Home Blindados Pq R Mnt/5 entrega mais um lote de M113BR modernizados

Pq R Mnt/5 entrega mais um lote de M113BR modernizados

6028
170

Curitiba (PR) – Com apoio de transporte do 5ª Batalhão Logístico (5º B Log), o Parque Regional de Manutenção 5 (Pq R Mnt/5) fez a entrega de mais 22 VBTP (Viatura Blindada de Transporte de Pessoal) M113BR para a Força Terrestre. A viatura, de 12,3 toneladas, tem capacidade de transportar até 11 militares equipados. A atual frota do Exército Brasileiro é de 584 viaturas, sendo que, desse total, 386 foram modernizadas em Curitiba, pelo Pq R Mnt/5.

Esse último lote, com 22 unidades, está sendo transportado pelo 5º B Log para o 4º Batalhão Logístico, sediado em Santa Maria (RS), Organização Militar (OM) que irá redistribuí-los para quartéis do Rio Grande do Sul. São dois dias de viagem, com previsão de chegada no dia 13 de maio.

Antes de iniciar o transporte, uma inspeção geral do comboio foi realizada pelo Diretor da OM. Uma série de itens foi inspecionada, como a verificação da documentação técnica da viatura, ferramental, pneus, parte mecânica e acessórios de segurança, particularmente, a verificação dos grampos nas pranchas e amarração das correntes.

Modernização

O Projeto de Modernização da VBTP M113 para a versão M113BR teve início em 2012, por meio de acordo internacional entre os governos do Brasil e dos Estados Unidos, com a participação da empresa BAE Systems. A empresa fornece os kits de peças e o Pq R Mnt/5 realiza a desmontagem total da viatura, a preparação do chassi e a remontagem, com aplicação dos kits. O Pq R Mnt/5 chegou a produzir 80 viaturas por ano, em um projeto que é considerado exemplar pelo Exército Brasileiro.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

Subscribe
Notify of
guest
170 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Claudio Moreno
Claudio Moreno
18 dias atrás

Bom dia a todos os Senhores!

Isso modernizar e fazer o melhor com o que temos.
Sonhar com Mader, Bradley e outros não vai nos levar a nada..
Operacionalidade é o que manda.
CM

RPiletti
RPiletti
Reply to  Claudio Moreno
18 dias atrás

Claudio,
Concordo que em um primeiro momento, é opção válida, porém se faz necessária uma visão mais ampla e esta visão são os Maders e semelhantes…

Doug385
Doug385
Reply to  RPiletti
18 dias atrás

O EB almeja um substituto dentro no programa Nova Couraça. Deverá ser adotada a mesma plataforma básica para VBCI e VBCC.

Tomcat4,2
Reply to  RPiletti
18 dias atrás

Ainda prefiro que o EB utilize estes chassis e desenvolva localmente uma versão moderna e atual nos moldes de outros países e assim já adquirindo ,ainda mais, experiencia para desenvolver uma família de blindados sobre lagarta que compartilhem o mesmo chassi.

Higor
Higor
Reply to  Tomcat4,2
18 dias atrás

Infelizmente no Brasil não funciona assim, digo pelo projeto Guarani. Ano passado, lançaram uma nota estudando adquirir o Centauro 8×8 para substituir nosso Cascavel, porque o Guarani 8×8 não iria sair do papel. Teríamos dois blindados de famílias diferentes atuando dentro do mesmo contexto, principalmente, dentro dos regimentos c mec. Mais carga na logística, eventualmente, mais gastos e por assim vai.

Karl Bonfim
Karl Bonfim
Reply to  Claudio Moreno
18 dias atrás

No nosso contexto geopolítico regional, esse blindado modernizado cumpri o seu papel e estar perfeitamente adequado. Ainda mais, quando o nosso Exército tem todas as bases para a sua modernização e manutenção.

Cel Almeida
Cel Almeida
Reply to  Karl Bonfim
18 dias atrás

Bem falado, não vamos levar isso ao outro lado do planeta. Para impor respeito aos nossos vizinhos isso já basta!

Marcelo
Marcelo
Reply to  Cel Almeida
17 dias atrás

Bem melhor se fosem transferidos para região do Cindacta em Pernambuco PE

glasquis7
Reply to  Cel Almeida
16 dias atrás

“Para impor respeito aos nossos vizinhos isso já basta!”

Basta não.
Quanto a blindados, o Chile e a Venezuela estão melhor equipados tanto em modelos quanto em operacionalidade, capacidade e modernidade de meios.

Lu Feliphe
Reply to  glasquis7
15 dias atrás

Você realmente acha que a Venezuela tem melhor capacidade e operacionalidade?

Alex
Alex
Reply to  glasquis7
13 dias atrás

Vc tem toda razão amigo glasquis7. Embora a maioria não concorde. O Chile e esmagadoramente superior a nós, seja na Terra, Ar ou Mar. Quando chegarem os Gripens, pelo menos por um tempo teremos um caça superior mas tambem é só. Quanto a Venezuela, Eles tem MBTs melhores, Def.Antiaeria infinatamente superior, aviação de caça superior(no momento), temos uma ligeira vantagem nos Batalhoes de Selva e na Marinha, mas nossa maior vantagem com relação a Venezuela e nosso esmagador tamanho de contingente bem como situação financeira.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Alex
13 dias atrás

Quem consegue segurar uma força de 345 mil soldados e 1,650,000 reservistas na região?

