Home Exercício Militar Brigada de Infantaria Paraquedista realiza a Operação Arroio III

Brigada de Infantaria Paraquedista realiza a Operação Arroio III

12564
103

Rio de Janeiro (RJ) – A Brigada de Infantaria Pára-quedista (Bda Inf Pqdt) concluiu a Operação Arroio III, Exercício de Adestramento (Exc Adst) que faz parte do Ciclo de Preparo para o Exercício Combinado (Exc Cbn) Culminating.

A 1ª fase, realizada no período de 19 a 22 de agosto de 2019, consistiu em um Exc Adst de Simulação Virtual desenvolvido nas instalações do Centro de Adestramento Leste (CA Leste), na cidade do Rio de Janeiro, empregando o Software Virtual Battlespace 3 (VBS3). Nessa fase, o objetivo foi apresentar aos integrantes da subunidade (SU) as condições que poderiam ser vivenciadas por ocasião da execução no terreno.

A 2ª fase, executada no período de 26 a 30 de agosto de 2019, no Campo de Instrução de Gericinó, no Rio de Janeiro (RJ), realizou uma imersão da SU Culminating em um cenário de combate, empregando um Exc Adst com simulação viva, em que estavam presentes todas as funções de combate no contexto de uma manobra de conquista e manutenção de Cabeça de Ponte Aérea por uma Força-Tarefa Batalhão de Infantaria Paraquedista (FT BI Pqdt).

Naquela oportunidade, em conjunto com o CA Leste, foi aplicada a metodologia para o adestramento, criando-se um cenário complexo que buscou imitar a realidade ao máximo. O Adestramento contou com a presença do Estado-Maior de uma FT BI Pqdt, observadores controladores e adestradores para todas as frações e uma força oponente, todos coordenados pelos integrantes da Direção do Exercício (DirEx), além da utilização dos Dispositivos de Simulação de Engajamento Tático (DSET).

Prosseguindo no seu adestramento, a próxima etapa da SU Culminating será a realização da Operação Arroio IV, planejada para o período de 25 a 29 de novembro de 2019, no Campo de Instrução da Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende (RJ).

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

Subscribe
Notify of
guest
103 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alexandre ziviani
Alexandre ziviani
8 meses atrás

Alguém poderia dizer se as brigadas paraquedista ainda utilizam ATGM?

cdickens@hotmail.com
cdickens@hotmail.com
Reply to  Alexandre ziviani
8 meses atrás

Caramba! Até parece que o treinamento foi nos Estados Unidos, com toda essa nomeclatura em inglês. “Capacetes Together”, “Visores Forever”, ‘Armamentos My Friend”. No fim das contas, a brincadeira toda foi mesmo no Irajá.

Ze Mane
Ze Mane
Reply to  Alexandre ziviani
8 meses atrás

Que capacete de maluco é aquele?

Recce
Recce
Reply to  Ze Mane
8 meses atrás
Ze Mane
Ze Mane
Reply to  Recce
8 meses atrás

Parece aqueles capacetes de filmes B de ficção científica, em que o cientista maluco coloca na cabeça das vítimas para fazer experiências com o cérebro.

Antonio Renato Arantes Cançado
Antonio Renato Arantes Cançado
8 meses atrás

A cada vez que vejo esse fuzil da Imbel, menos eu confio nele…

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Antonio Renato Arantes Cançado
8 meses atrás

Baita critério ein! kkkkkkkkkkkk

Antonio Renato Arantes Cançado
Antonio Renato Arantes Cançado
Reply to  Heinz Guderian
8 meses atrás

Pra quem CONHECE armas, é sim.

