sábado, setembro 18, 2021

Saab RBS 70NG

Cabul pode cair em 90 dias

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O governo Biden está se preparando para a queda da capital afegã antes do inicialmente previsto. Uma avaliação anterior da inteligência norte-americana previa que Cabul poderia ser invadida dentro de seis e doze meses após a partida dos militares dos EUA. Um oficial, sob condição de anonimato, disse na terça-feira que os militares dos EUA agora avaliam que um colapso pode ocorrer em 90 dias. Outros disseram que isso poderia acontecer dentro de um mês.

Alguns funcionários disseram que, embora não estivessem autorizados a discutir a avaliação, eles vêem a situação no Afeganistão como mais terrível do que em junho, quando funcionários da inteligência avaliaram que uma queda poderia ocorrer seis meses após a retirada dos militares americanos.

“Tudo está indo na direção errada”, disse uma pessoa familiarizada com a nova avaliação de inteligência dos militares.

A piora das perspectivas ocorre quando os combatentes do Taleban, encorajados pela saída do exército americano, estão continuamente retomando o terreno das forças do governo afegão – incluindo pelo menos sete capitais de província em um intervalo de dias. No entanto, o presidente Biden insistiu na terça-feira que sua decisão de retirar as forças dos EUA não está em debate, dizendo que apesar do fraco desempenho militar dos afegãos, ele não “lamentou” sua decisão de encerrar a campanha de 20 anos e não está considerando qualquer mudança de planos à luz dos ganhos do Taleban.

“Vejam”, disse Biden a repórteres na Casa Branca, “gastamos mais de um trilhão de dólares em 20 anos. Treinamos e equipamos, com equipamentos modernos, mais de 300.000 forças afegãs. E os líderes afegãos precisam se unir ”.

Como a segurança no Afeganistão continua diminuindo, as conversas dentro do governo dos EUA se voltaram para a embaixada dos EUA em Cabul e se Washington deve mantê-la aberta – e por quanto tempo. Por enquanto, o Departamento de Estado disse que sua postura não mudou.

“Obviamente, é um ambiente de segurança desafiador”, reconheceu o porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price. “Estamos avaliando o ambiente de ameaça diariamente.”

Separadamente, John Kirby, o porta-voz chefe do Pentágono, disse na terça-feira que, por uma questão de política, o Departamento de Defesa não discute avaliações de inteligência. “Estamos cientes da deterioração das condições de segurança em partes do país, mas nenhum resultado em particular é inevitável”, disse Kirby. “Continuaremos coordenando ataques aéreos com – e em apoio às – forças afegãs quando e onde for viável. Mas, como o presidente deixou claro, os líderes afegãos precisam se unir ”.

Com a partida militar americana marcada para 31 de agosto, o apoio dos EUA aos afegãos diminuiu consideravelmente e agora é conduzido de longe. A menos que Biden mude a política, os limitados ataques aéreos dos EUA agora empregados contra o Taleban devem terminar este mês, com a conclusão da retirada militar.

“O presidente continua a acreditar que não é inevitável que o Taleban tome Cabul ou o país, e que eles precisam mostrar vontade política neste momento para recuar, e obviamente há um processo político que continuamos a apoiar”, Psaki disse, referindo-se às negociações demoradas entre o Taleban e o governo afegão, que ficaram em segundo plano em meio à ofensiva do Taleban.

Biden tomou sua decisão de retirar as forças dos EUA com conhecimento das consequências potenciais, acrescentou ela.

Price, porta-voz do Departamento de Estado, disse que as forças de segurança nacional afegãs “superam em muito o Taleban”, com uma “força de combate capaz de 300.000 soldados”. Avaliações dos EUA no passado indicaram que há menos do que isso devido à corrupção no exército afegão que inclui “soldados fantasmas” – pessoal contabilizado no papel, mas que não comparece para fazer seu trabalho. Outros soldados fugiram de seus postos nos últimos dias quando enfrentaram ameaças do Taleban.

FONTE: Washington Post

- Advertisement -

267 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
267 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
RPiletti
RPiletti
1 mês atrás

Super Tucanos na força aérea Taleban?

Nilo
Nilo
Reply to  RPiletti
1 mês atrás

Tinha feito essa pergunta a tempos da possbilidade das 26 unidades do ST cair nas mãos do Taliban, ou seria retirado a tempo do Solo Afegão?, mas para onde seria levado?, as linhas de crédito são do governo dos Estados Unidos, no âmbito do programa de reconstrução das forças armadas afegãs,cedidas a Força Aérea Afegã, então essas Aeronaves estarão logo nos EUA.
Deixar esse patrimônio no Afeganistão o governo americano cobraria o pagamento?

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  Nilo
1 mês atrás

no caso creio q os proprios pilotos iriam pilotando para outros países já q eles também tem cido cassados em solo pelo talebã

Fabricio Lustosa
Fabricio Lustosa
Reply to  RPiletti
1 mês atrás

Minha nossa! Os vizinhos q se cuidem 🤣🤣🤣🤣🤣🤣

Paulo Araújo
Paulo Araújo
Reply to  RPiletti
1 mês atrás

O Talibã está matando seletivamente os pilotos de Super Tucano. Matou seis até agora. Daqui a pouco não decolam mais. E o pessoal de manutenção praticamente desapareceu. E, acabaram as bombas guiadas a laser.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Paulo Araújo
1 mês atrás

Não me causaria nenhuma surpresa
ver-los aterrissando em Teerã.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Ou no Paquistão

Homero
Homero
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

“Cabul pode cair em 90 dias”
KABUM!!! Cabul caiu em 3 dias!

Last edited 1 mês atrás by Homero
Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  RPiletti
1 mês atrás

Se fossem competentes, esses Super tucanos deveriam estar sendo usados contra o avanço do Taleban. Os pilotos afegãos tiveram treinamento em vôo com equipamento de visão noturna, vôo de baixo nível e o uso de munições guiadas com precisão, o A-29 é a espinha dorsal da capacidade de ataque da Força Aérea Afegã. 88% das suas munições são guiadas a laser( GBU-58 ) e com excelente precisão. Uma aeronave que foi projetada para funções de contra-insurgência e apoio aéreo aproximado, também pode ser usado para missões de reconhecimento em ambientes de baixa ameaça e é capaz de operar em pistas não… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Adriano Madureira
1 mês atrás

Se assim fosse os EUA tinham acabado com os Talibãs há muito tempo. Ou os pilotos de A-10, Apache etc… são incompetentes?
As forças armadas dos EUA não conseguiram e agora alguns ST vão resolver o assunto?

Ramon
Ramon
Reply to  RPiletti
1 mês atrás

Se o governo do Afeganistão cair acredito, que os EUA vão bombardear as bases com aeronaves e outros equipamentos úteis para os terroristas, pois o taleban vem tomando muito armamento das forças armadas e os utilizando para conquistar cada os territórios do governo.

Fers
Fers
Reply to  RPiletti
1 mês atrás

Membros do Talibã com um A29 capturado.

226572606_973064133476513_2291323413872575799_n.jpg
Caio César
Caio César
1 mês atrás

Pelo q to vendo 90 dias é otimismo

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Caio César
1 mês atrás

Pelas últimas notícia, também acho que vai cair antes.

MFB
MFB
Reply to  Caio César
1 mês atrás

A turma que recebeu os equipamentos e treinamento é a parcela fraca e corrupta. Os guerreiros infelizmente estão na parte fundamentalista. Se o governo durar mais 90 dias será um milagre.

