segunda-feira, outubro 18, 2021

Saab RBS 70NG

China, um ‘amigo bem-vindo’ para a reconstrução no Afeganistão: porta-voz do Talibã

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O porta-voz do Talibã, Suhail Shaheen, disse que o grupo dá as boas-vindas aos investimentos chineses na reconstrução e garantiria a segurança de investidores e trabalhadores

O Talibã vê a China como um “amigo” do Afeganistão e espera conversar com Pequim sobre investir no trabalho de reconstrução “o mais rápido possível”, disse o porta-voz do grupo, Suhail Shaheen, na quarta-feira (7/7).

Em entrevista exclusiva ao South China Morning Post, Suhail disse que o Talibã agora controla 85 por cento do país e que garantiria a segurança dos investidores e trabalhadores chineses se eles retornassem.

“Nós damos as boas-vindas a eles. Se eles têm investimentos, é claro que garantimos sua segurança. A segurança deles é muito importante para nós”, disse ele por telefone.

Depois de capturar cerca de um terço dos distritos do Afeganistão na ofensiva deste verão, o Talibã varreu esta semana a província de Badakhshan, no nordeste, chegando à fronteira montanhosa com a região chinesa de Xinjiang.

Considerando as conexões históricas do Talibã com os grupos militantes uigur de Xinjiang afiliados à Al Qaeda, esse avanço teria causado alarme em Pequim no passado. Hoje em dia, no entanto, o Talibã faz de tudo para acalmar as preocupações da China, ansioso para garantir a aquiescência de Pequim ao seu governo.

“O Talibã quer mostrar boa vontade à China”, disse Qian Feng, chefe de pesquisa do Instituto de Estratégia Nacional da Universidade de Tsinghua, em Pequim. “Eles esperam que a China possa desempenhar um papel mais importante, especialmente depois que os Estados Unidos retirarem suas tropas.”

Com a retirada militar americana quase completa, a influência da China na região está crescendo, em parte por meio do relacionamento estratégico de Pequim com o principal apoiador do Talibã, o Paquistão.

A China também está se tornando cada vez mais influente nos estados da Ásia Central que fazem fronteira com o Afeganistão ao norte. Cientes das sensibilidades de Pequim, todos esses países há muito evitam condenar o encarceramento em massa de outros muçulmanos em Xinjiang e outros abusos dos direitos humanos lá.

Embora o Talibã não seja tão silencioso sobre o assunto, eles encontram um bom equilíbrio entre seu compromisso com as causas islâmicas globais e convencer Pequim de que um governo talibã em Cabul não ameaçaria a estabilidade da China. Uma avaliação recente da inteligência dos EUA estimou que o atual governo afegão pode cair nas mãos da insurgência seis meses após a retirada americana.

FONTE: South China Morning Post / Wall Street Journal

- Advertisement -

98 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
98 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antonio Palhares
Antonio Palhares
3 meses atrás

A habilidade, a paciência e a discrição Chinesas. Farão o que a cultura ocidental eivadas de preconceitos e arrogância. Não fizeram . Agora os Chineses ficarão por muito e muito tempo.

pangloss
pangloss
Reply to  Antonio Palhares
3 meses atrás

Sei não, mas acho que o radicalismo do Talibã não recomenda muita aproximação, nem mesmo dos pragmáticos chineses.

C M
C M
Reply to  Antonio Palhares
3 meses atrás

É cada uma…

A “cultura oriental”, “eivada de preconceitos e arrogância”, prende uigures (chineses muçulmanos) em campos de concentração.

Por que omitiu deste detalhe?

Jonny BR
Jonny BR
Reply to  C M
3 meses atrás

O que os Chineses fazem é de fato condenável, mas nada de jovo so. O sol, vide os EUA em Guantanamo e Abu Gharaib

C M
C M
Reply to  Jonny BR
3 meses atrás

Com certeza o primeiro objetivo dos americanos não era a prosperidade do povo afegão. Talvez nem o último.

Mas daí dizer que os chineses, que prendem uigures em campos de concentração, não possuem “preconceitos e arrogância” é bobagem.

Isto é uma idealização das práticas da China que não corresponde à verdade.

