Home Exército Brasileiro Exército Brasileiro negocia a compra de veículos blindados 4×4

Exército Brasileiro negocia a compra de veículos blindados 4×4

31544
144
LMV da Iveco

Expectativa é que o contrato seja fechado ainda neste ano, segundo a montadora Iveco, vencedora da concorrência

Por Juliana Estigarribia

São Paulo – O Ministério da Defesa está negociando a compra de um lote de 32 veículos 4×4 blindados para reforçar as missões do Exército. A expectativa da Iveco, vencedora da concorrência para a produção dos veículos, é que o contrato seja assinado em breve.

“Nossa expectativa é fechar o contrato ainda neste ano”, afirma Humberto Spinetti, diretor da ​Iveco Defence Vehicles, em entrevista a EXAME.

A marca foi escolhida para ser a fornecedora da nova Viatura Blindada Multitarefa – Leve sobre Rodas (LMV, na sigla em inglês) do Exército brasileiro. O modelo tem tração nas quatro rodas, ou seja, o sistema de transmissão distribui a força do motor para todas elas igualmente para o veículo ganhar força e aderência em pisos irregulares ou na subida, por exemplo.

De acordo com a Iveco, o LMV foi desenvolvido para operações militares e para o que o Exército chama de “garantia da ordem”, como por exemplo as ações durante a intervenção federal no Rio de Janeiro. Possui, entre outras características, proteção antimina e carrega dois sistemas de armas diferentes (manual ou automático).

Spinetti destaca que o modelo é mais ágil do que os veículos conhecidos popularmente como “tanques”, principalmente por ser mais leve.

O Ministério da Defesa informou em nota que a ação está alinhada “às prioridades estabelecidas pelo plano estratégico do Exército Brasileiro e disponibilidades orçamentárias” e que, após a assinatura do contrato, com previsão para ocorrer neste ano, as primeiras viaturas devem ser recebidas em um prazo de 12 meses.

O LMV está dentro do projeto Guarani, blindado desenvolvido pela Iveco para o Exército brasileiro ainda em 2006. Pelo acordo fechado entre a montadora e o governo federal à época, a empresa é responsável pelo desenvolvimento do veículo, mas a propriedade intelectual é do Exército.

VBTP Guarani
VBTP Guarani

O Guarani é um veículo 6×6 utilizado na infantaria e na cavalaria. Com “aparência” de tanques de guerra, pode transportar 11 pessoas, sendo o piloto, o comandante, o atirador e o restante da tropa. “O Guarani está preparado para três tipos de armas. Tem características de defesa, mesmo”, relata Spinetti.

Para fabricar os blindados, a Iveco investiu mais de 100 milhões de reais em uma planta em Sete Lagoas, Minas Gerais.

A montadora iniciou a produção do modelo Guarani em 2013. Após entregar cerca de 200 unidades para testes do Exército, a Iveco assinou, em 2016, um contrato de 4,7 bilhões de reais até 2040 para o fornecimento de 1260 unidades do Guarani. A capacidade instalada da planta é de 120 unidades por ano e, atualmente, são produzidos, em média, 60 veículos Guarani anualmente.

O executivo da Iveco reforça que, apesar do momento difícil das contas públicas, os contratos para fornecimento de blindados estão no orçamento anual do Ministério da Defesa. “Estamos trabalhando há muitos anos nesse projeto e sempre tivemos discussões muito saudáveis com o Exército brasileiro, nunca sentimos entraves de cunho político.”

FONTE: Exame

144
Deixe um comentário

avatar
39 Comment threads
105 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
72 Comment authors
Francisco HerêsVincenzoCamargoerEveraldo Lameirajose luiz esposito Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
João Augusto
Visitante
João Augusto

Uau! Ele tem tração nas 4 rodas!

nonato
Visitante
nonato

4x 4 muitas picapes de 120 mil são.
Quanto a blindagem básica, acredito não ser muito caro.
Essas viaturas por 1,5 milhão a unidade é um valor absurdo.
Dinheiro jogado fora.
A exploração da indústria de defesa sobre os governos.

Corcel
Visitante

Mais caro que a carro presidencial dos EUA que segundo algumas informações resistem a disparo direto de RPG.

João Augusto
Visitante
João Augusto

E que por dentro é um luxo danado.

João Augusto
Visitante
João Augusto

Tem isso também, nonato, mas eu estava mesmo é ironizando o texto. Tanta informação pra dar sobre um veículo desses e os caras me soltam que é 4×4 e ainda tem a capacidade de explicar o que é 4×4, como se alguém não soubesse (e ainda explicaram de modo equivocado).
P.S.: Sei que não é culpa do site e sim da Exame.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro João; A revista Exame tem um público amplo e na maioria pouco entusiastas sobre Defesa. Talvez esse público precise desse tipo de informação, caso contrário poderiam pensar por que não uma frota de “jimmys” da Suzuki.

Gabriel Oliveira Batista
Visitante
Gabriel Oliveira Batista

Não eram 160?

Gabriel Oliveira Batista
Visitante
Gabriel Oliveira Batista

Esse ano tá complicado com esse contingenciamento,a não ser que isso entre no orçamento do ano que vem.

FERNANDO
Visitante
FERNANDO

Bom!
Só se resume a isso, embora eu ache 32 unidades, muito pouco.
Para iniciar 150 unidades seria o ideal.
Ah, antes que me chamem de comunista, o que é comum aqui no blog, estou bastante impressionado com o Tratado de Livre Comércio com o EFTA é formado pela Suíça, Noruega, Islândia e Liechtenstein.