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Caio César
1 mês atrás

Com certeza, é o me iluda e me engane que eu gosto. A queda será rápida e cruel.
O Talibã vai promover uma das maiores matanças dos últimos tempos.

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  Antonio Palhares
1 mês atrás

sim e eles estão aliados ao estado islamico e em todas as cidades q conquistam a primeira coisa q fazem é liberar os presos…será um banho de sangue realmente…

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  Caio César
1 mês atrás

se não cair esse mês cai em setembro infelizmente

Camargoer
Camargoer
Reply to  horatio nelson
1 mês atrás

Olá Horatio. Agosto. sempre agosto.

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

olha camargoer vendo o jornal agora vejo q será em agosto mesmo…já estão a menos de 30 km da kabul….

Camargoer
Camargoer
Reply to  horatio nelson
1 mês atrás

Olá Horatio. Mês de cachorro louco.

silvom
silvom
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

precisamos abolir agosto e distribuir seus dias entre os outros meses!

Camargoer
Camargoer
Reply to  silvom
1 mês atrás

Olá Silvom. Pode ser a única solução. E adotar o horário de verão para economizar energia elétrica.

Teropode
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Horário de verão é sacanagem 😭😭😭😭

Junior Souza
Junior Souza
1 mês atrás

Uma coisa que não vejo ninguém abordar é a rede de apoio ao Talibã no Oriente médio, eles contam com suporte financeiro pesado para se manterem lutando ano após anos,se dependessem apenas do tráfico de ópio ja tinham perdido a guerra.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Junior Souza
1 mês atrás

Olá Jr. Concordo com você A impressão que tenho é que o “tráfico de ópio” se parece mais com uma cortina de fumaça para encobrir as verdadeiras fontes de financiamento. Desde que Fukuyama afirmou que a democracia liberal tinha triunfado decretando o fim da história, parece que a história é outra.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Nada disto…basta estudar as milicias cariocas…é o governo corroendo o proprio governo…..cada sargento, tenente prefeito lá é dono de uma boca, conquista um territorio e ganha o direito de explorar a area com o comercio local, seja gas, internet, combustivel, etc….

trocando em miudos…nada mais do que mafia pulverizada….

porque o soldado organico vai colocar o dele na reta se são as proprias autoridades locais é quem estão organizando e comandando o proprio inimigo?

ta todo mundo envolvido….é por isto que as forças locais não combatem e o alastramento vem rapido….

Gabriel Galdino
Gabriel Galdino
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

O apoio paquistanês ao talibã é conhecido, o Paquistão apoiou ativamente Gulbuddin Hekmayar até o talibã começar a ganhar proeminência, o ponto em comum entre eles dois, ambos são pashtuns e ao Paquistão interessa ter eles como aliados, já que eles também estão presentes na região fronteiriça entre Afeganistão e Paquistão. Alguém irá forçar o Paquistão a parar de apoiar o Talibã ? Duvido muito.

Sequim
Sequim
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Fukuyama era um neoliberalóide estúpido e arrogante, como todos, aliás.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Sequim
1 mês atrás

Olá Sequim. Creio que é momento de voltar e reler “O fim da história e o último homem”. Ano que vem ele completará 30 anos. Acho que é um bom ponto de partida para entender o que veio depois, inclusive no Brasil. Aconteceram coisas incríveis neste período. Acho que o livro pode servir (agora) para reflexão e autocrítica sobre o que fizemos e o que deixamos de fazer nestas três décadas. Eu acho que li em 94 ou 95… talvez tenhamos sido todos (eu inclusive) estúpidos e arrogantes ao longos destes trinta anos.

Igor Campos de Almeida Lima
Igor Campos de Almeida Lima
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Olá Camargoer! Como sempre, aprendendo com seus comentários de valor agregado! Um abraço!

Camargoer
Camargoer
Reply to  Igor Campos de Almeida Lima
1 mês atrás

Olá Igor. Obrigado pelas palavras. Eu tento mesmo contribuir aqui no que posso, o que é limitado a poucos temas. Valeu.

Luciano
Luciano
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Olá, Camargoer. Rapaz, vc estuda historiografia nos bastidores, na maior!!rsrs Se eu tivesse a base em exatas que vc tem em história, eu não pagava mico fazendo conta em calculadora!!rs

Camargoer
Camargoer
Reply to  Luciano
1 mês atrás

Olá Luciano, meu amigo. Fico emocionado com suas palavras. Obrigado de coração.

Luciano
Luciano
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Ah, falando em Taleban, lembrei de um filme muito bonito e muito triste “Caminho para Kandahar”! Recomendo!

Camargoer
Camargoer
Reply to  Luciano
1 mês atrás

Olá Luciano. Obrigado pela sugestão do filme. Vou tentar ver este fim de semana. Eu lembrei de um filme que assisti lá na década de 90 sobre um um tanque soviético que precisa atravessar uma região do Afeganistão. Lembro que fiquei bastante impressionado com este filme.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Junior Souza
1 mês atrás

não sei exatamente como eles recebem dinheiro, mas meu chute é que o Serviço de Inteligência do Paquistão deve ser um meio para isso, além de que já teve gente falando que o ISI atua diretamente apoiando o Talibã, ainda mais que o Osama estava no Paquistão….. EUA e Paquistão na frente das câmeras são amigos por trás……

Maurízio Souza e Souza
Maurízio Souza e Souza
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Bem, com certeza Arábia Saudita, EAU, Paquistão, talvez China (por causa dos Uigures) devem mandar recursos. Estou tentando lembrar um único país que os EUA invadiram nesse século e manteve sua integridade…

Paulo Araújo
Paulo Araújo
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

O ISI CRIOU o Talibã!

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Paulo Araújo
1 mês atrás

pelo que eu li, eles não criaram, mas deram suporte no incio, esse laço dura até hj, segundo o que eu apurei, o ISI manda no Paquistão.

MFB
MFB
Reply to  Junior Souza
1 mês atrás

Os americanos sabem disso. Mas a turma que entubou trilhões em dívidas com as guerras no contribuinte americano não se importa. Em breve eles arrumam um novo Iraque ou Afeganistão. Alguém da palpite do próximo candidato a receber a “democracia” americana?

Tomcat4,2
Reply to  MFB
1 mês atrás

Creio que vão mirar a Venezuela em algum momento.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

numa politica de repriorização? provavelmente…a eles precisam cerrar um cinturão de influencia e defesa para os USA aqui na AL, antes que china leve….é de fato um recuo para os EUA se reorganizarem em suas prroprias trincheiras…tem um grande jogo se descortinando aqui….

Camargoer
Camargoer
1 mês atrás

Olá Colegas. Lembrei da queda de Saigon. Após décadas de guerra, bilhões de dólares colocados para apoiar um governo corrupto e centenas de mortes de civis, chega um momento em que as tropas dos EUA são retiradas, deixando a população civil desamparada.

