sábado, julho 31, 2021

Saab RBS 70NG

Aliados da OTAN estão ‘intensificando’ os gastos com defesa

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A OTAN está fazendo um progresso significativo em sua meta de fazer com que os países membros gastem pelo menos 2% de seu produto interno bruto (PIB) em defesa até 2024, de acordo com o chefe da aliança transatlântica.

Dos 30 membros da OTAN, espera-se que 10 cumpram a meta de 2% este ano, ante apenas três em 2014, quando a meta foi acordada na Cúpula do País de Gales. A maioria dos que ainda não atingiram 2% têm planos para atingir a meta até 2024.

“A boa notícia é que estamos no caminho certo”, disse o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, ao Defense Writers Group, com sede em Washington, em 15 de junho. “Os aliados estão avançando. Os aliados levam isso muito a sério.”

Embora a Alemanha provavelmente permaneça abaixo dos 2%, ela aumentou seus gastos com defesa de 1,19% do PIB em 2014 para 1,53% este ano. “Isso realmente faz a diferença”, disse Stoltenberg.

Uma mensagem importante da Cúpula da OTAN em Bruxelas, em 14 de junho, foi que a aliança deveria continuar trabalhando em direção à meta de 2%, acrescentou.

Os 10 países com projeção de 2% ou mais este ano são Croácia (2,79%), Estônia (2,28%), França (2,01%), Grécia (3,82%), Letônia (2,27%), Lituânia (2,03 %), Polônia (2,10%), Romênia (2,02%), Reino Unido (2,29%) e Estados Unidos (3,52%).

A Noruega está com 1,85%, enquanto os que gastam menos são Bélgica (1,12%), Canadá (1,39%), Luxemburgo (0,57%), Eslovênia (1,28%) e Espanha (1,02%).

FONTE: Jane’s

- Advertisement -

35 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
35 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Heinz Guderian
Heinz Guderian
1 mês atrás

Interessante, a Croácia tem uma porcentagem maior do PIB investido na defesa, do que a Alemanha.
Queria que o Brasil investisse também os 2%, sem aumentar efetivo, que essa verba fosse para a aquisição de material, suporte logístico e implementação de novas tecnologias. Mas, na atual situação creio que não é o ideal, a saúde e educação estão precárias no nosso país. Complicado. Saudações a todos do Blog.

Jacinto
Jacinto
Reply to  Heinz Guderian
1 mês atrás

Mas o PIB da Croácia é pequeno – coisa de US$ 60 bi – enquanto que o da Alemanha é US$ 3,8 tri. Se a Alemanha investir 2% de seu PIB em defesa isso daria US$ 76 bi, o que é mais do que 100% do PIB croata.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Jacinto
1 mês atrás

Eu sei, mas estou falando da porcentagem do PIB, especificamente.

Jacinto
Jacinto
Reply to  Heinz Guderian
1 mês atrás

Eu entendi. Mas a Alemanha – estou contando apenas o período pós reunificação – nunca foi uma grande gastadora em defesa. Se ela chegar mesmo a 1,53% do PIB, este é o patamar mais alto desde 1996.

Matheus S
Matheus S
Reply to  Jacinto
1 mês atrás

Verdade. Mesmo em toda a Guerra Fria, acho que eles não gastaram com defesa acima de 3% do PIB, enquanto os EUA chegavam a gastar o dobro disso e com um PIB muito maior.

Jacinto
Jacinto
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

Mas isso tem origem na 2 guerra. Dado o historico nao muito bacana da Alemanha, os demais paises da Europa, mesmo dentro da OTAN nunca se sentiram muito a vontade com uma Alemanha militarmente forte. Mesmo a unificação da moeda com o Euro foi uma forma de amarrar o destino da Europa ao da Alemanha. O fato de a Alemanha estar voltando a elevar seu orçamento militar mostra que o “susto” dado pelo Trump em relação à defesa da Europa teve consequências na política de defesa do Bloco.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Jacinto
1 mês atrás

O susto de retirar soldados da Alemanha? E que foram colocados na Itália…
Uma coisa são as intenções de Trump que tencionava atacar politicamente Angela Merkel, outra coisa é o efeito Trump que levou a uma maior união na Europa.
Trump queria vender mais armas, nada mais do que isso. Acho que rapidamente percebeu a quantidade de dinheiro que as grandes empresas lucravam e não fez nada do que prometeu, ou seja, a retirada das tropas da Europa.

