Home Blindados Arquus lança o Fortress Mk2

Arquus lança o Fortress Mk2

3256
27

Esta terceira semana da Arquus e-xpo é uma oportunidade para a Arquus apresentar a mais recente adição à sua gama de veículos táticos: o Fortress Mk2.

Projetado para responder à intensificação das ameaças encontradas no campo de batalha, o Fortress Mk2 combina a mobilidade muito alta do Fortress e novos recursos em termos de proteção e poder de fogo. Mais agressivo e ainda mais protegido, o Fortress Mk2 é um veículo moderno e de alto desempenho, muito bem adaptado aos compromissos operacionais atuais e futuros. Combina mobilidade, poder de fogo e proteção em um único veículo multiuso, desenvolvido para atender às demandas dos clientes e parceiros da Arquus.

Projetado para transportar um grupo de combate de 11 soldados por todos os terrenos, o Fortress Mk2 combina proteção ideal contra todas as ameaças balísticas e minas encontradas no campo de batalha e capacidades de mobilidade off-road sem precedentes, graças às suspensões independentes e ao motor muito potente.

Para enfrentar melhor a evolução das ameaças no campo de batalha, o Fortress Mk2 é projetado de forma nativa com níveis muito altos de proteção, tanto contra ameaças balísticas quanto contra minas e IEDs, graças a uma inovadora arquitetura da parte inferior do corpo. Essa nova proteção, particularmente coerente e equilibrada, faz do Fortress Mk2 um dos Armored Personnel Carriers 4×4 (APC) mais protegidos do mercado.

Este aumento na proteção foi alcançado sem aumento de massa, graças ao uso das mais recentes tecnologias Arquus em termos de armadura e arquitetura corporal. Esta grande evolução foi, portanto, concluída, mantendo a mobilidade excepcional do Fortress. Desde a sua apresentação em 2014, o Fortress sempre foi muito popular devido às suas excelentes capacidades off-road, e logo foi adotado por uma unidade das Forças Especiais da Europa.

O Fortress Mk2 é um veículo à vontade em todas as circunstâncias, fora de estrada e para atravessar obstáculos, graças às suspensões independentes e ao chassi comprovado, resultado de décadas de experiência operacional. O Fortress Mk2 mantém o motor de 6 cilindros e 340 cavalos de potência, que fornece uma relação potência/peso de 23 cavalos por tonelada, uma velocidade máxima de 120 km/h e um alcance de 1.200 quilômetros.

Graças à sua mobilidade e poder de fogo, o Fortress Mk2 pode transportar e acompanhar a infantaria no campo de batalha, fornecendo suporte operacional ao fogo.

Sua excepcional mobilidade e configuração interna permitem o transporte seguro de um grupo de combate completo e seus equipamentos, em todos os terrenos e com um alto nível de conforto, garantindo que eles estejam bem descansados ​​tanto física quanto mentalmente antes da ação.

O Fortress Mk2 foi especialmente projetado para transportar a linha Hornus de Estações de Armas com Controle Remoto (RCWS) da Arquus. Como parte do programa Scorpion, a Arquus criou uma nova linha francesa de RCWS que acomoda uma ampla gama de armamentos, de 5,56 mm a 12,7 mm, incluindo 7,62 mm e HK40. Equipamento comum para todos os novos veículos de combate do programa Scorpion, esses sistemas equiparão os novos veículos de combate do Exército Francês. O Fortress Mk2 é equipado de forma nativa com a suíte vetronics Battlenet da Arquus, projetada para operar com as torres Hornet e apresentando o Blue Force Tracking (BFT).

Além do Hornet RCWS, o Fortress Mk2 pode acomodar uma grande variedade de armas e sistemas, como circulares manuais protegidas de 7,62 mm, 12,7 mm ou 14,5 mm, lançadores de granadas ou detectores acústicos e a laser.

