Home Artilharia Exército Brasileiro receberá novo lote de 8 viaturas ASTROS 2020

Exército Brasileiro receberá novo lote de 8 viaturas ASTROS 2020

9607
35
Astros 2020
Astros 2020

No dia 28 de setembro, o Exército Brasileiro receberá um lote de 8 viaturas ASTROS, padrão MK-6, como parte do Programa Estratégico do Exército ASTROS 2020, que visa contribuir com o Objetivo Estratégico do Exército de dissuasão extrarregional, em consonância com a Estratégia Nacional de Defesa aprovada em 2008.

Serão entregues as seguintes viaturas: Unidade Controladora de Fogo (AV-UCF) – 2 unidades; Posto Meteorológico (AV-MET) – 3 unidades; e Oficina Veicular e Eletrônica (AV-OFVE) – 3 unidades. A aquisição irá proporcionar nova capacidade de apoio de fogo à Força Terrestre, que poderá bater alvos com maior precisão e a longa distância.

O Programa ASTROS 2020 contempla, em seu escopo, o desenvolvimento do Míssil Tático de Cruzeiro e do Foguete Guiado, a modernização das viaturas do atual 6º Grupo de Mísseis e Foguetes e a implantação do Forte Santa Bárbara, em Formosa (GO).

A AVIBRAS AEROESPACIAL, empresa estratégica de defesa genuinamente nacional, sediada em São José dos Campos (SP), constitui-se na principal integradora do Programa.

Míssil Tático de Cruzeiro AV-TM 300 na Avibras

Serviço:

  • Cerimônia de entrega de viaturas do Programa Estratégico do Exército ASTROS 2020.
  • Data: 28 de setembro de 2018 (sexta-feira).
  • Horário: 10:00 horas.
  • Local: sede do 6º Grupo de Mísseis e Foguetes, BR 020, Km 7, Zona Rural, Formosa, Goiás.

O evento é aberto ao público e o cadastramento da imprensa ocorrerá no local.

Outras informações podem ser obtidas na Seção de Relações Públicas do Comando Militar do Planalto, telefone (61) 2035 2051 e e-mail: ch5seccmp@cmp.eb.mil.br.

DIVULGAÇÃO: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

Subscribe
Notify of
guest
35 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rui Chapéu
Rui Chapéu
2 anos atrás

Pergunta de um leigo:

Pq esses “caminhões” são blindados?

Pq não usar um normal sem ter blindagem?

Digo isso pq com o uso de armas guiadas eu não sei se faz sentido por blindagem já que com qualquer míssil ou sdb esse veículo e seus tripulantes vão pro saco igual?

E um veículo desse sempre fica na retaguarda, e não na linha de frente onde ele poderia ser alvo de calibres menores como uma Viatura de Infantaria.

Guacamole
Guacamole
Reply to  Rui Chapéu
2 anos atrás

Porque mesmo ficando na retaguarda, um alvo de grande importância desse deve se proteger de pelo menos, pequenos calibres.
Os computadores que coordenam o tiro ali dentro são tão caros quanto o resto do veículo. Danifica-los seria não só um prejuízo mas uma catástrofe pra missão inteira.

Bosco
Bosco
Reply to  Rui Chapéu
2 anos atrás

Rui,
Complementando o “Guaca”, a bateria pode ser alvo de fogo de contrabateria e a blindagem serve para a proteção contra fragmentos e obuses e foguetes.
Mesmo um ataque aéreo utilizando armas não guiadas ou guiadas mas sem orientação terminal (por exemplo: JDAM, SDB, etc) a blindagem protege contra os estilhaços de bombas, submunições e foguetes.
E ainda tem os meios inimigos que podem adentrar sorrateiramente na retaguarda (além dos aviões de ataque e caças) , como snipers, comandos e helicópteros de ataque (canhões e foguetes).

Eduardo Oliveira
Reply to  Bosco
2 anos atrás

E ele é anti-mina

cwb
cwb
2 anos atrás

Rui:
Como leigo acho que a blindagem é para proteger os ocupantes de alguma ação de frações de tropas do inimigo,apesar desse tipo de artilharia ficar bem na retaguarda.
Se estiver errado fica para os espertos da trilogia corrigir e nos brindar com seu conhecimento.
Abraço

Renato Vieira
Renato Vieira
2 anos atrás

Nao entendi….para que reforçar na defesa de bases da FAB se o Astros é um sistema de saturação de área e nao para defesa antiaérea?

Jorge Augusto
Jorge Augusto
2 anos atrás

O dia que o ASTROS for um sistema anti aéreo a FAB irá comprar.

