Home Exército Brasileiro 1º BFv e ABPF avivam Memória Ferroviária

1º BFv e ABPF avivam Memória Ferroviária

1870
17

Lages (SC) – 1º Batalhão Ferroviário (1º BFv), participou nos dias 11, 12, 15, 18 e 19 de agosto, em parceria com a Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF) e a Prefeitura de Lages (SC), de um evento que teve por finalidade a preservação da Memória Ferroviária. Durante esses dias aconteceram passeios de Maria Fumaça e exposição do Espaço Cultural Museu Ferroviário, nas dependências da Estação Ferroviária de Lages.

A Maria Fumaça, raramente vista pela população, desperta interesse até nos mais experientes, pois é símbolo de uma época em que ainda se utilizava esse meio de transporte entre as cidades. As crianças ficaram encantadas com a oportunidade de conhecer a magia do trem, ouvir seu apito e o barulho característico e desfrutar do passeio.

O deslocamento da Maria Fumaça ocorreu da Estação Ferroviária de Lages, até a Estação Ferroviária de Escurinho, localidade de Coxília Rica, distante 36 quilômetros de Lages, pela Ferrovia do Tronco Principal Sul, que foi construída pela Engenharia Militar e inaugurada em dezembro de 1968.

A exposição do Museu Ferroviário trouxe um pouco da memória dos antigos ferroviários e seus feitos durante a construção do Tronco Principal Sul.

No museu, localizado no 1º Batalhão Ferroviário (1º BFv), foram expostos vídeos, banners e peças utilizadas durante a construção da ferrovia.

Para o 1º BFv, poder levar ao público externo um pouco de sua história, que foi construída em sua maioria por trilhos é muito gratificante. A atividade se torna ainda mais significante neste ano em que a Ferrovia do Tronco Principal Sul completa 50 anos de existência, assim como a junção dos trilhos que vieram do norte, com os trilhos que partiram do sul, unindo-se no dia 28 de dezembro de 1968, em local situado no Vale do Rio Pelotas, 45 quilômetros ao sul de Lages.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

Subscribe
Notify of
guest
17 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alex Nogueira
Alex Nogueira
2 anos atrás

Muito linda essa maria fumaça, espero um dia dar uma volta em uma dessas, uma pena que o modal ferroviário foi deixado de lado no Brasil… assim como quase tudo que é bom para a infraestrutura do país…

Aldo Ghisolfi
2 anos atrás

BOM DIA!
Que falta que nos faz a incrementação e otimização do transporte ferroviário.
P.ex., para irmos de Pelotas para Porto Alegre é preciso tansitar por metade do Estado.
Qtos milhões de reais seriam economizados em custo de manutenção de rodovias e consumo de combustivel derivado do petróleo.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Aldo Ghisolfi
2 anos atrás

Imagine, o porto de Rio Grande ligando-se a capital? seja para cargas, seja para passageiros? imagine praticamente todas as capitais ligadas por via ferroviária? st4

Pedro Rocha
Pedro Rocha
2 anos atrás

Olá senhores! O grande problema do transporte ferroviário é sua viabilidade econômica! O custo de construção e principalmente de manutenção torna inviável se comparado com o transporte rodoviário! O caminhão torna-se lucrativo com 1/3 da carga algo que não acontece com o trem! Ferrovias e cabotagem devem ser concentradas em linhas tronco! Outra coisa impeditiva é que nosso modelo ferroviário é engessado para ser publico. Em tempo o caminhão vai para a porta da fazenda / deposito / fabriqueta.

Diego K
Diego K
Reply to  Pedro Rocha
2 anos atrás

Errado, a implementação do transporte ferroviário é cara mas a manutenção é muito mais barata que a do rodoviário.

Rafael_PP
Rafael_PP
Reply to  Pedro Rocha
2 anos atrás

Tocou em um ponto crucial Pedro, a legislação ferroviária é extremamente antiquada, principalmente no que tange à posse/propriedade dos equipamentos ligados à operação. É difícil achar um investidor com este modelo. Ademais, a União padece de um problema crônico em gerir concessões, isso quando consegue conceder algo…

Lucas Schmitt
2 anos atrás

Minha cidade natal, já andei muitas e muitas vezes por esses trilhos rsrsrsrrs. Gostaria de saber qual o papel do batalhão ferroviário? Transportar blindados por via férrea? Eles se deslocam até RS e lá embarcam os blindados?

