Home Indústria de Defesa OPINIÃO: Como os EUA podem impedir o Irã de colocar ICBMs na...

OPINIÃO: Como os EUA podem impedir o Irã de colocar ICBMs na Venezuela?

4481
141

Por Benjamin Weil*

Agora que o dia da eleição já passou, o presidente dos EUA precisará alocar mais tempo para tratar dos acontecimentos no exterior. Um desses desenvolvimentos é o plano do Irã de contrabandear ICBMs para a Venezuela. Esses mísseis têm capacidade de atingir toda a costa leste dos EUA, bem como partes do meio-oeste e sudoeste.

Muito tem sido escrito sobre essa ameaça, mas não há muitas sugestões de como os EUA podem evitá-la. Eu gostaria de sugerir algumas políticas, algumas das quais dão aos EUA mais tempo para enfrentar essa ameaça, enquanto outras podem impedi-la por completo. Essas políticas pretendem complementar as sanções existentes e as iniciativas de “campanha de pressão máxima” que já estão em vigor.

Antes de delinear essas opções de política, devemos entender como o Irã opera e estimar suas capacidades. Com sua estratégia no Oriente Médio, a República Islâmica visa afastar qualquer guerra futura de suas fronteiras. Começou criando forças de milícia em toda a região e depois estabeleceu rotas de contrabando para armar esses grupos. Isso permite que o Irã ameace seus inimigos por meio de procuradores (proxies), sem ter que arcar com qualquer responsabilidade ou consequência. Um exemplo clássico dessa estratégia é o Hezbollah no Líbano, na fronteira norte de Israel.

Além disso, o Irã cultivou relacionamentos próximos com países latino-americanos nas últimas décadas; principalmente com Venezuela, Colômbia e Bolívia. A maior parte das atividades do Irã na América Latina é realizada por meio do IRGC e da unidade 910 do Hezbollah. Enquanto os EUA continuam sua pressão paralisante sobre o Irã, e com o término do embargo de armas da ONU, tornou-se claro que o Irã gostaria de copiar seu modelo do Oriente Médio na América Latina estacionando ICBMs no quintal da América – a Venezuela.

Para que qualquer resposta política seja bem-sucedida, os EUA devem primeiro ser capazes de detectar quando uma remessa contém mísseis e quando não. A primeira política que eu recomendaria é que nossa comunidade de inteligência tenha pessoas em terra nos portos iranianos e venezuelanos. A coleta de informações sobre os canais logísticos, o momento dos embarques e o acesso a aviões e navios é crucial. O assassinato bem-sucedido de Qasem Soleimani é em parte atribuível a essa tática precisa. Eu recomendaria à espionagem americana, que pode já estar em andamento, para explorar portos específicos. Essa ação por si só não vai ganhar tempo, nem vai impedir os embarques iranianos, mas vai garantir que qualquer ação que tomemos contra essa ameaça será baseada em informações precisas.

A segunda recomendação seria diplomacia. Semelhante ao que temos feito na Europa, devemos nos unir aos nossos aliados latino-americanos para designar o Hezbollah, em suas armas – tanto políticas quanto militares – como uma organização terrorista. Isso desaceleraria a atividade iraniana na América Latina e ganharia algum tempo.

O próximo passo seria expulsar o Irã dos vários blocos comerciais e organizações na América Latina. Impedir que o IRGC e o Hezbollah operem na América Latina enfraquecerá a logística do Irã na área e forçará Teerã a se concentrar apenas em suas alianças mais fortes – permitindo que a América concentre seus esforços em um punhado de países em vez de em toda a região.

Por fim, os EUA devem colaborar com os países africanos. O Irã recentemente conseguiu voar um avião Boeing 747, pertencente a uma companhia aérea sancionada pelos EUA associada ao IRGC, para Caracas. Enquanto a distância entre Teerã e Caracas é de aproximadamente 12.000 km e um Boeing 747 é capaz de voar 14.000 km (de acordo com o site da Boeing), o avião iraniano teve que parar na África em seu caminho, supostamente para reabastecer. Tendo os países africanos proibido o Irã de reabastecer na África, ou melhor ainda, não permitindo as companhias aéreas iranianas em seu espaço aéreo, forçaria o Irã a voar em aviões sobre todo o continente africano, aumentando assim os voos para mais de 21.000 km – além do alcance de 747. Isso impediria completamente qualquer avião de carga de transferir ICBMs iranianos para a América Latina e reduziria as opções do regime apenas aos navios de carga.

Embora as sanções e atividades navais americanas no Golfo Pérsico e no Oceano Atlântico tenham sido capazes de evitar inúmeras violações de sanções pelo Irã, elas não tiveram 100% de sucesso. Se quisermos evitar a próxima “Crise dos Mísseis de Cuba”, devemos continuar com a pressão financeira sobre o Irã e adicionar camadas diplomáticas e de inteligência a esses esforços.

Benjamin Weil é o diretor do Projeto para a Segurança Nacional de Israel no Endowment for Middle East Truth (EMET), um instituto político e de reflexão pró-Israel e pró-americano em Washington, DC. Anteriormente, ele atuou como conselheiro internacional do Ministro Yuval Steinitz, membro do Gabinete de Segurança de Israel e Ministro de Energia de Israel.

FONTE: Newsweek

Subscribe
Notify of
guest
141 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Diego m
Diego m
2 meses atrás

se chegar a acontecer isso vai forçar o brasil a se armar também pois a Venezuela vai começar a se achar grande

Mgtow
Mgtow
Reply to  Diego m
2 meses atrás

Forçar o Brasil porque minion? Que eu saiba esse B.O aí é com os EUA.
Ah ja sei, vcs minions querem que o Brasil seja o cãozinho de guarda dos interesses estadunidense. Toma vergonha nessa cara rapaz. esse capachismo chega a ser nojento

Nelson
Nelson
Reply to  Mgtow
2 meses atrás

EUA sempre foram bons amigos e irmãos!

