Home Asas Rotativas Exército dos EUA vai se livrar de todos os seus helicópteros Black...

Exército dos EUA vai se livrar de todos os seus helicópteros Black Hawk UH-60A até 2024

11223
153
Sikorsky UH-60A Black Hawk
Sikorsky UH-60A Black Hawk

Oficiais generais do Exército dos EUA (US Army) disseram ao Subcomitê de Serviços Armados do Senado em 2 de abril que o Serviço vai alienar seus helicópteros UH-60A (Alpha) até 2024.

Em resposta a uma pergunta do senador Richard Blumenthal, o tenente-general Paul Ostrowski, diretor militar principal do secretário assistente do Exército e diretor do Corpo de Aquisições do Exército, disse que o Exército dos EUA planeja se livrar de todas os seus UH-60 modelo A Black Hawks da Guarda Nacional no ano fiscal de 2022 e da força ativa em 2024.

Durante uma audiência no Comitê de Serviços Armados do Senado, o tenente-general Paul Ostrowski também acrescentou que, até 2024, todos os helicópteros modelo Alpha estarão fora das forças ativas também.

O primeiro UH-60A foi aceito pelo US Army em 1978 e entrou em serviço em 1979, quando foi entregue aos componentes de aviação da 101ª e 82ª Divisão Aerotransportada.

O modelo Alpha do Black Hawk tem sido o helicóptero utilitário da linha de frente do Exército dos EUA há 40 anos.

Desde então, o Black Hawk acumulou mais de 9 milhões de horas totais de frota e apoiou soldados em todas as principais operações de contingência executadas pelo Exército, incluindo Granada, Panamá, Iraque, Somália, os Bálcãs, Afeganistão e todo o Oriente Médio.

Hoje, o UH-60 Black Hawk compõe a maior frota de asa rotativa do US Army, com mais de 2.100 aeronaves no inventário atual. Como a produção do modelo H-60M mais atual continua, ao longo dos próximos anos, o Exército irá alienar suas aeronaves UH-60A e L remanescentes, para serem substituídas por 760 UH-60Vs.

“No futuro, a intenção é também converter todas as aeronaves Lima em modelos Victor”, disse Ostrowski. “Entre Mikes e Victors, na década de 2030, teremos feito a transição tanto da ativa quanto da Guarda Nacional para os modelos Victor ou Mike dentro do nosso Exército.”

FONTE: Defence Blog

Subscribe
Notify of
guest
153 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Overandout
Overandout
1 ano atrás

Não faço ideia das condições de conservação desses modelos, mas se forem boas e passíveis de uma modernização seria uma ótima oportunidade. E se vierem falar que é sucata, sim, essa sucata eu quero

Pedro Rocha
Pedro Rocha
Reply to  Overandout
1 ano atrás

Mestre Overandout, saudações! Vou aproveitar que seu comentário está logo no inicio para dar alguns “pitacos”! De forma algum essa seria uma boa aquisição para nossas Forças Armadas, realmente estão no “osso”, pois combateram no Iraque (deserto e quente) Afeganistão (deserto, quente e alto). O modelo “A” tem serias deficiências para operar no clima quente, como está submotorizado em climas quentes opera com capacidade menor de carga e alcance. Se não me engano já se cogita substituir os 4 do EB que operam no CMA. A troca das turbinas foi o maior upgrade do modelo “A” para o “L” e… Read more »

Overandout
Overandout
Reply to  Pedro Rocha
1 ano atrás

Saudações, Pedro! Por favor, amigo está ótimo, deixo o “mestre” para os mais conceituados aqui do fórum hahaha No mais, grato pelas informações

Flanker
Flanker
Reply to  Pedro Rocha
1 ano atrás

Pedro, os H-60 do EB são da versão L e não da A.

Flanker
Flanker
Reply to  Flanker
1 ano atrás

Corrigindo meu post: Como os BH do EB foram entregues em 1997, eu me confundi. Eu pensei que eram H-60L, visto que a versão A foi fabricada até 1989. Mas, procurando melhor, vi que esses helis do EB são S-70A…logo, são equivalentes aos UH-60A do US Army, etc.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
1 ano atrás

Devem estar usados até o osso. São o carro chefe da US Army em se tratando de asas rotativas , mas, quem sabe não teem uns menos detonados e passíveis de modernização pra vender baratinho pro mano do Sul (não esquecer dos Abram’s hein).rs

André Macedo
André Macedo
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Os Abrams iam requerer uma cadeia imensa de logística e manutenção, principalmente da sua turbina, isso tudo pra ficarem extremamente limitados pelo nosso terreno e malha ferroviária/rodoviária, não acho que nossa prioridade pra MBTs seja tanta, embora realmente seja necessário trocar esses Leopard e M60

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  André Macedo
1 ano atrás

Isso, a manutenção , com treino e ferramental, é mole pra turma do Pq R Mnt/5 que tira de letra. Sobre o peso do Abram e o resto dos MBT’s da atualidade, já se discutiu a exaustão.

ALEX TIAGO
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Na minha opinião o único problema seria mudar a doutrina de avanço de campo pelo que eu ouvi os soldados não podem ficar próximo ao carro devido ao calor mas pela acessibilidade e quantidade disponível aliado ao nível tecnológico acho que daria tranquilamente para adotar toda a cavalaria próximo de 400 veículos levando em consideração um estudo para uma unidade no norte do país.

sandro
sandro
Reply to  ALEX TIAGO
1 ano atrás

Isso do calor da turbina e mito. Esta cheio de videos no youtube de soldados próximos ao tanque. Quanto ao peso, tem amigos que comentam se se dar por conta que todos os blindados novos são nessa faixa de peso. Quanto aos Helicópteros, e bem provável que venham alguns sim, ate pq se trantando de sucatas temos coisa bem pior aqui kkkk. Certamente viram modernizados a um preço bem convidativo. Afinal o Tio Sam tem que se livrar disso tudo.