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Antonio Renato Arantes Cançado
8 meses atrás

Cara o cano é minúsculo e o guarda-mão é muito grosso, nunca peguei, mas aparenta não ser confortável… aquele excesso de cantos vivos aparentemente pode ferir o operador numa mata secundária, onde não se dá mais que 3 passos sem cair dado a quantidade de cipós. O receptáculo do carregador aparentemente é muito grande e torna a troca mais lenta. A mira tbm aparenta ser ruim. Mas, é o que temos pros próximos 50 anos, então espero que se conclua a troca do FAL. E que fuzilzinho feio da pohha ein, credo. De resto gosto da parte traseira, a coronha… Read more »

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Space Jockey
8 meses atrás

Space, tive com ele em mãos. Não achei a ergonomia ruim, apesar de o achar pesado demais para algo moderno. Fiquei feliz que o que manuseei tinha uma proteção à frente do carregador para que o infante médio brasileiro mal adestrado pudesse apoiar a mão sem danificar carregador/alimentação do armamento. A mira de ferro não era ruim. Agora, já não posso dizer em relação à confiabilidade do fuzil em condições operacionais, até porque acho que isso o tempo é quem vai dizer. O que sei, é que tenho vários amigos americanos que tem armamento bom, confiável, clássico, alguns tem M1A… Read more »

Antonio Renato Arantes Cançado
Antonio Renato Arantes Cançado
Reply to  Leandro Costa
8 meses atrás

Não estou dizendo que os produtos da Imbel são ruins, mas esse fuzil foi uma foraçação de barra, TINHA que ser algo ‘nosso’, e deu nisso aí. Na boa, não confio nele.

Antonio Renato Arantes Cançado
Antonio Renato Arantes Cançado
Reply to  Space Jockey
8 meses atrás

A coronha não é ergonômica não, é incômoda e desconfortável…

ADLER MEDRADO
Reply to  Space Jockey
8 meses atrás

Se o exercito adotou, devem pensar o oposto de você

Antonio Renato Arantes Cançado
Antonio Renato Arantes Cançado
Reply to  ADLER MEDRADO
8 meses atrás

Não havia opção. Simples.

Recce
Recce
Reply to  ADLER MEDRADO
8 meses atrás

Não houve concorrência.

Arraes paraquedista CHIVUNK!
Arraes paraquedista CHIVUNK!
Reply to  Space Jockey
8 meses atrás

Pelo jeito você Não serviu as forças armadas e não entendi nada de armas procura se informar melhor antes de tentar denegrir uma instituição como essa aí citado por você

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Space Jockey
8 meses atrás

O cano do IA2 é de 13,7″.

O do M4 padrão é de 14,5″.

observador
observador
Reply to  Alfa BR
8 meses atrás

O IA2 é 5,56mm; o M4 é 7,62mm. Acredito que isso possa ser um dos motivos do cano maior.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Alfa BR
8 meses atrás

M4 7,62mm? Tem certeza?

Washington da silva pereira
Washington da silva pereira
Reply to  Space Jockey
8 meses atrás

Kkkkkkk quanto besterol…fiz manobra na Marambaia Serra de Madureira Marapicu Macae Cachoeira de Itapemirin puta merda Gericino era quintal da nossa Brigada……Sou pqdt 27705…….O Fal ainda e o melhor….

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Antonio Renato Arantes Cançado
8 meses atrás

Não confio nesse Mod Fal desde sua criação.
Agora só o EB vai engolir esse trombolho, afinal de contas foi fabricado e pensado para o EB.
Quem deu a luz ao filho feio que o embale nos braços rsrs.

Carlos
Carlos
Reply to  Foxtrot
8 meses atrás

O FUZIL IA2 tem o mesmo sistema de Funcionamento dos AR , sem por nem tirar ou seja o mesmo do M16 –M4 – AR 15 -AR 10 aí vem o BOCÒ e fiz que é trambolho , kkkkk quer ver um trambolho se olha no espelho kkkkkk

Antonio Renato Arantes Cançado
Antonio Renato Arantes Cançado
Reply to  Carlos
8 meses atrás

Ter o mesmo sistema significa ser bom? Na boa, não chame os outros de ‘bocó’, sem olhar pra si mesmo antes…

Kommander
Reply to  Antonio Renato Arantes Cançado
8 meses atrás

O novo T4 da Taurus é praticanente uma cópia do AR15 e outro dia tava dando falha. Kkkkkkkk