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Claudio Moreno
18 dias atrás

Se pelo menos copiassem os fuzileiros e colocassem os tanques de combustivel do lado de fora seria bem melhor e não aumentaria tanto o custo.

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
Reply to  Claudio Moreno
17 dias atrás

Sim, na guerra tem de ir com que se tem.

Tomcat4,2
18 dias atrás

Bacana que o pessoal do Pq R Mnt/5 já dominam totalmente este blindado e creio que o EB projetando algo aos moldes do M113 AS4 ou Kaplan 30 daria pra aproveitar os chassis(ainda mais agora totalmente retrofitados e deixados como novos) ,motor e tal ,trocando a carcaça e colocando os recheios e incrementos.

paulop
paulop
Reply to  Tomcat4,2
18 dias atrás

Também acho. A FNSS turca tem dois modelos, ACV15 e ACV19 que são baseados na plataforma do M113. Inclusive possuem uma boa gama de variantes…. Mas só Deus sabe.
Abraço

Marcelo
Marcelo
Reply to  Tomcat4,2
17 dias atrás

CURITIBA tem todos os requisitos para ser um pólo de produção de carros de combate

Mercenário
Mercenário
Reply to  Marcelo
17 dias atrás

Santa Maria tem todos os requisitos, Marcelo.

Pablo
Pablo
Reply to  Mercenário
15 dias atrás

Inclusive em Santa Maria já conta com uma fábrica da KMW desde 2016

Alex
Alex
Reply to  Pablo
13 dias atrás

Não é fábrica e uma industria de manutenção. Não se fabrica nada aqui no sul.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Mercenário
13 dias atrás

Fabricação de material estratégico tem que ficar longe da fronteira e perto do maior parque industrial da América latina. São Paulo. Além de ter como vizinho o centro de controle de todo espaço aéreo da região sul CINDACTA. Mas ainda melhor seria sete lagoas . Minas Gerais por causa da Usiminas e as minas de ferro.

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
18 dias atrás

Com certeza o EB cortou custos usando seu próprio espaço e pessoal pra fazer o serviço bruto – preparação e montagem – dos veículos, adquirindo apenas os kits.

Luiz Floriano Alves
Luiz Floriano Alves
Reply to  Diego Tarses Cardoso
18 dias atrás

Bonitinho, mas ordinário. É o que temos e podemos. O Urutu possui melhor habitabilidade e a casca mais grossa. O alumínio do M113 é pouco resistente. Uma gaiola nas partes vitais é muito usada. Se vê nos exemplares da Austrália.

Luiz Floriano Alves
Luiz Floriano Alves
Reply to  Luiz Floriano Alves
18 dias atrás

Aliás lembrando a Austrália temos a versão com torre de CC Saladim,. Junto com as “slat armour” nos dá um carro com bom poder de fogo. E custo muito econômico. Para reconhecimento e apoio de fogo para a infantaria seriam bem vindos. Acho…

Elcimar Menassa
Elcimar Menassa
Reply to  Luiz Floriano Alves
17 dias atrás

alumínio do M113 é pouco resistente ?
não vi isso nas operações de GLO no rio não!
os tiros disparados pelos traficantes não atravessavam a couraça não.
a viatura não foi feita pra aguentar disparos acima do .50…mas já vi pessoalmente aguentar,por causa da distância que foi disparado.
a viatura atende a outro proposito,que não é o de entrar em combate direto.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Elcimar Menassa
17 dias atrás

Muito bem colocado

Bardini
Bardini
Reply to  Elcimar Menassa
17 dias atrás

Quando que GLO contra vagabundo carioca virou parâmetro pra julgar a eficiência dessa porcaria aí atuando como VBCI dentro da Força Blindada?

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Bardini
16 dias atrás

Quando ele usa AK, M16 e Fal

Marujo
Marujo
18 dias atrás

Quem poderia dar detalhes do projeto Nova Couraça?

Fabio Araujo
Fabio Araujo
18 dias atrás

Podem ser antigos, mas ainda dão para o gasto. Uma solução barata para manter a mobilidade.

nonato
nonato
Reply to  Fabio Araujo
17 dias atrás

Panela velha dá um bom caldo…

Alfa BR
Alfa BR
18 dias atrás

Eu entendo que a modernização dos M113 do EB não foi feita no mesmo padrão do que os M113 do CFN pela maior quantidade e limitação orçamentária, mas já que é para ficarem ainda um bom tempo em operação, fizessem mais uma forcinha (botassem mais grana) para que fiquem no melhor estado possível.

Pode até não compensar (os especialistas podem dizer porquê), mas seria interessante que colocassem as REMAX. Essas torres poderiam ser remanejadas para as futuras VCI quando (e se) vierem.

Bardini
Bardini
Reply to  Alfa BR
18 dias atrás

Pelo menos a REMAX agregaria alguma capacidade de fazer Guerra a noite.
.
Não é a mesma coisa mas por motivos de comparação, um Guarani conta com um sistema C2 mais completo, dispondo de um sistema de Gerenciamento do Campo de Batalha. Sem falar na proteção superior de foram geral.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Bardini
18 dias atrás

Eu gostaria de assistir a uma simulação de combate (viva) que consistisse em um assalto noturno realizado por um escalão de fuzileiros blindados (um pelotão ou uma companhia) contra uma força em defesa de área.

Carvalho
Carvalho
Reply to  Alfa BR
18 dias atrás

Os BIB possuem kits de visão termal nos seus M113, mas apenas para os motoristas.

