quinta-feira, julho 29, 2021

Saab RBS 70NG

Exército e Força Aérea realizam adestramento operacional conjunto

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Rosário do Sul (RS) – No período de 22 de março a 1º de abril, em Rosário do Sul, no Campo de Instrução Barão de São Borja (CIBSB), a 6ª Bateria de Artilharia Antiaérea Autopropulsada (6ª Bia AAAe AP) do Exército participou da Operação de Adestramento Operacional Conjunto com a Ala 4 (Base Aérea de Santa Maria) da Força Aérea Brasileira. A operação teve por objetivo verificar a doutrina de emprego e os equipamentos das duas Forças, assim como adestrar as tropas em operações de guerra.

Empregando a 1ª Seção de Artilharia Antiaérea Autopropulsada, módulo de pronto emprego da 6ª Brigada de Infantaria Blindada, em um contexto de operações de guerra, as tropas operaram como forças oponentes. Foram empregadas as viaturas blindadas de combate antiaéreo (VBC DA Ae) Gepard 1 A2, realizando a defesa antiaérea de estruturas estratégicas, e as aeronaves da Ala 4, desencadeando missões de reconhecimento, vigilância, apoio aéreo aproximado e ataque às posições.

Com a operação, foi possível aumentar a capacidade de interoperabilidade, a operacionalidade e a prontidão das Forças, além de aperfeiçoar técnicas, táticas e procedimentos, com a participação de oficiais de ligação no local. Todas as atividades seguiram os protocolos de prevenção à covid-19.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

- Advertisement -

58 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
58 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Flávio
Flávio
3 meses atrás

Quão eficiente seria o Gepard 1 A2 em um conflito onde o inimigo tem drones suicidas? Pergunta sincera de um leigo.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Flávio
3 meses atrás

Os drones virão voando da Russia até aqui?

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Marcelo Andrade
3 meses atrás

Se for o Oktinik (se é assim que se escreve) é muito provável viu.
Apesar de acreditar que Rússia, China nunca terem apresentado real ameaça ao Brasil.
Até porque a área de interesses das mesmas está em outras regiões do globo.
A real ameaça ao Brasil, são as nações que vivemos “dormindo” com elas e as próprias ameaças internas (acho que não convém citar aqui).

José Carlos David
José Carlos David
Reply to  Foxtrot
3 meses atrás

O pior inimigo do Brasil são os maus brasileiros…aliás, sempre foi!

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  José Carlos David
3 meses atrás

Num é!
Só não quis dar nome aos bois, mas todos conhecem eles !

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Foxtrot
3 meses atrás

Uma verdade incomoda, más uma verdade.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Marcelo Andrade
3 meses atrás

Não, serão usados em uma invasão de larga escala vindo da Argentina, Bolivia, Paraguai e Venezuela. Rsrs

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Flávio
3 meses atrás

acredito que a medida de defesa mais eficiente contra drones comuns ou drones suicidas seriam guerra eletrônica

Paulo Sollo
Reply to  Flávio
3 meses atrás

Pouquíssimo ou nada eficiente.

Se forem drones suicidas com capacidade de contra medidas e de manobras dissuasivas, será apenas um alvo fácil.
E até mesmo drones suicidas sem estas capacidades mas lançados em certo número poderão saturar sua capacidade de reação.

Se ainda tivessem serventia contra ameaças modernas os alemães não tinham se livrado de todos e vendido barato.
É aquela coisa de “serve pro cenário da america latina”.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Paulo Sollo
3 meses atrás

Ele funciona exatamente igual a um sistema Phalanx, ou qualquer outra defesa terminal contra mísseis anti-anti-navios. No caso eles também seriam quase nulos?

Paulo Sollo
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
3 meses atrás

É como eu expus amigo.

E foi comprovado que os sistemas CIWS como o Phalanx não são muito eficientes contra os manobráveis mísseis anti navio atuais, por isso os americanos estão passando a instalar em seus navios como defesa antimíssil os mísseis RAM, que são manobráveis e tem mais alcance e efetividade que o Phalanx, que continua como último recurso.

carcara_br
carcara_br
Reply to  Flávio
3 meses atrás

Depende muito, se você aplicar o conceito em sensores modernos eu tenho certeza que é uma defesa muito interessante com custo por disparo relativamente baixo. Só precisa posicionar direitinho, porque com drones voando baixo os projéteis podem acabar causando mais estrago que o suposto alvo. Em relação a pequenos drones talvez a separação entre os canhões não seja o mais adequando, talvez fosse necessário realizar ajustes em relação ao “foco”, ou mudar mesmo a distância/ espalhamento dos projéteis, são apenas conjecturas não conheço os dados exatos, só acredito que um sistema pensado pra derrubar aeronaves não seja otimizado para essa… Read more »

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  carcara_br
3 meses atrás

Você sabe que os projéteis disparados pelos canhões se fragmenta em milhares de bolas de metal incandescente em alta velocidade, criando uma nuvem de destruição entre ele e o atacante né?

carcara_br
carcara_br
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
3 meses atrás

Sabia não, informação interessante.