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Antonio Renato Arantes Cançado
8 meses atrás

o cara vem falar de armas e esquece que existe plataforma AR lixo

Mazzeo
Mazzeo
Reply to  Carlos
8 meses atrás

Carlos, me desculpe a tecnicalidade, mas vc está enganado. O sistema stoner da plataforma M16 usa ação dos gases sobre o ferrolho rotativo, sendo essa a sua maior fonte de problemas. o IA-2 usa ação dos gases sobre o embolo e, esse sim, empurra o ferrolho, tambem rotativo, dai acho que vem seu engano. No mais, eu como usuário dessa arma acho ela de ergonomia pobre, mas segue rigorosamente o pedido pelo EB então, não pode se reclamar disso. Como arma de infantaria acho bem aceitável, como arma para uso policial acho totalmente inadequada. Precisa ainda de muitas melhorias e… Read more »

Antonio Renato Arantes Cançado
Antonio Renato Arantes Cançado
Reply to  Mazzeo
8 meses atrás

Primeira resposta séria que vi por aqui. Parabéns.

PauloOsk
PauloOsk
Reply to  Mazzeo
8 meses atrás

Excelente comentario.

Joker
Joker
Reply to  Mazzeo
8 meses atrás

Onde eu assino?

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Carlos
8 meses atrás

Bocó é você caro Carlos. Além de bocó é desinformado. O IA2 tem o mesmo sistema de funcionamento do FAL e PARA-FAL sem tirar nem por. Foi desde o início projetado assim para facilitar a intercambialidade com os fuzis já utilizados pelo EB e facilitar a familiaridade pela tropa. Daí o EB não ter chamado nem o CFN e FAB para o cô desenvolvimento. O único fuzil nacional que tem o mesmo funcionamento do M4 é o T4 da Taurus, que tem despertado muito interesse das outras forças devido a essa característica. Aconselho a se informar melhor, antes de falar… Read more »

Velame
Velame
Reply to  Foxtrot
8 meses atrás

IA2 tem o mesmo funcionamento do FAL? Da onde tirou essa sandice?? Ou então os IA2 da Bda Pqdt são diferentes… Rsrsrs quanto ao fuzil em si realmente a muita coisa melhor no mercado, porém em relação ao FAL/Para FAL é uma baita evolução.

Rogerio
Rogerio
Reply to  Foxtrot
8 meses atrás

Viajou, foi querer corrigir os outros e falou M… aconselho se informar melhor antes de tentar lacrar no comentário de outrem, como bem disse o Colombelli, no FAL o ferrolho é basculante e no IA2 o ferrolho é rotativo.

Velame
Velame
Reply to  Carlos
8 meses atrás

Ele possui um sistema de trancamento por ferrolho rotativo é um pouco diferente da família AR.

Arraes paraquedista CHIVUNK!
Arraes paraquedista CHIVUNK!
Reply to  Carlos
8 meses atrás

Parabéns pela resposta temos Também o ia2 na versão com munição 762

Gabriel
Gabriel
Reply to  Antonio Renato Arantes Cançado
8 meses atrás

Falou alguém que nunca pegou num IA2 pra atirar, se tivesse pegado já em um, jamais estaria falando uma besteira dessa

Antonio Renato Arantes Cançado
Antonio Renato Arantes Cançado
Reply to  Gabriel
8 meses atrás

O manuseei antes da adoção pelas FFAA, e não gostei. Ergonomia ruim, pesado, incômodo, miras ruins, só não atirei com ele, mas pra falar a verdade, não fiz muita questão.

Space jockey
Space jockey
Reply to  Gabriel
8 meses atrás

Então nos traga para testarmos.

Antonio Renato Arantes Cançado
Antonio Renato Arantes Cançado
Reply to  Gabriel
8 meses atrás

O Mazzeo já, e desmente essa tua afirmativa baseada em sei-lá-o-quê…

Charles Dickens
Charles Dickens
Reply to  Antonio Renato Arantes Cançado
8 meses atrás

Do modelo Imbel-cil, que se refere a quem projetou e fabricou.

