Home Artilharia Obuseiros modernizados chegam ao porto de Rio Grande

Obuseiros modernizados chegam ao porto de Rio Grande

7671
151

O Exército Brasileiro recebeu 32 viaturas blindadas de Combate Obuseiro Autopropulsado (VBCOAP) M109 A5+ BR 155 mm, de fabricação norte-americana e modernizadas pela empresa BAE Systems.

A frota chegou na manhã desta sexta-feira (4) no Porto de Rio Grande e um comboio irá acompanhar o trajeto até Santa Maria. São quatro blindados M88 de socorro e 31 canhões blindados autopropulsados M109 A5. A PRF desde cedo acompanha a movimentação e fará escolta.

A aquisição desse material de Emprego Militar faz parte do Subprograma Estratégico – Sistema de Artilharia de Campanha (SAC) – e visa a transformação e modernização da Artilharia de Campanha, elevando a capacidade operacional do Apoio de Fogo da Força Terrestre.

O Obuseiro Autopropulsado M109 A5+ BR irá equipar o 3º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado (3º GAC Ap) da 6ª Brigada de Infantaria Blindada (6ª Bda Inf Bld) em Santa Maria, e o 5º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado (5º GAC Ap) da 5ª Brigada de Cavalaria Blindada (5ª Bda Cav Bld), de Curitiba-PR.

O novo Obuseiro, de 25 toneladas e motor de 440 HP, tem capacidade de engajar alvos até o alcance máximo de 30 quilômetros, realizando tiro indireto. Possui sistema de navegação inercial e cadência máxima de quatro tiros por minuto.

Os 32 obuseiros M109 A5+ BR serão inicialmente concentrados em Santa Maria-RS, onde, até o final de novembro de 2019, será realizado o treinamento de militares que operarão o material, bem como os tiros técnico e operacional para a aceitação e o recebimento dos
blindados.

FONTE: Diário Popular

151
Deixe um comentário

avatar
27 Comment threads
124 Thread replies
3 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
75 Comment authors
Silas ACTeóricoFarroupilhaAgneloALEX TIAGO Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Carvalho
Visitante
Carvalho

Teremos dois GAC de 1a categoria apoiando duas Bgdas de 2a…
Ao passo a BGda Inf Mec (que em breve serão as unidades mais aptas para o combate) permanecem com GAC da 2a GM.
Esse EB é bem meia sola mesmo !!

Jonemir Kramer
Visitante
Jonemir Kramer

O 26 GAC tem material de artilharia muito moderno. Vai se informar.

Carvalho
Visitante
Carvalho

Tens razão!
O 26 está com Light Gun

Carvalho
Visitante
Carvalho

Me lembrei que o Light Gun, apesar de moderno, é 105mm.
Ou seja…meia sola.

Kommander
Visitante

EB é do time que gosta dos velhos e usados.

Augusto Mota
Visitante
Augusto Mota

Esses blindados estão quase novos, em excelentes condições, foi uma compra sensacional, parabéns ao EB!!!!

Joao Moita Jr
Visitante
Joao Moita Jr

Peças de muitíssima precisão e robustez, imprescindíveis no campo de batalha moderno. Ótima compra para o EB!!!

Divanir Romero
Visitante

Batalha com quem? Quando? O Brasil não precisa deste tipo dele armamento. Dinheiro que poderia ser gasto com com coisa mais útil.

Wilson
Visitante
Wilson

Si Vis Pacem Para Bellum.
Divanir se estivéssemos em um mundo onde não houvesse ganância, intolerância e crueldade, eu concordaria com você totalmente. Mas nosso mundo é o oposto do que eu falei e por isso que é necessário ter esse tipo de equipamento e muitos outros.

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Para Bellum é só chamar o John Wick !!!rs
Me perdoem mas não resisti. 😉

Joao Moita Jr
Visitante
Joao Moita Jr

John Wick???? Chuck Norris resolve!!!

Gil Roberto Alves de Carvalho
Visitante
Gil Roberto Alves de Carvalho

Você quer dizer no presente dia, mas ninguem pode afirmar o que pode vir acontecer no futuro, os governos dos países vizinhos mudam.

Jorge knoll
Visitante

O que por Exemblo??? salário, diária, passagem, viagem de político corrupto ao exterior? Com “n” assessores dos políticos para engrossar as despesas com o Congresso Nacional, Assembléias Legislativas e Câmara de Vereadores, que visam somente o “toma lá-dá cá”, e bom que legislar, nada.

Marcos Alexandre Queiroz
Visitante

O problema do EB é o gasto com pessoal altíssimo ,aposentadoria de filha de militar por exemplo, se comparado a países civilizados. Agora por exemplo vão dar um aumentao para a cúpula militar e pra tropa em em geral um aumentinho, aumentando ainda mais a disparidade de salários da tropa com as patentes mais altas.

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Poderíamos te enviar a escola, que frequentaste somente pela merenda , em casa devias passar fome ,por isso tua baixa capacidade intelectual !

Flávio Henrique
Visitante
Flávio Henrique

Os obus de 155mm não substitui os de 105mm. Embora os obus de 105mm não tenham muito alcance e poder de fogo. Eles tem uma maior mobilidade e não necessitam de um veículo tão potente fora que podem ser transportado até por helicópteros médio como o Caracal e o Merlin, em quanto um de 155mm precisa de um Chinook…

Rafael G Oliveira
Visitante
Rafael G Oliveira

Exatamente flavio…a granada 155mm é mais eficaz em operações contra blindados e fortificações de campanha…a artilharia 105mm é focada para Força Acao Rapida para atacar alvos desprotegidos na area de retaguarda (tropa desabrigada)

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

O light gun destina-se a unidades de rápida mobilidade, pelo menos pelas minhas bandas, fazendo inclusive parte da resposta de reação rápida da NATO. A doutrina das mesmas implica a capacidade de posicionar, disparar umas salvas e retirar para nova localização, a proximidade da linha da frente assim o exige.
Para todos os efeitos, uma peça moderna, que, se bem usada, é de imenso potencial e utilidade.

