Home Carros de Combate POSTER: Os principais carros de combate modernos

POSTER: Os principais carros de combate modernos

8792
111

Poster da Tanks Encyclopedia que apresenta os 25 principais MBT – Main Battle Tanks do mundo. Diferentemente dos outros posters que o ForTe já compartilhou, este traz o EE-T1 Osório e o TAM argentino. Clique na imagem para ampliar e baixar a versão em alta resolução.

Subscribe
Notify of
guest
111 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Tomcat4,2
Tomcat4,2
5 meses atrás

Muito bacana, tem alguns ali q nem o nome eu havia ouvido mencionar😳. O Type 10 japonês assim como o K-2 são absurdamente tecnológicos pelo q se vê em vídeos pela internet afora . Espero q o futuro projeto nacional do EB de uma família de blindados nós traga uma grata surpresa principalmente no caso do MBT, q no nosso caso creio q será um MMBT.

Lu Feliphe
Reply to  Tomcat4,2
5 meses atrás

Verdade, além do desing de ambos serem totalmente bonitos.
Espero que o EB desenvolva uma família de blindados nacionais.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Lu Feliphe
5 meses atrás

Bacana O poster. Mas só achei muito difícil de entender que em pleno 2020, nem sequer um único modelo de blindado brasileiro moderno, mesmo um estilo modesto como o TAM argentino, apareceu. E o Brasil com parque automobilístico e tecnológico substancial. Sinto muito, mas o Osório não cabe aí.
Lamentável

Augusto Mota
Augusto Mota
Reply to  Joao Moita Jr
5 meses atrás

O Osório está na lista.

Paulo Lahr
Paulo Lahr
Reply to  Augusto Mota
5 meses atrás

Concordo com o Joao. Ele esta ai na lista mas nao esta em campo. DO que vale?

Alexandre Cardoso
Alexandre Cardoso
Reply to  Augusto Mota
5 meses atrás

Está na lista mas concordo com o João Motta, o Osório não cabe aí. Físicamente existe MAS, nem uma unidade que seja foi comprada pelo exército.

Wilson
Wilson
Reply to  Alexandre Cardoso
5 meses atrás

O EB não tinha dinheiro para comprar o Tamoyo que era bem mais barato que o Osório.

O Osório é colocado porque ele é um veículo reconhecido, por muitos como um exemplo da capacidade e engenhosidade brasileira, tendo sido muito mais barato para ser desenvolvido e tendo o mesmo desempenho de tanques muito mais caros. Muitos veem o Osório como um exemplo de que não se precisa criar bestas com mais de 70 toneladas, sendo que um veículo com menos de 50 toneladas já oferece proteção suficiente.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Joao Moita Jr
5 meses atrás

Sem dúvida não cabe na lista. Se fosse para colocar todos os protótipos, este poster deveria ter, no mínimo, o triplo de tamanho.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Tomcat4,2
5 meses atrás

Pelo seu recheio tecnológico. Canhão 120mm. e ser leve eu torço pelo Type 10

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
5 meses atrás

Por que o Osório está na lista se não passa de peça de Museu? Todos os outros ao menos viram uma linha de produção.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Defensor da liberdade
5 meses atrás

Alguns dos MBT´S aí, não passam de cópias com modificações, não são verdadeiros MBT´s, construídos do zero, por esses países, tirando isso, está excelente.

Lu Feliphe
Reply to  rui mendes
5 meses atrás

Verdade, um exemplo é Olifant mk2, que na realidade é basicamente uma modernização do Centurion Britânico, assim como o Norte Coreano.

Nostra
Nostra
Reply to  Lu Feliphe
5 meses atrás

Another example
Al Khalid is license produced Chinese Type 90 IIM

ScudB
ScudB
Reply to  Lu Feliphe
5 meses atrás

So faltou finalizar a frase : “assim como o Norte Coreano” é basicamente uma modernização de T-72M.

Lu Feliphe
Reply to  ScudB
5 meses atrás

Sim, quando disse “assim como o Norte Coreano”me referi a ser basicamente uma modernização de outra plataforma.