Gabriel BR
Visitante
Gabriel BR

Eu penso que o ideal seriam 200 unidades no EB, uma vez que dadas as condições naturais e de infraestrutura de muitas regiões de nosso amado Brasil limitam o emprego de viaturas grandes e pesadas…mas acho que vai ficar para depois da reforma da previdência.

Se conseguirmos assinar esse acordo da EFTA esse ano, já estarei muito satisfeito! Antes da UE são prioridades para mim: (1º)EUA,(2º) EFTA,(3º) Coréia do Sul,(4º)Japão,(5º)China e (6º) Israel…visto que esses são mercados sérios e honestos ao contrário do bloco europeu que inventa regulações sobre “curvatura das bananas”.

Daniel Silva
Visitante
Daniel Silva

Pelo que saiu neste site mesmo em 12/2017 a quantidade total prevista é 186, trecho da matéria:
“Um contrato único será colocado para lotes iniciais de 32, 77 e 77 veículos multifuncionais com entregas esperadas entre 2020 e 2023, disse a Diretoria de Fabricação.”
Está dentro do cronograma e quantidades estabelecidas na época.
Fonte:
https://www.forte.jor.br/2017/12/16/exercito-brasileiro-deve-encomendar-veiculos-4×4-em-julho-de-2018/

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Daniel. Provavelmente, se demorar mais algum tempo, serão apenas 16 veículos. Encontrei que o preço de cada um é aproximadamente EUR$ 170 mil (quase R$ 800 mil). Li também que esses veículos estariam no escopo de GLO. Apenas para curiosidade, uma ambulância UTI no padrão usado pelo SAMU custa cerca de R$ 200 mil (as ambulâncias simples custam cerca de R$ 130 mil).

RENATO VARGAS
Visitante
RENATO VARGAS

Quem bom que projetos prioritários não foram descontinuados por causa do orçamento. Torço pelo rearmamento das forças.

Bardini
Visitante
Bardini
Alfredo RCS
Visitante
Alfredo RCS

Se a russia e china continuarem a invadir a America Latina e o G7 não refrear sua ansia por novas “colônias”, nossas proximas encomendas poderão ser muito, mas muito maiores e diversificadas. O Brasil está amadurencendo politicamente, tornando-se ciente da realidade geo-politica que deseja nos desconstruir como naçao e povo.

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

O cara diz isso depois de 4 mandatos do PT e um atual do Bolsonaro, aquele que votou por duas décadas nas políticas econômicas do PT.
Nosso atual governo que cancelou a reforma da previdência militar que pouparia 100b em 10 anos e deu seu jeito de cortar isso pra só 10b.
Nosso atual governo que consegue sujar mais nossa imagem com falas absurdamente insanas à lá Dilma Rousseff do que as próprias queimadas já sujam…
Se o Brasil está reconhecendo a realidade, honestamente, nenhum país do planeta está alheio a ela.

teropode
Visitante

Positivo Fernand , saímos do extremismo da mão grande para entrarmos na era do extremismo boquirroto, espero sinceramente que o indulto coloque pressão a partir de outubro no bozo .

RockShooter
Visitante
RockShooter

Cala a boca Magda!!

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Este tal Fernando saber ler ?Ele afirma coisas como o Bolsonaro diminuiu de 100 bi para 10 Bi de reais a economia da Previdência militar ,onde este cidadão leu isso e se sabe ler . A Reforma ainda não foi concluída , foi entregue ao Congresso , aí ainda Reforma na Previdência Militar estava inclusa , que foi apresentada diretamente de estudos do Ministério da Defesa ao Congresso , quem decidirá não é Bolsonaro, claramente não conhece e tem base de nada que afirma !

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

A Holanda???? Aquele minusculo pais, que deve ser do tamanho da favela da Rocinha no Rio de Janeiro.

Que vergonha.

Raphael
Visitante
Raphael

A Holanda é a metade do estado do Rio, morei por quase 4 anos lá, eles são bem organizados militarmente e bem treinados

Francisco Herês
Visitante
Francisco Herês

Pessoal aqui não sabe mesmo reconhecer um sarcasmo…

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

“ah mas o Brasil não tem dinheiro”
Brasil : 27 bilhões de dólares por ano
Holanda: 10,5 bilhões de dólares

Felipe Morais
Visitante
Felipe Morais

Fernando, antes de fazer essa comparação, você verificou se o gasto com pessoal está dentro do orçamento holandês? E o gasto com GLO? Em quantas GLO’s o exército holandês está envolvido? E as fronteiras? Quantas kms de fronteiras o exército holandês patrulha? E questão de logística? O Exército holandês precisa atravessas territórios equivalentes a vários continentes para cumprir a missão? E esse território, na Holanda, possui as peculiaridades que um território amazônico, por exemplo, possui? E a infraestrutura existente lá é similar à existente aqui? Trens, barcos etc.. O exército de lá presta apoio social a um imensidade de população… Read more »

João Moro
Visitante
João Moro

Uma comparação extremamente limitada. leve em consideração tamanho (m2), se tem que cuidar da maior floresta tropica do mundo, etc…

Salim
Visitante
Salim

Caro João, veja contingente que temos região Norte, sáo 40 k homens juntando as 3 forças, se der isto mesmo. Se VC listar meios e o tamanho, ai sim VC vera tamanho descaso. Com exemplo, França ( sempre eles ) lembraram que tem fronteira Brasil e possuem floresta também. Faça um simulado mental, se eles fizerem uma ponte marítima náo temos como evitar via mar e ar. Eles colocam um exercito e uma forca aérea respeitável em pouco dias.Claro que náo vai acontecer, porem ……… Temos que cobrar eficiência das forças pois gastamos muito e temos muito pouco. Aproveito para… Read more »

