentei o fato dos Sauditas terem se aproximado de Israel, e que eles poderiam fazer um intercâmbio com Israel na área militar para não passarem vergonha, onde está o ataque contra Israel?

        Você anda muito nervosinho, e sempre que Israel fizer algo que eu julgue errado, eu irei atacar com muito prazer, goste você ou não, Israel não é suprassumo da moral e da ética para não poder ser criticado, e eu estou pouco me lixando para esse negócio de “povo escolhido”.

        • De fato Israel não é suprassumo da moral e da ética (muito pelo contrário). Agora é fato que Israel tem todo o direito de se defender das ameaças que entende ser existenciais, e esse fato (o direito de defesa de Israel) incomoda você e outros. Isso claro quando não distorce os fatos acerca da ajuda militar norte-americana mas, como não canso de dizer e também me dá muito prazer em fazê-lo, Ayn Rand tinha razão…

        • Você fala como se sua opinião ou crítica tivesse algum valor. Engano seu. Fica aí no grêmio da tua faculdade cheia de esquerdopatas e para de escrever besteiras aqui no blog que é o melhor que você faz .

        • E tem mais, enquanto você está aí fumando unzinho e olhando para as fotos do Tchê Guevara , Israel continua se sobrepujando sobre seus inimigos, e continuará sempre.

          Cresça, estude e Leia antes de resolver escrever algum a coisa.

          Shalom !

  4. Qasem Soleimani está no Yemem ? rsrsrssr.
    Quando o EI passou o rolo compressor nas tropas iraquianas ele foi chamado as pressas com suas milicias.

      • De fato, mas enfrentar A IDF com milícias é impossível, mas é fato que as milícias xiitas organizadas pelo Iran e apoiadas pelo apoio aéreo russo e norte-americano ajudaram a salvar o iraque do ISIS.

        E estão ajudando Assad a vencer na Síria.

  5. Aqui, fonte “de confiança” é só Fox News, IDF e MOSSAD…
    Qualquer outra coisa é mentira, propaganda e boato…Rsrsrs

    • Estranho mesmo é considerarem o National Interest e Business insider confiável, como se não fossem um Sputnik e RT americano. Devemos fazer a comparação das notícias para ter uma idéia mais próxima da verdade, até mesmo dos jornais sensacionalistas, pois há algo real ali. Uma coisa que gosto da trilogia é esse fato de pegar informações de tudo quanto é lado e divulgar aqui quando é importante. Não adianta ficarmos fechando os olhos para o outro lado, pois no final quem sai perdendo somos nós mesmos.

  6. Uma coisa é certa, os iemenitas lutam em casa, conhecem o terreno e vão usar tudo a seu favor, principalmente a guerra com emboscadas.
    Outra coisa, a Arábia Saudita não pode lançar mísseis de forma indiscriminada, não pode sair “avacalhando” com as áreas que deseja ocupar, ou seja, o combate será convencional, ganhando espaço conforme as lutas.
    Por fim, esse pessoal do Iemem não parece fracos, devem receber bastante material dos “inimigos da Arábia saudita”, até mesmo da Turquia (essa financia os terroristas da palestina), faz tempo que esse conflito está acontecendo (infelizmente).

  7. Bom o trabalho de “assessoria militar” que o Irã tem dados a estes Houthis…
    Seus alunos Houthis calçados de sandálias e armados com AKs tem feito isso, imagine o grosso da tropa Persa….
    Agora entendi , o porque Israel teme tanto que o Irã chege perto de suas fronteiras….

    • Os iranianos na Síria têm sido sistematicamente bombardeados e mortos por Israel, não creio que as IDFs estejam tão preocupados assim. Não é à toa que os odiadores do estado judeu vivem em eterna frustração…rs!

    • Não sei de onde tiraram que os houthis são meros pé rapados de AK, eles tem mísseis balísticos, mísseis anti navio, anti aéreo, radares, etc. são mais bem equipados que os rebeldes da Síria.

      É óbvio que tem outros países por trás disso como o Irã e a Rússia, os hipócritas defendem o Assad como o governo legítimo mas querem derrubar o governo do Iêmen.

      • Exato… Perrapados que ja acertaram misseis scuds em bases militares (me lembro bem da base dos Emirados no Yemen), quase afundaram um navio na costa com um míssil antinavio e até dispararam alguns contra um Destroyer americano… Pé Rapados melhores armados que nossas FFAA kkkk

  8. Surreal!
    Equipamentos bélicos de primeira sendo destruídos como latas de sardinhas por insurgentes esfarrapados de chinelos!
    Os americanófilos pira!
    🙂

    • Especialmente por ser uma notícia falsa tendo em vista ser a mídia estatal e corrupta de um estado teocrático ditatorial….

      De toda forma estamos vendo na Síria o equipamento norte americano e israelense se impor sobre o de origem russa e iraniana..😉

      • E o M1 Abrams não é? Pois os sauditas já perderam uma dúzia para os iemenitas. E olha que alguns foram abatidos como se não fossem nada, assim como os Leopardo 2 dos turcos. A questão de estratégia e doutrina de guerra vale muito mais que você ter equipamentos de ponta. Afinal de contas, pra que você tem se não sabe usar?

          • HMS TIRELESS, como amante de tanques, vê-los destruídos por incompetência é o cúmulo do absurdo. Os sauditas deveriam pensar em reformular o seu exército antes de torrar bilhões em armas que eles nunca saberão tirar 100% do seu aproveitamento.

          • J-20, eu concordo na íntegra com você. Pelo que eu pude apurar o ramo das forças armadas sauditas melhor preparado é a Força Aérea, que inclusive participa com uma certa frequência do Red Flag e tem no seu cômputo aeronaves inimigas abatidas em combate aéreo durante a Tempestade do Deserto.

    • Nao sei qual o problema de equipamento americano ser destruido. Na síria tem video de alguns Leo2 sendo destruidos, os eurofolios piram? Ou na inumeras guerras que os EUA ja travaram no oriente e deixou milhares (quiça milhoes) de equipamentos russos destruidos, os russofolos piram? Papo chato…

      • O cara deu a entender como se nenhum equipamento de ponta é destruído nessas ocasiões e dei o exemplo mais recente. O mesmo aconteceu com os israelenses nas suas guerras de sobrevivência quando deixaram uma trilha de blindados e aviões de origem sovietico destruídos, numa época que o exército de Israel não passava de um bando de pé rapados no nível dos rebeldes iemenitas. Como eles conseguirem isso? Doutrina militar superior. Mesmo enfrentando blindados com 2x mais proteção e canhões muito mais poderosos, abateram os mesmos como se não fosse prisioneiro em parede de fuzilamento.

        • Correto!
          As operações militares judaicas que atingem civis em áreas da Palestina, reconhecidas internacionalmente como tal (East Jerusalém, Gaza trip e West Bank), são puro terrorismo de Estado, muito pior que o terrorismo não-estatal de militantes palestinos contra civis em território reconhecido como de Israel.

          • As ações israelenses não são gratuitas e sim decorrentes do terrorismo palestino afinal Israel não apenas tem o direito como o dever de defender os seus cidadão contra atos de terror perpetrados por aqueles que não apenas não reconhecem o direito de Israel existir como ainda fazem apologia e ações no intuito de destruir o Estado Judeu sendo que para isso se aliam a teocracias claramente fascistas.

            Outrossim, ao atribuir ao suposto “terrorismo de estado israelense” um desvalor maior do que ao terrorismo palestino você termina por revelar-se parcial e apologista de quem deseja destruir Israel.

    • Essa é uma das afirmativas mais esdrúxulas e sem noção que já vi por aqui.

      Você e mais uns 2 ou 3 por aqui nunca perdem uma oportunidade de falar mal de Israel. Deve ser inveja……kkkkkkkkkkkkkkk

  9. Não podemos esquecer do Talibã no Afeganistão…
    Semana passada tiveram um avanço conquistaram vários pontos do Exército Afegão ,dezenas de soldado foram mortos ..
    E os gringos continua lá ,a quase 18 anos dando uma de sauditas……..

    • E nessa “empreitada”, só não jogaram bombas atômicas.
      Talibã já é veterano nessa briga,é conhecido como o “Coveiro dos impérios”.

    • Melhor derrotar os aiatolás corruptos de Teerã que os déspotas de Riad afinal ninguém vê os últimos dizendo que qualquer país deve ser “riscado do mapa” não é mesmo!?

        • Ao que tudo indica a vez da escória iraniana pode estar bem próxima! Na Síria,além de estarem sendo bombardeados sem dó pela Heyl Ha’Avir estão sendo cada vez mais hostilizados pelos russos (Putin já declarou que os quer fora de lá). E no plano interno têm irrompido protestos cada vez mais intensos da população, insatisfeita com a crise econômica, a corrupção do regime e as guerras no exterior.

  10. Outra coisa, a Arábia Saudita não pode lançar mísseis de forma indiscriminada, não pode sair “avacalhando”
    É mesmo????
    É uma das maiores vergonhas da história que o Oeste apóie o genocídio cometido pela Arábia Saudita no Yemen.

    • Neste caso estou favorável ao Irã.
      Mas essa história de o ocidente apoiando genocídio…
      Muitos aqui só tomam lado se for contra os Estados unidos.
      Ateus, tornam-se defensores do islã.
      De apoiadores do regime cubano e da Coreia do Norte, viram defensores da democracia e um até da “liberdade”. Desde que não seja na Venezuela ou na Nicarágua…

      • O problema Nonato é que o Irã não tem razão alguma aqui visto estar (mais uma vez) provocando um conflito contra um país rival, no caso a Arábia Saudita. Aliás, a população iraniana mais uma vez foi às ruas protestar e também demonstrar sua insatisfação com a interferência iraniana nos assuntos internos de outros países (Síria, Palestina, Israel, Líbano e Iêmen).

