Home Conflitos em andamento China e Índia acusam-se mutuamente de abrir fogo à medida que aumentam...

China e Índia acusam-se mutuamente de abrir fogo à medida que aumentam as tensões na fronteira

5131
110

Índia e China se acusaram mutuamente de disparar tiros de advertência para o alto ao longo de sua disputada fronteira com o Himalaia pela primeira vez em mais de quatro décadas em um novo sinal de atrito dias depois que autoridades de ambos os lados concordaram em acalmar as tensões.

As tropas indianas na noite de segunda-feira “cruzaram ilegalmente a Linha de Controle Real na margem sul de Pangong Tso e dispararam tiros de advertência contra o patrulhamento das forças chinesas”, disse o coronel Zhang Shuili, porta-voz do Comando do Teatro Ocidental do Exército de Libertação Popular (PLA), em um declaração na terça-feira. As tropas chinesas foram “forçadas a tomar contra-medidas para estabilizar a situação”, disse Zhang, sem dar mais detalhes.

“O comportamento dos índianos violou gravemente os acordos firmados entre os dois lados e aumentou as tensões”, disse Zhang, instando os índianos a se retirarem. “Tal comportamento pode facilmente levar a erros de cálculo. É uma provocação militar séria”.

O Exército Indiano negou que seus soldados cruzassem a fronteira disputada “ou recorressem a qualquer meio agressivo, incluindo disparos”.

“É o PLA que vem violando abertamente acordos e realizando manobras agressivas, enquanto o engajamento em nível militar, diplomático e político está em andamento”, disse um comunicado do Exército Indiano, acrescentando que, quando “dissuadidas”, as tropas chinesas “dispararam alguns tiros para o ar em uma tentativa de intimidar.”

Tensões crescentes

A última vez que as tropas indianas e chinesas abriram fogo foi ao longo de sua fronteira disputada na área de Arunachal Pradesh, na Índia, em 1975. Os comandantes militares de ambos os lados estabeleceram protocolos para garantir que as tropas não atirassem e as escaramuças fossem limitadas a altercações físicas.

Mesmo antes de a notícia da última escaramuça ser pública, o ministro das Relações Exteriores da Índia, Subrahmanyam Jaishankar, descreveu as tensões na fronteira como “muito sérias” ao falar em um evento do Indian Express em Nova Delhi na noite de segunda-feira.

Índia capturou postos avançados estratégicos em ação furtiva contra a China

Jaishankar deve manter discussões com o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, quando ele viajar a Moscou para a reunião da Organização de Cooperação de Xangai na quinta-feira. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Índia não respondeu às mensagens pedindo comentários na terça-feira.

As tropas indianas correm o risco de “serem aniquiladas” se usarem armas de forma imprudente, disse o jornal Global Times do Partido Comunista na terça-feira em comentários. Hu Xijin, o editor-chefe do jornal, disse no Twitter: “até onde eu sei, a análise do PLA é: O lado indiano está subestimando a vontade da China como fazia antes de 1962 e assume que a China não ousa entrar em guerra.”

O Ministério das Relações Exteriores da China adotou um tom mais conciliador em uma reunião diária em Pequim.

Apesar de culpar Nova Delhi pelo disparo primeiro, Zhao Lijian, o porta-voz do ministério, disse aos repórteres “nós, do lado chinês, sempre enfatizamos que ambos os lados devem resolver pacificamente nossas diferenças por meio do diálogo e da consulta. O confronto também não beneficiará.”

Discussões em Moscou

A última disputa veio poucos dias depois que o ministro da Defesa indiano, Rajnath Singh, e seu homólogo chinês, general Wei Fenghe, concordaram em aliviar as tensões após “discussões francas e profundas” em Moscou.

Se os relatos de tiros de advertência disparados na fronteira forem verdadeiros, “então as tensões China-Índia estão claramente aumentando, apesar de um acordo bilateral e de numerosos diálogos entre militares com o objetivo de diminuir a escalada”, disse Derek Grossman, pesquisador da RAND Corporation baseada em Washington. “Há rumores de que o presidente chinês Xi Jinping está infeliz e frustrado com a forma como os eventos se desenrolaram com a Índia, e ele pode estar olhando para aumentar a aposta a fim de mudar a sorte de Pequim.”

“A China sempre viu a Índia como uma potência menor”, ​​disse Grossman. “Uma derrota na fronteira, mesmo que apenas simbólica e não territorial, seria um grande e inaceitável golpe psicológico para a confiança e imagem internacional da China.”

Pangong Tso é um lago glacial a 14.000 pés (4.300 metros) na parte ocidental da área contestada da Caxemira e foi palco de violentos combates em junho que mataram 20 soldados indianos e um número desconhecido de soldados chineses.

As relações sino-indianas azedaram as ações uns dos outros ao longo da Linha de Controle Real de 3.488 quilômetros (2.167 milhas). Várias rodadas de negociações militares de alto nível não conseguiram encerrar o impasse de meses.

FONTE: Bloomberg

Subscribe
Notify of
guest
110 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
14 dias atrás

Todo mundo fala em EUA X China, ou Turquia X Grécia, mas acredito que o barril de pólvora mais provável e fácil de pegar fogo seja essa tríplice fronteira entre China, Índia e Paquistão.
Vai ser um verdadeiro milagre se aquilo alí não virar uma guerra nos próximos 15 anos.

