Home Carros de Combate VÍDEO: Rheinmetall revela tanque demonstrador de tecnologia com torre de 130 mm

VÍDEO: Rheinmetall revela tanque demonstrador de tecnologia com torre de 130 mm

5437
89

Um vídeo divulgado pela alemã Rheinmetall mostra um tanque com uma torre de 130 mm além de uma nova frente do casco como parte de sua demonstração de competência MBT Advanced Technologies, uma possível indicação do que será introduzido no futuro Main Ground Combat System (MGCS).

O tanque de demonstração se parece com a mais recente iteração de seu demonstrador de tecnologia avançada para o Challenger 2 Life Extension Project (LEP) do Exército Britânico. Uma joint venture foi formada entre a Rheinmetall Defense UK (55%) e a BAE Systems Land UK (45%) em 2019 para levar adiante o Challenger 2 LEP.

Um tweet que acompanha o vídeo diz que “a tecnologia de alma lisa de 130 mm da Rheinmetall para MBTs incorpora um salto significativo de letalidade em tempos de ameaças crescentes. Combinado com um carregador automático de ponta, este sistema é o mais recente desenvolvimento da competência MBT Advanced Technologies da Rheinmetall. ”

O canhão de alma lisa de 130 mm para MBT é o avanço mais significativo no design ocidental de MBT desde a Segunda Guerra Mundial. Os MBTs atuais da OTAN são construídos em torno da torre de 120 mm.

A Armata T-14 russo é equipado com uma torre de 125 mm, oferecendo desempenho de tiro significativamente melhorado em relação às armas de 120 mm do atual MBT Leopard 2 e do Challenger 2 do Reino Unido.

A nova torre de 130 mm, se aceita pelo projeto MCGS, pode significar uma grande mudança no tamanho padrão da torre da OTAN. O vídeo mostra um projétil disparado do canhão de 130 mm através de várias camadas de lâminas blindadas. Além disso, o tanque se move rapidamente através dos campos, indicando boa mobilidade com o novo canhão.

Subscribe
Notify of
guest
89 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Funcionário dos Correios
Funcionário dos Correios
1 mês atrás

Imponente demais!

Karl Bonfim
Karl Bonfim
Reply to  Funcionário dos Correios
1 mês atrás

É a tradição alemã em “Panzerkampfwagen”, lindão!!!

Last edited 1 mês atrás by Karl Bonfim
JOAO
JOAO
Reply to  Funcionário dos Correios
1 mês atrás

E o EB ainda nem chegou no 120 mm.

gari
gari
Reply to  JOAO
1 mês atrás

Espero que pule o 120 e vá direto pro de 130. se vai comprar/fabricar que faça direito. já monta uma fabrica de munição 130mm logo tb e fornece enquanto n tem “Made in China” ou Israel

MMerlin
MMerlin
Reply to  gari
1 mês atrás

Não sabia que o calibre do canhão também serve para classificar a qualidade de construção de um blindado.

gari
gari
Reply to  MMerlin
1 mês atrás

Não é questão de qualidade, e sim, aproveitar que vai fazer já incorporando o que tiver de melhor. Pelos votos parece que o povo quer o futuro blindado reciclando o canhão de 105 ou o de 120 fim de vida.

Salim
Salim
Reply to  JOAO
1 mês atrás

Da ate arrepio. Leo1 pouca blindagem e canhão 105 mm, tao querendo dar um tapa meia boca pra mais 15 anos, triste.

Welington S.
Welington S.
Reply to  Funcionário dos Correios
1 mês atrás

Estou desde o dia 9 de Julho esperando minha encomenda. Eu quero minha encomenda já!

Teropode
Reply to  Funcionário dos Correios
1 mês atrás

A Alemanha se sente acanhada e com vergonha do seu passado , se perderem o acanhamento o bicho pega novamente .

Dario
Dario
1 mês atrás

Está usando Adaptiv da BAE ou é só fake. Achei as placas muito grandes para serem o Adaptiv.