Sidy
Sidy
Reply to  André Macedo
1 ano atrás

André, nossos Leo 1A5 dão baixa a partir de 2027. Provavelmente compraremos MBTs usados, que precisarão ser retrofitados antes de entregues. No meu entendimento, a ´procura por novos MBTs deve estar entre as nossas prioridades, se não quisermos passar um tempo desfalcados.

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

verdade nao podemos esquecer o M1 Abrams que se for mesmo adquirido via FMS viria ja modernizado, com toda sorte de ferramental, equipamentos, manuais e outros meios para facilitar sua manutenção e assim, os RCB poderiam aposentar os M60A3 de vez.

Pablo
Pablo
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Sinceramente prefiro não comprar, seria uma opção temporária e daqui a alguns anos ter que ir ao mercado de novo.

francisco
francisco
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

A médio e longo prazo sai mais caro do que comprar um novo.

Ceip
Ceip
1 ano atrás

As Forças Armadas Brasileiras poderá tirar proveito dessa oportunidade de ouro que surge no mercado.
Algumas centenas será bem vindo para o Brasil.

francisco
francisco
Reply to  Ceip
1 ano atrás

Desde quando recolher lixo é oportunidade de ouro?

Ceip
Ceip
Reply to  francisco
1 ano atrás

Para alguns não serve, mas para outros serve.

Carlos Campos
Carlos Campos
1 ano atrás

Vai ver tenha alguns com vida útil boa ainda, quem sabe o Brasil compre

filipe
filipe
1 ano atrás

Bom par NÓS vamos ter uma frota via FMS, que boa noticia…

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
1 ano atrás

Me dê papai

Paulo Costa
Paulo Costa
1 ano atrás

E Outro dia saiu noticia da retirada metade dos apaches e agora essa noticia …

As constante compras e vendas da industria de defesa deve ajudar muito a economia americana a se manter, por isso tem sempre novas compras e muitos contratos anualmente e deve se isso pra justificar tantos gastos por equipamentos novos.

Por outro lado, o Brasil pode com o tempo e com recursos limitados tentar comprar via FMS três ou quatro dezenas desses helicópteros escolhendo a dedo sempre os melhores para a FAB e para o EB e modernizar se necessário.

Vovozao
Vovozao
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

04/04/19 – quinta-feira, bnoite, porque ao invés de adquirir usados, não compramos os AT-129, da Turquia, Helicópteros muito bem armados, manutenção barata e uma cópia melhorada dos Mangusto Italianos.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Vovozao
1 ano atrás

Tem a questão política tbm Vovozao. E como o helicóptero tem componentes de várias nacionalidades pode dar chabu e ficarmos no prejuízo por embargos aos turcos por parte de alguma destas nações.

Vovozao
Vovozao
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

TOMCAT4.0 – estou levando em consideração, porém, ele é apenas uma cópia licencia do Mangusto Italiano, temos ótimo contato com os Italianos, só que os Turcos custam mais barato que os originais.

Kommander
Kommander
Reply to  Vovozao
1 ano atrás

Vovozão, quando o helicóptero não é made in USA aparece vários motivos para não comprar, agora quando é uma sucata velha vinda dos EUA não tem problema algum, pois aqui a gente gosta de reformar sucata.

sergio ribamar ferreira
Reply to  Kommander
1 ano atrás

Se não vai de italiano, vai de russo…qual é o problema? se for americano também(minhas opiniões). Depende das FFAA e de suas disponibilidades financeiras e acima de tudo negociação, pois é o que falta.

sergio ribamar ferreira
Reply to  sergio ribamar ferreira
1 ano atrás

Grande abraço Sr. Kommander. desculpe a intromissão.

Manoel Jorge Marques Neto
Manoel Jorge Marques Neto
Reply to  Kommander
1 ano atrás

concordo. Na vdd o que deveria fazer é parceria como o FX-2. Fortalecer a industria nacional. Países de vergonha fazem isso.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Vovozao
1 ano atrás

E é superior ao mangusta…

sergio ribamar ferreira
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Sr. Tomcat , a versão italiana seria mais compatível então. e como me referi acima tudo vai depender do preço e… grande abraço.

francisco
francisco
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

E por embargo dos USA não ficamos no prejuízo? quem tomou prejuízo quando o tucano não pode ser vendido para a Venezuela por embargo dos norte-americanos?
Ou seja embargo dos USA pode e é aceitável, da Turquia é chabu.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Vovozao
1 ano atrás

“bnoite, porque ao invés de adquirir usados, não compramos os AT-129, da Turquia, Helicópteros muito bem armados, manutenção barata e uma cópia melhorada dos Mangusto Italianos” . Vovozão, concordo com você, deveríamos ir de T-129 ATAK… É sabido que o EB quer adquirir um lote de 26 Bell AH-1W para implementar doutrina. Bem, se é para iniciar doutrina, por que ao invés de adquirir 26 aeronaves usadas, não adquirem 12 aeronaves turcas novas🤔⁉️ Depois em uma oportunidade futura, adquira mais unidades do helicóptero. Lembrando também que o Brasil assinou um acordo de cooperação na área de energia, tecnologia, defesa entre… Read more »

sergio ribamar ferreira
Reply to  Adriano Madureira
1 ano atrás

Muito bem colocado, concordo. Entretanto: preço, manutenção, custo/benefício. Depende das FFAA. Bem lembrado, esperar para ver. Tomada de decisões. Grande abraço.

nonato
nonato
Reply to  Adriano Madureira
1 ano atrás

Financiar o imperador endorgan?

sergio ribamar ferreira
Reply to  Vovozao
1 ano atrás

Seria uma boa opção, porém a versão italiana não seria melhor? Mesmo assim, válido. Concordo com o sr. Vovozão. apenas uma ressalva: o preço. já o Blac Hawk pode compensar se estiverem em bom estado. Peças e manutenção existem aos milhares. O MI 35 poderia ser uma outra opção, se já foi colocado haverá uma fábrica em Minas para manutenção. Fica a critério das FFAA.