Marcos Alexandre Queiroz
Visitante

Light gun? Me ajuda. 105 mm .que GAC operacional! 😂😂

Carvalho
Visitante
Carvalho

Olhando alguns posts antigos, deparei com este comentário do Bacchi: “Acho muito mais logico as Brigadas de Cavalaria Mecanizadas e de Infantaria Mecanizadas comunizem a artilharia para o futuro, usando armamento comum: OAP SR 155 mm. Caminhão Tatra mobiliado com obuseiro comunizado com o rebocado da AD.” O M-109 é um excelente meio de artilharia, mas irá dar suporte para Brigadas Blindadas que usam Leopard (com muito baixa disponibilidade) e M113. (precisa desenhar?) Por sua vez, nossa Bgda Inf. Mec (que será o que temos de mais moderno em condições de combate) está com Ligth Gun 105 Rebocado (sem nenhuma… Read more »

paulop
Visitante
paulop

Carvalho: concordo que temos núcleos de modernidade no EB. Mas, devido às condições orçamentárias limitadas, um obus 155mm SR está distante, mesmo sendo parte do projeto Guarani. Talvez uma boa solução seja investir em um lote piloto (Avibras e Nexter ou fazer um desenvolvimento com os turcos). Porém, uma solução mais caseira e menos custosa, e de curto prazo, poderia ser adaptar um obus 105mm em um veículo tático em uso no Brasil. Tipo aquele da AM General. De resto não vejo muitas perspetivas.
Abraço

Carvalho
Visitante
Carvalho

Paulop,
Acho que só a chegada do M-198 resolve esta parada.
Abraço

colombelli
Visitante
colombelli

Paulo um obuseiro novo sobre rodas, no caso do Caesar, custa US$ 6.500.000,00. Nesta modernização do M109A5 foi gasto menos de 2 milhões cada.

Silas AC
Visitante
Silas AC

Qual o motivo de um obuseiro Sobre rodas custar 6,5 mi e um M109 custar 2mi ?
Já ouviu falar da lei da oferta e procura?

Gilson
Visitante
Gilson

Carvalho,
E no RS teremos 3 Bgdas de Cav Mec equipadas com Marruas, Cascavel, Urutus e RCBs de papel. Mas com artilharia de primeira!!!
Ainda bem que o M-109 é capaz de efetuar tiro direto ! Porque a 30 km/h não vai poder fazer alto volta.

“Abraçado ao canhão morre (morrerá) o artilheiro !!!!”

francisco Farias
Visitante
francisco Farias

Enquanto o Brasil compra lixo norte-americano, a pobre Coreia do Norte fabrica seus próprios misseis, submarinos, bombas atômicas.
Como dizia o personagem do Jô Soares: “Eu quero aplaudir!”

colombelli
Visitante
colombelli

e o povo morre de fome literalmente

Vovozao
Visitante
Vovozao

05/10/19 – sábado – btarde, já sei que serei criticado: porém, vejamos, nossas forças armadas só recebe sucatas, obuseiro usados na guerra do golfo, estava na sucata americana, e, sempre encontram um país para comprarem as suas sucatas. Não esqueçam nós somos a 8 economia, temos um orçamento milionário para nossas defesas, porém, não sobra nada para comprar/ produzir já que temos que manter uma FA’S monstruosa com salário e pensões quando necessitamos de equipamentos, e, ainda ouvimos que terão novos aumentos.

FighterBR
Visitante
FighterBR

M109 tá longe de ser sucata. E vieram modernizados.

Joao Moita Jr
Visitante
Joao Moita Jr

Não são sucata, não. São os mainstay dos howitzers no US Army.

Elton
Visitante
Elton

E muito complicado no Brasil quando até mesmo os próprios comandantes militares com raríssimas excessoes vêem suas corporações como símbolo de status e influência em vez de forças de defesa nacional e proteção da soberania e não procuram equalizar a questão de:efetivo x tamanho da força x capacidade operacional x orçamento disponível x meios de combate.

Marcos Alexandre Queiroz
Visitante

Muito bom seu comentário. O alto comando ,em sua maioria, Está mais preocupado com ganhos pessoais

Jorene
Visitante
Jorene

Um disparo de 155mm de um M109 faz um tremendo de um estrago. Não é sucata não.

pgusmao
Visitante
pgusmao

Muito boas colocações, não é possível termos o 13º maior orçamento militar do planeta e gastarmos 85% do valor com pessoal ativo e inativo, o gerenciamento do orçamento militar é uma piada, vivemos de material reaproveitado, com raríssimas exceções. Esse assunto é polêmico, mas tem de ser abordado, deve-se mudar urgentemente a forma de administração das Forças Armadas, não é possível continuarmos agindo como empregadores públicos e não como força militar de excelência. Um exemplo gritante é a concentração de forças no sul/sudeste em detrimento da Região Norte, praticamente toda Marinha do Brasil está no RJ, entre outros absurdos que… Read more »

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Ser da marinha do Brasil e uma maravilha amigo, não estraga o prazer dos outros.
Você ganha um bom salário, ganha pontos com as mulheres(farda branquinha, ninguem resiste), trabalha perto de casa, dos restaurantes e shoppings badalados, e ao contrário do que se diz, você não conhece o mundo. Mal e porcamente vai do Rio a Santos de vez em quando.

Flávio Henrique
Visitante
Flávio Henrique

Por isso que a MB quer a 2° esquadra e novos navios…

Ps.: Seria interessante tira da folha de pagamentos os inativos que não podem mais combater e/ou ser instrutor ou aqueles que não podem mais por causa do próprio serviço militar (em tempo de paz)…

sergio ribamar ferreira
Visitante

Concordo com o Sr. pgusmão. ressaltando que para região Norte deveríamos pelo menos ter duas brigadas de sistemas de artilharia de mísseis. Aliados com dois grupos de artilharia de105mm ( brigada paraquedista) uma brigada poderia ser sediada em Roraima. Evidente que faz -se necessário ter no mínimo quatro esquadrões de caças só na região citada. Três esquadrões na região centro oeste e dois esquadrões nas três regiões restantes. Uma logística adequada para transporte de pessoal e carga. Isso fosse pensado há trinta anos. Mantendo a mesma configuração e renovação dos equipamentos bélicos e venda dos antigos. Porém Sr. pgusmão é… Read more »

Lucas
Visitante
Lucas

Muito bem lembrado pgusmao.