Nascimento
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Como sempre, os americanos traindo seus aliados, foi feito o mesmo com os Curdos inclusive. Meu medo é que essa tentativa americana de se tornar uma espécie de monopólio global da força militar, faça com que seus aliados fiquem muito dependentes do mesmo, e que caso o mesmo não esteja disposto, tudo desmorone.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Olá Nascimento. Você tem razão. As invasões no Iraque e no Afeganistão âmbito da guerra ao terror foi um desastre. A tendência é que o confronto com o “terrorista” seja substituída pela II Guerra Fria, agora contra a China. O problema é que Guerra Fria era um confronto ideológico entre o capitalismo e o socialismo soviético. Eu ainda não sei entender sobre o que está sendo construída essa II Guerra Fria.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

O fato é que a China, o Irã e também o Paquistão se livraram de um grande problema, qual seja, a presença de tropas americanas na região.
O Talibã, bem ou mal, se deixar quieto não incomoda ninguém.
Ficarão no seu obscurantismo até o povo de lá se encher daquilo.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Os Talibã não incomodam ninguém?
É preciso lembrar as atrocidades que faziam quando estavam no poder? E o apoio a outras redes terroristas responsáveis por milhares de mortos?

Agora vamos ver se o Paquistão ou a China assumem a sua responsabilidade e se conseguem controlá-los.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Interprete o que eu escrevi.
Estou me referindo a países e o atentado só ocorreu por causa da intervenção e crimes dos EUA na região.
Ademais, China, Paquistão e Rússia, agora estão dando as cartas na região e o taleban já os procurou para os futuros acordos.
Dizem os analistas que a China vai avançar muito na região.
Inclusive, parte do território tadjique e do Corredor e de Wakhan já estão ocupados por tropas chinesas.

Paulo Araújo
Paulo Araújo
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Eles estão em uma fase mais diplomática, agora.
Se se meterem a bestas com a China (uigures ) ou com a Rússia (os istãos em volta), vão ter problemas.
Devem ficar quietos só fazendo as maluquices deles em casa.
Isso será considerado problema interno do Afeganistão.
E vão lucrar com a reconstrução ( mais uma…).

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

“O Talibã, bem ou mal, se deixar quieto não incomoda ninguém.”
Pimenta nos olhos dos outros é refresco né kings, passar pano pra terrorista é o cúmulo.
No mais nem preciso comentar as atrocidades que o talibã cometeu e comete.

Last edited 1 mês atrás by Heinz Guderian
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Heinz Guderian
1 mês atrás

Prezado Heinz Guderian

Estou me referindo a relações internacionais e de forma pragmática.
Não há registros de intervenções militares do Taliban em outros países.
Mesmo porque eles não têm força militar para isso.
Evidentemente que a sua atuação interna é deplorável e criminosa.
Espero que um dia o povo afegão se livre deles.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Os Talibãs não são todos Afegãos. Lembre-se da quantidade de atentados que ocorreram por todo o mundo após a invasão.
Afeganistão era uma fábrica de terroristas geridos pelos Talibãs.
Fica-lhe mal tentar justificar ataques terroristas.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

‘Lembre-se da quantidade de atentados que ocorreram por todo o mundo APÓS A INVASÃO’.
Também não devemos esquecer que a origem e fortalecimento desses grupos islâmicos ocorreram devido ao apoio americano que cedeu armas e treinamento aos afegãos contra os russos.
O próprio Bin Laden se beneficiou disso.
Depois, voltou-se contra os EUA.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

O 11 de Setembro foi antes da invasão. Disse isso para demonstrar que as ações dos Talibãs não se limitavam ao Afeganistão. Apoiavam redes terroristas de todo o mundo ao dar-lhes abrigo e treino e não esquecer que os Talibãs são também terroristas.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Prezado

Refiro ao apoio americano aos afegãos quando da invasão soviética.
Os EUA armaram e treinaram os grupos muçulmanos e o próprio Bin Ladin participou dessa fase.
Depois ele se tornou inimigo dos EUA.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

E a culpa é somente dos EUA?
Quem criou o caos inicialmente foram os Russos. E fizeram o mesmo aos EUA ao dar prémios a quem matasse mais Americanos.
Não esconda a responsabilidade da União Soviética neste conflito. Aliás, uma invasão só para manter sob o seu controlo e através das armas.
Os EUA e a Europa tinham a justificação de terem sido atacados.

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Segundo Samuel Hutington… The Clash of Civilizations.

Tomcat4,2
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Creio que se constrói essa II Guerra Fria sobre o poderio econômico e a manutenção do status de primeira potência mundial por parte do titio Sam que vê a China crescendo e aumentando seu poder bélico e econômico . Nisso tio Putinsk só comendo pelas beiradas de boas!!!rs

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Camargoer.

Exatamente.
Parece o mesmo script.
Lembro, ainda criança, de ouvir pelo rádio do ônibus escolar os avanços das tropas norte-vietnamitas em direção a Saigon.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Um dos objetivos dos EUA é capacitar os exércitos locais com a capacidade de se defenderem. Recebem apoio técnico e material e o resultado costuma não ser bom para os seus aliados.
Mas em alguma altura isso tem de acontecer. Não sei o que podiam ter feito de diferente.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Caro HCosta. A ideia de financiar governos corruptos para montar exércitos treinados e equipados é um fracasso recorrente. Para estes governos, a crise é fonte de recursos que são desviados para enriquecimento de suas elites. Para eles, resolver o problema é o fim da ajuda financeira.

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Inesquecível.

Lucas
Lucas
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

A situação e muito parecida mas existe uma pequena diferença. A mídia militar americana informou ontem que os EUA vão mandar uma Brigada nos próximos dias para CABUL e região apenas para desocupar a embaixada americana. A saída dessa vez será organizada. Outro fato é que os EUA estão levando os aliados, pessoal que trabalhou pras tropas americanas como interpretes, tradutores, médicos, seguranças, etc. antes da sua saída. Mais de 70 mil já foram pros EUA nos últimos anos. Parece que ainda faltam 8 mil. Em Saigon a maioria desse pessoal ficou pra trás. Quem conseguiu embarcar nos helicópteros da… Read more »

Heitor
Heitor
1 mês atrás

90 dias? Acho que menos…

Guilherme Poggio
Editor
1 mês atrás

Um caso interessante seria comparar a atual situação com a queda de Cabul ocorrida em 1992, após a saída dos soviéticos (que deixaram o país em 1989). O processo atual de deterioração parece muito mais acelerado e isso tem vários motivos. Um deles é a pouca fragmentação da resistência, com a presença de um grupo hegemônico (o talibã).
.
Acho que esta sim é uma discussão interessante.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Guilherme Poggio
1 mês atrás

Olá Poggio. Naquele momento, os afegãos tiveram apoio dos EUA para enfrentar os soviéticos e para derrubar o governo de extrema-esquerda implantado por meio de um golpe de estado. A invasão soviética durou 10 anos. Os soviéticos perderam 15 mil tropas. È interessante lembrar que no pico, os EUA tinham 120 mil tropas no Afeganistão, mais do que os 115 mil soviéticos ao longo de 10 anos. Os EUA perderam 2,3 mil tropas, e outros 20 mil feridos. Comparando assim, os dois países passaram pelo mesmo desastre.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Camargoer
15 mil mortos.
55 mil feridos.
Os soviéticos tiveram grandes problemas no Afeganistão.
A doutrina q inclui não preservar o soldado trás enorme prejuízo.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Agnelo
1 mês atrás

Olá Agnelo. Você tem razão. Mencionei os 15 soldados soviéticos mortos mas foi ótimo você acrescentar os 55 mil feridos. Como comparação temos os 58 mil soldados dos EUA mortos e 300 mil feridos em 10 anos para um pico de 500 mil soldados. Por outro lado, os EUA perderam 400 mil soldados e quase 700 mil feridos. A relação mortos/feridos vem diminuindo.

