Home Artilharia Exército chinês recebe novo obuseiro autopropulsado

Exército chinês recebe novo obuseiro autopropulsado

4285
47
O obuseiro autopropulsado de 155 mm montado em caminhão PCL-181, desenvolvido na China, está entrando em serviço com o Comando de Teatro Oriental do Exército Chinês e também foi exportado para a Nigéria

PCL-181 traz grande melhoria para as tropas de artilharia do PLA

Recentemente, tem sido amplamente divulgado que a nova geração chinesa de obuseiros de 155 mm montados em veículos, o PCL-181, foi entregue às tropas de uma brigada sob o comando do Teatro Oriental do Exército de Libertação Popular (PLA) em lotes. Isso revela a renovação do equipamento principal e até a melhoria geral do sistema de autorização, pensamento tático e sistema de equipamento das tropas de artilharia das Forças Terrestres do PLA.

Resposta mais rápida

O PCL-181 atualmente entregue às tropas de artilharia do Exército da PLA será usado principalmente para substituir os obuseiros-canhões de reboque PL-66 ativos de 152 mm e uma pequena parte dos canhões rebocados restantes Tipo 59-1 de 130 mm. Comparado com os dois últimos, o PCL-181 apresenta “rapidez” como sua vantagem técnica mais proeminente – para ser específico, sua “rapidez” em resposta, marcha e mira.

Primeiro, sua resposta é rápida. Em três minutos, o obuseiro rebocado PL-66 152 mm apenas pode concluir a transição do estado de marcha para o estado de combate; graças ao seu chassi com rodas integrado e o sistema servo hidráulico eletromecânico altamente automatizado, o PCL-181 possa realizar todo o processo, desde o estacionamento até o estado de combate, o disparo de seis projéteis e, finalmente, a retirada e transferência. Isso significa um salto qualitativo nas táticas das tropas de artilharia das Forças Terrestres do PLA.

Segundo, sua marcha é rápida. Com a integração do chassi com rodas e da artilharia, o PCL-181 pode atingir a velocidade máxima de projeto na marcha, sem a necessidade de se preocupar com acidentes de capotamento causadoss pela velocidade excessiva, o que dificilmente é possível para o obuseiro rebocado PL-66 de 152 mm.

Terceiro, sua mira é rápida. O PCL-181 está equipado com o sistema de controle automático de tiro (AFCS), líder mundial. Após a entrada dos dados de azimute alvo, o computador de controle de tiro montado no veículo pode resolver automaticamente os elementos de tiro e ajustar automaticamente o azimute e a altura da artilharia. Em contrapartida, esses ajustes de elementos do PL-66 dependem inteiramente da operação manual.

Mais leve e menor

Atualmente, as tropas de artilharia das Forças Terrestres do PLA já foram equipadas com os obuseiros autopropulsados PLZ-05 155mm. Por que o PCL-181 ainda é necessário?

O PCL-181 tem um peso total de combate de 25 toneladas, apenas cerca da metade em comparação com o PLZ-05. Como existem certas restrições sobre o peso total de veículos em muitas pontes e rodovias, o PCL-181 é superior a veículos pesados ​​sobre esteiras como o PLZ-05 em termos de mobilidade. Além disso, com um tamanho geral menor, o PCL-181 não se preocupa com “superação” (quando a altura total excede 3,6 metros ou a largura total excede a cabine do trem) quando transportado por trem e pode atravessar quase todas as seções ferroviárias para alcançar uma estação de carga mais próxima do destino.

Além disso, o PCL-181 pesa apenas 25 toneladas, o que está dentro da capacidade de carga das aeronaves de transporte tático Y-9 da China. Cada aeronave de transporte tático Y-9 pode transportar um PCL-181 e, desde que haja um número suficiente de grupos de aeronaves de transporte, pode ser realizada o rápido desdobramento das tropas de artilharia organicamente designadas como um todo em quase mil quilômetros. Sem dúvida, isso melhorará muito a capacidade de reação rápida das Forças Terrestres do PLA.

Além disso, o PCL-181 é mais econômico com um preço mais baixo; portanto, o custo de aquisição pode ser reduzido em uma extensão considerável, garantindo um poder de fogo equivalente. Sob a premissa de controlar o custo de aquisição, é possível substituir completamente as antigas artilharias rebocadas, dos Type 59-1 a PL-66, que agora estão ativos em quantidade. Dessa maneira, a situação na qual uma variedade de artilharia de grande calibre coexiste no sistema de equipamentos das unidades de artilharia das Forças Terrestres do PLA será completamente alterada: a artilharia de calibres de 130 mm e 152 mm deve ser completamente eliminada, somente com os de calibres 122 mm e 155 mm retidos.