A Marinha do Brasil é uma vergonha!
Alias a MB tinha que mudar e nome, deveria se chamar “Bahia da Guanabara”.
Basta ver quantidade de bases e meios concentrados no Rio de Janeiro.

Os Almirantes são, disparados, o maior câncer das Forças Armadas.
Não querem abandonar seus apartamentos no Leblon e na Barra da Tijuca, seus “happy hours” em Copacabana, a praia em Ipanema…
Que se dane a operacionalidade da Marinha.
O importante é viver bem e curtir o que o Rio de Janeiro oferece de melhor.
Bando de parasitas!

Lucas
Visitante
Lucas

Eu quis dizer “Marinha da Baía da Guanabara”

Wilson
Visitante
Wilson

Não vou defender os Almirantes pois não os conheço(e nem sou militar).
Mas sobre a localização das bases da MB no Rio, isso se deve ao fato de o Rio de Janeiro ter sido a Capital do Brasil por muito tempo, atualmente a manutenção da esquadra no Rio é por ter mais e melhores instalações e também por ser mais perto dos principais portos brasileiros (basicamente Santos e Paranaguá).

Marcos Alexandre Queiroz
Visitante

Dois almirates de Copacabana deram deslikes rs

Gilson
Visitante
Gilson

Como é que um post sobre Art AP descamba para discussão sobre a Marinha??
Vcs queriam que a Marinha estivesse onde??? No Tocantins? Quem sabe em Rondônia? ou Porto de Galinhas?
A região sudeste possui o maior PIB do Brasil. Isto implica em indústrias de base (siderurgia, estaleiros, etc) até industrias de ponta (desenvolvimento de sitemas, etc)
O mesmo vale para o EB e Aeronáutica.
Acham que basta fazer uma continha de regra de três e deslocar as forças sobre o território?

Jonemir Kramer
Visitante
Jonemir Kramer

Cometário lixo, óbvio e desnecessário.

Soares
Visitante
Soares

Qual parte é lixo e qual parte é óbvio?

Vovozao
Visitante
Vovozao

05/10/19 – sábado, bnoite, Jonemir, você deve ser um militar que só se preocupar em receber soldo/benefícios, não pensa em nada, se até o Sr presidente desta nação reconhece que nossas FA’s não tem condições de enfrentar a maioria dos países da A.do Sul, você diz que a postagem é um lixo. Veja se entende, ao sairmos da II G M, a Europa, parte da Ásia, alguns países Africanos estavam destruídos, com FA’s destruídas, grandes dívidas de guerra, o Brasil não sofreu destruição; todos esses países reconstruíram suas infraestrutura, suas FA’s, e hoje estão em posição de destaque, e nós,… Read more »

David Porto
Visitante
David Porto

Concordo com tudo! Esses militares ( Oficias), chegam na segunda-feira, pensando na sexta-feira, começam o dia primeiro do mês, já vendo o último. Se aposentam muito cedo, isto mesmo aposentadoria, essa conversa de reserva é para boi dormir.

Tiago
Visitante
Tiago

este vídeo respondera suas duvidas sobre o assunto .
https://www.youtube.com/watch?v=BrLPotdqbwk

Kommander
Visitante

Não ligue para os deslikes Vovozão, concordo em grande parte com o que você disse. O EB principalmente, é uma máquina de comprar velharia, são raras as exceções, como o M109, muitos países de primeiro mundo ainda utilizam como obuseiro principal.

Augusto Mota
Visitante
Augusto Mota

Vovozao, vc está por fora, estão quase novos, e ainda foram modernizados, estão e condições excepcionais, não tem nada de sucata, vá se informar melhor, até a Grã-bretanha adquire equipamentos usados dos EUA via FMS. Como os EUA compram em grande quantidade para baratear o preço, eles tem muuuuita coisa sobrando, muitas nem foram usadas, ou se foram o uso foi mínimo, ficam estocadas esperando compradores, comprar via FMS é um excelente negócio.

Marcos Alexandre Queiroz
Visitante

No caso destes obuses é exceção. No geral é só sucata

adler medrado
Visitante
adler medrado

E ainda insistem com serviço militar obrigatório.
Tenho um filho deficiente que acabou de fazer 18 anos e o EB quer que eu o leve à junta. É de lascar.

sergio ribamar ferreira
Visitante

Não precisa levar o seu filho a junta sr. adler. leve os c=documentos que comprovem a deficiência do jovem. De preferência atestado de dois médicos e laudo com exames. cito dois médicos para reforçar a necessidade de não poder leva-lo . Existe amparo.
Boa sorte amigo, fique com Deus.

Augusto
Visitante
Augusto

Vovozao, li o que você escreveu aqui e mais abaixo. Concordo com tudo, mas você foi longe ao chamar de sucata esse material. Tava indo bem, mas forçou a barra demais, hein!

Vovozao
Visitante
Vovozao

06/10/19 – domingo, bdia, Augusto, o que eu escrevi não desprestígio o equipamento, e, sim nossas FA’s, quantas nações hoje produzem seus equipamentos com orçamentos menores que o do Brasil, e, nós sempre compramos de 2a. mão, houve uma época que chegamos a ser o 4 maior produtor/exportador de armas, porém, interesses maiores destruíram nossa indústria armamentista como estamos destruindo agora nossa indústria aeronáutica (com a concordância dos governantes), e sim esses M-109 foram usados na guerra do golfo, americano manda para os depósitos com 2 interesses 1) em caso de conflito poderão ser atualizados (tem um custo), ou, 2)… Read more »

Pablo
Visitante
Pablo

Se e sucata como tu mesmo falou, me explica o motivo da força aerea americana ter ativado um B52 dessa mesma “sucata”??