João Moro
Visitante
João Moro

Salim, entendo seu ponto de vista e concordo em partes com você mas o que eu queria dizer com o comentário anterior é que só utilizar esses dois dados para concluir e direcionar nossos esforços para aquisição das forças armadas – FA não é prudente. Temos diversos desafios que a Holanda não tem, a nossa constituição e leis exigem determinadas coisas da FA que o da Holanda não exige, etc. Acho que as FAs poderiam ser mais eficientes em seus gastos não também não rejeito a idéia de aumentar os gastos. Nós temos que construir nossas defesas para atender a… Read more »

Salim
Visitante
Salim

Caro João, a disparidade e muito grande, os caras recebem em euro, gastamos mais de 80 % com pessoal, uso Israel pois olho sempre nos melhores. Mais de seiscentos caça ponta, mais de mil merkavas, e por ai vai. Treinam muito, só de combustível e manutenção deve ser uma violencia e tem um gasto equivalente, ate menor que o nosso. A força aérea deles tem 35 k homens, nos setenta mil.

GUPPY
Visitante
GUPPY

Desculpe-me prezado João Moro. Eu quis dar um like e, sem querer, dei um deslike. Por favor desconsidere. O meu dedo escorregou. Sabe como é digitar de celular com um dedo só.

colombelli
Visitante
colombelli

Salim nada é simples assim. Amazônia não é a Libia. E nem a França e Inglaterra se pudessem politicamente teriam condições de manter forças aqui significativas por muito tempo.
Quanto a sua segunda colocação, de fato seria, e tem até blindados, talvez em boas condições, Mas deves lembrar que a IVECO fez um investimento grande aqui com perspectiva de retorno em um determinado tempo que agora será muito distendido. Isso ai ressoa como uma compensação.

Freitas
Visitante
Freitas

Puro despeito !!
Kkkkkkkk
Marruá não serve para nada !

Salim
Visitante
Salim

Caro Colombelli, lembro que o conclamado pelo Mácron foi uma intervenção mundial para resguardar a Amazônia e como VC citou Inglaterra e franca tem uma cabeca de ponte nas guianas.
Quanto a Iveco, não concordo com tot para empresas estrangeiras para produtos existentes na matriz das mesmas, como e este caso e o dos helicópteros h225. O faturamento do grupo fiat/Iveco no Brasil e o maior deles mundialmente, portanto acredito que faltou um pouco de bom senso caso o pretendido foi uma compensação.

MFS
Visitante
MFS

Na verdade são 44 mil, e 157 mil no sudeste, números oficiais do ministério da defesa em 2019

Taso
Visitante
Taso

Verdade, vai precisar de muito mais aqui no Brasil .

Vani Lins
Visitante
Vani Lins

É só tirar as regalias dos palitós carros etc…dos políticos que sobra e muuito é, muuito auto o salário deles tinham é, mais que terceirizar esse bando de corruptos 🤮 👩 🤳 ❣️

teropode
Visitante

Cara esta equação inocente entusiasmou muita gente kkkkk, agora vamos começar a distribuir esta grana na área social .Só com salário de reformados e viúvas o Brasil gasta o equivalente a 40% do que a Holanda gasta com suas FÃs.

Rodrigo_V
Visitante
Rodrigo_V

1300 em 5 versões diferentes, tem verão não blindado provavelmente e portanto bem mais barata.
Seria o Marrua deles.

Han Sollo
Visitante
Han Sollo

Esses 32 serão ótimas viaturas para os comandantes de unidades

Patriot
Visitante
Patriot

Bom

Mauricio R.
Visitante

Conversem com os britânicos, quem sabe eles nos vendam baratinho, eles estão se livrando desse mesmo veículo.

“At end of April 2018 the UK Defence Equipment Sales Authority has put the entire Panther 4×4 fleet up for sale with 395 vehicles available.”

Da página do Iveco LMV na Wikipédia, em inglês.

Gabriel BR
Visitante
Gabriel BR

Dependendo do ano de fabricação pode ser um baita negócio, mas tem que ver se foram fabricados com os requisitos estabelecidos pelo estado maior do EB.

Mauricio R.
Visitante

Isto é um não problema, basta um kit de modificação e pronto; assunto resolvido.

Marcos
Visitante
Marcos

O Antonio não sabe se critica ou se elogia uma compra do EB pq a Rússia também comprou esses veículos..

Se elogiar ele buga, se criticar também. Coitado

Carlos
Visitante
Carlos

Onde Pinga não Seca , Vamos caminhando .
É um ótimo veículo , já Testados e Aprovados e Qualidade , já é uma Grande Vantagem ..
Temos uma longa jornada pela Frente .
Não podemos desanimar .

nonato
Visitante
nonato

1,5 milhão por viatura é jogar dinheiro fora.
É só comprar picape cabine dupla e mandar blindar.
Muito mais barato.

Paulo José Ferreira de Lima
Visitante

Até o final de 2020, teremos quase 50 LMV, no Exército Brasileiro.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Entendo que o orcamento esta’ complicando as coisas. Mas 36 veiculos e’ uma gota de agua no oceano. Chutando….o Brasil precisaria de pelo menos uns 200 veiculos destes. A penuria nas forcas armadas chega a ser humilhante. Afinal de contas o Brasil esta’ entre as dez maiores economias do mundo? Ou nao? Do jeito que esta’, da para concluir que a economia brasileira deves estar entre as 100 maiores do mundo. O Japao passou na frente nos anos sessenta. A Alemanha nos anos 70, Coreia do Sul arrancou no anos 80. A China vem acelerando desde os anos 90. Mas… Read more »

Colombelli
Visitante
Colombelli

Demanda seria 680 pra cavalaria e 72 pra unidades blindadas. Esta aquisição e so figurativa.

