Home Defesa Aérea Sistema de defesa aérea S-500 terá capacidade ‘anti-espacial’

Sistema de defesa aérea S-500 terá capacidade ‘anti-espacial’

3868
35
Concepção em 3D dos lançadores do S-500

No mês passado, uma subsidiária da fabricante Almaz-Antey do S-500  confirmou que vários componentes do sistema de defesa aérea da próxima geração haviam sido desenvolvidos e testados, com o complexo concluído para começar os testes militares no final deste ano.

O S-500 não é apenas um sistema convencional de defesa aérea e de mísseis, mas uma arma anti-espacial cuja introdução alterará fundamentalmente as capacidades de defesa aérea da Rússia, diz o coronel Sergei Khatylev, ex-chefe das forças antimísseis do comando das forças especiais da Força Aérea Russa.

“O sistema é capaz de realizar várias tarefas, por exemplo, a detecção e destruição de alvos aerodinâmicos convencionais, aviões e helicópteros, mísseis de cruzeiro – qualquer coisa que voe a velocidades até hipersônicas. Além disso, o S-500 pode abater alvos balísticos, e não apenas durante a parte descendente de seu voo, mas em todos os outros estágios. E aqui as velocidades já são cósmicas – vários quilômetros por segundo”, disse Khatylev, falando ao jornal Moskovskiy Komsomolets.

Com sua capacidade de atingir alvos em um alcance de até 600 km e uma altitude de quase 200 km, o S-500 pode efetivamente se defender contra alvos no espaço próximo. Em outras palavras, “essa é uma arma anti-espacial”, enfatiza Khatylev. “O complexo apresenta uma abordagem de partição em que um localizador trabalha em alvos que voam na altitude máxima, enquanto o outro é usado para aqueles que voam perto do solo em altitudes de até 30 km”, explica ele.

Segundo o comandante aposentado, as capacidades do S-500 alterarão fundamentalmente as defesas de mísseis da Rússia, que, desde os dias da Guerra Fria, tradicionalmente estavam concentradas em Moscou.

“Com o advento de um complexo como o S-500, podemos falar sobre a defesa antimísseis de territórios inteiros. Mais tarde, quando a produção desses sistemas aumentar e eles melhorarem, poderemos falar sobre a criação, com base nas defesas aeroespaciais de toda a Federação Russa”, diz Khatylev.

No mês passado, o Bureau de Design para Construção de Máquinas Especiais, uma subsidiária da Almaz-Antey, confirmou que o lançador do S-500, o localizador multifuncional, o chassi do posto de comando do localizador de defesa antimísseis e unidades transportadoras para o radar de alerta já foram desenvolvidos, com os testes em andamento.

No final do ano passado, o Ministério da Defesa da Rússia informou que os testes estatais começariam em 2020, com entregas às forças armadas em 2025. A gigante de defesa russa Rostec indicou que a primeira prioridade será fabricar o sistema para as forças armadas russas antes de qualquer conversa sobre as exportações.

FONTE: Sputnik

Subscribe
Notify of
guest
35 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo
Fabio Araujo
7 meses atrás

Se tem uma coisa que os russos fazem bem é defesa anti-aérea, não duvido que venha a ter defesa anti-espacial os misseis intercontinentais seriam um dos alvos do sistema.

pangloss
pangloss
Reply to  Fabio Araujo
7 meses atrás

Se tem uma coisa que os russos fazem bem é propaganda mentirosa, não duvido que venha a ter defesa anti-factual. A verdade seria um dos alvos do sistema.

Plinio Carvalho
Plinio Carvalho
Reply to  pangloss
7 meses atrás

Russia tem propaganda? tem, idai? Estados Unidos tb tem, quem tem o que vender tem que fazer propaganda, propaganda é a alma do negocio. Só sei que se os equipamentos militares russos e suas doutrinas fossem ruins os russos não tinha vencido toda guerra q entrou desde a década de 90, tanto as guerras civis, que foram varias, quanto as guerras externas, incluindo a guerra da Siria, de um total de 10 guerras eles “perderam” apenas 1 (Primeira guerra da Chechênia, a segunda eles venceram).