Vovozao
Visitante
Vovozao

Como disse acima, colocam para 1) ser usado caso necessário (com algumas atualizações); 2) para venderem aos países ”amigos” trazendo alguns TRUMP’S, e obrigando o comprador a fazer atualizações nos USA, criando empregos. Quanto aos B52, nunca vi eles venderem/doar nenhum, e, até hoje os B52 são as Kombis americanas, por isso fizeram uma atualização e colocaram ele para operar.

Pablo
Visitante
Pablo

Nao falei.em vender, falei em reativar do estoque de “sucatas” um avião com mais de 50 anos de idade. Não vi esses comentarios do tipo “pegando do ferro velho” como estão comentando do M109 do EB. Só prova o quanto de vira lata tem aqui.

sergio ribamar ferreira
Visitante

Concordo com o sr. Pablo. Aquisição dos 155mm foi boa. poderíamos ter mais.

sergio ribamar ferreira
Visitante

Sr. Vovozão, a nossa indústria de Defesa não é subsidiada pelo governo. Isto é um erro. Todos os países adquiram produtos , equipamentos, armamento, enfim, através de seus governos. Aqui isto não acontece. concordo com o sr. Pablo. Peço desculpas.

Marcos Alexandre Queiroz
Visitante

Não entendi tantos deslikes na afirmação do amigo.
Será que todos que deram deslikes apoiam esse gasto descomunal com pensões? Por isso que vamos continuar sem investimentos e com as sucatas .

Delcídio
Visitante
Delcídio

Ou seja, fala por falar já sabendo que será criticado pela falta de assunto, deserto de idéias e sentido no que argumenta…

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Ótima notícia.
Seria interessante a aquisição de mais algumas unidades dos estoques do Us Army e modernizar no Brasil com empresas nacionais e consultoria técnica da Bay Sistens.
O que acontecerá com os M-108 ?
Seria viável a modernização e transformação de algumas unidades em unidades especiais?
Tais como lança pontes, desminagem, VBCI (com torre TORC-30mm), C2, remuniciadoras, porta morteiros pesados etc..
Obs: Um novo padrão de camuflagem Multicam para os veículos do EB e seguindo o futuro padrão dos fardamentos seria interessante.

paulop
Visitante
paulop

Foxtrot: penso que os M-108 poderiam servir de plataforma para um Morteiro AutoPropulsado que viria a ser empregado pelos PelMortPes dos RCB e BIB. Daria mais poder de fogo para as unidades. O morteiro M2 poderia ser empregado nessa plataforma, com recarga pela culatra.
Abraço

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Caro Paulo, esse morteiro M2 seria os morteiros de 120 mm raiados nacional?
Penso que um desenvolvimento conjunto entre Ares, Ctex e Equitron daria para desenvolver um morteiro automático nacional.
Mas acho que as plataformas M-108 se bem estudadas e modernizadas ainda serviriam para funções especiais como as descritas por mim acima.
Cordial abraço !

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Os futuros fardamentos brasileiros, pelo que sei, não são multicam, mas sim do tipo “digital” ou pixelado ou lá o que é….

colombelli
Visitante
colombelli

O EB manterá o padrão de camuflagem. So muda o tecido e o corte do fardamento. A Marinha é que está mudando

sergio ribamar ferreira
Visitante

Concordo com o Sr. Foxtrot. Se nossa indústria fosse subsidiada por nossos governos seria melhor ainda. Que gerem competitividade para se obter o que as Forças Armadas necessitam. geraria empregos. Não me refiro a estatizar , e sim, subsidiar a Indústria. Grande abraço.

Pedro
Visitante
Pedro

Vão acabar indo pro Uruguai…

colombelli
Visitante
colombelli

os M108 estão em ótimo estado e houve menção quando se contratou os M109 de que possam ser usados como remuniciadores ou centrais de tiro.

Bardini
Visitante
Bardini

Agora só falta tomar vergonha na cara e arranjar a grana para comprar o Radar de Contrabateria…

paulop
Visitante
paulop

Que seja então o ARTHUR da SAAB. Adquire um equipamento top e estreita os laços de cooperação com a parceira pra toda a vida das FFAA brasileiras.
Aliás, está ai uma deficiência que a artilharia tem de sanar: um radar de contra bateria e um de vigilância terrestre para cada GAC das Forças de Emprego Estratégico.
Abraço

paulop
Visitante
paulop
sub urbano
Visitante
sub urbano

Contrabataria do EB em caso de Guerra seria executada por PELOPES em missões quasi suicidas. Infelizmente essa é a realidade do Brasil.

Fagner
Visitante
Fagner

Eo 18GAC fico rodado

Guerreiro vermelho
Visitante
Guerreiro vermelho

Pessoal porque não temos regimentos de cavalaria pesada no centro oeste onde se predomina o cerrado e nem no nordeste onde se encontra a caatinga ?

Kommander
Visitante

Porque não tem dinheiro pra criar um novo regimento de CC e no nordeste o que deveria era ter mais presença da marinha e força aérea, pois é um território costeiro.

JS666
Visitante
JS666

Como vão nos invadir pela caatinga ? No MS existe o RCB com M60, já sobra comparado com os vizinhos da região.

Salim
Visitante
Salim

Se instalar modernização kit israelense com canhão 120 mm igual os da Turquia o m60 fica mais poderoso que os leo 1a5. Teria um preço legal e se precisar mais e só pegar via FMs ( se tiver algo bom estoque ) Náo teria nada superior america sul e pouquíssimas tropas de fuzileiros no mundo tem algo melhor em quantidade.

ALEX TIAGO
Visitante

Bom dia Salim, não sei o valor dessa modernização hoje o que se sabe que na epoca que a turquia realizou essa modernizacao ela teve valor bem elevado logico que a turquia absorveu muita coisa boa dela mas pensando nela hoje penso que receber m1a1 abrams seria mais relevante com celulas mais recentes mais novas. Tem coisas que não entendo bem vi em outro site esses dias uma materia com planos do EB que fa referencia na aquisicao de leopard 1a3 para os regimentos que temos de peopard 1a1 e acredito que de M60 penso que seria mais prudente entrar… Read more »

Salim
Visitante
Salim

Caro Alex, concordo com VC uma analise financeira, operacional e quanto a eficiência campo de batalha tem que ser pré requisito para qualquer tomada de decisão.