Marcos Alexandre Queiroz
Reply to  Antonio Renato Arantes Cançado
8 meses atrás

Esse fuzil também não me enche os olhos

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
8 meses atrás

Parabéns ao EB!!! Doutrina e treinamento é tudo!!!

Foxtrot
Foxtrot
8 meses atrás

A brigada PQD aparenta estar em boa condições operacionais. Mas será que EB,CFN não sabem realizar treinamento sem essa mochila desengonçada? Vi fotos da Unitas XL, estavam lado a lado um Naval Brasileiro e um Peruano, a diferença era gritante. O peruano com colete tático, fuzil modular (aparentava ser um SCAR), enquanto que o brasileiro com essa mochila da época do Vietnã e fuzil M-16A3. Duas visões que anceio nunca mais verem nas FAAs nacionais, esse fardamento ultrapassado e essas mochilas rsrs. Chega, amei os anos 80 e ainda tenho saudades, mas já passaram !

Antonio Renato Arantes Cançado
Antonio Renato Arantes Cançado
Reply to  Foxtrot
8 meses atrás

É EXATAMENTE ESTA a questão! O militar brasileiro está maravilhosamente bem equipado para os anos 80! De treinamento eu nem falo, mas o equipamento é ultrapassado e obsoleto.

André
André
Reply to  Antonio Renato Arantes Cançado
8 meses atrás

Foxtrot e Antonio, o equipamento que o Corpo de Fuzileiros usa não é inadequado e muito menos obsoleto, falo por experiência própria.
Antes de criticarem procurem saber para quais fins cabem tal aparato e outra procurem adentrar mais sobre todos os materias que um Fuzileiro Naval carrega consigo em uma manobra.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  André
8 meses atrás

Entendo seu corporativismo caro André, mas contra fatos não há argumentos.
O M16-A3 foi aposentado pelo Usmc em detrimento do M-4, SIG dentre outros equipamentos.
A mochila não é mais utilizada pelas FAA,s Americanas há décadas.
O colete balístico utilizado pelo Usmc e outro, o capacete idem.
O CFN que em suma é quase 100% de soldados profissionais, não possui OVN para toda tropa, mochilas Camepack etc.
Isso para não falar nos meios de transporte, aéreos, comunicações, fardamento, luvas, coturno etc.
Basta ver o óbvio caro André !

Velame
Velame
Reply to  Foxtrot
8 meses atrás

Em um país em que não há educação e saúde para todos, o cidadão quer um ovn para cada fuzileiro. As Forças Armadas nunca serão maiores do que o país a que servem.

Doug385
Doug385
Reply to  Foxtrot
8 meses atrás

Basta ver o filme 12 Strong, que conta a primeira ação dos Boinas Verdes em combate após o 11 de setembro. Foram preparados para uma missão de longa duração e onde teriam um apoio logístico menos frequente. Isso difere muito de operações urbanas, onde o combatente sai e volta para a base mais tarde. Mesmo em missões com duração um pouco maior eles levam menos equipamento devido à capacidade das forças armadas americanas de oferecer uma linha de suprimento que nenhum outro país pode oferecer. Os caras tem os meios necessários pra isso, coisa que nós obviamente não temos. Em… Read more »

Antonio Renato Arantes Cançado
Antonio Renato Arantes Cançado
Reply to  André
8 meses atrás

Os fuzis que o CFN usa são adequados a, no máximo, a invasão de Granada, em 1983. Estão total e completamente defasados, sinto muito.