A C
A C
Reply to  C M
3 meses atrás

Caro C M,
Os chineses tambem sao capazes de falar a lingua dos Taliba. Nao vou falar qual eh mas aqui vai uma pi$ta… <silencio>

USS Independence
Reply to  A C
3 meses atrás

O dinheiro fala mais alto que qualquer ideologia ou religião.
Para os Talibãs a China pode destroçar os Uigures, o que importa mesmo é o dinheiro que eles poderão botar a mão.

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  C M
3 meses atrás

C M. Eles não fizeram nada que os ocidentais não estejam acostumados a fazer. Agora certamente, se não insistirem em conceitos vagos sobre democracia ocidental, conversão de religiosos, drogas, e outros comportamentos sociais exóticos. Não terão problemas. São competentes para fazerem negócios. Basta ver o legado americano de quase vinte de invasão.

Hélio
Hélio
Reply to  C M
3 meses atrás

Não, só bombardeira seus países e financiam grupos terroristas para lutarem entre si e exterminar suas populações.

Antonio Cançado
Reply to  Antonio Palhares
3 meses atrás

Eu sempre me pergunto que tipo de pessoa apóia, defende e gosta de regimes autoritários e tirânicos, e ainda por cima tem simpatia por grupos terroristas assassinos…

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Antonio Cançado
3 meses atrás

Principalmente quem não apoia grupos terroristas, cortadores de cabeças, destruidores de patrimonio da humanidade. Recrutados, treinados e mantidos por uma potencia estrangeira. Chamados de oposição moderada.
Para derrubar um governo legítimo de um pais soberano, que faz parte da ONU. Concordo com o senhor.

ALISON
ALISON
Reply to  Antonio Palhares
3 meses atrás

Com ctz

ALISON
ALISON
Reply to  Antonio Cançado
3 meses atrás

Vdd… Devia perguntar aos EUA pq não invade logo o maior cometedor de violações aos Direitos Humanos do Mundo que, por coincidência, é tb o maior produtor de Petróleo… Assim vc pode traçar um perfil dos Governantes Americanos…

Coronel James Braddock
Coronel James Braddock
Reply to  Antonio Palhares
3 meses atrás

Bobagem

Bruno
Bruno
Reply to  Antonio Palhares
3 meses atrás

ficarão mesmo, apoiando grupos terroristas como o talibã.

Pedro Bó
Pedro Bó
3 meses atrás

No mínimo curiosa essa “parceria”, porque chineses não são simpáticos e nem tolerantes ao Islamismo radical, vide a forma como lidam com os uigures.

Matheus S
Matheus S
Reply to  Pedro Bó
3 meses atrás

A China é pragmática. Eles irão fazer negócios com quem quer que seja, independentemente dos valores e condutas de um país, mas que seja benéfica para a China essa relação comercial.

Veja como eles pretendem pacificar o Afeganistão: https://www.statecraft.co.in/article/china-offers-infrastructure-investment-to-the-taliban-in-exchange-for-peace-in-afghanistan

Pedro Bó
Pedro Bó
Reply to  Matheus S
3 meses atrás

Nas entrelinhas eu não me referia ao pragmatismo chinês, mas sim ao fato de que grupos islâmicos radicais e terroristas como o Hezbollah, Daesh e o próprio Talibã mantém-se silentes quando se refere ao tratamento chinês aos muçulmanos em seu território. Puxando pela memória, não vi até hoje um grupo desses ameaçando levar a “guerra santa” aos chineses.

Matheus S
Matheus S
Reply to  Pedro Bó
3 meses atrás

Na realidade, os uigures estão bastante presentes no Taliban, muitos deles vão com passaporte turco para se juntar aos jihadistas no Afeganistão, a questão dos uigures se expandiu muito além das fronteiras da China. A questão uigur é geralmente vista como um problema de segurança interna chinesa, mas alguns analistas argumentam que ela também deve ser considerada no contexto da crescente jihad global e do fundamentalismo islâmico. O ponto crucial é que o caso uigur está sendo cada vez mais sequestrado pelos movimentos jihadistas, principalmente no Afeganistão, onde vários militantes uigures estão lutando ao lado do Taliban e da Al Qaeda.… Read more »