Marujo
Visitante
Marujo

Os M-109A-5 desgastes serão elevados a este padrão?

Lucas Schmitt
Visitante

Não, serão apenas revisados, mas sem nenhum upgrade. Teremos 3 versões de M109 no EB, A3, A5 e A5 plus.

colombelli
Visitante
colombelli

primeiro recebem uma revisão pra serem postos em operação como estão. Posteriormente o plano é modernizar todos os A5 restantes e os A3 do lote belga pra este mesmo padrão A5BR

Lucas Schmitt
Visitante

Coisa que mais tem nas Forças Armadas Brasileiras são planos…

ALEX TIAGO
Visitante

boa tarde Colombelli então o plano do Exercito sera deixar tudo no mesmo padrao os 37 do lote belga, 60 do lote a5 e 32 do lote a5 br plus tem esse objetivo de ter 129 unidades ou aproximadamente???porque pelo que me lembro tinhamos 37 a3 e 72 M108.

colombelli
Visitante
colombelli

Positivo, se tu pesquisares na web entrevistas dos generais e as noticias divulgadas nos ultimos anos o que foi divulgado é isso. Se vai ter recursos é outra questão, mas pra cada blindado dá menos de 2 milhões cada. Não vejo como algo impossivel em um prazo de 10 anos. Os A3 na tropa são 36. Ficaria 128. E os M108 atuam em 4 grupos quaternários, ou seja 16 peças em 04 baterias ( 3 no RS e um no PR), daria hoje 64.

ALEX TIAGO
Visitante

Colombelli os M108 se manterá operacional??? Assim dessa forma manteremos todos estes meios no sul do Brasil??? Não tinha planos de mobiliar unidades em outras regiões com certa necessidade na região morte?? ?

colombelli
Visitante
colombelli

Operacionais não serão mantidos. Será dado baixa. E houve estudo de uso do chassi para outras funções pois são muito pouco rodados e estão em ótimo estado. No norte eles seriam inadequados. Lá precisa de meios que possam ser levados por helicóptero. Ademais, ja temos bom numero do M109 pra isso e ainda tem a compra dos M198 e L118 ou M119. Não descartaria que alguns M108, algo como dois grupos ( 24 peças), possam ser postos em reserva como os M60, mas maioria será ou vendida como sucata ou reutilizada em outra função como remuniciador, veículo de socorro ou… Read more »

Jeff
Visitante
Jeff

É antigo sim, mas foram modernizados e pra vizinhança que temos hoje, é uma boa solução.

Pior que comprar armamento antigo mas que funciona bem, seria comprar armamento de última geração, pagar caro e não poder manter nem operar por falta de verba. Isso sim seria burrice.

Enquanto o nosso país não aprende a usar melhor os recursos destinados às forças armadas, vamos nos virando com esse tipo de solução.

São muito bem-vindos.

Rogério Barcelos Midão
Visitante
Rogério Barcelos Midão

Entendo que a blindagem do Obuseiro M109 A5+BR e bastante conservada! A diferença entre outro do mesmo tipo e novo e pouca!!! A Tecnologia Embarcada e só adaptar e fica igual a Outro novo!!!

Fabio Araujo
Visitante
Fabio Araujo

E vamos recuperando o poder de nossas forças armadas!

Claudio
Visitante
Claudio

Sucata reformada

Carlos
Visitante
Carlos

Com Toda Educação Cláudio cala sua Boca , Você não conhece Bulufas nenhuma .

Cristiano Salles (Taubaté-SP)
Visitante
Cristiano Salles (Taubaté-SP)

Boa compra…, acho bem estratégico nossa artilharia ficar móvel e ligeira…

E concordo com os colegas a respeito de uma reestruturação das Forças Armadas…, dar uma enxugada no efetivo que não agrega valor…, serem forças compactas e dinâmicas…, acabar com essas regalias de filhos de oficiais receberem pensões…, muitas festas desnecessárias com salmão, lagostas e outras regalias supérfluas…

Tirar essa mentalidade latina dos comandantes, de status e muitas cerimônias desnecessárias…

Gabriel BR
Visitante
Gabriel BR

Os espanhóis, franceses , italianos e portugueses não são assim…esse negócio é coisa de brasileiro mesmo.

Gilson
Visitante
Gilson

“Boa compra…, acho bem estratégico nossa artilharia ficar móvel e ligeira…”
Ficar móvel fica….
Mas ligeira ???
Parece que no Iraque o M109 ficou sempre para trás!!
Quem trabalhou mesmo foram os MLRS

Gabriel BR
Visitante
Gabriel BR

Eu vejo como uma excelente aquisição feita pelo EB , tendo em vista que essas viaturas estão em excelente estado e foram modernizadas com material de primeira qualidade. Amigos, sejamos francos…a América do Sul é uma das regiões mais desmilitarizadas do planeta e o cenário operacional não vai cobrar mais do que isso pelos próximos 10 anos , sendo assim se podemos economizar em algumas áreas de forma a viabilizar a alocação de recursos para projetos mais emergenciais como: a aquisição dos LMV , projeto guarani e aquisição dos helicópteros de ataque e etc. Estamos a fazer a escolha mais… Read more »

Marujo
Visitante
Marujo

Agora, fico aguardando a a aquisição dos M- 198, que viriam render os M-114, da 2 Guerra Mundial. E também dos M-119, que substituiriam os M-101. Parecia que o negócio era para ontem, mas até agora nem sinal.

Mauricio R.
Visitante

O Light Gun somente para a selva, os paraquedistas e quem sabe os fuzileiros navais, agora se por algum milagre da natureza obtiverem alguns M777; 777A-1 melhor ainda, ai nem falta faz.

Alfa BR
Visitante
Alfa BR

E a 12ª AMV.

Mauricio R.
Visitante

Vai depender do helicóptero de manobra, pesquisei muito rapidamente e não obtive esta resposta.
Se for o Panther, vão ter que se contentar com aqueles morteiros, igualmente franceses.
Se for Black Hawk, dependendo da versão, assunto resolvido.