André
André
Reply to  Antonio Renato Arantes Cançado
8 meses atrás

Foxtrot pode escrever “clubismo” ao lado do meu nome eu deixo. Concordo com você contra fatos não a argumentos. Dentro das forças armadas existe uma coisa chamada fuzil padrão assim como no EB eles usam o IA2 no CFN se usa o M16A2 porém meu caro isso não significa que isso é regra, hoje os navais utilizam o M4 como fuzil padrão em muitas OMs, se você for em um BtlOprib você verá muitos desses dentre outros tipos de armamento, em relação a uniforme o CFN já escolheu um novo tipo de fardamento e boot, o boot do CFN é… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Antonio Renato Arantes Cançado
8 meses atrás

Só faltou dizer que não se precisa mais treinamentos para marchar, pois hj existe veículo militares kkkkkkkkkkk

Augusto L
Augusto L
Reply to  Antonio Renato Arantes Cançado
8 meses atrás

Os americanos usam mochilas muito menores do que essas da época do Vietnam é totalmente conformais e muito mais leves.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Augusto L
8 meses atrás

Caro Colombelli, a única mochila que eles usam é a Modular Lightweight Load-carrying Equipment.
Aqui vai um link dela https://www.military.com/equipment/modular-lightweight-load-carrying-equipment-molle.

E por ela ser modular se ajusta ao tipo de missão.
Se pesquisar na internet os treinamentos dos Rangers e da força Recon dos fuzileiros americanos vera que estão utilizando ela, só que na sua capacidade máxima.

A crítica ao EB é que ele só disponibiliza esse fardo de combate antigo, aliás todo o equipamento individual do EB é bem antigo.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Augusto L
8 meses atrás

Ótimo observação caro Augusto L.
Não preciso mais perder meu tempo respondendo corporativistas cegos.
Se o praça Brasileiro gosta de ser tratado como mula e depois receber uma boina caqui, coturno de couro marrom como símbolo de tropa de elite fazer o que?
Deixem curtir seu “ópio” ideológico!

Velame
Velame
Reply to  Foxtrot
8 meses atrás

Ninguém recebe boina grená, boot marrom e breve. Isso é conquistado! Mas isso voce nunca vai entender… é para poucos mesmo.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Velame
8 meses atrás

Triste meu querido rsrs!

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Antonio Renato Arantes Cançado
8 meses atrás

Outro corporativista devo com a realidade. Caro Colombelli, dinheiro há e sempre houve, o problema é que é pessimamente gasto. Recentemente dois oficiais do seu amado EB gastaram 850 mil em cartões corporativos, generais gastaram mais de 2 milhões em sorve, 2 bilhões em camarões e espumante e por aí vai a farra do boi. Enquanto isso um conscritos ganha menos de um salário mínimo, não tem rancho para tropa etc. Generais querem helicópteros de ataque, aviação de asa fixas, Abrams etc. Mas os saldados não possuem miras ópticas ou de visada rápida, fardamento inadequado e desconfortável, coturno ultrapassado etc.… Read more »

João Girardi
João Girardi
Reply to  Foxtrot
8 meses atrás

É você quem tá dizendo que militar não deve ter fardo de combate.

Marcos Alexandre Queiroz
Reply to  Foxtrot
8 meses atrás

Exatamente o exército brasileiro não tem dinheiro devido aos altos custos de se dar pensão pra filha de militar etc

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Foxtrot
8 meses atrás

Para que carregar a “casa” do sujeito em um mundo onde as operações militares são pontuais, não necessitando acampar no T.O de operações? Vide exemplo das operações no Afeganistão e Iraque. Hoje se preza a mobilidade rápida do combatente e combate, não necessita mais carregar munição acima do desejado para o prazo da missão, e se caso necessitar de suporte logístico aí entra os meios aéreos adequados. Mais uma prova do atraso doutrinário nacional. Toda munição necessária a operação é carregada pelo combatente no colete tático ou em mochilas táticas menores e mais conformais.

Velame
Velame
Reply to  Foxtrot
8 meses atrás

Não adianta colombelli. O cara não sabe nem o que é, e nem pra que serve um PRPO e quer falar da inutilidade da mochila… Vai entender…

João Girardi
João Girardi
Reply to  Foxtrot
8 meses atrás

Excelente comentário colombelli.