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
Reply to  Willber Rodrigues
14 dias atrás

A congregação para a Batalha já está acontecendo. É questão de tempo!

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Vinicius Momesso
12 dias atrás

Abortado.

China e Índia selam acordo para evitar escalada em região
fronteiriça

https://br.sputniknews.com/asia_oceania/2020091116056389-china-e-india-selam-acordo-para-evitar-escalada-em-regiao-fronteirica/

As pessoas estão delirando se acham que haverá guerra naquela região.
Já passou o tempo disso.
Há cinquenta anos talvez. Atualmente, não mais.

Pablo
Pablo
Reply to  Willber Rodrigues
14 dias atrás

concordo contigo, porém, o que tem de comum nesses barris, é que a China está em quase todos (com exceção da Grécia e Turquia, claro), inclusive com Taiwan e no mar do sul da China, onde tu esqueceu de mencionar.

Welington S.
Welington S.
14 dias atrás

A China está mesmo é testando a paciência da Índia. Não acredito que a China começaria uma guerra com a Índia já que o foco principal da China neste momento é com a guerra comercial. Fato é que a China está crescendo e muito e daqui alguns anos, será muito difícil de ”matar” este Dragão que décadas e mais décadas atrás, foi fatiado por vários países. É, a China está vindo com tudo!

Daniel7440
Daniel7440
Reply to  Welington S.
14 dias atrás

Está vindo porque seus dias estão contados. A população do leste asiático está envelhecendo rapidamente, e muito em breve haverão mais idosos do que adultos economicamente ativos. O cenário para 2050 em diante não é nada favorável para a China, a tendência é que ela se aproxime do que está sendo experimentado pelo Japão, país onde se vendem mais fraldas geriátricas do que para bebês. Se a China não se tornar superpotência hoje, não vai conseguir faze-lo mais tarde. Os chineses sabem bem disso. A Índia, por outro lado, passa longe de sofrer com esse tipo de problema. A projeção… Read more »

_RR_
_RR_
Reply to  Daniel7440
14 dias atrás

Daniel, Apenas complementando seu comentário… Vale lembrar que a economia indiana cresce de forma mais solida que a chinesa, posto possuir politicas econômicas mais factíveis e menos desagradáveis ao Ocidente, somando-se a isso o fato de seus sistemas político e jurídico serem mais palatáveis que os de seu oponente. Coloca-se assim como mercado potencialmente muito mais seguro para investimentos, o que deve ser fato consumado já na segunda metade desse século. O mais, basta olhar o mapa… A China é um país virtualmente confinado em seu canto, e os chineses dependem da aceitação de seus vizinhos para manterem abertas suas… Read more »

M65
M65
Reply to  Daniel7440
14 dias atrás

A política de Controle da natalidade foi um erro. Somente uma criança por casal de preferência menino e hoje têm mais homens adultos do que mulheres.

Tulio Rossetto
Tulio Rossetto
Reply to  Daniel7440
13 dias atrás

Exatamente, essa é a questão fundamental que muitos esquecem na hora de falar da Ásia, três das principais economias do continente (China, Japão, Coréia do Sul) estão passando por um envelhecimento acentuado da população, com essa política desastrosa de filho único da China tendo feito o país sofrer com problemas demográficos que só deveria enfrentar daqui 10-15 anos. A questão demográfica pode inclusive colocar em cheque a teoria do século XXI ser o “Século da Ásia”, e talvez se configure em uma questão mais importante (inclusive na Europa) do que qualquer outra questão geopolítica e militar.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Daniel7440
13 dias atrás

Se vc está preocupado com o envelhecimento da população chinesa, melhor não ver os números da população européia e principalmente da japonesa.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Antoniokings
13 dias atrás

Eu acho incrível a sua capacidade de sempre relativizar os problemas. a Europa ter uma população velha não vai mudar o quadro da China.

Daniel7440
Daniel7440
Reply to  Antoniokings
12 dias atrás

Ainda que isso seja verdade, você está comparando alhos com bugalhos. Veja, a Europa já fez a sua transição econômica para uma economia altamente desenvolvida, baseada em indústrias de alta tecnologia, pesquisa e desenvolvimento e inovação. São indústrias e modelos de produção que exigem menos força física e braçal e mais atividade intelectual, o que permite que pessoas de maior idade (sexagenários e até septuagenários) possam permanecer no mercado de trabalho sendo produtivos. Não é o caso da China (embora ela visivelmente tente). A economia chinesa ainda é muito dependente da indústria extrativista e da manufatureira com baixo grau de… Read more »

Marcelo Baptista
Marcelo Baptista
Reply to  Daniel7440
8 dias atrás

bem explicado

ALISON
ALISON
Reply to  Daniel7440
1 dia atrás

É muito minion um cara desse…

Marcelo Baptista
Marcelo Baptista
Reply to  Antoniokings
8 dias atrás

Antonio o envelhecimento da população Europeia é consequência do bem estar econômico e educação (querendo ou não, não precisam ter 10 filhos para sobrar 3 vivos e tocar a fazenda). Já a China teve que apelar para o controle de natalidade, pois corria o risco de não poder alimentar todos, mas isso é um tipo de planejamento que cobra seu preço no futuro, pois agora parte da população também chegou no padrão de vida onde só temos um ou dois filhos, mas o País como um todo ainda não pode ser considerado 1o mundo, eles ainda tem um caminho a… Read more »

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Daniel7440
11 dias atrás

Piramide da Faixa Etária da China… realmente em 2050 teremos um bom numero de velhinhos na China.