ScudB
ScudB
Reply to  Lu Feliphe
5 meses atrás

Entendi , mas a frase ficou estranha..

Karl Bonfim
Karl Bonfim
Reply to  Defensor da liberdade
5 meses atrás

É verdade! O “pior” também e ver que além de não operarmos nenhum tanque moderno da lista e ainda ver nuestros hermanos del sur emplacar seu MBT nela. Como brazuca me sinto derrotado por “7×1” nesse quesito! Aí né mole não!

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Karl Bonfim
5 meses atrás

Karl Bonfim, salvo esteja enganado, peço a ajuda dos mais entendidos no assunto, o TAM não aguenta uma salva do nosso Leopard 1A5! O Leo é mais pesado e mais blindado. o TAM, sem querer desmerecer o excelente projeto, não poderia ser consuderado um MBT, mas…. posso estar enganado, Salvo melhor juízo! Existem já estudos (Couraça de Aço) visando a substituição dos Leos mas eu acho que a defesa AA de médio alcance, algo mais urgente em nosso TO.

Wilson
Wilson
Reply to  Marcelo Andrade
5 meses atrás

Num embate entre TAM e Leo 1a5 vai vencer o que acertar primeiro.
O Leo é mais blindado, mas é blindagem de aço com no máximo 70mm no casco e na torre chega a uns 250mm(isso com a blindagem espaçada), enquanto o TAM é de uns 50mm a blindagem também de aço(não sei a da torre). O TAM leva vantagem em sua mobilidade (é difícil achar um tanque com a mobilidade equivalente a do TAM), mas no fim como ambos tem um canhão de 105mm equivalentes em capacidade de penetração, vai vencer o primeiro que acertar um tiro no outro.

Bardini
Bardini
Reply to  Wilson
5 meses atrás

A versão modernizada TAM 2C é superior aos atuais Leopard 1A5 BR, em termos de localizar, atirar primeiro e acertar.

Wilson
Wilson
Reply to  Bardini
5 meses atrás

Sei disso, inclusive que pode ser um dos casos de análise do GT nova couraça para a modernização dos leo 1a5.

Eu não levei muito em conta essa modernização por(pelo que conheço) ter apenas ainda 1 unidade, apesar de ter sido aprovado pelo exercito argentino.

O que mais chama a atenção dos militares brasileiros é que mesmo na pindaíba que os argentinos estão eles conseguem manter uma frota de TAM operativa, muito mais facilmente que o EB, tanto que a idéia para o futuro é ter uma família para facilitar a logística e a manutenção.

Bardini
Bardini
Reply to  Wilson
5 meses atrás

Tinham contratado um pacote contendo 74 TAM 2C. Não sei que fim levou…

Tutu
Reply to  Bardini
5 meses atrás

O projeto ainda está lá, porém parado por falta de money.

Karl Bonfim
Karl Bonfim
Reply to  Bardini
5 meses atrás

Justamente isso, além do fato de os TAM 2AC, ser mais leve e portante mais adequado para ser usado em biomas como os pampas e o charco argentino. Segundo verdadeiroverdadeiros especialistas em tanques e blindados: https://www.youtube.com/watch?v=m40qj0Be63s e
https://www.youtube.com/watch?v=fbBojmLwDpg.

Fred
Fred
5 meses atrás

Poucos aqui comentam sobre o Leclerc e o Aríete. Gostaria de saber as impressões dos especialistas sobre esses dois MBTs.

Wilson França
Wilson França
Reply to  Fred
5 meses atrás

O primeiro é francês e o outro italiano.