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Camargoer, sem contar que os EUA escondem suas baixas. Um exemplo é quando o Irã atacou uma base dos EUA em retaliação ao assassinato vil do General Soleimani. Eles fizeram de tudo para esconder as baixas. No fim, afirmaram que tiveram “apenas” 104 feridos (ferimento no crânio – kkkkkkkkkkkkk). Se realmente não morreram, estão aleijados, o que pode ser até pior.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Prezado, se está se referindo ao Vietnã com 58.000 mortos, foram 156.000 feridos.
Sim, vem diminuindo. A Logística de saúde dos EUA vem melhorando muito, fruto do horror à baixas do Vietnã.
Pra 4 baixas, era 1 morto.
Hj, houve períodos de 1 morto em 13 baixas, mesmo com a letalidade dos meios utilizados.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Olá Agnelo. O meu celular picou a mensagem. Precisa de uma errata… 1. Ao invés de 15 soldados soviéticos, o certo é “15 mil soldados soviéticos”. 2 Na comparação com os 58 mil soldados mortos, faltou mencionar que era sobre a Guerra do Vietnan. 3. No trecho sobre a perda de [quase] 400 mil soldados dos EUA, faltou mencionar que era sobre a II Guerra. Desculpem os erros. Nem eu entendi o que eu escrevi.

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Agnelo
1 mês atrás

“Mas em conflitos de alta intensidade, os EUA são imbatíveis.” kkkk..Você é hilário, tenho vergonha de ter um soldado das nossas FFAA como você. Quer um conselho, de graça ainda, aliste-se no exército dos EUA. Lá pelo menos estaria servindo ao país que realmente ama.

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Agnelo
1 mês atrás

Deixa de ser cínico. Essa história de que a Rússia possui doutrina que não preserva o soldado é um mito criado pela propaganda ocidental. Todo exército, todo comandante, tenta preservar seus soldados. A diferença é que o soldado ocidental é um maricas, tem medo de morrer e, por isso, não se expõe tanto e, logo, fica sendo muito mais limitado. Os russos, quanto entram numa briga, é para valer. É como um boxeador que tem medo de tomar soco. Por mais forte e técnico que seja, esse boxeador sempre será medíocre.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  100nick-Elã
1 mês atrás

Pois é!
A Rússia deve ter uma fábrica infindável de soldados, porque com a doutrina de não preservar soldados, expulsaram os mongóis de volta para o leste, derrotaram Napoleão, Hitler e os japoneses.
Alguns dos Exércitos mais poderosos da História.
Haja soldado!

Hcosta
Hcosta
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Decidam-se. Um diz que a Rússia preserva os seus soldados, outro diz que não preservam soldados.

Hcosta
Hcosta
Reply to  100nick-Elã
1 mês atrás

É, a Rússia está cheia de heróis.
Na 2GM os comissários políticos até nem abatiam quem fugisse da frente. (ironia) E não foram poucos.
Soldado que não tem medo de morrer não é soldado, é um suicida.
Coragem é aguentar e cumprir as ordens.
E já chega dessas tretas de que os Russos são superiores. São pessoas com as mesmas qualidades e defeitos como o resto do mundo.
Os soldados ocidentais têm muita mais experiência de guerra do que os soldados Russos.

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Se não tem inteligência para entender uma ironia, não podemos fazer nada. Todo soldado tem medo d morrer, falta de medo é falta de inteligência, não coragem. A verdadeira coragem é fazer o que tem que ser feito, apesar do medo. E sim, é verdade, os soldados ocidentais têm muita mais experiência de perder guerra que os soldados russos.

Hcosta
Hcosta
Reply to  100nick-Elã
1 mês atrás

Não resisto mas qual foi a ironia? Sua ou do AntónioKings?

E os Russos tiveram uma vitória espetacular no Afeganistão.
Até foi melhor do que a dos EUA porque tiveram muitas mais mortes. (ironia)

Hcosta
Hcosta
Reply to  Agnelo
1 mês atrás

e um milhão de Afegãos mortos…

Nilo
Nilo
Reply to  Guilherme Poggio
1 mês atrás

A quem olhe a retira americana do Afeganistão como uma derrota, mas acredito ser uma decisão acertada e inteligente, de uma luta sem vencedor, mantida as tropas dos EUA. A saída americana transferirá para a Rússia e principalmenta para a China que faz fronteira, um foco de perigo iminente de insurgência permanente dos muçulmanos uigures que pode vir a sofrer influência dos talibans (se os americanos não derem uma mãozinha, vou virar jacaré) justamente o território de Xinjiang. EUA está jogando o problema para o colo principalmente da China. Um recuo estratégico interessante. Só esta unida por ter um inimigo… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Nilo
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Nilo
1 mês atrás

A China não tem muita preocupação com a situação do Afeganistão porque sua fronteira com o País é pequena, praticamente desabitada e inacessível.
É composta de altas montanhas e não tem estradas construídas.
É habitadas por por povos de origem tadjique e quirguiz e só tem um paço entre os dois países.
Parece muito com as inóspitas Cordilheiras do Himalaia.
Li também que os grupos afegãos não têm muita influência sobre grupos terroristas de muçulmanos chineses, que também são poucos e pequenos..

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Digo, só tem um ‘PASSO’. De passagem.
Paço diz respeito a ‘palácio’ ou algo do gênero.
Corrijam aí.

Nilo
Nilo
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Boa noite, Kings, mas, desde quando as barreiras geograficas limitaram a expansão de convicções, doutrinas e valores.
Havana sempre esteve a 9.582Km de Moscou e 531 km de Miami.
O quetem a haver um bilionário saudita com os pobres talibans?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Nilo

Refiro-me a possíveis confrontos ou contatos na região.
E até mesmo a passagem de pessoas e material pela fronteira que é facilmente controlada pela única passagem entre China e Afeganistão.
Dessa forma, o ‘téte-a-téte’ entre chineses e afegãos fica praticamente impossibilitado.
Outras formas de contato digamos, ‘imateriais’, seriam outros quinhentos.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Olá Nilo. Acho que são as duas coisas. É a decisão certa (a invasão foi um erro) e também um derrota. Acho que a invasão no fim fortaleceu o Taliban. Se por um lado, cada povo tem a sua liberdade de escolher sua religião e tudo mais, é preciso lembrar que o Taliban mantém um regime de violência contra as mulheres e minorias. A invasão dos EUA atrasou em décadas o avanço em relação aos direitos humanos.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Aí discordo. Os Talibãs tinham de ser removidos do poder.
E não houve um atraso em relação aos direitos humanos, isso já tinha sido feito pelos Talibãs. Pior não ficou em relação aos direito humanos.
Resta saber se os Talibãs de hoje seguirão os mesmo caminhos dos anteriores.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Caro HCosta. O que sabemos é que toda intervenção externa em um país do terceiro mundo para fazer uma “engenharia política” falhou. Claro que o Taliban é um grupo violento e extremista, mas o governo afegão também é violento e corrupto. O mesmo aconteceu no Vietnan, na Coreia, no Iran, no Iraque, no Brasil (em 64), no Chile, na Argentina, nos países da América Central. O caso brasileiro é exemplar. O golpe de 64 destruiu a estrutura polícia/partidária do país. Os problema atuais de partidos de aluguel e confusão programática é consequência da extinção dos partidos após o golpe de… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Neste caso temos de realçar uma questão. O terrorismo. O principal motivo para a invasão era atacar a Al-Qaeda e os Talibãs, seus aliados. E fazer com que a situação não se repetisse. E daí a “engenharia política”. Os EUA tentaram fazer alguma coisa diferente do Vietname mas não depende só deles. Cada caso é um caso e não vou defender a ocupação de um país para fazer a engenharia política mas pode chegar a um ponto em que isso é inevitável. Por exemplo as missões da ONU de manutenção de Paz não são só uma intervenção militar. Também têm… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Hcosta