0-14 anos: 17,22% (homens 128.270.371 /mulheres 110.120.535)
15-24 anos: 12,32% (homens 91.443.139 /mulheres 79.181.726)
25-54 anos: 47,84% (homens 338.189.015 /mulheres 324.180.103)
55-64 anos: 11,35% (homens 79.340.391 /mulheres 77.857.806)
65 anos y mais: 11,27% (homens 74.277.631 /mulheres 81.828.269) (2018 est.)

Mensageiro
Mensageiro
14 dias atrás

Se a China guerrear com a Índia, EUA e países vizinhos da China agradecem, pela chance de abater o dragão antes de adulto e em território de outrem.

Jacinto
Jacinto
Reply to  Mensageiro
14 dias atrás

Esta disputa entre a China e a Índia está sendo acompanhada de perto pela região que está apreensiva com o crescimento do nacionalismo chinês. Há na China um movimento nacionalista extremamente agressivo que afirma que o território chines deveria ser muito maior do que é, incluindo quase todo o sudeste asiático, parte da Índia, da Rússia e da Ásia Central; em suma, os territórios que pertenciam à China de dinastia Qing. Alguns anos atrás um jornal estatal chinês publicou um artigo que dava conta de 6 guerras que a China teria de travar até o fim deste século, e a… Read more »

João Marcelo Torelly
João Marcelo Torelly
Reply to  Mensageiro
14 dias atrás

Imagino o que os indianos vão cobrar dos seus novos “parceiros” quando as cidades deles virarem fogueiras atômicas caso isso vire guerra, o que eu realmente espero que não aconteça.

Gabriel Galdino
Gabriel Galdino
14 dias atrás

Não acredito, o Xings disse que a Índia e a China são aliados e que os BRICS futuramente irão derrotar a OTAN.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Gabriel Galdino
13 dias atrás

Enquanto vcs ficam discutindo sobre uma guerra que nunca ocorrerá, Jiping entabula conversas com Angela Merkel e representantes da U.E para incrementar as relações comerciais.

Devo lembrar que as próximas políticas econômicas chinesas são para expansão do mercado interno e criação de zonas de livre comércio.

Adivinhe quem ficará de fora desta grande festa

https://www.globaltimes.cn/content/1200434.shtml

Jacinto
Jacinto
Reply to  Antoniokings
13 dias atrás

Esta é a versão da imprensa da China para este diálogo, mas a realidade é bem diferente. Os europeus – e alemães em especial – se incomodam muito, na área econômica, com o que eles acreditam ser uma assimetria na abertura dos respectivos mercados: eles entendem que os chineses atuam de forma a dificultar a exportações de produtos europeus para a China desequilibrando de forma injusta a balança comercial. O mais grave, porém, é o sistemático desrespeito à legislação internacional que trata de patentes internacionais, que é uma questão vital para países que exportam produtos de tecnologia como a Europa.… Read more »

Funcionário dos Correios
Funcionário dos Correios
14 dias atrás

Essa região ai é um barri de pólvora.

rodrigo
rodrigo
Reply to  Funcionário dos Correios
14 dias atrás

vai trabalhar…privatizar logo essa porcaria kkk

Sagaz
Sagaz
Reply to  rodrigo
14 dias atrás

Ele tem muito tempo livre…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  rodrigo
14 dias atrás

Privatizar?
Tá maluco?
Aí, as compras que a gente faz pelo Ali Express serão entregues pelo dobro, triplo do frete atual.
Faz isso, não!

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Antoniokings
14 dias atrás

Só ter concorrência…

Prefiro pagar mais e chegar em 3 dias que pagar menos demorar 60-90 e aindater que pagar aquela taxa de resgaste

Marcos10
Marcos10
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
12 dias atrás

Internamente uma empresa privada leva três dias para entregar uma encomenda. Os Correios, para o mesmo destino e produto, levam até trinta dias.

Teropode
Reply to  Antoniokings
14 dias atrás

Vc ama uma retinha estatal .

Talisson
Talisson
Reply to  Antoniokings
14 dias atrás

as minhas nem entregues estão sendo.

_RR_
_RR_
14 dias atrás

Amigos, Esse cenário já vem se delineando a muito tempo. Recordo-os a aproximação não tão recente dos indianos com o Japão, acertando-se um acordo de cooperação em defesa e vigilância, somando-se a isso a aproximação nada sutil dos EUA com esta potencia do Indico. E não era pra menos… Antecedentes já existem, aflorados em nossa era decisivamente no conflito ocorrido em 1962. Era claro que em algum momento a expansão chinesa iria esbarrar nas pretensões indianas de assegurar seus territórios a norte e, uma face um pouco esquecida da disputa, a segurança do acesso ao mar deste ultimo player… Quando… Read more »

Jacinto
Jacinto
Reply to  _RR_
14 dias atrás

Há um fórum estratégico informal formado pelos EUA, Índia, Austrália e Japão chamado “The Quadrilateral Security Dialogue” (QUADS) criado em 2007. Estava meio devagar, mas parece que voltou a engatar e parece que convidaram a Nova Zelândia, Coreia do Sul e o Vietnam para discutir a questão do COVID-19.

