Home Armamento Saab e Raytheon demonstrarão munição guiada para o Carl-Gustaf

Saab e Raytheon demonstrarão munição guiada para o Carl-Gustaf

4205
29
Munição guiada para o Carl-Gustaf
Munição guiada para o Carl-Gustaf

A Saab, em colaboração com a Raytheon, recebeu um contrato do Exército dos EUA para demonstrar uma munição guiada para o sistema Carl-Gustaf, com três testes de disparos completos contra alvos representativos de ameaças.

Em 2017, a Saab anunciou sua parceria com a Raytheon para desenvolver novas armas para as forças de infantaria. A nova munição responde a um requerimento do Comando de Operações Especiais dos EUA e foi projetada para aumentar a capacidade do sistema de armas Carl-Gustaf, construído pela Saab, comprovado pelo combate, lançado ao ombro e multi-funções. A nova munição é guiada, o que proporcionará maior precisão contra alvos em movimento.

“Colaborar com a Raytheon, utilizando sua excelência técnica e de produto em combinação com nossas soluções tecnológicas inovadoras, aprimorará os sistemas de armas Carl-Gustaf e AT4, líderes mundiais, com recursos adicionais que aumentarão ainda mais o benefício operacional para o usuário final”, diz Görgen Johansson, vice-presidente sênior e chefe da área de negócios da Saab Dynamics.

“Emparelhado com o sistema de armas de Carl Gustaf, esta nova munição guiada dará às forças desmontadas dos EUA e da coalizão capacidades adicionais de combate às ameaças inimigas no campo de batalha”, diz Kim Ernzen, vice-presidente da Raytheon Land Warfare Systems. “A munição destina-se a permitir que forças terrestres atinjam vários alvos precisamente a distâncias de até 2.000 metros, incluindo alvos em movimento”.

A ogiva avançada da munição é projetada para penetrar blindagens leves, bunkers e estruturas de concreto enquanto diminui os danos colaterais. Com o aumento do alcance, a nova munição oferecerá maior proteção às forças terrestres, permitindo que disparem contra alvos dentro de estruturas ou edifícios.

A Saab atende o mercado global com produtos, serviços e soluções líderes mundiais em defesa militar e segurança civil. A Saab tem operações e funcionários em todos os continentes do mundo. Através de um pensamento inovador, colaborativo e pragmático, a Saab desenvolve, adota e aprimora novas tecnologias para atender às necessidades de mudança dos clientes.

A Raytheon Company, com vendas de US$ 25 bilhões em 2017 e 64.000 funcionários, é líder em tecnologia e inovação especializada em soluções de defesa, governo civil e segurança cibernética. A Raytheon está sediada em Waltham, Massachusetts.

FONTE: Saab

Subscribe
Notify of
guest
29 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Bosco
Bosco
1 ano atrás

Pela forma do “míssil” ele parece ter a cabeça maior que o diâmetro do corpo (provavelmente na casa dos 100 mm) e é dotado de um seeker (provavelmente LSA ou IIR).

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Dei uma olhada e o seeker é laser passivo (sistema de laser semi-ativo).
Uma característica interessante é que o “míssil” poderá ser lançado a partir de espaços confinados.

Groo_sp
Groo_sp
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Mais de 84mm não cabe.

Bosco
Bosco
Reply to  Groo_sp
1 ano atrás

Groop,
A parte de diâmetro ampliada ficaria fora do tubo e ele seria carregado pela boca. Há munições do CG que são assim.comment image

Antonio
Antonio
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Parece que a parte central do corpo da munição, onde estão as aletas, é que é mais estreita. A parte dianteira e a traseira parecem ter o mesmo diâmetro. O ângulo da foto, com a frente mais próxima, pode dar a impressão de diâmetros diferentes. Eu acho que é isso.

Antonio
Antonio
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Em tempo. Se vc perceber, tem 4 aros, dois à frente das aletas centrais e dois atrás. Se a munição ficar toda dentro do dispositivo de disparo, certamente esses aros determinarão o diâmetro máximo da munição.

Dario
Dario
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Bosco, a parte traseira do corpo parece ter o mesmo diâmetro da cabeça. O espaço central deve ser para acomodar as aletas dobráveis.

Bosco
Bosco
Reply to  Dario
1 ano atrás

Pode ser!

Agnelo
Agnelo
1 ano atrás

Show de bola!!!

