Home Adestramento Cadetes da AMAN executam tiro real com morteiro de 81 mm

Cadetes da AMAN executam tiro real com morteiro de 81 mm

2583
7

Rio de Janeiro (RJ) – Entre os dias 12 e 13 de setembro de 2018, o 2º Ano do Curso de Infantaria da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) realizou importantes instruções para a forja do combatente de Sampaio.

No Campo de Instrução da AMAN, os cadetes executaram o tiro de fração nível Grupo de Combate e o tiro real do morteiro 81 mm. As instruções possibilitaram que os cadetes entendessem as formas de emprego em combate de um Pelotão de Fuzileiros, unindo os conceitos do apoio de fogo e do fogo e movimento.

Na oportunidade, os cadetes ocuparam posições defensivas e realizaram fogos longínquos, defensivos aproximados e de proteção final da área de defesa avançada de um Pelotão de Fuzileiros. Também foi executado um assalto nível GC a uma posição defensiva na crista militar de uma elevação.

Já na jornada de instrução com o morteiro 81mm, os cadetes se revezaram nas funções atinentes à linha de fogo, central de tiro e observador avançado, com emprego de granadas auto-explosivas, fumígenas e iluminativas, proporcionando ao Sangue Novo o contato essencial com um dos armamentos mais versáteis da Infantaria.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

7 COMMENTS

  1. Será que compensaria substituir o morteiro 81mm por um 60mm de maior alcance, que apesar de possuir menor poder destrutivo por disparo, pesa menos e permitiria levar mais munição.

    Se me lembro bem os sul-africanos adotaram um 60mm com tubo longo para substituir os seus 81mm no nível companhia.

    Poderia ser uma mudança interessante para unidades de infantaria que combatem essencialmente a pé e contam com pouco suporte de veículos (PQDT, AMV, Selva…).

    • Olha, a granada é gritantemente mais pesada. Dá 3 por um. Se não me trai a memória a granada comum do 81 dá 05 kg ao passo que pesada são 8. Quanto ao transporte, pode ser feito em carrinhos adaptados, ideia que estou tentando fazer chegar no comando. Não so pra o morteiro como pra metralhadora e canhão sem recuo, Um carrinho modular, com duas rodas, e boa adaptação a todo terreno, e que pudesse levar até uns 75 a 80 quilos. mais ou menos como estes que vemos nos mercados sendo usados para trazer mercadorias dos depósitos ou que são usados para descarregar caminhões. Algo em trono de 1,40 ou 1,50 metros de comprimento por 60 m de largura. De alumínio.

      O que tem se visto é aparentemente o contrário, ou seja, o 60 mm está sendo trocado por metralhadoras e o 81 consolidado como morteiro leve.

    • Prezado
      O Mrt 60 q o EB utiliza, se não me falha a memória, tem um alcance bem menor q o 81, q possui alcance de quase 6.000m.
      O Alcance Útil é o dobro do antigo, mas o 81 RO é sinistro de alcance.
      Outro fato legal, é q a calculadora de tiro do Pel Mrt M (q possui 2 ou 3 seções a duas peças de Mrt 81 RO) pode também controlar as Sec Mrt das SU juntos.
      Ou seja, em caso de necessidade, a central de tiro do Btl pode mandar granada de todos os Mrt 81 no alvo.
      E te falo uma coisa. Na AMAN, locaram um ponto no GPS do alvo. Lançaram os dados pra calculadora e a granada do RO caiu exatamente no alvo. Foi NA (no alvo) mesmo! Não por raio de arrebentação.

    • Recce,
      A África do Sul tem um morteiro 60 mm com alcance de mais de 6 km que é o DM82, mas que é quase tão pesado quanto um de 81 mm. Eu não acho que ele tenha potencial de substituir o morteiro de 81 mm. Acho mais lógico o morteiro leve de 60 mm deixar de existir e ser substituído pelo morteiro “comando” de 60 mm, que é aquele sem bipé e com alcance no máximo de 1500/2000 m.
      Aí, haveria apenas 3 tipos de morteiro, um leve, capaz de ser levado por apenas um homem, com uns dois ou três granadas. Um médio, capaz de ser levado por uma equipe. E o pesado, rebocado.
      O que ocorre é que hoje há 4 tipos, um “comando”, dois médios (60 e 81 mm) e um pesado (120 mm).
      Só como exemplo, o M224 de 60 mm do USA pesa 20 kg e coloca uma granada de quase 2 kg a 3500 m. O M252 de 81 mm pesa 40 kg e coloca uma granada de 4 kg a 6000 m. O morteiro comando M4 da África do Sul pesa 7 kg e lança uma granada de 1,6 kg a 2 km.
      Eu acho o morteiro leve de 60 mm meio que sem sentido.
      Com a palavra o Colombelli e o Agnelo.

      • Bosco
        Boa tarde
        O Mrt 60 tem tradição em responder pela maioria das baixas q um Pel Fuz impõe ao inimigo.
        Não sei o quanto o LGr do GC pode diminuir essa influência, mas o alcance é pequeno.
        Eu concordo que deve ter o Leve no Pel, o Médio na SU e o M ou Pesado no Btl.
        Bem empregado é muito preciso e versátil, pelos tipos de Mun.
        Sds

  2. No 13º Batalhão de Infantaria Blindado onde servi por 4 anos existiam na época 4 Morteiros Pesados 107mm na cia de CMDO cada morteiro possuia uma equipe composta por quatro infante; um atirador, municiador , remuniciador e ajudante. Nas Companhias de fuzileiros existiam os morteiros médios 81mm. Agora atualmente os mrt pesados nos BIBS são 120mm.

  3. O Morteiro 60 que o EB usa tem alcance de 2000 metros. O 81 antigo 4000. O novo quase 6000. O 60 pesa 20 kg, o 81 antigo 60 kg e o novo 40kg. o EB também está desenvolvendo um morteiro 60mm novo, Os mais modernos 60 chegam a 4 km de alcance. Esta ad foto é o novo 81

    Eu acho que deveria ser desenvolvido um carrinho para tropas a pé. Até me meti fazer um projeto de um TrUn ( transportador universal) modular para armas e munições, morteiros, canhões ac e metralhadoras. Coisa de quem sabe o que é levar nas costas. O 81 não dá pra levar mais que meia duzia de granadas sem isso a pé.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here