Whip
Visitante
Whip

Tudo tem de estar amarrado na doutrina estratégica do país e de cada força. Quem são os inimigos potenciais? Argentina em vias de ter uma mudança política “para o mal”? Venezuela, com uma força aérea muito mais poderosa e potencialmente um inimigo? China? Super poderosa mas ainda com poucos meios de exercer seu poder fora da Ásia? EUA, se Trump perder as próximas eleições e um democrata esquerdista ganhar? Hoje em dia os meios de superfície da Marinha são antigos e não durariam um dia lutando contra uma Marinha moderna – o único meio naval que pode causar realmente estrago… Read more »

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Whip. Você levantou um ponto relevante para os debates aqui na trilogia. Acho bastante fácil entender as necessidades da FAB, combinando o controle de tráfego aéreo com defesa aérea para que tenha alguma capacidade de superioridade aérea. A importância do submarino nuclear para criar uma dissuasão no Atlântico sul. Tanto a FAB quando a MB tem inimigos difusos mas missões bem caracterizadas. Por outro lado, eu tenho muita dificuldade de entender o EB (com exceção talvez das missões de paz da ONU e da brigada de paraquedistas). Acho bem difícil pensar sobre a necessidade de equipamentos do EB e… Read more »

Carvalho
Visitante
Carvalho

Camargoer,
Sugiro a seguinte leitura:
https://www.defesa.gov.br/arquivos/ensino_e_pesquisa/defesa_academia/cadn/palestra_cadn_xi/xiv_cadn/cenarios_de_defesa_2039.pdf

Ao final da apresentação (a partir da página 90) estão as pranchas Implicações p/ Segurança e Defesa.

A partir dali se pode pensar sobre as necessidades de equipamentos do EB

Saudaçõies

Carvalho
Visitante
Carvalho

Destaco as seguintes ameaças: ID 20 – Tensões sociais no Brasil Questões agrárias, indígenas, ambientais, de segurança pública ou outras demandas poderiam se potencializar e gerar conflitos que extrapolem a capacidade de atuação dos órgãos de segurança pública, exigindo o emprego das Forças Armadas na garantia da lei e da ordem. ID 21 – Hostilidades contra cidadãos e bens brasileiros no exterior Instabilidades políticas e sociais em países onde haja cidadãos e empresas brasileiras exercendo atividades econômicas, permanentes ou temporárias, poderão torná-los alvo de represálias e expropriações, exigindo a intervenção das Forças Armadas no sentido de proteger-lhes a integridade física… Read more »

Carvalho
Visitante
Carvalho

Uma última consideração importante:
As ID21 e ID25 envolverão ações de caráter expedicionário e OFENSIVO

Agnelo
Visitante
Agnelo

Prezado Os equipamentos são adquiridos pra que as Funções de Combate de uma Bda e/ou Div possa cumprir sua missão. As tarefas q são executadas tem de ter ENORME integração. E podem ser compensadas. Por exemplo, se vc tem menor Bld, vc pode ter uma melhor Art (em calibre e alcance) pra compensar a outra falha. Cada Bda tem uma vocação de missão e região a ser empregada. Com base nisso, são completaras em material, pessoal e recebem $$ pra treinamento. Pra entender a localização das OM tem de se entender a motivação histórica do posicionamento e a adaptação pra… Read more »

colombelli
Visitante
colombelli

A dificuldade não é so sua Camargoer. Mesmo pessoas que hoje são militares da ativa as vezes não tem a noção do todo e não conseguem intuir quais os caminhos a serem tomados. Mas grosso modo devemos entender que existe uma estratégia de presença no território nacional ao mesmo passo que se mantem alguns núcleos de excelência ou com maior poder combativo a fim de manter superioridade no nosso cenário complementados pela tropa comum esta ultima valendo pela massa. A brigada paraquedista e a aeromóvel são concebidas para ação rápida em qualquer parte do território nacional. Um efetivo de duas… Read more »

vicente
Visitante
vicente

excelente!!!!!!!!!!!

Otto Lima
Visitante

Esses obuseiros autopropulsados de 155 mm foram uma boa aquisição do EB. Agora é buscar novos obuseiros rebocados para substituir os 105 mm e os 155 mm americanos da Segunda Guerra Mundial. E que tal uma versão morteiro autopropulsado de 120 mm do Guarani para as brigadas de cavalaria mecanizada?

Pedro
Visitante
Pedro

O Brasil vai receber obuseiros rebocados do tio Trump, só não sei a data! Vai ser pelo mesmo sistema de recebimento dos obuseiros autopropulsados… com certeza tem o link aqui na página…

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Estes obuseiros estão no mesmo nível em relação aos equipamentos russos Msta-S que a Venezuela possui?

ScudB
Visitante
ScudB

Não. Mas depende muito do fator QO.

elcimar marujo
Visitante
elcimar marujo

eses tubos estão sem o quebra chamas tradicional.sera instalado depois por causa do tamanho,para melhor acomodação no porão do navio,ou esse modelo não faz uso. ?

Gilson
Visitante
Gilson

Elcimar, Se trata do freio de boca. Reduz em até 15% a força do recuo. É rosqueado no tubo.
Provavelmente foram retirados para facilitar a faina de carregamento.

João Moro
Visitante
João Moro

Complementando a notícia, 16 unidades virão para o grupo aqui de Curitiba, que já trabalha com versões anteriores deste obuzeiros autopropulsados. Se puder, quero ir ver esta máquina!
https://www.youtube.com/watch?v=xkyyRAZqx2E

Welt
Visitante
Welt

O EB tem muitos problemas pra resolver sim mas neste caso acertou.
Artilharia não tem nenhuma evolução significativa faz uns 60 anos e esses bichões aí com todas atualizações dão conta do recado.
Acima disso tem pouca coisa disponível ou que ainda esta em desenvolvimento (munição guiada)
Único ponto que eu acho interessante seria ver uma parceria no desenvolvimento de uma 155 rebocado por caminhão igual da família DANA, NORA B52, Denel T5..até a Norinco fez um bichão desses.