João Polinario
João Polinario
Reply to  Wilson França
5 meses atrás

E um tem nome de piloto de F1 e outro de arma.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  João Polinario
5 meses atrás

kkkk, gente, sacanagem,, o amiguinho está perguntando!!! kkkk

Lu Feliphe
Reply to  Fred
5 meses atrás

Olá Fred, não sou nenhum especialista mas conheço o básico desses tanques. Ambos são muito modernos e atendem as especificações de seus exércitos, mas dá para fazer algumas análises e comparações. Ambos utilizam canhões de 120 mm, o Leclerc tem uma câmara do mesmo tamanho do Leopard 2, M1A1 e M1A2. A Tonelagem do Leclerc é maior tendo 57,4 toneladas, em comparação as 54 toneladas do tanque Italiano. O início da produção e desenvolvimento do Leclerc é mais antiga que a plataforma italiana, porém o tanque Italiano teve sua última unidade entregue mais cedo, tendo o tanque Italiano tendo começado… Read more »

Fred
Fred
Reply to  Lu Feliphe
5 meses atrás

Obrigado Lu!

Cássio Silva
Cássio Silva
Reply to  Fred
5 meses atrás
Fred
Fred
Reply to  Cássio Silva
5 meses atrás

Obrigado Cássio! A ideia original da pergunta era aprender mais um pouco, eu conheço pouco dos dois MBTs. Tenho uma curiosidade grande, principalmente sobre o Leclerc. Tem sido usado pelo EAU no Yemen. Eles são equipados com blindagem modular que pode ser configurada de várias formas. Há fotos interessantes, embora alguns tenham sido posto fora de combate por danos de minas e mísseis, não tenho notícia de nenhum que tenha sido completamente destruído. Em pelo menos um caso o motorista morreu pelo impacto frontal de míssil, mas o resto da tripulação sobreviveu e o MBT não foi destruído. É um… Read more »

Carlos
Carlos
5 meses atrás

Faltou na arte aparecer o caminhão que transporta o Zulfiqar!

Karl Bonfim
Karl Bonfim
5 meses atrás

Numa boa, tem tanque “esquisito” nesta lista que eu nunca ouvir falar, Ramses II, Asad Babil (devem ser do Egito e da Síria) e outros, apesar de eu não ser um especialista, técnico, ou possuir grande entendimento no assunto, a olhos vistos, percebi-se que são meras cópias de afamados tanques russos.

Caio
Caio
Reply to  Karl Bonfim
5 meses atrás

Talvez seja igual o T-72 iraquiano que eles chamavam de leão da babilonia

Lu Feliphe
Reply to  Karl Bonfim
5 meses atrás

Esse tanque é Egípcio.

JS666
JS666
Reply to  Karl Bonfim
5 meses atrás

Ramses II é uma modernização dos T-54 feita pelo Egito, Asad Babil é o T-72M1 fabricado sobre licença pelo Iraque nos anos 80.

nonato
nonato
Reply to  JS666
5 meses atrás

Ramsés… renascido das tumbas dos faraós…

AFN Barbosa
AFN Barbosa
5 meses atrás

Olhando essa foto me vem a pergunta: Qual seria o comprimento ideal para o cano do canhão e até que ponto isso é relevante? Os americanos e israelenses parecem preferir um cano mais curto enquanto os chineses e russos dão preferencia a um cano longo.

RPiletti
RPiletti
Reply to  AFN Barbosa
5 meses atrás

Mais longo, maior penetração. (mantendo demais características).

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  RPiletti
5 meses atrás

Sendo mais preciso, em um canhão com cano mais longo o projetil tende a ter maior velocidade inicial.

Wilson
Wilson
Reply to  AFN Barbosa
5 meses atrás

O cano mais longo, não garante apenas maior penetração(como já foi mencionado) como garante maior precisão e principalmente maior alcance. A desvantagem é que por seu comprimento fica muito mais difícil de operar em ambientes confinados, como cidades. No geral um canhão mais longo se sai melhor no combate a longas distâncias em campo aberto e o de cano corto é mais fácil de operar em ambientes confinados onde pela pequena distância dos engajamentos a maior capacidade de penetração do canhão mais comprido não faz diferença. No caso russo e chino tem mais a ver com questões da munição empregada… Read more »

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
5 meses atrás

Legal esse poster mas, na boa, o Merkava é um monstro!!! Esses israelenses são f……!!!