Matheus S
Matheus S
Reply to  Matheus S
3 meses atrás

Leia essa matéria para entender o mínimo sobre a complexidade dessa situação: https://foreignpolicy.com/2021/01/27/afghanistan-china-spy-ring-mcc-mining-negotiations-mineral-wealth/

Hcosta
Hcosta
Reply to  Pedro Bó
3 meses atrás

Talvez a questão mais perigosa não seja a religiosa mas o risco de independência da região e as consequências para um regime autoritário.
E combate-se com a imposição de uma identidade chinesa e a eliminação da identidade local.

USS Independence
Reply to  Pedro Bó
3 meses atrás

O dinheiro é nesse caso a linguagem universal…
Os Tabibãs que abram o olho. Os chineses são perseverantes e pacientes. Com o tempo irão dominar o Afeganistão e nada mais restará de sua independência ou autonomia.

Jagdverband#44
Jagdverband#44
3 meses atrás

Reconstrução de que? Nunca tiveram nada.
Só plantação de papoulas.
Não assistiram Rambo II não?

Kommander
Kommander
Reply to  Jagdverband#44
3 meses atrás

Não sabia que Rambo 2 se passava no Afeganistão.

carcara_br
carcara_br
3 meses atrás

A diferença entre levar estrada e B-52.
Esse negócio de softpower serve pra nada…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  carcara_br
3 meses atrás

Exatamente.
O Afeganistão ganhará muito tornando-se caminho para a Iniciativa Belt & Road.
E sacramenta a expulsão dos americanos da Ásia Central.

carcara_br
carcara_br
Reply to  Antoniokings
3 meses atrás

No mínimo vai diminuir o valor do frete da papoula, mas eventualmente tornará mais simples aos afegãos comprar bugigangas no aliExpress, ou remédios pras suas cabras e depois vender sua carne. As vezes aquele nível a laser baratinho usado na construção civil vai chegar rapidinho.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  carcara_br
3 meses atrás

Ao que parece, o Afeganistão oferece boas rotas para mercadorias, oleodutos e gasodutos.

Hcosta
Hcosta
Reply to  carcara_br
3 meses atrás

Os EUA gastaram muitos biliões em infra estruturas.
Ao contrário do Iraque os combates eram em zonas rurais e com pouca infraestrutura.
Os Talibans destruíram muita coisa que os EUA construíram.

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  carcara_br
3 meses atrás

Tá cheio de fã boy que não entende. Veja o caso do nosso presidente.
Detonou os Chinas e depois foi “pianinho” comer nas mãos deles.

FERNANDO
FERNANDO
3 meses atrás

Arrisca do Talibã se tornar democrático, o Afeganistão se tornar um dos países mais desenvolvidos do mundo, e o Brasil continuar sendo a mesma MERDA que sempre foi.
Querem apostar???

Kommander
Kommander
Reply to  FERNANDO
3 meses atrás

Eu não duvido nada, melhor nem apostar hehe

Michel
Reply to  FERNANDO
3 meses atrás

Colega, há sutis verdades em suas palavras. Portanto, não apostarei.

Filipe
Filipe
Reply to  FERNANDO
3 meses atrás

Desculpa Fernando, mas vc jogou pesado…

Teropode
Reply to  FERNANDO
3 meses atrás

Tenho esta mesma impressão ….

Gabriel BR
Gabriel BR
3 meses atrás

Os yanques sentaram na graxa !
milhares de americanos perderam suas vidas em troca de nada

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Gabriel BR
3 meses atrás

E a ‘intervenção’ custou US$ 1 trilhão aos cofres americanos.
Desastre total.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Antoniokings
3 meses atrás

E os yankees podem deixar cair no colo dos chineses um país com reservas minerais de USD 1TRI de dólares…

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Adriano Madureira
3 meses atrás

Exato! Lítio, Cobre , terras raras…

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Adriano Madureira
3 meses atrás

Os competentes Yankes…

Pedro
Pedro
Reply to  Antoniokings
3 meses atrás

E quam ia bancar a LM, BOEING e demais? Lembra que a Alemanha era um país voltando para a guerra? Sua máquina estatal, militar e principalmente industrial era alimentada pela guerra. Isso ocorre da mesma forma, só que em menor grau nos USA. $$$$$$$$$$$$$

C M
C M
Reply to  Gabriel BR
3 meses atrás

Os lobistas da indústria armamentista ganharam bastante, pode ter certeza.

