Home Adestramento Corpo de Fuzileiros Navais realiza Operação Formosa 2018

Corpo de Fuzileiros Navais realiza Operação Formosa 2018

4443
51

De 21 de setembro a 03 de outubro de 2018, a Força de Fuzileiros da Esquadra (FFE) realizou o exercício ADEST FER II, mais conhecido como “Operação Formosa”, no Campo de Instrução de Formosa (CIF), pertencente ao Exército Brasileiro, em Goiás. Considerado o maior adestramento da Marinha do Brasil no Planalto Central, o propósito da operação é manter as condições de pronto emprego dos militares da FFE, particularmente da Força de Emprego Rápido (FER).

O exercício reveste-se de grande importância para o Corpo de Fuzileiros Navais, que, conforme reconhecido na Estratégia Nacional de Defesa, é uma força de caráter expedicionário por excelência. Assim, a manutenção de sua condição de pronto emprego exige treinamentos em variados ambientes operacionais, tais como áreas litorâneas, áreas urbanas, selva, áreas ribeirinhas e cerrado. Essa condição de prontidão permanente materializa o preparo da Marinha do Brasil para a proteção da “Amazônia Azul”, além de assegurar a capacidade de atuação em todo espectro das operações e ações de Guerra Naval, atividades de Emprego Limitado da Força e Atividades Benignas, conforme previsto na Doutrina Militar Naval.

A Operação Formosa 2018 envolveu cerca de 1.600 militares e contou com a participação de Fuzileiros Navais de Marinhas Amigas, tais como Estados Unidos da América e Paraguai. O exercício envolveu o emprego de aeronaves, veículos blindados, carros lagarta anfíbios (CLAnf), mísseis superfície-ar (MSA), aeronaves remotamente pilotadas (ARP), obuseiros de artilharia e lançadores múltiplos de foguetes ASTROS. Todos os armamentos e sistemas de armas utilizaram munição real.

No dia 03 de outubro, ocorreu uma Demonstração Operativa (DemOp) que simulou de forma didática a realização de uma Operação Anfíbia. A DemOp teve o propósito de apresentar ao público uma síntese das principais atividades realizadas pelos Fuzileiros Navais. Participaram do evento o Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira, o Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, Almirante de Esquadra Ademir Sobrinho, autoridades da Marinha do Brasil, Exército Brasileiro e da Força Aérea Brasileira, além de membros da imprensa, Sociedade Amigos da Marinha, e da Associação de Veteranos do Corpo de Fuzileiros Navais.

FONTE: Marinha do Brasil

51 COMMENTS

  1. Gostaria de saber qual é a colaboração do Paraguai e do Equador neste exercício, visto que os mesmos não possuem meios e/ou experiência no assunto.

    • Como bem disse o Piloto, a moral é mandar “recados”. Operações psicológicas e dissuasão. A melhor arma é a que não precisa ser usada pelo respeito que impõe

    • Piloto e Colombelli, obrigado pelas respostas.

      Também achei interessante o CFN ter treinado em Formosa, apesar de certamente ter requerido uma logística forte para levar os CLANFS até lá .

      • MK48, o deslocamento é parte do treinamento, ja que o CFN é força expedicionária por excelência. Outrossim, para desdobramento completo da brigada é preciso um campo de instrução grande. Tem Formosa e Saicã que poderiam ser usados. O campo da ESA em Minas é pequeno, ainda que usado para alguns exercícios do CFN.

  2. O lançamento de foguetes pelo Astros é sempre impressionante !!!
    É isso ae, doutrina/prontidão/adestramento/qualificação e aperfeiçoamento são essenciais .

    • Falando em foguetes e marines, viram que o F-35B “guiou” o foguete HIMARS deles no alvo?

      O F-35B nem precisa estar armado pra causar danos no inimigo.

      Será que esses foguetes do Astros poderão ter essa capacidade também?

  3. Os mísseis superfície-ar são foguetes de festa junina.. Huehuhehuhe

    Brincadeiras à parte, quais sistemas de defesa aérea poderiam ser utilizados pelos fuzileiros? Tor M2 ou o Pantsir?

    • Defensor,
      Os FN já usam o canhão 40L70 e o míssil Mistral.
      Um veículo modular, leve, armado com o míssil Mistral, uma ponto 50, um míssil anticarro e capacidade de lançar foguetes guiados seria muito interessante.
      Se quiser expandir ainda mais o leque de armas para um raio acima de 10 km eu preferiria um sistema modular montado em caminhão (VL-MICA, Spyder, etc.) e não um veículo AA autônomo.

      • Vlw Bosco, eu esqueci de mencionar o Rapid Fire 40 mm, que além de ser usado contra alvos aéreos, pode ser usado também contra tropas no terreno.