É assim a política de Trump, promete soluções simples para problemas complexos e até para problemas que não existem.

Jacinto
Jacinto
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Retirar soldados de um país não é novidade na OTAN. Em 1966 ou 1967, a França deixou o comando unificado da OTAN e pediu que os militares da OTAN que não fossem os franceses (obviamente), deixassem o território da França – o que foi acatado por todos os países que chegaram mesmo a transferir a sede de um dos comandos mais importantes da OTAN para Mons, na Bélgica. Em 2009, a França voltou ao comando unificado da OTAN. O susto a que me refiro é de um EUA menos comprometido com a defesa da Europa em virtude do pivô que… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Jacinto
1 mês atrás

Sim, é normal haver retirada de soldados, algo de normal a partir da queda do muro, muito mais relevante para o tema do que a questão francesa. Entretanto os números estabilizaram. Daí surgem as duas questões implícitas no seu comentário. A Rússia, como ameaça, justifica os números de soldados norte americanos na Europa? Se for só a Rússia, não, mas essas bases são usadas como plataformas para o Médio Oriente e Norte de África, o que leva a outras questões. Do meu ponto de vista os países Europeus unidos são suficientes em caso de um ataque convencional Russo, no mínimo… Read more »

Jacinto
Jacinto
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Aqui você precisa entender um pouco melhor o que houve após a queda do Muro de Berlin. Na época da reunificação, a França era governada pelo Miterrand – que, na 2ª Guerra fora soldado, prisioneiro de guerra dos alemães e depois agente da resistência francesa. Com esta micro-biografia dele, acho que você já entendeu que a idéia de uma Alemanha reunificada o assustava, porque era evidente que a Alemanha reunificada seria a maior potência econômica e militar da Europa. Com efeito, a forma encontrada pela Europa de viabilizar a reunificação alemã sem o risco de uma Alemanha hegemônica foi obrigar… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Jacinto
1 mês atrás

A OTAN é a força de defesa da Europa mas não foi através de intervenções militares que a Europa cresceu para leste. Foi pelo fracasso do Comunismo Soviético e pelo sucesso da social democracia Europeia. Discordo que os Europeus operam muito abaixo do seu potencial. Qual é o país que faz isso? Compare a Alemanha e a França e de que forma o seu poder militar é assim tão diferente? E acrescento que a maior parte dos países Europeus têm forças no exterior em missões de combate, não estão parados à espera dos EUA para combaterem por eles. O papel… Read more »

Jacinto
Jacinto
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Em 2018, quando a Alemanha era responsável da vez pelo Very High Readiness Joint Task Force da OTAN, ela não conseguiu fornecer uma brigada blindada porque tinha apenas tanques 9 Leopards e 3 veículos blindados em condições de uso; no mesmo ano, a disponibilidade de submarinos da Alemanha era 0 (não tinha nenhum em condições de uso) e apenas 4 dos 128 typhoons estavam em condições e emprego. Os militares alemães também não tinham coletes balísticos, nem uniforme de inverno, nem óculos de visão noturna… Comparar Alemanha com a França é triste para a Alemanha. A França tem um porta… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Jacinto
1 mês atrás

O orçamento não é muito diferente. A Alemanha desde sempre apostou no exército, são centenas de Leo 2, Boxer, Puma, de cada tipo, entre outros. O que dá milhares de veículos blindados modernos. Não conheço essa história da OTAN mas duvido que a Alemanha só tenha 9 Leos. Deve ter outras razões. Na Marinha, sim, a Alemanha não tem navios movidos a energia nuclear e talvez não precise. Ter subs e porta aviões nuclear para o Báltico e mar do Norte talvez não seja a melhor escolha, entre outras razões. Mas a França não tem 11 contra torpedeiros, a não… Read more »