Carvalho
Carvalho
Reply to  Alfa BR
18 dias atrás

Consta que a Ares instalou para testes a Remax em um dos piranhas e queria fazer isso no M113 tb.

Raphael
Reply to  Alfa BR
16 dias atrás

Fuzileiros Navais são muito mais bem treinados e equipados, não tem nem comparação, é a nossa melhor força de assalto e projeção de poder.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Raphael
16 dias atrás

Mas ninguém falou em Fuzileiros Navais…

Agnelo
Agnelo
Reply to  Alfa BR
15 dias atrás

Prezado
É realizado muito isso. Normalmente, em FT (CC + Fuz Bld).
Todo ano, há, no mínimo, o Adestramento nível Pel, depois Cia e depois Btl, quando são realizados esses exercícios.
Sds

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Agnelo
15 dias atrás

Eu sei disso. O ponto é: como é a dinâmica da realização de um assalto noturno com as deficiências apontadas pelo Bardini?

Agnelo
Agnelo
Reply to  Alfa BR
15 dias atrás

Planejamento detalhado, estudo na carta, estudo no Caixao de Areia, ensaio e Linhas de Controle e Visão Noturna individual (não no carro) para algumas funções, por exemplo.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Agnelo
15 dias atrás

E dentre outros Sistemas.

Carvalho
Carvalho
Reply to  Alfa BR
15 dias atrás

Alfa,
Procure na internet.
“operacao-punhos-de-aco-combate-noturno-no-sul-do-brasil”

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Carvalho
15 dias atrás

Valeu pela dica Carvalho.

Equiparam uma viatura em caráter experimental. Isso já faz cinco anos, como está a situação agora? Virou dotação padrão, pelo menos uma viatura por subunidade? Já seria alguma coisa.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Bardini
18 dias atrás

Um dos principais motivos da modernização da motorização do M113 é para poder acompanhar o Guarani. Mas ao que parece, mesmo após atualização, só consegue com imposição de limite no peso transportado.
Acredito que a atuação deste veículo pelo EB ainda não está com os dias contados mas sua atuação sera cada vez mais restrita.

Flamenguista
Flamenguista
18 dias atrás

Tá bom demais…. vamos focar na avex, talvez com helis de ataque…

Sargento Pincel
Sargento Pincel
18 dias atrás

Li nos comentários sobre sonhos de outros veículos fabricados nos EUA e europa. Estamos defasados em MBTs e VBTPs porem temos outras prioridades, navios escolta e defesa anti aérea com certeza estão na frente.

No mais somos grandes e merecemos projetos nacionais, industria nacional… se for sonhar que seja neste sentido.

Henrique
Henrique
Reply to  Sargento Pincel
18 dias atrás

Por que AA seria mais importante que a força blindada? Somos a Venezuela pra temer um ataque aéreo dos americanos? O mais importante pro EB deveria ser modernizar a artilharia, todos os obuseiros rebocados são obsoletos, daí melhorar a força blindada.

Henrique
Henrique
Reply to  Henrique
17 dias atrás

Em sites assim só tem sabujos, não pode discordar das decisões dos estrelados, só pode seguir a corrente. Brasileiro tem a vocação de ser bajulador.

Ramon
Ramon
Reply to  Henrique
17 dias atrás

Amigo me responde só uma pergunta, o que adianta ter uma força blindada moderna, se vc não pode proteger eles do que vem do céu, se o inimigo mais fraco do mundo tiver alguma coisa que possa lançar uma bomba em um blindado ele simplesmente pode destruir os milhares de reais em equipamentos e tirar a vida de tripulações experientes em segundos, pessoas que em muitos casos são mais valiosas que o equipamento pois dedicaram boa parte do seu tempo em doutrinas e conhecimentos sobre aquele equipamento.

Sargento Pincel
Sargento Pincel
Reply to  Henrique
16 dias atrás

AA é mais importantes visto que nao temos nenhum a longo alcance. Qualquer ameaça a mais de 6mil metros teremos que mandar os F5 que também não podem fazer muito.
E meu sonho é desenvolver algo nacional com base no astros… uma parceria com a Saab cairia muito bem.
Brindados não estamos tão mal… quais MBT nossos vizinhos operam?

Vcitor Silva
Vcitor Silva
18 dias atrás

22 BLINDADOS M113BR ESCOLTADOS PELA POLÍCIA DO EXÉRCITO – Youtube

Escolta de 11 (onze) carretas Transportando 22 (vinte e dois) Blindados M113BR do Exército Brasileiro de Curitiba para o Rio Grande do Sul.

Link: https://youtu.be/O5t3S4dT_iI

Carvalho2008
Carvalho2008
18 dias atrás

comment imagea

Sou fã desta versão italiana do M113

Ela ganha capacidade oceanica de mar em estado 4.

Ter uns 50 assim seria interessante e encaixariam pela sua tonelagem dentro do uso da rampa de popa do NPM Atlantico.