Salim
Salim
Reply to  Marcelo Andrade
5 meses atrás

Também gosto do Merkava, minha escolha pela doutrina de uso mesmo, letalidade e sobrevivencia em campo batalha regular e assimétrico. Vários foram atingidos e a grande maioria sobreviveu tendo pouquíssimas perdas totais e/ou tripulação.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
5 meses atrás

Acho que de todos esses ai o mais blindado(melhor proteção, sistema ativo n conta) é o Challenger 2. É um excelente blindado e que não é muito falado como o abrams, leopard e T90.

Bardini
Bardini
Reply to  Heinz Guderian
5 meses atrás

O Challenger II tem o ronco mais Fod@ dentre todos os MBTs:
https://www.youtube.com/watch?v=ROLgkay2nfA

Bardini
Bardini
Reply to  Bardini
5 meses atrás
Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Bardini
5 meses atrás

Música para os ouvidos!!!👏👏👏😎

glasquis7
5 meses atrás

O TAM Argentino está entre os principais???

Gilson Elano
Gilson Elano
5 meses atrás

Um PEM é capaz de desabilitar tanques?

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Gilson Elano
5 meses atrás

Não! Obtanque é uma caixa metalica e como toda caixa , é uma gaiola de faraday…o pulso eletromagnetico escorre pela superficie e nao adentra.

Rudi PY3TO
Rudi PY3TO
Reply to  Carvalho2008
2 meses atrás

Pergunta..isso vale para uma Fragata ou Corveta também?

ScudB
ScudB
Reply to  Gilson Elano
5 meses atrás

Amigo Gilson!
Equipamento militar tradicionalmente projetado pensando na pior situação possível – uso de dispositivos nucleares. Logo esta sendo protegido dos varios fatores e um deles , como Voce sabe , PEM. Por tanto, hoje em dia , a resposta é não. Nosso colega Carvalho2008 esta absolutamente certo.
Um grande abraço!

Entusiasta Militar
Entusiasta Militar
5 meses atrás

Se eu pudesse escolher o MBT ideal para o Exercito Brasileiro comprar com certeza seria o Charllenger ii e/ou o Type 10, mas ambos sao fora da nossa realidade … o challenger é pesado demais e o type 10 é caro demais … é triste quando um País nao consegue desenvolver seus próprios equipamentos de defesa e depende de outros para conseguir equipamentos usados.

J-20
J-20
Reply to  Entusiasta Militar
5 meses atrás

Comparado a um Leopard 2A7, o Type 10 até está barato. O problema é a restrição na exportação de arma que está na constituição japonesa.

Bardini
Bardini
5 meses atrás

Os caras colocaram “EE-1 Osório” na imagem que representa a versão “EE-2”, equipada com o canhão 120mm
.
Galhofagem pra pegar view da gurizada…

Luiz Floriano Alves
Luiz Floriano Alves
Reply to  Bardini
5 meses atrás

O Armata russo lançou um novo conceito que está se alastrando. A torre não tripulada e carregador automático separado dos tripulantes. A partir deste blindado já surgiram outros projetos, principalmente o Franco-Alemão liderado pela KMW. Canhão de 130 mm. alma lisa tb se consagra. Ninguém que ter menor poder de fogo.

Wilson
Wilson
Reply to  Luiz Floriano Alves
5 meses atrás

Não foi o Armata que lançou isso, tem projetos ocidentais com esse mesmo conceito que datam do fim dos anos 80 como o m1 ttb e o challenger1 falcon(esse feito a pedido da Jordânia).
O correto seria dizer que o Armata é o primeiro a reunir varias tecnologias em uma plataforma e que será o primeiro a entrar em produção.

Wilson
Wilson
Reply to  Bardini
5 meses atrás

Oficialmente ambas as versões eram ee-t1 Osório. Chamavam a versão com canhão de 120mm de ee-t2 só para distinção interna na empresa.

rdx
rdx
5 meses atrás

Curiosamente, o TAM nunca foi um MBT

willhorv
willhorv
5 meses atrás

Challenger 2, Arjun e Merkava são verdadeiros monstros bruta-montes sobre lagartas!!!
O Brasil deve desenvolver algo como um tanque médio como aquele recém lançado pelos NA. Não vejo outra saída ou coisa maior que isso. E se pensar, nem precisamos.
Agora já de Hélis de ataque sangue puro, estes sim! São necessários. Assim como mais Hélis de manobra.