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

Tem uma informação incorreta na matéria: Onde diz que o Armata rompeu com a linha de calibre de 120mm para ser equipado com um canhão de 125 mm, deve-se ver que desde os tempos do T-64 já se equipa carros de combate com calibre maior que 120mm. O calibre 120mm é padrão OTAN, 125mm é padrão Rússia, uma coisa não tem a ver com a outra. O Grande ponto da adoção de um canhão de 130mm é a perfuração da blindagem do Armata e futuras atualizações que virão, o que está deixando o canhão de 120mm L55 no seu limite,… Read more »

José
José
Reply to  Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

Já li muitas vezes vezes sobre a intenção de colocar um canhão de 152mm no Armata T-14.
Se conseguirem o T-14 poderia substituir os obuses auto propulsados de 152mm ou não conseguiriam elevar o canhão o suficiente?
Muita calma!
É só uma pergunta pra quem entende mais, sou um entusiasta e não especialista.
Desde já agradeço.

sub urbano
sub urbano
Reply to  José
1 mês atrás

O T-14 nunca irá substituir um Obus autopropulsado. Este ultimo é utilizado para disparos indiretos, é uma peça de artilharia, ele não precisa de tanta blindagem pois estaria protegido por uma guarnição de infantaria no teatro de operações. Já o MBT não, a função dele é assoberbar todos os elementos terrestres no campo de batalha.Em uma comparação com a guerra medieval: o Obus autopropulsado seria uma catapulta, o MBT é o cavaleiro com armadura, o IFV o cavaleiro sem armadura, a Infantaria não mudou muito, é aquele cara à pé que luta nas primeira linha, não sabe ler nem escrever… Read more »

Bruno Vinícius Campestrini
Bruno Vinícius Campestrini
Reply to  Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

Os russos falam desse canhão de 152 mm desde os idos tempos da URSS, até o momento ainda não foram capazes de colocar em prática, excetuando-se os protótipos. Tenho dois pés atrás com a hipótese de colocarem um canhão deste calibre no T-14.

Last edited 1 mês atrás by Bruno Vinícius Campestrini
Hcosta
Hcosta
Reply to  Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

O aumento do calibre estará relacionado com a blindagem do Armata?
Ou será para aumentar o alcance?

Haverá blindagem tradicional que aguente um tiro de 120? E os sistemas de blindagem reactiva e APS terão um pior desempenho com o aumento do calibre?

Haverá outra vantagem em utilizar o calibre 130 para além de um maior alcance?
Isto tendo em conta as suas desvantagens como menor número de munição transportada, maior pressão nos sistemas de logística, fabrico, os diversos custos, etc…

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Por padrão as blindagens ativas não é capaz de desviar ou inibir de forma significativa qualquer projetil APFSDS-T. eles são usados contra granadas propulsadas, misseis e foguetes.

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

É eficaz contra munições heat e hesh, mas contra APFSDS realmente não faz diferença.

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Na verdade para os dois, pois o Armata, segundo os russos, consegue atingir um alvo a 10 km, o canhão 120mm/L55 a coisa de 8 km.
Mas também é um objetivo aumentar a penetração, pois segundo estudos o L44 não perfura o Armata, sendo o L55 o mínimo necessário para isso. Qualquer atualização na blindagem do Armata pode tornar o L55 obsoleto também, por isso a pressa.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

Eu não iria longe ao afirmar categoricamente que o L44 não perfura o Armata pelos seguintes fatores. 1 não se existe a minima ideia de qual seja a blindagem do Armata. outros MBTs como T-90, M1A2, Challenger 2 e Leopard 2 por exemplo se tem uma vaga ideia da blindagem mas a do Armata é um grande ???? 2 Os americanos dispensaram a retirada do L44 em favor do L55 dos seus Abrams porque eles constaram que o projetil M829A4 tem um desempenho semelhante ao projetil padrão de Tungstênio usado no L55 (empregado pelos outros países) assim simplesmente usar a… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Pois, continuo sem perceber qual a necessidade de haver um novo calibre. Se é por causa do maior alcance então utilizem misseis.

A Rheinmetall, provavelmente, devia ter feito o Leo 2 com mais alguns defeitos para justificar a sua substituição.