Mais flexível

O obuseiro montado em veículo PCL-181 está equipado com o chassi de caminhão militar de alta mobilidade, o que o torna bom em mobilidade de longa distância na estrada. Foi relatado que os membros de serviço de uma brigada do Exército sob o Comando do Teatro Oriental levaram o PCL-181 ao seu acampamento depois de descarregarem na estação de carga. No entanto, quando se tratava de receber obusdeiros autopropulsados PLZ-05 155mm no passado, eles precisavam carregá-los de volta com reboques com rodas para serviços pesados.

Segundo as estatísticas, a quilometragem total da rede de vias expressas da China ultrapassa 100.000 quilômetros no momento. Portanto, o PCL-181 pode alcançar rapidamente as áreas designadas usando seu chassi com rodas de manobrabilidade rápida de longa distância no norte, leste e sul da China, onde a rede de vias expressas é relativamente densa. Além disso, o PCL-181 também é superior ao PLZ-05 em termos de capacidade de manobra e flexibilidade operacional em áreas montanhosas, desertos, desertos e platôs.

FONTE: China Military Online

Subscribe
Notify of
guest
47 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
MestreD'Avis
MestreD'Avis
25 dias atrás

Tudo muito bom, parece um belo equipamento mas…

Como tem mais mobilidade que o PLZ-05??? A vantagem da artilharia sobre rodas vs sobre lagartas é o peso e a velocidade em estrada. Agora manobra e mobilidade? Essa é a vantagem dos veículos sobre lagartas que se movem muito melhor em terreno difícil.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  MestreD'Avis
25 dias atrás

Muitos países desenvolvidos estão adotando obuseiros sobre rodas com a mesma alegação. Ate os EUA, Russia e Alemanha que desenvolvem veiculos sobre esteira, estão adotando os sobre rodas.
Vale lembrar qua a maioria dos obuses e sobre rodas e rebocado por caminão. As vezes tendo mais obuses que caminhões para o reboque.

MestreD'Avis
MestreD'Avis
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
25 dias atrás

Cristiano, eu até vejo muitas vantagens das rodas, principalmente para uma força aerotransportada. Há muito tempo que invejo os CAESAR franceses. Mas os de esteiras ainda vão onde os outros não conseguem. Basta uma vala de 2m de largura e a artilharia fica presa.
Já um sobre esteira pode passar, não atola na lama, na areia solta… Se me disserem que os de rodas são mais baratos, aí eu entendo e percebo!

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  MestreD'Avis
25 dias atrás

Mas possuindo os dois tipos você pode usar a melhor opção dependendo do terreno!

PACRF
PACRF
25 dias atrás

A indústria de defesa da China em plena produção. Impressionante!

Nostra
Nostra
Reply to  PACRF
23 dias atrás

Almost every country has such artillery systems in development and production .

Only difference they do not get the same publicity as the Chinese.

Nostra
Nostra
Reply to  Nostra
23 dias atrás

For info Kalyani ultra light howitzer family includes ultra lightweight 155mm/39 calibre mountain artillery gun variant mounted on 4×4 high mobility chassis . Comes with 2 option – titanium or steel build.
Option exists for 155mm/52 calibre.
comment image

Nostra
Nostra
Reply to  Nostra
23 dias atrás

comment image

Nostra
Nostra
Reply to  Nostra
23 dias atrás

Another Kalyani 155mm/39 calibre mounted gun system with advanced hybrid recoil technology. Titanium build.
comment image

Nostra
Nostra
Reply to  Nostra
23 dias atrás

comment image

Nostra
Nostra
Reply to  Nostra
23 dias atrás

OFB 155mm/52 calibre mounted gun system
comment image

Nostra
Nostra
Reply to  Nostra
23 dias atrás

comment image

Rui Chapéu
Rui Chapéu
25 dias atrás

Tem uns videos rolando desses equipamentos que eles tem até touchscreen, só faltou luz RGB !

Barba
Barba
25 dias atrás

Podem criticar a China por uma série de coisas(qualidade de seus produtos por exemplo) mas é inegável que eles estão se mexendo e muito para avançarem em praticamente todos os setores. Nação com foco sério. Pena que o nosso Brasil não tem nem 5% do comprometimento deles quanto à um projeto de nação.

Pedro
Pedro
Reply to  Barba
25 dias atrás

Eu já acho que estão se mexendo rapidamente para impor suas vontades contra países mais fracos fora do contexto econômico.