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  Vovozao
1 ano atrás

Vovozao,

O T129 Atak é um helicóptero novo e deve custar assim olhos da cara e apesar de nao saber valor exato, ACho que com o dinheiro para comprar 1 deles daria pra comprar e modernizar 2 ou mais usados
Alem disso, o helicóptero blackhawk-UH-60 é de transporte enquanto o T129 Atak é de ataque então não da para comprar um pelo outro porque sao totalmente diferentes.

francisco
francisco
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Refaça suas contas. Está provado matematicamente que a longo prazo sai mais caro manter um equipamento usado do que adquirir um novo.
Esse pessoal que defende aquisição de usados não se contentou com o FOX (Nae- São Paulo), Só foi despesas e o tal porta aviões acabou indo para o lixo, sem nunca ter funcionado. O mesmo aconteceu com os caças tampões (mirrage)a adquiridos pelo Lula enquanto decidia o FX2- não duraram cinco anos e foram para o lixo.

Claudio Luiz
Claudio Luiz
Reply to  francisco
1 ano atrás

O nome antigo desse NAE era Foch.

Vovozao
Vovozao
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

05/04/19 – sexta-feira, btarde, Sr Paulo Costa, entendi sua postagem, entretanto, segundo postagens anteriores o EB estava adquirindo os aviões ”shefa” (8) para transporte no norte do Brasil, por eles serem mais econômicos, e, que pensavam nos ”cobras” para ataque principalmente na fronteira norte, então coloquei o T129 como de ataque e novo, e, também sabemos que os UH em algumas ocasiões são.usados para ataque, possuem disponibilidade para isso. SDS

Juarez
Juarez
Reply to  Vovozao
1 ano atrás

Porque não tem dinheiro, porque aquele clone de pizza italiana não tem escala de produção e finalmente, se ainda restar vida inteligente no Cavex, estes poucos saberão que comprar helicópteros de ataque, ou absorvente feminino do Erdogam, lá pelas tantas, na primeira fanfarronagem que ele fizer, o EB vai ficar com os Hélis na “chon” e as mulheres em apuros.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Juarez
1 ano atrás

Foi o que eu disse ,com outras palavras, mais acima!!!

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Juarez
1 ano atrás

O T129 é o resultado da integração de aviônicos de alta tecnologia desenvolvidos pela Turquia, aliados à grandes modificações na estrutura e sistemas de armas da comprovada plataforma AgustaWestland A129. Em 22 de junho de 2008, o acordo entre a TUSAS Aerospace Industries (TAI) e a AgustaWestland entrou formalmente em vigor. Sob o acordo, a TAI desenvolveu um computador de missão local, aviônica, sistemas de armas, suítes de autoproteção e os sistemas de orientação montados em capacete. A Tusaş Engine Industries (TEI) fabricará os motores LHTEC CTS800-4N sob licença. Sob o acordo, a Turquia tem direitos totais de marketing e… Read more »

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Os EUA mantém uma produção quase como se estivessem em guerra de maneira constante. Existem cálculos de quantidades necessárias para que as linhas de produção de itens importantes permaneçam sempre operando no mínimo, mas sem parar. O FMS não é realmente bom para a economia americana no sentido pleno(dar lucro), ele na verdade serve para reduzir o gasto. É melhor vender amortizando juros do que não vender e, para manter a máquina rodando e sempre pronta para a guerra, tem que vender, não existe outro jeito. A finada URSS também produzia como se estivesse em guerra até o seu final,… Read more »

Manoel Jorge Marques Neto
Manoel Jorge Marques Neto
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Quem sustenta a economia americana é o seu governo. Ou comprando ou forçando outros governos a comprar. Aqui o Governo quer jogar tudo para iniciativa privada Se quer tanto seguir a linha americana deveria apoiar a industria nacional. Para alguns melhor ajudar a economia nacional…de lá.

Kommander
Kommander
1 ano atrás

Hmmm, cheirinho de sucata. Só esperando pelos “pode mandar que é nosso”.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Kommander
1 ano atrás

Olha a xepa!!!!

Minuteman
Minuteman
Reply to  Kommander
1 ano atrás

Qual a solução espertalhão? Comprar novos com poucos recursos?

francisco
francisco
Reply to  Minuteman
1 ano atrás

Alguém em sã consciência trocaria um carro novo (zero Km) por dois usados?
Carro usado só dá despesas e problemas, na hora em que precisamos dele o bicho falha. Imaginem um avião ou helicoptero de ataque. É colocar a vida dos pilotos em risco.
Lembrem dos aviões comprados pela marinha Skyhawk – chamado aqui de AF-1, só deram despesas e não serviram pra nada, pois já vieram obsoletos.

Alex Nogueira
Alex Nogueira
Reply to  francisco
1 ano atrás

Discordo que usado só da despesas e problemas rsrsrs. Acho que depende muito do cuidado na hora de comprar e de manter… Meu Fiat Palio ELX 1.4 2006/2007 que comprei usado com 142.000km rodados (está agora com quase 190.000km) está firme e forte, funcionando redondinho rsrsrs, nesse meio tempo, só fiz as manutenções necessárias, no tempo indicado trocando as peças desgastadas por peças de boas marcas e de boa procedência em mecânico conhecido e com boas referências na cidade. *Óleo só o recomendado pela montadora 😉 . É um carro que roda todo dia dentro da cidade para trabalho e… Read more »

Alex Nogueira
Alex Nogueira
Reply to  Alex Nogueira
1 ano atrás

Quanto aos A-4 SkyHawk, eu os defendo pois além de serem excelentes aeronaves de combate, trouxeram de volta para a MB a aviação de combate de asa fixa, e sendo todas as unidades planejadas devidamente modernizadas e armadas, de modo que possa utilizar todo o desempenho possível dos sensores, vejo como um ótimo vetor para dar apoio ao CFN, fazer defesa aérea da frota e de bases costeiras, além de interdição marítima de longo alcance.