Bogaz
Bogaz
1 mês atrás

Vi também um Lecrerc com canhão de 140mm. Será que a OTAN esta pensando em atualizar o calibre de seus tanques? Ver um desses com o exército brasileiro seria fantástico.

José
José
Reply to  Bogaz
1 mês atrás

A pergunta é: Terão que combinar ou pedir permissão para U.S.A. antes?
OTAN tá igual casal na quarentena.

Paulotd
Paulotd
Reply to  Bogaz
1 mês atrás

Aqui é sucatão Leopard 1 comprado de segunda mão. Estamos nos 105mm enquanto a Otan já considera o 120mm obsoleto. E tem gente por aí que acha que estamos bem..

Se o EB saltar pra esse calibre de 130mm, não vai sobrar muito prós banquetes regados a lagosta e whisky.

Last edited 1 mês atrás by Paulotd
Carvalho
Carvalho
Reply to  Paulotd
1 mês atrás

Se o EB saltar para esse 130 mm, não vai faltar lagosta e whisky para o vendedor e comprador.
Defina primeiro seu inimigo..
Após defina seu equipamento

Carvalho
Carvalho
Reply to  Paulotd
1 mês atrás

O 120 não é obsoleto
Este 130 é um demonstrador de tecnologia.

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Carvalho
1 mês atrás

O L44 é considerado obsoleto, o L55 ainda não.

pgusmao
pgusmao
Reply to  Paulotd
1 mês atrás

Estamos bem sim, os nossos potenciais adversários são o Uruguai, Bolívia, Argentina, Paraguai ou a falida e esfomeada Venezuela, não há necessidade de algo muito melhor.

Paulotd
Paulotd
Reply to  pgusmao
1 mês atrás

Olha o argumento de paiseco atrasado. Nossos vizinhos são tão mal armados quanto nós. A hora que chinês começar a criar base do outro lado do Atlântico quero ver. Olho já tá grande na Amazônia.

Os 130 bilhões anuais é pra pagar mordomias, aposentadorias e salários. O trem bão…

Brasileiro se contenta com pouco, por isso sempre vai ser um país atrasado.

Last edited 1 mês atrás by Paulotd
Welington S.
Welington S.
Reply to  Paulotd
1 mês atrás

Concordo com você, Paulo. Passou da hora do assunto defesa ser levado á sério no Brasil. Vemos por uma vez ou outra falas sobre a Amazônia, vemos a questão China tomando pra si o mundo aos poucos, vemos a questão da Venezuela que, pelo visto, ao meu ver, Trump não irá meter o boot ali tão cedo; então, a questão é grave e nossas forças armadas precisa se armar e se arma bonito. Essa síndrome de vira-lata de que: ”ah, o Uruguai não é tão ameaçador assim, então, não precisamos nos arma tanto” – já não cola mais! Nós precisamos… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Welington S.
Bille
Bille
Reply to  Welington S.
1 mês atrás

Buenas. Essa questão orçamentária, de pagar aposentadorias, pensões, anistiados, etc, é um problema grave de toda a Adm pública. O que acontece nas FA acontece nos demais ministérios, com muita gnt mamando em tudo que é lugar, tem interesses muitas vezes políticos, e o judiciário se esforça por manter isso. Há interesse em deixar esse povo todo recebendo salário para que o recurso não chegue para equipamento e treinamento. Sem dúvida as FA tem que sofrer uma reforma estrutural no pensamento e na missão, no sentido de ser menos Defesa Civil e mais Defesa da Pátria. O processo de Planejamento… Read more »

Mayuan
Mayuan
Reply to  Bille
1 mês atrás

Um raro comentário com conteúdo e bom senso! Até que enfim.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Welington S.
1 mês atrás

Do nível da Coreia do Norte. Como as pessoas morrem à fome para sustentar as FA’s não há qualquer problema.

O Brasil tem um dos maiores orçamentos do Mundo em defesa.

rdx
rdx
1 mês atrás

Pois é…enquanto os europeus estão desenvolvendo uma nova geração de MBT com canhões 130mm e 140mm, o fã clube do Leopard 1 sonha com uma versão BR para atrasar o EB por mais uns 20 anos.