Rafa_Positronn
Rafa_Positronn
Reply to  pangloss
7 meses atrás

Propaganda mentirosa quem faz é HOLLYWOOD

Enquanto nos filmes nós vemos os EUA salvando o mundo de colisões de asteróides e virus mortais, na vida real eles passam a perna nos países “aliados”, roubam e contrabandeiam material hospitalar dos outros

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  pangloss
7 meses atrás

Se tem uma coisa que você faz bem é contar mentiras, não duvido que venha a ter uma defesa inescrupulosa dos interesses da elite. A integridade é um dos alvos da sua atitude.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Fabio Araujo
7 meses atrás

Na medida para atacar as ‘stormtrooper’ de Trump.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
7 meses atrás

Boa noite Senhores! É a nossa Comissão Conjunta de trabalho para pesquisa, investigação, desenvolvimento e etc? Cadê? Resultados preliminares? Noticias? Teve um man aqui, que me criticou… cadê tu soldado? Anos de caserna me ensinaram na prática que esse papo de conjunto não dá certo em nossas forças armadas (particularmente eu acho isso uma pena, pois o pensamento conjunto queima etapas). Notem caras pálidas que não me refiro a manobras, pois daqui a pouco, teremos comentó de nego pedindo para eu ver os muitos exercícios conjuntos de nossas FFAA. Eu me refiro a pesquisa, desenvolvimento e adoção de material. Vou… Read more »

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Claudio Moreno
7 meses atrás

Absurdamente ridícula a falta de padronização e apoio da MB(infelizmente isso rola nas três forças mas está perdendo a força 🙏) e seus comandantes metidos a besta q nessa babaquice levaram a mesma ao estado q se encontra.😏

XFF
XFF
Reply to  Tomcat4,2
7 meses atrás

Os Comandantes das três Forças não são nacionalistas. Parece que eles são doutrinados a não incentivar empresas nacionais a desenvolver equipamentos de ponta. Preferem comprar tudo das grandes indústrias de defesas internacionais, negligenciando desenvolvimento nacionais.
A Engesa foi a falência por incompetência da Forças Armadas e do governo.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  XFF
7 meses atrás

Não foi não cara pálida! Foi má gestão da Diretoria. Apostaram alto no EE1 e se deram mal. Mas antes disto teve calotes do Iraque.
Não fale merda rapaz se não sabe da história da empresa e a relação do EB com ela.
Só pra você ficar pianinho, o EB pagou antecipado as últimas unidades do EE9 e os recebeu aos pingos.

Nosso grande amigo e engenheiro Reginaldo Bach (Deus o tenha) fez um “artigo” extenso aqui sobre a Engesa e a má gestão Whitaker.

CM

Roberto Messa
Roberto Messa
Reply to  Claudio Moreno
7 meses atrás

Qual a solução?

Cristiano de Aquino Camposkv
Cristiano de Aquino Camposkv
Reply to  Claudio Moreno
7 meses atrás

Nas 3 forças armadas, temos 3 tipos de misseis anti-aéreos de curto alcance, IGLA, RBS-70 e MISTRAL. Sendo que só mo exército tem dois tipos, tudo comprado a conta-gotas e por tanto caros de comprar e manter.
Teóricamente, o ministério da defesa como em qualquer país do mundo , deveria unificar pelo menos as comprar de material ao máximo, porem nossos comandantes não querem, e o ministério virou um cabidão.

Jardel
Jardel
7 meses atrás

Sputinices…. O tom do artigo me levou a imaginar o S-500 abatendo naves Klingons.

Jardel
Jardel
Reply to  Jardel
7 meses atrás

Reconheço que os caras são muito bons nesta e em outras áreas, mas a Sputnik exagera.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Jardel
7 meses atrás

Ele poderia abater satélites ou Drones espiões em elevada altitude, o AEGIS quando tiver o SPY-6 será capaz disso também.

Cristiano de Aquino Camposkv
Cristiano de Aquino Camposkv
Reply to  Carlos Campos
7 meses atrás

Más ai não será Sputinice.

JCuritiba
JCuritiba
7 meses atrás

Imaginem o preço de um mísero e único míssil desse novo sistema.

Gabriel BR
Gabriel BR
7 meses atrás

É um sistema de ponta , será o melhor do mundo na categoria…

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
7 meses atrás

Trump: nós temos a força espacial

Putin: nós temos a anti-força espacial

XFF
XFF
Reply to  Defensor da liberdade
7 meses atrás

Boa, Defensor!