Cristiano. de Aquino Campos
Cristiano. de Aquino Campos
Reply to  Nelson
2 meses atrás

Estta falando sério? Sempre vetam acesso a técnologia de ponta na area espacial e nuclear, sobretaxam nossos produtos, nos mandam brigar com a China para em seguida vender o que deixamos de vender para eles.
Lembrando que hoje e o IRAN, amanhã a noticia pode ser, o que os EUA podem fazer para impedir o Brasil de ter a bomba atômica e misseis balisticos?

Junior
Junior
Reply to  Cristiano. de Aquino Campos
2 meses atrás

Não precisamos repetir o mesmo assunto. Ninguém entrega tecnologia gratuitamente. Brasileiro e outros povos, têm mania de culparem os EUA pelas próprias incompetências. Se houverem vontade política e organização, podemos desenvolver o que acreditarmos!

nonato
nonato
Reply to  Mgtow
2 meses atrás

Falou o seguidor de Maduro.
Aluno da pátria educadora de Dilma.

Marcos
Marcos
Reply to  Mgtow
2 meses atrás

Argumente esquerdista. É melhor ser capacho dos EUA do que de Cuba.

Mgtow
Mgtow
Reply to  Marcos
2 meses atrás

Eu ja esperava por comentarios com o seu. Tipico dessa laia de lambe botas do bolsonarismo.
Então minion, o melhor mesmo é não ser capacho de ninguem

Mage
Mage
Reply to  Mgtow
7 dias atrás

Gostaria de sugerir e respeitosamente solicitar à moderação que em nome do bom convívio neste ambiente não aprove posts com o tipo de linguajar acima manifestado. “Minion” “minions” “cãozinho de guarda” “toma vergonha nessa cara” “capachismo”, “nojento”. O post do Diego colocou educadamente uma situação teórica plausível, inerente ao tópico e em resposta recebeu uma saraivada de ofensas gratuitas, em um nível digno dos piores degraus do dolo. Não se trata de brincadeira, calor normal ao debate ou nem sequer jocosidade entre colegas. Fica claro o intuito de injuriar, o que constitui no mínimo crime em tese por ser conduta… Read more »

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Diego m
2 meses atrás

Já estamos fazendo isso com tecnologia nacional!

nonato
nonato
Reply to  Diego m
2 meses atrás

Melhor não haver esses mísseis.
Nenhum sistema de defesa protege contra esses mísseis.
Pelo menos não protegeu a base militar americana no Iraque.

Salim
Salim
Reply to  nonato
2 meses atrás

O iron dome israelense protege. E só comprar ou reproduzir alguma coisa aqui e completar com sistema israelense.

Teropode
Reply to  Diego m
2 meses atrás

Correto , o melhor a fazer é termos os nossos e pulverizar a venefavela caso ela nos ataque primeiro .

Up The Irons
Up The Irons
2 meses atrás

Será que agora sairá nosso sonhado sistema de defesa antiaérea de médio ou longo alcance?

Luiz
Luiz
Reply to  Up The Irons
2 meses atrás

“Porque precisamos de um? O Brasil é uma pais pacífico, não temos inimigos e nenhum perigo nos ronda. Na verdade as Forças Armadas são até dispensáveis nesse país maravilhoso que é o Brasil, um oásis de paz, harmonia e tranquilidade nesse mundo conturbado em que vivemos. Somos e sempre seremos respeitados pelas outras nações.” Infelizmente este é o pensamento da maioria dos nossos políticos e de parte da nossa população. Eu só sei que a coisa tá ficando feia, o tempo tá passando, o prazo está se esgotando e quando os responsáveis abrirem o olhos, será tarde demais, se é… Read more »

Pablo
Pablo
Reply to  Luiz
2 meses atrás

é só dizer que esse míssil, caso chegue a Venezuela, pode atingir o congresso, é a mais do que uma justifica pra defesa. Afinal, os nossos gloriosos representantes não vão querer correr riscos né, ou mudam o congresso mais pro sul, em Gramado por exemplo rsrs

Last edited 2 meses atrás by Pablo
Rogério Loureiro Dhierio
Rogério Loureiro Dhierio
Reply to  Pablo
2 meses atrás

Você acabou de matar a possibilidade de termos o sistema antiaereo de longo alcance. Deu uma ideia ideal para resolver os problemas. Kkkkkkkk

Pablo
Pablo
Reply to  Rogério Loureiro Dhierio
2 meses atrás

hahaha

Salim
Salim
Reply to  Pablo
2 meses atrás

Dinheiro tem, culpar congresso e fácil. Cadê propostas das forças?????. Náo tem. EUA utiliza misil curto alcance e Israel também em sua baterias anti aéreas. Porque náo utilizamos radar m60 /m200 piranha2 e adarter?? Preguiça e falta patriotismo e só trabalhar que acontece.

sj1
sj1
Reply to  Luiz
2 meses atrás

Recentemente uma estagiária de direito lá onde trabalho falou mais ou menos isso “nós não somos ameaça pros outros” daí eu contra argumentei : “Voce pensa isso, mas será que eles pensam o mesmo lá fora” ?

jef2020
jef2020
Reply to  sj1
2 meses atrás

Nova geração está com a cabeça feita…a maioria…fora raras exceções

nonato
nonato
Reply to  jef2020
2 meses atrás

Está cheio de comunistas torcendo pelo Irã, Venezuela, China.
Comunistas caviar.
Não sabem nem o que defendem.

sj1
sj1
Reply to  Luiz
2 meses atrás

Os militares tbm tem culpa em não esclarecer a naçào do risco e permitir uma CF como a de 88.

Last edited 2 meses atrás by sj1
jef2020
jef2020
Reply to  sj1
2 meses atrás

Acho que tem muiiiitttta responsabilidade…entregaram o galinheiro na mão da raposa

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  sj1
2 meses atrás

Não cabe a militar avaliar ou deixar de avaliar o conteúdo de uma Constituição.
Deve obedecê-la.
E só.

sj1
sj1
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

Por esse pensamento que estamos sem rumo no país

Nlms
Nlms
Reply to  sj1
2 meses atrás

O rumo do país não são os militares.

Podemos nos militarizar sem botá-los pra fazer constituição.

Cristiano. de Aquino Campos
Cristiano. de Aquino Campos
Reply to  sj1
2 meses atrás

Criticar e facil, más como seria a constituição do Brasil em sua opinião. Lembrando que ela deve ser democrática, respeitar os direitos humanos e o estado de direito.