Eles transitam entre Republicanos e Democratas com a maior facilidade, levando e trazendo malas com fartas promessas. Tudo legalizado.

Antonio Cançado
Reply to  Gabriel BR
3 meses atrás

Mais que os americanos, perderam o Afeganistão e os afegãos. Não por acaso conhecido por ‘cemitério de impérios’, como bem sabem os britânicos e os soviéticos. Agora os protoimperialistas chineses também saberão

Jonny BR
Jonny BR
3 meses atrás

Os Chineses serão o primeiro império a levar ordem e progresso a esta grande e vasto país, poderiam começar com uma boa e velha ferrovia,
Desejo sorte ais Chineses.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
3 meses atrás

Acreidte quem quiser que o Talebã vai ficar quieto por muito tempo vendo os irmãs de fé sendo perseguidos na China. No começo vão cumprir com a palavra, mas depois vão começar a apoiar os Uigures e questão de fé para eles combater os infiéis!

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Fabio Araujo
3 meses atrás

Pra vc ver que esse papo furado de uigur não cola, né?

Pedro
Pedro
Reply to  Antoniokings
3 meses atrás

Como assim papo furado? Você é a favor de extermínio de minorias étnicas e religiosas?

Teropode
Reply to  Fabio Araujo
3 meses atrás

De boa , na verdade eles estão se lixando para este papo de irmãos de fé , isto é a utopia ocidental , os caras querem lenços e espelhos e mais ainda ; que o vendedor não de pitaco na política interna , dito isto , acredito que será interessante ver como a China vai lidar com isto , bora assistir pessoal …..

Antoniokings
Antoniokings
3 meses atrás

É uma excepcional notícia.
Que traga paz e prosperidade ao povo afegão.

Antonio Cançado
Reply to  Antoniokings
3 meses atrás

Pena que vc não pode ouvir a gargalhada alta que soltei aqui…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Antonio Cançado
3 meses atrás

Nem a minha sabendo da derrota americana e o trilhão de dólares jogados fora.
Isso não tem preço.

Michel
3 meses atrás

Enquanto a nação do norte levou ocupação militar, guerra, matança, humilhação para os afegãos mortos e os vivos – os militares estadunidenses, por exemplo, urinavam em cima dos cadáveres dos adversários tombados -, toneladas de lixo a céu aberto foram deixados sem tratamento algum, preconceito contra os locais, etc., a China ocupará o Afeganistão através do caminho suave.
Definitivamente a roda do tempo volta-se para os Caminhos do Oriente.

Last edited 3 meses atrás by Michel
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Michel
3 meses atrás

Perfeito.
O futuro está no Oriente.

Antonio Cançado
3 meses atrás

Se os terroristas assassinos gostam da China, é porquê a China não é boa “pessoa”…

Michel
Reply to  Antonio Cançado
3 meses atrás

Depende de quais terroristas você esteja se referindo.
Os locais ou àqueles que vêm do norte, financiam os terroristas locais e, logo após, quando a água sobe, se fazem de bonzinhos e também colocam o terror? Ou ambos?

Matheus
Matheus
Reply to  Antonio Cançado
3 meses atrás

“O Terrorista de alguns, são heróis para outros”.

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Antonio Cançado
3 meses atrás

Terroristas assassinos tipo os tais terroristas “moderados” apoiados pelos Estados Unidos, Europa Ocidente e Israel na Síria e expulsos de lá pela Rússia e Irã na bala?

Hcosta
Hcosta
3 meses atrás

Também está na altura de a China começar a ter alguma responsabilidade.
Se mantiver a pressão para as coisas não piorarem e não regressarem, na pior das hipóteses, ao mesmo nível de 2000, então muito bem que o façam.
Mas é preciso assumir mais responsabilidade por isso. Não basta assinar acordos económicos. Se correr mal, serem também responsabilizados e não andar a encobrir um regime sanguinário, como é normal nestas situações.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
3 meses atrás

A China é o único país sem escrúpulos que apoiaria o governo desses terroristas, até a hora que começar a se voltar contra eles e não vai demorar muito já que a China já tem problemas com islâmicos no seu território.