Gelson
Gelson
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
3 meses atrás

Oi, Cristiano e Carcara! Até que eu estava na ativa os Oerlikon 35 ainda não tinham estas granadas dotadas de espoleta de proximidade. Já, para os Bofors 40 os suecos haviam disponibilizado mas não sei se o EB chegou a comprá-las. Cabe uma boa pesquisa aí.

Last edited 3 meses atrás by Gelson
glasquis 7
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
3 meses atrás

Normalmente é assim com qualquer projetil antiaéreo.

Gelson
Gelson
Reply to  glasquis 7
3 meses atrás

Bom dia, Glasquis 7!
Essas granadas a que o Cristiano se referiu são aquelas dotadas de sensor e espoleta de proximidade, ou seja, a granada não precisa atingir o alvo e explode próximo à ele liberando um número de esferas de metal num amplo raio e assim atingindo o projétil (míssil, drone,…) atacante. Eu sabia que o Bofors 40 tinha essas granadas mas não conheço as novas munições de 30 e 35 mm para
falar a respeito.
As granadas normais HE, dotadas de espoleta de contato explodem ao atingir o alvo ou após alguns segundos depois de disparadas.

Last edited 3 meses atrás by Gelson
Glasquis 7
Reply to  Gelson
3 meses atrás

A maioria dos projetis antiaéreos funciona assim, inclusive os misseis Ar-Ar como o AIM 9 Sidewinder

A isso chamamos de “esfera de estilhaços” .

https://www.youtube.com/watch?v=axPJcdvJxLs&t=78s

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Flávio
3 meses atrás

Depende de muitos fatores. Mas veja que existem vídeos de Tungunskas armênios sendo destruídos por VANTs azerbaijanos e são meios análogos aos nossos Gepards, inclusive mais bem armados (além dos canhões também são dotados de mísseis de curto alcance). Vale refletir sobre.

rdx
rdx
Reply to  ALFA BR
3 meses atrás

O Tunguska é superior em alcance (8/10 km do míssil SA-19 contra 5 km dos canhões 35 mm do Gepard) e contra alvos rápidos (utiliza SAM). Portanto, ele é superior contra caças e helicópteros armados com ATGM de última geração (com alcance superior a 5 km) Na minha opinião, os canhões 35 mm são superiores contra alvos terrestres. Não acredito que SPAAG sejam eficazes contra modernos drones, pois a maioria opera acima do teto de 3.500 m.

Last edited 3 meses atrás by rdx
rdx
rdx
Reply to  rdx
3 meses atrás

Defendo a modernização do nosso Gepard com a instalação de sensores de última geração e RBS-70 NG (complementando os canhões). O alcance aumentaria para 9 km e o teto para 5.000 m.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  rdx
3 meses atrás

Esta atrasado amigo. O mesmo guepard já pode lançar dois mísseis Mistral guiados por infravermelho. Só não adotamos nos nossos.

rdx
rdx
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
3 meses atrás

Desde quando o Gepard 1 dispara o Mistral? Que eu saiba os alemães adaptaram o Stinger no passado, mas morreu no protótipo.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  rdx
3 meses atrás

Sim, más em algum momento esse drone suicida vai ter que ir ate o alvo certo?
Ou ele consegue se destruir a 3km de distância e junto o blindado alvo?

rdx
rdx
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
3 meses atrás

O drone de ataque turco Bayraktar TB2, usado com sucesso pelo Azerbaijão contra a Armênia, é capaz de disparar ATGM a 16 mil pés (pouco mais 4.800 m) contra alvos a 8 km. Logo, o Gepard seria apenas mais alvo fácil no campo de batalha.

Já os drones suicidas funcionam praticamente como mísseis. O Gepard não possui capacidade CIWS. Aliás, existem poucos sistemas AA com essa capacidade. De cabeça lembro do israelense Iron Dome e do russo Pantsir.