Mgtow
Mgtow
Reply to  Pedro
24 dias atrás

Que balela! Quem faz esse tipo de coisa são os EUA. Essa tentativa de envenenar o poço quando o assunto é China não cola com os bem intencionados e esclarecidos

jonny BR
jonny BR
Reply to  Pedro
15 dias atrás

Pedro, os EUA ja impos a sua vontade sobre outros países em diversas ocasiões ao longo da historia, mas os bad guys são os Chineses…

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
25 dias atrás

Agora, 25 toneladas da para levar num KC-390. Se adotassemos ele, teriamos um obus auto-propulsado e os ASTROS 2020 capazes de desdobramento rápido. Se bem que na minha opinião, quem tem um ASTROS não precisa de Óbus auto-propulsado. E retundante.

Ivo
Ivo
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
25 dias atrás

Devemos vender os M-109 para a Gerdau fazer parafuso então???????

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Ivo
25 dias atrás

Não, pois os M-109 tem suas vantagens como são tipos diferentes de veículos podem ser utilizados de maneiras diferentes e complementares!

Mazzeo
Mazzeo
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
25 dias atrás

Não são redundantes, são complementares.

antonio
antonio
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
24 dias atrás

Sinto muito, mas as 26 toneladas de transporte do K-390 não significa exatamente seu peso operacional para transportar um equipamento completo. Mas, o emprego tanto do ASTROS como do obuseiros auto-propulsado, ambos sobre rodas, é sim fundamental em qualquer terreno. Obstáculos sempre vão existir, seja para veículos com rodas ou lagarta, para isso serve a engenharia. Mas, por último esqueça os conflitos como o da 2ª guerra mundial. Estamos na era do conhecimento e não existe campo de batalha estático. Aquele combate homem a homem só acontecerá em ambientes urbanos. A dissimulação e proteção eletrônica serão o diferencial em qualquer… Read more »

Pedro
Pedro
25 dias atrás

Sou cético com esses caminhões que tem sobre si um obuseiro. Ok, entra e sai de bateria mais rápido, mas alem do custo deste equipamento, é necessário outro caminhão para levar a munição e parte da tripulação, e ainda não é blindado. Diferentemente do obus ou canhão rebocado que é fácil camuflar, esse fica mais exposto e visível a meios de vigilância e observação infra-vermelha ou eletromagnética. O M-109, 2S3 e o 2S5 pesam entre 4t a 5t mais, mas sao veiculos com esteira (melhor desempenho fora de estrada) e no M-109/2S3 ainda tem a proteçao blindada do veiculo para… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Pedro
25 dias atrás

“é necessário outro caminhão para levar a munição e parte da tripulação” . Não, não é necessário nada disso. Até esse chinês aí transporta a guarnição completa e a munições/cargas para uso. . Dá até pra ver os casulos de munições: . “e ainda não é blindado” . Como não é blindado? O compartimento da tripulação é blindado. Até o CAESAR, que você citou tem compartimento blindado para abrigar a tripulação de munições 7,62 e estilhaços de artilharia, durante deslocamentos. . “Diferentemente do obus ou canhão rebocado que é fácil camuflar” . Shoot and Scoot. Ninguém vai ficar dando sopa,… Read more »

Art
Art
Reply to  Bardini
25 dias atrás

Parece uma Cópia do CESAR francês

Foxtrot
Foxtrot
25 dias atrás

Me lembro que a Avibras propôs ao EB uma versão do obuseiro francês sobre o caminha Astros.
Que fim levou mais esse que deveria ser um “programa estratégico” do EB?
Uma nacionalização do canhão pela Inbel/ Taurus seria muito bem vindo!

willhorv
willhorv
Reply to  Foxtrot
25 dias atrás

Também me pergunto que fim levou. É uma tendência! Mais um fator na sopa de letrinhas dos TO modernos.
O emprego da artilharia sobre as diversas formas possíveis de emprego.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Foxtrot
25 dias atrás

Me lembro de ter lido algo que a proposta do Ceasar era muito cara…..existem opçoes no mercado como por exemplo o ATMOS 2000 da elbit….uma excelente plataforma que pode ser tambem pode ser montada sobre o chassi Tatra T-815 (o mesmo que é montado o astros)…mas acho que o e.b desistiu da plataforma de obuseiro montado sobre caminhoes

Fabio Araujo
Fabio Araujo
25 dias atrás

Em terreno pantanoso pode ser vantagem por ser mais leve, também seria uma boa opção para os fuzileiros navais em operações de desembarque.