Ficou um perfeito mini Clanf de 12 ton

Bardini
Bardini
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

Tem quase 50 CLANfs no CFN, sendo que metade é de aquisição recente e os M113 do CFN estão modernizados. Se tem uma coisa que nós não precisamos, é rasgar dinheiro com M113 dessa forma aí…

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Bardini
18 dias atrás

Mas é como falei, o AAV7 não consegue descer por aquela rampa de popa. O peso excede as 13 ton limites da rampa do NPHM Atlantico

Bardini
Bardini
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

Mas é muito mais racional pegar o dinheiro que tu quer rasgar nesses 50 M113 e comprar um LPD bem meia boca para a MB…

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Bardini
18 dias atrás

Acho que não daria pelo mesmo preço, nem de perto.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  carvalho2008
18 dias atrás

comment image

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

comment image

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

comment image

Doug385
Doug385
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

O Atlântico não foi feito para desembarque anfíbio. Viu alguma doca alagável dentro dele? Nunca vi ninguém no mundo desembarcando viaturas anfíbias no mar via rampa.
Isso não existe.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Doug385
18 dias atrás
carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Doug385
18 dias atrás

comment image

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  carvalho2008
17 dias atrás

Aqui, foto dos Viking de 11 ton descendo do HMS Ocean em operação anfibia. O Ocean utiliza pontoes e mexoflotes para desembarcar material e carros em mar

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Doug385
18 dias atrás

comment image

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  carvalho2008
17 dias atrás

Qualquer anfibio (de caracteristica oceanica ) pode descer em mar por meio da rampa lateral ou traseira.

O ponto limite sempre fica limitado se a rampa suporta o peso do veiculo

Aqui um exemplo por meio dos navios MSC

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Doug385
18 dias atrás

Não se surpreenda com este video dos indonesios….veja aos 1,20min…
https://www.youtube.com/watch?v=sg99w0n4Te8

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

comment image

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

comment image

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

comment image

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

Veja a diferenca de tamanho do M-113 Arisgator Vs Claanf (lateral)

comment image

Bardini
Bardini
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

Pra ver a bela porcaria que é esse arisgambiarra…

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Bardini
18 dias atrás

Os Italianos possuem.

A Indonésia tambem encomendou e opera vários deles.

A Indonesia é formada por centenas de ilhas e para a sua necessidade, parece foi uma otima escolha. É oceanico, capaz de Estado do mar 4 ( M-113 normal apenas rios e lagos) e leva ate 11 tropas.

Custo de 1/5 de um AAV-7 Clanf. Se faz a missão, não é porcaria…e foi bem testado por quem precisa operar em ilhas oceanicas consistentemente.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  carvalho2008
18 dias atrás

comment image

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  carvalho2008
18 dias atrás

comment image

rui mendes
rui mendes
Reply to  Bardini
17 dias atrás

Engraçado, se fosse modenizado em outras latitudes, era optimo, assim como é um kit Italiano, é gambiarra, mas é lindo de ver esse azedume aos que nós sabemos, e quer dizer muito.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

Aqui um dos folders do Arisgator.

velocidade de mar de 12 km/h.

https://www.ftsbelgium.com/wp-content/uploads/2019/03/Tankboek_M113ACV.pdf

Teórico
Teórico
Reply to  Carvalho2008
16 dias atrás

Carvalho2008 ! Cara, não consigo colocar arquivo anexo ! Qual é o link ?

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Teórico
16 dias atrás

Site tem de ser https e foto jpeg ou gif

Carvalho2008
Carvalho2008
18 dias atrás

Ou o protótipo alemão de uma versão Stug dele

comment image

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás
Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

comment image

Marujo
Marujo
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

Ainda é usado?

Bardini
Bardini
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

Versão que foi adotada em larga escala pelos alemães e que teve emprego em diversos conflitos recentes, diga-se de passagem.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Bardini
18 dias atrás

Qual mestre? Esta ai acima acho que não. Era dentre outras coisas um prototipo de uma proposta para assalto aerotransportado

Bardini
Bardini
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

Foi ironia

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

comment image

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

comment image

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

Se isso fosse um morteiro eu ainda diria que é válido.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Alfa BR
18 dias atrás

Creio que o projeto tenha previsto um Obus 105 mm salvo engano. Entao funciona para tiro direto e de indireto e isto permite funcionar como um porta morteiro, obus ou canhao de assalto

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

comment image

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

comment image

Adson
Adson
18 dias atrás

Que se espremam os limões e se façam limonadas, mas o futuro tem que ser bem trabalhado. Dentro do “Nova Couraça” há de se desenvolver uma família que atenda também um substituto para os M113. Minha sugestão é de uma família com o mesmo chassi. Este chassi, a exemplo do muito leve TAM e do muito pesado Merkava teria motor dianteiro, isto ajudaria na proteção da tripulação como na utilização do chassi para outros fins. Uma viatura com um peso entre 20 e 25 ton em uma configuração básica anfíbia e transporte de tropas, podendo acrescentar blindagens compostas e modulares… Read more »

sub urbano
sub urbano
18 dias atrás

Mesma coisa de pegar um Fusca colocar banco de couro, amortecedor novo, xeon, som de 10 mil reais e etc. No fim das contas vai continuar sendo um fusquinha.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  sub urbano
17 dias atrás

respeita os fusca

Carvalho2008
Carvalho2008
18 dias atrás

comment image

paulop
paulop
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

Substitua os mísseis Stinger por Iglas ou RBSs e temos uma plataforma Def AA para as Brig. Blind.
Abraço

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  paulop
17 dias atrás

isso mesmo, eu apoio a ideia

Tomcat4,2
Reply to  Carvalho2008
15 dias atrás

Aí sim hein, ao estilo Pantsir(mísseis e canhões).