O pano de fundo de grande parte da violência naquela região e também no Oriente Médio foi e continua sendo a intervenção ocidental.
Não tinham nada de estar lá.
Eles que trouxeram desavenças, separações e até arranjos territoriais totalmente arbitrários e fora da realidade daqueles povos.
O Afeganistão, a Índia, o Paquistão, Iraque e etc. são exemplos disso.
Leia sobre o Corredor de Wakhan.
Foi uma criação do Império Britânico para isolar as terras da Índia do Império Russo.
Hoje pertence ao Afeganistão e é povoado por tadjiques e quirguizes.
Ou seja, uma verdadeira barafunda.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Não sei se é questão será a mais relevante. Isso explica a situação interna do país, ou seja, não ser um país, mas não o terrorismo. As 5 ou mais décadas de guerra atraíram milhares de combatentes estrangeiros que eram fundamentalistas, ou passaram a ser, e que ou atacavam a ocupação ou planeavam ataques terroristas. Essa força alterou o equilíbrio de poder. Num país sem lei o extremismo e a tirania conseguem facilmente conquistar o poder. O poder atrai as pessoas sem esperanças e entra-se num ciclo. Ou seja, temos de considerar a intervenção estrangeira nos dois lados da batalha.… Read more »

Augusto
Augusto
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Pronto, agora era só o que faltava comparar 64 com o a crise. Sorte sua que os americanos “interviram” aqui em 64, senão não estaria escrevendo tantas bobagens aqui na trilogia.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Augusto
1 mês atrás

Caro Augusto. O cenário partidário atual surge após a CF88 que retomou o modelo pluripartidário que existia antes do golpe de 64, que extinguiu os partidos (UDN, PTB, PSD, PCB, PRP, PDC e PSP). A história se escreve com fatos, não com “SE”

Augusto
Augusto
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Certo, o “SE” também se enquadra na não intervenção dos militares também. O que lhe garante que “SE” não tivesse acontecido a intervenção militar, existiria o modelo pluripartidário hoje que você mencionou?

Somente para lhe lembrar (e isso não e um “SE”, mas um fato histórico), temos um exemplo de um pais que os americanos falharam em sua “intervenção” durante o período da guerra fria e ate hoje vive sobre o jugo de um único partido.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Augusto
1 mês atrás

Caro Augusto. Existe um fato. Até 64 o país tinha um sistema pluripartidário instituído em 1945 com poucos partidos. O golpe de 64 extinguiu estes partidos e implantou um sistema bipartidário que vigorou até 1988. Um exemplo do estrago que foi a ditadura para a tradição partidária é o PTB, que era um partido trabalhista varguista antes de 64 enquanto que o atual PTB faz parte do Central e tem como presidente do “BobJeff”. Isso é um fato. Eu não sei dizer o que teria acontecido SE o sistema partidário tivesse sido mantido após o golpe de 64. Eu sei… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Guilherme Poggio
1 mês atrás

Lembro de ter lido que o Talibã, quando iniciou suas operações, era bem-visto por grande parte da população que considerava que o Grupo melhoraria a situação do País, principalmente com relação à corrupção.
Deu no que deu.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Guilherme Poggio
1 mês atrás

A questão é se o Afeganistão é, de facto, um país?
Se perguntarem a alguém o que ele é, se é mais importante a sua etnia ou a sua nacionalidade?
Foi criado pelos Ingleses sem qualquer atenção à diversidade local. Numa mistura tão grande prevalecem os regimes autoritários e/ou os que não têm qualquer poder fora das grandes cidades. É um país sem identidade nacional.
Comparem com o Iraque. Por enquanto, e com as 3 grandes divisões territoriais, ainda são um país. Existia uma estrutura de poder. No Afeganistão, devido a muitos motivos, isso não existe.

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Taliban é pashtun e islâmico , aquilo vai virar um emirado.

Tiger 777
Tiger 777
1 mês atrás

Guerra errada, com o inimigo errado e no local errado…
O ocidente quebrou o Brasil, desviando seus investimentos pra China, nas décadas passadas. Agora que aguentem o dragão.

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  Tiger 777
1 mês atrás

Ah claro, investir no Brasil com CLT, nego que fica puto por que trabalha 44 horas, imposto de 60% de importação, 10 km de ferrovia que presta só, boa idéia amigão.

Ao invés de termos a Xiaomi, teríamos hoje a Xau homem.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

Por gentileza me explique “nego que fica puto por que traabalha 44horas “. Aproveita e explica também como a CLT impede ou prejudica o desenvolvimento econômico do Brasil. Lembrando que se trata do Brasil onde a maioria dos trabalhadores sobrevivem com salário mínimo.

cerberosph
cerberosph
Reply to  Alexandre
1 mês atrás

Lembrando que a poucos anos atrás tínhamos pleno emprego com a CLT e todos os direitos trabalhistas e agora, sem a maioria dos direitos e a CLT precarizada temos 15 milhões de desempregados.

Camargoer
Camargoer
Reply to  cerberosph
1 mês atrás

Caro Cerber. Você tem razão. O que resulta em crescimento econômico é o consumo. Quando o investidor identifica potencial de consumo ele irá investir, gerando mais empregos e elevação do PIB. Leis trabalhistas mais severas não tem relação com a geração de emprego nem com o IDH de uma sociedade e muito menos podem ser confundidos com imposto. A cada vez que um direito trabalhista é retirado, isso impacta na precarização do trabalho e elevação do trabalho informal, que por sua vez leva a um aumento do desemprego e redução dos salários, No fim, isso reduz a capacidade de consumo… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

Olá I.E. Fiquei na dúvida se você está sendo irônico ou se de fato defende o fim da CLT, do limite na jornada de trabalho e em abrir mão de política alfandegária. Eu gostaria de lembrar que a luta pelos direitos trabalhistas teve origem no movimento sindical e na luta dos anarquistas contra o estado ultraliberal no Sec XIX.

Wellington
Wellington
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Infelizmente essas pessoas falam sério.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Wellington
1 mês atrás

Ola Wellington. Assustador.

SoldierofFEB
SoldierofFEB
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

“Direito trabalhista” atualmente soa piada, não é atoa que cada vez é mais comum as pessoas trabalharem de forma informal sem a “proteção” do estado, que diga-se de passagem só ferra com o trabalhador. “Direito trabalhista” deveria ser referenciado pelo seu verdadeiro nome: imposto trabalhista, pago pelo trabalhador.