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
Reply to  Minuteman
1 ano atrás

Que a “xepa” seja dos russos,é isso que ele quer.

Pablo
Pablo
Reply to  Kommander
1 ano atrás

Se tu quiser pode comprar novo e doar para as forças armadas, já que critica tanto, quem sabe tu te mexe e ajuda!!!

Kommander
Kommander
Reply to  Pablo
1 ano atrás

Já não basta eu pagar imposto, agora ainda tenho que doar H60 para as FA? Se as FA gastassem com equipamentos novos metade do que ela gasta com pensões e aposentadorias, com certeza não estariam no estado atual.

Pablo
Pablo
Reply to  Kommander
1 ano atrás

ela gasta com o que pode gastar, com o dinheiro que dispõe, se tu acha ruim vai cobrar em quem tu votou!

Kommander
Kommander
Reply to  Pablo
1 ano atrás

Vou cobrar de quem usa dinheiro público, pois nã pago dezenas de imposto a toa! Agora as FA são blindadas, ninguém mais pode criticar? Se tu gosta de ostentar velharia, problema teu!

Pablo
Pablo
Reply to  Kommander
1 ano atrás

se tu nao gosta vai pra outro lugar! então vai la e cobra ao invés de ficar de mimimi

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Pablo
1 ano atrás

Sabes nada !

sergio ribamar ferreira
Reply to  Kommander
1 ano atrás

Com todo respeito Sr. Kommander. Entendo sua revolta pois também pago impostos, porém sobre aposentadorias e pensões está tudo sendo sanado. Houve leis de 2003 que mudaram as regras e com a reforma novas regras serão ditadas. Acredito que haverá um número maior de praças e oficiais temporários já incluídos no INSS. E os R1 também, mas isso leva tempo. Voltemos ao ponto sobre os melhores heli de ataque. Saudações. e desculpe.

Kommander
Kommander
Reply to  sergio ribamar ferreira
1 ano atrás

Nada, Sérgio. Comentários que venham para somar ao invés de palavras vazias são muito bem vindos.
Sds

Pablo
Pablo
Reply to  Kommander
1 ano atrás

Realmente, comentarios vazios nao servem pra nada!!

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Kommander
1 ano atrás

Esta é a questão ! Certamente em nenhuma outra força armada esta aberração acontece , já que vivem agarrados no saco dos americanos , deviam também querer copia-los em sua previdência militar , procurem saber ,a nossa como a de todas as castas corporativistas desta Republica de Castas Corporativas , não têm similar no mundo , nossas castas vivem no melhor padrão de vida mundial e quando se aposentam , melhoram ainda mais de vida , Coisas do Brasil . Enquanto isso o homem brasileiro que trabalha e produz , Coitado , recebe a mesma resposta que o filho do… Read more »

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Kommander
1 ano atrás

Solução para você é trocar helicóptero russo velho por carne. Ou então comprar helicóptero francês com MGB bichada……

Aí pode né?

Marujo
Marujo
1 ano atrás

A renovação da AR de tubo via FMS caiu no esquecimento. Ninguém mais comenta.

Marujo
Marujo
Reply to  Marujo
1 ano atrás

…da artilharia auto rebocada, quis dizer.

sergio ribamar ferreira
Reply to  Marujo
1 ano atrás

Acredito que não caiu no esquecimento. Esperemos. Boa aquisição seria nesse momento. Concordo. Grande abraço.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 ano atrás

Por um lado….é uma das primeiras versões, da década de 70. Então devem ter sido usados até o osso.
Por outro lado, pelo que eu entendí do texto, não são helis do US ARMY, e sim da Guarda Nacional. Então talvez não sejam tão rodados´´ assim.
Digamos que eles estejam em bom estado e nossas FA´s tenham interesse. Valeria a pena comprar mais Black Hawnks, ou mais Super Cougars?

Renato B.
Renato B.
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

Eu apostaria nos Blackhawks

Kommander
Kommander
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

Os BH com certeza! Mas BH novos ou semi-novos, não essa sucata de 30 anos.

sergio ribamar ferreira
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

De acordo, concordo com o Sr. Wilber. Se for da Guarda nacional, pesquisar não custa. Grande abraço. Sou a favor de ter Heli para diversos propósitos. MI 35, Mangusta Italiano, Black Hawk… Depende das FFAA e do dinheiro e negociação. reitero saudações.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  sergio ribamar ferreira
1 ano atrás

Não custa nada ir lá e dar uma olhada, mesmo que por alto, pra ver o estado dessas células.
Porém, se forem mesmo as primeiras versões da década de 70, mesmo que os americanos nos deem esses helis de graça, é provável que tenhamos que pagar uma boa quantia em modernizações. Aí é a hora de estudar se valerá a pena ou não. Mas isso quem vai decidir são os entendidos do assunto nas nossas FA´s.
Mas eu queria mesmo eram aqueles AH-1Z Viper no EB…

sergio ribamar ferreira
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

De acordo com o Sr. Wilber. Reitero saudações.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
1 ano atrás

A Versão Alpha já está no osso , mas a Lima dá pra fazer uma vistoria e pegar uns 30, sendo 20 para o EB e 10 para a FAB.

Zezão
Zezão
1 ano atrás

Vai se livrar? Quem é o propineiro que escreveu essa pérola aí em cima?

Marcos Andrey
Marcos Andrey
1 ano atrás

Cheirinho de sucata no ar! Nada que uma mão de tinta e uma soldinha qui e ali de jeito!!

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 ano atrás

Certamente estão melhores do que todo os UH-1H que voam pelo mundo.