Pablo Maroka
Pablo Maroka
Reply to  SmokingSnake 🐍
3 meses atrás

estou enojado!

Hélio
Hélio
Reply to  SmokingSnake 🐍
3 meses atrás

Já se esqueceu que quem criou, apoiou, armou e treinou o talibã foram os seus amados americanos? Aliás, fizeram o mesmo com a Al Qaeda, com o ISIS e todos os outros que você chama de assassinos.

Filipe
Filipe
3 meses atrás

Os Chineses precisão do Afeganistão por ser um ponto geográfico estratégico, os Chineses são Aliados do Paquistão, o Paquistão é o país que mais influência tem no Afeganistão, logo nada mais natural do que os Talibãs recebam o dinheiro chinês, construção de infraestruturas , mas sem a mudança de regime.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Filipe
3 meses atrás

O Afeganistão está ‘cercado’ por algumas ex-Repúblicas Soviéticas, Irã, China e Paquistão.
Ou seja, tudo sobre controle russo-chinês.
Os EUA foram expulsos da região.
Em tempo: Washington está tentando negociar com algumas dessas ex-Repúblicas a presença de algum efetivo americano para monitorar os afegãos.
Mais um efeito da derrota militar que tiveram.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
3 meses atrás

Bem que eu já havia falado há muito tempo…

Quando os eua saíssem do Afeganistão, eles provavelmente poderiam cair no colo da China, certamente ter um novo amigo com trilhões de dólares em reservas minerais e precisando de infraestruturas como saneamento, estradas, habitações entre outras demandas cai muito bem…

Teropode
Reply to  Adriano Madureira
3 meses atrás

Se trouxer dignidade ao povo , tá tudo certo.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
3 meses atrás

Vocês acham mesmo que a China se importa com quem terá que negociar🤔🇨🇳⁉️ Sejam esses um governo talibã ou democrático 🤔⁉️ Eles querem negociar‼️ Me veio a cabeça uma frase do vilão de um dos filmes de 007: Dominic Greene : “Você deve saber algo sobre mim e as pessoas com quem trabalho. Lidamos com a esquerda ou com a direita, com ditadores ou libertadores. Se o atual presidente fosse mais agradável, eu não estaria falando com você. Então, se você decidir não assinar, você vai acordar com o saco na boca e seu substituto disposto ao seu lado. Se… Read more »

Welder
Welder
3 meses atrás

Eu acho que a maioria das pessoas não esperava por isso. Subestimarão a capacidade diplomatica do talibã. Mas, pensando bem os EUA deve ter feito muita besteira no afeganistão, a ponto do talibã ignora a questão dos iugures e considera uma aliançã com os chineses. (para devolver a porrada no futuro).

Doug385
3 meses atrás

É o pragmatismo chinês. Ao invés de levarem democracia, vão levar dinheiro e talvez até alguns AK-47. Não estão nem aí para o que o Talibã faz.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
3 meses atrás

Essa relação tem tudo para da errado na minha visão, pode até da certo no começo, mas depois… A china mantem uigures em campos de “reeducação” , é um nome mais bonitinho do que “concentração” , uma hora ou outra alguém dentro do talibã pode não concordar e assim começar um conflito interno, e o final todos já sabem.. Ai a China vai querer defender seus interesses, consequentemente pode usar seu poder militar, bem, ai ela vai entrar num atoleiro, o mesmo que a URSS e EUA entraram. Não se negocia com terroristas, os EUA fizeram isso e quebraram a… Read more »

Segatto
Segatto
Reply to  Heinz Guderian
3 meses atrás

A China construiu muitos arranha-céus nas duas últimas décadas, alvos potenciais existem ao monte

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
3 meses atrás

A China vai arranjar o seu Afeganistão, provavelmente com os mesmos resultados do Afeganistão da URSS e o Vietnã dos Americanos…

Segatto
Segatto
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
3 meses atrás

Ou invadir o Vietnã de novo…

Rodrigo
Rodrigo
3 meses atrás
Wellington
Wellington
3 meses atrás

Parece que a próxima guerra do Afeganistão será contra a China.