Daniel7440
Daniel7440
Reply to  sj1
2 meses atrás

Na verdade é o seu pensamento que nos deixou sem rumo. Militar não tem que dar pitaco em Direito. O Brasil, desde sua gênese, padece desse mal: as pessoas querem um messias que venha salvar tudo e todos. E acham que um cidadão, só por vestir verde oliva, se torna mais apto a tomar decisões do que os demais. Vejamos na Europa, nos EUA e no Japão, exemplos de desenvolvimento, se as constituições foram escritas ou se precisaram passar pela aprovação de militares…

Cristiano. de Aquino Campos
Cristiano. de Aquino Campos
Reply to  Daniel7440
2 meses atrás

Bingo!

Andre
Andre
Reply to  Daniel7440
2 meses atrás

A do Japão teve…o exemplo foi ruim, mas concordo com você. Temos que nos espelhar nos países desenvolvidos, fazer aquilo que todos os 25 maiores IDHs fizeram.

Marcos Reis
Marcos Reis
Reply to  sj1
2 meses atrás

Estamos sem rumo, não, estamos afundando e regredindo por causa de imbecis mamadores de saco de Trump, que aliás ficaram órfão.

Salim
Salim
Reply to  sj1
2 meses atrás

Estamos sem rumo porque educação de qualidade e cívica e relegada a segundo plano desde governo militar e perpetuada por governos seguintes. Por 300 Caraminguá o capitão cloroquina e pai do povo no nordeste. Comandar incultos e mais fácil. Veja exemplo educacional Coréia sul / Israel e maioria paises desenvolvidos.

Alessandro
Alessandro
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

O STF não pensa assim, e deveriam ser os primeiros a obedecer essa regra rsrs…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Alessandro
2 meses atrás

O STF tem a atribuição de julgar se alguma lei é inconstitucional.

Alessandro
Alessandro
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

Não xing, o STF é um TRIBUNAL como já diz seu próprio nome, eles não podem LEGISLAR em causa própria ou de terceiros como manda a constituição.

Eles vem favorecendo uma classe elitizada que não tem nenhum compromisso com o país, fingindo ser uma espécie de “agente social” do Estado um papel na qual não foi atribuído a eles, estão na profissão errada.

Quem concorda com oq eles vem fazendo seja para beneficiar político A ou B, está compactuando com os interesses desses agentes nocivos, portanto não pode reclamar da IMPUNIDADE que impera no Brasil.

Last edited 2 meses atrás by Alessandro
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Alessandro
2 meses atrás

Eles não estão legislando.
Na ausência de atuação dos incompetentes Poderes Executivo e Legislativo, ele faz interpretações das lacunas das Leis.
Não tente jogar para a galera com algo que não é verídico.

silvom
silvom
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

exatamente

Cristiano. de Aquino Campos
Cristiano. de Aquino Campos
Reply to  Alessandro
2 meses atrás

Depende da sua interpretação das regras. As vezes, eles estão decidindo exatamente como as regras dizem que tem que ser. Más se você não concorda, fica dificil.
E que nem batida no transito, todos os envolvidos, podem estar errados más o mais errado, sempre vai achar estar mais certo.

Salim
Salim
Reply to  Alessandro
2 meses atrás

O grande erro foi jogar crime de políticos no STF. Esta corte deveria julgar aplicação e constitucionalidade de leis. Julgar habeas corpus de líder PCC ou dono corrupto de empresa de ônibus e que desvirtua corte e joga juizes para julgar corrupção, e com incompetência e indícios de corrupção em alguns membros desta corte.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

Isso mesmo Kings, milico é funcionário, tem que obedecer quieto. Senão, procure outro rumo.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Defensor da liberdade
2 meses atrás

Perfeito.

Alessandro
Alessandro
Reply to  Defensor da liberdade
2 meses atrás

Concordo em 100%, pena que pessoas como vc e o xing RELATIVIZAM essas questões de ordem pública, e não exigem esse mesmo tratamento ao STF que tbm são funcionários pagos com dinheiro público.

Cobram com rigor corretamente de um, mas PASSAM PANO para outros setores, e depois na maior cara de pau reclamam da impunidade no país, e exigem soluções rápidas de uma instituição governamental ou pessoa.

Aquela frase: “brasileiro precisa ser estudado pena NASA” nunca foi tão perfeita rsrs…

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Alessandro
2 meses atrás

Se você se refere à prisão em segunda instância, saiba que não há nenhuma lei dizendo em qual instância pode haver prisão, era um entendimento nos tribunais que pode ser mudado justamente por ser um entendimento, não uma lei. Tanto é que agora querem alterar o CPP para permitir que haja prisão após segunda instância.

Neste caso tem nem o que discutir, o STF não extrapolou suas funções.

Pedro
Pedro
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

Pois é, em 1889 eles nao pensaram assim e muitos passam o pano ate hj!

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Pedro
2 meses atrás

As intervenções militares na política brasileira não várias.
Das de grande monta (contra Vargas, João Goulart e Dilma) como as quarteladas que insuflaram a vida nacional (contra a posse de JK, Aragarças, Jacareacanga e etc.).
O resultado disso nós podemos ver pela debilidade do sistema político nacional.
Sem contar a quase eterna crise econômica que está acabando com o País.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

Sem falar de Prestes e o tenentismo.

Lucas
Lucas
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

Exato.
Só no Brasil pro pessoal achar que militar sabe mais de política.
Nunca vi tamanho fetiche por intervenção militar. Muito vira latismo.

Caio
Caio
Reply to  sj1
2 meses atrás

O que eles devem esclarecer é porque custam tanto, mas o nosso país é militarmente fraco.

Elias E Vargas
Reply to  Caio
2 meses atrás

Pessoal, existe muita matéria a respeito de segurança, defesa, até atlas, eu recebo muita materia acadêmica, nesse sentido. Muito importante, tem muitas pessoas do sexo feminino engajadas e escrevendo materias muito profundas e interessantes. o que precisa é mais divulgação para a sociedade. Estamos muto fechados em circulos restritos, precisamos de abertura para que todos tomem conhecimento do que esta acontecendo aqui e no mundo, pois apesar dos nossos problemas somos invejados e alvos de diversas formas de ataques, como as que vieram com as sementes contaminadas através dos correios (só para exemplificar).