Sagaz
Sagaz
14 dias atrás

Essa diplomacia me fez lembrar a ternura das relações da Argentina com o Peru, aliados contra o Chile, obviamente a Argentina a frente.

Soldadinho pmesp
Soldadinho pmesp
14 dias atrás

É pau é pedra é osso duro de roer
E ali que mora a birra a loucura a raiva de outra nação
É os indio os chinos que se odeiam de montão.

Não foi ouro nem foi prata;
Muito menos diamante
Foi a fronteira mal traçada
Que mata o soldado infante.

Pronto fiz uma canção de tfm pra esse barríl de pólvora

Antoniokings
Antoniokings
14 dias atrás

E ontem, a Índia devolveu à China, em sinal de boa vontade, 9 iaques e 3 bezerros que atravessaram a fronteira.
Não vai acontecer nada entre China e Índia.
Podem apostar.

Gabriel
Gabriel
Reply to  Antoniokings
13 dias atrás

Como todas tuas análise e comentários são sempre para a direção errada, posso concluir que existe uma grande probabilidade de um conflito convencional, nas áreas disputadas entre China e Índia.

Renato B.
Renato B.
Reply to  Gabriel
13 dias atrás

Os líderes dos dois lados estão conversando justamente porque ambos tem armas nucleares. Se o conflito ocorrer e for restrito ao armamento convencional o mundo está no lucro.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Antoniokings
11 dias atrás

Hehehehe, agora o Xings ta feliz com a trilogia.
Hoje só mostra os 11 likes que ele recebeu.
Antes eram 11 likes e 111 deslikes.
kkkkkkkkkkkkkk
agora os desavisados vão dar uma moral pras besteiras que ele fala.

ALISON
ALISON
Reply to  Felipe Morais
1 dia atrás

Deve ser por isso que ninguem postiva o seu… kkkkkkkkkkkkk

filipe
filipe
14 dias atrás

Antes da China peitar os EUA e o Japão, tem que peitar a India, a China parece ser um grande gigante com pés de barro… Têm que derrotar India + Taiwan, senão não tem como peitar os EUA.

Last edited 14 dias atrás by filipe
Teropode
Reply to  filipe
14 dias atrás

Já treinam canibalismo pois se fizerem bloqueio os gafanhotos irão se devorar , tenha pena dos morcegos e minhocas.

ALISON
ALISON
Reply to  Teropode
1 dia atrás

Dois asnos arrotador de bosta….

André
14 dias atrás

Muitos não sabem, mas é entre esses dois países que vai começar a WW3. É profético.

Green Irish
Green Irish
Reply to  André
14 dias atrás

Profético? Baseado em que você diz isso? Profecia de quem?

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Green Irish
13 dias atrás

Profecia é um texto genérico, cheio de pistas genéricas, que cada um interpreta como quer.

Teropode
14 dias atrás

Tipo um , tipo uma quarentena kkkkkk, também pudera , no meio de dois gigantes lotados de gente kkkkkkkk

Renato
Renato
14 dias atrás

A China vem provocando vários países constantemente e ao mesmo tempo. Você vai acreditar em quem nessa história ?

Fabio Araujo
Fabio Araujo
14 dias atrás

Na guerra a primeira vítima é a verdade, dificilmente saberemos quem abriu fogo primeiro!

DaGuerra
DaGuerra
14 dias atrás

Os chinas se deram mal kkk

João Augusto
João Augusto
14 dias atrás

“Os comandantes militares de ambos os lados estabeleceram protocolos para garantir que as tropas não atirassem e as escaramuças fossem limitadas a altercações físicas.”

Que diabos é isso? Os caras estabeleceram protocolos para que as tropas limitassem-se a trocar socos? haeuaheueahuaehauhaeu

Marcus Pedrinha Pádua
Marcus Pedrinha Pádua
Reply to  João Augusto
14 dias atrás

Exatamente isso.

fabio_bsb
fabio_bsb
Reply to  João Augusto
13 dias atrás

As vezes utilizam bastões com pregos, mas nem sempre. Lembrando que a Índia possui uma força especializada em combate corpo a corpo na mão livre.

Renato B.
Renato B.
Reply to  fabio_bsb
12 dias atrás

Pedras e arremesso de inimigo abismo abaixo também entraram na lista. Por mais bizarro que seja ainda é menos pior que começar uma guerra.

João Augusto
João Augusto
Reply to  fabio_bsb
1 dia atrás

Podia ser televisionado.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
14 dias atrás

OFF – Os EUA estão testando o M109 Paladin com munição HVP ( munição de hipervelocidade) para abater mísseis de cruzeiro! A ideia é usar tanto os M109 como a artilharia dos navios com munição HVP para abater mísseis de cruzeiro!

https://taskandpurpose.com/military-tech/air-force-hypervelocity-projectile-test

MTc1MTY4NjIxNDI3ODI3ODA3.jpg
Last edited 14 dias atrás by Fabio Araujo
Teropode
Reply to  Fabio Araujo
13 dias atrás

A Rheinmetal alemã testa um canhão anti_ mísseis com projétil fragmentavel , um show de equipamento .