João Gabriel
João Gabriel
5 meses atrás

Já que tem o Osório, poderia ter o Tamoyo também né.

Eduardo Oliveira
Eduardo Oliveira
Reply to  João Gabriel
5 meses atrás

Não pq o Tamoyo era bem inferior ao Osório.

Wilson
Wilson
Reply to  Eduardo Oliveira
5 meses atrás

Se for a versão III do tamoyo ai não é muito inferior não.

Eduardo Oliveira
Eduardo Oliveira
Reply to  Wilson
5 meses atrás

Tecnologia embarcada do EET2 Osório nem se compara ao Tamoyo 3. Fora o canhão. Mesmo o Tamoyo 3 estava bem abaixo, próximo do EET1, mas do EET2 nem se compara.

Cinturão de Orion
Cinturão de Orion
Reply to  João Gabriel
5 meses atrás

Salvo melhor juízo, o Tamoyo era considerado um Tanque “médio”, e não um MBT.

rdx
rdx
Reply to  Cinturão de Orion
5 meses atrás

Exatamente. TAM e Tamoyo são da mesma categoria

Claudio Moreno
Claudio Moreno
5 meses atrás

Boa madrugada Senhores,

No dia 22/05/2020 na BR467 Cascavel – PR, VBTR Guarani capotou após manobra para evitar colisão com veículo civil.
Segundo reportagem o blindado perdeu o equilíbrio após queda em desnível de pista. Felizmente os dois ocupantes passam bem.

Não demora muito haverá quem diga que o projeto é falho, muito alto, centro de gravidade ruim etc, etc, etc.

CM

cerberosph
cerberosph
Reply to  Claudio Moreno
5 meses atrás

Vai ter que atualizar/instalar ABS, ACC, ESC, ASR etc, falhou no teste do Alce.

Eduardo Oliveira
Eduardo Oliveira
Reply to  Claudio Moreno
5 meses atrás

E pq vc acha que do primeiro lote pra cá já capotaram 3 e um perdeu o cubo de roda junto com a roda? Kkkk. Projeto é mal feito. Embora um carro mais alto ajuda na proteção contra minas, o Guarani realmente ficou muito alto e fino (altura do assoalho em relação ao chão). É só comparar com outros carros mundo a fora. E outro detalhe, esse tipo de acidente você não vê nem com o Urutu, ou seja, ultrapassado, freio ruim mas capotar não capota fácil igual o Guarani não (e olha que o Urutu está na pista há… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Eduardo Oliveira
5 meses atrás

O que me espanta e EB ter todos estes projetos da engesa/bernardini nas mãos, vários equipamentos equivalentes mercado para absorver tecnologia e vai com Iveco em projeto inferior ao que e feito Itália. Lembro que primeiros cascavéis foram feitos no parque fabril do exercito em SP. São projetos década 70 e poderiam ser atualizados. Embora EB já esta revisando projeto para sanar falhas operacionais e melhorar tecnicamente o mesmo, conforme matéria recente. Provavelmente esta melhoria ira sanar estas deficiências.

Lu Feliphe
Reply to  Salim
5 meses atrás

Salim, embora o exército tenha em reserva algumas unidades de projetos antigos, fazer uma licitação para modernizar projetos que não tiveram uma grande evolução como o Cascavel seria difícil, fora que muitos teriam de mudar muitas coisas como a estrutura, armamento e tecnologia abordo fazendo com que o preço se tornasse o mesmo de uma parceria conjunta. O Guarani foi feito com bases em especificações nacional da plataforma Italiana, ele não seria pior em desempenho ao que era previsto nas especificações do exército. Mas concordo que o Cascavel é um ótimo blindado tanto que em muitas análises o exército pretende… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Lu Feliphe
5 meses atrás

Caro Lu Felipe, exemplo temos cascavel, hj em operação aqui, oriente médio, africa e america sul. Se fosse modernizado trazendo benefícios importantes e com valor justo, teríamos um potencial enorme de repotencializacao aqui viabilizando ate num modelo novo baseado neste sucesso. Seria viabilizado nova estrutura nacional de produção/reforma desta familia já aceita mundialmente.