Segatto
Segatto
3 meses atrás

Depois dos britânicos, soviéticos, americanos, agora é a vez da China, vai lá China, vai que é tua, uhehueuhe

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Segatto
3 meses atrás

Britânicos,soviéticos,americanos e chineses não são de nada ! É porque esses afegãos folgados não conhecem nosso Hard Power e nosso jeitinho Brasileiro…

Basta enviar um grupo de operações especiais do centrão e esses barbudos de chinelo nos pés sentam a mesa para negociar…

comment image

Segatto
Segatto
Reply to  Adriano Madureira
3 meses atrás

Olha, você me deu uma ideia, o Afeganistão é o principal produtor de heroína do mundo, reúne os traficantes e envia dizendo que se eles tomarem o país a boca de droga afegã será deles, dou 5 meses para o Talibã e outras guerrilhas caírem frente ao poder bélico de nossos traficantes, dizem que o terreno montanhoso torna as operações difíceis, enquanto isso temos algumas divisões de tropas traficas treinando nos morros cariocas desde que nasceram, os islâmicos não terão chance

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Segatto
3 meses atrás

Pior que é mesmo, aqui no Brasil temos facções tão sanguinárias quanto esses grupos terroristas.
Na verdade, narcotraficantes, milicianos, deveriam ser classificados como terroristas, não é normal um “bando” de indivíduos de fuzis, metralhadoras na rua, aliciando crianças e tendo seu próprio tribunal, matando, roubando, e abusando de moradores.
Mas, alguém ou alguns, do topo da pirâmide lucram muito com isso, por isso vivemos esse terror aqui no Brasil, como expoente máximo o RJ, mas que já se disseminou para outras regiões. Muito triste e preocupante.
Estamos caminhando a passos largos para virar um México da vida, nesse quesito.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Segatto
3 meses atrás

comment image

Zorann
Zorann
3 meses atrás

A China compra e vende sem se preocupar com sistemas de governo. E ela está certa. Se é lucrativo para o povo de seu país, tem de comercializar mesmo.

Teropode
Reply to  Zorann
3 meses atrás

Espero que o modo chinês traga um alívio e dignidade ao povo afegao , torço para que a PAX Chinesa traga um ambiente menos ácido lá naquelas terras .

And
And
3 meses atrás

Europeus e Americanos destroem e matam, Chineses constroem e da acesso a tecnologia e sua bugigangas.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  And
3 meses atrás

Os chineses são os portugueses do século XXI, com seus “espelhos e panelas”…

sub urbano
sub urbano
Reply to  Adriano Madureira
3 meses atrás

Eu ja acho o modus operandi deles mais parecido com o dos holandeses na epoca das navegações.

Andromeda1016
Andromeda1016
Reply to  And
3 meses atrás

Você deve ter chegado a essa conclusão enquanto cavalgava no seu unicórnio azul acompanhado da fada sininho não? Não sabia que nações eram só maus ou só bons … pelo jeito faltou a um montão de aulas de história na escola.

Hoplita
Hoplita
3 meses atrás

A saída atabalhoada dos EUA do Afeganistão representa uma derrota estratégica – política e militar – maior do que pensamos. Vejamos: A ocupação “punitiva” ao Talibã fracassou. Logo, o objetivo estratégico não foi alcançado. A ideologia do radicalismo islâmico e os campos de treinamento guerrilheiro mantem-se tal qual antes. Agora serão oficializados como parte do novo poder estatal. Um novo Osama Bin Laden sempre pode reaparecer. O governo títere financiado pelo contribuinte dos EUA e por nós (através do sistema de crédito e juros da dívida pública do EUA) cairá em questão de meses. Bilhões de dólares em investimentos perdidos… Read more »

J-20
J-20
3 meses atrás

Aquele alerta de “sabia” não parava de piscar.