Last edited 3 meses atrás by rdx
Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  rdx
3 meses atrás

Um míssil de cruzeiro, um drone, mesmo os suicidas operam como aviões que são os alvos visados pelos guepard.
Quanto a drones armados com mísseis, de fato ele não e eficaz devido ao seu alcance, más ai só os Pantsir que cobrem o curto e médio alcance
O objeto da minha resposta foi para drones suicidas.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  ALFA BR
3 meses atrás

Não sabemos em que circunstância os veículos foram destruídos. Se ficaram sem munição destruindo os crimes antes desse que o abateu.
Sem munição, ate um teco-teco consegue destruir o sistema.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Flávio
3 meses atrás

Eu já acho que a TORC-30 mm com sua munição 3P teria muito mais serventia do que o Gepard. Porém nossos militares não atualizam a linha de raciocínio, aí quando há verbas saem comprando sem critérios. Acho que um Guarani 8×8 dotado da Torc-30 com munição 3P, dotado de link BR2 e rádios RDS, sendo munido de informações por um M-113BR dotado de radar Saber M-60/ 200, alça optrônica e os meios de comunicações/ EW já descritos acima, teriam mais Vália. Se acrescentar a este binômio um míssil tipo Igla-S ou versão nacional que está em desenvolvimento até hoje, mas… Read more »

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Foxtrot
3 meses atrás

Qual seria a diferença tão superior de uma TOR-30 sem radar de busca aérea e de direção de tiro, com um único canhão de 35mm com em relação ao guepard que tem os radares e o dobro de canhões de mesmo calibre?
Obs. O guepard já usa munição 3P.

glasquis 7
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
3 meses atrás

Um Gepard sozinho não ajuda muito. O que torna efetivo um sistema de defesa Antiaérea é o conjunto. Radar de detecção, sistema de aquisição de alvos, um bom diretor de tiro, etc.

Tem que entender que o Guepard apenas é uma parte da defesa.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
3 meses atrás

Como escrevi acima, a Torc-30 seria munida de informações por outra plataforma dotada de radar.
Pelo amor de deus, preste atenção no que lê para debater.
Sobre o Gepard usar a munição 3P, sinceramente não sabia.
Se for mesmo, então retiro o que escrevi sobre o Gepard, pois a munição 3P por ser fragimentavel e programável tem maior possibilidade de acreto de alvos pequeno do que uma munição comum.
Neste caso uma modernização do radar e optrônicos do veículo o colocaria em um ótimo patamar.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Flávio
3 meses atrás

Dentro do alcance do sistema que e de 5km. Ele seria tão eficiente quanto um Phalanx CIWS de 20mm, ou qualquer outro sistema de defesa anti-missil de curto alcance.
A questão e que ele só poderia proteger veiculos a uma distâbcia de no máximo 2 km dele e só teria uma chance de acerto.

Nilo
Nilo
3 meses atrás

34 inidades é pouco deveria ter adquiro mais. Mostra-se versátil. Uso em aréa urbana.

Last edited 3 meses atrás by Nilo
Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Nilo
3 meses atrás

Se eu não me engano, essas viaturas só foram adquiridas porque foi uma exigência do COI para a realização das Olimpíadas, se não fosse por isso o EB estaria usando apenas estilingues para a defesa antiaérea.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Allan Lemos
3 meses atrás

Meu, dá um tempo, hoje é segunda feira!!!

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Marcelo Andrade
3 meses atrás

Eu te apoio, começar a semana lendo a verdade dos fatos e encarando a realidade e muito chato.

Matheus
Matheus
Reply to  Allan Lemos
3 meses atrás

Mas hein? Gepards estao no exército decadas antes das olimpiadas daqui.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Matheus
3 meses atrás

Você não estaria confundindo com os Leopard?

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Matheus
3 meses atrás

Oi….

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Allan Lemos
3 meses atrás

kkkkkkkkkkkkkkkk essa foi boa.

Glasquis 7
Reply to  Defensor da liberdade
3 meses atrás

Tu tá achando engraçado por que?

Gabriel
Gabriel
Reply to  Allan Lemos
3 meses atrás

Tua fonte é o “Se não me engano”.
Cada 1 q aparece!

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Gabriel
3 meses atrás

Então mostra ai a fonte que prova que a minha afirmação está errada. Ah não tem? Então cala a p**** da boca.

Andre
Andre
3 meses atrás

Eu abri a página, li a manchete e olhei para a foto que aparecia e pensei: até que estamos bem de defesa AA. Ai, vi que era a capa do Forte….por meio segundo, acreditei…hahahah

MFB
MFB
3 meses atrás

Coitados dos pardais.

