domingo, abril 11, 2021

Saab RBS 70NG

China busca uma força nuclear com maior capacidade de sobrevivência

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Segundo a Associated Press, a China parece estar se movendo mais rapidamente em direção à capacidade de lançar seus mais novos mísseis nucleares de silos subterrâneos, possivelmente para melhorar sua capacidade de responder prontamente a um ataque nuclear, de acordo com um especialista americano que analisou imagens de satélite de construções recentes em uma área de treinamento de mísseis.

Hans Kristensen, um observador de longa data das forças nucleares dos EUA, Rússia e China, disse que as imagens sugerem que a China está tentando conter o que pode ser visto como uma ameaça crescente dos Estados Unidos. Os EUA nos últimos anos apontaram a modernização nuclear da China como uma justificativa chave para investir centenas de bilhões de dólares nas próximas duas décadas para construir um arsenal nuclear totalmente novo nos EUA.

Segundo um relatório do Pentágono, “a política de armas nucleares da RPC prioriza a manutenção de uma força nuclear capaz de sobreviver a um primeiro ataque e responder com força suficiente para infligir danos inaceitáveis ​​a um inimigo”.

O Pentágono afirma também que a China está modernizando suas forças nucleares como parte de um esforço mais amplo para construir um exército em meados do século que seja igual e, em alguns aspectos, superior aos militares dos EUA.

O arsenal nuclear da China, estimado pelo governo dos EUA em cerca de 200 ogivas, é ofuscado pelos dos Estados Unidos e da Rússia, que têm milhares. O Pentágono prevê que as Forças de Foguetes do Exército de Libertação do Povo vão pelo menos dobrar o tamanho de seu arsenal nuclear nos próximos 10 anos, ainda deixando-o com muito menos do que os Estados Unidos.

A China não discute publicamente o tamanho ou a preparação de sua força nuclear, além de dizer que ela seria usada apenas em resposta a um ataque. Os Estados Unidos, por outro lado, não descartam o ataque primeiro, embora o presidente Joe Biden no passado tenha adotado a remoção dessa ambigüidade ao adotar uma política de “não primeiro uso”.

Kristensen, analista da Federação de Cientistas Americanos, disse que as fotos de satélite comerciais que adquiriu parecem mostrar a China no final do ano passado que começou a construção de 11 silos subterrâneos em um vasto campo de treinamento de mísseis perto de Jilantai, no centro-norte da China. A construção de outros cinco silos começou ali mais cedo. Em seus relatórios públicos, o Pentágono não citou nenhum número específico de silos de mísseis nessa faixa de treinamento.

Esses 16 silos identificados por Kristensen seriam uma adição aos 18-20 que a China agora opera com um míssil balístico intercontinental mais antigo, o DF-5.

“Deve ser apontado que mesmo se a China dobrar ou triplicar o número de silos ICBM, isso constituirá apenas uma fração do número de silos ICBM operados pelos Estados Unidos e pela Rússia”, escreveu Kristensen em seu blog da Federação de Cientistas Americanos. “A Força Aérea dos EUA tem 450 silos, dos quais 400 estão carregados. A Rússia tem cerca de 130 silos operacionais.”

Quase todos os novos silos detectados por Kristensen parecem projetados para acomodar o ICBM DF-41 de última geração da China, que é construído com um componente de combustível sólido que permite ao operador preparar o míssil para o lançamento mais rapidamente, em comparação com o DF-5 É o sistema de combustível líquido mais demorado. O DF-41 pode ter como alvo o Alasca e grande parte do território continental dos Estados Unidos.

A China já tem uma versão móvel ferroviária e rodoviária do míssil DF-41.

Bases de mísseis da China

- Advertisement -

129 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
129 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
José Carlos David
José Carlos David
1 mês atrás

Discussão idiota, pra adivinhar quem vai começar a destruir o planeta!

Canarinho
Canarinho
Reply to  José Carlos David
1 mês atrás

A força é a ultima instância de poder, sempre foi assim, porque agora seria diferente? Com todo o respeito mais a unica coisa idiota nisso tudo é mentalidade de muitos brasileiros em não reconhecer a importância de verdadeiras armas de dissuassão, como o artefato nuclear, para o mantenimento de uma real soberania. O resto é conversa fiada para boi dormir. Mania de brasileiro que se acha o cara, por ficar pagando de pacifista, sendo que na verdade é o maior escravo enrustido de grandes potências.

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

sempre pensei que os silos fixos seriam mais suscetiveis que os misseis moveis em rodovias e ferrovias…vai entender.

Bosco
Bosco
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Marcelo,
Há um grau de sobrevivência maior em ser móvel mas reduz o grau de prontidão. Um míssil móvel só seria utilizado depois do país ser arrasado pelo inimigo o que pode comprometer a capacidade de comando e controle e a demora em fazê-lo os deixariam vulneráveis (por exemplo, a um B-21) , já os mísseis em silos têm uso imediato e não seriam pegos com as “calças nas mãos”.

Jacinto
Jacinto
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Dentro da estratégia nuclear em que há quantidade limitadas de ogivas por conta dos tratados de redução de armas, os silos fixos eram usados como “iscas”, de forma a forçar o inimigo a “gastar” suas ogivas nos silos. A verdadeira dissuasão sempre foram os SLBM´s.