Carlos
Carlos
8 meses atrás

PARABÉNS AO EB , TREINAR E SUPERAR .
MAS É PRECISO FAZER UMA BOA COMPRA DE ARMAMENTOS ANTI CARRO MODERNOS E LETAIS (PANZERFAUST EM TANDEM) OU ALGUMA COISA DO GÊNERO

WELLINGTON ALVES MOREIRA
WELLINGTON ALVES MOREIRA
8 meses atrás

Excelente….

Antonio Renato Arantes Cançado
Antonio Renato Arantes Cançado
8 meses atrás

Alinhem o IA2 com um HK 416, um HK 433, um Tavor, um Carmel, um M4, um SiG 416, um AUG, etc, olhem bem pra eles, e vejam se escolheriam o IA2 pra ir pro combate. Simples.

Antonio Renato Arantes Cançado
Antonio Renato Arantes Cançado
Reply to  Antonio Renato Arantes Cançado
8 meses atrás

Estive com TODOS ELES nas mãos, na última LAAD, e posso garantir que sequer olharia pra ele na hora de escolher…

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Antonio Renato Arantes Cançado
8 meses atrás

O problema é de projeto e controle de qualidade.

https://www.facebook.com/GuerraseSuasCuriosidades/videos/1294757294023686/

Tomcat
Tomcat
8 meses atrás

O que dois soldados carregam acima das mochilas na 4ª foto são AT4?

Henrique
Henrique
Reply to  Tomcat
8 meses atrás

Perfeito amigo, AT4.

Velame
Velame
Reply to  Tomcat
8 meses atrás

É um dispositivo de simulação de engajamento tático (DSET). Ele simula o funcionamento e emprego de um AT4 ou ALAC.

Velame
Velame
Reply to  Velame
8 meses atrás

Toda a missão foi utilizando o DSET, repare os capacetes com os receptores laser de cabeça, antes usávamos carcaças de AT4 vazias, o OCA era o responsável por validar o disparo e causar as baixas. Agora foram adquiridos os simulacros de lanca rojão descartavel da SAAB e ficou bem mais real. Também há de Carl Gustav em menor quantidade. Confere ao treinamento um realismo impressionante.

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Velame
8 meses atrás

Como funciona esses simulacros no fuzil ? são confiáveis ? Se usa munição de festim pelo que percebi .

Bosco
Bosco
Reply to  Space Jockey
8 meses atrás

Space,
Sim! Munição de festim.

Bosco
Bosco
Reply to  Space Jockey
8 meses atrás

Se bem que a munição de festim é usada opcionalmente para simular o som, fuligem e recuo de um tiro real mas não é necessário para fazer o laser funcionar e sensibilizar os sensores instalados no “inimigo”. Quando o soldado puxa o gatilho já aciona o laser independente de ter ou não munição.

Velame
Velame
Reply to  Space Jockey
8 meses atrás

O emissor laser detecta o flash do disparo de festim e emite um feixe laser. Bem confiáveis quando vc é acertado de forma letal o colete envia a informação para o seu emissor, acoplado ao fuzil que para de funcionar.

carcara_br
carcara_br
Reply to  Velame
8 meses atrás

Nossa é bem legal. O pessoal que “morre” no exercício precisa pagar a cerveja depois rsrsrsrs?

Bosco
Bosco
Reply to  Velame
8 meses atrás

Velame,
Quer dizer que não funciona se não tiver o festim?

Velame
Velame
Reply to  Bosco
8 meses atrás

Bosco, o emissor para fuzil nao funciona sem festim, mas os simulacros de AT4 só precisam da bateria pra disparar.

Bosco
Bosco
Reply to  Velame
8 meses atrás

Velame,
Obrigado!

Space,
Então fica assim. Como o velame disse. Achei que funcionava sem o disparo da munição de festim.

Recce
Recce
Reply to  Velame
8 meses atrás

Um vídeo do Centro de Avaliação do Adestramento do Exércio – atual Centro de Avaliação do Adestramento Leste – explicando rapidamente o Dispositivo de Simulação de Engajamento Tático (DSET).

https://www.youtube.com/watch?v=cRDI-2UbxSM

carcara_br
carcara_br
Reply to  Recce
8 meses atrás

Sabe dizer se é tecnologia nacional ou importamos?