Matheus Henrique
Visitante
Matheus Henrique

O Brasil é sim uma das 10 maiores economias do mundo, entretanto amigo, levando em consideração o tamanho do território (consequentemente da máquina estatal) e da população, ser a 9° maior economia do mundo se resume a um PIB per capita de país pobre, o que leva a serviços públicos de país pobre, não sobra dinheiro para investir nas forças armadas como um país desse tamanho precisa.

EduardoSP
Visitante
EduardoSP

De acordo, e sem considerar a má gestão dos recursos alocados ao MD.

Vincenzo
Visitante
Vincenzo

Faltou falar a India.

Marcos
Visitante
Marcos

Pelo que eu lembro, o contrato de 2015/2016 seria 32+32+78

Daniel Silva
Visitante
Daniel Silva

Pelo que saiu neste site mesmo em 12/2017 a quantidade é um pouco maior:
“Um contrato único será colocado para lotes iniciais de 32, 77 e 77 veículos multifuncionais com entregas esperadas entre 2020 e 2023, disse a Diretoria de Fabricação.”
Está dentro do cronograma e quantidades estabelecidas, uma avanço.
https://www.forte.jor.br/2017/12/16/exercito-brasileiro-deve-encomendar-veiculos-4×4-em-julho-de-2018/

Gelson
Visitante
Gelson

Trata-se de uma boa solução para dar proteção à tropa. Agora, 32 veículos para daqui a dois anos!?
O EB deve estar com muita urgência, mesmo!
Acho que os acontecimentos da Amazônia aceleraram um pouco as coisas…só pode!

Paulo José Ferreira de Lima
Visitante

Hoje o Brasil tem 16 LMV, até o final teremos mais 36, no total serão 52 LMV.

Colombelli
Visitante
Colombelli

Fonte não especializada. Numero do guarani errado. E aquisição de LMV que represenra 1/15 das necessidades. Deveriam.priorizar o guarani especialmente o VBR. Vai ficar 2 programas pela metade.

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Nossa fico abismado com a inteligência do diretor regional da Iveco.
Segundo o mesmo, o veículo é mais rápido do que os conhecidos popularmente como os tanques por exemplo.
Por ser mais leve kkkkk daí o motivo de ele ser mais veloz.
É infelizmente irão dar prosseguimento a essa insanidade.
Adeus Guará 4WS, Gladiador II etc.
Ainda querem defender a Amazônia com o que?
Será que a Iveco vai nos vender o veículo quando as potências européias invadirem a Amazônia?
Brasil terra do besteirol e ignorância eterna.

Alfa BR
Visitante
Alfa BR

O Guará 4WS é derivado do Sherpa Light Scout da Renault.

Sim, a francesa Renault…

Eliton
Visitante
Eliton

Não seria o Tupi que é derivado do Sherpa?

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

O Guará 4WS é um projeto nacional derivado dos conhecimentos tirados do envio do Guará I ao Haiti e da possível nacionalização do Shepard.
Tanto que o chassis do mesmo é nacional assim como muitos insumos caro Alfa BR.
Diferente dessa montagem local do LMV .

horatio nelson
Visitante
horatio nelson

kkkkkkkkkkkkkkk like

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Mudando um pouquinho de Assunto. Sábado fui no shopping da cidade onde estava tendo uma “exposição” militar por causa do dia do Soldado (não era nada de mais, só tinha aquela rede que eles usam na selva, uma cozinha novel e um Agrale Marrua) Mas uma coisa que me chamou atenção foi o quão limpo o Marrua estava. Pneus lustrados, suspensão engraxada e pintada de preto bonitinha, pintura brilhando… Parecia que tinha saído da fabrica. Na hora que eu vi isso eu pensei em um Oficial muito estressado pedindo pro recruta limpar o Marrua mais sujo disponível pra mandar ele… Read more »

Agnelo
Visitante
Agnelo

Prezado
Sempre q uma Vtr volta de missão, é limpa.

colombelli
Visitante
colombelli

Vitor, este é o padrão. Não limpar dá punição. É por isso que as VTR do EB duram 40 anos. Não existe outro segmento da administração onde o patrimônio seja melhor manutenido. Mesmo quando está faltando peças e parado é limpo e tem a manutenção rigidamente controlada.

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Não sabia, foi bom saber. obrigado ao Agnelo e Colombelli pela informação

Miklos
Visitante
Miklos

Seria no momento se preparar uma linha de montagem na Iveco para fabricação do Centauro no
Brasil ?
Abs
Miklos

wwolf22
Membro
Famed Member
wwolf22

sera que pega fogo igual ao Marea??

Renato de Mello Machado
Visitante
Renato de Mello Machado

Quem pegava fogo era o Tipo.

Michel Ayoub
Visitante
Michel Ayoub

Pena que extinguiram a ENGESA patrimônio Brasileiro que poderia estar como a EMBRAER construindo nossos próprios equipamentos.
URUTU ,CASCAVEL e outros blindados

Bardini
Visitante
Bardini

FALIU PQ MERECEU!!!!!!!!!!!!!!!!!

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Aleluia, começam a surgir good news pras forças armadas brasileiras. Obrigado por cutucar o governo com sua meninice Macron !!!

Wilson Lobe Junior
Visitante
Wilson Lobe Junior

triste…

Brasileiro da gema
Visitante
Brasileiro da gema

Uma pergunta de leigo….
Será que da para montar aquele sistema do Armadillo T2 com foguetes nesse carro ?