Last edited 1 mês atrás by rdx
Carvalho
Carvalho
Reply to  rdx
1 mês atrás

Os europeus e americanos também estão desenvolvendo carros mais móveis e leves. E uma série de viaturas táticas para combates assimétricos. Eles podem.
CCs com canhões de 130 são a nossa última prioridade.
Não existe fã clube do Leo1. Vc não sabe ler muito bem. Mas pra quem acha que o LMV não serve porque não tem espaço pra carregar feridos..

rdx
rdx
Reply to  Carvalho
1 mês atrás

Pelo visto a carapuça serviu muito bem em você. Outra coisa, aprenda a interpretar um texto. Eu não disse nada sobre o EB comprar esse MBT com canhão 130 mm. Sobre o LMV (que diga-se de passagem não tem nada ver com o assunto) estude sobre a experiência britânica..e espaço interno só não tem valor na cabeça de quem nunca participou de uma guerra. A propósito: existem quase 400 armazenados na Inglaterra a espera de algum acumulador de sucata.

Carvalho
Carvalho
Reply to  rdx
1 mês atrás

Para carregar feridos?
Não seria melhor comprar ambulâncias ??

rdx
rdx
Reply to  Carvalho
1 mês atrás

Você vai esperar pela ambulância no interior do território inimigo? Não é só ferido, em combate podem surgir prisioneiros, armamentos capturados, pilotos abatidos, civis, tropas de viaturas danificadas ou destruídas que precisam ser evacuadas. O LMV é muito apertado…e ficou mais apertado com a instalação da remax.

Carvalho
Carvalho
Reply to  rdx
1 mês atrás

Pilotos, civis, prisioneiros, tripulações….
Realmente, ambulância não serve.
O melhor é um ônibus
E um caminhão de mudança

rdx
rdx
Reply to  Carvalho
1 mês atrás

Muito engraçado. Os britânicos empregam principalmente o exótico Jackal para essa tarefa. Não satisfeitos pediram uma versão estendida 6×6.

Carvalho
Carvalho
Reply to  rdx
1 mês atrás

O Jackal é empregado em função tática totalmente diferente.
Tanto que foram produzidos pouco mais de 100 exemplares.
Como eu disse: Eles podem

rdx
rdx
Reply to  Carvalho
1 mês atrás

É um veículo de esclarecimento que complementa os Land Rover. No EB essa tarefa é executada pelo Marruá…e futuramente pelo LMV.

Carvalho
Carvalho
Reply to  rdx
1 mês atrás

O Jackal é mais do que um veículo de reconhecimento. O EB não tem dotação de emprego de um veículo desta categoria. Nem pelo Marruá nem pelo LMV.
Aula básica de matemática: cebolas e laranjas não se misturam.
Os ingleses ainda desenvolveram o Husky, Mastif e outros vtr 6×6.
Eles podem

rui mendes
rui mendes
Reply to  rdx
1 mês atrás

Já que falas no assunto, diz a verdade toda, os Britânicos também estão há espera de outro acumulador de sucata, para toda a sua frota de mais de 4.500 unidades de Mastiffs, Cougars,Husky e outros, parece que só ficarão os Jackal.
Em troca vão comprar 500 Boxer novos. Claro que os veículos das forças especiais ficam, mas esses são muito menos unidades.

Last edited 1 mês atrás by rui mendes
Alessandro Santa Gema
Alessandro Santa Gema
1 mês atrás

Te cuida armata

Victor Filipe
Victor Filipe
1 mês atrás

imagina o potencial de perfuração desse canhão somado a uma munição de urânio empobrecido…

José
José
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Talvez a intenção seja não usar urânio empobrecido.
Já foi provado que transmite radiação prejudicial
Tanto que é proibido o uso em treinamento no território USA
Obs: Pesquise no Google antes de pedir o link
Cada um fazendo sua parte.
Desde já agradeço

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  José
1 mês atrás

você parece meio traumatizado com algumas coisas aqui do blog… eu sei que eles não treinam com essa munição nos EUA. ainda assim não vejo os EUA abandonando o projetil de urano empobrecido as vantagens do projetil somado ao novo canhão seria bem revolucionário.