Veiga 104
Veiga 104
1 ano atrás

Ter dinheiro disponível é muito bom né ? Os caras trocam tudo sem preocupação financeira. Mas falando do Brasil, acredito que alguns seriam úteis nas fronteiras da Amazônia.

sergio ribamar ferreira
Reply to  Veiga 104
1 ano atrás

Perfeito. De acordo com o Sr. Veiga.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
1 ano atrás

É incrível ver aqui neste blog brasileiros ditos patriotas com pires na mão implorando migalhas que possam cair da mesa de jantar do Tio Sam.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Luiz Trindade
1 ano atrás

Cada figura que tem aparecido por aqui $#@#$.

Farroupilha
Farroupilha
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Pois é, uma coleção incrível de figurinhas, e pior quando querem politizar tudo. – Enfim, Helicópteros para a guerra moderna nunca são ruins. E esses são de um ótimo tamanho e de performance já mais que provada. Se o preço deles valer a pena com as reformas que precisarão (se ficar uma pechincha) que comprem o máximo possível. – Vejam a importância deles, exemplos: Numa guerra em que estradas e pontes forma bombardeadas eles são valiosíssimos para transportar feridos, alimentos, remédios, armas etc, entre a população e tropas, entre lugares isolados de transportes sobre rodas. A mesma importância há para… Read more »

sergio ribamar ferreira
Reply to  Farroupilha
1 ano atrás

Disse tudo. perfeito. concordo com o Sr. Farroupillha. São para diferentes serviços e isso é de suma importância. Parabéns. grande abraço.

Minuteman
Minuteman
Reply to  Luiz Trindade
1 ano atrás

Luiz Trindade é outro nick fake news no Toinho Kings.

Bille
Bille
Reply to  Luiz Trindade
1 ano atrás

EB deveria ter 100 desses e a FAB 60/80, todos do modelo M.

Mas os A na faixa ajudava muito.

Fulcrum
Fulcrum
Reply to  Luiz Trindade
1 ano atrás

Muito melhor usar a grana pra fomentar investimento aqui e mesmo que demore uma década pra produzi um “gaviãozinhopreto”, do que financiar bilhões pra pagar ativos esgotados e sem retorno.

Camargoer
Reply to  Fulcrum
1 ano atrás

Ola Fulcrum. Seria uma pena se investissem em um projeto de um helicóptero nacional e depois vendessem a fábrica para alguma multinacional ou estatal estrangeira.

Fulcrum
Fulcrum
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

ouch, é isso mesmo. 👉

Alex Nogueira
Alex Nogueira
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Camargoer são só negócios, faz parte do sistema capitalista.

Os acionistas decidiram fazer a venda e o governo aparentemente também decidiu, então não tem muito o que fazer.

Sempre vai ter quem ache que foi um bom negócio e sempre vai ter quem ache que foi um mal negócio… é impossível agradar a todos.

Camargoer
Reply to  Alex Nogueira
1 ano atrás

Caro Alex. Considerando o interesse estratégico para a defesa de algumas tecnologias, preciso concordar com você que não seria adequado deixa-los nas mãos da agentes privados. Assim, parece adequado desagradar os setores do mercado e criar uma estrutura industrial de defesa estatal cujo objetivo não seja o lucro dos acionistas, mas os interesses do Estado.

Edson Parro
Edson Parro
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Na sua avaliação, após a aquisição da Bombardier pela Airbus, quanto tempo você avalia que a EMBRAER suportaria a concorrência?
Qual governo tentou criar uma estrutura industrial de defesa Estatal?
Parece-me que só Getulinho começou a trilhar nessa direção. Nem mesmo no Governo Militar houve uma “vontade decidida”, a menos da EMBRAER, que parece-me foi mais um ato heroico de uns poucos, do que um verdadeiro plano para estruturar uma base industrial de defesa.
Tenho dúvidas.

Camargoer
Reply to  Edson Parro
1 ano atrás

Caro Edson. Quando o Fulcrum mencionou a opção do governo em um projeto nacional, lembrei haveria o risco de perder todo o investimento caso houvesse uma venda da empresa. Como o Alex lembrou que isso seria uma decisão soberana dos proprietários, o único modo de garantir que essa empresa atendesse aos interesses das forças armadas seria que ela fosse uma estatal. Caso contrário, teremos que vender milhões de toneladas de minério de ferro, soja e sandálias havaianas para adquirir via FMS excedentes dos exército americano. Acho que não haveria dúvidas sobre isso.

Nilo Rodarte
Nilo Rodarte
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

A tese do Camargoer é muito interessante. Realmente seria o desejável o desenvolvimento de tecnologia caseira, mas, pelo menos no campo da defesa militar isso só funciona em uma economia como a americana que é voltada para a defesa e a guerra, com o povo em geral apoiando as forças armadas. No Brasil, do jeito que as coisas são, quem vai investir em um projeto de bilhões para depois as FFAA comprarem 10 ou 20 unidades? Na verdade somente o governo brasileiro pode fazer esse tipo de investimento, porque não espera lucro. Então, dentro da nossa condição econômica e cultural,… Read more »

Edson Parro
Edson Parro
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Pois é Camargoer, parece-me que os excedentes do exército americano, via FMS, não requerem tanto esforço assim.
Aliás, parece que só suco de laranja já bastaria.
Logo, penso que há muitas dúvidas sim. E é sempre agradável discuti-las.
Saudações

Camargoer
Reply to  Edson Parro
1 ano atrás

Caro Edson. Com uma agradável ironia, lembro que o concorrente direto do suco brasileiro (30% do mercado mundial) é a Florida (10%). pertinho da China (8%). O preço do suco concentrado US$ 2,3 mil por ton também não refresca, ao contrario de uma jarra de suco natural fresquinho.