Matheus S
Matheus S
Reply to  Jacinto
1 mês atrás

Silos agrupados próximos são, na verdade, muito difíceis de destruir.  Os realmente endurecidos exigem o impacto direto de uma ogiva de alto rendimento para serem destruídos e o silo seguinte, a algumas centenas de metros de distância, ainda não seria danificado o suficiente para evitar um lançamento. Agrupe-os direito e você não pode nem mesmo destruir dois deles lançando uma ogiva entre eles. Você também não pode atingir um grupo inteiro de silos agrupados com MIRV porque os silos são muito mais difíceis de destruir do que as próprias ogivas e ogivas próximas umas das outras significariam que algumas delas seriam destruídas… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

Dense Pack é o nome do conceito. https://en.wikipedia.org/wiki/Dense_Pack

Matheus S
Matheus S
Reply to  Bosco
1 mês atrás

Nome dado pelos estrategistas americanos e mesmo assim essa estratégia é conceitualmente diferente da que os chineses empregam com o Underground Great Wall of China ou UGW.

Bosco
Bosco
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

Não me referi aos túneis e sim aos dois primeiros parágrafos do seu comentário.

Matheus S.
Matheus S.
Reply to  Bosco
1 mês atrás

Nesse caso, desconsidere.

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

Tem quem ache que o dense pack reduz a sobrevivência dos silos. Não há como garantir a perfeição da estrutura do silo nem efeitos obstrutivos/protetores pelo dense packing após primeira detonação.

Matheus S
Matheus S
Reply to  Alex Barreto Cypriano
1 mês atrás

Você esperava o quê? O Dense Pack propôs que os silos ficassem em uma distância “segura” de 500 metros entre ambos, sendo que a essa distância, o espaçamento projetado dos silos é tão próximo que mesmo se um míssil soviético se desviasse um pouco de seu alvo, ele ainda “mataria” o mesmo número de silos.  Simulações detalhadas de ataques ao Dense Pack mostram que esse modo de base é vulnerável a uma série de ataques diferentes que Moscou poderia montar. Mesmo que as armas soviéticas fossem de fato não confiáveis ​​ou imprecisas, os russos poderiam compensar aumentando um pouco o tamanho… Read more »

Rene Dos Reis
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

Esclarecedor obrigado

Flávio
Flávio
1 mês atrás

EUA e China além da Rússia estão modernizando seus arsenais nucleares. Enquanto isso no Brasil como vai a construção de Angra 3?

Canarinho
Canarinho
Reply to  Flávio
1 mês atrás

Pois é, esses dias mesmo estava vendo o estardalhaco que o pessoal esta por causa de planos de se fazer uma usina termonuclear no nordeste

DanielJr
DanielJr
Reply to  Canarinho
1 mês atrás

Isto está se arrastando desde a época do Lula. Fizeram estudos preliminares de locais no Rio são Francisco e litoral do nordeste, não me recordo direito a quantidade, mas era algo em torno de 25. Depois de eliminar o rio e alguns lugares do litoral, ficaram com cerca de 17 localidades. A ideia era instalar reatores de 1000MW, em mais de uma usina. O Rio São Francisco foi eliminado por causa da impopularidade, estimativa instável do fluxo de água do rio ao longo do tempo e a temperatura da água após a usina iria subir muito, principalmente na época de… Read more »

DanielJr
DanielJr
Reply to  DanielJr
1 mês atrás

Outro motivo para construir as usinas além da energia elétrica era gerar demanda para a cascata de centrífugas, que tinha a produção estimada maior do que o consumo de angra e do submarino nuclear.

MFB
MFB
Reply to  Flávio
1 mês atrás

Pra que? O mico vai matar todo mundo antes.

Mondelo
Mondelo
Reply to  MFB
1 mês atrás

E o que o mico tem a haver com o programa nuclear chinês?

Antoniokings
Antoniokings
1 mês atrás

O importante é que os EUA saibam que, caso ousem atacar, serão pulverizados.

Gil U
Gil U
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Se um confronto escalar para o uso de armas de destruição em massa, sejam elas nucleares, químicas, radiológicas ou biológicas, tanto faz quem usou primeiro, todos seremos pulverizados, sem distinção.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Gil U
1 mês atrás

Exato.
Só que os EUA tendem a ser um tanto quanto ‘agressivos’, pelo menos na retórica.
É bom eles sossegarem o facho.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Gil U
1 mês atrás

Exatamente amigo , por isso que ate hoje não rolou uma terceira guerra mundial , pois os dois lados do conflito sabem que na prática não haveria vencedores , pois quem vencer a guerra vai herdar um planeta arrasado , que vai demorar milhares de anos para se recuperar da radiação , e até lá os poucos gatos pingados que sobrevier nos abrigos subterrâneos vão morrer de fome , em alguns anos pois o estoque de comida acaba e não vai poder plantar nada

Bosco
Bosco
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Toinho,
Ouso dizer que numa troca nuclear entre ambos os EUA arrasa completamente com a China e os EUA consegue aguentar o tranco. Claro, talvez deixe de ser os EUA como o conhecemos agora, mas irá sobreviver. A China… ?… pode esquecer!
Precisará de pelo menos mais 20 anos (otimisticamente falando) para a China poder peitar os EUA ou a Rússia na questão nuclear. E quando o conseguir corre-se o risco das armas nucleares já estarem em franca obsolescência.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Bosco
1 mês atrás

Acho que seu caso é mais grave do que eu pensava.