José
José
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Sou bem resolvido
Sem traumas
Muito menos com este blog
Abraço

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Na verdade, quanto maior a velocidade de impacto, menor a vantagem do urânio empobrecido sobre o carbeto de tungstênio. Um dos motivos de EUA usar o canhão L44 enquanto a Alemanha usa o L55. Resta saber se eles irão aumentar a massa do projétil ou a velocidade.

caio
caio
1 mês atrás

maquina incrível! com essa silhueta que parece mais de leclerc/leopard 2, ficou lindo. e um rival para o armata, mas o preço deve ficar no nível só do primeiro mundo, e na sobrevivência antitanque, será que também tem novidades?

Lu Feliphe
Reply to  caio
1 mês atrás

Isso é um Challenger II.

caio
caio
Reply to  Lu Feliphe
1 mês atrás

mas ta com cara de leclerc com torre do leopard 2.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  caio
1 mês atrás

Concordo contigo Caio.

Lu Feliphe
1 mês atrás

De fato é um bicho extremamente bonito.

Last edited 1 mês atrás by Lu Feliphe
Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
1 mês atrás

É o efeito T-14 Armata.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Modelo “matarmata”???

Como dizem os especialistas, não existe armadura capaz de resistir os avanços de performance das munições que são disparadas contra elas.

Leo Rezende
Leo Rezende
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Na infindável guerra entre a lança e o escudo,a lança sempre se sobrepõe.

sub urbano
sub urbano
1 mês atrás

A verdade é que os estrategistas da OTAN sabem que o T-14 se engajado a uma distância similar aquela dos embates entre tanques na Guerra do Golfo, o T-14 estaria imune aos disparos de 120mm da OTAN, porém a recíproca não procede. Portanto, um embate entre um MBT ocidental x T-14 teria resultado similar ao que houve na Guerra do Golfo, só que desta vez a favor do equipamento russo. Ou seja, um massacre.

Astolfo
Astolfo
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

Conclusão completamente equivocada e incorreta, digna de alguém que não conhece nada do assunto mesmo, mas quer propagandear contra o país que odeia. O canhão do Armata ser maior que 120mm não significa diretamente que a sua munição possua mais energia cinética. É um indicativo, sim, mas existem outras variáveis como o próprio comprimento do canhão, a munição, entre outros, que também são fundamentais na determinação da capacidade de penetração de uma blindagem por uma munição. Ademais, sua ignorância fica claramente evidenciada ao mencionar a Guerra do Golfo para corroborar sua tese em relação ao canhão, quando os embates na… Read more »

Oganza
Oganza
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

Só que não. Em 91 no Golfo o maior destruidor de tanks foram os Bradleys com seus TOW, com um score de quase 3x o dos Abrams. Esse é o motivo do Armata ter tantas defesas anti ATGM. No campo de batalha moderno e aberto entre pares os MBTs serão iscas para os ATGMs… a ideia é criar um cenário de se “correr o bicho pega e se ficar o bicho come”. A Rússia sabe disso e está indo na mesma direção do ocidente, com 30 anos de atraso mas estão. O ocidente não precisa de um novo canhão, precisa… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Oganza
Hcosta
Hcosta
Reply to  Oganza
1 mês atrás

E de onde veio a informação que os futuros e presentes blindados europeus não terão um APS?

Oganza
Oganza
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Onde foi que eu escrevi que os europeus não terão? Seria isso analfabetismo funcional? O “erro” está em gastar verbas com um novo canhão. Precisam de defesas para seus MBTs e mais, muito mais AFVs equipados com ATGMs.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Oganza
1 mês atrás

Então porque é que os europeus estão errados? Já têm APS e muitos IFV com ATGM…
Se desenvolverem um novo canhão deixam de ter APS e ATGM?

A Alemanha tem 330 Puma e acho que vão encomendar mais. E qualquer país europeu de maior dimensão tem IFV com ATGM.