Gilbert
Gilbert
1 ano atrás

Eu gosto de mais dessa arma pena que não tem nada parecido com isso em airsoft

Rafael
Rafael
Reply to  Gilbert
1 ano atrás

Cara se tivesse algo assim para airsoft ia ser show!!!

Silvio RC
Silvio RC
1 ano atrás

É uma arma fantástica.
Fico na expectativa de uma futura aquisição adicional de CSR 84mm.
Espero que a Força reveja algumas questões doutrinárias e distribua alguns armamentos que são atualmente, de uso exclusivo da infantaria, para as demais armas.
Mas concordo que o CSR 84mm deve ter seu uso restrito a arma base.
Um grande abraço a todos!

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

Breve nestas bandas.

Aquisição do Gal **** H.

AL
AL
Reply to  Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

Caro Carlos Alberto, como está? Recuperado da cirurgia?

To quebrando a cabeça aqui para quebrar seu código, hehehehe. É algum nome que ainda não conheço…

Abraço.

Ronaldo de souza gonçalves
Ronaldo de souza gonçalves
1 ano atrás

O EB deve adquirir algumas centenas desta munição,pois os srs viram o que essas armas fazem no campo de batalha,na síria viu-se o valor do missel antiblindado.Pena que o Brasil tem poucas centenas deste material.Vejo claramente que mesmo nesta crise o Brasil está conseguindo se armar.

marcelo kiyo
marcelo kiyo
1 ano atrás

Mais peso para a Infantaria carregar …
Esses engenheiros pensam que a munição vai sozinha para a batalha sozinha, o equipamento padrão do soldado já está em 40 kg, agora acrescenta mais uns 5 kg nessa munição…..

Mauricio Siqueira
Mauricio Siqueira
Reply to  marcelo kiyo
1 ano atrás

Caro, olha como as forças especiais americanas carregam esse
https://youtu.be/bzrBbvUmJRw

Bosco
Bosco
Reply to  marcelo kiyo
1 ano atrás

Colombelli,
Essa problema será mitigado no futuro pela utilização de “mulas” robótica e pelo exoesqueleto. rsrsss
Enquanto isso leva-se do jeito que dá: https://www.combatreform.org/UT2000.jpg

AL
AL
1 ano atrás

Perdoem-me pelo off topic, mas para dar uma descontraída.

Military & War Fails Compilation

youtube.com/watch?v=kCgvAEnrOdA

Flávio Hnerique
Flávio Hnerique
1 ano atrás

O EB tem o ALAC….(engenharia reversa do Carl Gustav???)

Bosco
Bosco
Reply to  Flávio Hnerique
1 ano atrás

Flávio,
Engenharia reversa do AT-4.

Bosco
Bosco
Reply to  Flávio Hnerique
1 ano atrás

Flavão,
O ALAC é baseado no AT-4.

Bosco
Bosco
1 ano atrás

Só como curiosidade, os americanos tinham até há pouco um CSR pouco conhecido, similar ao Carl Gustaf, o M-67, de 90 mm. Salvo engano foi utilizado até 2014. As atuais armas usadas pelos EUA contra alvos de superfície lançadas apoiadas no ombro são: USA: M-72 LAW de 66 mm (tubo descartável) M-141 de 83 mm (descartável) AT-4 de 84 mm (descartável) M3 “Carl Gustaf” de 84 mm (reutilizável) Míssil Javelin de 127 mm (descartável) – USMC: M-72 LAW de 66 mm (descartável) M-136 (AT-4) de 84 mm (descartável) Mk-153 SMAW de 83 mm (semi-descartável) FGM-172 SRAW Pretador de 140 mm… Read more »

Recce
Recce
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Bosco, o USMC está adotando o Carl Gustav.

Bosco
Bosco
Reply to  Recce
1 ano atrás

Recce,
É mesmo?
Não sabia!!
Valeu!

Recce
Recce
Reply to  Bosco
1 ano atrás
Rafael_PP
Rafael_PP
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Bosco, não se esqueça do projeto do RPG-7 Amerikanski, o MK777 da Airtronic.

Bosco
Bosco
Reply to  Rafael_PP
1 ano atrás

Rafa,
Mas não é usado pelas formas armadas americanas.

Ronaldo de souza gonçalves
Ronaldo de souza gonçalves
1 ano atrás

Para esse problema de peso tem os exoesqueletos,que por aqui não ouço nada é não vi nada a respeito,ou será que vamos recorrer a mulas,ou tração animal de alguma forma.No presente o Brasil deve desenvolver ou comprar algum veiculo leve para as munições,e outros equipamentos.