Lu Feliphe
Reply to  Eduardo Oliveira
5 meses atrás

A altura é para proteger o blindados de explosivos improvisados, e minas. A altura também protege a tripulação da onde de choque, a onda de choque pode provocar problemas na tripulação como traumas. O problema que vejo é que a altura está acima do comum, pois isso afeta o centro causando uma instabilidade, isso poderia ser corrigido com a adoção de uma suspensão dinâmica, fizeram isso na Mercedes Benz modelo A, que tinha problemas na estabilidade fazendo o modelo capotar várias vezes depois que colocaram uma suspensão dinâmica isso resolveu em boa parte esse problema. Fora que o terreno no… Read more »

Edson Parro
Edson Parro
Reply to  Eduardo Oliveira
5 meses atrás

Eduardo Oliveira Será mesmo que é “muito alto e fino”? Quem sabe seriam as “outras caçadas desse projeto, no ponto de vista de um mecânico de blindados.” (sic) VBTP-MR Guarani Peso 14.3 t Comprimento 6.91 m Largura 2,7 m Altura 2.34 m GTK Boxer Mass 24,000 kg (standard); 36,500 – 38,500 kg (combat)[2] Length 7.93 m (26 ft 0 in) Width 2.99 m (9 ft 10 in) Height 2.37 m (7 ft 9 in) (baseline vehicle) VBCI Mass VCI: 28.5 t (normal combat load). Length 7.6 m Width 2.98 m Height 3 m Ratel (South Africa) Mass 18.5 tonnes (20.4… Read more »

Eduardo Oliveira
Eduardo Oliveira
Reply to  Edson Parro
5 meses atrás

Lembrando que eu falei altura do assoalho em relação ao chão. Da uma pesquisada nessa altura. E eu falei cagadas e não caçadas kkkkk, corretor. Parece que vc também é mec auto e já trabalhou com o Guarani, Urutu, Cascavel e Leopard, então vamos lá. Quanto tempo vc levou pra tirar o conjunto de força dele? Eu, com outros caras experientes demoramos 1 dia todo e ainda se perdeu quase todo o consumível (Comparando com o Leopard que tiramos em 40 minutos sem perder muita coisa de consumível). Já prestou a atenção na grossura da Barra estabilizadora e dos braços… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Eduardo Oliveira
5 meses atrás

O Powerpack do Leopard é a grosso modo, um bloco plug and play, feito pra ser extraído em pouco tempo. Se tu entende do assunto, não deveria nem ter comparado o Guarani, que é outro mundo. . A “grossura” da barra estabilizadora e braços de direção devem ser fruto de resultados de simulações em software. Boa parte das coisas do Urutu/Cascavel, podem ter sido projetadas a modacaralha, com coeficiente de cagaço gigantesco, pois na época não existiam os recursos de análise que existem hoje. . O problema do Guarani, ao que me parece, se chama BARRANCO. Olha quantos desses capotamentos… Read more »

Eduardo Oliveira
Eduardo Oliveira
Reply to  Bardini
5 meses atrás

Pq o conjunto de força do Guarani não pode ser engate rápido igual do Leopard? Isso, além de ser uma maravilha de se trabalhar em tempos de paz, no combate a gente conseguiria levantar um Guarani sem mesmo retrair tanto, perdendo tempo, enquanto o Leopard com o socorrão troca ali mesmo. Eu comparo pq é possível fazer isso no Guarani também, pq não fazem? É pra ver a gente se ferrando pra fazer manutenção mesmo kkkk. Esse negócio de software não é comigo não, acho que so um pouco raiz kkkk, mas aparentemente parece ser frágil. Quanto a sair todo… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Eduardo Oliveira
5 meses atrás

É um projeto feito para o Brasil, visando usar componentes de origem comercial que já existiam dentro da logística BR ou que demandavam adaptações de pequena monta. O conjunto propulsor é de origem civil e o mesmo vai ser no caso do LMV, que usa motor de uma van/caminhãozinho da IVECO. . Não era pra ninguém ficar se ferrando… Mas o que os caras queriam era blindado barato para ter condições de comprar o que se precisa. Barato é um negócio muito complicado e o Guarani de fato é bem barato pelo o que entrega. . Tem que ver a… Read more »

Edson Parro
Edson Parro
Reply to  Eduardo Oliveira
5 meses atrás

Eduardo Oliveira;

o que, a altura do piso até o teto do carro, influencia no caso de capotamento em desníveis, você poderia me explicar melhor?