Lucas
Lucas
Reply to  sj1
2 meses atrás

Amigo, essa história da constituição é cortina de fumaça.
Uma constituição nova deveria ser muito bem pensada e elaborada por todos setores da sociedade. Claramente não só por militares.
Eles lançam esses boatos no ar pra manter a base deles engajada e atiçada. Que é exatamente o que estás fazendo.
Mas isso não é a solução. Ao menos não da forma como é apresentada.

Lucas
Lucas
Reply to  Lucas
2 meses atrás

Parecido com o Trump falando de fraude nas eleições.
Ele não vai apresentar nenhuma evidência (pq ele não tem).
Mas ele fala isso pra atiçar a base dele, ganhar apoio e de repente fazer alguma manobra que vá beneficiar ele.
Entende, eles falam o que vocês querem ouvir, independente de ser verdade ou não.

silvom
silvom
Reply to  sj1
2 meses atrás

o que militares tem a ver com constituição?

M.@.K
M.@.K
Reply to  silvom
2 meses atrás

Acho que vc quis dizer poder constituinte originário, não?

jef2020
jef2020
Reply to  Luiz
2 meses atrás

Olá amigo…no começo até assustei com sua declaração até ver que tratava-se de ironia…vc tem toda razão…o pior tem um montão aqui dentro que acha que tá certo pressionar o Brasil para cuidar bem da amazônia!!! Caem facinho nessa narrativa, a rede plim plim e cia fizeram um trabalho perfeito…geração inteira com cabeça de vento…não enxergam que essa política não se aplica lá nessas potências…o que mais me espanta é a omissão de nossas FAAs…deixaram chegar no estado que nos encontramos…agora quero ver…e me parece que a amazônia passará a ser a bola da vez nessa década…aguardemos e vejamos o… Read more »

Luiz
Luiz
Reply to  jef2020
2 meses atrás

Sim, jef2020, infelizmente esta é a triste realidade.

sj1
sj1
Reply to  jef2020
2 meses atrás

FFAAs entregaram o país nas mãos dos civis como um cheque em branco, pra fazer o que quiserem, deu no que deu…país indefeso contra uma agressão, STF governando e legislando, deputado agindo como primeiro ministro, juízes governando, parlamento boicotando o país…

Last edited 2 meses atrás by sj1
Salim
Salim
Reply to  sj1
2 meses atrás

Gastamos em defesa usd 25 bi ano, entre dez maiores gastos mundo. O que temos hj???? Um cabidao empregos, meios obsoletos e em pouca quantidade. Se militar fosse bom, teríamos forca enxuta e meios de ponta e com quantidade compatível.

Comte. Nogueira
Comte. Nogueira
Reply to  Luiz
2 meses atrás

Esse discurso demagógico de que o Brasil é um país pacífico cai por terra quando verificamos os números de homicídios e mortes no trânsito provocadas por irresponsáveis que ficam impunes. Só para ficarmos nesses dois exemplos.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Comte. Nogueira
2 meses atrás

Putz, o que tem a ver pacifismo com nego atropelar o outro por que estava bêbado? Ninguém sai de casa para encher a cara com a intenção de atropelar alguém na rua. Eu já dirigi bêbado várias vezes e nunca atropelei ninguém.

Pacifismo é a relação do Brasil com outros povos, buscar o diálogo ao invés de mandar bala em todo mundo.

sj1
sj1
Reply to  Defensor da liberdade
2 meses atrás

Nós somos pacíficos com eles lá fora… a pergunta é: eles tbm o serão ?

Mage
Mage
Reply to  Comte. Nogueira
7 dias atrás

Qualquer pessoa que tenha a mínima noção de História e não seja mal intencionado sabe que um país “pacífico” como esse que só existe na ideia deles dificilmente estaria repousado sobre um território do tamanho do nosso. Tudo aqui foi difícil de fazer e difícil de manter até chegarmos aos dias atuais. Custou vidas, batalhas, alianças, tomadas de decisão e poder de guerra. Se fossemos um país “pacífico” hoje estaríamos mais fragmentados que a América Espanhola. Nos dias atuais, mesmo em metrópoles como o Rio de Janeiro, ainda há locais que o Estado precisa de poder militar e de combate… Read more »

Mage
Mage
Reply to  Luiz
7 dias atrás

Muito bem colocado Luiz. Esses que pensam assim são os mesmos que quando o clima esquenta arrotam a superioridade militar de quem ameaça nossos interesses ou diretamente nos prejudica.
O pensamento antinacional, antidemocrático e subimisso a uma agenda e identidade ideológica com o que há de pior perspassa toda a malha de sentimentos e ações de quem quer o Brasil e seu povo na condição de uma nação fraca e desarmada contra aqueles que nos ameaçam ou porventura venham a ameaçar.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Up The Irons
2 meses atrás

Talvez, se os militares e políticos não forem tão inconsequentes quanto eu imagino que sejam.

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  Up The Irons
2 meses atrás

Não ! O comando não quer, este tipo de esquipamento onera muito o orçamento, e o orçamento de defesa brasileiro e destinado a coisas mais importantes como as vilas militares padrão classe média alta dos oficiais, pensões, clubes de hipismo,buffets etc…

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
2 meses atrás

Um problema é que o Irã não tem ICBMs ou mísseis de cruzeiro desse alcance.

Tudo isso objetivando uma tentativa de impor um bloqueio naval à Venezuela.

Brunow
Reply to  Evgeniy (RF).
2 meses atrás

Boa parte no mundo não sabe o que é um ICBM, e o cara que escreveu o texto pode ser um deles..
Outro detalhe que, ele não deva saber é que sanções não impede um país em ter suas armas, um bom exemplo é a Coréia do Norte e o próprio Irã..