Bosco
Bosco
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Nos dê então sua análise em vez de um comentário baseado no achismo proveniente de seus “antolhos”.

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
1 mês atrás

A minha percepção é facilmente corroborada pelos números. Os EUA têm 1500 “ogivas” estratégicas em operação (as bombas táticas não entram nessa conta). Sabemos disso porque ele é signatário do START junto à Rússia onde ambos se fiscalizam. Além disso os americanos têm pelo menos 500 bombas taticas que não entram no tratado. *Fora as armas ditas operacionais têm as armas estocadas que somam mais de 5000. Levando-se em conta só as 1500 da linha de frente, pelo menos metade estão em prontidão 24/7, o que representa cerca de 750 armas. A menos que você tenha informações privilegiadas, levando-se em… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Bosco Jr
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Bosco
1 mês atrás

Os EUA não tinham coragem de enfrentar a pequena Coreia do Norte e agora piorou, visto que Kim já tem mísseis que atingem o território americano.
Aí, vc acha que vai enfrentar a China.
Descansa um pouco militante que sua tarefa será árdua..

Bosco
Bosco
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Não sou você que faz previsões. Eu não prevejo nada. Eu apenas pego os dados disponíveis e os analiso frente a um determinado cenário hipotético. Questão de coragem não faz parte das minhas observações porque não sou da “humanas” e não sei quem tem ou deixa de ter coragem. O que sei é que os americanos nunca hesitaram em calçar suas botas e ir lutar e morrer fora de seu país, independente da luta ser justa ou não de acordo com a ótica de cada um. Quem geralmente não tinha coragem de mostrar as caras e lutava por procuração eram… Read more »

Daniel
Daniel
Reply to  Bosco
1 mês atrás

200 ogivas seriam as capazes de atingir os Estados Unidos continental, estimativas mais realistas colocam a China como possuidora de por volta de 500 ogivas e material fissil para elevar esse número rapidamente para 2000, só para ilustrar o que estou afirmando o DF 41 tem capacidade de portar até 10 Mirvs levando em conta esses 18 silos citados na matéria só ai já somam 180 ogivas, isso esquecendo o Df 5b que tem a mesma capacidade e os outros Df 41 móveis, além dos Jl 2 baseados nos Ssbns Jin que estão completando 8 unidades cada uma com 12… Read more »

Daniel
Daniel
Reply to  Bosco
1 mês atrás

O Df 41 é um dos, senão o mais moderno míssil balístico da atualidade foi criado na intenção de enfrentar o sistema ABM possuindo múltiplas cabeças de guerra além de múltiplos despistadores, não sei se os chineses já incorporaram a tecnologia MARV nesse míssil mas se não, logo será pois ela foi desenvolvida para ser usada nesse míssil e no futuro JL3, O sistema ABM foi desenvolvido para lidar com misseis com ogivas únicas obviamente sua acuracidade é sigilosa as as poucas informações disponíveis na internet lhe dão um grau de 50% de acerto o que implica em no mínimo… Read more »

Mondelo
Mondelo
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Antônio, se os chineses possuírem “apenas” 200 ogivas nucleares operacionais, de forma algumas eles conseguiram peitar os americanos e nem mesmo os russos em uma troca de misseis nucleares.

Eles poderiam fazer um baita de um estrago destruindo algumas cidades (as que conseguirem passar pelos sistemas defensivos), mas dificilmente eles iriam sobreviver a esse confronto.

Bosco
Bosco
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Meu caso é de sincericidio agudo, remando contra a modinha de colocar a China no altar e achar que a ela é a personificação de todas as virtudes e que vai pisar na cabeça do Ocidente cobrando a dívida histórica que ele tem com todos os oprimidos. Pra cima de mim essa narrativa não cola.

Last edited 1 mês atrás by Bosco Jr
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Bosco
1 mês atrás

Seu caso é de visão bloqueado pelo uso excessivo de antolhos.
Vc não está vendo o que está acontecendo com o País?
Vc deve ser corretor de imóveis em Brasília ou dono de loja de móveis de luxo por lá.
O setor na Capital Federal está bem aquecido, né?

Bosco
Bosco
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Não entendi a parte “corretor de imóveis” e “dono de loja de luxo” e “capital federal”.
De qualquer modo sei muito bem o que está acontecendo no país e sem muito bem de quem é a culpa.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Bosco
1 mês atrás

Na verdade, vc não entende muita coisa.

sergio
sergio
Reply to  Bosco
1 mês atrás

Exatamente Bosco, essa galera acha que jogou uma ogiva Nulcear acabou metade do País kkkkkkkkk quando sabemos que não e bem assim, durante a guerra fria estimava-se que só Moscou precisaria ser atingida por mais de 60 ogivas nucleares para ser ” pulverizada” essas 200 ogivas não da nem pra o gasto, e levando em consideração que uma parte ainda sera interceptada esse antonio deve comer muito cogumelo selvagem rsrsrs

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  sergio
1 mês atrás

Que fosse isso.
Como vc acha que um Mundo interligado do jeito que está, com economias altamente sensíveis, vai reagir ao sumiço do mapa de Nova York, San Francisco, Dalas e etc?
Se um simples vírus jogou a economia americana no chão, imagine a pulverização de várias cidades e dezenas de milhões de pessoas.
Não brinque com essa possibilidade.