Jacinto
Jacinto
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Como não é grande Hcosta? A diferença entre o investido pela Alemabha (1,5% do PIB) e a França (2%) é 0,5%, o que percentualmente pode parecer pouco, mas na prática corresponde a 19 bilhões de Euros por ano. Daria para comprar um Porta aviões da classe USS Gerald R. Ford (US$ 12 bi) por anos e com o troco de US$ 7 bi, daria para montar uma ala aérea com 70 caças de US$ 100 milhões cada. Se quiser comparar com o Brasil, os 19 bilhões de euro seriam mais ou menos 150% do Orçamento da defesa do Brasil em… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Jacinto
1 mês atrás

A Alemanha tem o 8 maior orçamento e a França o 6.
E depende dos anos, nas fontes que encontrei são quase idênticos, cerca de 52 mil milhões (biliões) de dólares.
A economia Alemã é maior do que a França.

Jacinto
Jacinto
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Sim, a Alemanha tem a maior economia da Europa, o que apenas demonstra que o esforço francês é muito maior do que o Alemão, porque a economia menor (França) ser a 6ª em gastos enquanto a economia maior (Alemanha) ser a 8ª aponta que o esforço francês com sua defesa é maior do que o alemão.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

A Defesa da Europa é conjunta, embora cada estado tenha os seus próprios meios, e ultimamente, muitos programas militares, estão a ter dinheiro directamente da UE, e mesmo através da Frontex.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Jacinto
1 mês atrás

A Alemanha não tinha era a manutenção, mas tinha lá o material, e sabia que se fosse mesmo preciso, isso era resolvido, como aliás está a ser, a Alemanha tem investido bem mais nos últimos tempos, também porque quer dar trabalho ás suas empresas de defesa, para ajudar a própria economia, os Alemães sabem que têm capacidade, quando acharem que é necessário.
E sabem bem que são os verdadeiros líderes da Europa, pois têm essa capacidade, e a UE também sabe quem lidera a UE.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Claro, os EUA querem ter bases na Europa, pois bases no estrangeiro, ao contrário do que se pensa, custam caro a quem as têm, é só ver o balurdio que a França e a Inglaterra pagam, pelas suas bases no Djibuti.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Jacinto
1 mês atrás

Que Trump????
O primeiro que levantou isso dos 2% foi o Obama.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Heinz Guderian
1 mês atrás

É porque a Alemanha não vê a Rússia e muito menos a China como inimigas.
Pelo contrário.
Está aumentando o comércio de gás com a Rússia sem contar que a China é fundamental para a manutenção do crescimento econômico alemão, visto ser, atualmente, o maior parceiro comercial dos germânicos e destino de crescentes investimentos.

Matheus S
Matheus S
Reply to  Heinz Guderian
1 mês atrás

O aumento dos gastos militares brasileiros sempre veio com um aumento do efetivo, inclusive há vários trabalhos de pesquisa em PDF que podem ser encontrados na internet mostrando exatamente essa afirmação.

Welington S.
Welington S.
Reply to  Heinz Guderian
1 mês atrás

”saúde e educação estão precárias no nosso país.” – E uma coisa anula a outra por acaso? Aliás, você já viu o $ QUANTO $ a pasta da Saúde e Educação recebe? Esse dinheiro está sendo bem aplicado? Há quantos anos o Brasil está nessa deficiência da Saúde e Educação?