Mauricio R.
Reply to  Jorge Augusto
2 anos atrás

O correto é:

“O dia que o ASTROS for um sistema anti aéreo a FAB será entubada a comprar.”

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
2 anos atrás

Como outros já postaram, o Astros não foi feito psra defesa antiaérea.
O Chile é um país que tem suas Bases Aéreas bem defendidas.

SAM
NASAMS Norway SAM system 3
Sistema Mygale France SAM system 2
Anti-aircraft artillery
M163 VADS United States mobile anti-aircraft gun self propeled 44
M167 Vulcan United States towed anti-aircraft gun 66
Oerlikon 35 mm twin cannon Switzerland towed anti-aircraft gun 24
.
.comment image

Felipe Morais
Felipe Morais
2 anos atrás

Fernando, vamos supor que você tem uma empresa que fabrica sandália, pois a população de sua cidade não tem dinheiro pra comprar tênis. Você iria lançar um tênis sabendo não ter demanda, na esperança de ” um dia” a situação financeira da galera de sua cidade melhorar, apenas para explorar outro segmento? A Avibrás estuda seu mercado e o que ele precisa e tem condições de adquirir. O Exército ( e não a FAB) precisa de um sistema de defesa de média altura, mas não tem grana. Só se o objetivo da Avibrás fosse falir, pra lançar um produto que… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Felipe Morais
2 anos atrás

A Engesa pensava igual você e desenvolveu o Osório.

wwolf22
wwolf22
2 anos atrás

alguém sabe dizer se ha estudos para uma viatura Astros 2020 com uma maior capacidade??
Ao invés de ter apenas quatro trezentao para lançamento poderiam ser oito trezentao por carreta…

Eduardo Oliveira
Reply to  wwolf22
2 anos atrás

Não há estudos para isso.

Souto.
Souto.
2 anos atrás

Quantas viaturas lançadoras Mk-3 modernizadas e MK-6 novas ja foram entregues
ao EB?

Eduardo Oliveira
Reply to  Souto.
2 anos atrás

Pq é doutrinário. Não tem nada a ver com estratégia. Mas tem mobilidade para chegar em qualquer lugar do Brasil.

Ivan
Ivan
Reply to  Souto.
2 anos atrás

Souto, . Até onde consegui pesquisar são (ou serão) 2 (dois) Grupos: – 6º Grupo de Mísseis e Foguetes; e – 16º Grupo de Mísseis e Foguetes. Ambos em Formosa, Goiás. . Devem fechar em 6 (seis) baterias. . São 5 (cinco) baterias com material já existente e modernizado, 38 viaturas da série Astros II MK-3, assim distribuídas: . » 20 AV-LMU (Lançadora Múltipla Universal); . » 10 AV-RMD (Renunciadora); . » 02 AV-UCF (Unidade de Controle de Fogo); . » 02 AV-MET (Viatura de observação e análise meteorológica); . » 02 AV-OFV (acredito que são veículos oficina); . »… Read more »

Ozzy
Ozzy
Reply to  Ivan
2 anos atrás

Realmente será necessária a aquisição de mais peças para completar as 6 baterias.

CRSOV
CRSOV
2 anos atrás

Que dissuasão extra regional pode oferecer um sistema limitado a apenas 300 km de alcance !! Uma base aérea inimiga localizada a 301 km de distância nem precisaria maiores defesas pois estaria fora do alcance dos mísseis desse sistema Astros !! Fora que dependendo dos aviões que estiverem nessa base inimiga o território brasileiro poderia ser atacado em profundidade !!

Tomcat4.0
Tomcat4.0
2 anos atrás

Faz uma versão terra – ar do AVTM 300 junta com radar Saber M200 e temos um sistema de defesa aérea nacional(e fabrica bastante mesmo) e o mesmo se faz com o ADarter.

FighterBR
FighterBR
Reply to  Tomcat4.0
2 anos atrás

O AV-TM 300 não é manobrável muito menos supersônico. O A-Darter não tem uma versão antiaérea. Será o Iris-T em duas versões antiaéreas

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  FighterBR
2 anos atrás

Fighter, por isso mencionei fazer mesmo, projetar , construir e testar as versões e ou derivações supra citadas se valendo do que já se tem pronto ,do conheçimento adquirido.

FighterBR
FighterBR
2 anos atrás

Esqueça o sistema russo. A Avibras tem seu próprio projeto de sistema antiaéreo

Lucas Schmitt
Reply to  FighterBR
2 anos atrás

Eita projetinho demorado. Acho que estão trabalhando nele a mais de uma década, e até agora só tá no papel.