Carvalho2008
Carvalho2008
18 dias atrás

Esta é uma versao com kit de blindagem reativa ERA

comment image

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Carvalho2008
17 dias atrás

ouvi dizer que os Israelenses colcoaram Trophy nos deles, e tá se saíndo muito bem

Bardini
Bardini
Reply to  Carlos Campos
16 dias atrás

Cara, Israel está fazendo isso aqui, pra substituir isso aí. Um 8×8 de 35t:
https://www.youtube.com/watch?v=sJoTMXIVcUU
.
Israel não rasgou dinheiro colocando APS em M113.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Bardini
3 dias atrás

Pois a Itália fez isso aí, mas também têm 8×8, aliás 2 modelos de 8×8, também têm AAV-7 e VCI Dardo, mas modernizou e de maneira estupenda os seus ultrapassados M-113.

Carvalho2008
Carvalho2008
18 dias atrás

comment image

Marujo
Marujo
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

E a legenda da foto, Carvalho?

Bardini
Bardini
Reply to  Marujo
18 dias atrás

Carvalho2008: O rei da sucata.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Bardini
18 dias atrás

O amigo é apenas um entusiasta, tal como todos nós. Nem mais, nem menos.

A opinião é livre, e principalmente em todas as fotos, dezenas , centenas ou as vezes ate milhares de especialistas profissionais se envolveram e gastaram milhares de horas de trabalho que de maneira alguma poderiam ser definidas em uma unica frase.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Carvalho2008
17 dias atrás

Entusiasta?? Mas só se for material de certas latitudes, isso conta mais que a qualidade do material militar em questão.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Carvalho2008
18 dias atrás

Republic of Singapore Air Force M113A2 Ultra Mechanised IGLA Integrated Fire Unit (IFU) and Weapon Fire Unit (WFU)
comment image

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  carvalho2008
18 dias atrás

comment image

Carvalho2008
Carvalho2008
18 dias atrás

M-113 Shorad (com IRIS T) encomendado pela Noruega em 2018
comment image

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Carvalho2008
17 dias atrás

Um sistema do tipo seria interessante para prover defesa antiaérea nas brigadas blindadas.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Carvalho2008
17 dias atrás

bora copiar mas com CAMM

Tomcat4,2
Reply to  Carvalho2008
15 dias atrás

Ficou interessantíssimo este hein Carvalho2008.

Carvalho2008
Carvalho2008
18 dias atrás
Carvalho2008
Carvalho2008
18 dias atrás

comment image

Carvalho2008
Carvalho2008
18 dias atrás

comment image

Carvalho2008
Carvalho2008
18 dias atrás

comment image

Elintoor
Elintoor
18 dias atrás

Suficiente para manter a dissuasão em nosso entorno estratégico.
Sem devaneios. Simples assim.

Henrique
Henrique
Reply to  Elintoor
17 dias atrás

Dissuasão? Com táxi de batalha feito de alumínio? Termos precisos viram “buzzwords” aqui.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Henrique
17 dias atrás

É um transporte leve, criado para ser pequeno e transportavel em terra, agua e ar de forma facil, de baixo custo Sem duvida possui limitações nos dias de hoje, principalmente minas. Mas mesmo de aluminio, foi montado para resistir 7,67…como o mundo em boa parte reduziu para 5,56 ele ainda mantem-se efetivo. É mais lento, mas Roda onde outros nas rodam. Sim existem melhores, mas ele faz e esta a mão ainda, aos milhares. Foi constrangedor os EUA terem implementado os VBL Humvee no oriente, não darem conta e depois se socorrer do velhinho ai acima para tapar buraco. Este… Read more »

Carvalho2008
Carvalho2008
17 dias atrás

M-113 encomendado pelas Phlilipinas en 2015

Possui uma torre remota Elbit de 25mm
comment image

Carvalho2008
Carvalho2008
17 dias atrás

Outro M-113 Flipino de 2017 armado desta vez com um torreta UT-25
comment image

Carvalho2008
Carvalho2008
17 dias atrás

comment image

Carvalho2008
Carvalho2008
17 dias atrás

comment image?1491939175

paulop
paulop
Reply to  Carvalho2008
17 dias atrás

Pense um destes para cada Pel Inf Blind.
Será que esta torre é uma UT30 das antigas?

rdx
rdx
Reply to  Carvalho2008
17 dias atrás

M113 com torreta RCWS-30 da Rafael (Canhão 30mm+ Spike)

Tomcat4,2
Reply to  Carvalho2008
15 dias atrás

Como diria o sr Burns;
“Exceleeeeeeeeente !!!”

Carvalho2008
Carvalho2008
17 dias atrás
ue a vida na Veneuela está um inferno
ue a vida na Veneuela está um inferno
Reply to  Carvalho2008
17 dias atrás

Carvalho 2008.
Excelente pesquisa sobre os upgrades do M-113. Reforça a idéia de que podemos suplementar os nossos regimentos blindados com carros economicos de produzir e manter. Manteríamos o adestramento da tropa e de vantagem extra, poder de fogo auxiliar para os Léo. Abço.