  11. Basta ver no youtube os vários vídeos relacionados aos Houthis para que se perceba nitidamente a quantidade de Abrams, Leclercs, Humvees, e outros veículos mais sauditas ou já destruídos ou então sendo destruídos por combatentes calçados de sandálias havaianas, sem coletes, sem capacetes, mas com certeza com muita disposição !! A quantidade de ataques por IEDs e snipers é imensa contra as tropas sauditas e dos emirados árabes unidos e mercenários contratados !! Creio que pelo que já vi nesses vídeos essas informações sejam corretas !!

  12. Está no texto:

    O Yemen tem 11 milhões de crianças ?

    Kkkk só rindo mesmo.

    Quanto a incompetência da coalizão, pura verdade.

  13. Prezados…

    Os houthis estão longe de serem “guerrilheiros esfarrapados”… O ataque ao destróier USS Mason mostra claramente que estão sendo muito bem supridos com armas próprias de exércitos convencionais, e não é de hoje…

    A forma de se lutar deste grupo também está muito mais próxima daquela de uma força convencional organizada; e difere bastante, portanto, do que faz o Talibã ou mesmo a Al-Qaeda e o EI. É uma organização que, entendo eu, tem teoricamente potencialidades maiores de ação, lembrando em algum momento o que era o exército do Vietnam do Norte.

    Posto isso, resta claro que é um cenário algo distinto dos que já ocorreram até aqui.

    Outro ponto: os sauditas possuem seguramente os melhores equipamentos exportáveis desenvolvidos no Ocidente, mas é improvável que disponham de sistemas de inteligência do mesmo nível. Logo, a usabilidade de qualquer sistema de combate fica terrivelmente prejudicada, independente do treinamento dos soldados. Mesmo considerando que aliados ocidentais possam fornecer inteligência, isso ainda não é o ideal, pois a interação das forças em campo em tempo real ainda será deficiente ( ineficiência na cadeia de comando ), prejudicando a reação a uma ameaça.

  14. “Muitos aqui só tomam lado se for contra os Estados unidos.” Como assim???
    Se fosse a China, a Rússia ou o Irã, Venezuela, Cuba ou até mesmo o Brasil apoiando essa vergonha, também estaria em contra. Crime de guerra é crime de guerra, e ponto final.
    Quer saber um pouquinho mais sobre a Nicarágua, e o que aconteceu lá nos anos 80? Acabei de ler um livro muito bom a respeito, chamado Dark Alliance, de Gary Webb. Ficar melecando tudo com esse negócio de esquerda e direita, pro americano ou anti, já não explica tudo não.
    Não existe santo em nenhum lado, meu irmão.
    Só que alguns diabos são piores que outros.

    • Geralmente os que criticar criticam os EUA o fazem porque apoiam o comunismo.
      Por exemplo, no Brasil. Nós temos problemas.
      Mas não é por isso que vamos apoiar o comunismo ou o Estado islâmico…
      Não é porque em país A ou B houve problema Y que vamos nos revoltar com o mundo ocidental.
      A Rússia, a esquerda e o comunismo em geral gostam de apontar falhas no ocidente para se aproveitar das fragilidades e tomarem o poder e implantar suas ditaduras…
      O cara vem falar em democracia e direitos humanos enquanto apoia Cuba, Venezuela, China, Rússia…
      O resumo da ópera é: ninguém está interessado em comunismo.
      Portanto, não adianta espernear com argumentos diversos.
      Ah, os EUA fizeram isso ou aquilo, portanto o comunismo é a salvação.

  15. Os houthis não são tão esfarrapados assim antes da guerra o seu país tinha um dos maiores exércitos do Oriente médio com muitos veteranos da primeira guerra civil deles então eles têm doutrina ,experiência e motivação já que estão lutando contra um invasor e defendendo seu próprio solo.ja os sauditas todo mundo já sabe né…..

  16. Vixi mãe! Se ligou o “achodromo” à mil né não?!
    Os sauditas tem um dos melhores grupos de informantes do oriente médio, não confunda com atividades 007 tá!

  17. Interessante ver gente que apoia o ‘governo legitimo da Síria’ e chama todos o rebeldes de terroristas, mas no caso do Iêmen não estão nem aí para o governo original e apoiam esses fanáticos islâmicos houthis que não são muitos diferentes do estado islâmico.

  18. Coalizão saudita sofre grande derrota no Iêmen, Erdogan reeleito em primeiro turno na Turquia (e agora em regime presidencialista), evidencia oque está acontecendo não so no Oriente Médio mas no mundo, o poder americano em total declínio

    • Erdogan logo depois de reeleito foi atrás de Trump para reconstruir a relação e um encontro entre ambos já está em pauta! Para piorar Rússia e Arábia Saudita querem aumentar a produção de Petróleo o que representa um duro golpe na já combalida indústria petroleira iraniana, afetada que está sendo pela retirada dos EUA do acordo nuclear. E por falar no país persa seu povo está nas ruas protestando e pedindo a volta da Monarquia.

      Como se vê, quem está em total declínio é a ditadura teocrática iraniana lembrando que a notícia aqui certamente é um hoax, vide os veiculados na Síria acerca da infundada destruição de aeronaves israelenses.

  19. Não há mentira em relação as perdas de equipamentos em grande escala pelos Sauditas. Basta ir no youtube no canal R&U e ver os vídeos de combates e ver os grandes equipamentos militares capturados pelos Houthis sendo queimados.
    Arábia Saudita tem dinheiro, mas não tem doutrina para guerra. Os seus soldados são frouxos e medrosos.
    As imprensas ocidentais estão escondendo as baixas da Arábia Saudita e poucos falam dessa brutal guerra no Iêmen.

    • Ninguém está duvidando da incompetência saudita mas sim dos números apresentados, claramente exagerados, que seria apenas obtidos por um exército regular dotado inclusive de apoio aéreo, algo que os Houthis e seus patrocinadores iranianos não dispõem no Iêmen.

      E não custa lembrar da quantidade absurda de Hoaxes divulgados pela HispanTv, basta ver no conflito sírio.

    • Comandados por príncipes-nutella da família real saud!
      E os equipamentos militares estadunidenses não são esta maravilha toda alardeados pelos americanófilos de plantão.
      Se colocarmos num confronto o melhor da Rússia como melhor dos EUA, com operadores de igual nível de qualidade, a disputa seria no mínimo equilibrada. A turma costuma comparar desempenho de equipamentos em conflitos como Israel-Síria, guerra EUA-Iraque, … nada a ver face a diferença de qualidade dos operadores!

      • Ué ? Foi você que disse antes que os “equipamentos de primeira linha” sauditas estavam sendo destruídos pelos rebeldes, considerando o M113 como primeira linha.

        • Há muito equipamento militar americano de primeira linha sendo destruído nesta guerra pelos guerrilheiros-mendigos.
          Mas não é o caso do M113. NUNCA disse que M113 é de primeira linha. Leia com mais atenção as postagens.

  20. A Arábia Saudita é o país mais equipado e o com o maior despreparo das tropas de todo o oriente médio. Todos sabem disso, basta ver no YouTube os ataques dos houthis, e a baixa taxa de resistência dos sauditas. A Rússia tem se posicionado ao lado de Israel e Arábia Saudita contra o Irã. A presença dos iranianos na Síria tem gerado desconforto dos militares russos. Por isso todos os ataques israelenses as posições do Hezbollah e iranianas tem sido combinado anteriormente com a Rússia. É uma questão de tempo para que essa guerra se torne maior do que já é. Detalhe: os Estados Unidos operam contra os houthis, utilizando seus F-16 e Drones através da base de Al Udeid no Catar.

  21. Provavelmente esses dados de perdas devem ser de todo o conflito, não só dessa ofensiva como diz o jornal iraniano.
    Agora, uma solução pra o Iêmem é volta lo a dividi lo em 2 e impedir que o Irã tenha presença neles.
    Pronto é isso que a comunidade internacional deve perseguir.

    • Não amigo Augusto!
      Isso (e somente as perdas documentadas) so das ultimas semanas.
      Alguém com duvidas pode ir para site de lostarmour e conferir item por item.
      Engraçado que não falaram em voz alto sobre perdas dos tanques (que são altos) e dum navio destruído recentemente.
      E sim.Houtis tem oficias e soldados com alto grau de instrução (muitos estudavam nos Cursos Centrais da Academia de Artilharia em Leningrado ou São Petersburgo). Mas a maioria total e dominante – milicianos tribais de sandalinha e AK .
      Um grande abraço!

      • Argumentum ad Ignorantiam..
        Invés de usar bom senso vamos marcar como “russo” um projeto internacional (inclusive usado pelo National Interest entre outras agencias) e ignorar uma fonte cheia de informação conferida? E continuar adivinhar? Brincando com as suposições?
        Entre no projeto .Participe! Corrige. adicione seus itens , questione vericidade da analise de identificação dos outros, faz algo! So depois disso fale sobre confiabilidade do projeto. Ou traz alguma fonte melhor : com fotos e videos de MELHOR qualidade , com mapas com geolocalização de MAIOR precisão , com analise MAIS detalhada, etc
        Vou dizer muito obrigado como todos nos. Ate então LA fica como numero 1 para este tipo de informação.
        Faço parte do projeto e posso dizer que os itens computados (usados pelas agencias de noticias) representam um numero menor que a realidade.Pois os sandalheiros houtis não correm permanentemente com as câmeras ligadas e filmam tudo que destroem.
        Logo não tem imagens de tudo ou não tem como identificar devido a qualidade e falta de marcação geográfica.Neste caso item fica como pendente.
        Entre!
        Navegue um pouco para entender e argumentar sua negação.Depois a gente fala.
        Um grande abraço!