Bardini
Visitante
Bardini

Não tem nenhuma evolução faz 60 anos 🤣🤣🤣

Welt
Visitante
Welt

No sentido de que o obus é disparado por um tubo e depende das leis das física para acertar o alvo, caro Bardini.
Lógico que evoluções técnicas de materias, carregamento automático e como disse munições guiadas já existem mas no conceito geral continua igual.

Bardini
Visitante
Bardini

Eu quero estar vivo pra ver um obus sendo disparado sem obedecer as leis da física…

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

Quantas unidades do M-109 o EB dispõe agora?

Juarez
Visitante
Juarez

Plenamente operacionais somente os 36 M 109 A 3 comprados da Bélgica a vinte anos.
Daqui uns dois anos teremos 32 M 109 A5 plus que chegaram agora e mais 36 M 109 A 5 sem modernização que estão sendo revisados no parque de mamutencao e o resto vai virar scrapper junto com os A 3.

Bueno
Visitante
Bueno

Juarez, pra você, foi uma boa aquisição?
Perguntando, pq gosto de ler suas criticas, umas bem fundamentadas.
É um patriota com os pês nos chão.

paulof
Visitante
paulof

40 M109A3
96 M109A5

colombelli
Visitante
colombelli

128 sendo 32 A5 BR, 60 A5 e 36 A3. Todos em território nacional. Sendo os A3 em operação e os A5 restantes no parque regional 5 aguardando revisão para serem postos em operação nos exatos termos que estão. Estão aguardando, alguns, peças pra terem plena capacidade. São 32 baterias que podem ser enquadradas em 10 grupos

MFS
Visitante
MFS

Acredito que não mais que uns 80 e poucos sejam mantidos na ativa e os demais servirão como fonte de peças

colombelli
Visitante
colombelli

pra estes 32 tem mais 8 específicos para fonte de peças. O lote era de 40

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

Obrigado, Colombelli!

colombelli
Visitante
colombelli

Com a modernização ficam em estado de novo e apresentam um padrão que é pouco abaixo do que os EUA usa. Hoje é o que há de mais moderno na AL. Poderemos ter 10 grupos mobiliados com os M109 o que daria pra mobiliar as AD, as duas brigadas blindadas e as 04 de cavalaria. Os 60 A5 não modernizados serão revisados logo que terminar o projeto do M-113 e deverão começar a ser postos na tropa ano que vem. Com a previsão de 120 M198 mais 10 grupos podem ser mobiliados. Levando em conta os 5 grupos com o… Read more »

Eduardo Jardim
Visitante
Eduardo Jardim

Boa noite Colombelli, militares e demais foristas.

Quais as possibilidades de emprego dos M109 nas ações ofensivas e defensivas?

Quais as características de emprego da artilharia propulsada e rebocada?

Há muita diferença entre as versões A5+, A5 e A3?

O forista Camargoer citou a dificuldade de entender as diferentes brigadas do Exército. Quais as funções de cada tipo de brigada?

Dá para sonhar com pelo menos duas ou três brigadas no estado da arte? Assim como a FAB terá dois esquadrões de Gripen, por exemplo.

Desculpem-me pelo número de perguntas mas idéia é colaborar com o debate.

colombelli
Visitante
colombelli

Eduardo, vou tentar responder tua perguntas dentro das minhas possibilidades e dos limites do espaço, de forma bem sumária . Especificamente este modelo A5BR representa uma revolução na nossa artilharia. Entra em posição e faz 10 disparos em menos de 5 minutos. Pode ser deixado em locais escondidos e tomar a posição de tiro somente na exata hora, atirar e sair rapidamente para outra posição evitando tiro de contrabateria. Uma bateria convencional demora no minimo meia hora pra entrar em posição se for muito bem adestrada e não muda rapidamente de posição. Na defensiva, permitem flexibilidade de bater vários alvos… Read more »

Eduardo Jardim
Visitante
Eduardo Jardim

Obrigado Colombelli.

Procuro contribuir perguntando. Acho que minhas curiosidades são as mesmas dos foristas sem experiência militar.

colombelli
Visitante
colombelli

toda pergunta é válida. pergunte sempre que quiser. Eu dentro dos meus limites e experiências e dos limites do espaço, procurarei responder. Se tu quiseres tenho um texto escrito a 7 anos que tem mais considerações. Muita coisa está desatualizada mas algumas ainda são válidas: https://docs.google.com/file/d/0ByIqIKbd6naPME04QkhIQldMRE0/edit

Agnelo
Visitante
Agnelo

Vc falou q estava afastado há muito tempo…
Acho q está faltando com a verdade!
Kkkkkk
Sds

colombelli
Visitante
colombelli

Pois é Agnelo. Lá se vai 22 anos que não uso uma farda oficialmente, mas como ouvi certa feita “não existem ex padres nem ex militares”. Uma vez vestida a farda nunca mais sai da gente. É dificil não buscar se manter atualizado e informado quando a vocação nasce com a gente. E hoje a internet, e inclusive espaços como este, nos fornecem, felizmente, esta possibilidade de informação e de conversar com militares, da ativa e da reserva, e com entusiastas, o que ajuda a matar a saudade de um bom campo, de uma patrulha, de uma maneabilidade.

MFS
Visitante
MFS

Existem hoje 10 grupos com M101 , 5 com M114, 4 com M56 Oto Melara, e 2 com o Light Gun, 21 grupos rebocados, e os 5 autopropulsados deverão operar todos o M109A5

colombelli
Visitante
colombelli

MFS há 6 com M114, sendo dois no RS, um em SP, um em Minas e 2 no RJ. Os AP também são seis, pois há 4 ( 2 em brigadas com M108 e 2 nas AD 3 e Ad 6 com M109-A3) no RS e 2 no PR sendo que um dos grupos ap do RS será extinto. Os Otto melara devem ser 5, pois são as duas leves ( 11 e 12), a pqdt e as duas de selva. O total hoje são 28 grupos.