Bardini
Bardini
17 dias atrás

Poucos aqui parecem entender que o problema do M113, é ele estar sendo empregado em uma estrutura em que ele é totalmente ultrapassado, não passando de um caixão ambulante que agrega muita, mas MUITA fragilidade ao poder de choque de nossa força sobre lagarta. . . Esse é o problema. Ele é o nosso VBCI! . Ele nem é elo mais fraco da nossa “corrente”. Ele é um mero clips de papel que meteram na função pra tapar buraco e manter a doutrina. Não está nada bom esse faz de conta aí… e quem fala que “é o que tem… Read more »

Tomcat4,2
Reply to  Bardini
15 dias atrás

Pra que tanta raiva neste coraçãozinho Bardini???rs
Creio q o EB sabe de suas necessidades e se o M-113 fosse este lixo todo que gritas aos quatro cantos não estaria em uso em tantos países e em tantas versões e ainda sendo produto de projetos de modernizações por parte de inúmeras empresas de defesa mundo afora.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Tomcat4,2
15 dias atrás

Com a palavra: os australianos.
comment image

Henrique
Henrique
Reply to  Tomcat4,2
11 dias atrás

A razão para o m-113 ser amplamente utilizado é simplesmente que ele é BARATO e o US Army encomendou ele em grandes quantidades, quando foi retirado da linha de frente baciadas de m-113 ficaram disponíveis para países atrasados do terceiro mundo, como o Brasil. Essa é a razão de haver tantos aqui e não os substituirmos, porque o substituito é muito mais CARO. Talvez quando o Bradley sair de operação, vamos pegar de novo “na baciada”.

PST27x
PST27x
17 dias atrás

O M113 é mto fraco

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
17 dias atrás

Boa noticia!!

Teórico
Teórico
16 dias atrás

teste

Carvalho
Carvalho
16 dias atrás

O M113 não está nos planos do EB. Esta revitalização apenas dá um fôlego mecânico até se desenhar o cenário de seu substituto. Lembrando que hj um GC embarcado em um Guarani sobre rodas tem MUITO mais capacidade de combate do que um GC embarcado em um M113. Ou seja, hj nossa infantaria mecanizada é mais capaz do que a blindada. Chegou a se pensar em adquirir o Marder, mas a ideia foi suplantada pela necessidade de desenvolver projeto CC e VBCI…. Mas aí chegou a COVID…o resto é incerto. Uma única coisa é certa: M113 já deu o que… Read more »

Agnelo
Agnelo
Reply to  Carvalho
15 dias atrás

Prezado
Essa modernização não “do nada”. Em algum momento serão substituídos por VBCI. Todo mundo sabe da necessidade, mas falta $$.
Quando isso ocorrer, na minha opinião, não descomissionarão os M-113, eles passarão para os Apoios.
Sem dúvida, pras retaguardas Bld ainda dão muito.

O Chile fez uma coisa muito bacana.
Transformou vários M-113 em carros cisterna de combustível, assim os CC e VBCI precisam se reunir em Áreas de Trens menos vezes, sem fragilizar suas disposições no terreno, mantendo sua impulsão por mais tempo.
Sds

Carvalho
Carvalho
Reply to  Agnelo
15 dias atrás

Agnelo,
Eu me referi ao emprego dos M113 nas Cias de Fzl.
Mais adiante verá que discuto a possibilidade de usar os M113 na função de porta morteiro.
Eles ainda tem muita vida útil em função da modernização MECANICA que foram submetidos.

Alfa BR
Alfa BR
16 dias atrás

Assim como o Exército Brasileiro, o Exército Australiano ainda emprega os M113 nos seus batalhões de infantaria blindada (chamada lá de “mechanised infantry”). A atual fase do programa Land 400 visa a aquisição de 450 veículos blindados de combate de infantaria (VBCI) e 17 veículos de apoio para substituir a frota de M113 AS4. Um dos pontos observados é que o M113 carece de poder de fogo e blindagem que permita acompanhar os carros de combate M1A1 até o objetivo, tendo que desembarcar os fuzileiros a uma distância maior, o que os exporia por mais tempo aos fogos do inimigo… Read more »

Carvalho
Carvalho
Reply to  Alfa BR
16 dias atrás

Alfa,
Vc acha que os nossos M113 podem ser convertidos em porta morteiros, como fazem os israelenses?

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Carvalho
16 dias atrás

Carvalho, penso que o ideal seria criar toda uma família de blindados (VCC, VCI, VCM…) baseada na mesma plataforma, que é o caminho que o EB quer seguir (dependendo do $, claro). Mas os M113 poderiam ser uma solução interina enquanto recebem inicialmente as versões VCC e VCI. Certamente vão adotar o mesmo sistema embarcada que vencer a concorrência para a versão porta-morteiro do Guarani, então poderiam instala-los nos M113 e depois remanejar para as versões porta-morteiro da nova família de blindados sobre lagartas. Só alguns pensamentos meus, não quer dizer que esteja certo rs.

ue a vida na Veneuela está um inferno
ue a vida na Veneuela está um inferno
Reply to  Alfa BR
16 dias atrás

Não se fala mais no Guarani 8×8. Ou o que seria o nosso Centauro Com artilharia moderna, 30/57 mm. auto. (não aquele 105 mm.) O M-113 na função de adestramento vai permanecer até Marte soar suas trombetas. Dai, talvez, tardiamente para equiparmos os nossos soldados com armas melhores.