Tio Velho Comuna
Tio Velho Comuna
14 dias atrás

Tô apostando vintão na China! Alguém aí casa a aposta?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Tio Velho Comuna
14 dias atrás

China (2).
Vai ser mais fácil que tirar doce de criança.
Off topic, mas importante.
Amanhã, Trump deve anunciar a retirada de mais tropas do Iraque.
Depois, espera-se que seja no Afeganistão.
Adivinhem qual País vai ocupar o espaço deixado pelos americanos?

Sagaz
Sagaz
Reply to  Antoniokings
13 dias atrás

Não sendo o Brasil tanto faz, você tá jogando war ou está no fórum errado?

Teropode
Reply to  Sagaz
13 dias atrás

Ele é anticolonialismo ocidental kkkkkk,

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Sagaz
13 dias atrás

Exatamente o que Trump deveria fazer.
Jogar War para não levar essa ‘surra geopolítica’ de Putin e Jinping.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Antoniokings
11 dias atrás

Será que o Putin vai querer se meter no Afeganistão? Já tiveram uma experiência bem desagradável.
Será que é a vez dos chineses descobrirem que os barbudinhos de chinela não são brincadeira?
Ou os chineses vão tentar se aliar ao talibã?

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Antoniokings
13 dias atrás

A Índia tem três aliados de peso que lhe abastecem de armamentos que são os EUA, a França e a Rússia , ninguém fez com nenhum país do mundo o que a Rússia fez com a Índia que foi arrendar submarinos nucleares, eu creio que nem para a China a Rússia forneceu submarinos nucleares, então a Índia não é um adversário tão despreparado, e se no passado dependia de armamentos externos agora esta começando a produzir os seus próprios para complementar a defesa. Espero que não, mas se esse conflito evoluir para um confronto de verdade que fique limitado as… Read more »

Last edited 13 dias atrás by Fabio Araujo
horatio nelson
horatio nelson
Reply to  Fabio Araujo
13 dias atrás

e agora tem o brasil onde a taurus venceu a licitação de fuzis e pistolas na india…os presidentes da india e brasil se aproximaram muito inclusive a india mandou insumos para a cloroquina q nosso lider tanto ama.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Antoniokings
11 dias atrás

Kings… não deseja mal para os caras, já não basta a invasão americana… agora você torce pelo imperialismo chines.??? Uma coisa é certa, o Afeganistão nunca será de ninguém a não ser dos Afegãos.

Jodreski
Jodreski
14 dias atrás

“A China sempre viu a Índia como uma potência menor”, aí eu te pergunto e o que ela é? Senão exatamente isso!

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Jodreski
11 dias atrás

E o chines fica dando tiro para o alto… meio frouxa a atitude da China.

Matheus
Matheus
14 dias atrás

Soldados Chineses foram fotografados usando laminas “Guandao” na fronteira entre a India e China.

https://twitter.com/CarlZha/status/1303314485281615873

comment image comment image

A6MZero
A6MZero
Reply to  Matheus
14 dias atrás

Será que está faltando arma de fogo para tropa na toda poderosa China?

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  A6MZero
14 dias atrás

É para evitar troca de tiros, não é de hoje que isso ocorre na região, assim essas disputas na mão ou com arma branca termina ficando restritas ao local sem o risco de uma escalada para uma guerra aberta. Já houve brigas assim entre chineses e soviéticos ( não me lembro se nos anos 50 ou 60), entre chineses e indianos e entre americanos e norte coreanos.

Ghutoz
Ghutoz
14 dias atrás

Cá entre nós, seria uma guerra extremamente benéfica para o Brasil…

Martinuzo
Martinuzo
Reply to  Ghutoz
14 dias atrás

A poluição radioativa chegaria no Brasil também. Não vejo beneficio nisso.

Teropode
Reply to  Martinuzo
13 dias atrás

😂😂😂😂😂

Marcio Cosentino
Marcio Cosentino
Reply to  Ghutoz
12 dias atrás

Não existe guerra benéfica.

Allan Lemos
Allan Lemos
14 dias atrás

Seria bom que o Brasil tivesse um vizinho como a China,só assim ele iria dar valor à área de defesa.

Control
Control
13 dias atrás

Srs A China, até a década passada estava seguindo uma abordagem “low profile” para voltar ao seu status de império. Porém, nesta última década, mudou de estratégia dotando uma política bem mais agressiva e declarada da busca pela posição de potência hegemônica mundial. Uma questão muito importante para nós, país de terceiro mundo e que não dispõe e não terá condições de ter, num futuro próximo, de um mínimo de capacidade de garantir sua soberania, é a razão ou as razões que levaram a China a abandonar sua política de expansão lenta e gradual para uma bem mais assertiva e… Read more »

Jacinto
Jacinto
Reply to  Control
13 dias atrás

Foi publicado em um jornal chinês, alguns anos atrás, um artigo chamado “6 guerras que a China deverá lutar nos próximos 50 anos”. Como foi publicado em um jornal, a publicação tem, senão apoio, pelo menos a complacência de parte do Governo Chines, e previa, como o título não deixa escapar, 6 guerras: Retomada de Taiwan Retomada do Mar do Sul da China Retomada da Tibete do Sul (que é território indiano) Retomada das ilhas Senkaku do Japão Retomada da Mongólia Retomada dos territórios perdidos para da Rússia. Estas são idéias do movimento nacionalista chines – muito forte nas forças… Read more »

DanielJr
DanielJr
Reply to  Jacinto
13 dias atrás

Vai queimar plutônio já na metade da lista. O último item é pra garantir que isso aconteça.