Last edited 2 meses atrás by Brunow
gordo
gordo
Reply to  Evgeniy (RF).
2 meses atrás

Só faltou falar das armas químicas de destruição em massa que estavam no Iraque e agora estão na Venezuela e o Irã vai providenciar os vetores para que elas funcionem de maneira adequada. Sem prova alguma, apenas achismo e mais achismo. Quero deixar claro que não morro de amores por Maduro, mas isso não é motivo para acreditar num conto desses. Notem, o Irã acaba de sair de sanções bem rígidas e duvido que vá colocar em risco sua economia por causa da Venezuela e já basta para Ele o pepino que tem na Síria e no Yemen. Basta raciocinar… Read more »

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
2 meses atrás

Já passou da hora do Brasil desenvolver o próprio ICBM se até a Venezuela vai ter

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  SmokingSnake 🐍
2 meses atrás

Não temos nem competência para construir um VLS confiável, que dirá um ICBM…

Pablo
Pablo
Reply to  Adriano Madureira
2 meses atrás

competência eu acredito que sim, ta mais pra falta de vontade politica.

Hélio
Hélio
Reply to  Adriano Madureira
2 meses atrás

O VLS era um ICBM, camarada e temos competência sim, o que falta é vontade.

Mage
Mage
Reply to  Hélio
7 dias atrás

Exatamente. Vontade e coragem.

Agressor's
Agressor's
Reply to  SmokingSnake 🐍
2 meses atrás

Se pararmos pra refletir nos daremos conta de que as potências dominantes se fazem a mesma pergunta, de como podem impedir programas estratégicos daqui como o nosso programa espacial.

sj1
sj1
Reply to  Agressor's
2 meses atrás

Tem várias maneiras de manter um gigante como nós na dependencia e no atraso tecnológico. Uma das mais usadas é o FMS, que de tÃo eficiente chega a ser brilhante, compramos sucata a preço de banana e nossa indústria não produz , um mecanismo perfeito para não sermos competidores. Índia, Coréia do Sul, Japão e Alemanha não entram nessa canoa.

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  sj1
2 meses atrás

FMS não é de graça, tem uma taxa de 10% sobre o preço da mercadoria. No custo da banana se inclui o custo administrativo do FMS.

Salim
Salim
Reply to  sj1
2 meses atrás

Concordo com VC porem como VC exemplificou náo e culpa deles e falta visão e patriotismo de nossos militares. Acabaram com engesa e Osório e pouco depois compraram m60 e leo1 bem inferiores ao tamoio 3 e. Osório, somente como exemplo.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  SmokingSnake 🐍
2 meses atrás

Não creio que a Venezuela e o Irã estejam preocupados com o Brasil.
A preocupação deles é outra.
Na direção contrária.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

Será que tem bagu 8 nos EUA

Salim
Salim
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

O objectivo e desestabilizar região criando conflito quintal EUA. Uma guerra entre Venezuela, Colômbia, Brasil e Guiana cairia como uma luva para patrocinadores da mesma contra EUA ( China, Rússia e ira ) forçaria EUA a negociar Taiwan, Ucrânia e embargo Ira para acabar bagunça no seu quintal. Infelizmente Brasil seria arrastado neste imbróglio.

Mage
Mage
Reply to  Salim
7 dias atrás

De todos os envolvidos o que faço mas fé de se propor a uma guerra é a Colômbia. Deixaram de fazê-lo até aqui e a consequência prática é que os interesses Venezuelanos convergem para uma remobilização das FARC. Um cenário teórico para uma participação brasileira em uma solução militar para a instabilidade política regional gerada pelo regime de Maduro seria cooperação apoio interno em solo Colombiano às tropas daquele país, preferencialmente sob regime jurídico de força de paz, neutralizando guerrilhas. Seria em paralelo um enorme adestramento para a FAB. Temos excelentes meios aéreos contrainsurreição, poderia ser a oportunidade de equipá-los… Read more »

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  SmokingSnake 🐍
2 meses atrás

Desenvolver para que? Para as forças amadas não comprarem? Porque e isso para que serve quase todo desenvolvimento militar do Brasil, para pegar dinheiro da Finep e depois não adquirir, vide o MAR 1,o piranha II,o Ar Darter e um monte de projetos da Avibras,Mectron,Imbrafiltro, Engesa etc.
Quando o comando militar brasileiro vai adquirir alguma coisa e de fora onde o lobby e em dólar, e adquire a “incrível quantidade dissuasoria” de umas duas ou três unidades, ou seja nada.
O exército brasileiro se resume a conscrito de Fal/Imbel na mão dentro de M113 recalchutado de nada mais.

Allan Lemos
Allan Lemos
2 meses atrás

Se o Brasil tivesse mantido sua postura de neutralidade no Oriente Médio, poderíamos convencer o Irã a não colocar esses mísseis na Venezuela, nós teríamos muito mais a oferecer aos persas do que o Maduro, então acho que eles estariam abertos a um acordo. Mas agora não há chances disso acontecer graças à diplomacia tosca do Governo Federal. E o pior é que não teremos nem Trump para nos ajudar. Geopolítica não é mesmo para amadores, poucos players sabem jogar esse jogo, e nós, infelizmente, não somos um deles.

Zé Quinudo
Zé Quinudo
Reply to  Allan Lemos
2 meses atrás

Como convenceríamos eles? O que ofereceríamos em troca da venda desses mísseis para a venezuela?

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Zé Quinudo
2 meses atrás

Qualquer coisa que faça parte da lista de produtos que eles importam de nós regularmente.

Zé Quinudo
Zé Quinudo
Reply to  Allan Lemos
2 meses atrás

Qualquer coisa tipo… ? Nos dê um exemplo e explique pq eles aceitariam.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Zé Quinudo
2 meses atrás

Como eu já disse, qualquer coisa que eles exportem de nós, não trabalho na Apex, então não posso dar detalhes.

Por quê eles aceitariam? Ora, o Irã está atolado de sanções, tem muitas dificuldades para adquirir insumos básicos no mercado internacional, poderíamos ser uma boa alternativa.

Zé Quinudo
Zé Quinudo
Reply to  Allan Lemos
2 meses atrás

Como eles conseguem produzir todos esses mísseis com sanções? Como conseguem os insumos? Se não me engano até puzeram um satélite em órbita recentemente.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Zé Quinudo
2 meses atrás

Você acha que é preciso ter carne de frango para produzir um ICBM?