Marcos
Visitante
Marcos

O Armadillo TA-2 foi apresentado em um LMV IVECO (e no humvee também)

Carvalho
Visitante
Carvalho

A aquisição não é figurativa.
É uma insensatez desejar equipar as 3 Brigadas de Cavalaria Mecanizada do Rio Grande do Sul com estes veículos. Deixe elas apoderecerem com os Marruás.
Mas o número adquirido pode equipar uma parte dos RCMec em Mato Grosso.
Também são prioritários os BIMec que já possuem Guarani.
Todo exército que se preze usa veículos desta categoria. Não precisamos adquirir para o recompletamento de todas as unidades, apenas aquelas onde o processo de modernização e reconfiguração dos meios será centrado.
Guarani e LMV pertencem a mesma base fabril. Este acordo não compromete o programa como um todo.

paulop
Visitante
paulop

Carvalho: concordo que a necessidade de equipar as 3 BrigCavMec do CMS não seja tão urgente, aliás, uma dessas brigadas poderia ser extinta e suas unidades mescladas com outras para integralizar as formações. A 4º BrigCavMEc, por ser da Força de Ação Estratégica deve receber mais atenção.
As outras brigadas, poderiam utilizar uma variante mais singela, como o Maruá Blindado: http://www.defesanet.com.br/terrestre/noticia/6883/AGRALE–Lanca-o-MARRUA-Blindado-/

Lembro que a Agrale inscreveu o veiculo na concorrência que escolheu o LMV, mas não decolou.
Aliás, a Agrale, se investisse em uma nova plataforma do Maruá, em versão protegida, com multiplataformas teria um produto show de bola.
Abraço

paulop
Visitante
paulop

Carvalho: creio que uma das BrigCavMec do Sul poderia ser extinta.
E… a Agrale deveria pensar em algo como isso pra atualizar o Maruá: https://www.nimr.ae/products/tactical-mobility/
Abraço

Carvalho
Visitante
Carvalho

Paulo
Uma Bgda CMec possui 54 carros Cascavel.
Se uma brigada fosse extinta, como vc sugere, poderíamos alocar estas vtr na 15 Brigada Inf Mec, formando pelotões CC orgânicos dos Batalhões.
Ia ser uma brigada Strike de respeito.

tomcat4.0
Visitante
tomcat4.0

Paulop, seria uma atualização subindo de nível com louvor. Quem sabe não sejamos surpreendidos num futuro não tão distante.

Carvalho
Visitante
Carvalho

Alías…..diga-se de passagem, esta aquisição é o reconhecimento do Min. Defesa de que não é mais possível empregar Marruás no ambiente de guerra moderno.
Não se desejarmos estar aptos para operações ofensivas ou/e em ambientes onde o inimigo esteja mesclado com população civil.

Carvalho
Visitante
Carvalho

Apenas para deixar claro
O Marruá ainda tem valor em operações defensivas, notadamente em ações de retardamento, onde ele possa escolher o terreno.
Também é util em controle de pontos críticos (pontes, cruzamentos, instalações), onde se possa ocupar posições previamente preparadas e com campos de tiro selecionados.

rdx
Visitante
rdx

O Marruá serve para tarefas administrativas…bem longe da linha de frente.

O Cascavel que é útil em tarefas defensivas.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Com o atual sistema de pontaria, nem o Cascavel é útil em missões defensivas.

Carvalho
Visitante
Carvalho

Em posições defensivas os campos de tiro podem ser selecionados previamente, de maneira que é possível disparar mesmo sem ver o inimigo, como a noite.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

O Iraque fez isso na Guerra do Golfo, há quase 30 anos, e não funcionou. Por que hoje funcionaria?
Lembrando que o Cascavel, parado, tem muita dificuldade para acertar um alvo parado.
Se o alvo estiver em movimento a chance de acerto é ínfima. Quase um milagre.

Carvalho
Visitante
Carvalho

Não funcionou por alguns motivos:
1) Os iraquianos não usaram os Cascavel como ação retardadora ou reconhecimento.Quiseram se opor aos ATGM, M1A e Bradley
2) Havia total superioridade aérea. Simplesmente não havia para onde se deslocar sem ser alvejados.
Era morrer ou morrer

E quanto à precisao, é razoável para um canhão 90 da década de 80 (contra alvos estáticos). Ainda tem validade.
Em ação retardadora, mesmo que vc não atinja o alvo, disparos próximos já são suficientes para provocar o reordenamento do dispositivo inimigo, fazendo ele perder o ímpeto, até que vc assuma nova posição.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

2) Qualquer ataque ao Brasil em terra pressupõe que o invasor já tenha completa superioridade aérea.

3) o canhão era válido na década de 80. Passados quase 40 anos, não é mais. É só um gasto desnecessário e, em caso de guerra, um túmulo para sua tripulação. Eu preferia ser infante do que tripulante de um Cascavel numa guerra.

Bardini
Visitante
Bardini

O cascavel só tem alguma serventia apoiando a infantaria. O resto é ilusão total.
.
E a fortuna que custa pra modernizar um, banca aquisição de um lote de um ATGM top de linha.

Carvalho
Visitante
Carvalho

Me agradaria muito ter um CC sobre rodas apoiando a Inf. Mec com os Guarani.
Ia dar um bom caldo

Carvalho
Visitante
Carvalho

Se não tivermos superioridade aérea tanto faz o Cascavel ou um Centauro, ou um Stryke.
Nenhum deve ser lançado contra posições nos quais não tenham vantagem em poder de fogo. Não foram feitos para isso.
Mas sem duvidas está desatualizado. Não por outro motivo, foi feito o programa Guarani

sergio ribamar ferreira
Visitante

Concordo com o sr. Carvalho. Superioridade aérea. Grande abraço

Carvalho
Visitante
Carvalho

O Cascavel precisa dos Marruás impedido que sua posição seja desbordada, e protegendo seus flancos durante os retraimentos.
Trabalham juntos.

rdx
Visitante
rdx

Impedindo o que com Marruá? Ele é apenas um alvo fácil para o inimigo. Ele é inútil até para ações de polícia (não por acaso o EB foi obrigado a comprar, emergencialmente, LMV usados para operar nas favelas do RJ). Numa guerra de verdade todas as guarnições dos Marruás de exploração seriam rapidamente aniquiladas.