Esses desenvolvimentos tornam o Fortress Mk2 um veículo ágil, bem protegido e bem armado, capaz de atacar em todos os terrenos e condições. De acordo com todos os veículos anteriormente da ACMAT, o Fortress Mk2 é rústico, durável, confiável e modular, o que simplifica e reduz as necessidades de manutenção. Personalizável, pode ser configurado no volante à direita ou à esquerda.

Para todos os veículos de sua gama, a Arquus apresenta uma oferta de serviço completa e inovadora, garantindo um tempo de atividade ideal em todos os teatros de operação. Graças à sua plataforma logística em Garchizy e sua rede internacional, a Arquus pode garantir a disponibilidade de peças de reposição em qualquer lugar do mundo em um prazo muito curto.

FONTE: Arquus

Subscribe
Notify of
guest
27 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Tomcat4,2
15 dias atrás

11 soldados ai dentro devem ficar apertado hein.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
Reply to  Tomcat4,2
15 dias atrás

Mas você não sabe nem o tamanho do veiculo. Foto é foto, dimensões é outra coisa kkkkk

Bras-Jacó
Bras-Jacó
Reply to  DOUGLAS TARGINO
15 dias atrás

Isso mesmo, imagens enganam para o bem e para o mal. Para saber as reais dimensões do veículo só vendo-o ao vivo ou tendo um olhar técnico de perito em imagens.

Last edited 15 dias atrás by Bras-Jacó
Alexandre Cardoso
Alexandre Cardoso
Reply to  DOUGLAS TARGINO
15 dias atrás

Realmente, pelas fotos não dá para dizer se 11 soldados ficam apertados ou não dentro dele. Para isso é necessário saber das dimensões, e o texto não fala das dimensões internas do bicho.

Tomcat4,2
Reply to  DOUGLAS TARGINO
14 dias atrás

Nem no site da Arquus ,no portfólio do Fortress Mk2, se fala em quantos soldados ou policiais ele transporta e outra, tem um enorme “DEVEM” na frase o que indica uma suposição devido ,exatamente, a falta de conhecimento para afirmar muchacho.

Last edited 14 dias atrás by Tomcat4,2
Fabio Araujo
Fabio Araujo
15 dias atrás

Um carro desse para 11 soldados não faz a mesma função de um 6×6 ou um 8×8?

Tomcat4,2
Reply to  Fabio Araujo
14 dias atrás

Não creio que se sobressaia sobre um 6×6 não viu.

Caio
Caio
15 dias atrás

Mesmo sendo dos 4×4 blindados, admito que dentro de um conflito, eles só chegam após a cavalaria pesada: IFVS e APCS amaciarem o terreno, ou seja terem diminuído o nível de ameaças para as tropas permitindo a patrulha por esses caros, mas antes disso, me corrijam se tiver enganado, nem pensar.

Alfa BR
Alfa BR
15 dias atrás

Esse é o futuro da Infantaria Motorizada. Os australianos mobiliaram seus batalhões leves com o PMV Bushmaster:
comment image

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Alfa BR
15 dias atrás

comment image

rocket
rocket
Reply to  Alfa BR
3 dias atrás

espaçoso

Last edited 3 dias atrás by rocket
nonato
nonato
Reply to  Alfa BR
15 dias atrás

Um brutamonte.

Alexandre Cardoso
Alexandre Cardoso
15 dias atrás

A dianteira desse carro lembra a frente dos capacetes das tropas imperiais de Guerra nas Estrelas, não?

rdx
rdx
15 dias atrás

Cumpre exatamente a mesma função do Guarani.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  rdx
14 dias atrás

Procurei e não encontrei a informação, me parece que essa viatura nao é anfíbia….logo esta bem abaixo da categoria do Guarani em mobilidade

rdx
rdx
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
13 dias atrás

Ambos são APC sobre rodas capazes de transportar 01 GC no campo de batalha. Normalmente, esses veículos possuem proteção blindada contra disparos de armas leves e transportam armamento orgânico de até 20mm. Os APC modernos possuem boa proteção contra minas e IEDs e transportam RCWS.

