Home Defesa Aérea Defesa aérea da Lituânia é reforçada pelo NASAMS

Defesa aérea da Lituânia é reforçada pelo NASAMS

3546
47

Em 28 de julho, o Presidente da República da Lituânia, Gitanas Nausėda, foi acompanhado pelo Ministro da Defesa Nacional Raimundas Karoblis, Chefe do Estado-Maior de Defesa das Forças Armadas da Lituânia, General Gen Gintautas Zenkevičius e Comandante da Força Aérea da Lituânia, Coronel Dainius Guzas, em uma visita à Base da Força Aérea da Lituânia em Šiauliai.

O motivo da visita foi a familiarização com as capacidades de defesa aérea da Lituânia e encontrar com os aviadores espanhóis, britânicos e alemães que conduzem a atual rotação da Missão de Policiamento Aéreo da OTAN nos Estados Bálticos, bem como soldados dos EUA e da Lituânia.

Foi mostrado ao presidente os sistemas de defesa aérea de mísseis RBS70, Stinger e Grom e radares de vigilância Sentinel e Giraffe operados pelo Batalhão de Defesa Aérea,  e elementos do sistema de defesa aérea de médio alcance NASAMS, entregue à Lituânia em junho no início deste ano.

“A chegada do NASAMS reforça a defesa aérea da Lituânia e o flanco oriental da OTAN, todos os componentes do sistema de defesa integrado estão interligados e a dissuasão se torna mais forte como resultado”, diz o ministro da Defesa Nacional R. Karoblis.

A aquisição do sistema de defesa aérea de médio alcance terra-ar NASAMS está atualmente em andamento e deve ser concluída em 2021. Os componentes NASAMS serão submetidos ao primeiro teste na Lituânia no exercício internacional Tobruq Legacy 2020 em setembro deste outono.

O NASAMS é o sistema de defesa aérea de alcance médio mais utilizado nos estados membros da OTAN e até mesmo para proteger o espaço aéreo sobre a Casa Branca, Washington. A Lituânia adquiriu a NASAMS 3 de terceira geração mais recente; seus usuários atuais ainda são apenas as Forças Armadas da Lituânia e as Forças Armadas da Noruega, que fabrica o armamento.

Os convidados também viram aviões de combate com os quais os aliados protegem o espaço aéreo do Báltico: F-18 Hornets da Força Aérea Espanhola, Eurofighter Typhoon da Royal Air Force e da Força Aérea Alemã, e aviões de transporte Spartan e helicópteros Dauphin AS365N3+ operados pela Força Aérea da Lituânia.

NASAMS (Norwegian Advanced Surface to Air Missile System)

FONTE: Ministério da Defesa da Lituânia

Subscribe
Notify of
guest
47 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Overandout
Overandout
1 mês atrás

E a Lituânia tem uma defesa AA melhor que a nossa

2Hard4U
2Hard4U
Reply to  Overandout
1 mês atrás

Eu não diria melhor. Na realidade eles tem defesas AA de médio alcance e nós não.

Overandout
Overandout
Reply to  2Hard4U
1 mês atrás

Justamente por esse fato já se faz melhor que a nossa, pelo menos em defesa de ponto.

Teropode
Reply to  Overandout
1 mês atrás

Oque não falta no mercado são opções , de 1,99 a um bilhão , mas a folha de pagamento dos oficiais consome 95% do orçamento .

Carlos Pietro
Carlos Pietro
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Exatamente, e complementando o seu comentário, que por sua vez é muito correto, ás filha recebendo pensão.