        • Tão cheio que nenhum site internacional à n ser esse jornal iraniano esta usando essa fonte russa, não há notícias em lugar nenhum relatando essa imensidão de perdas em tão pouco tempo, tão menos como a perda de um navio, que da última e única vez foi instantâneo. O texto ainda fala que os rebeldes tem força aérea kkkk, operar drones caseiros n é força aérea e seus misseis balisticos foram todos interceptados pelo patriot.

  22. Joao Moita Jr 27 de junho de 2018 at 21:19
    Moita, eu respeito a sua opinião e de certa forma concordo. Não tenho dúvidas de que as vezes há excesso por parte de Israel. No entanto, é nítido que as “manifestações”, que não tem nada de manifestação, são usadas para jogar civis contra a fronteira de Israel. Como as ocorridas há 1 mês. A Palestina é comandada por grupos terroristas (isso é inegável) e é usado como “ponta de lança” para atacar Israel, você sabe disso, os países muçulmanos, que são riquíssimos, jamais tiveram interesse em ajudar a Palestina a virar um país normal, eles não ligam para a Palestina e usam aquele povo para matar judeus.
    A partilha da terra entre judeus e palestinos foi aceita e aprovada pela ONU e diversos países, os judeus aceitaram, os árabes não. O território da Pelestina era enorme segundo o tratado da ONU, mesmo assim não foi aceito e diversas guerras aconteceram. Guerras que por sinal nitidamente de extermínio, assim como discursos de extermínio por parte de árabes (basta ver os discursos racistas de Erdogan). Em uma das guerras quase 1 dúzia de países atacaram de forma surpresa Israel.
    O que os Palestinos querem afinal? Há a partilha da terra, porém não aceitam. Há países árabes riquíssimos para ajudar a construir uma palestina rica, não o fazem. Pelo contrário, até mesmo o governo brasileiro (país pobre, com bolsões de miséria) ajudando a Palestina com dezenas de milhões de dólares em remédios e ajudas diversas. Nunca vi um país árabe ajudar um país não árabe, ajudaram o Haiti?
    Há inúmeros ataques terroristas de palestinos contra Israel, todos os anos centenas de foguetes são lançados contra Israel. Há ataques com facas e veículos sendo jogados contra civis e militares de Israel.
    Massacre de Munique (1972). O massacre do liceu de Maalot, cidade no norte de Israel, ocorreu em 15 de Maio de 1974. Ataque de Nahariya de 1979. Atentado suicida do Dizengoff Center (1996). Masacre de Sbarro (2001). Atentado terrorista do Café Moment (2002). Em 2011: Triplo ataque sincronizado deixa 15 mortos em Israel.
    ……………………
    Não estou colocando Israel como coitadinho ou coisa semelhante. Apenas estou afirmando que a Palestina e árabes não aceitaram a criação de 2 países (Israel e Palestina), nunca ajudaram a Palestina a virar um país decente (bem pelo contrário), não buscam reconhecer Israel, atacaram Israel diversas vezes (guerras envolvendo diversos países), e parecem não querer fechar acordos de paz. Eu pergunto, o que querem os árabes? Querem destruir Israel? É o que parece! Se caso a resposta for sim, eu expulsaria todos os embaixadores, romperia relações diplomáticas e imigrantes árabes do solo brasileiro, pois aqui não é lugar de racista! Aqui nós cultivamos outro pensamentos.
    Eu sinceramente não sei o que essa gente deseja, querem guerra ou paz?

    • Não há nenhum excesso por parte de Israel, o que há é pessoas que não entendem à situação e pessoas que odeiam Israel e querem que querem que ele esteja errado, excluindo-se a lógica se necessário, e na maioria das vezes há um 3° tipo de indivíduo que é os 2 ultimos juntos, o famoso burro e intelectualmente distorcido da realidade e valores ocidentais. Pior espécie de gente q existe.

    • Se Israel, ficasse em “paz” com os Palestinos e saísse do território deles a palestina seria uma síria da vida. Pois o estado Palestino só existe para ser uma pedra no sapato de israel ,uma vez que aliados a palestina virará um alvo também. Israel ocupa a região da mesma mais por defesa que para qualquer outra coisa. Se israel sair desses locais revindicados, pelos palestinos, os árabes vão invadir a palestina. O conflito Israel-Palestina é o que mantem o equilíbrio, uma vez resolvido os arabes ou disputaram a influencia (Irã, A.S. ??) na palestina até terem oportunidades de se expandirem (Turquia?) ou atacaram logo de cara (acho beeem difícil).

      • 1 – O que este assunto tem a ver com a matéria ?

        2 – Você estudou História ?

        3 – Se te derem um mapa, você saberia onde se localiza Israel ?

        4 – Procure dar opinião sobe algum assunto que você realmente conheça, evitando assim de escrever coisas erradas e besteiras.

  23. Um comentário ai em cima diz que nunca viu um Abrams destruído pelos Houthis ….
    Bom… fui dar uma pesquisada ,e até setembro de 2017 ,os Sauditas tinham perdido 20 Unidades , em 16 meses de guerra..
    Mas pelo que li ,os especialistas não acha está taxa exorbitante , pois segundo eles, Israel que é considerado um dos exércitos mais bem treinado do mundo; em um mês de guerra contra o Hezbollah perdeu 5 unidades …
    Tem dezenas de vídeos no YouTube mostrando Abrams e outros equipamentos sauditas sendo destruído no Iêmen…é só pesquisar em Árabe que o conteúdo é bem mais rico…rsrs

    • Até saiu uma questão no Quora sobre o assunto. Mas tem gente que diz que as perdas não são tão altas assim. Os iraquianos também perderam M-1’s para o Daesh e a Turquia também teve sua quota de perdas de Leopard 2. Os russos também se deram mal na primeira guerra da Chechênia.

      Também li que os tanques sauditas não usam todos os níveis que blindagem que os americanos usam, sem contar o treinamento e coordenação que os americanos têm.

      Na maioria dos conflitos que vemos entre guerrilhas e exércitos regulares, os blindados que não foram capazes de coordenar com a infantaria, artilharia ou abriram mão da mobilidade para se apoiar na blindagem acabaram se dando mal.

    • A natureza dos conflitos é diferente. O conflito entre Israel e Hezbollah foi de curta duração mas de alta intensidade, e ao se confrontar o número de Merkavas perdidos (5) com o número de ATGMs disparados pelo grupo terrorista ( teriam sido mais de 1.000 sendo 100 deles Kornets) resta evidente que a taxa de sucesso dos prepostos de Teerã foi baixa. Por outro lado durante a operação Protective Edge a melhora nas táticas e principalmente a introdução do APS Trophy fez com que nenhum Merkava fosse perdido naquele conflito.

      Já o conflito AS x Houthis tem uma demanda diferente pois além do TO ser maior se caracteriza muito mais como uma guerra de atrito, por isso também as baixas relativamente pequenas dos M-1.

    • Na guerra de 2006 contra o Hizbollah no Líbano, Israel perdeu muito mais que apenas 05 tanques Merkhava em apenas 34 dias de combates !! Nos mais diversos vídeos da época pude contar mais de 30 Merkhavas abatidos e em cenários diferentes comprovando que não eram repetições !! Me lembro bem da imagem do Merkhava que estava caído em um declive montanhoso apoiado apenas pelo cano do seu canhão !! Como esse Merkhava foi parar lá eu não faço a mínima ideia !!

      • A imensa maioria dos Merkavas atingidos pôde depois ser reparada! Nem mesmo o Hezbollah afirma ter destruído “Mais de 30 Merkavas”. E dos cinco exemplares perdidos apenas dois eram do modelo mais recente (Mk.IV) sendo os restantes do modelo MK-II (dois) e Mk-III (um).

        Agora, na hora de fazer as contas a turma anti-Israel vai sempre enxergar mais do que realmente existe, logicamente, para tentar desmerecer as IDFs.

        • Tireless eu não sou pró e muito menos anti Israel !! Apenas relatei o que vi em diversos vídeos !! Se a maioria dos tanques atingidos foram recuperados posteriormente parabéns para os israelenses pela competência para isso !! Porém não se pode negar que momentaneamente um objetivo pode não ter sido alcançado por conta da inoperância momentânea destes tanques bem como as suas tripulações ou terem sido mortas, inválidas ou apenas ligeiramente feridas e que tiveram que ser repostas !! Temos que ter a humildade e também a sabedoria para reconhecer os avanços israelenses bem como os do Hizbolah !! Você acha sinceramente que os armamentos de hoje do Hizbolah são aqueles mesmos de 2006 ?? Você acha que não houve upgrade do lá de lá também ?? Você acha que as táticas permanecem as mesmas ??

      • Muitos videos são fakes, e Israel teve só 5 tanques “perdidos”, não quer dizer que mais que 5 foram atingidos. Muitos foram reparados e outros so tiveram que trocar a blindagem modular e continuaram lutando.

  24. Persas e Sauditas são inimigos a séculos.
    O Irã tem sua saída pro mar podendo ser sufocada pela AS.
    Para q o Irã sufoque a AS, precisam de 3 posições.
    Eles mesmos, q também podem atuar na saída do Golfo Pérsico, a saída de Seuz e a saída do Mar Vermelho pro Indico.
    Ora, essas duas últimas não são de domínio do Irã, portanto eles têm de atuar ali por meio de alianças.
    Disso vem a aliança iraniana com Síria e Iêmen.
    A AS vai mesmo deixar o Irã ter essa vantagem??
    A AS, Irã, Síria, Sei lá mais quem, estão preocupados com valores ocidentais de DH?