Bosco
Bosco
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Quem brinca com isso geralmente é você Toinho. Você que é nosso narrador de funeral oficial e arauto mor do apocalipse.
E você acha que depois de uma guerra nuclear alguém vai estar ligando para “mundo interligado”… “economias altamente sensíveis”… “dívida externa”.. “PIB”… Pelo amor de Deus.
Após esse evento o mundo terá que ser resetado e não haverá mais isso de globalismo, economia sensível, globalização, “progrechismo”.
Você como economista terá importância zero no mundo pós apocalíptico e todos esses termos de economês que fala terão validade zero.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Bosco
1 mês atrás

É só para mostrar que não existe o ‘Capitão América’ com peito de aço.

Emerson Gabriel
Emerson Gabriel
Reply to  Bosco
30 dias atrás

Tem razão Bosco, concordo com o que disse. Economistas ( Eu sou economista ), não seremos úteis, mas comentaristas de internet também não serão. O que mais vejo nos comentários aqui são ” lacrações “. Um ataque nuclear dos EUA na China, a China seria muito mais prejudicial a China pelo poder nuclear muito superior dos EUA, as muitos esqueceram que ao lado da China tem uma tal de Rússia que não ia ver seu vizinho sendo pulverizado e achar que não seria o próximo alvo e não lançaria os seus misseis. A única coisa certa que li aqui foi… Read more »

Ted
Ted
Reply to  Bosco
1 mês atrás

3 mísseis satan com 6 ogivas cada um atingindo o território americano. É !!! vão ficar bem diferente do que conhecemos .kkk

sergio
sergio
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Pulverizar os EUA com apenas 200 Ogivas ?????
tem muito exagero ai viu kings

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  sergio
1 mês atrás

Só jogar nos principais locais.
Cidades, instalações militares e nas estruturas de grande importância econômica, como portos, terminais de petróleo e etc..
Los Angeles, São Francisco, Nova Iorque, Miami e mais meia dúzia de cidades que já desarticula totalmente os EUA.
Não precisa gastar bomba nos campos do Kansas nem nos pântanos da Flórida.
Se fosse assim, não teria como acabar com a gigantesca Rússia.

SDS

Bosco
Bosco
Reply to  sergio
1 mês atrás

Os EUA na época da Guerra Fria tinha um inimigo com 40.000 ogivas e o Toinho acha que agora eles estão se borrando por conta de 200 ou 300 dos chinas.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Bosco
1 mês atrás

Então, camarada, vai lá e tenta.
Os EUA vão voltar a plantar algodão como faziam há um século e meio.
E radioativo.

Bosco
Bosco
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Fala isso pro seu amigo Biden. Pra mim não adianta!!!

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Bosco
1 mês atrás

O Biden sabe disso.
Vc é que não entende.
Aliás, está difícil de entender.

MFB
MFB
Reply to  Bosco
1 mês atrás

Antônio seria um camarada legal de conversar se não fosse essa cegueira ideológica. Tudo da China e Rússia é top de linha e os americanos estão rumando para o fim. Enfim…

Bosco
Bosco
Reply to  MFB
1 mês atrás

Realmente. Ele em geral é educado (mais que eu, com certeza) e é inteligente, mas insiste nessa função de arauto do apocalipse ocidental. Eu só espero que ele seja remunerado pra isso porque, se não, ele tem problemas.

Tadeu Mendes
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Antonio,

Somente a Russia tem poder de deterrencia suficiente para causar um apocalipse dentro dos EUA. E vice-versa.

A China nao representa uma ameaca existencial aos EUA, mas os EUA sim representam uma ameaca existencial a todo continente. (Russia e China juntos).

Os ICBMs. americanos sao assustadores, mas o SBLMs. da US. Navy sao as verdadeiras armas do Armagedon.

Last edited 1 mês atrás by Tadeu Mendes
Bosco
Bosco
Reply to  Tadeu Mendes
1 mês atrás

Tadeu, Só complementando, os ICBMs americanos baseados em silos são basicamente para dissuadir um ataque maciço russo. O nível de prontidão deles é altíssimo e 2/3 podem ser lançados logo após os satélites (SBIRS, DSP e STSS) detectarem os lançamentos e antes da primeira onda de mísseis russos chegar ao território americano, o que leva cerca de 30 minutos. O motivo de serem instalados em silos é o de atrair os mísseis russos, cuja maioria estarão vazios quando eles chegarem. A grande quantidade de silos demanda uma quantidade igual de ogivas com rendimento e precisão adequados e isso combinado com… Read more »

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

Já ouvi que são 400 ogivas, agora 200. Se bem que e tudo relativo, EUA e Russia tem milhares más nessa conta entra até morteiro nuclear tático. O que importa são os dos mísseis estratégicos e de alto poder. Se a China tiver apenas 200 ogivas más todas elas serem de alto poder de destruição ou de hidrogênio, e garantia na certa de dissuasão.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

Obs. Com menos de 50 ogivas e sem misseis balísticos intercontinental a Coreia do norte já assustou EUA.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

eles já tem mísseis balísticos intercontinentais, mas antes não chegavam até a califórnia, hj chegam, e se explodirem no alto da califórnia o PEM vai fritar tudo eletrônico na costa oeste dos EUA.