Zé Quinudo
Zé Quinudo
Reply to  Allan Lemos
2 meses atrás

É preciso comer, certo? Mas… se eles passam tantas dificuldades e restrições porque ainda sim não abrem mão do desenvolvimento desses mísseis?

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Zé Quinudo
2 meses atrás

Por que os mísseis aquietam os ânimos dos que queiram se aventurar por lá.

Zé Quinudo
Zé Quinudo
Reply to  Defensor da liberdade
2 meses atrás

Então, sem chance deles desistiriam dos mísseis por caipirinha e gostosas?

Cristiano. de Aquino Campos
Cristiano. de Aquino Campos
Reply to  Zé Quinudo
2 meses atrás

Petroleo por comida?

Zé Quinudo
Zé Quinudo
Reply to  Cristiano. de Aquino Campos
2 meses atrás

Luxo por soberania, conforto por liberdade… Esses caras sabem o que querem, não vão arredar o pé por pelo que lhes é caro.

Luiz
Luiz
Reply to  Allan Lemos
2 meses atrás

O Brasil convencer o Irã?! Só rindo!

Ted
Ted
Reply to  Luiz
2 meses atrás

Os mísseis virão desmontados dentro de submarinos e estocados dentro de bunker subterrâneos onde o iran é doutrinado em tais construções. Inclusive os EUA já admitiram não ter tecnologia para alcançar os depósitos iranianos sob as montanhas rochosas.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Luiz
2 meses atrás

Você não deve saber como a diplomacia funciona, não é?

Wilson França
Wilson França
Reply to  Luiz
2 meses atrás

O Irã é um parceiro comercial significativo do Brasil. Vá pesquisar.
Muito mais relevante que a Venezuela.

Hélio
Hélio
Reply to  Luiz
2 meses atrás

E o Brasil já não convenceu na questão nuclear? Não adianta defender as asneiras do governo dizendo que o Irã não aceitaria as propostas brasileiras, o Irã sempre foi muitíssimo aberto ao Brasil e tem em nós um de seus melhores parceiros, entretanto jogaram isso fora para tornar o Brasil uma literal marionete de birrinha internet. Olha aí a conta chegando.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Hélio
2 meses atrás

É justamente a isso o que eu me referia, o Brasil tinha um bom relacionamento com o Irã, e também com os países árabes graças a nossa postura de neutralidade. Mas em pouquíssimo tempo, tudo isso foi jogado fora graças à ideia idiota do Governo de querer levar a embaixada a Jerusalém. O que ganhamos com isso? Absolutamente nada. Só perdemos o bom trânsito que tínhamos na Oriente Médio.

DanielJr
DanielJr
Reply to  Allan Lemos
2 meses atrás

Os iranianos nunca perderiam uma chance dessas de cutucar seus inimigos em troca de um acordo conosco. Não temos nada para dar em troca, imagine deixar de instalar mísseis próximo dos EUA fazendo com que eles aumentem os gastos militares, de inteligência e diplomacia em troca de milho, açúcar e carne de frango. Nunca fariam. Se nossos políticos e boa parte da população levasse o assunto defesa a sério, em vez de tentar bajular os persas, diríamos “se lançarem essas armas, nós as abateremos e depois destruiremos os lançadores e demais equipamentos relacionados” e ponto.

Bjj
Bjj
Reply to  Allan Lemos
2 meses atrás

Era exatamente isso que iria dizer. Se tivéssemos mantido relações minimamente razoáveis com Venezuela e Irâ poderíamos convencer pelo menos algum deles a não seguir adiante com esse negócio que pode trazer mais instabilidade para a região. Mas a forma como nossa política externa tem sido tocada, especialmente no caso da Venezuela mas também do Irã (lembram dos navios iranianos que o governo fez pressão para não reabastecer para agradar os EUA? ) faz justamente o contrário, serve quase como um incentivo para este tipo de negócio. Ainda não me conformo como no Brasil para qualquer emprego simples é cobrada… Read more »

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Bjj
2 meses atrás

Infelizmente esse nosso paspalho em chefe não passa de um idiota deslumbrado, que acredita fielmente na sua pseudo-amizade com os eua e o Orange Man,que só sabe fazer concessões a Washington sem impor nada em favor do Brasil. Estamos nós distanciando da China,que agora já está a comprar soja da Tanzânia,e agora Bolsoasno pode até impedir a China de participar do leilão da implementação da tecnologia 5G,acreditando na alegação americana de espionagem,entrando no meio da briga Pequim vs Washington… Sob o argumento da segurança nacional, os americanos têm pressionado para que o Brasil deixe a empresa de fora do megaleilão… Read more »

Pedro
Pedro
Reply to  Allan Lemos
2 meses atrás

O Brasil JAMAIS foi neutro no Oriente Medio e nos ultimos 30 anos sempre estivemos do lado desse tipo de “governo” de lá. A opiniao do Brasil ao resto do mundo estava no zero, um anao diplomatico. Hj que voltamos a ser visto como algum país e nao uma republiqueta governada por bandidos como eramos.

José Carlos David
José Carlos David
2 meses atrás

Tem que fazer como Israel. Todo mundo sabe que eles têm armas nucleares, mas ele negam. Em discussão sobre armamentos, só sentam nas mesas de discussão as nações armadas. As nações desarmadas só abaixam a cabeça, cumprem ordens e são humilhadas!

sub urbano
sub urbano
Reply to  José Carlos David
2 meses atrás

Israel não tem nukes. É uma fake news igual essa q vc acabou de ler na matéria.

Luiz Mendes
Luiz Mendes
Reply to  sub urbano
2 meses atrás

Israel tem mais de 200 ogivas nucleares distribuidas em sua triade nuclear.
Algumas estão acopladas em mísseis de cruzeiro dentro dos submarinos Dolphin, outras em MRBMs. Jericho e também possuem tactical nukes para serem empregadas nos F-15 e F-35.

A unica fake news aqui é essa estória de ICBM desdentado iraniano ir parar na Venezuela.

Hélio
Hélio
Reply to  Luiz Mendes
2 meses atrás

Você tem provas do que está dizendo, ou só está fazendo uma defesa tresloucada como sempre?