    • Perspicaz Agnelo, não tinha considerado o mapa da região por essa perspectiva, é uma chave de leitura bastante interessante que você indicou e me lembrou de um artigo que abordava o conceito de
      ” profundidade estratégica” . Vou procurar, traduzir e postar ele, pois entre os vários casos apresentados abordava também o Irã . Claro tudo prévia permissão dos editores . Abs

    • Juntamente com a necessidade de acesso aos recursos naturais, a busca pela chamada “profundidade estratégica” desempenha um papel importante entre as causas geográficas dos conflitos. O objeto deste estudo não será, portanto, as causas culturais ou religiosas do mesmo – e nem mesmo as causas territoriais em geral – mas as causas geográficas intimamente ligadas ao controle das vias de comunicação e ainda mais à criação de áreas estratégicas e de segurança militar. Vamos tentar definir a “profundidade estratégica” e estudar casos de análise relacionado com a continuidade geográfica da Eurásia, bem como para demonstrar como a busca da mesma nem sempre é um prenúncio de segurança, mas à própria causa de instabilidade e envolvimento em conflitos.

      Profundidade estratégica: uma definição
      A definição de “profundidade estratégica” não pode, portanto, ser separada do conceito de segurança do Estado. A base ontológica da existência de um estado – e muitas vezes, mesmo de entidades não-estatais ou para-estatais, como organizações criminosas ou poderes econômicos – é o controle convincente de um território. A base da segurança de um Estado – e os atores mencionados acima – é algo mais: é a capacidade de acesso (militar e econômico) para as zonas circundantes, vizinhos geograficamente semelhante, economicamente (e, finalmente, culturalmente exemplo), bem como defensável.

      A profundidade estratégica e a posição geográfica dos atores estratégicos
      O teatro eurasiano é pontilhado de exemplos para apoiar nossa definição, teatros estratégicos que os vários níveis de poder consideram parte de sua segurança e interesse vital fora de suas fronteiras e espacialmente periféricos ou dentro dos mesmos, mas não relevantes para o seu núcleo econômico e político.

      – A China depende largamente do mar para as suas importações e exportações e tem as suas regiões mais prósperas na costa. O governo chinês optou por anos para um reequilíbrio concreto para o interior, por causa da barreira de ilhas potencialmente hostis que poderia fechar a China em seus mares, impedindo o acesso aos oceanos Índico e Pacífico (Filipinas, Japão, Indonésia , Taiwan, dependendo das mudanças nas relações intergovernamentais). Central para a profundidade estratégica chinesa é o controle do Tibete, um contraforte militar contra o rival indiano; portanto, a possibilidade de estender a influência chinesa em países “tampão”, como Nepal e Butão, e exercer controle sobre Xinjiang, a província ocidental plana que leva para as passagens nas montanhas da Ásia Central, uma ponte para o Ocidente para pipelines oleodutos e ferrovias. Outra antemuro contra as posições americanas é a Coreia Popular, um verdadeiro “estado-tampão” entre o coração do poder político chinês – a área de Pequim – e a Coréia do Sul.

      – O Paquistão, relativamente pequeno em comparação com seu rival indiano, tem no Afeganistão a própria retaguarda, que considera uma área fundamental de refúgio estratégico em caso de conflito e leva de influência diplomática em relação aos países envolvidos na estabilização do país.

      – Após o fim do domínio mongol, os perigos para a Rússia sempre vieram do Ocidente: o PS russo pretende estender sua fronteira terrestre o mais ao oeste possível, nas planícies da Europa Oriental e Central. Daí o interesse na Bielorrússia e na Ucrânia – e pelos seus bastiões fundamentais na Crimeia e na exclave de Kaliningrado. Se a Rússia for massivamente atacada via terra a partir do oeste, ela teria dificuldade em defender com apenas as forças convencionais o Cáucaso, parte de sua planície européia até o Volga e de lá para os Urais e as duas capitais do norte.

      – A Alemanha não possui fronteiras naturais, além dos Alpes, dos quais não se recebem mais ameaças desde os tempos do Império Romano. Para o oeste, Alemanha sempre alegou como parte de seu solo nacional Alsácia e Lorena, e sempre considerou o leste do continente como uma bacia de expansão e penetração – ou exploração – espacial, agrícola, demográfico e comercial, sempre incerta entre uma lógica de colaboração e uma de competição (quando não confrontação) com a Rússia.

      – A Turquia vive no constante pesadelo político do nascimento de um Curdistão unido e hostil: pelo que considera “mínimo estratégica” a criação de uma zona tampão no norte da Síria que separa os cantões do Curdistão sírio e mantém fortes relações com o governo regional do Curdistão iraquiano, hostil ao PKK / PYD. Também vê com favor, pelo menos temporariamente, todas as forças militantes sunitas, mais ou menos fundamentalistas (e anti-iranianas).

      – Desde a época da dinastia aquemênida a Pérsia teve de se defender da invasão dos povos das estepes do Nordeste, compensando-os com a busca de profundidade estratégica nas planícies e no Afeganistão, e tem procurado se proteger de ataques provenientes da Europa através dde contrafortes no Mediterrâneo . O Irã contemporâneo considera importante manter boas relações com a Ásia Central, ser influente no Afeganistão – especialmente na área de Herat – e consolidar a ” a meia lua xiita” – a partir da Síria ao Líbano. A estratégia iraniana baseia-se também no Estreito de Ormuz, o confronto com os filossauditas no Iêmen tem como intenção desviar e ocupar as forças do adversário, apesar da importância deste gargalo do comércio marítimo mundial. Estas são precisamente as áreas nas quais a República Islâmica apóia movimentos militantes – freqüentemente em armas – que compartilham sua fé xiita e veem o Irã como uma fonte de financiamento e apoio.

      – A Arábia Saudita nunca foi um Estado-nação como o Irã, mas sim uma confederação de tribos governadas por uma dinastia que constrói a sua legitimidade com base em uma ideologia religiosa peculiar ( Wahabita) e a capacidade de obter consenso graças às receitas do petróleo. As tensões dinásticas, a busca de legitimidade no mundo muçulmano sunita e a necessidade de aparecer “forte” levam a petromonarquia saudita a descarregar suas tensões políticas no nível geopolítico, e por outro lado a procurar um cinturão de segurança garantindo o controle ou influência sobre os países árabes vizinhos. Instrumentos da ação saudita são petrodólares, intervenções militares e propaganda Wahabita, que é dirigida para o componente sunita de países mistos (Iraque, Síria, Iêmen).

      A “armadilha da profundidade”: fator de segurança ou fator de instabilidade ?
      Estados sem extensão significativa em comparação com seus adversários (Paquistão, Alemanha, Irã, Israel), de diferentes barreiras naturais físicas de sua própria vastidão (Rússia) ou até mesmo potencialmente fracos pela forte exposição estratégica … ( NÃO CONSEGUI TRADUZIR 🙂 ) … tanto do lado marítimo quanto terrestre (China), colocaram a profundidade estratégica no centro de sua estratégia, ou em uma lógica ofensiva ou defensiva, ou por pura sobrevivência.

      A lógica pela procura de profundidade estratégica, visto como um dos pilares da estratégia de segurança, soberania, sobrevivência e crescimento, pode se tornar um fator adicional de instabilidade devido à concorrência com potências vizinhas de igual valor, o embate com potências menores, participação em teatros instáveis. A Rússia e a Alemanha muitas vezes acabaram colidindo nas planícies da Europa Oriental; A China deve enfrentar a inquietação de sua fronteira interna no Tibete e no Sinkiang; potências como o Paquistão – ou, em uma dinâmica muito semelhante, a Turquia na Síria em função anti-curdo – eles acabaram por fomentar a instabilidade em suas áreas de profundidade estratégica, a partir de projetos para controlar entidades “fracas” e desestabilizadas para chegar ao fim na amargosa conclusão de ter importado a instabilidade e os conflitos que eles sonhavam exportar como instrumento de hegemonia.

      A intervenção iraniana na Síria e no Iraque tem dois gumes, aliados que a República Islâmica não pode abandonar por razões de profundidade estratégica. O Irã se propoem como fator de segurança contra o terrorismo sectário, mas está envolvido em um conflito prolongado que está a custar vidas humanas, recursos econômicos e desconfiança do mundo sunita.

      Quando a Israel, o dilema da segurança explode na contradição de não poder deixar os territórios ocupados em 1967, tendo que enfrentar a exasperação da população palestina.

      A verdadeira fonte de segurança deve ser tornar-se “infra-estrutura de segurança”, provedores de segurança e proteção para seus aliados, em um plano de respeito das soberanias e numa lógica de desenvolvimento comum. Os casos em que os referidos poderes foram bem sucedidos são todos atribuíveis a essa lógica: considerar os investimentos em infra-estrutura chineses, a capacidade da Rússia de atuar como provedor de segurança na Ásia Central, a capacidade alemã de integrar os países de Europa Oriental em sua própria cadeia de valor industrial.

      Em conclusão, o investimento econômico e o desenvolvimento devem sempre andar de mãos dadas com a lógica militar . Seria simplista sustentar que as relações comerciais desempenham um papel importante em tudo isso; eles não podem evitar todos os conflitos – por exemplo, os laços económicos entre a Rússia e Ucrânia -, mas eles podem ser um verdadeiro facilitador de boas relações: é completamente falso dizer que “pelasas fronteiras por onde passam os bens, então não poderão passar os exércitos” mas pode-se dizer que os conflitos se tornam menos prováveis ​​e a segurança aumenta onde trabalhamos juntos não apenas em termos econômicos, mas também em termos de segurança e onde são valorizadas afinidades culturais e visões estratégicas comuns . Eis como podemos imaginar um novo tipo de profundidade estratégica, não alternativa, mas complementar à primeira, que é aquela dada pelo poder de influência, pela afinidade cultural, política e estratégica e pelos vínculos que podem se originar. Basta pensar nas relações entre os países dos blocos opostos da guerra fria, ou a colaboração russo-chinesa, reforçada pela preocupação comum pela assertividade unilateral dos EUA, e isso apesar da competição entre o Dragão e o Urso pela Ásia Central.