Bosco
Bosco
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

PEM que dá em Francisco, dá em Chico. Sei que não é seu caso mas alguns comentários dão a entender que só os EUA é vulnerável a PEM (e a armas antissatélites). Te garanto que apesar do “disse me disse” não há nenhuma arma nuclear voltada para produzir PEN na estratosfera. Ninguém vai gastar uma (ou algumas) ogivas nucleares com o intuito de tentar produzir uma paralização no país inimigo em podendo atacá-lo diretamente. O PEM foi notado quando de testes com detonações nucleares que os americanos e soviéticos fizeram na década de 60 , em grande altitde , e… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Bosco
1 mês atrás

vdd, mas acredito que tem várias armas só usar uma para tentar um PEM não seria problema acredito eu.

sergio
sergio
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Assim que vc lançar uma míssil intercontinental na estratosfera sobre os EUA para criar um PEM, muitas águias americanas já estarão voando em tua direção para te dar uma amostra da pax americana !!!!
essa historia de PEM e perda de tempo.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Bosco
1 mês atrás

É PEM que dá em San Francisco…..

Renato Carvalho
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Esse cara é comediante, só pode.

Gabriel Galdino
Gabriel Galdino
Reply to  Renato Carvalho
1 mês atrás

Tenho que admitir que essa do Antoniokings foio boa kkkk.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Se não chega na Califórnia não e míssil balístico intercontinental. Tal missil só e considerado, como o nome diz, se ele for lançado da Ásia e atingir a América, não importa da onde e lançado.

Last edited 1 mês atrás by Cristiano de Aquino Campos
Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

seu conceito de míssil balístico é errado, pq se for só por essa característica então, se míssil balístico sai de marrocos e vai para Espanha ele é intercontinetal, mas mísseis balísticos intercontinentais são aqueles que tem mais de 3.500 quilômetros, esses que você citou são os FRICBM

Bosco
Bosco
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

xxx

Last edited 1 mês atrás by Bosco
Bosco
Bosco
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Carlos,
Geralmente é considerado míssil balístico com alcance superior a 5500 km. Entre 3500 e 5500 é de alcance intermediário.

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
1 mês atrás

míssil balístico intercontinental

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
1 mês atrás

correção: míssil balístico de alcance intermediário é de 3000 a 5500 km.

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
1 mês atrás

A classificação mais aceita de míssil balístico.
Tático (TBM): até 300 km de alcance
Curto alcance (SRBM): 300 a 1000 km
Médio alcance (MRBM): 1000 a 3000 km
Intermediário (IRBM): 3000 a 5500 km
Intercontinental (ICBM): acima de 5500 km
ICBM de alcance limitado (LRICBM): 5500 a 8000 km
ICBM de alcance total (FRICBM): acima de 8000 km

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
1 mês atrás

Há quem cite o GRBM: míssil balístico de alcance global, que teria mais de 15.000 km.

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
1 mês atrás

Além disso só o FOBS (sistema de bombardeio de órbita fracional), que coloca uma carga em órbita e a faz reentrar antes de completar uma órbita inteira (daí o “fracional”).
Salvo engano os soviéticos chegaram a implementar esse tipo de arma no passado com a intenção de atacar os EUA pelo sul.

Matheus S
Matheus S
Reply to  Bosco
1 mês atrás

Apenas complementando, a última categoria dos mísseis balísticos é o URBM: Ultimate Range Ballistic Missile, míssil balístico de alcance final, nunca foram construídos, mas entram na categoria do alcance até 20.000 km, metade da circunferência da Terra, portanto, tem alcance suficiente para atingir qualquer lugar de qualquer outro lugar.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Bosco
1 mês atrás

vlw bosco, eu vi esses classificações em lugar que disse que intercontinemtal é acima de 3.500 e os de alcance total seria acima de 8000. sendo essa as duas variantes de ICBM.

sergio
sergio
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

A Coreia do Norte não assusta os EUA, o que assusta e a Coreia do Sul esta logo ali, do contrario o gordinho ja tinha ido pro saco.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  sergio
1 mês atrás

Papo furado.
Que os EUA nunca mais tentaram atacara a CN.
E olha que os coreanos já até apreenderam navio e militares americanos.
Devem ter aprendido alguma lição com a guerra que ocorreu lá.

Bosco
Bosco
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

Todas são de “hidrogênio”. Uma ogiva de grande rendimento concentra muito poder de destruição de forma desnecessária. Os chineses possuem cerca de 60 ogivas com alto rendimento, na faixa de 3 a 5 Mt, lançados por velhos mísseis de combustível líquido, mas deverão ser substituídos por MIRVs de rendimento menor, na faixa dos 150 Kt, lançados pelo novos DF31/41.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Bosco
1 mês atrás

Esta errado amigo. Dá uma pesquisada, existem 3 tipos de bombas atômica, que tem esse nome por funcionarem pela divisão e colisão dos átomos.
A mais básica, simples e em maior número e a de urânio, seguida pela mais potente de hidrogênio que usa plutônio e a de Nêutrons, que tem níquel e cromo na sua composição.

