Home Armas de Fogo CBC importa as munições Sellier & Bellot para atender os CACs do...

CBC importa as munições Sellier & Bellot para atender os CACs do Brasil

23813
22

A Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC), uma das maiores fabricantes de munições, com produtos de alto desempenho e qualidade internacionalmente reconhecidos, em parceria com a Sellier & Bellot (S&B), empresa da CBC Global Ammunition e uma das mais renomadas fabricantes de munição do mundo, está trazendo para o Brasil novos produtos atendendo o desejo de caçadores, atiradores e colecionadores (CACs).

Entre os itens importados estão as munições nos modelos SP, SPCE, SBT, PTS, NSR, XRG e HPBT. Confira, abaixo, mais detalhes dessas munições de rifles que já estão disponíveis para venda no site www.armasmunicoes.com.br

Todo conhecimento da CBC e da Sellier & Bellot é voltado para a fabricação com rigorosos processos, metodologia e controle de qualidade, oferecendo munições esportivas, de caça e de defesa de alto desempenho ao mercado. Juntas, as empresas somam 289 anos de tradição, expertise e inovação.

Munições SP | Projétil semiencamisado Soft Point de alta expansão e precisão.

Munições SPCE | Projétil semiencamisado com um ‘rebaixo’ que auxilia a fixação do núcleo de chumbo. O efeito terminal do projétil depende da capacidade de resistência do alvo.

Munições SBT | Projétil Sierra com design Boat Tail que facilita a manutenção da velocidade e da energia, sendo ideal para caça a longas distâncias. Trajetória mais tensa.

Munições PTS | Projétil fabricado pela Hornady com núcleo de chumbo e ponta de polímero premium, possui rápida expansão, transferência de energia, alta velocidade e estabilidade de trajetória.

Munições NSR | Projétil Nosler – núcleo duplo que garante boa expansão quando do impacto a curtas distâncias (alta velocidade) e a longas distâncias (velocidades mais baixas).

Munições XRG | Projétil com alta energia de impacto. Expansivo, de cobre revestido por ponta de alumínio, possui excelente precisão, expansão e retenção de massa.

Munições HPBT | Projétil Hollow Point Boat Tail, de excelente precisão. Ideal para competições de tiro.

Além disso, na página da CBC, em Importações (www.cbc.com.br/importacoes), os caçadores, atiradores e colecionadores podem sugerir novos produtos para as próximas importações a serem avaliados pela empresa.

Sobre a CBC

Solidez, inovação e foco no cliente. Esta tem sido a postura da CBC desde sua fundação, em 1926. Nas plantas produtivas de São Paulo e Rio Grande do Sul, é fabricada uma completa gama de produtos voltados à defesa, segurança, esporte e lazer, incluindo uma série de munições inovadoras, desenvolvidas com tecnologia própria. Empresa Estratégica de Defesa, a CBC é pautada pelo compromisso de contribuir com as operações e missões das Forças de Segurança Pública e Forças Armadas Brasileiras, atuando como Arsenal Nacional, para defesa da Soberania Nacional. No âmbito internacional, a CBC possui atuação global e é um dos maiores fornecedores mundiais de munição para países da OTAN. Com unidades produtivas no Brasil, Alemanha e República Tcheca e centros de distribuição no Brasil, Estados Unidos e Europa, o Grupo CBC é líder mundial em munições para armas portáteis. A confiabilidade de seus produtos é atestada por 130 países, nos 5 continentes.

DIVULGAÇÃO: Aniam — Associação Nacional da Indústria de Armas e Munições

Subscribe
Notify of
guest
22 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Sincero Brasileiro da Silva
Sincero Brasileiro da Silva
3 meses atrás

Vem Glock, Vem Beretta!

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Sincero Brasileiro da Silva
3 meses atrás

Bereta M9A3 quase 20K na Pantanal Sports…
 
É mais negócio tirar CR e importar por alguma federação
 

Sebastian
Sebastian
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
2 meses atrás

Vocês reclamam das pistolas Taurus mas a M9 é horrível. Pane atrás de pane, belo peso de papel.

João ricardo
João ricardo
3 meses atrás

É uma subsidiaria da cbc?

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  João ricardo
3 meses atrás

sim a cbc comprou a algum tempo…

horatio nelson
horatio nelson
3 meses atrás

pena q é muito caro…armas hj pra pessoas comuns são inviáveis.