Last edited 1 mês atrás by Hcosta
Oganza
Oganza
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Por acaso eu falei IFV? Não, eu não falei. Um novo canhão significa nova linha de produção, nova logística, novos protocolos, novos manuais de treinamento, nova cadeia de manutenção, etc, etc… enquanto mais AFVs com ATGMs é apenas mais do que já existe. Ps. A Alemanha tem 330 Pumas? É mesmo? E quantos ela pode colocar no front em uma semana? Se ela conseguir 20% fique feliz. 330 Pumas… isso é uma piada? Eles precisam de 3x esse número… mas isso não vai acontecer pois o Puma se mostrou uma “porcaria” e eles querem colocar o Lynx na jogada. R.I.P.… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Oganza
1 mês atrás

Primeiro, qual é a sua ideia de AFV’s? Presumo que seja algo tipo centauro, apesar de ser qualquer veículo blindado de combate. Ter mais centauros e menos IFV como o Puma não sei se terá alguma vantagem, até porque não tenho a certeza se o centauro deverá ser considerado um caçador de tanques mas sim como apoio de fogo. Segundo, se ter 300 Puma e com mais encomendados, apesar de estarem a substituir os Marder que são algumas centenas e ainda no activo, então isto não chega? Ainda bem que o senhor sabe o grau de prontidão da Alemanha e… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Hcosta
Oganza
Oganza
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Aqui na trilogia está abarrotado de matérias sobre a miséria que é a prontidão alemã… uma porcaria.
Meu Deus… avançado? O veículo tem que cumprir a missão – os Tiger na II GM eram os mais avançados, mas não cumpriram a missão.
Quem tá falando em Centauro? SE for instalado 4 ATGMs nele já fica melhor que os caros Pumas… cumpre a missão.
Aqui a sua resposta… Americanos pendurando ATGMs por tudo que é lado… os novos blindados russos seguem o mesmo conceito. Assim como os europeus você está errado. Simples assim.
https://www.forte.jor.br/2020/08/11/exercito-dos-eua-desenvolve-futuros-veiculos-de-combate/

Salim
Salim
Reply to  Oganza
1 mês atrás

Exato. Lembrando t72 iraque tinha canhão 125 mm. O TOW fez a festa.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Salim
1 mês atrás

Fez a festa lançado pelos cobra dos marines, pelos hellfire dos Apache, e principalmente pelo canhão dos A-10 e do 120mm do M1, só depois aparece o Tow do M2.

Oganza
Oganza
Reply to  rui mendes
1 mês atrás

Mas ainda sim fez uma festa maior que os M1. Abateram 3x mais tanques que os Abrams.

Salim
Salim
Reply to  rui mendes
1 mês atrás

Rui, ai está razão Vitória, olha so a variedade e quantidade meios utilizados, difícil escapar. Tow pelo custo e mobilidade teve resultado muito bom.

Hcosta
Hcosta
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

Imune aos disparos de 120mm? Massacre?
O T72 já tem um canhão de 125mm.
A guerra do Golfo demonstrou que a tecnologia faz a diferença.
Os sistemas térmicos e outros de reconhecimento fizeram toda a diferença. Criaram-se vários sistemas interligados entre si, blindados, aviação, satélites, etc, o que permitiu vitórias avassaladoras, até mesmo com blindados de menor porte sobre outros com maior poder de fogo.

Jhon
Jhon
1 mês atrás

Espero que que exercito brasileiro escolha equipar pelo menos dois RCCs com um MBT de 120 milímetros, pelo menos para criar uma doutrina e pessoal técnico , manter na ponta da lança.

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

Sei que o assunto é o canhão, mas achei interessante os optrônicos da torre, tem um para o sistema de tiro principal, um para o comandante em uma torre giratória, e mais um em outra torre giratória ao lado do visor principal. Para que será que serve ?