Bosco
Bosco
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

Cristiano, Sinto dizer mas não é assim não. Há 3 tipos de bombas nucleares: 1- ou de 1ª geração, a chamada “bomba atômica” ou bomba A, que é uma bomba de estágio único, de fissão pura que divide um átomo de grande massa , geralmente isótopos do urânio ou o plutônio, em átomos menores (ex: bário, criptônio, etc.), após sofrer o bombardeamento de nêutrons advindos de uma massa crítica abruptamente formada . Ex: bombas de Hiroshima e Nagasaki; – 2- ou de 2ª geração, a bomba atômica turbinada ou “boosted fission weapon”, que é uma bomba de fissão como a… Read more »

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Bosco
1 mês atrás

Os Estados Unidos e outros potências nucleares, como França e Inglaterra, usam a bomba H de 3ª geração com dois estágios. Índia e Paquistão utilizam provavelmente uma bomba de 1ª ou 2ª geração; Israel ninguém sabe, mas com certeza, pelo tamanho de Israel e por seus inimigos serem seus vizinhos, é muito mais inteligente para Israel ter bombas nucleares de baixo rendimento ou táticas. Não é inteligente explodir uma bomba H perto de seu território e totalmente desnecessário para se defender. Só compensaria para Israel ter bomba de 3ª geração se fosse para dissuadir a Rússia. Lembrando que Israel nunca… Read more »

Last edited 1 mês atrás by 100nick-Elã
Munhoz
Munhoz
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

Se eles tem a cara de pau para construir ilhas na costa dos seu vizinhos imagina para aumentar o arsenal nuclear, no meu ponto de vista acho que já deve estar na casa das 800 ogivas.

João Adaime
João Adaime
1 mês atrás

Na luta entre o mar e o rochedo, quem sofre é sempre o marisco.

Carlos Campos
Carlos Campos
1 mês atrás

Interessante que descobri por meio de matéria chinesa que o Japão tem 45 toneladas de Plutônio para “pesquisas” kkkkkkk a Ásia tá pegando fogo e ninguém que diminuir a temperatura.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Sério que você só soube disso agora?
Então fique sabendo, que o Japão, como não tem minas de urânio, reciclam o urânio que tem nas suas centrífugas. Nesse processo, geram sobras do processo, no caso plutônio, o elemento essencial para a produção de bombas de hidrogênio.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

que eles tinham 45 toneladas sim, e me deixou mais surpreso é o fato de eles dizerem que é para pesquisa.

Zorann
Zorann
1 mês atrás

É isso aí!! Parabéns para a China. É assim que se faz.

Armas nucleares são a certeza de que um agressor jamais sairá impune. É a arma suprema de dissuasão

Agressor's
Agressor's
Reply to  Zorann
1 mês atrás

A China já está colocando em funcionamento o seu próprio sistema de localização por satélites. Já é a maior exportadora do mundo. Um país que até 20 anos atrás só fabricava bugigangas…

No início dos anos 90 elegemos o Collor e o neoliberalismo, tínhamos o mesmo tamanho da China. E agora?

Bosco
Bosco
Reply to  Agressor's
1 mês atrás

Mas aí tivemos 16 anos de petismo alinhado com a China. Essa parte vc esqueceu?

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
1 mês atrás

Toinho querendo emplacar a narrativa fantasiosa. rsss
Vocês não cansam, né? Que regra é essa mesmo lá das regras de Lenin? A terceira ou quarta? Como é que é: “acuse-os do que você faz, chame-os do que você é”
Rsss

Wellington
Wellington
Reply to  Bosco
1 mês atrás

e como tem sido os dois últimos anos de governo submisso aos eua?

Bosco
Bosco
Reply to  Wellington
1 mês atrás

Na minha cama não tem nenhum americano dormindo não.

Last edited 1 mês atrás by Bosco
Emerson Gabriel
Emerson Gabriel
Reply to  Bosco
30 dias atrás

E hoje Bosco temos o que? O capitão cloroquina!!! PS: Não sou de esquerda. Tanto: Collor, FHC, Lula/Dilma, Temer, Bolsonaro… todos são políticos. E alguém aqui acredita em políticos?