Lucas Schmitt
Reply to  Carlos Pietro
1 mês atrás

Essa pensão das filhas ainda está em vigor? Se sim, nós não podemos fazer nada e só aceitar? Eu nunca vi algo tão ridículo como pensão pra filha de militar, chega até a ser cômico.

sergio ribamar ferreira
Reply to  Lucas Schmitt
1 mês atrás

De acordo com o Sr. Lucas Schmitt. cômico não. Vergonhoso. Essas moças não trabalham. Sendo menores deveriam estudar e completando a idade adulta trabalharem. As outras categorias não são assim? Essas filhas solteiras possuem problemas mentais? Já não deveria existir há muito tempo .Conheço moças menores de idade que para ajudarem a família trabalham e ainda possuem tempo para estudarem. indignação total. pior é pagar também ao MP e Judiciário a bolsa estudo para filhos de procuradores e juízes. Valor por filho até aos 24 anos: R$ 4600,00 a R$ 5000,00. muita sacanagem com nosso dinheiro. Adoram esbravejar, mas ficam… Read more »

Lucas Schmitt
Reply to  sergio ribamar ferreira
1 mês atrás

Pesquisei a respeito, e brevemente achei que a lei das filhas dos executivos caiu em 1990. Não pesquisei mais a respeito dos militares e congressistas pois está começando a me dar úlcera de tanta raiva. Queria saber quem foi o jumento que sancionou uma lei dando pensão vitalícia a uma pessoa apenas por estar solteira. Sério, eu tento ser patriota mas não consigo. Quando eu vejo esse foço que estamos enfiados, e que é praticamente impossível de sair, são todos “direitos adquiridos”. Como pode um vereador trabalhar 4 a 6 horas por dia, não fazendo nada e ganha 10 mil… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Lucas Schmitt
Oráculo
Oráculo
Reply to  Lucas Schmitt
1 mês atrás

A lei que garantia pensão para as filhas dos militares acabou no ano 2000. Porém somente os militares que ingressaram nas academias de oficiais a partir de 2000 não tem mais o direito de deixar esse benefício para as filhas. Os que ainda eram ALUNOS até essa data permanecem podendo descontar 1,5% do salários pra deixar essa “herança” para suas herdeiras. E somando toda a arrecadação desses 1,5% dos oficiais da ativa, não arrecadam nem 10% do que o governo gasta com essas pensões. Pior, na época foi calculado que demoraria 60 anos para começar a diminuir o custo mensal… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Oráculo
sergio ribamar ferreira
Reply to  Oráculo
1 mês atrás

concordo com o sr. Oráculo. Uma piada? não meu caro contribuinte. Uma vergonha. Não temos retorno algum quando pagamos impostos e vemos essas vergonhas pelas nossas vidas. e tem gente que defende que tenta justificar. não temos de passar a mão na cabeça. não passamos a mão nos erros dos nossos familiares. Temos de evitar ao máximo cometer injustiças, mas ficar presenciando essas vergonhas. Como já presenciei . Preferi perder a amizade. De irmão também. “fazer justiça é alegria para o justo, mas é um terror para os malfeitores . Grande abraço.

sergio ribamar ferreira
Reply to  Lucas Schmitt
1 mês atrás

De acordo com o sr. Lucas. somos uns bobos de ver nosso dinheiro indo para essa gente inútil. Se pudesse deletar???Grande abraço.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Lucas Schmitt
1 mês atrás

Me disseram, e não acreditei que um político aí pode ser “aposentar” com salário integral depois de quatro anos e “trabalho”. É isso mesmo???

Bruno Vinícius Campestrini
Bruno Vinícius Campestrini
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

João, felizmente, não mais. A reforma da previdência serviu para acabar com as aposentadorias integrais de políticos.

Luciano
Luciano
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Olá, João. As coisas só pioram! Agora os militares-políticos querem ganhar mais que o teto constitucional e ainda tiveram parecer positivo da AGU! A mamata nao acabou, apenas se direcionou aos servidores públicos q usam farda e que estão no governo! Ou seja, nao diferem dos políticos “profissionais” e que só pensam em si!