      O caso italiano
      De acordo com a lógica resumida acima, como podemos analisar o caso italiano? A Itália é registrável na lista de potências médias, quase sempre fracas,podendo ser atcavel a partir do norte – já por Foscolo os Alpes eram chamados de “mal-vietate” – ou pelo o ex “mare nostrum”, como demonstrado pela história do passado ( em relação ao norte) e das notícias atuais (fluxos migratórios marítimos do sul).

      A Itália tentou lidar com sua “dupla fraqueza” de duas maneiras diferentes, dependendo das fases históricas. Até 1945, pelo lado continental concluiu alianças frágeis com as grandes potências, enquanto do lado maritimo buscando uma própria profundidade estratégica ocupando a costa africana do Mediterrâneo e Balcãs no Adriático. Após o fim da Segunda Guerra Mundial, tentou reconciliar a “fidelidade atlântica”, o europeísmo institucional e as boas relações com o gigante soviético e o mundo árabe. A preeminência francês ainda mais alemã na Europa depois de 1989, a posição cada vez mais desinteressada dos EUA no Mediterrâneo após o fim da Guerra Fria, bem como a instabilidade no mundo árabe não só deixa a Itália na ausência de qualquer profundidade estratégica , mas deixe-a à mercê dos outros interesses e dos acontecimentos mais dramáticos do nosso tempo – pensemos novamente nos fluxos migratórios africanos.

      • A Turquia tem território grande o bastante pra ter profundidade estratégica, a estratégia de Edorgan lancada no final da década passada só tem a “profundidade estratégica” como desculpa, um nome mais bonito e aceitável, pars seus planos de reconstruir o império otomano.

        • É simples sim, se vc tiver uma mentalidade certa e souber fazer links com as situações apresentadas, é claro considerando que vc tenha a informação disponível.

          • Percebo Agnelo, o pior não é nem a análise simplória, pois devagar com tempo coletamos mais informações e a nossa análise dos acontecimentos vai melhorando. O pior é a ausência da análise, desinteresse completo pelos fatos, focalizar apenas em argumentos paixonais, capciosos, ideológicos… De utilidade nenhuma , talvez só para a torcida e propaganda .

            “_RR_ 29 de junho de 2018 at 9:24
            Excelente texto!”
            Também gostei “RR “. Abs

            Augusto L, para mim infelizmente não é sempre simples , eu por exemplo não tinha focado que as áreas de atuação do Irã poderia ‘”sufocar ” os sauditas. Por isso gostei da sugestão apontada pelo Agnelo , despertou o meu interesse. É algo mais que óbvio, agora , olhando o mapa , mas só tornou-se óbvio depois que alguém me deu a dica de como observar o mapa.

    • Caro Agnelo os sauditas não estão conseguindo sequer deter totalmente o abastecimento de armas iranianas para os houthis (que estão a mais de 1000 km da costa iraniana) como é que você acha que a marinha saudita que é diminuta vai conseguir bloquear quase 2000 km de litoral iraniano ?? Fora que as águas do Golfo Pérsico estão coalhadas de mini submarinos Ghadir, de lanchas lança mísseis e lança torpedos aos milhares, fora uma artilharia de costa com mísseis com mais de 300 km de alcance !!

      • CRSOV, não é com certeza uma tarefa fácil para os sauditas, conhecemos a incompetência deles , que diga-se de passagem para mim subtraindo o poder dos petrodólares e seus poderosos aliados é uma pseudo nação muito inferior ao Irã , o qual não fosse pelo regime teocrático seria uma nação com um potencial infinitamente superior, seja pela própria história, cultura e estrutura econômica.
        Não é necessário bloquear toda a costa, seria muito mais simples fechar o estreito de Ormuz para causar um relevante para a economia persa. Sem contar que britânicos e estadunidense estão por la …

        • Thiago fechar o estreito de Ormuz para os iranianos sem uma autorização da ONU que creio não autorizará isso seria uma declaração de guerra fora que as forças armadas do Iran fariam tiro ao pato nos navios sauditas com os milhares de mísseis anti navio que eles tem os milhares de barcos suicidas e armados com torpedos e mísseis fora que os pontos de escoamento do petróleo saudita estão dentro do alcance dos mísseis iranianos !! No final a economia mundial sofreria um grande baque por conta da subida estratosférica do barril de petróleo !!

          • É justamente para o caso de guerra entre os dois.
            A AS tem grande capacidade de projetar poder sobre o estreito de Ormuz.
            É só precisa disso, para sufocar consideravelmente o Irã.

  25. Fronteira de Israel??? Você sabia que até hoje Israel não declarou fronteiras fixas? Sabe porquê? Porque a intenção óbvia deles é de tomar conto de toda a Palestina.
    E espero que você não esteja defendendo o homicídio qualificado de dúzias de palestinos desarmados, muitos deles crianças, até mesmo uma enfermeira, por franco atiradores israelenses.
    Coitadinhos dos judeus. Vamos, corram e peguem o filme Schindler’s List. Nāo esqueçam de trazer uma caixa de lenços também.
    No que se trata da matança indiscriminada de mulheres e crianças, a nação judaica ganha sem questão.
    Operação Chumbo Fundido – ocorrida entre 27 de dezembro de 2008 e 18 de janeiro de 2009. Na ocasião 1,4 mil palestinos, em sua grande maioria civis, foram mortos. O soldados – frise-se, eles próprios israelenses – denunciaram as ordens que receberam para o uso brutal da força militar e não distinção entre combatentes e civis. Mais: a ausência total de restrições para atirar.

    https://istoe.com.br/12045_O+TERROR+DA+OPERACAO+CHUMBO+FUNDIDO+/

    Família de bebê palestino queimado vivo leva Israel à Justiça

    http://m.jc.ne10.uol.com.br/amp/canal/mundo/internacional/noticia/2017/05/08/familia-de-bebe-palestino-queimado-vivo-leva-israel-a-justica-282316.php

    Líbano: há 30 anos acontecia o massacre dos palestinos em Sabra e Chatila

    http://g1.globo.com/mundo/noticia/2012/09/libano-ha-30-anos-acontecia-o-massacre-dos-palestinos-em-sabra-e-chatila.html

    https://oglobo.globo.com/mundo/onu-ue-pedem-investigacao-independente-sobre-mortes-em-gaza-22543414?versao=amp

    E, para terminar, nem os Estados Unidos escaparam…

    https://youtu.be/kjOH1XMAwZA

    https://www.wrmea.org/1992-july/the-lavon-affair-when-israel-firebombed-u.s.-installations.html

    • João,
      Se Israel lhe parece mais cruel que os palestinos e os palestinos lhes parecem vítimas inocentes é porque o mais poderoso sempre se mostra assim. Não seja ingênuo de achar que a crueldade é uma característica impar dos judeus israelenses que você irá se decepcionar.
      Voltando ao tópico, se os palestinos estivessem em posição de superioridade frente ao israelenses você aí sim teria uma visão clara do que é crueldade. Se eles, os islâmicos, se odeiam entre si por conta de quem foi o legítimo sucessor do Profeta, e se matam e se explodem aos milhares, imagine o que eles não fariam com Israel.
      Nesses tempos em que vivemos, impregnado pelo Marxismo Cultural, arma da esquerda para a conquista de seus objetivos político/partidários, temos a tendência de sempre ficar do lado do que nos parece o mais fraco, o oprimido, e contra o opressor malvado e explorador. Natural!
      Você só replica o comportamento de manada que o pensador coletivo determinou. A culpa não é sua!
      *Me admira muito um brasileiro se chocar com a pretensa crueldade israelense frente a um inimigo mortal declarado tendo em vista o quanto o brasileiro é cruel, covarde e desumano com seu compatriota.

    • Moita, respeito a sua opinião. Como eu disse antes, não tenho dúvidas que há excesso por parte de Israel, as notícias divulgadas nos seus links mostram em parte isso. Eu só penso que devemos calibrar isso e ver que há erros dos dois lados, condutas erradas dos dois lados. Abraço.

  26. Alô moderação, alguns comentários por aqui estão um câncer ideológico. É cada ataque de comentarista sobre outro comentarista, isso estraga muito o espaço dos comentários.

    Sobre a matéria: Mas que prejuízo. O navio de guerra citado, era de que porte?

  27. Eu não entendi!!
    O artigo é o famoso “morde e assopra”. Completamente fora de contexto e claramente parcial, o que é um caminho curto para ser mentiroso.
    Por um lado cita que a AS está levando uma cossa dos iemenitas e por outro diz que uma ofensiva saudita pode vitimar 11 milhões de crianças iemenitas e matar 250 mil pessoas.
    Cheguem a uma conclusão aí porque tá difícil de entender o que tá acontecendo.
    Na verdade não faço a mínima ideia do que tá acontecendo lá e nem tô interessado. Essa questão é entre os filhos de Alá e eles que se virem com Ele.
    PS: Eu sou criticado por meter o pitaco em toda questão técnica sobre armamentos mas por outro lado eu fico abismado do tanto de gente que entende perfeitamente a geopolítica daquela região , os fatores culturais e históricos, o islamismo e claramente toma partido por um ou outro lado com a maior naturalidade de estar dominando completamente o assunto e claramente do lado justo da contenda. É realmente impressionante: https://www.youtube.com/watch?v=WBX3iG-Q1hw

    • Eu confesso que fiquei surpreso com as improvisações do Yemen em termos de mísseis, usando peças de material norte-coreano, chinês e cia que foi vendido para o Yemen nos anos 90. Além da ajuda iraniana, a qual os Sauditas parecem ser incapazes de bloquear. Os caras conseguem se virar com pouca coisa.