Jacinto
Jacinto
Reply to  DanielJr
13 dias atrás

Eu disse que o artigo parecia ser o resultado de algum tipo de delírio, e era tratado assim por todo mundo que o leu naquela época. Mas uns um jornalista de uma emissora governamental chinesa afirmou recentemente sobre Vladivostok, “But the city was Haishenwai as Chinese land, before Russia annexed it via unequal Treaty of Beijing.”e depois um diplomata chines afirmou, sobre a mesma cidade “Isn’t this what in the past was our Haishenwai?”. Como jornalista e diplomata na China apenas repetem a retórica oficial do governo, o artigo deixou de ser tratado como algum tipo de delírios, e passou… Read more »

100nick-Elâ
100nick-Elâ
Reply to  Jacinto
13 dias atrás

Sonhar é bom, né? continue a mentir para si mesmo. Rússia e China são aliados contra os EUA e nada vai alterar isso.

Jacinto
Jacinto
Reply to  100nick-Elâ
12 dias atrás

Algum argumento a sustentar a sua tese?

ALISON
ALISON
Reply to  Jacinto
1 dia atrás

A inteligência humana baseada na historia e do inimigo comum…

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Jacinto
11 dias atrás

Jacinto, a população chinesa é gigantesca. Então quando você fala em uma parcela de nacionalistas extremos que ainda defendem essas pautas, logicamente temos que considerar que se trata de algo relevante, afinal, devem ser muitas pessoas. Acontece que a China de hoje é cada vez menos a china de 01,02 décadas atrás. Os chineses conheceram as benesses do capitalismo e da globalização. Portanto, não tem como negar que essas pautas ainda existem em algum nível, especialmente dentro do partido comunista chinês. Mas é algo que já perdeu e, com o passar do tempo, vai perder mais relevância. Não vão colocar… Read more »

Matheus S
Matheus S
Reply to  Jacinto
13 dias atrás

Só pode ser piada essa lista. Provavelmente feita por um amador. Duas “retomadas”(Rússia e Índia) dessa lista colocariam um conflito nuclear entre as grandes potências, tanto regionais quanto mundiais, e uma retomada(Japão) dessa lista colocaria um grande conflito regional. E para piorar, irão retomar a Mongólia. Desculpe, mas essa lista é para dar risada. Não vou nem entrar em detalhes das piores loucuras de se retomar parte dessa lista, ficarei apenas com a Mongólia. A Mongólia está promovendo uma ideologia de complexo de superioridade mongol devido às conquistas mongóis sob Genghis Khan. Eles glorificam seu passado em grande medida e tentam… Read more »

Jacinto
Jacinto
Reply to  Matheus S
13 dias atrás

O problema é que você está pensando em “guerra” com um conceito ultrapassado. Aquela idéia de guerra como um de conflito bélico entre dois estados, com explosões em todo lado, soldados se matando, países se destruindo está rapidamente se tornando ultrapassado e sendo substituído por um conceito mais fluido. O exemplo perfeito da evolução do conceito de guerra é a guerra híbrida dos russos, por meio do qual eles conseguiram obter (invadir ou retomar, dependendo de como você pensa) a Criméia por meio militar sem combate. Precisaram para isso de vantagem militar (que os russos têm em relação à Ucrânia… Read more »

Matheus S.
Matheus S.
Reply to  Jacinto
12 dias atrás

Mesmo em guerra híbrida para conquistar a Mongólia não será nada parecido com a Crimeia. A conjunção favorável aos russos pelos moradores da Crimeia é que possibilitou a conquista sem nenhum embate militarmente contra outro estado. Essa é uma situação bem diferente da Mongólia, onde os mesmos são profundamente anti-China e basicamente uma parte da população nacionalista que requer laços culturais contemporâneos com Genghis Khan, o famoso líder dos mongóis. Isso é uma situação bem adversa daquela da Crimeia, onde os moradores apoiaram os russos. Aliás, nem precisa ir para a Mongólia, o leste da Ucrânia é um exemplo de… Read more »

Jacinto
Jacinto
Reply to  Matheus S.
12 dias atrás

Fácil nunca é, e nem desprovido do risco de a coisa descambar. Mas é importante ressaltar que o artigo não trata da realidade contemporânea, ou de um futuro próximo. Como seu título indica, ele traduz uma estratégia de 50 anos, e em relação à Mongólia o que ele afirma é necessidade de preparar este movimento com décadas de antecedência: primeiro, com campanhas para melhorar a imagem da China no país, inclusive com investimentos chineses em infraestrutura a fundo perdido, apoiar o desenvolvimento econômico do pais, apoiar grupos e políticos alinhados com a China. Em 50 anos (mais ou menos três… Read more »