André Luís
André Luís
25 dias atrás

Qual calibre é mais eficiente? 152mm ou 155mm?

ScudB
ScudB
Reply to  André Luís
25 dias atrás

Se não entrar nos detalhes – 155mm.

Pedro
Pedro
Reply to  André Luís
25 dias atrás

O calibre em si pouco muda algo, pois esses 3mm em nada altera. O que se tem que analisar é a muniçao, o tamanho do cano/calibres que vai dar um melhor desempenho ou nao.

ScudB
ScudB
Reply to  Pedro
25 dias atrás

Errado , amigo Pedro!
Primeiramente não são 3mm. Precisamente são 2,6 mm.
E isso representa mais de 5% de peso distribuído adicionando entre 2 e 3 quilos a mais (dependendo do tipo de munição). Fora que padronização com escala métrica ( que representa 155mm) reduz os erros em comparação com calibres do sistema imperial Ra10 que a Rússia usa ate hoje.
E tem uma grande diferença entre volumes das câmaras dos obuses modernos de 152 e 155 mm que no final resulta a diferença na balística entre outras coisas.
Um grande abraço!

Tomcat4,2
25 dias atrás

Olha a visão dos caras, muito assertiva, veículo mais leve e que cumpre a missão podendo ser transportado por aeronaves.
Uma versão do Astros que, de igual modo, pudesse se retirar a indumentaria (parte ,no caso ,do lançador/obuse) para poder levar no KC-390, daria um poder tático/estratégico ímpar ao EB.

Santiago
Santiago
25 dias atrás

Só faltou falar qual é o alcance dessa arma.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Santiago
25 dias atrás

Todos os obuses desse calibrr e o de 155mm tem o alcance com munição comum mais ou menoa de +/- 21km. Com munição assistida e propelida tem alcance maior. Tudo depende da munição e a grana para gastar com ela más no geral, no uso bruto e rotineiro e de +/- 21km.

ScudB
ScudB
Reply to  Santiago
25 dias atrás

Alegam 50km.

ScudB
ScudB
Reply to  ScudB
24 dias atrás
Santiago
Santiago
Reply to  Santiago
24 dias atrás

A Russia acabou de ativar e receber também um lote modernizado do mais temido sistema de Artilharia chamado 2S7 Pion de 203mm, desativado desde a era Soviética. O Sistema é capaz de lançar munição convencional, mísseis e até projéteis nucleares táticos à uma distância de até 50Km. Os EUA tem um sistema similar também mas nunca foram usados em combates.

Marujo
Marujo
25 dias atrás

Enquanto isso, por aqui, a renovação da artilharia de tubo de 155 mm virou assunto morto. Nada de nada, nem mesmo M-198.

Marujo
Marujo
Reply to  Marujo
25 dias atrás

Artilharia AR, vem entendido.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
25 dias atrás

Hora do Brasil ir visitar os suecos ou franceses e levar Archer ou Caesar, pelos menos 100 unidades, e jogar fora alguns 109 e outras burudangas do século passado.

Luiz Floriano Alves
Luiz Floriano Alves
Reply to  Defensor da liberdade
25 dias atrás

Os chineses estão se mostrando hábeis no desenvolvimento de modernos armamentos. Isso ao incorporar estes projetos de artilharia sobre pneus. Os nossos M-109 ainda se aceitam em um TO Sul Americano. São impressionantes, também..Mais uns 50 cairiam bem no EB. Acho…

Joli Le Chat
Joli Le Chat
24 dias atrás

Soldado tem que descer do veículo e puxar a cordinha para disparar a arma?

Henrique
Henrique
20 dias atrás

Daqui a uma ou duas décadas, quando o EB VAI TER DE RENOVAR sua força blindada, esse tipo de sistema vai ser a melhor escolha para substituir os M109 refurbished. Motivos: – o sistema ferroviário brasileiro praticamente não existe, todo deslocamento longo por terra vai precisar ser feito por estrada; – o EB com certeza não tem meios de transportar a longas distâncias vultosos efetivos de veículos sobre lagartas; – veículos sobre rodas podem se deslocar por meios próprios em estrada por longas distâncias; – sistemas de artilharia como o CAESAR vão ser mais baratos do que os futuros obuseiros… Read more »

Luiz Floriano Alves
Luiz Floriano Alves
Reply to  Henrique
19 dias atrás

As nossas fábricas de maquinas rodoviárias podem fazer esse veículo, com seus hidráulicos. A arma é que deve ser fabricada por uma metalúrgica de porte. Venderia bem para amortizar investimento em R&D.