Recce
Recce
Reply to  carcara_br
8 meses atrás

SAAB.

carcara_br
carcara_br
Reply to  Recce
8 meses atrás

É o tipo de coisa que poderíamos desenvolver por aqui, numa universidade, aposto que o mercado civil é capaz de fornecer a maioria dos componentes.
Na verdade daria pra fazer um sistema completinho, com capacidade de rastreamento de cada soldado e georreferenciamento em tempo real. Toda informação poderia ser armazenada e analisada posteriormente ajudando na formulação de táticas e etc…

Recce
Recce
Reply to  carcara_br
8 meses atrás

“Na verdade daria pra fazer um sistema completinho, com capacidade de rastreamento de cada soldado e georreferenciamento em tempo real. Toda informação poderia ser armazenada e analisada posteriormente ajudando na formulação de táticas e etc…”

Mas o sistema da SAAB faz isso aí. O problema é gastar no desenvolvimento de algo que já está pronto, que dificilmente custaria mais barato e com a mesma qualidade.

Além do mais, a SAAB vende esses sistemas para meio mundo (EUA, Reino unido, França e et.).

Velame
Velame
Reply to  Velame
8 meses atrás

Foi o lote novo meu amigo Colombelli, já utilizamos esse material a muitos anos. O DSET da SAAB chegou por volta de 2009 e substituiu/complementou os da lockheed e Cubic. De lá pra cá o Exército tem comprado vários lotes da SAAB. Sendo o o único modelo agora usado e ampliando a avaliação tanto em números como em capacidade de coleta de dados. Espero ter ajudado. Abraços.

Fabio Jeffer
Fabio Jeffer
8 meses atrás

não é muito centro de treinamento dentro de uma cidade só não?

Piloto de Combate
Piloto de Combate
Reply to  Fabio Jeffer
8 meses atrás

Não

Joshua
Joshua
8 meses atrás

Durante o meu período de exército usava o FAL todos os dias e posso afirmar com certeza que ainda é uns dos fuzis mais confiável que existe e muito preciso ao atirar devido o seu cano ser mais longo. Aqui no Paraná algumas unidades da PM usam o fuzil IA2 e conversando com os PMS me falaram que é preciso dar muitos tiros com o IA2 para se ter uma boa precisão de tiro, isso devido ao cano muito curto do mesmo. Ou seja, quanto mais curto o cano de uma arma mais difícil acertar o alvo na trajetória do… Read more »

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Joshua
8 meses atrás

Tbm acho o cano demasiado curto, isso prejudica muito a performance balística.

rdx
rdx
Reply to  Joshua
8 meses atrás

Uns 10 anos atrás, comentei em outro espaço que era temerário o US Army trocar o M16 com cano de 20 polegadas pelo M4 com cano de 14,5 polegadas. A mudança aconteceu, virou moda e como esperado as deficiências da munição 5,56mm se agravaram. A IMBEL foi além e fez uma arma com cano mais curto. O US Army tentou melhorar o desempenho do M4 com a nova munição M855A1. O USMC já pensa em substituir o M4 pelo M27 (cano de 16,5 polegadas). O EB já tem algum plano?

Furagelo
Furagelo
8 meses atrás

Pronta para segurar à unha as cabeças de ponte sobre o Orinoco.

Wellington Góes
Wellington Góes
8 meses atrás

Enfim estão se modernizando. Já estão com os IA2 e com o novo uniforme.