Carvalho
Carvalho
Reply to  Alfa BR
16 dias atrás

Pois é…olha só. Como o próximo movimento do EB será o Guarani morteiro 120, mais uma vez a Infantaria mecanizada se distanciará em eficiência da infantaria blindada. Como acho que teremos capacidade de fabricar o sistema embarcado do Guarani, me questiono se é possível instalar também no M-113 (já que estes últimos estão agora mecanicamente “zero bala”. Se isso acontecer…..existirá um aprofundamento do paradoxo: Nossas brigadas blindadas tem um CC necessitando urgente de revitalização (Leiopard), um VBTP necessitando urgente de substituição (M113)….mas uma força de apoio de primeira linha !!! (M109 A5 Plus e morteiro 120 ). Começamos modernizando pela… Read more »

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Carvalho
16 dias atrás

Menos pior. Já imaginou termos um CC necessitando urgente de revitalização, um VBTP necessitando urgente de substituição e ainda o apoio de fogo totalmente defasado? Considerando que os M113 ainda vão rodar um bom tempo é lógico pegar um punhado de viaturar e adaptar o sistema de morteiro embarcado que o EB escolher para a versão VBC Mrt do Guarani. Como disse, os sistemas podem depois ser remanejados para a respectiva versão porta-morteiro da futura família de blindados sobre lagartas (se rolar…$). Qual seria a dotação de viaturas do tipo por unidade (RCC, BIB e RCB)? Umas quatro? Também gostaria… Read more »

Carvalho
Carvalho
Reply to  Alfa BR
16 dias atrás

Segundo o Manual de Campanha (2004):

“O Mrt P 120 mm M2 raiado será empregado, inicialmente, em batalhão
de infantaria blindado (BIB), regimento de carros de combate (RCC), regimento de
cavalaria blindado (RCB) e regimento de cavalaria mecanizado (R C Mec) e, para
experimentação doutrinária de emprego, em grupo de artilharia de campanha páraquedista (GAC Pqdt), grupo de artilharia de campanha leve (GAC L) e grupo de
artilharia de campanha de selva (GAC Sl).”

O Pelotão de Mtr pesados possui duas seções, a duas pçs cada. Total = 4 peças

Carvalho
Carvalho
Reply to  Carvalho
15 dias atrás

Alfa,
Complementando a informação.
Consta que serão 1pç/vtr
Ou seja o Pel Mrt Pesados dos RCC, BIB e RCB (e acredito que também nos BIMec) terão 04 Vtr porta morteiros

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Carvalho
16 dias atrás

Mestre Carvalho, Como voces vem no futuro horizonte de 10-15 anos, com relação aos morteiros pesados 120 mm tomando cada vez mais espaço quer seja na artilharia e até no enfrentamento de CC?? As municoes inteligentes estão se popularizando cada vez mais e atrelada inclusive aquelas de caracteristicas planadoras. Ja surgiram municoes planadoras de morteiro com alcance de 25-28 km e sua portabilidade e custo, permitem uma pulverizacao maior de meios. Como vcs veem isto num cenario em que apesar de antes estar ao alcance de uma artilharia sempre preocupar mas passivel de contornar e se afastar, hoje com estes… Read more »

Carvalho
Carvalho
Reply to  Carvalho2008
16 dias atrás

Alô 2008
Não acredito que cada nicho de atuação vai ser alterado em tempo tão curto (10-15 anos).
Teremos os pelotoes de apoio dentro das unidades, os GAC nas grande unidades, atuando ainda sob Cmdo de Artilharia.
Cada arma tem seu custo, alcance, poder e cadência.
Certamente vão coexistir

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Carvalho
16 dias atrás

…”Existem planos para o ACERM-X, uma versão “eXtreme performance” com um foguete. Isso deve ser capaz de atingir faixas em algum lugar além de 40 km. O ACERM-X também poderá executar um truque inteligente conhecido como MRSI, Impacto Simultâneo Múltiplo de Rodada. Aqui, várias rodadas são disparadas no mesmo alvo ao longo de trajetórias ligeiramente diferentes, portanto, mesmo sendo disparadas uma após a outra, todas elas chegam no mesmo momento. O obus Archer da BAE Systems pode entregar seis rodadas ao mesmo tempo usando o MRSI; O ACERM-X poderia gerenciar uma saraivada de um morteiro semelhante. O ACERM é uma… Read more »

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Carvalho
16 dias atrás
Henrique
Henrique
Reply to  Carvalho2008
16 dias atrás

Morteiro de 120mm substituindo obuseiro de 105mm – principalmente se for os obsoletos m101 e oto melara – eu acho válido, mas não substitui um bom obuseiro 155mm de longo alcance, toda brigada de infantaria deveria ter pelo menos uma bateria dele, igual as infantry brigade team dos americanos.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Henrique
16 dias atrás

Falando das nossas forças mecanizadas Henrique: Ao meu ver um pelotão de morteiros com quatro viaturas porta-morteiro por OM ficaria muito bom. Se o EB pudesse bancar mais seis viaturas porta-morteiro para ficar uma configuração similar a dos batalhões de infantaria stryker ficaria ainda melhor e creio eu que ficaríamos bem a frente das forças terrestres que nos circundam neste aspecto. Quanto a artilharia, um grupo de artilharia de campanha autopropulsado equipado com obuseiros autopropulsados sobre rodas de 155mm, no mínimo três baterias a seis viaturas/peças cada (dezoito no total) por brigada e estaríamos muito bem. Depois podemos discutir outros… Read more »

Henrique
Henrique
Reply to  Alfa BR
16 dias atrás

Eu sou da opinião que o EB deveria usar o máximo possível roda, dada a nossa infraestrutura e nossa extensão territorial. – Ah, mas roda não passa em lugares que lagarta passa! E lagarta não passa em boa parte do nosso território e nem pode se deslocar por meios próprios por longas distâncias. Roda pode se deslocar pelas nossas estradas sem rachar o asfalto e sem precisar ser “carregada” por outro veículo. Em termos de AA AP eu sou adepto do MSHORAD da SAAB, usa armamento já empregado pelo EB, é leve e pode ser instalado numa miríade de veiculos,… Read more »