Matheus S
Matheus S
Reply to  Jacinto
12 dias atrás

Acho muito improvável que a China consiga conquistar a Mongólia, mesmo com essas políticas econômicas e sociais visando melhorar a imagem do país frente a população mongol, até mesmo porque estes estão procurando seguir com o restabelecimento de suas origens, se distanciando das influências estrangeiras, mais principalmente a russa e ainda temos que considerar que se os mongóis quiserem ser parte da China, terão que abdicar de praticamente quase todo o laço cultural que eles estão tentando restabelecer e adotar os princípios chineses, uma coisa que eu não vejo nem daqui a 5 anos e nem a 50 anos. A… Read more »

Marcelo Baptista
Marcelo Baptista
Reply to  Jacinto
8 dias atrás

Muito interessante seu comentário, conquistar coracoes e mentes, influencia cultural e econômica, eu também acho que é por ai que eles estão andando, mas eles ainda precisam resolver as pendencias sociais e econômicas internas, puxar a população pobre um pouco mais para cima da escala social, aumentando mais seu poder de consumo interno, no momento que chegarem neste ponto, podem se considerar 1o mundo.
Só lembrando, a China é “Comunista”, tanto quanto eu sou Marciano.

Rafael M. F.
Rafael M. F.
Reply to  Control
13 dias atrás

“Porém, não está claro porque a China, de repente, decidiu trocar uma estratégia bastante segura e de menor desgaste e que levaria (quase com 100% de certeza) ao sucesso em umas 3 ou 4 décadas, por outra que implica em mais desgaste e riscos de redundar em um conflito nuclear, algo sem sentido para quem quer dominar o mundo e não destruí-lo”

Provavelmente alguma questão de política interna, que na China é algo beeeem sensível, apesar de ser uma ditadura.

Matheus S
Matheus S
Reply to  Control
13 dias atrás

“Por que esta pressa, tão diferente da notória paciência chinesa? O que deflagrou toda esta urgência?” Talvez a China esteja dando uma resposta forte às tendências separatistas das minorias étnicas.  Pegando o gancho do fator Mongólia do comentário anterior, quando até mesmo a polícia étnica mongol e membros do PCC se juntam aos protestos pró-independência, é bastante óbvio que o separatismo anti-China penetrou profundamente nas elites étnicas mongóis. A mesma coisa ocorre em Taiwan e Hong Kong principalmente. Estes protestos em grandes escalas mostrou que a política anterior da China de incentivos às minorias étnicas não está funcionando. Permitir que estudem… Read more »

Control
Control
Reply to  Matheus S
13 dias atrás

Srs Jovem Matheus Quanto a intenção da China em assumir uma posição hegemônica mundial: Em declarações, inclusive em plenário do PCC, Xi já formalizou a intenção da China em ser a potência hegemônica mundial no aniversário de 100 anos da vitória das forças comunistas de Mao na guerra civil chinesa. A China já declarou seus projetos de instalação de bases ao longo das principais rotas comerciais, indicando, inclusive a localização delas. E, demonstrando a celeridade na aplicação de seus projetos já instalou a primeira plenamente operacional no Chifre da África e estabeleceu acordos com o Paquistão e diversos países do… Read more »

Matheus S.
Matheus S.
Reply to  Control
12 dias atrás

Se interpretar corretamente o meu comentário e colocá-lo no contexto, verá que eu disse que a China não está procurando se estabelecer hegemonicamente agora, até mesmo porque não tem condições, mas começará quando eles tiverem um poder militar, econômico e político maior do que o atual, o que deve ser para meados da década seguinte. Essa resposta foi a sua afirmação de que os chineses estão procurando acabar com a hegemonia americana agora, o que não é verdade. Isso começará para 2035 em diante, quando tiver resolvido as questões fronteiriças e outras questões na Ásia, o que é considerado como… Read more »

Control
Control
Reply to  Matheus S.
12 dias atrás

Srs Jovem Matheus Não querendo ser chato, mas já sendo: Trecho de seu comentário sobre a busca de uma posição hegemônica:   “:…não há nada que indique que eles estejam procurando estabelecer uma posição de potência hegemônica mundial, isso só começará a ser efetivado quando eles começarem a abrirem diversas bases militares mundo afora….   O que comentei: “….. Em declarações, inclusive em plenário do PCC, Xi já formalizou a intenção da China em ser a potência hegemônica mundial no aniversário de 100 anos da vitória das forças comunistas de Mao na guerra civil chinesa. A China já declarou seus… Read more »

Matheus S.
Matheus S.
Reply to  Control
12 dias atrás

Eu sempre tenho cuidado a fazer afirmações no longo prazo, ainda mais no futuro distante. Planejamentos são só isso, planejamentos, intenções. Nada mais do que isso. O brasileiro deveria estar cético ao fazer afirmações de planejamentos a longuíssimo prazo. Tudo pode dar errado e a história já mostrou isso diversas vezes. Eu afirmo novamente, a hegemonia americana estará ameaçada quando a China começar a abrir diversas bases ao redor do mundo, o que não está acontecendo atualmente, e nem se pode afirmar que a base do Djibouti é para ameaçar a supremacia americana na região. Ou seja, não há nada… Read more »