rdx
rdx
Reply to  rdx
13 dias atrás

Exemplos de APC

Sobre lagartas – M113
4×4 – VAB e Condor
6×6 – Urutu e Guarani
8×8 – Piranha III

Rafael G de Oliveira
Rafael G de Oliveira
Reply to  rdx
13 dias atrás

Todos sabemos o que é um apc aqui meu caro…quando vc diz que cumpre a mesma função do guarani…você exagerou… imagine depender da engenharia para cada curso d´ água como obstaculo em sua patrulha…sem falar na tração totalmente diferentes…comparações são para viaturas semelhantes….estais trocando alhos com bugalhos

rdx
rdx
Reply to  Rafael G de Oliveira
12 dias atrás

A função do APC é transportar um GC com proteção no campo de batalha. Se tem capacidade anfíbia ou não é outra história. Quem está trocando alhos com bugalhos é você.

GILBERT
GILBERT
Reply to  Rafael G de Oliveira
9 dias atrás

Nem todos os 6×6 ou 8×8 são anfíbios. Ao meu ver (posso estar errado) a grande vantagem do 6X6 é sua mobilidade em terrenos muito irregulares e lamacentos, já que com a evolução da blindagem essa mesma ficou mais leve e um 4X4 moderno consegue ter a mesma proteção blindada da grande maioria dos 6×6 ou mesmo de alguns 8×8. cabe aqui dizer que a diferença pode ficar a favor de um 6X6 poder levar uma torre com canhão de 30mm. então no contesto atual me parece que um 4X4 semelhante em capacidade como um 6X6 pode atua em até… Read more »

Rafael G de Oliveira
Rafael G de Oliveira
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
13 dias atrás

como disse alfa br alí acima, “esse é o futuro da infantaria motorizada”….mecanizada não

Foxtrot
Foxtrot
14 dias atrás

Interessante como esse Arquus de perfil lembra o Gladiador-I.
Acho que o Gladiador-I foi outra oportunidade perdida pelo EB.
Mas segue o barco!

Jodreski
Jodreski
13 dias atrás

Amigos um Guarani em tese também leva 11 soldados, não sei qual o custo de um veículo como esse, mas qual seria a vantagem dele?

Rafael G de Oliveira
Rafael G de Oliveira
Reply to  Jodreski
12 dias atrás

Exatamente amigo você disse a palavra certa “leva”, mas leva até onde? até a margem do rio? até atolar na lama?…o amigo rdx aí com certeza, não entende como é passar em uma estrada de barro em época de chuvas aqui no Brasil (não é cascalho não, é barro)…acho que nunca teve a oportunidade de desatolar um 5t do e.b, quanto mais pesada mais atola e com menos tração piorou…não vejo vantagem alguma em veiculo 4×4 para levar GC em combate para nós…o 6×6 do Guarani eu já acho que foi pouco, por mim caberia até um 8×8…o fato de… Read more »

Tomcat4,2
Reply to  Rafael G de Oliveira
11 dias atrás

Concordo com seu comentário até a parte que diz que o Guarani foi “pouco”, se o Urutu e Cascavél serviram (e ainda servem) muito bem por décadas sendo 6×6 porque o Guarani ,muito mais moderno e configurável, não serviria, nosso solo e nossos lamaçais continuam os mesmos.
Tem muitas potências com projetos novos baseados em 6×6(olha a França ).

Nem só de 8×8 viverão os exércitos!!!rs

Wellington Góes
Wellington Góes
11 dias atrás

Uma pergunta… É britânico?! Porque é feio que dói…. Rsrsrsrs

Marcelo Garcia
Marcelo Garcia
Reply to  Wellington Góes
6 dias atrás

Francês… e concordo, muito feio!