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Henrique
16 dias atrás

O MSHORAD é um bom sistema mas eu acho ele “incompleto”. Ao nível OM eu proporia a utilização de uma plataforma na linha do IM-SHORAD da Leonardo, mesclando um canhão (30-40mm, tiro rápido) com um míssil antiaéreo de curto alcance. Com isso tem-se a capacidade não só de lidar com aeronaves tripuladas a baixa altitude (asa rotativa e asa fixa) como com VANTs pequenos.
comment image

Henrique
Henrique
Reply to  Alfa BR
16 dias atrás

Realmente, destruir VANT de algumas centenas de dólares com míssil não é um bom custo/benéficio, melhor abater a tiros. Mencionei o MSHORAD por ele utilizar uma arma já em uso e por achar que uma padronização é extremamente desejável.

Na minha opinião, levando em consideração o nosso continente, não vejo uma grande inadequação da nossa AAA, as FFAA dos vizinhos tem poucos caças avançados e armas guiadas, vão ter que ” empurrar lama” a baixa altitude, no território que os nossos gepards, iglas e rbs 70 dão conta.

Bardini
Bardini
Reply to  Henrique
16 dias atrás

comment image
.
Pra mim, a receita tá aí, praticamente pronta. É só adaptar a nossa logística, trocando o radar pelo SABER M60 e outras coisas.
.
Mas isso aí ainda seria caro, para aplicar a MANPADs… Sobra radar.
.
Mais barato seria ter um veículo com o radar montado e outro veículo controlando as outras unidades equipadas com os lançadores+alça EO/IR espalhadas no terreno.

Bardini
Bardini
Reply to  Bardini
16 dias atrás

Mais nessa linha:comment image

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Bardini
15 dias atrás

A viatura da direita parece estar equipada com aquela torre feita em parceria pela MBDA e Rheinmetall.
comment image

Penso que a defesa antiaérea das OM mecanizadas e blindadas deveria ser algo nessa linha mesmo (as viaturas de defesa antiaérea equipadas com torre armada com canhão automático e mísseis AA de curto alcance além das viaturas com os sensores para direção de tiro, como você descreveu), só que com os sistemas montados nas viaturas sobre rodas e sobre lagartas que equipam as respectivas formações.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Henrique
16 dias atrás

Quanto a artilharia autopropulsada você pode argumentar em favor de padronizar toda ela, nas brigadas blindadas e mecanizadas, com viaturas sobre rodas. Funcionaria.

Eu só vejo o caso de se utilizar nas brigadas blindadas obuseiros autopropulsados sobre lagartas se estes fizerem parte uma família de viaturas sobre lagartas baseadas na mesma plataforma (VCC, VCI…) e utilize um modulo de artilharia comum as viaturas obuseiro autopropulsados sobre rodas nas brigadas mecanizadas. Algo na linha do Artillery Gun Module da Krauss-Maffei Wegmann.
comment image
comment image

Aí se teria o máximo de padronização possível.

Henrique
Henrique
Reply to  Alfa BR
15 dias atrás

O problema é que esse sistema deve ser extremamente caro, não acho que o EB seria capaz de substituir na razão de 1:1 os obuseiros mais antigos, seria precisso
redimensionar a força, e o EB já mostrou abundantemente que não está disposto a fazer.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Carvalho
15 dias atrás

Disponibilidade de meios.

Vilela
Vilela
16 dias atrás

Porquê não vão de trem?

carvalho2008
carvalho2008
15 dias atrás

Nestas peregrinações da web, me defrontei com um trabalho de tese de um oficial brasileiro, a qual em uma das partes envolveu a velha polemica da lagarta Vs Rodas. Era uma tese focada na necessidade de substituição dos M-113 como VBCI. Nela no entanto, ocorreu duas observações interessantes que vão de encontro com o que ja havia postado. Nas operações Urbanas tanto na esperiencia nas favelas do RJ, quanto na Europa pelos Russos ( Não sei se Ucrania, Croacia, foi naquele pau que levaram quando os MBT´s entraram na cidade), foi observado que os veiculos sobre rodas tiveram de parar… Read more »

Henrique
Henrique
Reply to  carvalho2008
13 dias atrás

Por isso é importante ter uma boa engenharia de combate, pra destruir obstáculos. No caso de nossas favelas, o emprego das FFAA é totalmente descabido, isso é trabalho da polícia. Favelas nem deveriam existir.

Renato B.
Renato B.
15 dias atrás

OFF-TOPIC Turcos clamam a destruição de baterias Pantsir nos conflitos da Líbia. Unidades dos EAU.

Anderson Jocys
Anderson Jocys
12 dias atrás

O mais interessante financeiramente a respeito desses veículos, seria derrete-los e transformar em latas de cerveja. Novamente dinheiro do contribuinte indo para o ralo!

Luiz Floriano Alves
Luiz Floriano Alves
Reply to  Anderson Jocys
1 dia atrás

Já derretemos a Engesa. Agora vemos que os seus produtos seriam passiveis de atualização e recebendo armas mais atuais poderiam servir a muitos clientes de terceiro mundo. O Ogum de pouca repercussão seria a nossa versão do Wiesel da Alemanha. Com os modernos ATGMs, se tornaria uma .viatura blindada atual. A facilidade, do transporte aéreo faz toda a diferença.