Edson Parro
Edson Parro
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Camargoer SÃO PAULO (Reuters) – As exportações de suco de laranja do Brasil para os Estados Unidos somaram um volume recorde de 306,7 mil toneladas (FCOJ equivalente) entre julho e maio da temporada 2017/18, alta de 86 por cento em relação ao ano mesmo período do ano anterior, ainda sob influência da quebra de safra da Flórida no último ano, informou nesta quinta-feira a CitrusBR. Em faturamento, os embarques do Brasil para os Estados Unidos totalizaram 544,9 milhões de dólares, 80 por cento a mais do que no mesmo intervalo da safra 2016/17. Para FMS, 1/2 bilhão de US$, acho… Read more »

Camargoer
Reply to  Edson Parro
1 ano atrás

Caro Edson. O suco de laranja é uma importante commoditie de exportação, mas representa apenas 1,2% das exportações brasileiras, igual as exportações de ouro. A soja representa 12% das exportações, seguida minério de ferro (9,2% lembrando que a Vale vem sonegando impostos há anos) e então petróleo (7,9%) e açúcar (5,2à %). Mais de um terço das exportações brasileiras são commodities de baixo valor agregado. Existem vários modelos econômicos, como este baseado na exportação de commodities e importação de produtos industrializados defasados. Outro seria de exportador de produtos industrializados de baixa complexidade para países não industrializados. Um terceiro seria o… Read more »

Elton
Elton
Reply to  Alex Nogueira
1 ano atrás

Então compramos os AMX com preço de F16 para uma certa empresa adquirir e desenvolver tecnologia para supostamente fortalecer a indústria aeronáutica nacional e depois de um tempo ser vendida para uma empresa estrangeira e agora vamos repetir tudo de novo com a promessa do Gripen NG

Camargoer
Reply to  Elton
1 ano atrás

Caro Elton. Vejo uma enorme diferença entre uma empresa estrangeira que se instala no Brasil, constrói uma fábrica nova, cria empregos e amplia a produção industrial. Com sorte, ainda colabora com a balança comercial. Por outro lado, tem uma outra situação na qual uma empresa estrangeira (as vezes até uma estatal) adquire uma empresa no Brasil, mantem o mesmo nível de produção ou até fecha alguma coisa para não concorrer com a matriz, e no fim, remete lucros e dividendos para fora. Pior é a matriz estrangeira que adquire uma rede de serviços no Brasil porque nem produção existe. Adquirir… Read more »

Alex Nogueira
Alex Nogueira
Reply to  Elton
1 ano atrás

Elton, épocas diferentes e contextos diferentes…

Camargoer
Reply to  Alex Nogueira
1 ano atrás

Caro Alex. Concordo com você que os contextos são diferentes, mas o Elton apontou questões pertinentes. Creio que não seria adequado fazer uma comparação direta, mas seria imprudente achar que agora vai dar certo.

Alex Nogueira
Alex Nogueira
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Camargoer, parto do pressuposto de que aprenderam lições importantes ao longo do tempo decorrido, sem contar que a sistemática do acordo com a SAAB é bem diferente e de todo modo a Embraer Segurança e Defesa não faz parte do acordo, sem contar que a Boeing de certo já domina toda a tecnologia que adquirimos e muito mais… é mais fácil a Boeing ficar com receio de pegarmos tecnologia deles e trazer para cá.

Camargoer
Reply to  Alex Nogueira
1 ano atrás

Considerando as enormes diferenças da industria aeroespacial e naval, o modelo adotado pela MB para a construção dos submarinos parece ser uma boa alternativa para o fornecimento de equipamentos para o ministério da defesa.

Alex Nogueira
Alex Nogueira
Reply to  Fulcrum
1 ano atrás

Prefiro comprar pronto novo ou usado de prateleira e sair usando do que esperar anos e anos e não ter nada e pior, ficar sem o dinheiro investido.

Dependendo do tipo de vetor, o mercado já está saturado, não compensa desenvolver para comprar poucas unidades… só vale a pena se for um produto de nicho ou que não tenha poucos concorrentes.

Reinventar a roda tendo tanta opção disponível no mercado é queimar dinheiro a toa, a menos que desenvolva algum avanço muito significativo e revolucionário.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Luiz Trindade
1 ano atrás

Esta gente só sabe fazer doação para pagar multa do Zé Dirceu, Genoíno, para passeata Mula Livre…

etc..

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  Luiz Trindade
1 ano atrás

Parabéns grandes patriotas… Continuem assim…

Wilson França
Wilson França
Reply to  Luiz Trindade
1 ano atrás

“Não gosta da sucatinha que eu quero? Então faz uma doação!”
Parabéns pelo nível adulto dos comentários.

Adelino Abath
Adelino Abath
1 ano atrás

Se e para comprar helicópteros usados, tem algo chamado de revitalização e modernização, resolve muito bem, agora que se compre todos, se forem 100 unidades que seja bem vindo, agora para comprar alguns gatos pingados de 20, 30, então deixa por la, prefiro que seja novos.

Delfim
Delfim
1 ano atrás

Podem até dar, mas vão exigir modernização e reparos lá mesmo.

Augusto L
Augusto L
1 ano atrás

Sucata nada , isso ai é helicóptero de macho !

Plinio Jr
Plinio Jr
1 ano atrás

São ótimos helis, mas devem estar o osso, acho difícil encontrar células em bom estado, até porque estas vão continuar em operação com as FA´S americanas….seria interessante retomar as compras via FMS de Black Hamks novos, mesmo em pequenos lotes como a FAB fez no passado

Camargoer
1 ano atrás

Olá Colegas. Qual a diferença entre esses UH60A do exército dos EUA e os S70A do EB? São equivalentes? Considerando que o EB quatro S70A, não seria o caso de manter essa versão em termos logísticos?

MF1
MF1
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

São o mesmo helicóptero. O EB não tem interesse em mais Black Hawk. Já tem quase 100 helicópteros na frota, que estão para serem redistribuídos entre as bases, com uma média de 18-20 helis por esquadrão. Se estuda reduzir o Caracal de 16 para 14, e o foco e num helicóptero puro de ataque e as modernizações dos esquilo e pantera em andamento.

Renato B.
Renato B.
Reply to  MF1
1 ano atrás

Lembro que uma das possibilidades é um híbrido de ataque do Blackhawk, como o Harpia usado pelos colombianos. Ainda mais considerando a frota que já temos, seria uma vantagem em termos de manutenção.