Last edited 1 mês atrás by Welington S.
Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Welington S.
1 mês atrás

Eu sei muito bem que esse Ministérios recebem montantes gigantescos, e que o mal funcionamento do mesmos e devido a péssima aplicação dos recursos. O que eu quis enfatizar, é que no momento atual um aumento de recursos da pasta de defesa para 2% do PIB, ia ser um choradeira enorme, por parte da imprensa e da população, se é que me entende.

carcara_br
carcara_br
1 mês atrás

Vai vendo…
Essa é a pressão que a China exerce com uma renda per capita semelhante ao Brasil
e a Rússia com um PiB próximo ao nosso.
É a diferença entre tentar ser hegemônico e simplesmente ser grande por fatores demográficos/econômicos.

Glasquis 7
1 mês atrás

Eu vejo isto como:

“Separem uma fatia maior do seu PIB pra comprarem meus produtos bélicos… e de alguns parceiros meus também”.

Ou

“Gastem mais com meus brinquedinhos”.

Usamos qualquer força que esteja crescendo e possa ameaçar a minha hegemonia como um “presunto inimigo” e obrigamos aos nossos parceiros a gastarem mais comprando produtos meus é claro.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Glasquis 7
1 mês atrás

Sim, por parte dos EUA isso parece-me evidente. Até mesmo o exército Europeu defendido pela França e Alemanha tem o mesmo objetivo.
O principal argumento deles, talvez o único que lhes interessa, é a padronização dos equipamentos, ou seja, uma forma discreta de dominarem o mercado.

Hcosta
Hcosta
1 mês atrás

Mais uma vez, é a Rússia o maior fator que influencia este aumento.
Os países Bálticos, Polónia, Roménia, etc…
Trump nunca teve grande influência no assunto, nem que seja pela sua falta de credibilidade. Até mesmo Boris Johnson já o descartou.

Peter Nine Nine
Peter Nine Nine
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

O que diz é uma verdade que os teimosos que apoiam e apoiavam Trump tentam corromper. A verdade é que, sim, a Rússia, assim como a China, tornaram-se muito mais perigosas entre o fim do mandato Obama e o inicio do mandato Biden, pelo meio, Trump. É isto, de facto, que convence países a investir em defesa, não será com certeza um Trump semi-desléxico, ameaçador de alianças como a NATO e anti União Europeia que convence os parceiros europeus a fazer seja o que for. No entanto, há um mérito a dar a Trump, a sua presença na Casa Branca… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Peter Nine Nine
Hcosta
Hcosta
Reply to  Peter Nine Nine
1 mês atrás

Concordo com tudo o que disse. Trump teve o efeito de unir a Europa e, agora com a sua derrota, de enfraquecer os populistas. Mas isso é no campo político.
A UE ainda precisa de encontrar uma nova forma de governo e de se impor como potência. Para além dos projetos em comum que referiu não sei como será possível uma maior “união europeia”.
E, provavelmente, o Brexit irá facilitar esses projetos comuns europeus. Resta saber a que custo. Deverão ser os quatro ou cinco países de sempre a beneficiarem com isso.

Matheus S
Matheus S
Reply to  Peter Nine Nine
1 mês atrás

Ótimo então. Não houve até então um presidente mais americano do que Trump.

Por exemplo, você sabe que o artigo 5 da OTAN é claramente contra a constituição dos EUA?

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

Blablabla, Whiskas saquetas, blablaa Whiskas saquetas ^- ^
Desculpe mas não dá pra mais.

Gabriel BR
Gabriel BR
1 mês atrás

A força militar da Europa está em dois nomes : Grã-Bretanha e França.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Gabriel BR
1 mês atrás

No

MestreD'Avis
MestreD'Avis
Reply to  Gabriel BR
1 mês atrás

Sim, para pessoas simplistas que resolvem toda e qualquer disputa com ameaças nucleares do género “Vai encarar um Bulava?” isso é verdade
Já para pessoas que conseguem ver a capacidade militar de um pais pelo treino do pessoal, qualidade dos equipamentos, capacidade de agir com aliados… talvez não concordem consigo.

Últimas Notícias

Rússia e China realizarão treinamento conjunto no exercício Zapad/Interaction 2021

A Rússia deve se juntar a um exercício militar no noroeste da China em agosto com o tema de...
- Advertisement -
- Advertisement -