_RR_
_RR_
Reply to  Control
13 dias atrás

Bons pontos, caro Control. É provável que os chineses tenham entendido que seus inimigos em potencial não vão pagar pra ver a expansão de sua influência e o que isso irá resultar. A seguir: A Índia sempre enxergou na China seu inimigo em potencial, e tudo o que fazem visa neutralizar Paquistão e China ( abro parenteses para a construção de sua força naval que, se não supera quantitativamente os chineses, ao menos há números consistentes e que em qualidade os equivale ). Os japoneses a muito vinham ensaiando um despertar, com correntes políticas forçando uma mudança de sua legislação.… Read more »

Jacinto
Jacinto
Reply to  _RR_
13 dias atrás

_RR_
Muito bom o seu argumento e refletindo sobre o que você escreveu dá para perceber que existe algo em comum entre a China, a Índia, o Japão e os EUA: o crescimento dos movimentos nacionalistas nestes países. O Narendra Modi é nacionalista, o Shinzo Abe é nacionalista, o Xi Jinping é nacionalista e o Trump é nacionalista.

_RR_
_RR_
Reply to  Jacinto
12 dias atrás

Boa tarde, Jacinto. Obrigado. Se me permite, apenas faço uma ressalva com relação ao senhor Trump. Este indivíduo, ao que me parece, não faz a linha de um nacionalista ( no sentido estrito desse termo ). Quando ele fala na defesa dos interesses americanos perante o mundo, o é com relação a manutenção e afirmação dos direitos dos EUA enquanto país independente, e do que considera direitos comuns de seu povo frente a uma potencial ameaça ( livre navegação, por exemplo ) . Em suma, penso que ele é um soberanista antes de mais nada… Quanto aos demais, de fato…… Read more »

Emmanuel
Emmanuel
13 dias atrás

Retrato do conflito:
– China dependente de matéria prima lutando sozinha;
– Índia apoiada por todo mundo ocidental e tendo França, Alemanha, Inglaterra, Estados Unidos como alguns dos seus possíveis vendedores de armas.
E tem gente que viaja em passeio chinês. Só se for de idoso na pracinha.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Emmanuel
13 dias atrás

Não se esqueça dá Rússia que também é um dos grandes fornecedores de armas, vendeu porta aviões, caças, caças embarcados, tanques, arrendou submarinos nucleares.

Welder
Welder
13 dias atrás

Vou dar um palpite. Talvez a china de algum modo conseguiu um meio de bloquear a tríade nuclear Indiana e quer mostrar isso para as potencias nucleares, um recado do tipo eu posso destruir vocês mas vocês não podem me destruir.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Welder
12 dias atrás

Não tem como, ainda mais com a Índia estando bem do lado e podem colocar bombas nucleares até em caças. As cidades e população da China ficam concentradas em uma parte pequena do território lá no leste, um ataque nuclear ali acabaria com a China, na Índia a população ainda é bem distribuída por todo o território.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
13 dias atrás

O grande problema é os três países China, Índia e Paquistão esquentarem as cabeças e resolverem ir para tudo ou nada por causa de uma fronteira. Ae o mundo vai pagar por um passo mal pensado e desastroso. E nós que vivemos o século XX pensando que o mundo iria acabar com uma guerra entre os EUA x URSS heim…

Jacinto
Jacinto
Reply to  Luiz Trindade
13 dias atrás

Os três países já guerrearam antes sem recorrer às armas nucleares, mesmo as tendo. Acho difícil a coisa descambar para isso, mas a possibilidade de uma guerra convencional por lá está aumentando. Eu acho que a China se mete em alguma guerra regional em menos de uma década.

Rafael M. F.
Rafael M. F.
Reply to  Jacinto
12 dias atrás

Na verdade, não tinham armas nucleares quando entraram em confronto.

A China detonou sua primeira bomba nuclear em 1964. A Índia em 1974. O Paquistão, em 1998.

A guerra sino-indiana foi em 1962, e as duas guerras indo-paquistanesas foram em 1965 e 1971.

O que hoje ocorrem são breve escaramuças nas áreas contestadas, em diversas ocasiões sendo combate corpo-a corpo sem envolvimento de armas de fogo.

Antunes 1980
Antunes 1980
13 dias atrás

A China não teria menor chance contra a Índia em um conflito não nuclear de médio prazo.
O corte do abastecimento chinês através do mar da China ja seria suficiente para colocar o dragão de joelhos. Sem comida, combustível e suprimentos nenhum país do mundo consegue sobreviver por muito tempo.

Carlos Alberto Soares
12 dias atrás

Imagens do confronto Hindu x Dragão, dia 8 pp, imperdível:

https://www.youtube.com/watch?time_continue=21&v=QVEHZ5fVzeQ&feature=emb_title

Alexandre
Alexandre
12 dias atrás

É questão de tempo para termos uma guerra entre China x Índia

Joanderson
Joanderson
12 dias atrás

Em casa de guerra china x índia a Índia não tem a menor chance o poder militar chinês aliado o gigantesco poder industrial da a eles uma vantagem esmagadora.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
11 dias atrás

Esses chineses falam muito… “tiro para o auto”??? As armas de mão também devem ser provisorias…