Eduardo Oliveira
Eduardo Oliveira
Reply to  Edson Parro
5 meses atrás

Simples. Quanto mais próximo do solo mais estável é um veículo, principalmente na curva. Exemplo simples é assistir qualquer corrida profissional.

Eduardo Oliveira
Eduardo Oliveira
Reply to  Edson Parro
5 meses atrás

E eu não falei teto kkkk, falei altura do ASSOALHO para o solo

Last edited 5 meses atrás by Eduardo Oliveira
Edson Parro
Edson Parro
Reply to  Eduardo Oliveira
4 meses atrás

Mas e a proteção IED, com fica?

Eduardo Oliveira
Eduardo Oliveira
Reply to  Edson Parro
5 meses atrás

E interessante que vc só citou 1 carro 6×6 (Ratel) com a mesma característica do Urutu (Os dois eixos juntos na traseira e não na dianteira) que também pode ocasionar essa instabilidade pra capotar, bem lembrado.

Edson Parro
Edson Parro
Reply to  Eduardo Oliveira
4 meses atrás

Sou leigo! Informei aqueles que consegui coletar
 

Capela
Capela
5 meses atrás

Mesmo no poster o Merkava passa a impressão de ser muito “parrudo”.

Luiz Floriano Alves
Luiz Floriano Alves
Reply to  Capela
5 meses atrás

Wilson
Correto, o Armata lançou primeiro, em linha de produção, ainda que sofrendo alguns ajustes. Esses MBT são muito avançados em instrumentação eletrônica. E a Russia não é exemplo de perfeição neste campo. Abço.

Capela
Capela
Reply to  Capela
5 meses atrás

Nossa, estão negativando até a “impressão” que temos, desculpe.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Capela
5 meses atrás

Capela, é o puro e simples gosto do espírito de porco…. Abraços

Salim
Salim
Reply to  Capela
5 meses atrás

Nao pode nem reclamar, se náo e negativado tambem. Ate duvida/pergunta negativam. Lutamos contra fascismo segunda guerra, porem estamos descambando neste erro atualmente patrocinado por alguns Lessa pátria.

Marcos10
Marcos10
5 meses atrás

O que o Osório faz ali, já que nunca entrou em linha de produção?

Wilson
Wilson
Reply to  Marcos10
5 meses atrás

Pela impressão que ele causou na época.

Tem muito tanque que nunca foi produzido em série e que aparece por causa dos recursos que tinha.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
5 meses atrás

No quadro, Osório se destaca entre os maiores. tem um design harmonioso e atual…Impressionante o tamanho do canhão. Bem que poderiam se associar a um grande fabricante internacional Para suprir nossa demanda e se sustentar na cadeia de produção e exportação. Teríamos um veículo nacional, atualizado com o que há de melhor, grande poder de fogo e novo, a meu ver, melhor que adquirir usados e defasados.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Saldanha da Gama
5 meses atrás

Resta achar a documentação técnica para fazer isso. De qualquer modo demandaria investimentos pesados para uma atualização e encomendas em quantidades significavas. Como o compromisso primeiro da nação é manter os altos salários, mordomias, firulas e etc., dinheiro não há. De fabricantes de blindados, viramos importadores de equipamentos de terceira mão.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Marcos10
5 meses atrás

Boa tarde Marcos, por isso ressaltei de uma associação com um fabricante internacional, usariam o desenho do Osório, agregando tecnologia de última geração, não estaríamos sós no custo…E a facilitaria exportação, minimizando custos e mantendo a cadeia produtiva ativa….Abraços