      Segundo a Al Jazira fizeram um drone capaz de carregar 30 kg de explosivo e fizeram ataques com mísseis balísticos. Isso me soa um tanto poderoso demais para uma guerrilha sem apoio interno.

      Mas concordo que não dá para dizer que tem mocinho nessa história.
      https://warisboring.com/making-sense-of-the-missile-mess-in-yemen/

  28. Se acham essa noticia falsa por ser de um jornal iraniano tem videos a rodo no YouTube e facebook e sem contar em vários outros sites pra se ver na internet.
    E pessoal a rixa entre Arabia Saudita e Irã e bem mais intrínseca que meras questões geopolíticas ou estratégicas é uma rixa com quase 1500 anos entre as duas maiores divisões Islâmicas, Xiismo e Sunismo que tem por sua vez seus maiores representantes esses dois países e o Iemen por sua vez tem a quinta maior população Xiita, mais como sempre a religião e usada apenas como objeto de manobra nas mão de homens vis, sejam os Aiatolás iranianos ou pela corja de príncipes Sauditas, e muito dessa rivalidade e inflamada por países e instituições ocidentais de se tentar “ocidentalizar” o oriente médio sem levar em conta a cultura e moldes de sociedade completamente diferentes do ocidente.

  29. E que diferença de valores em que armas de alguns milhões são destruídas por armas de alguns milhares, essa semana passada vi vários videos de helicópteros Turcos alguns Super Cobra, T-129 e BH sendo abatidos como moscas por alguns Iglas disparados por curdos no norte da Síria, armas de 15, 30 milhões abatidos por armas de 70, 100 mil dólares, e no Iêmen parecia ser um Tow ou um Kornet abatendo um helicóptero Saudita.

  30. Tanques sauditas sendo destruídos, Kornet e Konkurs(Tosan versão iraniana) se mostrando efetivo.
    https://www.youtube.com/watch?v=B1yTb3vF35M
    https://www.youtube.com/watch?v=FAmox1E_6bs
    F-15 sauditas sendo abatido:
    https://www.youtube.com/watch?v=fzsbG4WX2R8
    https://www.youtube.com/watch?v=4Vb7UoJ4U1k
    Por baixo tem mais de 1000 videos desse conflito no Youtube então essa teoria de alguns que o numero e manipulado e furada os sauditas estão tendo perdas pesadas para os Houthis é não e manipulação iraniana ou sputinice, tem vários outros videos mostrando aviões sendo abatidos, helicópteros, colunas blindadas inteiras sendo destruídas além de mercenários e o exercito saudita dando no pé e largando ao estilo egípcio todo armamento pesado pra trás e sendo queimados por uns tiozinho muito loucos de saia e sandália.
    Um vídeo educativo sobre o Kornet que tem sido um dos principais killers de Abrams e outros blindados no Iêmen:
    https://www.youtube.com/watch?v=RUJSaeE3EKY

  31. Eu quero saber que arma é aquela no topo do m113 destruído.
    .
    Iemenitas mortos de fome dando surra nos bem-equipados sauditas ? Nenhum iemenita morreu ? Esquisito isso.
    .
    O que tem Israel a ver com o tópico ?

    • “O que tem Israel a ver com o tópico ?”

      Eu também gostaria de saber.

      O que eu sei e que de uma maneira geral está bem claro aqui no FORTE, é que mesmo que o assunto em discussão não tenha relação com Israel, não perdem a oportunidade de propositadamente e ostensivamente forçar a barra e colocar Israel no meio do assunto.

      Ninguém é obrigado a achar que as ações que Israel toma estão certas , todos temos nossas opiniões e devemos expressá-las, mas existe uma grande diferença entre expressar uma opinião de forma embasada em fatos reais e expressar opiniões no achismo e/ou baseada no sentimento pessoal.

      Ocorre que há muita ignorância (falta de conhecimento do assunto) por parte da grande maioria que comenta aqui no blog sobre Israel e sobre o conflito Israel-Palestino e então começam a surgir posts absurdos e totalmente fora da realidade daquele país e/ou conflito.

      Para começar a entender o que acontece hoje naquela região , é preciso começar a ver o que aconteceu por lá há pelo menos 3.000 anos atrás.

      Não adianta , por exemplo , pegar uma reportagem feita hoje, sobre um embate qualquer que tenha ocorrido por lá, formar a sua opinião apenas com esta informação e sair metendo o pau em Israel ou nos Palestinos em função disso.

      Um exemplo recente do que estou falando e do que foi postado aqui :

      ” …..e sempre que Israel fizer algo que eu julgue errado, eu irei atacar com muito prazer, goste você ou não, Israel não é suprassumo da moral e da ética para não poder ser criticado, e eu estou pouco me lixando para esse negócio de “povo escolhido”.”

      O cara , sem nenhum fundamento e conhecimento, apenas destilou um ódio gratuito, misturou religião com política, não escreveu nada de concreto e útil , deixando muito clara a sua ignorância no assunto.

      Outro exemplo :

      “Fronteira de Israel??? Você sabia que até hoje Israel não declarou fronteiras fixas? Sabe porquê? Porque a intenção óbvia deles é de tomar conto de toda a Palestina.”

      Outro :

      “Se Israel, ficasse em “paz” com os Palestinos e saísse do território deles ……..”

      Mais Um :

      “Os terroristas da palestina…
      São os israelenses.”

      E por ai vai.

      • “O que tem Israel a ver com o tópico ?”

        Pergunte ao Tireless ele é quem primeiro cita Israel no tópico, trazendo o assunto à discussão.

        • MK48

          Igual o comentarista RADUGA escreveu, quem sempre cita Israel, Iran, Russia e China em todas as postagens é o HMS TIRELLES, msmo qndo o assunto nada tem a ver com esses países.

          • É sempre ele que gosta de criar caos nos comentários e atiçar esses outros malucos que não perdem a chance de tumultuar ainda mais pronto falei.

    • Amigo Delfim!
      Oficialmente nas ultimas 2 semanas foram declarados (sem contar baixas entre civis) mais 50 combatentes mortos.Entre eles – 8 membros da Hezbollah do Líbano..
      Principais baixas foram devido aos bombardeios e combates no oeste do porto.
      As baixas foram grandes nos últimos meses e os rebeldes anunciaram a mobilização entre os tribos.
      Um grande abraço!

      • Se os rebeldes estão mobilizando as tribos é porque a despeito da pública e notória incompetência saudita as baixas entre eles devem estar muito elevadas.

        • Seria impossível a ofensiva Saudita não produzir baixas entre os Houthis. Os Sauditas estariam no nível de mira dos Stormtroppers de Guerra nas Estrelas.

        • Ou , sem desconsiderar o teor das baixas , o porto é muito importante para rebelião.Afinal , temos muitas e muitas provas das baixas entre “coalizão dos trapalhões”. E tem pouco ou nada do outro lado.As informações dobre baixas dos rebeldes vem pingando..
          Alem disso. Boa parte do exercito de Saleh desertou da coalizão (junto com ex-presidente) e mudou do lado dando HOJE a posição de rebeldes para o lado … oposto! Junto com Emirates, Sauditas, mercenários de Sudão e outros no meio temos uma agonia e principio de colapso.Detalhe : os desertores passaram a informação sobre posicionamento e ate coordenadas dos coitados “coalas desesperadas”. Dai uma ótima e otimista estatística das baixas após ataques com mísseis primitivos como clones de Scud D e similares.
          Um grande abraço!

  32. Me parece que as estratégias das guerras mudaram, na segunda guerra Mundial o que se via era a Alemanha, Japão e Itália fazendo invazoes com seus exércitos e apoiados pelo ar e mar, e conseguia dominar seus adversários lógico que isso foi no começo da querra mas funciona. E agora porque não funciona com a Arábia Saudita, EUA não funcionou no Afeganistão, não funciona na Síria e não funcionaria na Coreia do norte. Arábia saudita tem um exército e força aérea bem mais modernos que os Iêmenitas, não consegue fazer uma invasão pelas fronteiras terrestres. Para que eles gastam tanto dinheiro em armas para não fazer uma grande invasão igual nas praias da Normandia.

    • Há muitas diferenças.
      Os meios militares são mais letais, pesados e consomem mais.
      Os exércitos são menores, pq são mais caros de se manter.
      Vc podia destruir tudo pela frente. A população morria, as cidades eram inteiramente destruídas e por aí vai.
      Os terrenos são diferentes
      A política internacional é outra.
      As relações comerciais, influenciaras pela política internacional, são diferentes.