Adriano Madureira
Adriano Madureira
1 mês atrás

“A China já tem uma versão móvel ferroviária e rodoviária do míssil DF-41″… Método de defesa similar ao ICBM soviético RT-23 / SS-24 Scalpel,o terror da aliança atlântica e dos eua. Logo eles se tornaram uma dor de cabeça para o Pentágono, pois para rastreá-los, uma constelação de satélites foi lançada em órbita. para rastrear o movimento desses trens, que escapavam facilmente à vista dos sistemas de rastreamento, os americanos tinham que manter quase constantemente um grupo de 18 satélites espiões sobre a Rússia, o que era muito caro para eles. Principalmente se você considerar que os serviços de inteligência dos EUA… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Adriano Madureira
Adriano Madureira
Adriano Madureira
1 mês atrás

“No entanto, após o colapso da URSS, a situação mudou radicalmente e os americanos conseguiram acabar com a ameaça soviética.  Boris Yeltsin, que chegou ao poder por instruções de Washington, proibiu os trens de sair de serviço e também prometeu transformae todos os 12 trens de  foguetes em metal. Além disso, sob a direção de Yeltsin, todo trabalho na criação de tais sistemas foi proibido.  Aliás, ao mesmo tempo, a maior parte dos silos de lançamento dos mais poderosos mísseis R-36M da época, que na OTAN recebiam a  designação SS-18 Mod.1,2,3 Satan, foram liquidados – preenchidos com concreto”. As vezes… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Adriano Madureira
Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Adriano Madureira
1 mês atrás

Incrivel que ele foi o degrau para subida do Putin ao poder, e chegando lá o Putin acabou com a farra dos oligarcas.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Teve um problema de saúde e passou a cadeira para o Putin a apenas 20 anos…
comment image

sub urbano
sub urbano
Reply to  Adriano Madureira
1 mês atrás

Putin é um Herói nacional no melhor sentido da palavra, um Bogatyr. Ele pegou uma nação em frangalhos, humilhada, pobre… estavam perdendo uma guerra para mendigos chechenos. Ele botou a Russia de novo na prateleira de cima em menos de 10 anos. É uma figura que se tivesse existido na Idade Media teria sido canonizado: “São Vladimir”.

sergio
sergio
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

Nunca concordei muito com vc sub urbano, mais dessa vez concordo planamento com vc,

XFF
XFF
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

Putin é muito bom para o Estado Russo e para o povo da Rússia em geral.

Os EUA e a UE não gostam dele por que ele é nacionalista , além de não ser entreguista.
Estão patrocinando Aleksei Navalny agora como o novo Guaidó da Rússia. O objetivo é desestabilizar Putin e a Rússia.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  XFF
1 mês atrás

E os EUA conseguiram colocar o proxy deles aqui, que está levando o Brasil ladeira abaixo.
Acabamos de sair do clube das dez maiores economias do Mundo.
Somos 12º
E pensar que já chegamos a ser 6º.

https://www.cnnbrasil.com.br/business/2021/03/02/pais-deixa-time-das-10-maiores-economias

sub urbano
sub urbano
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Verdade, amigo Kings.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

relaxa xings, fica em casa a economia a gente vê depois

Bosco
Bosco
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

kkkk
Eu queria ter dito isso.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Bosco
1 mês atrás

desculpa Bosco, fico te devendo essa.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Melhor passar no Posto Ipiranga.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Posto Ipiranga fez o PIB cair só 4,1 enquanto muitos países desenvolvidos foram pior, o posto Ipiranga ainda conseguiu terminar o ano de 2020 dezembro com criação de vagas de emprego, tem muita coisa que eu não gosto no posto ipiranga e já disse aqui, mas simplesmente sair falando qualquer besteira para passar vergonha igual você eu não faço

Bosco
Bosco
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Será que a culpa disso daí não foi o proxy que a China colocou aqui há 30 anos , que vem solapando as bases de nossa sociedade até o ponto que chegou dos próprios brasileiros torcerem contra o país , e mais recentemente com o Covid?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Bosco
1 mês atrás
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

2020 – Décima segunda do Mundo

2021 – Não quero nem ver.

Mondelo
Mondelo
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Mas Antonio, a economia não era o de menos? Que depois recupera? A pandemia ainda não acabou, por que vocês já estão preocupados com ela?

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  XFF
1 mês atrás

Guaidóvsky…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

Putin e Jinping formam uma dupla ‘infernal’.
Ninguém pode com eles.

Mensageiro
Mensageiro
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

Babando ovo de ditador. Putin é autoritário, da golpe em cima de golpe. Quando chega na época das eleições impede seus adversários de alguma maneira e estende as reeleicoes, eram duas permitidas, depois 3, 4, 5 não tem fim. Um dos países mais corruptos do mundo.

Matheus S
Matheus S
Reply to  Adriano Madureira
1 mês atrás

Essa foto da força nuclear rodoviária russa é linda demais, mesmo sabendo para que ela serve. Não posso deixar de admirar.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

Acredito que hoje em dia ela daria o mesmo trabalho e seria uma ameaça até pior do que nós anos 80…

Havia 18 satélites de reconhecimento somente para caçar esses trens e mesmo assim não tinha o efeito desejado.

Mas 2027 está quase próximo e eles poderão estar de volta,só que dessa vez será com o RS-24 Yars.
comment image
comment image
comment image

Matheus S
Matheus S
Reply to  Adriano Madureira
1 mês atrás

Eu desconheço se na Rússia, eles possuem uma rede subterrânea capaz de abrigar essa força móvel rodoviária, isso seria um grande avanço estratégico para os russos e um grande desconforto para a vigilância e monitoramento dos satélites americanos. É relatado que a unidade de engenharia do ELP começou a construir a Grande Muralha subterrânea em 1985 e a terminou após dez anos de esforços, mas notícias reveladoras dão conta de que a muralha ainda está em expansão e que no estado atual, a rede subterrânea é capaz de abrigar 3.000 armas nucleares em torno dos seus 5.000 km construídos até… Read more »

Nilton L Junior
Nilton L Junior
1 mês atrás

Alguem acredita que um evento com armas nuclear vai adiantar muito ser o primeiro a atacar??