Carvalho
Visitante
Carvalho

Em uma posição defensiva você escolhe o terreno, de maneira que o Marruá fique fora das vistas do inimigo, e com uma rota de retraimento que também lhe seja favorável.
Assim você obtém o comandamento sobre o terreno que o inimigo que está na ofensiva deverá percorrer.
No caso do RJ, não é uma ação defensiva, e portanto, não serve de exemplo para o caso em pauta. Exatamente porisso tiveram que recorrer ao LMV

Rafael G Oliveira
Visitante
Rafael G Oliveira

Espero que imagens como essa não se repitam, a segurança da tropa em primeiro lugar…mesmo confiando na inteligência os imprevistos sempre acontecerão …em questão de segundos o pesadelo surge do nada

[imgcomment image [/img]

Wilson Lobe Junior
Visitante
Wilson Lobe Junior

Não são para a defesa contra um inimigo externo. São para serem usados contra o próprio povo Brasileiro.

Patriot
Visitante
Patriot

Well, em teoria sim!

colombelli
Visitante
colombelli

a quantidade deixa claro que serão usados em GLO ou missões de paz eventualmente. Tem aqueles da 9 brigada que ficarão para GLO no RJ, Estes 32 não dá nem o efetivo de um regimento dos 15. É simbolica e deve ter algo a ver com dar uma compensação a IVECO pelo programa guarani estar desacelerado. Necessidade é gigantescamente maior e não terá dinheiro pra ela e pro guarani

RENAN
Visitante
RENAN

Parabéns pela aquisição, melhor pingando do seco.
Espero ver 1000 unidades dessas no exército.
Abraço

Wander
Visitante
Wander

Som 💯 de acordo com a valorização dos equipamentos militares no Brasil, agora cadê os nossos veículos m113..? Será que não dão conta do recado.. como força paralela??

ELTON R
Visitante
ELTON R

o EB bem que podia aproveitar o momento politico favoravel com os USA e pedir ao Trump centenas de MRAP que eles tem sobrando nos depositos do US Army ,bastava reservar metada para spare parts enquanto se nacionalizava os motores,trasmissão e suspenção.

Rafael G Oliveira
Visitante
Rafael G Oliveira

Concordo contigo amigo…mas os da gravata não aprova….afinal produto acabado não gera emprego na fábrica…não enche o bolso deles de dinheiro de repasse…

Carvalho
Visitante
Carvalho

O MRAP não nos serve.
Ter MRAP e Marruá é como ir a um casamento com paletó e chinelo havaiana

ELTON R
Visitante
ELTON R

deixava a INVECO fazer a nacionalização dos motores e sistemas com o tempo ,tipo como israel fazia na decada de 1970 com os blindados importados no seu arsenal

Matheus
Visitante
Matheus

Ao invés de MRAP porque não os AV-VBL da Avibrás?
Porque querer encher o bolso de empresa americana e deixar as nossas perecer?

Mauricio R.
Visitante

Por que pra aquilo que um MRAP serve, o AV-VBL não serve pra nada.
Além do que custam mais barato do que uma viatura que sequer existe.

Rafael G Oliveira
Visitante
Rafael G Oliveira

Não seria mais interessante aproveitar a relação Brasil/EUA e trazer umas centenas de Humvees do deserto americano pra cá?

Matheus
Visitante
Matheus

HUMVEE é jurássico perto do modelo da IVECO.

Salim
Visitante
Salim

Testado e aprovado em guerra, super robusto, seria mais barato via FMs e daria pra trazer uma centena. Fiat/Iveco e uma incognita ( fiat, fui iludido agora e tarde , náo resisti a brincadeira), alem entrega quase imediata.

Marcos10
Visitante
Marcos10

Estamos as vésperas de um Guerra com uma potência econômica e militar e estamos comprando 32 veículos?

Renato
Visitante
Renato

Guerra contra quem?

ALEXANDRE
Visitante
ALEXANDRE

Sempre tem um Renato

MMerlin
Visitante
MMerlin

Vésperas?
Vai pro TOP 10 dos exageros da trilogia.

Sincero Brasileiro da Silva
Visitante
Sincero Brasileiro da Silva

Mais equipamento e menos soldo por favor!

ALEXANDRE
Visitante
ALEXANDRE

E aquele amadillo ta2 sera qie teremos?

Bardini
Visitante
Bardini

Um lote de ATGMs seria incomensuravelmente mais útil que aquele engana trouxa.

ALEXANDRE
Visitante
ALEXANDRE

Pq diz isso?

Luiz Floriano Alves
Visitante

Temos que nos concentrar na produção e uso dos Guarani. Após, quando um bom número deles estiver na tropa vamos passar para o Guarani 8×8. Com maior blindagem, peça de 30mm. automático, e ATGM orgânico integrado na central de gerenciamento de combate.
Para a Amazônia temos que ter blindados anfíbios de conhecida capacidade. Talvez comprar direitos de fabricação de BTRs. da Russia. E tropicalizar a mecânica, dotando de refrigeração superdimensionada e ar condicionado integral..