Last edited 1 mês atrás by SoldierofFEB
Camargoer
Camargoer
Reply to  SoldierofFEB
1 mês atrás

Caro S. No final do Sec XIX, as jornadas eram de 12 ou até 15 horas. Não havia férias remuneradas. As mulheres ganhavam metade ou menos que os homens havia disseminado trabalho infantil. As mulheres e crianças sofriam assedio moral e sexual abertamente. As condições de segurança no trabalho eram péssimas. Um trabalhador que se acidentasse era apenas demitido sem qualquer amparo. Não havia previdência. Para comparação, em Liverpool em 1850, a expectativa de vida era de 19 anos, a mesma dos escravos nas fazendas brasileiras. As duas principais datas comemorativas no mundo (menos nos EUA) são 01 de maio… Read more »

SoldierofFEB
SoldierofFEB
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Concordo com você que certas coisas absurdas como as que citou(exceto férias) devem estar prescritas em lei, mas atualmente a CLT é de fato um monstro jurídico de 7 cabeças que espanta muitos investimentos no Brasil, investimentos esses que poderiam reduzir o quadro de desemprego ou trabalho informal, isso se a CLT fosse reduzida a um número de regulamentações enxuto. É fácil observar como o trabalhador está optando por menos direitos trabalhistas: uma quantidade muito grande de pessoas está trabalhando na modalidade de PJ (prestador de serviços) que quase não é amparado por direito legal, isso resulta em um quadro… Read more »

Last edited 1 mês atrás by SoldierofFEB
rui mendes
rui mendes
Reply to  Tiger 777
1 mês atrás

O Ocidente quebrou o Brasil?????
A quebrar alguém, foi a si próprio, ao Ocidente.

Augusto
Augusto
Reply to  Tiger 777
1 mês atrás

Tiger 777, gostando ou não, o Brasil faz parte do hemisfério Ocidental. Mas concordo com você que foi um grande erro do Ocidente desviar os seus investimentos para a China.

Carlos Campos
Carlos Campos
1 mês atrás

Para a surpresa de ZERO pessoas, quem ganhou com isso? Bancos, Fundos de Investimento e as empresas que venderam armas, lógico que tem as empresas que venderam segurança e obras reconstrução no Afeganistão, todos esses financiam políticos nos EUA, torraram dinheiro demais naquele lugar, para nada! só para deixar quem é rico ainda mais rico, a troco de vidas e dinheiro dos estadunidenses, acredito que operações mais pontuais seriam o melhor em termos de gastos e vidas, assim matavam o Osama, e outros líderes do Talibã, mas o dinheiro falou mais alto, entrei em site de estadonidenses e a maior… Read more »

Augusto
Augusto
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Bush e Blair também devem ter faturado muito nessas guerras dos anos 2000.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Augusto
1 mês atrás

existe indicíos em site que eu li anos atrás de que até com a queda da URSS a família Bush ganhou dinheiro, pois o Bush pai estava bem posicionado para ganhar dinheiro no comando da CIA

Pedro Bó
Pedro Bó
1 mês atrás

As tropas afegãs foram escorraçadas de Kandahar. Mais cedo vi um vídeo no Instagram mostrando a fuga dos militares em seus veículos de forma desordenada.

Já está mais do que provado que o conceito de democracia ocidental não funciona em países islâmicos.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Pedro Bó
1 mês atrás

Existem democracias em países de maioria muçulmana.
A questão é se pode haver democracia num país cujas leis são religiosas.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Olá HCosta. Creio que uma democracia moderna (Estado de Direito, Soberania Popular, Direitos Humanos e Proteção Ambiental) depende fundamentalmente de uma população alfabetizada. Os EUA tiveram 20 anos para implementar uma revolução educacional na região.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

O país está em guerra. Sem segurança não há educação. Quantas escolas foram construídas pelos EUA e destruídas pelos Talibãs?
É um país em guerra nos últimos 50 ou mais anos. Não existem estruturas militares, políticas, etc… locais que permitam algum desenvolvimento. O orçamento do país era suportado em 75% pelos EUA.
O que poderiam ter feito de diferente?

Camargoer
Camargoer
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Caro HCosta. O que poderia ter sido feito de diferente? Tudo. Primeiro, invadir um país para capturar (assassinar) Bin Laden foi uma estupidez (no fim, ele foi encontrado no Paquistão). Segundo financiar um governo corrupto e violento. Terceiro, a politica de “guerra ás drogas” é quem gera o enorme lucro dos traficantes de heroína. Quarto, siga-o-dinheiro, o combate ao terrorismo se faz com inteligência e contra-terrorismo, não com B52.. e por ai vai.

Augusto
Augusto
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Camargoer, seu comentário não tem fundamento. Retira as restrições para o trafico de drogas e verá um aumento exponencial no consumo de drogas. Se seguirmos a sua logica, vamos fechar as cadeias, e ver se a criminalidade irá acabar, duvido que você não ia ficar com medo de sair de casa.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Augusto
1 mês atrás

Caro Augusto. O consumo de drogas ilícitas e lícitas é é um problema de saúde pública. A “guerra ás drogas” fracassou. Ao longo de décadas foram gastos enormes quantidades de recursos na repressão sem que isso resultasse na redução da violência urbana. EUA e Brasil implementaram políticas de aprisionamento em massa em torno da repressão ao tráfico cujo resultado foi o fortalecimento das facções criminosas que dominam as prisões. As recentes ações em torno da descriminalização da maconha indicam que as autoridades de segurança e saúde pública reconhecem que a guerra ás drogas fracassou com política pública. Não existe evidência… Read more »

Maximus
Maximus
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Negativo. Venha ate Rivera no Uruguai e veja como esta a segurança publica depois que descriminalizaram a maconha… aa cidade foi praticamente tomada por fações brasileiras.

Last edited 1 mês atrás by Maximus
Camargoer
Camargoer
Reply to  Maximus
1 mês atrás

Caro Maximus. O problema de violência é muito mais por causa do tráfico ilegal do que do uso da droga. O exemplo da Lei Seca nos EUA deve ser sempre lembrada. A proibição do comércio e consumo não altera as taxas de consumo mas geram maior criminalidade e corrupção da polícia e política. Por outro lado, leis de restrição ao consumo (como as leis antitabaco) e campanhas de esclarecimento tem resultado efeito.

Maximus
Maximus
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Prezado. Mais uma vez te convido a vir e ver a realizade de perto. Esse comentário teu é um absurdo, total falta de conhecimento prático da área de segurança pública. Quer dizer que a proibição das drogas causa corrupção na polícia??? Ah? Talvez tu tenha formado essa opinião baseada em fatos ocorridos no RJ. Te convido mais uma vez a vir e ver de perto como funciona realmente a segurança pública antes de dizer asneiras do tipo “as PM’s não funcionam” ou ” a proibição do comércio geram mais criminalidade e corrupção na polícia ” aliás, ainda estou esperando tua… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

olha eu até aceitaria, mas tem que impedir que esse povo tenha acesso a saúde ao SUS o consumo de drogas, seja ela qual for, leva doenças, então se a pessoa escolheu esse caminho que arque sozinho, não coloque a conta para a sociedade pagar.

Augusto
Augusto
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Carlos, o pior e que a sociedade e que acaba pagando pela atitude inconsequente de alguns. Vide a situação da cracolandia aqui em São Paulo. Sem contar os delitos que esses viciados (ate assassinados eles cometem dependendo do caso) cometem em outras regiões para poderem sustentar o seu vicio. Familiares que tem a vida destruída por causa desse grande mal.

Esse assunto de liberação do consumo de drogas e muito serio, jamais deveria nem sequer ser cogitado pela sociedade. Concordo com você que essa e uma conta que não e justo a sociedade pagar.