Jr
Jr
Reply to  Lucas Schmitt
2 anos atrás

Esta no papel porque o possível interessado que seria o EB não tem dinheiro para investir/comprar ele

Mauricio R.
Reply to  Jr
2 anos atrás

E o que é que a Avibras concebeu ou projetou, depois do Astros, que foi pra frente????
A FILA não vale, não é projeto original da Avibras.

Foxtrot
Foxtrot
2 anos atrás

Bom, muito bom, mas ainda acho que o EB deveria adquirir mais uma 42/ 50 novas unidades, completando assim 100 unidades ou mais do Astros, além da aquisição de 3 esquadrões da ANT Falcão para aviação do exército (que já deveria ter membros treinando com o esquadrão Horus da FAB), para aquisição de alvos, análise pós ataque, suporte etc. E ainda falta mostrar as imagens dos testes do MT-300 e SS40-G. Não sei se foi erro, mas li que o MT-300 faria voo cativo em um F-5M da FAB agora em 2018. Seria os ensaios da versão Ar/Solo? Porquê essa… Read more »

Paulo Guerreiro
Paulo Guerreiro
2 anos atrás

Otima aquisição e que venha mais unidades assim que possível tanto para o RB como também para o CFN

e quando o governo puder investir mais teremos nesse chassis um lançador de misseis terra-ar de médio alcance muito bom também porque a avibras é uma empresa de excelência

José Luiz
José Luiz
2 anos atrás

off topic: Para quem puder, oportunidade de ver o tiro ao vivo de artilharia antiaérea do Exército, amanhã na Praia Grande, litoral de São Paulo às 10h00. Dá para ver da faixa da areia.

http://www.atribuna.com.br/noticias/noticias-detalhe/cidades/exercito-realiza-disparos-reais-com-canhoes-e-metralhadoras-em-praia-grande/?cHash=15c9d0678d47ac05991ba28c325da319

Alexandre
Alexandre
2 anos atrás

Pergunta boba, mas sempre tive a curiosidade, se pronuncia astro dois mil e vinte ou astro vinte- vinte?

Eduardo Oliveira
Reply to  Alexandre
2 anos atrás

Astros vinte vinte. Detalhe: Não é viatura Astros 2020, é o projeto que chama Astros 2020. As viaturas tem seus nomes próprios, conforme sua especificação.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Eduardo Oliveira
2 anos atrás

Obg pela informação Eduardo Oliveira.

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
2 anos atrás

kkkkk
Isso ai !! “Facinho” assim !!
Compra dos russos… manda os “brucutu” desmontar… e passa as peças na maquina de Xérox !!
Incrível como o papel e fórum de defesa aceitam tudo !!

Ricardo
Ricardo
2 anos atrás

Pois bem turma. Temos uma arma de saturação, quem sabe par defender a costa litoral (improvisado).
Mas como eles são defendidos?
Digo, não temos caças para defender área, nem defesa anti aérea, em uma crise com a Venezuela (hipoteticamente) nossa saturação passaria a defesa anti aérea deles? e o que defenderia nossos 2020 de um ataque, reduzindo a nada nossa única arma de combate?
Se alguém puder dizer, agradeço por aprender um pouco mais.

sergio ribamar ferreira
2 anos atrás

comentei noutro post que mísseis SideWinder(chaparral ou outro…) poderiam ser uma boa alternativa como defesa antiaérea por ter um custo benefício baixo. Plataformas tem de sobra, porém não podemos ter uma grande quantidade visto que mísseis possuem tempo de validade como qualquer outro tipo de armamento. Um quantidade a ser empregada em tempo hábil e desenvolver “sem Interrupções” uma nova versão, médio e posteriormente longo alcance.(Ex: piranha, a qual não foi em frente). Temos de levar em conta se as forças armadas comprariam o míssil visto que para indústria de defesa o primeiro cliente deveria ser o próprio MD. E… Read more »

Mf
Mf
2 anos atrás

Até 2020 serão 38 lançadores, todos no mesmo nível, capazes de lançar o missel guiado de 300km e o foguete guiado de 40km de alcance. Os fuzileiros navais possuem 6 lançadores também aptos, totalizando 44 e regionalmente são sim um importante meio de dissuasão, nenhum país latino possui algo com essa capacidade muito menos fabricados nacionalmente. Povo só sabe criticar… O EB já tem estudos com a Avibras para o missel de 500km, e parece que não é muito difícil ampliar o alcance para isso, o problema é que esta versão não poderia ser exportada, só usada internamente, demandando garantia… Read more »