Bardini
Visitante
Bardini

Blindado e amazônia não combina. O que seria necessário é algo pra atuar em zonas urbanizadas, estradas e etc. E NÃO é necessário ter um Guarani 8×8 se for pra montar um canhão de 30mm com ATGMs. Monta na própria UT-30Br, que já existe, está testada e pode receber esse armamento. Mas não orna, não bate custo x benefício. 8X8 faz total sentido no tocante a equipar a força com uma arma de 105/120mm de alta pressão, capaz de bater um alvo em movimento, a noite, com vento e chuva e a 4km de distância, isso com uma munição muito… Read more »

rdx
Visitante
rdx

Não precisamos de blindados na Amazônia. Na minha opinião, Precisamos de uma moderna brigada aeromóvel com dezenas de helicópteros…e armas e equipamentos modernos e leves para a infantaria. Com FAL/FAP, MAG com tripé e meia dúzia de Carl Gustav e MANPADS simplesmente não temos chances.

Bardini
Visitante
Bardini

Pq não faz o menor sentido enterrar dinheiro naquilo. Tem centenas de investimentos mais úteis pra fazer com a montanha de dinheiro que vão cobrar por aquele equipamento sem pé nem cabeça… . O EB tem necessidades gritantes. Ex: qual o ATGM que temos para a tropa usar? Nenhum! Fala-se tanto em dissuasão, mas essa arma nunca é levada a sério por aqui. . Outro exemplo: qual a quantidade de material individual que poderia ser adquirida, incluindo visando combate noturno, com aquele montante??? . Mais vale colocar a grana em ATGM ou algo REALMENTE útil, que serve pra atacar e… Read more »

rdx
Visitante
rdx

Na minha opinião, o ATGM é a arma mais importante do campo de batalha moderno. Efetivamente, é um arma multipropósito (anticarro, antimaterial e antipessoal). Essa arma tão desprezada no EB quase tornou os tanks completamente obsoletos. Podemos afirmar que o desenvolvimento de eficientes APS salvou a cavalaria.

Bardini
Visitante
Bardini

“Na minha opinião, o ATGM é a arma mais importante do campo de batalha moderno. ”
.
Eu acredito que é um conjunto de equipamentos… Se você tem pessoal bem equipado, atuando dentro de uma rede de dados minimamente eficiente, que sabe onde o inimigo está operando, mesmo a noite, você se torna um osso extremamente duro de roer.
.comment image

Carvalho
Visitante
Carvalho

Na verdade o EB se especializou em meia sola:
As Bgdas Blds não possuem IFV
As Bgda Inf Mec não possuem LMV nem CC SR em apoio.
As Bgdas Cav Mec não possuem LMV.

Solução que pode ser feito amanhã de manhã:
Montar uma Brigada Inf Mecanizada com Guarani, LMV, e Cascavel em pelotões CCs no apoio.
Já possuem Carl Gustav e AT4.

E faZer exercício de penetração e controle em área urbanizada

Control
Visitante
Control

Srs
Considerando a situação financeira onde:
– O EB não tem verba de custeio e investimnto nem para garantir a alimentação dos soldados;
– Há a possibildade do EB obter Humvees em bom estado do Tio Sam por preços simbólicos.
Onde está a lógica (ou o popular bom senso) de se comprar os LMV`s da Iveco?
Sds

Bardini
Visitante
Bardini

ahhh, o imediatismo brasileiro… não atoa estamos na porcaria de situação em que nos encontramos, atochados de velharias. Sempre se pensa pro curto prazo. . LMV é sem dúvidas mais caro de comprar que um usado. É a lógica. Mas poderia durar no mínimo duas vezes mais. Pq? pq além de ser novo, vai operar desde o começo aqui, dentro do nosso TO e dentro da nossa logística. O pessoal que mantém vai ter um total conhecimento do ciclo de vida, o que fizeram e o que deixaram de fazer com esses blindados. . É fácil falar de preço, quando… Read more »

Salim
Visitante
Salim

Caro Bardini, novo sempre e melhor, porem nem sempre e a melhor solução. Precisamos de mais de 800 veículos para cobrir a minima necessidade brasileira, os humvees poderiam vir as centenas com valor baixo. Viatura robusta e testada em guerra. Temos condições técnicas de manter estes veículos operacionais plenos em mais de uma década, onde teríamos folego financeiro ( espero ) para investir em uma viatura.

Bardini
Visitante
Bardini

É tão bom, mas tão bom, que os americanos estão fazendo de tudo pra se livrar disso aí o mais rápido possível nos próximos 10 anos, kkkkk
.
É tão bom, mas tão bom, que o USMC fala em ampliar agora a ordem de 9 mil para 15 mil JLTV, pra somar ao pedido de quase 50mil JLTV do US Army, fora as outras milhares de unidades dos outros clientes, kkkk
.
“Death trap”…

rdx
Visitante
rdx

O JLTV é o blindado 4×4 definitivo. Tem coisa muito pior que imediatismo…é escolher um produto pela grife, para não dizer outra coisa. O EB sabe muito bem que a manutenção do LMV é caríssima. Aliás, antes de comprar mais LMV, o EB deveria perguntar aos ingleses porque eles colocaram à venda seus 395 LMV…e checar o valor da nota (cobrada em euros) do reparo do veículo atingido por disparos de fuzil numa favela do RJ.

Carvalho
Visitante
Carvalho

LMV é para tomar tiro mesmo…e ser reparado. A tripulação está salva.
Pior é o Marruá onde os tripulantes são os anteparos

Salim
Visitante
Salim

O valor de compra, só para uma arma e de USS 25 bilhões para os jltv USA. Isto e maior que o gasto anualmente nas trés forças.Teríamos que investir mais que USS 2 bilhões.
Oitocentos viaturas seria a dotação para atender hj as divisões exercito existentes.
Logicamente comprariamos os humvees blindados e em boas condições.