Sds.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Augusto
1 mês atrás

Caro Augusto. O uso abusivo de álcool é responsável por muito mais crimes e violência (transito e doméstica) que o consumo de crack. O impacto do consumo abusivo de álcool nas famílias é muito maior do que o de outras drogas. A Lei Seca foi uma tentativa fracassada de resolver o problema social do consumo de álcool, que elevou a violência urbana e a corrupção policial e política. O consumo de tabaco também é responsável por um enorme custo para o sistema de saúde e previdenciário arcado pela sociedade. Baseado nestes dois casos, fica claro que a proibição e repressão… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Caro Carlos. A dependência química é um problema de saúde pública e envolve drogas lícitas e ilícitas. Proibir o acesso do paciente (usuário de crack, heroína, álcool, tabaco, aborto…) ao sistema de saúde público é desumano, antiético e ilegal.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

não acho desumano, nem antiético, legal ou não é entendimento social que gerou uma lei para classificação do ato como tal…… posso dizer que usar meus impostos para dar acesso à saúde de drogados é desumano, pois eu não escolhi usar drogas, e tenho que arcar com os custos de quem usa, como dinheiro não brota do nada, eu tive que trabalhar logo tomar meu dinheiro para esse fim é desumano e muito muito antietico.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Caro Carlos. O fato de algumas pessoas desenvolverem dependência química após o uso de drogas legais ou ilegais é um problema de saúde pública. Há um componente genético forte (mas não determinante) para o desenvolvimento da dependência química, que é uma consequência não uma opção. De um ponto legal, o acesso á saúde é um direito constitucional (Art.6 da CF88). Além disso, o código de ética do médico, que é uma resolução do CFM (cujo primeiro artigo diz que “A medicina é uma profissão a serviço da saúde do ser humano e da coletividade e será exercida sem discriminação de… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

acesso á saúde é um direito constitucional””” por isso defendo uma PEC que mude isso, para os viciados, além de que uma lei que aumente a pena ainda mais para quem estiver drogada quando comete um crime, ou que cometeu o crime para manter o vicio.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Caro Carlos. O Art.6 é direito pétreo. Só seria revogado por uma nova constituição. Uma PEC para modifica-lo é inconstitucional.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Normalmente quando se fala em descriminalizar é o consumo. O tráfico continua a ser crime.

Augusto
Augusto
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Camargoer, nessa sua logica então vamos fechar todos os presídios, já que a criminalidade só aumenta e eles parecem não estarem resolvendo nada. Quanto a lei seca nos EUA, não deu certo por que a cultura de consumo de álcool já estava enraizada dentro da sociedade americana (no mundo todo na verdade) há muitas gerações, não da para proibir algo da noite pro dia que e considerado normal na sociedade. Diferente das drogas que poucos usam e acabam atrapalhando a maioria que não usa (e sim o consumo de drogas aumenta sim o indice de criminalidade, pois muitos dependentes químicos… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Augusto
1 mês atrás

Caro Augusto. A dependência química é um problema de saúde pública, seja tabaco, álcool, analgésivos, maconha, crack, heroína ou outra droga. Existem dois problemas envolvidos com o uso de drogas. De um lado, há a violência que resulta do comercio ilegal. Por outro lado, há a violência do uso da droga. No caso das drogas legais, o álcool é o principal responsável por acidentes de automóveis e também por acidentes de trabalho, mas também pela violência doméstica e violência infantil. Cerca de 1/3 dos homicídios tem causas fúteis e muitos com pessoas embriagadas (dados da Policia Civil de SP). O… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

A invasão foi para destruir os grupos terroristas abrigados pelos Talibãs e a retirada dos mesmos do poder para não se repetir. E também ajuda à causa o governo medieval dos Talibãs. Financiar um governo corrupto. Haveria outra forma? Houve eleições. Governar através de nomeações dos EUA? A guerra às drogas não sei se terá alguma relevância para o assunto. A ideia era cortar o financiamento, até mesmo os Talibãs eram contra as drogas mas mudaram de ideias. Se isso hostilizou a população ainda mais contra os EUA/Governo de Cabul, não sei. O contra terrorismo foi feito de várias formas.… Read more »

Agnelo
Agnelo
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Você precisa pesquisar sobre o enorme (é maior) lucro do contrabando de drogas legais (bebidas e cigarro), que corrompem mais, mas “não dá nada”, pq a pena é leve.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Agnelo
1 mês atrás

e os medicamentos baseados em opiáceos.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Olá HCosta. O problema dos analgésicos baseados em opiáceos é mais grave nos EUA que no Brasil. Lá o problema é a ampla prescrição por médicos, que causaram dependência química em uma grande fração de pacientes. Ao fim do tratamento, estes pacientes tiveram que buscar heroína como substituto dos analgésicos. No Brasil, o acesso aos opiáceos é restrita ao pacientes terminais ou em tratamento hospitalar, contudo existe um comércio clandestino de opiáceos. No Brasil, o crack é o problema mais grave entre as drogas ilegais e o álcool entre as drogas legais.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Agnelo
1 mês atrás

Olá Agnelo. O contrabando de tabaco, álcool (e armas) é tão sério que os EUA têm uma agência dedicada apenas a isso (ATF). No Brasil, este crime é de responsabilidade da PF e das polícias estaduais. São crimes de contrabando como é o de madeira ilegal, eletrônicos, etc. Como o comércio de álcool e tabaco é legal, além do contrabando há a questão da sonegação fiscal nos pontos de venda. E tem o problema de saúde pública relacionado com o consumo que podem conter substâncias tóxicas. Acredito que a política de repressão nos moldes da “guerra ás drogas” e amplo… Read more »

JuggerBR
JuggerBR
1 mês atrás

Qual será o alinhamento político de um provável governo taleban? Como Irã e Arábia Saudita vão se comportar com este novo-velho ator no quintal? Afeta o equilíbrio entre Índia e Paquistão?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  JuggerBR
1 mês atrás

Já houve postagem aqui no site (e há pouco tempo) com o Tabelan fazendo juras de amor para a China.
Há quem diga que os Talebans estão diferentes.
Menos radicais.
Logo veremos.

MFB
MFB
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Queria acreditar nisso mas aquele grupo ali nao tem jeito.

Last edited 1 mês atrás by MFB
SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  MFB
1 mês atrás

Já estão falando que vão matar todos que não abandonarem a cultura ocidental.

Augusto
Augusto
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Antônio, espero que você esteja certo. Mas acredito que os chineses estão sendo inocente ao apoiar eles. Será que eles não estão cometendo o mesmo erro dos americanos?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Augusto
1 mês atrás

Augusto

Do ponto de vista chinês é muitíssimo pior ter bases americanas ao lado do seu território e de seus aliados centro-asiáticos.
O Taliban não representa ameaça aos chineses.
Territorial e militar, nenhuma.
Apoio a insurgentes muçulmanos da região, pode ser um pouco.
O fato é que as rotas de intercâmbio entre a China e os países da região ficarão totalmente fora de alcance dos americanos.

paulo araujo
paulo araujo
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Os contatos diplomáticos entre os chineses, os russos e o Talibã são intensos. Paquistão junto. O interesses de cada um foram delimitados previamente. No ano passado um dos líderes do talibã havia emitido uma ordem indicando que uma obra de interesse chinês que passaria através do Afeganistão não deveria ser atacada. Isso não é por acaso. Os chineses precisam do Afeganistão como ponto de passagem e conexão para para seu projeto Belt and Road, e não querem que o Talibã facilite a passagem ou dê apoio a terroristas uigures. Os russos não querem que o Talibã exporte os terroristas caucasianos… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  paulo araujo
1 mês atrás

Perfeito!