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

Acho que só o Trump e os seus seguidores lá e os que sobrevivem aqui.

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Digamos que ninguém queira destruir silos ICBM do inimigo mas apenas varrê-lo do mapa. Sem detonações em solo, sem radioactive fallout; mas detonações aéreas irradiam, queimam, esmagam e assopram longe. Numa all out nuclear exchange cada lado poderia usar uns milhares de megatons e ainda assim não acabar com a civilização. O impacto do asteróide que extinguiu os dinossauros liberou cem Teratons (matou tudo num raio de cinco mil quilômetros) e nós estamos aqui. O problema é quem e porquê se decidiria usar armas nucleares quando ninguém quer morrer ou perder seu estilo de vida, preferindo matar e destruir no… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Alex Barreto Cypriano
Gabriel BR
Gabriel BR
1 mês atrás

A capacidade chinesa de mobilizar recursos é impressionante .

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Gabriel BR
1 mês atrás

Nós ainda não vimos nada.
Acabei de ler que a China vai construir um cabo de comunicações que atravessará o Paquistão por terra, entrará no mar e interligará a China à Europa e África.
13 mil quilômetros.
Os caras são fogo!

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

comment image
comment image

E parece que esse mesmo cabo será ligado ao continente africano…
comment image

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
1 mês atrás

Nenhum silo resiste ao impacto direto de cem kilotons, apenas submarinos em missão tem a discrição necessária pra garantir a sobrevivência a um primeiro ataque. Existem também nuclear bunkerbusters e a tecnologia tem avançado melhorando a precisão das armas. Os russos aceitam a idéia de iniciar um conflito nuclear limitado e americanos tem reduzido o yield das suas ogivas (o que combina com a idéia russa). O problema, especulo, é se a América for pega em massivo ataque nuclear simultâneo de vários oponentes: ela iria distribuir a morte sobre o planeta ou reteria a retaliação por humanitarismo? E, se me… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Alex Barreto Cypriano
ScudB
ScudB
Reply to  Alex Barreto Cypriano
1 mês atrás

Delírio múltiplo detectado..

Bosco
Bosco
1 mês atrás

As estimativas mais otimistas acerca do arsenal nuclear chinês diz que ela tem 350 ogivas, das quais 272 estaria operacionais.
Elas estariam assim distribuídas:
204 ogivas lançadas por mísseis balísticos baseado em terra (de alcance
curto, médio, intermediário e intercontinental), dos quais cerca de 40 teriam alcance intercontinental, capaz de atingir os EUA, geralmente com uma única ogiva;
48 ogivas lançadas por submarino via SLBM;
20 bombas de gravidade lançada por bombardeiro.

sub urbano
sub urbano
Reply to  Bosco
1 mês atrás

Margem de erro de 1.000% para mais ou para menos.

Bosco
Bosco
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

Na verdade a margem de erro foi de quase 100% relativo à quantidade de mísseis ICBM capazes de atingir os EUA (muitos só chegam no Alasca). A quantidade exata de ICBMs chineses hoje é de 74 mísseis e não de 40 como havia dito.

filipe
filipe
1 mês atrás

Infelizmente a quantidade de Armas nucleares não é tão relevante , são armas diferentes das Armas convencionais , onde a quantidade importa, basta teres 5 Ovigas nucleares para causar temor ao adversário, vimos como a Coreia do Norte se comportou com os EUA, levando os EUA a mesa de negociações , Armas Nucleares são armas malucas, a China terá até 2035 pelo menos 900 Armas Nucleares , serão 14 SSBN ( 8 SSBN Type 094 Jin com 12 SLBM JL-3 + 6 SSBN Type 096 Tang com 16 SLBM JL-3), logo a China será a nação com mais SSBN do… Read more »

MARCELO MORAES DO NASCIMENTO
MARCELO MORAES DO NASCIMENTO
1 mês atrás

Desculpe a “leiguisse”, mas se houvesse uma guerra nuclear no “norte” a radiação chegaria aqui no “sul”?

sub urbano
sub urbano
Reply to  MARCELO MORAES DO NASCIMENTO
1 mês atrás

Dependendo da intensidade sim. Causaria até escassez de comida, a chamada “Fome Nuclear”, em tese a contaminação radioativa desceria para o solo através das chuvas contaminando a produção de grãos. A “Nuclear Famine” mataria mais gente que os próprios nukes em si.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
1 mês atrás

É assim… Se você entra na disputa de armamento nuclear, você mergulha num buraco sem fundo… Cada um querendo ter mais do que outro para no fim, já todo arrebentado dizer: Eu te machuquei mais e depois morrer. Orgulho puro e idiota do ser humano.

Guerras Modernas

O gigantesco número de helicópteros dos EUA perdidos na Guerra do Vietnã

Durante a Guerra do Vietnã, milhares de aeronaves dos EUA foram perdidas para a artilharia antiaérea (AAA), mísseis superfície-ar...
- Advertisement -
- Advertisement -