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Hélio
2 meses atrás

Eu frequentava com uma certa uma certa regularidade, o Belfer Center na Harvard University. O centro esta dedicado as discussoes sobre a proliferacao e controle de armas nucleares. As 200+ ogivas nucleares foi produto dos calculos do enriquecimento de Uranio na usina Dimona no deserto do Negev, desde os anos cinquenta ate o final do anos 90. No se sabe precisamente o numero total. Ha quem diga que o arsenal seja quase o dobro desse valor mencionado. Tal quantidade serve com deterrencia contra potencias nucleares como Russia e China. Essse e um tema que me interessa desde bem joven. Li… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Tadeu Mendes
Jean Jardino
Reply to  Luiz Mendes
2 meses atrás

Quem disse que Israel tem mais de 200 ogivas???? Prova meu camarada, eles tem 80 ogivas oficialmente.

Hélio
Hélio
Reply to  José Carlos David
2 meses atrás

Só tem uma questão, Israel teve que matar JFK para ter armas nucleares. Qual presidente americano nos vamos matar para eles fecharem os olhos para o programa nuclear?

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Hélio
2 meses atrás

Errado. As armas nucleares tanto dos EUA, quanto as de Israel, foram criados por fisicos judeus.

A Franca forneceu Uranio enriquecido para Israel, que em contrapartida ajudou a Franca com o projeto das bombas atomicas e termonucleares.

Os franceses nao tinham a capacidade intelectual (matematica) de fazer os cauculos referentes as fisica nuclear usada na manufatura das bombas.

Quem matou o Kennedy, foi o proprio Pentagono, por causa da crise de misseis em 1962. Kennedy nao permitiu um ataque devastador a Cuba. Os militares ficaram frustrados com o acordo entre Kennedy and Krushev.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  José Carlos David
2 meses atrás

Por que todo mundo comprou a ideia de judeu coitadinho, como se outros povos não tivessem sofrido perseguições ao longo dos séculos, e hoje choram por dívida histórica. Vai o Brasil pensar em ter arma nuclear, para tu ver a madeira deitar.

Agressor's
Agressor's
2 meses atrás

Parando de comprar o petróleo deles, oras. Porque eles não fazem um boicote contra o petróleo Venezuelano já que é a principal fonte de recursos econômicos daquele país? Se o povo deste pais tivesse vergonha na cara bastaria só interromper o fornecimento de nióbio para estas potencias corsárias para vê-las ficarem de joelhos…o Brasil é praticamente o dono de todo o nióbio do mundo, 98,43% das reservas do planeta são nossas, 1,11% do Canadá e 0,46% da Austrália…em 2010 o Wikileaks divulgou um documento do Departamento de Estado dos eua que colocava as reservas brasileiras de nióbio como de importância… Read more »

jef2020
jef2020
2 meses atrás

Sei não….Não conseguiu impedir que o cabeça de cebola da coreia desenvolvesse armamento nuclear, vai impedir na venezuela??

Bardini
Bardini
2 meses atrás

ICBM? Onde? . Se esses alcances são verdadeiros, as variantes iranianas do Scud são os tais “Tatical Ballistic Mssile”. O Patriot dos americanos, por exemplo, poderia ser utilizado na defesa contra este tipo de ameaça. . Os maiores ali, da imagem, são os tais “Medium Range Ballistic Missiles”. O THAAD dos americanos, é voltado a ser empregado contra esse tipo de ameaça. O THAAD também poderia ser empregado contra os TBM… . E assim, 2.000km de alcance é bastante e etc, mas os venezuelanos estariam limitados a atingir quais alvos nos EUA? Parte da Florida? E com cabeças de guerra… Read more »

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Bardini
2 meses atrás

Também:

Qual seria o ponto do Irã ter ICBMs e coloca-los na Venezuela?

RENAN
RENAN
Reply to  Bardini
2 meses atrás

Amigo só o fato de um míssil explodir em uma residência americana seria um enorme baque para o presidente atual, nunca vi uma guerra ser levada até o solo americano. Tem pearl harbor, porém eles foram de muito longe para conseguir isso, da Venezuela para os EUA seria mais fácil manter uma constante média de ataque. Imagino que os iraniano levaria técnicos, engenheiro e cientistas para a Venezuela, montaria fábrica de mísseis lá, e produziria no local milhares deles. Isso seria sim uma enorme dor de cabeça a um presidente americano. Também tendo a possibilidade de um artefato nuclear ser… Read more »

sub urbano
sub urbano
2 meses atrás

Como pode um cara ser safado a ponto de escrever tamanha bobagem? O texto é todo um grande sofisma e ninguém percebeu… Olha a premissa: “o Irã deseja operar ICBMs na Venezuela”… existe prova ou pelo menos evidência disso cara pálida? A capacidade dessa gente de inventar fake news não tem limites.

Lobo
Lobo
2 meses atrás

Bem senhores,segundo o gráfico, o míssil de mais longo alcance planejado ou seja ainda nem existe, vai alcançar algo como 2000KM. A distância Caracas Orlando é de aproximadamente 2500 KM. Falta um pouco ainda e digamos que Orlando nem seria um alvo tão valioso, tendo em vista que a resposta nesse caso seria devastadora. Por certo já passou da hora de termos defesas terra ar mais robustas que um Igla ou RBS, mas essa notícia me parece inconsistente com a finalidade pretendida. Até porque Maduro não seria insano ao ponto de colocar seu pais como alvo de verdadeiros ICBMs de… Read more »

Wilson França
Wilson França
Reply to  Lobo
2 meses atrás

Alguém lúcido. Parabéns.

Luiz Mendes
Luiz Mendes
Reply to  Lobo
2 meses atrás

Um Trident II D-5 lançado de um submarino Ohio chega lá rapidinho.

Lobo
Lobo
Reply to  Luiz Mendes
2 meses atrás

Bem lembrado. Me esqueci de considerar os submarinos de ataque.

Pablo Maroka
Pablo Maroka
Reply to  Lobo
2 meses atrás

Antes de dispararem teriam um monte de marines apontando fuzls na cara.