Ok, não é um helicóptero de ataque puro. Mas já é melhor do que temos hoje.

Alex Nogueira
Alex Nogueira
Reply to  Renato B.
1 ano atrás

Precisamos de um upgrade de armamento nos Pantera e Fennec para utilização de mísseis antitanque e emprego geral, podendo ser o Hellfire ou Spike ER em minha opinião.

MF1
MF1
Reply to  MF1
1 ano atrás

Eu li o plano da aviação do EB e não mencionava nada de mais Black Hawk. Na verdade pela quantidade de helis que temos já seria possível um esquadrão com 12 helicópteros em Belém. Você tem 15 em Campo Grande , 12 em Manaus, e todo o resto em Taubaté, sendo que são quase 100 unidades. No plano se prevê a redistribuição de tal modo que cada esquadrão tenha 18-20 helis, mas não há menção a um novo esquadrão no Pará a curto prazo.

Roberto Bozzo
Roberto Bozzo
Reply to  MF1
1 ano atrás

Colombelli, por gentileza, não seria melhor o EB padronizar os helis no H-225 ? Já esta recebendo 16 novos, mais os 4 BH que precisam de substituição, mais o Caracal que deverá ser substituído em pouco tempo também…seriam mais 20 H-225 novos, num plano de recebimento de médio prazo ajudaria na logística, faria o valor de aquisição não ficar tão “pesado” pra força e padronizaria, inclusive, treinamento, manutenção, etc…

E outra noticia, coloquei este linque na reportagem dos Spyder, mas aqui parece ser mais sensato e fica dentro da discussão:

https://www.janes.com/article/87586/laad-2019-rafael-eyes-brazilian-army-helicopters-upgrade

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

O ideal seria elevar a versão do EB em vez de comprar outros helicópteros defasados para padronizar.
De qualquer forma, não sei se o EB precisa e deseja mais Blackhawks.

MF1
MF1
Reply to  Rafael Oliveira
1 ano atrás

Não é impossível, só não há nada oficial nesse sentido. O desejo em 12 helicópteros de ataque puro não sairá barato, acho que é mais prioritário.

MF1
MF1
1 ano atrás

Atualmente temos 4 UH-60A no EB e 16 UH-60L na FAB, além dos 6 Sea Hawk na MB. Estes helicópteros começaram a entrar em serviço nos EUA em 1979. As unidades mais antigas portanto já possuem 40 anos ou algo próximo disso. Não vejo vantagem em adquirir pela idade. Mas talvez os lotes da versão L , se existirem por FMS, ainda valham a pena por não serem tão antigos. A FAB precisaria de mais Black Hawk para ter seus esquadrões completos. São 6 em Manaus, 6 em Santa Maria e apenas 4 em Campo Grande, sendo ideal 10 em… Read more »

r_viegas
r_viegas
Reply to  MF1
1 ano atrás

esse é exatamente o numero que a FAB precisa, o problema é precisamos Blackhawks C-SAR e ai preço e outro

Flanker
Flanker
Reply to  MF1
1 ano atrás

Os Blackhawk do EB são L, e não A.

Fulcrum
Fulcrum
1 ano atrás

Adquiri-lo seria fomentar a industria da manutenção, ou não, quanto mais velho mais horas de inspeção e manutenção. Obviamente não teríamos a permissão pra aprender sobre todo o ferramental necessário, então seria necessário pagar pra a fabricante prestar o serviço terceirizado. Sucata aqui financiando novos investimentos lá na matriz.

Heitor
Heitor
1 ano atrás

Se quiserem desová-los aqui, são bem vindos rsrrs

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

Célula muito usada a preço de banana é complicado…

Mesmo reformando totalmente..

O US Army, vai revitalizar para o M somente os L…

Senão farão isto com os A é porque financeiramente não vale a pena para eles que tem muito dinheiro, imagine para nós..

Deixa passar…

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
1 ano atrás

Na minha unidade possuímos 6, cavalos de guerra potentes e majésticos. Tenho uma estima inigualável por ele.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Joao Moita Jr
1 ano atrás

Tem muitos que acham que a manutenção das turbinas do Abrams é um pesadelo logístico e uma barreira intransponível para a sua adoção. Quero lembrar que essa turbina é derivada de modelo de helicóptero. Iguais aos que se usam aqui no Brasil em todos os lugares. E como fazem? Como qualquer dono do equipamento: recorrer a especialistas. Temos por aqui e dos bons.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 ano atrás

Em toda aquisição fala-se disso, é navio?
Turbina é fora da nossa cadeia logística!
É avião?
Um segundo vetor é fora da nossa cadeia logística!
É MBT?
Se não for alemão é fora da nossa cadeia logística!
Como os outros países fazem eu não sei e entendo que máxima eficiência é ótimo mas tem hora que parece que somos incompetentes mesmo!

Edson Parro
Edson Parro
Reply to  Carlos Gallani
1 ano atrás

Carlos Gallani
Quanto a competência, acredito piamente que não – veja a manutenção feita e a sobrevida alcançada em todos os equipamentos em uso atualmente.
Parece-me que o problema é, apenas e tão somente, o dinheiro.
E creio que não seja “falta de”, mas somente o eventual mau uso e, principalmente, a corrupção!
Assim que houver estas “correções”, a situação deve melhorar muito.
Saudações

Sidy
Sidy
Reply to  Joao Moita Jr
1 ano atrás

Que modelo vocês usam João?

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Sidy
1 ano atrás

UH-60M Mike

MF1
MF1
Reply to  Joao Moita Jr
1 ano atrás

Uma pena pois o intuito da FAB era ter 10 em cada um dos 3 esquadrões , e hoje ficou 6,6 e 4, 16 no total. Lembro de uma notícia de mais 15 mas não foi efetuada a compra de fato, nem dos 3 UH-60M mais modernos também noticiado na trilogia.