Marcos10
Marcos10
Reply to  Saldanha da Gama
5 meses atrás

Saldanha,
O problema é que, mesmo que se o EB tivesse a intenção, toda a documentação técnica, ou seja, o projeto em sí, ninguém sabe onde está.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Marcos10
5 meses atrás

Marcos, eu li aqui mesmo, alguém postando sobre onde estariam os desenhos do mesmo….Abraços

Wilson
Wilson
Reply to  Saldanha da Gama
5 meses atrás

O EB tem posse de alguns documentos técnicos sobre o Osório, mas a maior parte se perdeu e com o que tem não é possível reativar o projeto Osório.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Wilson
5 meses atrás

Infelizmente uma pena Wilson, obrigado pela informação (acabaram de vez com meu sonho…kkk) abraços.

Control
Reply to  Wilson
5 meses atrás

Jovem Wilson
Nada que uma engenharia reversa não resolvesse, se esta fosse a vontade do EB.
Sds

Wilson
Wilson
Reply to  Control
5 meses atrás

Não resolve. Alguns componentes principalmente da versão p2 (canhão de 120mm) foram removidos pela falta de peças no mercado para manter operando. Atualmente pelo que conheço só a versão p1 estaria em condição operacional limitada.

Isso sem falar que a versão de série nunca ficou pronta.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Wilson
5 meses atrás

Bom dia, mas um questionamento… Como me perdem os documentos técnicos desta forma? Para mim um item de segurança nacional, neste caso, o EB lembra empresa de fundo de quintal, nem barraca de feira cometeria um desleixo deste tamanho ou uma atrocidade desta complexidade, abraços

Wilson
Wilson
Reply to  Saldanha da Gama
5 meses atrás

Muita coisa se perdeu quando a Engesa faliu.

O que o EB tem guardado é o que restou do projeto.

Vale lembrar que no caso do Osório, não houve participação do EB por meio do CTEx como houve no Tamoyo. Até o Eb conseguir a posse dos protótipos e de outros equipamentos e documentos da massa falida da Engesa muita coisa se perdeu.

CRSOV
CRSOV
5 meses atrás

Se nas gravuras foram mantidas as mesmas proporcionalidades com relação ao tamanho real de cada tanque dá para perceber que o Merkhava 4 de Israel é um tanque de guerra muito mais imponente que os demais e creio esteja equipado com o Estado de Arte no que se refere a armamentos e eletrônicos !!

Peter nine nine
Peter nine nine
5 meses atrás

Mas se o Osório nunca vingou, como pode este estar na “lista”.

Edson Parro
Edson Parro
Reply to  Peter nine nine
4 meses atrás

Peter nine nine;
mas é um poster de uma enciclopédia! Nada mais.

sub urbano
sub urbano
5 meses atrás

O Olifant na verdade é um centurion modernizado na Africa do Sul aos trancos e barrancos devido as sanções internacionais contra o Apartheid. Foi usado na Guerra em Angola. Ficou a maior parte do conflito na reserva contra a Força Expedicionária Cubana, tendo os Ratels (o cascavel sul africano) enfrentado os T-54 cubanos no mato. A estrategia era impopular entre as tropas sul africanas obrigadas a encarar as couraças soviéticas com blindados de reconhecimento, mas era necessaria pois com alguma ajuda soviética os cubanos colocariam mais 200 T-54 no mato.

Dario Renato
Dario Renato
5 meses atrás

Um dos melhores MBTs da atualidade, provavelmente superior a mais da metade destes que estão listados, é o Type 90 japonês e foi solenemente ignorado.

Heitor
Heitor
5 meses atrás

Osório? Nem saiu dos protótipos…

Sincero Brasileiro da Silva
Sincero Brasileiro da Silva
5 meses atrás

Espero que um dia alguém com boa vontade ressuscite o Osório…

Last edited 5 meses atrás by Sincero Brasileiro da Silva
Mosczynski
Mosczynski
4 meses atrás

É propaganda do World of Tanks para ter tanque que não existe?