Mayuan
Mayuan
Reply to  sergio ribamar ferreira
1 mês atrás

A indignação é justa mas deve ser dirigida ao congresso pois são eles quem aprovaram esse tipo de coisa e não à mudaram até hoje. Da mesma forma, porque órgãos de controle econômico ainda não procederam revisões dessas pensões. Mesmo as pensões antigas são para filhas solteiras e o que não falta são mulheres que recebem essa pensão se unirem em casamentos religiosos apenas ou simples união estável para não perderem a mamata.

sergio ribamar ferreira
Reply to  Teropode
1 mês atrás

de acordo com o sr. Teropode. Temos o que afinal?

Teropode
Reply to  2Hard4U
1 mês atrás

Então possuem uma defesa melhor do que a nossa , aqui precisamos ver a cor dos olhos do piloto primeiro porque se atirar antes o projétil cai logo ali 👉 no cantinho .

JS666
JS666
Reply to  Overandout
1 mês atrás

Benefícios bizarros e pensões > defesa AA

S.A
S.A
Reply to  Overandout
1 mês atrás

E nos temos defesa AA?

Overandout
Overandout
Reply to  S.A
1 mês atrás

Sim, ainda que não suficiente…

alexandre Ziviani
alexandre Ziviani
1 mês atrás

Sistema interessante! Só acho que deveria ser montado em caminhão,para dar mais mobilidade e sobrevivência no campo de batalha.

Jacinto
Jacinto
Reply to  alexandre Ziviani
1 mês atrás

Salvo engano meu, tem uma versão montada em humvee…

_RR_
_RR_
Reply to  alexandre Ziviani
1 mês atrás

alexandre, Depende… Ser rebocado tem suas vantagens… Se montar o sistema sobre um veículo, isso significa que ele fica dependente do veículo pra tudo. Se quebrar, fica pelo caminho… Já um sistema rebocado, caso dê problema com o veículo rebocador, é só desengatar e trocar por outro… Um exemplo é o BAMSE sueco, no qual o próprio veículo de remuniciamento pode transportar a unidade de tiro, poupando assim um veículo no processo. Em suma, ao se optar por um sistema rebocado neste caso em específico, no meu entender, ganha-se vantagem no que diz respeito a mobilidade e não se perde… Read more »

paulop
paulop
1 mês atrás

Nasans é o que o Brasil deveria focar. Talvez buscar a integração entre esse sistema e o CAMM, e o AIM-120 AMRAAM, que pode ser usado pela FAB nos Gripens.
De toda a forma é uma capacidade interessante.
Abraço.

Tomcat4,2
Reply to  paulop
1 mês atrás

Se formos comprar de prateleira que compremos o IrisT SLS já que a FAB já vai usar a versão aérea deste missil ;comment image

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  paulop
1 mês atrás

Jamais, a gente não usa o AIM-120, dois mísseis para uma mesma função? Melhor comprar tudo de CAMM-ER, que é um míssil novo no mercado e já tem vários operadores esperando por ele, além do CAMM nas fragatas.

Cristiano. de Aquino Campos
Cristiano. de Aquino Campos
Reply to  paulop
1 mês atrás

Salvo melhor juizo, você acha então que deveriamos ter dois sistemas similares que faram exatamente a mesma coisa. Defesa de médio alcance, isso porquê tanto os misseis do NASSANS quanto os do CAMM tem alcance de 25/30 km.

Glasquis7
Reply to  Cristiano. de Aquino Campos
1 mês atrás

O SL AMRAAM tem entre 65 e 75 km de alcance

_RR_
_RR_
Reply to  paulop
1 mês atrás

paulop

Discordo…

Se vamos pensar em um SAM de média altura, então devemos buscar a máxima comunalidade o possível… Visto que a Marinha já vai pelo Sea Ceptor, então o caminho lógico para as forças em solo é ( ou seria… ) o CAMM…

sergio ribamar ferreira
Reply to  paulop
1 mês atrás

Concordo com o Sr. Paulop. Mas há interesse? Estou de acordo . Há muitas opções. Mas há interesse? atual ponto de vista o atraso(tecnológico, industrial) é proposital. Parece que um grupo de trabalho foi a Suécia e levou-se três meses para decidir um sistema de médio alcance. voltaram sem uma solução. Ou seja, foram passear. Grande abraço.