  33. O pensamento da esquerda determina aos seus ativistas que eles devem escolher lados. Mesmo numa terra distante lá no forevis do Judas agente aqui do Brasil fica escolhendo o lado.
    No processo um esquerdista usa apenas um fator para justificar sua escolha: qual lado é mais alinhada com Washington ou Israel?
    E porque esses países? Porque eles representam o poder do capital sobre o trabalhador coitadinho explorado. Não interessa que na China haja 1 bilhão vivendo abaixo da linha de pobreza ganhando uma miséria. A China não é “emblemática” e esse povo vive de culto à personalidade e de “signos”. Quem emblematicamente é o corruptor dos desvalidos é os EUA e nada vai mudar isso na cabeça de um esquerdista.
    Determinado quem é alinhado à Washington a fase seguinte é se posicionar automaticamente contra o infeliz e pinçar tudo de ruim que ele tem e tudo de mal que ele causou, mesmo que seja há 3000 anos.
    Mesmo que o outro lado esteja historicamente “equivocado” ou seja tão ou mais cruel, não adianta, o fato de se alinhar a Washington já o qualifica como o vilão.
    Um segundo fator é usar o vitimismo. Não tendo como adequar os players no primeiro quesito forçosamente se escolhe o lado do “coitadinho”, do “oprimido”. A esquerda vive de “oprimidos” e “vitimizados” do mesmo jeito que um plantador de tomateiras vive de tomates.
    Há uma necessidade patológica de purificação dos esquerdistas ocidentais. Eles têm que ser punidos por terem tido a sorte de nascerem no Ocidente, democrático e cristão. Se for branco, homem e hétero, pior é. Aí eles viram verdadeiros fanáticos a procura da redenção espiritual.
    *Só pra constar: estou me lixando para a Arábia Saudita e o Iêmen.

    • Bosco

      Nao so os ativistas de esquerda se vitimizam, mas os pró-direita se martirizam como se fossem os “salvadores da patria e da familia”, mas ambos, sao iguais, sao lados opostos da mesma moeda.

      Aqui no blog enche o saco ver essa idolatria populista que acha a Russia e a China como “mocinhos” que vao salvar o mundo do “banqueiro capitalista dominador” que sao os EUA, enquanto la nestes países funcionam uma oligarquia e no outro uma ditadura. Iran e Arabia Saudita entao… nem se fale… sao dois regimes ditatorias que massacram seus proprios povos, quem dira o que fariam com outros povos.

      Mas… tbm enche o saco ver alguns fanaticos fundamentalistas pro-ocidente que destilam odio gratuito qndo alguem questiona atitudes erradas dos EUA ou Israel. Se eles nao concordam com algum comentario contrario aos EUA ou Israel entao o forista logo é taxado de “esquerdopata comunista” e outras cousas mais, msmo qndo o comentario é imparcial e nao focado em ideologias.

      Enquanto isso nobre Bosco, quem ganha sao os politicos corruptos do Brasil que ja conseguiram o intento deles: jogar o povo contra o proprio povo com essa estupidez de esquerda x direita. Ja vi amigos de longa data partirem para as vias de fato por causa disso, e ate parentes brigarem entre si.

      Aqui nao esta sendo diferente.

      Uma simples postagem gera agressao verbal mútua dos dois lados, enquanto isso os comentarios tecnicos sao relegados aos ostracismo.

      • MGNVS,
        Só tem uma diferencinha entre os esquerdopatas e os direitopatas rsrss , estes não odeiam ninguém.
        Nem povos nem governos nem países ou nações. Enquanto claramente os esquerdopatas semeiam o ódio, culpam países distantes por nossos problemas, defendem regimes que pregam que nações sejam extintas.
        E apesar disso tudo posam de patriotas, isentos, humanitários, moralistas.
        Eu por exemplo não odeio chineses, norte-coreanos, russos, iranianos, cubanos, venezuelanos, etc.
        Defendo um lado mas não demonizo ninguém. Somos todos pobres coitados pegando carona nessa nave espacial auto-sustentável chamada Terra indo do nada a lugar nenhum e no meio da viagem inventamos de achar que isso aqui faz algum sentido e tomamos partidos a favor e contra gente mais lele da cuca que a gente.

        • Bosco
          Em relacao aos esquerdopatas eu concordo com vc. Tem gente q acredita cegamente na volta do comunismo no estilo sovietico. Isso nunca vai acontecer. Para o comunismo existir nao pode haver capitalismo, e o capitalismo sempre vai existir. Os q defendem os populistas assistencialistas sao ainda piores, Maduro, Castro e Evo sao um pessimo exemplo.

          Em relacao aos direitopatas pro-ocidente eu concordo q eles nao pregam a destruicao de outros paises e defendem o American Way Life. O problema é q os direitopatas nao aceitam uma opiniao contraria e sem analisar o argumento ja taxam o comentarista de “esquerdopata comunista fumador de maconha” e outras coisas. A pessoa tem todo o direito de defender seu ponto de vista mas sem partir para ofensas e agressoes verbais.

          E isso nao tem nada a ver com vc Bosco. Pois vc é um dos poucos q realmente agrega conteudo tecnico ao blog. Posso nao com algumas opinioes pessoais suas, mas eu as respeito.

          Eu admiro mto a democracia americana e o material tecnologico militar e civil israelense, principalmente na parte de irrigacao e dessanilizaçao da agua do mar, mas nao concordo com algumas atitudes dos Governos deles e isso nao tem nada a ver com o povo ou o regime. Do outro lado eu ja nao tenho admiracao nenhuma pelo Governo Russo e nem Chines, mas admiro o povo russo pela riqueza cultural e natural do país e o chines pela disciplina. Ja o Maduro, Morales, Castro, Hamas, Hezbolah, Governo Saudita e Iraniano, eles sao um cancer para o proprio povo. Esses sim sao perigosos, os populistas e fundamentalistas.

          A unica coisa q realmente esta dxando o blog chato sao os temas fora do topico. Msmo qndo o assunto nao envolve Russia, China, Israel, Iran, EUA, logo vem um comentarista e volta a bater na msma tecla, e por causa disso perdemos os comentarios tecnicos. E tanto o pessoal pro-EUA qnto o pessoal pro-Russia sabem muito sobre o material de defesa, mas se perdem ao entrar nessa briga de torcida.

          Ae numa postagem de 100 comentarios vc aproveita apenas uns 10 que ficam dentro do tema, o resto vira pura e simples discussao ideologica q nao leva a lugar nenhum.

          Tomara q isso mude pq ae fica melhor pra todo mundo.

          • Juro que não entendi esta parte.
            “Para o comunismo existir nao pode haver capitalismo, e o capitalismo sempre vai existir. ”
            Os dois sempre vão coexistir, sempre haverão países capitalistas e comunistas e necessariamente não precisam ser inimigos.

          • Acho que o cerne de toda essa questão relativa aos “ismos” se resume a uma única palavra que é a Liberdade. Acredito que nenhum sistema, seja o “ismo” que for, vai ter qualquer sucesso sem que seja fortemente baseado na liberdade do indivíduo. Liberdade econômica, de pensamento, de expressão, de organização, de ir e vir, etc… o “ismo” que falhar nisso estará fadado ao fracasso total e completo.

    • Bosco, são tempos estranhos aqui neste blog que gosto muito. Há tempos que vejo uma Leve guinada e ultimamente com a reprodução da entrevista do excluído a US army, me fez ter algumas certezas e muitas dúvidas. Já havia lido seu alerta sobre isso em outros post, agora “sinto” com meus próprios olhos. Macacos me mordam.

  34. O Trump e o Putin vão se encontrar, de novo.
    Antecipo parte do diálogo que ambos travarão:
    – E aí cossaco, tudo em cima?
    – Beleza, caubói. Só estou um pouco preocupado com a China.
    – O que houve? Eles estão exigindo mais espaço vital?
    – Não é isso. Espaço eles têm demais. É que deixaram de comprar meu material de defesa e estão construindo eles mesmos.
    – Já eu, estou preocupado com a Coréia.
    – Mas não estão fazendo a paz com a do norte?
    – Mesmo problema teu. Eles estão parando de adquirir meus equipamentos, estão fazendo e até exportando.
    – O mundo está ficando muito perigoso. Os países periféricos começam a querer andar pelas próprias pernas.
    – Ainda bem que temos o Oriente Médio.
    – Disse tudo. Não podemos deixar a situação acalmar ali.
    – Só que estão perdendo muito pouco equipamentos. Precisamos achar um jeito deles aumentarem a destruição.
    – Devemos intervir para resolver este problema. A KGB e a CIA precisam colaborar mais.
    – I agree, business are business. Profit first.
    – Маркс был неправ. бизнес – это бизнес. Прибыль в первую очередь.
    E ambos voltaram para seus países, felizes com mais um acordo de cúpula, onde a paz mundial ficaria assegurada.

  35. Uns dias atras tentei comentar aqui mas o comentário não foi liberado, acho que foi por causa do link
    (OFF) o Governo americano liberou a verba para o US Army integrar mil blindados M1A2 Abrams com o sistema israelense Trophy.

    • Legal, acredito que exigirá uma nova doutrina de atuação, já que os blindados historicamente serviam como proteção à infantaria a pé e isso não é possível a partir da implantação do sistema trophy. Sonho nosso, realidade deles.

      • Errado.
        A infantaria é uma proteção para os CC. Os tanques devem ser protegidos nas distancias curtas e medias servindo como APOIO para infantaria para atingir seus objetivos.
        Os tanques não dominam o espaço. Eles controlam a área para infantaria fazer seu trabalho. Tanques SEM INFANTARIA é um lixo descartável.
        Discorda? Veja as batalhas de 1941 perto de Moscow.Ou Libano , Siria , Yemen …
        Um grande abraço!

        • Scudb, olá amigo. Não falei proteção na infantaria no sentido da tática de combate, disse na forma prática dos soldados utilizarem o blindado como anteparo e proteção contra projéteis, o que faz com que a infantaria ande próximos ao blindado. Como o mestre Bosco explicou abaixo, o sistema trophy pode ser desligado, mas isso, ao meu ver, no nosso caso é com certeza no caso americano, exigirá uma nova doutrina para que os infantes nãos fiquem próximos ao blindado, pois a possibilidade de se ferirem com o sistema é alto.