Entusiasta Militar
Visitante
Entusiasta Militar

Tem horas que nao da nem vontade de comentar com centenas de comentários ridículos e absurdos de quem nunca pisou num quartel e se acha especialista por jogar CS e ver sites de defesa.

Mas vamos la …

Ótima aquisição desse modernizado obuseiro que é excelente e usado com sucesso em vários países, Mas , lamento o fato de serem poucas unidades e terem demorado um tempo maio do que gostaríamos para chegar

Luiz Floriano Alves
Visitante

Uma delícia apreciar um desembarque de equipamento útil e necessário para o EB. Espero por mais notícias deste calibre: MB recebendo suas corvetas ou fragatas leves e a FAB voando seus SAAB Grippen. Quem quiser aventuras dentro de nossas fronteiras vai pensar melhor. Não sairá barato. Nossos militares saberão fazer bom uso do que tem em mãos. O Marques de Pombal respondeu ao rei da Espanha, ao ser ameaçado de invasão: tanto vale um homem dentro de sua casa que mesmo morto são necessários quatro para o carregar. Nosso legado histórico é de luta com o que temos. Meu avo… Read more »

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Entusiasta Militar e Luiz Floriano Alves assino embaixo. – Equipamento BBB (bom, bonito, barato), nada contra, e pode vir mais. – Fazendo uma comparação histórica: Os carros de combate de lagartas fazem hoje o que os carros de boi faziam em séculos atrás. Ao enfrentarem qualquer terreno… Todos os grandes deslocamentos de exércitos antigos, por relevos difíceis de aclives, declives e enormes distâncias, se faziam acompanhar pelos carroções de mantimentos, ferramentas, utensílios etc, puxados por bois. Sendo que o boi foi o animal mais sagrado por vários milênios. Ouro Preto (Vila Rica), a antiga capital de Minas Gerais, para estrangeiros… Read more »

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

O botânico francês August de Saint-Hilaire, explorando nossa diversidade natural, no início do século XIX, ficou horrorizado com a localização de Vila Rica.
Fonte: Segunda viagem do Rio de Janeiro a Minas Geraes e a São Paulo, 1822, Biblioteca virtual da Câmara dos Deputados.
Leitura interessantíssima para quem gosta de saber mais sobre nossas origens brasileiras. E grátis em PDF.
Tive a sorte de ler em papel, muitos anos atrás, um livro sobre a Viagem ao Rio Grande do Sul, mas agora em PDF seus registros de viagens pelo Brasil estão ao alcance de todos que apreciam estes assuntos.

colombelli
Visitante
colombelli

Um gaudério de fundamento teu avô

Carvalho
Visitante
Carvalho

O IV Seminário do Sistema Operacional Apoio de Fogo, ocorrido na Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (EsAO), em 2006, apontou como sendo as principais tendências mundiais para as forças armadas e, em particular, para a artilharia de campanha, os seguintes aspectos: 1) GRANDES UNIDADES LEVES, COM MAIOR MOBILIDADE TÁTICA E ESTRATÉGICA 2) Consolidação dos calibres 105 mm e 155 mm como padrão, mesmo por países não-ocidentais; 3) Preponderância do calibre 155 mm perante o 105 mm, devido á maior tecnologia da munição, maior letalidade e alcance. 4) Constante aperfeiçoamento da munição e material de calibre 155, com “base bleed” (BB),… Read more »

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Mais preparado para cenários futuros…
Armas de altíssima velocidade.
Armas de grande alcance.
Armas de energia dirigida.
E para as três forças. Esta é a tendência. Não adianta negar.
Mas muita coisa atual, bem convencional, continuará em uso por muito tempo ainda.
Com o advento dos modernos e pequenos mísseis anticarro, foi cogitada a extinção dos carros de combate nas décadas de 80 e 90 passadas, entretanto seu espaço de uso continua.

Carvalho
Visitante
Carvalho

Mais material sobre o assunto:

O Relatório Final sobre o Simpósio “O futuro da Art Cmp no processo de transformação da Força Terrestre” ocorrido em dezembro de 2011 o aponta o OBUSEIRO SOBRE RODAS como material ideal para dotar as Brigadas Mecanizadas em constituição no Exército Brasileiro.

Carvalho
Visitante
Carvalho

Cito ainda o Artigo A Artilharia de Campanha da Bda Inf Mec: Um estudo sobre seu obuseiro Major André Mendes Pereira de Paula É de fundamental importância que o sistema apoio de fogo possua a mesma capacidade de deslocamento e de transposição de obstáculos de sua brigada, a fim de possibilitar a manutenção do apoio de fogo adequado durante as diversas operações. A composição veicular da Bda Inf Mec é distinta de outras GU, uma vez que é composta somente por viaturas sobre rodas, sendo que até mesmo o RCC possuirá apenas esse tipo de viaturas. Assim sendo, NÃO SE… Read more »

Luiz Floriano alves
Visitante

Carvalho
Os modernos sistemas de artilharia se apresentam com a peça instalada sobre um chassis de rodas de boa velocidade. Na parada do aniversário da China vimos muitos desse tipo, moderníssimos. Quem não os possuem tem que coloca-los sobre plataforma de pneus e dar a velocidade de mudança rápida de posição como se requer. Tal como no velho ditado: quem não tem cão caça com gato. Abço.

Teórico
Visitante
Teórico

Indico o link abaixo sobre a nossa artilharia:

“CONCLUSÕES PARCIAIS DOS DEBATES DO FÓRUM APOIO DE FOGO”. O Fórum foi realizado EM 2012.

cartaman2011.wordpress.com/2012/05/11/a-evolucao-do-sistema-operacional-apoio-de-fogo.

Boa leitura !

Carvalho
Visitante
Carvalho

Boa tarde Teórico,
Li o material, e ali reforça que peças 155 AP sobre lagartas não são compatíveis com a velocidade e flexibilidade das Bgdas Mecanizadas. Indica AP sobre rodas ou mesmo rebocadas.
A novidade é que fala explicitamente em desenvolver no país ou em consórcio com nação amiga um Obuseiro AP Sobre Rodas.
Dito por oficiais do EB

Boa indicação!
Abraço