Dario
Dario
1 mês atrás

Interessante que ele parece menor e mais leve que o Leo 2.
O chassis deve ser apenas um demonstrador e deve sofrer muitas mudanças ainda, mas a primeira coisa que se percebe é que tem apenas seis conjuntos de road weels ao invés de sete do Leo 2.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

Bem que o EB poderia comprar uma centena!

Tomcat
Tomcat
1 mês atrás

Achei estranho o cano ser de alma lisa… É assim em outros carros de combate também?

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Tomcat
1 mês atrás

Sim, a exceção é o challenger.

Welt
Welt
1 mês atrás

Interessante como a camuflagem hexagonal quebrou a silhueta do veículo em algumas fotos apesar das cores urbanas.
E pensar que os alemães ja usavam algo assim há mais de 100 anos.

Oganza
Oganza
1 mês atrás

Em 91 no Golfo o maior destruidor de tanks foram os Bradleys com seus TOW, com um score de quase 3x o dos Abrams. Esse é o motivo do Armata ter tantas defesas anti ATGM. No campo de batalha moderno e aberto entre pares os MBTs serão iscas para os ATGMs… a ideia é criar um cenário de se “correr o bicho pega e se ficar o bicho come”. A Rússia sabe disso e está indo na mesma direção do ocidente, com 30 anos de atraso mas estão. O ocidente não precisa de um novo canhão, precisa é de mais… Read more »

Carvalho2008
Carvalho2008
1 mês atrás

Sem duvida é um equipamento impressionante. Mas atualmente, o custo beneficio não estaria ao lado dos loitering drones e tiros indiretos guiados? Obuses auto propulsados, foguetes, munição guiada de morteiros parecem sempre quebrar o paradigma da potencia e proteção ao tiro direto. Na guerra moderna, Não seria uma luta desigual entre o tiro visado versus tiro indireto. Mesmo algumas munições guiadas sendo caras, extremamente desigual o alcance e volume que pode ser entregue antes que a visada do tiro direto se estabeleça na batalha.

Voces não tem esta impressão?

IBIZ
IBIZ
1 mês atrás

Alemães: ruins na guerra, excelentes na engenharia!

gari
gari
Reply to  IBIZ
1 mês atrás

Ameaçaram o mundo inteiro, tomaram meia europa e são ruins na guerra? Confundiu com a França não?

IBIZ
IBIZ
Reply to  gari
1 mês atrás

Eles perderam no final as duas guerras não foi? As grandes vitórias se deram muito mais pelo despreparo dos inimigos do quê pela sua superioridade!

rui mendes
rui mendes
Reply to  IBIZ
1 mês atrás

Quando se é um fan-boy, dizem-se coisas sem nexo nenhum, que tu querias que fosse assim, acredito, mas isso é pura invenção, um país que lutou 5 anos contra as maiores potências mundiais, e que actualmente têm, ou tinha até á pouco, já que foram extintos pelo seu governo, uma das melhores forças especiais do mundo, o KSK.

rui mendes
rui mendes
Reply to  gari
1 mês atrás

Já agora, os Franceses, junto com os Norte Americanos, Russos e Ingleses, são as forças armadas, mais experientes em guerras no mundo, e se soubesses mais um pouco de história, saberias que isso é mais uma invenção dos fan-boys por despeito.

Antonio Palhares
Antonio Palhares
1 mês atrás

Ninguem faz máquinas iguais aos Alemães.
Bonito e letal.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
1 mês atrás

Semana que vem a Rússia ou China aparecerão com um de 140mm para o delírio da turba

Luiz Floriano Alves
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 mês atrás

O aumento dos calibres tomou conta dos blindados. Tipo o jogo infantil, do meu pai ser mais forte do que o teu. Nos navios de guerra a tendencia é o inverso. Grandes canhões exigem grandes meios de transporte, que são grandes alvos. Os encouraçados chegaram ao limite com o Yamato. Quando se percebeu que o míssil tem mais alcance e poder de fogo, o jogo virou. Passamos a diminuir os calibres nos navios. As nossas patrulhas, classe Amazonas são artilhadas com 30mm. As embarcações semelhantes de 20 anos atrás tinham canhões de 5 pol., no mínimo. Ainda falta uma grande… Read more »