  4. Prezados: De 10 notícias sobre Marinha que leio, “chuto” que 8 delas envolvem a localidade do Rio de Janeiro, principalmente com relação a posicionamento de tropas e equipamentos… Pergunta de leigo: não estaria a Marinha muito concentrada em um só ponto do País de dimensões continentais como o Brasil? (quero estar enganado nessa impressão)… Grato pelas opiniões/informações que eventualmente derem.

    • Prezado
      Mesmo sendo da terra, vou me aventurar a respondê-lo.
      Nossas principais (com grande diferença mesmo) LCM saem do Sudeste e Nordeste, sendo o Sudeste preponderante. Além das riquezas do petróleo.
      Num ideal utópico, acredito q deveríamos ter não só nesses dois locais uma força.
      Num ideal utópico pelo $$, deveríamos ter nos dois lugares.
      Mas só podemos ter no Sudeste.
      Sds

      • Mas como tanto os fuzileiros como a brigada pqd são forças expedicionárias por excelência, sua centralização não impede que possam ser rapidamente deslocadas onde se fizer necessário, vide o recente emprego dos fuzileiros navais em Santos durante a greve dos caminhoneiros.

        • Marcos, no Rio elas não tem local ideal pra treinar. Inclusive se a 9 for mecanizada precisara´de um campo de instrução grande. Os fuzileiros até podem ficar no Rio, mas a PQDT está revista para Goias, e a 9 eu Mandaria pro Tocantins ou Mato Grosso.

        • Antonio,

          O EB tem planos sim para levar toda a Brigada de Inf Pqdt para Goiãnia, onde tb já está a Brigada de forças Especiais. O problema é o custo , mas isso vai acontecer sim. Inclusive o 1 GTT da FAB já foi transferido para Anápolis , onde operará o K-390.

          Não há motivo mais para a sua sede ficar no RJ, antiga capital, onde várias OMs já foram deslocadas para outros locais do país.

  5. Caros editores, li recentemente uma reportagem que é muito interessante sobre o Astros onde inclusive o general-de-brigada R/1 José Júlio Dias Barreto ( gerente do programa Astros 2020 ) cita a questão do alcance do MTC-300: “Importante observar que o míssil adquirido pelo Exército possui alcance muito maior que os 300 km previstos pelo Regime de Controle de Tecnologia de Mísseis (Missile Technology Control Regime – MTCR), pois essa restrição se aplica a exportações do sistema. Os mísseis brasileiros, exclusivos, terão quantos quilômetros de alcance julgarmos necessários para realizar a defesa do Brasil.”

    https://www.infodefensa.com/latam/2018/10/04/noticia-brasil-missil-tatico-cruzeiro-alcance.html

    Não quero causar problemas, caso desejem, podem retirar o link acima, minha intenção é confirmar por uma voz oficial o que várias vezes já se comentou por aqui.
    Abs.

    • a probabilidade de emprego do CFN nos cenários de conflitos mais possiveis é de mais de 90% como força convencional de terra. Por isso e pelo tamanho do campo que pertmite desdobramento é que eles treinam lá

  6. Incrível…..todos os tenentes o qual eu servi em 1997 ja são Capitães de Fragata ou Mar-e-Guerra. Para os ofíciais td é mais rapido e garantido

  7. Vendo o Piranha me lembrei de um episódio nas “invasões” midiáticas das favelas cariocas, onde um veiculo desses ficou preso em uma vala anti carro feita pelos traficantes (Usando funcionários e material das obras do PAC – programa de aceleração do crime/corrupção).

  8. O Corpo de Fuzileiros Navais merecem mais equipamentos . Força de elite sempre presente. Em geral nossas forças Armadas merecem ser bem equipadas. Parabéns àqueles que servem e serviram nas três forças militares e civis. Astros 2020 para CFN Infantaria da FAB e EB, mais uma boa artilharia antiaérea para as três Forças. Parabéns!

  9. Meio-off
    Alguém viu a lei PLN 27/18? Nela detalha o que será gasto no ano que vem e tem um item bem interessante na pesquise 13DB. Parece que o EB terá uns brinquedos novos….e nacionais além dos Guaranis (90)…

  10. Achei interessante a informação na página citada: 90 Guaranis por R$ 413.000.000.
    Dá uma idéia do preço do bicho. Acho que o armamento não foi contemplado.
    O CFN deveria comprar alguns, apesar de ter o Piranha.

  11. Vejo que esse treinamento em formosa meio estranho,os fuzileiros deveriam ter um área mais costeira,pois a finalidades básica deles é desembarcar na praia é fazer a ponte para que forças do exército assumam a dianteira e penetre no território inimigo.Se for para integrar com forças do exército tudo bem.Eu acho que formoza no centro oeste é um terreno que dificilmente vamos encontrar no mundo salvo uma expedição na africa.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here