Francisco Lúcio Sátiro Maia Pinheiro
Francisco Lúcio Sátiro Maia Pinheiro
Reply to  Defensor da liberdade
7 meses atrás

Mas como descer é mais fácil que subir, quem tem a força espacial também pode mandar um brinquedinho de encontro ao S-500. Nota-se aquela navezinha misteriosa que uzamericanu lançam vez ou outra ao espaço e que tem status de secreta.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade

As coisas lá fora não se movimentam em órbitas? Creio que para atingir algo móvel no solo terrestre através do espaço seja um tanto complicado, uma manobra simples pode fazer o objeto se desviar por centenas de quilômetros. Desculpem se falei alguma besteira, tem 30 anos que sai da escola…

Sequim
Sequim
Reply to  Defensor da liberdade
7 meses atrás

Defensor, é bem por aí. No espaço, em razão da falta de resistência do ar e da microgravidade, qualquer corpo em movimento se move a velocidades relativísticas, que são velocidades de frações da velocidade da luz. Um satélite que se mova a 30 mil quilômetros por hora no espaço move-se a 8 quilômetros por segundo. Se houver atraso de comando do míssil em 1 segundo apenas, o alvo será perdido.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Defensor da liberdade
7 meses atrás

Brasil: Nós temos a força de mulatas que servem cafézinho…

Carlos Gallani
Carlos Gallani
7 meses atrás

Fonte: Comic Sams 14

Victor Filipe
Victor Filipe
7 meses atrás

Sinceramente ler isso: “…E aqui as velocidades já são cósmicas…” me fez rir. Astronomicamente falando a velocidade cósmica mais baixa é a velocidade necessária para um objeto escapar da gravidade da terra e conseguir se manter em orbita. ou seja 8km/s (mais de 28mil km/h) Os únicos meios militares que chegam nessa velocidade são misseis balísticos no porte de ICBMs Agora você (especialista entrevistado) esta empurrando goela a baixo do leitor que a Russia de alguma forma conseguiu miniaturizar um motor potente suficiente para atingir essa velocidade e que caiba dentro de um míssil nas dimensões do lançador do S-500… Read more »

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  Victor Filipe
7 meses atrás

Bem, o riso sem causa é bastante natural para você e é um sinal de inadequação e ignorância.
Até a imagem no título deste artigo mostra que a imagem em si é uma imagem gráfica de um modelo de renderização do lançador de mísseis 77n6, que não são nada “comuns” para o sistema de defesa aérea S-400.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Evgeniy (RF).
7 meses atrás

Você não leu a parte que comentei sobre um míssil com o dobro do tamanho…

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  Victor Filipe
7 meses atrás

Então seu comentário, ainda mais sem sentido. O original diz em essência que um míssil interceptador pode interceptar alvos balísticos que possuem “velocidade espacial”. Naturalmente, isso se refere à seção final do voo do alvo. O principal objetivo do S-500 é o promissor míssil hipersônico americano. Não se fala em velocidades comparáveis ​​com ogivas de mísseis balísticos intercontinentais no original. Talvez tenha ocorrido um erro de tradução bastante típico nesses casos. Vale lembrar que até os antigos sistemas de defesa antimísseis soviéticos eram capazes de interceptar alvos balísticos estratégicos. Muitos anos se passaram desde a criação do sistema A-135, e… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Victor Filipe
7 meses atrás

Que existe um certo aumento das capacidades mas os EUA já conseguem fazer isso com o SM-3 porém foi feito com muitos cálculos, quando o SPY-6 tiver operacional vai ser mais fácil. o sm-3 tem só 7 metros de comprimento, é hipersônico.

Oséias
Oséias
7 meses atrás

Fato é que esses sistemas de defesa antiaerea (de todos os países) prometem mundos e fundos e não entregam o prometido.
Na guerra do Golfo e na atual guerra contra os houthis, os patriot falharam miseravelmente em defender Israel dos Scuds iraquianos e a Arabia Saudita dos misseis de cruzeiro dos houthis. Na Síria caças de vários lados bombardeiam livremente o país e os maravilhosos sistemas russos não fazem nada.
Embora os fabricantes prometam 90 e tantos por cento de acerto, na prática se chegar a metade dos alvos abatidos já é muito.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Oséias
7 meses atrás

Funcionaram bem na Guerra do Vietnã

MGNVS
MGNVS
7 meses atrás

Fonte: Sputinik
Sem comentários .

GILBERT
GILBERT
7 meses atrás

se nós tivéssemos o S-350 já estava bom.

antonio
antonio
7 meses atrás

“FONTE: Sputnik” mais um tiro da guerra da informação dos camaradas Russos! Muito bom na teoria, mas ainda é uma ideia. Quem é o alvo do tiro?