Munhoz
Munhoz
Reply to  paulop
1 mês atrás

As vezes eu fico pensando, quais países teriam capacidade para entrar em atrito militar com o Brasil ? Temos os EUA um pais que não apenas o Brasil mas ninguém supera na área militar, estamos no quintal dele então tão cedo nem a Russia ou a China iriam se meter por aqui, a não ser politicamente e dando assistência militar a alguns aliados como Cuba e Venezuela, mas um atrito militar direto como o envio de uma frota naval para fazer alguma pressão esta longe ainda da capacidade da Russia e China e menos ainda em interesses ecológicos ou territoriais.… Read more »

Tomcat4,2
1 mês atrás

A versão terrestre do IrisT (IrisT SLS) tbm parece ser bem bacana, tem matéria aqui no Forte e já ficaríamos em comunalidade com os IrisT da FAB, situação parecida com uma possível escolha do CAMM que já foi escolhido para as Tamandaré’s da MB .

alexandre Ziviani
alexandre Ziviani
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

O iris T tem a vantagem de ser um sistema modular,que possa ser integrado a radares diretor de tiro e de busca nativos,o que possibilita economia.
Ou seja,podemos integrar o Iris T perfeitamente no Radar Saber M 200.
Sem contar que já vem incluído o IFF compatível com o Gripen e demais aeronaves do inventário da FAB.

Last edited 1 mês atrás by alexandre Ziviani
Marcelo
Marcelo
Reply to  alexandre Ziviani
1 mês atrás

acho que a maioria dos misseis modernos sao assim, o CAMM tambem. Minha preferencia seria pelo CAMM se for confirmado nas Tamandares, e por ele ter direcionamento por radar ativo.

_RR_
_RR_
1 mês atrás

Prezados, Primeiramente, para montar um sistema de defesa, pensemos nas ameaças mais prováveis… Comecemos pelas vindas do ar. Há inicialmente a questão de aeronaves voando baixo em incursões que visam a inserção de elementos ou ataques a baixa altura, o que já está coberto pelos atuais sistemas de curto alcance que já temos. E de fato, a combinação SABER 60, Igla e RBS-70 é letal a até 3000 metros. A seguir, pensemos em artefatos que possam ser lançados por aeronaves a média altura e considerável distância. E das ameaças vindas do ar, entendo que a nossa maior preocupação encontra-se justamente… Read more »

bjj
bjj
Reply to  _RR_
1 mês atrás

_RR_ Concordo com você. Com o desenvolvimento tecnológico, está cada vez mais difícil abater as aeronaves com sistemas terra-ar antes delas lançarem suas munições. Isso acontece porque as munições têm cada vez mais alcance, e a furtividade e sistemas de guerra eletrônica diminuem a efetividade dos radares dos sistemas SAM a ponto de permitir que os atacantes se aproximem mais. Muitos falam do camm, mas eu particularmente não gosto. O alcance vertical do camm-er é de 10 mil metros. Para a versão de alcance mais curto, que é a que está em serviço atualmente, o alcance vertical deve se limitar… Read more »

_RR_
_RR_
Reply to  bjj
1 mês atrás

bjj, Padronização, sempre…! Se formos pensar em um SAM para um nicho diferente daquele do Pantsir e com maior alcance, então imagino que devamos correr para algo que nos garanta a máxima comunalidade o possível. E o CAMM-ER ( aqui já é uma escolha minha de fato, não mero exemplo ) faz mais sentindo nesse aspecto. E entendo que seria mais interessante para a Força Aérea esse tipo, estando esta ultima responsável por montar uma defesa estratégica, legando ao exército sistemas de uso tático ( Igla, RBS-70 ). Mas termina que considero tudo isso muito caro e fora da nossa… Read more »