Diego menon
Diego menon
Reply to  horatio nelson
3 meses atrás

Governo precisa lançar o plano minha arma minha vida, aí sim né! Hehehe

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  Diego menon
3 meses atrás

hehe tem mesmo 100 reais de entrada e divide pro resto da vida

Alexandre ziviani
Alexandre ziviani
Reply to  horatio nelson
3 meses atrás

Dependendo do Estado,custa R$2500 uma arma,tem muitas “pessoas comuns” que gastam isso comprando iPhone e TV de plasma.

Gian
Gian
Reply to  Alexandre ziviani
3 meses atrás

Não é só o custo da arma em si, tem os outros gastos com papelada etc…

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  Alexandre ziviani
3 meses atrás

aqui em goiania tem q pagar 800 pro despachante(só avista não divide) ja com os exames, uma 9mm g2c 2.900 e a cartela com 10 tá 50 conto se for pelo sigma ainda tem o cofre de 1.000…inviável pra quem ganha 1.045 e tem q pagar conta de agua,energia,etc etc
 

Last edited 3 meses atrás by horatio nelson
Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  horatio nelson
3 meses atrás

se você ganha 2000 por mês compra uma parcelada ué, depois compra uma remuniciadora, ou empresta de alguém, vê se seu clube de tiro tem uma.

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  Carlos Campos
3 meses atrás

trem ta fei pra quem ganha 1.045 a maioria…eu tenho a minha pt92 com muita luta consegui…agora tô indo pra um 17hmr…a ideia da remuniciadora é boa !

Augusto Mota
Augusto Mota
3 meses atrás

CBC vende muito nos EUA, é uma boa munição, mas no Brasil tudo é caro e limitado, acessem o canal “Gosto de Armas” no youtube, de um brasileiro que mora na Flórida e coleciona armas, lá se pode comprar de tudo, é tudo liberado, infelizmente estamos 1 século atrasados e pelo jeito a carestia vai continuar…

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Augusto Mota
3 meses atrás

CBC nos EUA chama Magtech
 
Na verdade este conglomerado que a CBC faz parte é o maior fabricante de munições do mundo…
 

Ricardo Barbosa
Ricardo Barbosa
3 meses atrás

Excelente notícia. Munição checa de alto padrão e com muitos calibres que não são produzidas no Brasil pela CBC.

Salim
Salim
Reply to  Ricardo Barbosa
3 meses atrás

Ricardo noticia e boa pra quem tem grana disponível, a nacional e cara e esta importada só pra atirador rico. Os mortais vão continuar recarregando para treino, com todos riscos inerentes.

Orlando Esteves
Orlando Esteves
Reply to  Salim
3 meses atrás

Quem recarrega para treinar não é “mortal” é inteligente. Quem é “rico” ficou porque recarregou nos treinos.. rs

rafa
rafa
3 meses atrás

Tá uma propaganda danada da CBC/Taurus aqui.
Anyway… Todo mundo que vai ao stand de tiro no mínimo 5 vezes ao ano, sabe da péssima qualidade das munições CBC. Não adianta importar com o preço de 15 reais por munição. Irreal algum atirador dar 10 disparos e gastar 150 reais.
Tem que vir mais concorrentes. Pelo amor de Deus

Angelo
3 meses atrás

Olá , o que os amigos acham da iniciativa do exército de criar um jogo no estilo counter strike para melhorar a imagem do exército juntos aos jovens.
Acho que poderia se aproveitar para divulgar grandes projetos brasileiros como o osório e o astros.
Poderia ter uma fase no forte de copacabana.

https://adrenaline.com.br/noticias/v/64712/exercito-brasileiro-desenvolve-fps-inspirado-em-fortnite-e-counter-strike

http://www.sgex.eb.mil.br/sistemas/be/copiar.php?codarquivo=1798&act=bre

Alexandre Froes
Alexandre Froes
3 meses atrás

O preço da munição no Brasil e muito cara. A CBC tem que baixar os valores das munições. Uma cx com 25 muniçao calibre 12 esta em media 200 a 220 reais. Só quem tem ima condição financeira muito boa para ir a u. Estande de tiro e fazer 100 disparos com uma 12. E uma vergonha essa CBC. Tem e que ter concorrência de outras fabricantes. Isso e monopólio da CBC.

Francisco
Francisco
Reply to  Alexandre Froes
3 meses atrás

A CBC vende caro aqui para vender barato lá. Ou seja, nós brasileiros pagamos parte da munição utilizada pelos norte-americanos. O Presidente Bolsonaro deveria observar isso.