Agnelo
Agnelo
Reply to  Lucas Schmitt
2 anos atrás

Os batalhões ferroviários são Batalhões de Engenharia de Construção que também tem a capacidade de realizar o trabalho em linhas ferroviárias.

Jonemir Kramer
Jonemir Kramer
Reply to  Lucas Schmitt
2 anos atrás

O 1º Batalhão Ferroviário de Lages construiu todo o tronco sul da linha férrea da antiga RFFSA. É um batalhão de engenharia de construção do Exército como outro qualquer, mas guarda esta designação por motivos históricos/tradição. Alguns anos atrás ele passou a chamar-se 10 BEC, (Btl Eng Const) porém voltou a designação antiga por tradição.

Juscelino S. Noronha.
Juscelino S. Noronha.
2 anos atrás

Já era pra ter ferrovias aqui no Brasil ligando Norte Sul, Leste Oeste do País, com enormes e velozes trens-bala (risos). Sonhei, mas sonhar não custa nada. Como seria lindo.

João Adaime
João Adaime
2 anos atrás

Hoje, num debate num canal de cabo, foi dito que pra deixar o Brasil com uma estrutura de transporte de primeiro mundo (todos os modais), é necessário um investimento de um trilhão de reais. Isso mesmo, um trilhão.
E como ressaltou um economista que comentava, como os recursos são poucos, deve-se começar pelo mais importante e ir aos poucos. Concordo com ele.
Mas lembro que no Brasil político só se interessa por “obras” que rendam muito mais do que os tradicionais 10% e que possam ser inauguradas ainda dentro da sua gestão.

Bravox
Bravox
2 anos atrás

Eu moro perto dessa ferrovia, todo dia essa Maria apitando muito bonito .
(Todos os dias lotado de gente passeando muito bom)

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 anos atrás

Concordando com a importância de todos os modais, construir aeroportos é bem mais barato que construir rodovias/ferrovias. Temos 5300 municípios, e em torno de 275 aeroportos. Sendo que podemos chamar de “aeroporto” menos de 50. Os demais não passam de pistas de pouso pavimentadas (curtas e estreitas). O GF, por meio da “INFRAZERO” é incapaz de melhorar esse cenário (e qualquer outro), e algumas concessões não deram certo (Viracopos), graças, fundamentalmente, à corrupção.

sergio ribamar ferreira
2 anos atrás

Agilidade e logística são fundamentais para o uso de tropas que deverão ( em caso de conflito ) deslocarem-se de um ponto sul ao norte em 24 horas. Para isso faz-se necessário uso do transporte aeronáutico e um excelente fluxo do rodoviário. O transporte fluvial faz-se presente centro- sul e parte da região norte. Transporte ferroviário interligado para grandes cargas a serem transportadas via aviões cargueiros. Conceito na antiguidade,(estradas-via Ápia, Roma; ligando todo o Império) no século XX o general Eisenhauer atravessou os EUA em caminhões para mais tarde, quando presidente implementar grandes rodovias. Logística é tudo. Precisamos de tropas… Read more »

Rafael M. F.
Rafael M. F.
2 anos atrás

Uma Mallet 2-6-6-2 completamente restaurada! Ela tava abandonada A ABPF faz um trabalho excepcional tendo em vista os parcos recursos que possui.

Aqui tem os dados dela e uma foto antes da restauração:

http://www.abpfsc.com.br/locomotiva204.htm

Jonemir Kramer
Jonemir Kramer
2 anos atrás

O 1º Batalhão Ferroviário de Lages construiu todo o tronco sul da linha férrea da antiga RFFSA. É um batalhão de engenharia de construção do Exército como outro qualquer, mas guarda esta designação por motivos históricos/tradição. Alguns anos atrás ele passou a chamar-se 10 BEC, (Btl Eng Const) porém voltou a designação antiga por tradição.

João Francisco
João Francisco
2 anos atrás

Quem gosta de trens e história acessem o site abaixo e comprem os livros sobre trens, ferrovias e locomotivas do Brasil. Eu adquiri vários, as matérias estão em português e inglês, são livros de qualidade e ricamente ilustrados, imperdível!!!!
http://www.trem.org.br/