bjj
bjj
Reply to  _RR_
1 mês atrás

_RR_ Acho que a padronização é um valor que devemos buscar, porém não de forma absoluta, caso contrário podemos acabar gastando nossos poucos recursos em sistemas que entregam menos que outros disponíveis no mercado. O caso do CAMM é assim. A escolha dele para as Tamandarés faz sentido porque no ambiente naval existem limitações que não existem ou são menores em sistemas terrestres, como questões de espaço limitado e peso, e o CAMM se beneficia disso por ser pequeno e leve, o que permite que seja levado em maiores quantidades. Agora, para a defesa terrestre não creio que a padronização… Read more »

bjj
bjj
Reply to  _RR_
1 mês atrás

Já em relação aos custos, acho que o único que deve ser realmente mais barato é o Bamse. No caso do Pantsir e do Tor, em que pese utilizarem mísseis por comando que geralmente são mais baratos, em termos de custos eles tem o “inconveniente” de possuir, cada plataforma, seus próprios sensores (radares de busca, engajamento e sistemas eletro-ópticos) e nós sabemos que isto custa caro, enquanto sistemas “tradicionais”, mesmo que utilizem mísseis mais caros guiados por radar ou IR, são comandados por um único radar de bateria. O Pantsir dizem custar cerca de 15 milhões, e o Tor M2… Read more »

Salim
Salim
Reply to  _RR_
1 mês atrás

Desculpe uma aplicação náo exclui a outra. Hoje superioridade aérea e o mais inteligente, porem sem cobertura de curto e médio alcance a instalações náo funciona na pratica. Os sistemas russos na síria se mostraram ineficazes contra ataques mísseis guiados israelenses e americanos. Efetivo hoje e testado e o sistema israelense. Veja israelenses tem uma das mais poderosas forças aéreas do mundo e teoricamente área menor e náo abre mao sistema defesa aérea. Lembrando, gasto defesa Israel e usd 20 bi mais USS 10 bi ajuda americano para compra de equipamentos americanos, na media da usd 21 bi ano, aqui… Read more »

_RR_
_RR_
Reply to  Salim
1 mês atrás

Salim, A eficácia de um sistema pode ser medida de diversas formas… A experiência síria mostra aquilo que todos nós sabemos: que a força vinda do ar sempre vencerá. A questão é a que custo isso ocorre… O SAM, antes de mais nada, é um “empecilho” ao avanço aéreo. Ele obriga um potencial adversário a adquirir armas cada vez mais performantes, e nos casos mais expressivos, petardos extremamente dispendiosos são necessários para derrotar essas defesas. É aí que a anti-aérea começa a demonstrar o seu potencial dissuasório… Ora pois…! Quantas forças aéreas hoje podem dispor das armas necessárias para furar… Read more »

TeoB
TeoB
1 mês atrás

Na minha opinião é que deve-se pensar um pouco fora da caixa… primeoro ser uma coisa 100% nossa e investir em um sistema integrando viaturas uma com o radar outra com armamento de tubo estilo o Gepard e outras com misseis baseados no ar-darter com um alcance pouco maior tendo guiamento primário com radar da viatura e final pelo IR assim teríamos uma ou duas camadas conforme a configuração.

Yuri Dogkove
Yuri Dogkove
1 mês atrás

Quando o Brasil terá Defesa Antiaérea? Cadê o presidente que diz amar as Forças Armadas?

fabio s
fabio s
1 mês atrás

Será que não conseguimos usar os astros para lançar um míssil AA e usar os radares saber juntos, para baratear ?

CRSOV
CRSOV
1 mês atrás

Quais as características técnicas desse sistema NASAMS e o preço desse sistema ?

William Gimenez
1 mês atrás

O chile não opera o NASAMS?

glasquis7
Reply to  William Gimenez
1 mês atrás

Sim. Na FAch e no Exercito. Assintidas por Ground Master 400 e armadas com SL AMRAAM.

Last edited 1 mês atrás by glasquis7