Gelson
Gelson
3 meses atrás

Bom dia, é bom ver que alguma espécie de treinamento mais realista está sendo feita. Daquele jeito, né! Uma seção da bateria – só espero que os outros tripulantes também tenham participado fazendo revezamento e aproveitando as passagens da aeronave da FAB. Sobre a adequação do equipamento eu julgo que, em matéria de defesa antiaérea é melhor ter um pouco de tudo e estar preparado até para fazer disparos com busca visual pois qualquer radar vai ser o primeiro alvo no caso de enfrentar um adversário que esteja minimamente preparado. Acho que ainda é válido separar o radar de busca… Read more »

sub urbano
sub urbano
3 meses atrás

O EB compra umas velharias de vez em quando pra enganar a opinião pública enquanto fazem o que sempre gostaram: Política. Como soldados são excelentes políticos hehe

Luiz Henrique
Luiz Henrique
Reply to  sub urbano
3 meses atrás

O EB compra o que dá pra comprar dentro do orçamento que tem… a opinião pública não precisa ser enganada, o brasileiro não tem interesse em ver o país com uma boa defesa.
Soldados bons políticos????? só falta falar que os recrutas são ministros do supremo.

glasquis 7
Reply to  Luiz Henrique
3 meses atrás

Mmmmm… não.O orçamento do EB é bem maior que o da Venezuela por exemplo e os sistemas de defesa Antiaérea nem se comparam.

Agnelo
Agnelo
3 meses atrás

Os Gepard foram vendidos e desfeitos em época inoportuna.
Um excelente meio, q a Alemanha se arrependeu de se desfazer, dado até a procura pela mesma destes meios de volta.
A ameaça russa fez a Art AAe de Bda voltar a ter importância num cenário onde o domínio aéreo da OTAN terminou.
Acabamos “nos dando bem”.
Talvez fosse o caso termos comprado também para as Bda Mec?

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Agnelo
3 meses atrás

A única desvantagem dele, e não poder enfrentar um ataque de saturação vindo de todas as direções. Más se parar para pensar, nenhum sistema de curto alcance pode.

Rogério Loureiro Dhierio
Rogério Loureiro Dhierio
3 meses atrás

Os EDT FILA não são mais usados em exercícios?

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
3 meses atrás

Sistema shorad sul coreano BIHO da Hanwha (2x 30mm + 4 misseis antiaéreos)

essa empresa tem produtos interessantes

biho.jpg
Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
3 meses atrás

Depois falam que só a China copia. Olha a cópia Sul Coreana do Pantsir Russo.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
3 meses atrás

Não é porque um sistema tem 2 canhões e 4 misseis que ele é uma copia de outro sistema com 2 canhões e 4 misseis.

Se as coisas fossem assim, meu deus.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Victor Filipe
3 meses atrás

Sim, más quando a China lança algo nessas mesmas condições, o povo fala que e cópia. Exemplo, o J-10c que geral fala que e cópia do Lavi Israelense.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
3 meses atrás

não é uma cópia Cristiano, esse conceito é antigo….olha essa versão antiaérea mais leve para veículos sobre rodas chamado AAGW com 2x 30mm…acredito que um sistema mais moderno alinhado com GE (jammers) possa garantir um grau de segurança muito bom a baixa altura…principalmente contra esses revolucionários “drones suicidas” que o pessoal acredita ser indefensável

antiaircraft-30mm_slide_img01.jpg
Victor Filipe
Victor Filipe
3 meses atrás

Para os amigos aqui do Forte. Em um cenário de baixa intensidade onde o inimigo pode usar helicópteros de ataque drones e aviões leves como o Super tucano a defesa AA do Brasil pode ser considerada medíocre. Só temos uns manpads, Gepard e os Bolfos 40mm coisa que pode ser eliminada sistematicamente por uma força pequena e meticulosa sem que sofram baixas pesadas. Pra um cenário de media intensidade onde o inimigo usa armamentos mais sofisticados como aeronaves de ataque e guerra eletrônica dedicada a gente pode considerar que a nossa defesa AA não existe. Em um cenário de alta… Read more »

Últimas Notícias

Armamento multifuncional que entende o campo de batalha moderno

Hoje em dia as tropas enfrentam uma gama mais ampla de desafios e, para obter sucesso, é preciso contar...
- Advertisement -
- Advertisement -