Last edited 2 meses atrás by Pablo Maroka
jef2020
jef2020
Reply to  Lobo
2 meses atrás

Olá amigo, sua análise é quase perfeita, a não ser por um pequeno detalhe….maduro não manda nada lá….é pau mandado…quem comanda sabe que se houver guerra na venezuela estará bem longe das bombas que estarão caindo por lá…aliás, estará vibrando e ganhando muito grana municiando a resistência, como já vem fazendo antes mesmo do conflito

Anderson
Anderson
2 meses atrás

Sera que não vendem para nós tambem?

Carlos Campos
Carlos Campos
2 meses atrás

Se o Biden ganhar mesmo, temos que fazer o possível para permitir que esses mísseis cheguem até a Venezuela, e deixa os EUA, doidos para nos ter ao lado deles, ou então fazer do Irã uma fonte de vendas para produtos industrializados Brasileiros.

Whittlesey
Whittlesey
2 meses atrás

Boa noite pessoal. Sou apenas um apaixonado pelo assunto, e procuro sempre agregar mais conhecimentos. E também um ex Infante do glorioso 20° BIB. Acompanho a trilogia faz anos, e com esse assunto de EUA vs Irã, e a possível instalações de material bélico iraniano na Venezuela. E tenho uma opinião que talvez também seja uma dúvida. Essa aproximação entre Venezuela e Irã, me faz pensar o seguinte: Todos os países que de alguma forma “ajudam” a Venezuela; será que o interesse é realmente “dissuadir; ou” afrontar” os interesses do EUA? Lembrando que conheço todo o discursso anti EUA por… Read more »

Luiz
Luiz
Reply to  Whittlesey
2 meses atrás

Faz sentido!

Lobo
Lobo
Reply to  Luiz
2 meses atrás

Caro, entendo seu ponto de vista e concordo em parte. Creio que a “intenção” seja mostrar a qualquer país, seja EUA ou Brasil ou Colômbia, que uma tentativa de troca de regime a força, teria um custo elevado. O Brasil não dispõe de meios para se aventurar sozinho ou só com apoio dos EUA. E é claro que a ameaça de um míssil contra nossas cidades é totalmente dissuasória. Já na questão do Irã com a Venezuela, as relações são geopolíticas econômicas também, pois ambos são produtores de petróleo sob embargo. Para o Irã é oportuno ter acesso a um… Read more »

RENAN
RENAN
Reply to  Whittlesey
2 meses atrás

Acredito que sirva para ambos, os EUA não tem um país próximo que consiga lança mísseis em seu território. Se a Venezuela desfilar com 2000 mísseis shahab 3 em uma parada militar, irá mostrar aos EUA que eles certamente iram colocar uns 500 destes em solo americano em caso de guerra, pois nenhuma defesa anti aérea é 100% Então no caso do Brasil o maduro já falou em quebrar nossos dentes, eu acho que 100 mísseis destes contra o Brasil já faria um enorme estrago. Destruindo alvos importante. Nos colocando em posição submissa para não levar chumbo. Este é o… Read more »

Last edited 2 meses atrás by RENAN
RENAN
RENAN
Reply to  RENAN
2 meses atrás

Acredito que o Irã irá produzir localmente na Venezuela os mísseis, pois trazê-los de navios será muito difícil

Antunes 1980
Antunes 1980
2 meses atrás

Caso estes mísseis cheguem até a venezuela, com absoluta certeza; os Estados Unidos irão reagir com força total.
Desde um ataque preventivo, como foi a invasão do Iraque em 2003.
Para nós brasileiros, o que importa para é a quantidade de refugiados que iriam adentrar as nossas fronteiras.
Em menor escala de “efeito colateral”, o risco de sofrermos algum ataque de retaliação por parte do governo venezuelano é mínimo, porém jamais deve ser descartado.
Sugiro já começarmos a buscar defesas anti aereas capazes de mitigar este risco.
Sistemas suecos seriam ideais.

Last edited 2 meses atrás by Antunes 1980
Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
2 meses atrás

Não podem impedir, Venezuela e Irã são países soberanos, podem fazer o que der na telha dentro de seus territórios. Os EUA são piratas modernos que se acham donos do mundo, mas eles não podem impedir a autodeterminação de cada povo.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
2 meses atrás

Muito difćil, no caso de Cuba os soviéticos ganharam a retirada dos mísseis americanos da Turquia e a promessa dos americanos de não derrubarem o Castro, por tanto conseguiram o que queriam! No caso do Irã não sei se os americanos teriam algo para barganhar!

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Fabio Araujo
2 meses atrás

Derrubar as sanções sobre o petróleo iraniano, o que beneficiaria a Venezuela.

sj1
sj1
2 meses atrás

Tem vários aqui falando sobre um possível calvário a ser percorrido até se chegar a bomba nuclear, mas não é preciso se expor tanto. O Japão uns anos atrás disse que se quisesse conseguiria fazer a bomba da noite pro dia, chegou até a causar desconforto na vizinhança. O ideal é primeiro se tornar uma potencia economica, depois potencia militar convencional e potencia tecnológica e se precisar faz a bomba num momento oportuno. Esse momento seria se houvesse um clima de ameaças ou então aproveitar um momento de distração mundial, ou ainda combinar com um ou dois países e desenvolver… Read more »

Last edited 2 meses atrás by sj1
Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  sj1
2 meses atrás

Japão e Austrália são países aliados de primeiro nível, já o Brasil flutua, os Bolsonaro era aliado, a Dilma era mais ou menos, o Lula não era aliado…. fora que esses dois que você citou tem tecnologia de enriquecimento por Laser, que é mais rápido, mais barato, requer menos material e local menor, é quase indetectável pelos satélites, o Brasil usa centrífugas.

nonato
nonato
2 meses atrás

A solução é cortar o mal pela raiz.
Atacar o Irã e a Venezuela e evitar problemas.
Soluções paliativas permitiram o Irã construir mísseis balísticos…

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
2 meses atrás

E como o Irã iria instalar o que não tem?… SRBM/IRBM não eh ICBM, tenha dó.

carcara_br
carcara_br
2 meses atrás

Bolsonaro acabou de ameaçar os americanos com desenvolvimento de armas nucleares, estou bastante surpreso.