      • R_Cordeiro,
        O Trophy pode ser desligado em situações que a infantaria esteja próxima. E o US Army tem que desenvolver doutrina para combinar os blindados com os sistemas de proteção ativos com o apoio da infantaria.
        Vale salientar que com ou sem Trophy a explosão da ogiva de um míssil antitanque tem potencial de causar baixas a quem estiver próximo ao tanque.

  36. Ainda não me responderam que arma é aquela no M113 incendiado.
    .
    Não imagino um exército com equipamento moderno sendo derrotado, em um espaço aberto como o deserto, por um monte de barbudos tribais de camelo ao estilo Lawrence da Arábia.
    .
    Algum país engraçadinho está bancando os iemenitas e desconfio de qual seja.

  37. Sem entrar em questões políticas ou ideológicas o que vejo neste conflito é que o elevado custo dos modernos sistemas de armas tende a criar a ilusão que são sistemas que sempre vão vencer e nunca serão destruídos. O que foge a realidade e leva a questão vale a pena gastar dez milhões de dólares em um carro de combate?

    Para tentar manter esta invulnerabilidade cada vez os carros de combate crescem em tamanho, peso e em tecnologia um crescimento sem parar. E nestes conflitos valem a pena, ou é mais viável usar os velhos carros da época soviética T 55 e T 62 que fazem o serviço e são muito mais fáceis de manter e também não custam tanto quando perdidos. Claro que existe o custo da vida humana, mas também é claro que é muito mais caro formar um tripulante de um moderno carro de combate que dos antigos modelos.

    Vejo que este tipo de guerra que se desenrola no sul da península arabica é aquele tipo de guerra sangrenta, demorada, onde as baixas são muitas e que suga recursos. Acredito que a concentração de forças pode ser muito mais decisiva do que a tecnologia neste tipo de conflito, ou seja, mais meios, homens e armas, podem sufocar o inimigo, claro que se aceitando as baixas.

    Outro ponto é que a superioridade aérea saudita é clara, não é aceitável que a força aérea saudita com todas as aeronaves modernas que possui não localize e destrua pelo ar os meios de artilharia de longo alcance iemenitas como mísseis balísticos ou mísseis anti navio. A eliminação destas armas permitirá muito maior segurança seja para a concentração de tropas por terra ou de meios anfíbios.

  38. Aviso aos russófilos: torci pra Rússia!
    Vale salientar que depois do Brasil e da eliminação de Portugal, sou russo desde criancinha.

      • Aí eu ficaria em dúvida! Acho ruim o dono da casa ficar fora das semifinais mas com certeza tenho maior afinidade pelos EUA apesar de nunca ter ido lá e não tenho problema algum em dizer isso. Muito pelo contrário!
        Mas como fomos muito bem recebidos na Rússia e como gosto da maneira como ela preserva suas tradições e sua cultura e não se deixa levar pelo lero-lero dos esquerdopatas russófilos politicamente corretos, acho que entre uma hipotética partida de futebol entre a Rússia e os EUA nessa Copa na Rússia eu torceria para a Rússia.
        Você com certeza não tem esse bom senso e deve torcer para quem o pensador coletivo determina. Que pena! Você não sabe como é bom ter opinião própria!

        • Estava torcendo para que Espanha e Argentina não fossem campeãs.
          Se o Brasil ganhar vou comemorar, mas, sem muito entusiasmo. Mais do que torcer à favor eu prefiro ser do contra e tenho minhas próprias convicções.

  39. Mais uma FakeNews globalista com esses números ridículos para um grupo de rebeldes despreparados e o intuito é de denegrir a arabia saudita e por opinião publica mundial contra eles falando de possíveis civis mortos(so faltou colocar o numero EXATO de crianças, gravidas, idosos e cachorrinhos que morreram no futuro por causa da malvada arabia saudita), alias, pra isso funciona essas mídias globalistas para mentir descaradamente e tentar assim forçar governos fracos a voltarem atras em suas acoes e ate se submeterem a ele.
    Essa guerra assim como a da iria so estamos ainda acontecendo porque exitem dinheiro globalista para manter rebeldes e terroristas combatendo com o intuito de que mais tempo durar o conflito mais imigrantes islâmicos eles colocam a força na Europa com desculpa humanitária, mas a italia, polonia e outros estao acordando e se revoltando com essas farsas globalistas e suas politicas inclusivas

    • Ridículo é comentar sem entender da matéria.
      Se trata dos números “minimamente” comprovados. Na realidade a coisa ta mais para desastre mesmo dessa coalizão dos trapalhões. Emirates ja fugiram com rabo entre as pernas. Mercenários de Saleh mudaram de lado. Denegrir os príncipes Sauditas é impossível pois eles mesmo passam em si “excrementos e penas” e correm pelas ruas mostrando sua aptidão.
      Mas culpado é globalismo.Aham…Os houtis estão batendo Sauditas dentro(!!) da Arábia Saudita e culpa é dos globalistas!Isso que eu chamo de ri di cu lo!

      • Scud,
        Mas então se os sauditas estão apanhando feio desse jeito não há perigo de haver massacre de civis pela AS, né?
        Explica aí porque eu não tô entendendo. A AS tá apanhando mas fala o artigo que ela pode fazer um massacre de civis. Ela tá apanhando ou não? Quem apanha não tem condições de promover massacre de ninguém.
        E tô perguntando mesmo porque não entendo nada do que tá acontecendo e nem me interessa. Só de curioso mesmo.
        Só outra pergunta: por que você parece torcer para um dos lados, notadamente o lado apoiado pelos iranianos (xiitas). Você é dos que acreditam que o verdadeiro sucessor de Maomé foi Ali, seu genro? E é esse o lado que os russos apoiam? Os russos também consideram que Ali foi o verdadeiro e legítimo sucessor de Maomé e por isso apoiam o Irã e os xiitas em tudo?

        • Bosco!
          Não tenho duvida que AS e EA&Cia estão apanhando. Ninguem quem acompanha o tema tem. Mas eles podem “massacrar” os civis? Sim , claro! Os barbudinhos da DAESH não executavam e enterravam centenas mesmo apanhando dos russos e aliados? Os alemães não exterminavam milhares e milhares mesmo apanhando da USSR e aliados no final da guerra? Pois então..Uma coisa não impede a outra , infelizmente.AS tem aviões e bombas. E tentando se vingar pode quase(!!) sem problemas atacar as cidades e aldeias com dezenas de milhares de civis indefesos.
          Em relação da outra pergunta posso responder que toda vez quando deparo com wahhabita ou alguém da escola de hambalismo acaba em confusão. Pior disso somente quando aparece algum evangélico por ai e tenta me “converter”. OK. Ao mesmo tempo não tenho problema nenhum conversar e discutir com qq representante xiita, sunita ou ate dervixe de alguma das tariqas (quer saber mais ? Procure livros de G. Gurdjiev 🙂 ).
          Sobre relacionamento da Russia com Irão : com certeza não tem nada a ver com versão primitiva xiita vs sunita. Creio que no momento podemos chamar eles como “aliados situacionais”. Quanto tempo vai durar essa pseudo-aliança só o tempo dirá.
          Um grande abraço!

  40. Voltado ao assunto da matéria,parece que os Sauditas e sua matilha “pediram penico” e chamaram os pé descalço para um acordo.

  41. Onde está as Nações Unidas que até agora não condenou esta guerra? Onde estão as ONGs que só conseguem ver o que ocorre na Síria?

  42. “GLOBALISMO”kkkk,Se eles ajudam os Houtis de verdade,essa hora a manada dos príncipes já estava no chicote. Só com “migalhas” iranianas já dão trabalho.

    • O engraçado é que a “elite”, o “filé mignon” iraniano está apanhando mais que mala velha das IDFs na Síria. Ontem mesmo um depósito de munições recém estabelecido foi destruído….

      • Os sauditas estão apanhando pra caramba. Vi a maioria dos vídeos a nunca vi tanta incompetência, amadorismo e descaso numa guerra.

    • Esquece essa de que os iranianos estão financiando a guerra. Já foi revelado dito pelos próprios americanos que estas notícias foram exageradas por motivos políticos.

      “Despite repeated ROYG accusations of
      Tehran’s material and financial support to the Houthi rebels
      in Sa’ada and increasingly belligerent media exchanges
      between Yemen and Iran, Iranian influence in Yemen has thus
      far been limited to informal religious ties between Yemeni
      and Iranian scholars and negligible Iranian investment in the
      energy and development sectors. While Iran has good
      strategic reasons to involve itself in Yemeni affairs –
      including Yemen’s proximity to Saudi Arabia and the presence
      of a large Zaydi Shiite population ) the only visible
      Iranian involvement remains the Iranian media’s proxy battle
      with Saudi and Yemeni outlets over support for the Houthis.(…)”
      Classified By: Ambassador Stephen Seche for reasons 1.4(b) and (d).

      Al Masirah é uma mídia Houthi, não esperem a pura verdade através deles. Contudo, é justo notar que eles falaram em 332 equipamentos militares, não em veículos. Erro nas traduções?

      É bastante claro para quem quer observar com certa parcimônia que a Arábia Saudita não está se envolvendo diretamente no conflito, pelo menos não no chão. Faz mais ou menos o que a Russia na Síria. Se não consegue os mesmos resultados se deve mais ao fato das diferenças sócio-políticas.

  43. Eu acredito no apoio iraniano aos iemenitas.
    Muito mais valioso que conquistar Jerusalém é conquistar Meca e Medina. Os xiitas passariam à frente no mundo islâmico.
    Penso se o apoio iraniano na Síria não é uma distração, que a AS seja o verdadeiro alvo.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here