João Bosco
João Bosco
1 ano atrás

Não seria uma má ideia negociar com os americanos alguns desses helicópteros, dede que estejam em boa condições. Dá para equipar esquadrões da FAB do EB e até
, quem sabe, da Marinha.

pgusmao
pgusmao
1 ano atrás

Logo estarão voando nos céus do nosso Brasil, tenham certeza!!!

BILL27
BILL27
1 ano atrás

https://twitter.com/ConflictsW/status/1114215056458375168

Lançamento do novo missil de cruzeiro Ucraniano

ScudB
ScudB
Reply to  BILL27
1 ano atrás

A noticia deve ser lida assim : a Ucrânia faz mais um teste de lançamento de mock-up da copia (pirata) de míssil antinavio soviético Kh-35E “Uran”.
Basicamente corrigiram aquela cabrada ridícula devido a um desalinhamento de booster com propulsor principal – TRDD-50. Passaram mais de um ano tentando resolver isso..Grande feito!

Bardini
Bardini
1 ano atrás

Nossa… Fala sério. Pessoal sonhando com isso aí é triste.

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Bardini
1 ano atrás

Por quê? explique

Luiz Floriano Alves
1 ano atrás

Quando visitei um parente, residindo próximo de Washington, Prince George County vi um local onde se recebe e estocam equipamentos militares novos. É incrível de se ver, filas intermináveis de veículos de todas as espécies, ao tempo. Lembro que me ocorreu uma ideia: as forças armadas do Brasil não possuem um décimo daqueles estoques em ação, que dirá em reserva. Quando o mestre Colombelli relata o recebimento de viaturas, quase novas me recordo deste local.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
1 ano atrás

Pega logo umas 40 e trás pra cá!

Peter nine nine
Peter nine nine
1 ano atrás

Tendo em conta que existem 2000 unidades deste aparelho para serem desactivadas, não vejo qual o problema em operar umas 12 e adquirir umas quantas para peças.
Não são sucatas se forem devidamente recuperadas e modernizadas. Claro tudo depende da utilidade que lhes será dada.

Antunes 1980
Antunes 1980
1 ano atrás

Prefiro um Super Puma novo aos Blackhawk usados.
O Brasil já cogitou adquirir helicópteros de transporte Russo Mi-17 e o italiano Aw-139?

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

Antunes, eu diria que as forças brasileiras iriam beneficiar de uma maior padronização, nesse sentido, operar um único heli medio, um único ligeiro e, eventualmente, um único heli pesado…. Nesse sentido, talvez fosse melhor optar pelos helis da helibras do que blackhawks mas…. A salgalhada de meios já está feita portanto… Tanto faz, desde que sejam úteis.

Camargoer
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Ola Peter. Também me parece que o Ministério da Defesa deveria ser mais propositivo quanto a integração das três forças. Por exemplo, integrar os setores de saúde, educação e saúde, padronizar equipamentos, unificar unidades de treinamentos. etc. Lembro apenas que nem os códigos das aeronaves eles padronizaram.

rdx
rdx
1 ano atrás

O EB pretende comprar 12 helicópteros novos para substituir seus UH-60L e Cougar. Espero que o escolhido seja o UH-60M.

Washington Menezes
Washington Menezes
1 ano atrás

A chamada da matéria já diz tudo ” O exercito dos EUA vai se LIVRAR de todos seus …..”

100nick-Elã
100nick-Elã
1 ano atrás

Ei, ei…Galante….está acontecendo a batalha por Trípoli, está sabendo? Vamos falar disso? ou mídia ocidental não fala da Líbia, para não demonstrar toda a podridão, torpeza e depravação das políticas ocidentais?

C. César
C. César
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

Tá esperando o quê para se mudar de mala e cuia para o oriente, M a v? Convite?

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  C. César
1 ano atrás

Mude-se você para um aliado dos EUA, que tal Ucrânia? que tal a própria Líbia? que tal a Colômbia, o ‘Paraíso na Terra’? ou então Israel, vivendo em um bunker.

C. César
C. César
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

Quase todos esses lugares (tirando a Síria do seu amado ditador Al Assad) que vc falou conseguem ser mais seguros ainda que o Brasil e seus 60.000 homicídios anuais, M a v!
Mas pode também ser Canadá, quase toda a Europa, Nova Zelândia, Austrália, Japão, etc, etc, etc,
Agora Coreia do Norte, Cuba e Venezuela que vc tanta adora isso vc não quer ir, não é t r o l l movido a embutido?

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

BOA LEMBRANÇA AMIGO🤔‼️

As forças do Marechal Khalifa Haftar, futuro presidente da Líbia, está prestes a derrubar o governo pró-eurobambi de Tripoli…

Notícias de deserção e de tropas que se bandearam para o lado vencedor, o aeroporto de Tripoli já está nas mãos do Marechal, que já detém todas as fontes de petróleo e de água sobre seu poder,.

Tem o apoio de russos, italianos, egípcios e outros países, além do mais importante: apoio das tribos e dos clãs, pois quem tem o apoio deles, tem a Líbia, de certa forma a democracia funcionou…

Cleber
Cleber
1 ano atrás

Pessoal ! Os EUA em breve vão se ” livrar ” de alguns Apaches também , quem sabe uma dobradinha Black Hawk e Apaches num futuro próximo via FMS .

André Lourenço
1 ano atrás

Se estiverem em bom estado claro que são uma boa opção !!!, inclusive alguns já foram oferecidos para o Brasil.

Temos ele operando em todas as forças, então já sabemos operar e manter.

tadeu54
1 ano atrás

Os EUA já nos ofereceram o modelo usado, junto com vários outros equipamentos, temos que analisar com cuidado, com nossa extensão territorial precisamos muito de aeronaves de asas rotativas, a questão crucial é:
Vale a penas ? Estão em bom estado ? Para dar mais horas/voo a estes helicópteros gastaremos quanto ? Só lembrando que uma das exigências dos EUA é que qualquer manutenção complexa ou upgrade seja feita lá !