Assino embaixo.
Melhor, eu não faria.

SDS

Augusto
Augusto
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Antônio, por essa ótica você esta certo, mas será que os Talibãs no futuro não podem se virar contra os chineses também? Olhando pelo ponto de vista mais pragmático para China, não seria mais vantajoso para eles, deixarem seu rival continuar sangrando em guerra que eles nunca iriam vencer? Igual aconteceu com a finada URSS?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Augusto
1 mês atrás

Pode ser.
Mas a aposta chinesa, e que parece que Taliban achou interessante, é a cooptação do Afeganistão à Iniciativa B & R.
Para China é muito bom, visto que o Afeganistão pode apresentar rotas interessantes de comércio.
Agora, a imprevisibilidade de um governo Taliban é um fator a ser considerado.
Mas, nesse teremos de esperar o qua vai acontecer.
Passo a passo.

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Antoniokings, se o Talibã for burro o suficiente para não aceitar a proposta chinesa, o Afeganistão será isolado do mundo. Não será carta nem para o Ocidente (escorraçado de lá), nem para o Oriente (sem negócios). Ficará muito mais isolado e radical que a Coreia do Norte. Nem turismo haverá por lá.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

eles venderam os irmãos deles para os chineses, Allá tá vendo.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Que os chineses tragam paz e prosperidade para o Afeganistão.

Augusto
Augusto
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Carlos Campos, e o pior que eles sabem disso, será que não estão sendo pragmáticos no atual momento?

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Augusto
1 mês atrás

não faço ideia, mas que no mundo islâmico isso vai ser muito feio.

Teropode
1 mês atrás

Anotem , o Talibã retorna aí poder central , inicia.se a insurgência das minorias utilizando a bandeira da aliança do Norte , Irã vai apoia.los , EUA através da Cia também
.

Matheus S
Matheus S
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Exatamente. Muitos senhores da guerra que estavam no exterior e que faziam parte da Aliança do Norte(muitos estavam na Turquia – outro país com grande interesse em apresentar resistência ao Taleban) estão retornando ao país para confrontar o Taleban, isso por si só já representa uma expectativa de resistência que o governo central não está conseguindo realizar. Antes da queda do Taleban pelos EUA em 2001, o Taliban controlava a maior parte do país, com exceção onde estavam a Aliança do Norte, se tem um inimigo que represente uma clara ameaça aos planos do Taliban, seria essa aliança. Com toda… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

se India não atuar logo para armar um grupo no Afeganistão, logo o Paquistão vai pedir ajuda para fazer terrorismo na Caxemira.

Matheus S
Matheus S
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

Eu retiro o que eu disse. O norte caiu. Já era.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
1 mês atrás

Lembro de uma pergunta que fizeram ao Obama sobre o que tirava o sono dele, a resposta foi:
“O Paquistão!”

Alem
1 mês atrás

Como diz o Filósofo Piauiense Beto Rêgo.. “Não aguenta? então vaza!”

Heinz Guderian
Heinz Guderian
1 mês atrás

É uma vergonha para o governo e exército afegão.
O avanço do talibã, está “pique” minha blitzkrieg na campanha da França, e sem os Panzers.
Vergonha maior ainda é para os EUA e a Otan, que gastaram rios de dinheiro e milhares de vidas do seus soldados.
Fico triste pela população que vai viver sobre um regime de lunáticos.
O governo afegão tem que ir pra guerra total.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Heinz Guderian
1 mês atrás

Como diziam aqui, ´´é barbudo de chinelo, só com ak-47 nada valiam,mas mesmo com os S.T., helis e artilharia, não os seguram nem 1 mês.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  rui mendes
1 mês atrás

Pra você ver, como um grupo ou exército determinado pode vencer um bem mais equipado e numeroso, até nos dias de hoje.
E isso acontece desde Esparta contra os persas ( um exemplo clássico).
300 homens, determinados seguraram por um tempo o avanço do colossal exército persa.

Rudi PY3TO
Rudi PY3TO
Reply to  Heinz Guderian
1 mês atrás

Afeganistão esses Mujahidin são demais , bravos guerreiros , antes de URSS e USA existir eles já lutavam contra nada mais nada menos que Alexandre o Grande e o mestre Temudjin ou se preferir Gengis Khan!
Obs. quero deixar bem claro que não estou defendendo o Talibã

Last edited 1 mês atrás by Rudi PY3TO
Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Heinz Guderian
1 mês atrás

Estão sendo derrotados por irregulares em combates convencionais.

Rudi PY3TO
Rudi PY3TO
Reply to  Alfa BR
1 mês atrás

Amigo , eles tem 1000 anos de tradições guerreira….Imperios ja invadiram o Afeganistão e tiveram que sair….veja bemnão estou defendendo o Talibã

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

Igual ao que aconteceu no Vietnã.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

É completamente diferente do Vietnã.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Agnelo
1 mês atrás

É mais vergonhoso, o vietnã do norte ainda tinha o apoio irrestrito da URSS e armas de última geração. Esse governo do Afeganistão está perdendo o país para pé rapados.

Agnelo
Agnelo
Reply to  SmokingSnake 🐍
1 mês atrás

Também não tem nada por isso. O Vietnã foi resultado do final de sua independência. Se engana redondamente quem acha q, pra os vietnamitas, era comunismo contra capitalismo. O povo do Vietnã queria sua nação unida. Embora não haja “se” em história…. Até pra ficar mais fácil manipular seu estudo…. Se fosse o Norte lutando pra continuar separado e o Sul pela União, o resultado seria o oposto. Já no Afeganistão, foi uma luta contra um grupo, com laço no fundamentalismo religioso, com apoio de tribos e clãs q se ajudam e se odeiam há séculos. Estão, em sua maioria,… Read more »

IBIZ
IBIZ
1 mês atrás

Que sirva de exemplo pra quem idolatra os americanos! Defensores da liberdade e da democracia uma ova!

JuggerBR
JuggerBR
Reply to  IBIZ
1 mês atrás

Acima de tudo, são negociantes, vendem armas e compram petróleo e demais commodities, ao preço que quiserem.

Augusto
Augusto
Reply to  IBIZ
1 mês atrás

IBZ, isso e uma verdade, tenho que concordar com você. Os americanos, assim como todas as nações, só querem saber dos próprios interesses. O maior problema e quando os interesses dessas nações são deixados de lado a favor do interesse de meia dúzia de gananciosos e sem escrúpulos.

Antonio Palhares
Antonio Palhares
1 mês atrás

Uma soma de fanatismo religioso com matança generalizada e imoral de pessoas. Um trilhão de dólares que foi para o ralo de forma irresponsável, beneficiando apenas o setor do armamento. A incompetência irresponsável e atávica dos americanos em estabelecer segurança e paz. Com desenvolvimento nas suas guerras e invasões, deixando ao abandono seus aliados que certamente serão massacrados.

PauloR
PauloR
1 mês atrás

Agora o governo afegão está desesperado por helicopteros russos pq provavelmente foram abandonados a própria sorte pelos americanos. Mas agora é tarde pq Putin sabe que a queda é iminente

Camargoer
Camargoer