Wilton Santos
Wilton Santos
3 meses atrás

A União Europeia mal consegue ajudar os países europeus mais pobres do bloco como Grecia e Portugal, o que diria ajudar outros países fora do Bloco. As taxas de desemprego em países como Espanha e Itália são alarmantes. O único país que se beneficia no bloco é a Alemanha. Não é por acaso que os partidos políticos contrários ao Bloco tem crescido. A saída do Reino Unido é um exemplo. Na Itália se não tivessem derrubado o primeiro ministro Salvini teria seguido o mesmo caminho. Que conhece a União Europeia sabe muito bem a força que os euroceticos tem conquistado… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Wilton Santos
3 meses atrás

Marine Le Pen teve um péssimo resultado nestas últimas eleições. Os que são euro céticos são cada vez mais discretos derivando para outros assuntos como a imigração e ordem moral, seja lá o que isso for. Sabem muito bem que a grande maioria da população apoia a UE. Se não fosse a UE, Portugal e Grécia teriam passado por uma crise muito maior. E a UE são 26 países. A saída do RU é uma consequência de fake news e de como os políticos Britânicos utilizavam a UE como a origem para todos os males para se auto promoverem. Cameron… Read more »

Andromeda1016
Andromeda1016
Reply to  Hcosta
3 meses atrás

Compartilho de sua opinião de que o Brexit foi um tiro político que deu errado. Era para ser uma manobra política populista para chamar a atenção e só, pois nem os seus defensores acreditavam que daria certo, mas tudo deu errado e deu certo kkkkk

Marcos10
Marcos10
3 meses atrás

A coisa vai bem até que interesses econômicos e políticos se sobressaiam, dai vai ser mais um país a invadir o Afeganistão e tomar bordoada.

Andromeda1016
Andromeda1016
3 meses atrás

Os Talibãs estão interessados em dinheiro? Felizmente para os chineses, só eles tem isso não??? kkkkk Vão começar a abrir as pernas para os Talibãs e a coisa não vai parar por ai ….

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
3 meses atrás

Talibã e China…

Tudo a ver

Gabriel Galdino
Gabriel Galdino
3 meses atrás

Os territórios da antiga aliança do norte caíram em mãos taleban ? Eles conseguiram segurar a barra de 1996 – 2001.

Last edited 3 meses atrás by Gabriel Galdino
Blind Man´s Bluff
Blind Man´s Bluff
3 meses atrás

Como os outros antes dele, o Taleban caiu na armadilha chinesa da ganancia. Mal sabem eles que de la, irao direto para os “resortes” de “reeducacao” fazer companhia aos primos Uighurs.

Pedro
Pedro
3 meses atrás

Eu não sei o que é melhor para a região, se deixar as coisas, os Talibãs retomam de qualquer forma e um Estado Talibã é péssimo para o mundo ou deixarem se matando entre si com cada potência ora fornecendo armas para um lado, ora para outro…

Por fim, caso os EUA queiram fazer uma bela de uma sacanagem como fizerem com a URSS e depois beberam do mesmo veneno, podem fornecer armas os Talibãs e os fomentarem em favor da minoria étnica Uigures que vem sendo exterminada pelo Partido-Estado Chinês.

Pedro
Pedro
3 meses atrás

Pelo pragmatismo Chinês e fome apenas de mercado consumidor e commodities, é um triplo acerto ir ao Afeganistão. Abrem mercado, compra commodities (lá é um chão rico em minérios) e ainda podem mitigar uma eventual escalada jihadista para seu continente e continuar a massacrar os Uigures.

PauloF
PauloF
3 meses atrás

Acredito que seja apenas uma declaração para acalmar a China, por que ela tem muitos interesses na Asia Central e com os Russos que não são aliados do Taliban, mesmo o Paquistão seja um aliado de Pequim, no poder os Mulahs sempre foram poucos afeitos a estrangeiros, por isso é mais fácil o país se isolar do que se abrir a Pequim.

Últimas Notícias

Colin Powell, líder militar e primeiro secretário de Estado negro dos EUA, morre após complicações da Covid-19

(CNN) – Colin Powell, o primeiro secretário de estado negro dos EUA cuja liderança em várias administrações republicanas ajudou...
- Advertisement -
- Advertisement -