Alfa BR
Alfa BR
8 meses atrás
Delfim
Delfim
Reply to  Alfa BR
8 meses atrás

Eu conheço o Russo Maik, autor desse vídeo, ele é PMERJ e estuda muito, e concordo com ele que a PMERJ está sendo “cobaia” com relação a novos armamentos. O IA-2 é pesado para seu tamanho e seus componentes de plástico são de baixa qualidade. Mas a IMBEL fez o que pôde com os requisitos e verba apresentados. Agora vai ter picape blindada. Vamos ver no que vai dar. . Já a PCERJ fechou com mais fuzis Colt M-16. Fez valer como instituição civil a sua independência. As experiências funestas com a carabina CT-30 e as pistolas 24/7 e PT-840… Read more »

rdx
rdx
Reply to  Delfim
8 meses atrás

A PMERJ sempre foi cobaia do EB.

Nos anos 90 com o “Para-falha” IMBEL MD-2 5,56 mm…
Nos anos 2000 com o IMBEL MD-97 5,56mm…
e agora com o IA-2 5,56 mm.

rdx
rdx
Reply to  Alfa BR
8 meses atrás

Com certeza esse fuzil é da PMERJ (emprega o modelo preto doado pela SENASP e o verde doado pelo EB). Menos de 1 ano de uso e o IA-2 já apresenta sinais de desgaste e peças com corrosão e frouxas. Curiosamente, muitos PMs aprovaram o IA-2. Reação normal para quem está acostumado a usar FAL da década de 60 e os “Para-falha” MD-2 e MD-97 5,56 mm. Afinal, quem usa Fusca não pensaria duas vezes em trocá-lo por um Polo do ano…apesar dele ainda estar bem longe de ter a qualidade de um Mercedes ou BMW.

rdx
rdx
8 meses atrás

Com certeza uso militar não é uso policial. Para seu conhecimento os Colt M16A2 (M4 Commando) da PMERJ são usados diariamente, em condições reais de combate urbano, há quase 20 anos…somente com manutenção de 1º escalão.

rdx
rdx
Reply to  rdx
8 meses atrás

Você não sabe nada! Quem te disse que a PMERJ usa armas apreendidas? Os M4 Commando das polícias do RJ são modelos com especificações militares fabricados pela renomada Colt, a mesma empresa que fabricou os M16/M4 para o CFN, US Army, USMC e outras dezenas de forças militares. Curiosamente, o M4 apesar de ser uma carabina (cano de 11,5 polegadas e coronha retrátil) vinha com a inscrição do fuzil M16A2 (cano de 20 polegadas e coronha rigída)…porque em 2000, quando elas foram fabricadas, a M4 ainda não existia oficialmente. Como assim botar no mato? O M16 é infinitamente superior a… Read more »

Velame
Velame
Reply to  rdx
8 meses atrás

O Batalhão de Ações de Comando também usa o M4 como dotação e até onde eu sei não querem saber de outro, mas isso não faz do IA2 um fuzil ruim, como o colombelli falou, para tropas menos especializadas e com grande contingentes de EV o IA2 é mais adequado. Abraços .

rdx
rdx
Reply to  rdx
8 meses atrás

Néscio arrogante? Você além de ser arrogante é extremamente presunçoso e desrespeitoso. Na falta de argumentos e desconhecimento sobre a PMERJ e qualquer outro assunto que não seja do mundinho verde oliva você parte para ataques pessoais.

Nem vou perder mais o meu tempo lendo as suas ofensas e presunções. Fique achando que eu não tenho experiência militar e que nunca usei um fuzil…e que a sua experiência como praça do EB faz de você um membro do blog superior aos demais.

andre
andre
Reply to  rdx
8 meses atrás

Como assim Praça?

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  rdx
8 meses atrás

Onde assino ?

Eliana Guerreiro
Eliana Guerreiro
8 meses atrás

Estão todos de parabéns, ou seja, desde os que dão treinamento até os alunos, pessoas que nasceram com esse tipo de talentos são verdadeiros guerreiros para o trabalho árduo que amam em primeiro lugar, depois vem a família.
Que Deus abençoe sempre cada um deles!
🙏🙏🙏👏👏👏👏

Recce
Recce
8 meses atrás

Um pouco atrasado mas segue reportagem sobre o exercício:

https://www.youtube.com/watch?v=lkF3xlC0Xws