Bardini
Visitante
Bardini

“temos condições técnicas de manter estes veículos operacionais plenos em mais de uma década”
.
Aliás… É o que eu falei antes: o maldito imediatismo. Corre forte no sangue, junto da maldita gambiarra. Visão de curto prazo dos infernos. É o que o Brasil merece. Tem mais é que operar material ultrapassado mesmo.

Salim
Visitante
Salim

Bárdini, hoje náo temos nada. O Brasil e imenso, se levarmos em conta só o armamento da bandidagem e do narcotrafico , o valor pago e o prazo entrega, esta solução parece náo ser a melhor. O tempo urge. 36 veículos pra daqui 2 anos só da pra desfile 7 setembro. Os humvees chegariam rápido, em grande quantidade e com valor baixo.

Carvalho
Visitante
Carvalho

Muitos dos Humvees disponíveis não são blindados, ou seja, não são substitutos para o LMV;
De todas as vtr do EUA, certamente os Humvee são as mais rodadas, devem ter rodado mais que carro de praça

Por fim, Este numero mágico das 800 viaturas é uma falácia. É possível dotar somente a 4 BGda Cav Mec e a 15 Bgda Inf Mec, deixando os Marruá no restante

João Adaime
Visitante
João Adaime

Prezado Bardini
Estes 500 JLVT custariam 340.000 dólares cada. Você conhece alguma coisa equivalente porém mais barata no mercado?
Os 170 milhões totais, para a realidade brasileira, é dinheiro de pinga. Só o Congresso Nacional nos custa 1,2 milhão por hora. Vou repetir. Por hora. Este ano a sangria será de 10,4 bi de reais. É o segundo mais caro do mundo. O primeiro é o dos EUA. Mas nem vamos analisar aqui o custo benefício entre ambas as instituições. Passaríamos vergonha.
Abraço

Control
Visitante
Control

Srs Jovem Bardini Este ano o EB está sem dinheiro até para o custeio e tal cenário deve se repetir nos próximos anos. Portanto há muito pouco dinheiro administrável (o que sobra do orçamento, já separando o gasto com pessoal) e este precisa ser aplicado da forma a mais produtiva possível. Se existe, para uma necessidade em equipamentos do EB, a possibilidade de se obter tais equipamentos a custos irrisórios (doação), mesmo estes não sendo a melhor solução disponível no mercado, é uma medida de sensatez administrativa se agarrar a oportunidade. É melhor se obter os veículos para reconhecimento com… Read more »

MATHEUS MENDONCA NOVAIS
Visitante
MATHEUS MENDONCA NOVAIS

O que eu desejo é ver meu país independente de empresas estrangeiras, pelo menos no que tange a assuntos estratégicos.

Entusiasta Militar
Visitante
Entusiasta Militar

é ate engraçado ver os comentários dos soldados do super trunfo falando mal do Marrua, guarani, cascavel, desdenhando nossos meios dizendo que vale mais a pena ter ATGM do que blindados ou carros de combate.

eu queria ver um desses soldadinhos do teclado ter coragem de numa guerra carregar uma arma antitanque e chegar a 200 metros de um blindado como o cascavel por exemplo, para ter um tiro certeiro no alvo … duvido

Bardini
Visitante
Bardini

Eu acho engraçado alguém querer comparar a peça de museu chamada Cascavel com um ATGM em um contexto defensivo, sendo que um ATGM pode colocar com facilidade um Cascavel fora de combate a mais de 3km, ao passo que o mesmo Cascavel sequer consegue solução de tiro para bater um outro Cascavel a 3 km. Isso sem contar o leque de possibilidades devido a mobilidade dos sistemas, se comparado. . Mas Cascavel é top, por isso não temos ATGMs. Bom mesmo é o bom e velho canhão de baixa pressão e o sistema de tiro com mais de 50 anos… Read more »

rdx
Visitante
rdx

Pergunte aos militares iraquianos, turcos, sauditas e sírios o que eles pensam. Não me interessa a opinião de funcionário público do EB. “Meia dúzia” de guerrilheiros colocou o exército iraquiano para correr e massacrou a cavalaria síria. A fase final da guerra na Síria se transformou numa luta entre ATGM. Kornet do exército sírio x TOW dos insurgentes. Existem centenas de vídeos na web mostrando ATGM incinerando blindados no campo de batalha. A história se repete no Iêmen. Recentemente, assisti um vídeo que mostra um pequeno grupo guerrilheiro Houthi neutralizando um moderníssimo M1A2 Abrams com ATGM. Eu disse Abrams de… Read more »

Luiz Floriano Alves
Visitante

No terceiro mundo a arma mecanizada mais adotada é a pick-up Toyota (mais fotogênica) om um canhão AA de 23 mm. na carroceria. É a rainha das batalhas de rua no Oriente Médio. Versão moderna da Tachanka Russa que definiu a guerra civil entre Brancos e Vermelhos. Era uma uma simples troica tirada a cavalos e que no posto central montava uma metralhadora Maxim. No rude interior Russo decidia os combates com sua mobilidade e poder de fogo. Isso é o que interessa: poder de fogo, mobilidade e simplicidade/custo.

Luiz Floriano Alves
Visitante

Ainda não entendi pq o EB não desenvolveu uma blindagem leve, composta, para as viaturas Marruá. A “la Hunvees”, que possuem blindagem contra armas portáteis leves. Compostas de titânio e Kevlar aumentam, em muito, a sobrevivência da tropa embarcada.

Everaldo Lameira
Visitante
Everaldo Lameira

o Exercito Brasileiro, preciso com urgência comprar equipamento mais modernos como:
Sistema de artilharia ant aérea, radares de longo alcance.

Luiz Floriano Alves
Visitante

Everaldo
O EB tem Guepardos como AA dotados de radar de tiro. Não se comparam com sistemas mais modernos, mas é o que temos e podemos. Abço.