sábado, setembro 18, 2021

Saab RBS 70NG

Biden dos EUA e Xi da China fazem primeira ligação em sete meses

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O presidente chinês, Xi Jinping, conversou com seu homólogo americano Joe Biden pela primeira vez em sete meses

Uma declaração da Casa Branca disse que ambos os líderes “discutiram a responsabilidade de ambas as nações de garantir que a competição não se transforme em conflito”.

Esta é apenas a segunda ligação entre eles desde que o presidente Biden assumiu o cargo.

As relações EUA-China têm sido tensas, com confrontos por questões como comércio, espionagem e pandemia.

“Os dois líderes tiveram uma discussão ampla e estratégica na qual discutiram as áreas em que nossos interesses convergem e as áreas em que nossos interesses, valores e perspectivas divergem”, acrescentou a Declaração da Casa Branca.

“Essa discussão, como o presidente Biden deixou claro, fazia parte do esforço contínuo dos Estados Unidos para administrar com responsabilidade a competição entre os Estados Unidos e a República Popular da China – RPC.”

A emissora estatal chinesa CCTV disse que o telefonema foi “sincero [e] profundo”, acrescentando que cobriu “ampla comunicação estratégica e … questões de interesse mútuo”.

“Se a China e os EUA podem lidar adequadamente com suas relações … é crítico para o futuro e destino do mundo”, disse Xi, de acordo com a reportagem da CCTV.

O antecessor de Biden, Donald Trump, interagiu com mais frequência com Xi quando ele assumiu o cargo.

Nos primeiros seis meses de sua administração, Trump falou com Xi duas vezes por telefone e também convidou o presidente chinês para ir a Mar-a-Lago, o clube privado de Trump, onde os dois conversaram pessoalmente.

Um alto funcionário da Casa Branca disse hoje que a ligação veio a pedido do presidente Biden, que ficou “exasperado” com a relutância de autoridades chinesas de baixo escalão em manter conversas substantivas com seu governo.

No início deste ano, as negociações de alto nível entre o governo Biden e a China foram tensas – com autoridades de ambos os lados trocando duras repreensões.

As autoridades chinesas acusaram os EUA de incitar países “a atacar a China”, enquanto os EUA disseram que a China “chegou com a intenção arrogante”.

‘Direitos humanos e interferência’

Os dois gigantes econômicos enfrentam algumas questões importantes – sendo os direitos humanos e a democracia o principal obstáculo.

Os EUA acusam a China de genocídio contra a população uigur na província de Xinjiang. A reportagem também afirma que Pequim está pisoteando os direitos democráticos em Hong Kong com uma lei de segurança recentemente introduzida que os críticos dizem que está sendo usada para reprimir a dissidência.

Enquanto isso, a China disse repetidamente aos EUA para pararem de interferir no que Pequim considera seus assuntos internos e acusa Washington de “difamar” o Partido Comunista no poder.

Há também a questão do comércio. Ambos os países estão travando uma batalha comercial que começou em 2018 sob o então presidente Donald Trump.

Os EUA impuseram tarifas sobre mais de US$ 360 bilhões em produtos chineses, e a China retaliou com tarifas sobre mais de US$ 110 bilhões em produtos americanos.

Biden não recuou na dura mensagem comercial de seu antecessor a Pequim – algo que irritou a China.

Depois, há o Mar da China Meridional.

Nos últimos anos, tornou-se um ponto crítico entre a China e outras nações da região, que reivindicam soberania sobre duas cadeias de ilhas em grande parte desabitadas, as Paracels e os Spratlys.

A China reivindica a maior parte do mar, mas os países vizinhos que têm reivindicações concorrentes e os EUA discordam. Apesar da oposição, Pequim continuou a expandir sua presença militar na área, ao mesmo tempo em que afirma que suas intenções são pacíficas.

Também podemos estar vendo tensões sobre o Afeganistão. A China criticou repetidamente os EUA por sua retirada do Afeganistão.

No início desta semana, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, mais uma vez atacou os EUA, dizendo que suas tropas haviam “causado estragos”.

Ele também acusou os EUA de infligir “graves danos ao povo afegão”.

FONTE: BBC

- Advertisement -

71 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
71 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
100nick-Elã
100nick-Elã
8 dias atrás

O Biden que ligou para o Xi. Assim como o Bolsonaro, é mais um arregao.

Pablo
Pablo
Reply to  100nick-Elã
8 dias atrás

Que nem o Macron também.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Pablo
7 dias atrás

Um facto interessante, a chamada entre Xi e o presidente de Portugal,Marcelo, foi o homólogo chinês a ligar. A do macron não sabia que tinha partido da iniciativa do francês. Cá para mim o Biden ficou foi afrontado com o líder chinês a tomar a iniciativa de fazer ligação com países que talvez o americano não aponte no mapa à primeira, ignorando o que considerará, com certeza, uma comunicação obrigatória (ligar a Washington).

Curiosidade, o Xi e Bolsonaro, como foi a chamada na altura?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  100nick-Elã
8 dias atrás

100nick

A China está apresentando robustos indicadores econômicos.
Os números de seu comércio exterior estão ‘estrondosos’.
Aumentos da ordem de 30% em importações e exportações. Inclusive para os EUA.
A China é, atualmente, a locomotiva econômica do Planeta e não vai dar para os EUA ficarem com essa política de tentar bloqueá-la.
Só será pior para os americanos. Ficarão de fora da grande festa que a China está propiciando ao Mundo.

Jagdverband#44
Jagdverband#44
Reply to  100nick-Elã
8 dias atrás

Você é assessor do Xi ou do Biden?
Como você sabe que esta ligação não estava programada?
Tipo, o cara acordou, comeu ovos com bacon, e resolveu ligar do nada?
Fala sério.

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Jagdverband#44
7 dias atrás

Leia a reportagem, está dizendo exatamente isso: ligação a pedido do Biden, porque os militares de escalão mais baixo não queriam mais negociar com os militares americanos. Você leu a reportagem, ou é bur.ro mesmo?

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  100nick-Elã
8 dias atrás

A vida sempre ensinando

Guga
Guga
Reply to  100nick-Elã
7 dias atrás

Quem arregou foi o Alexandre de Moraes, já soltou um monte de gente, voltou para tras em processos.

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Guga
7 dias atrás

Soltou quem? que processos que voltou atrás? mande as fontes

C M
C M
Reply to  Guga
6 dias atrás

Soltou QUEM por influência da ligação do Temer… ops, Bolsonaro?

Isto é lavagem cerebral pesada…

Camillo
Camillo
8 dias atrás

Começando a cair a ficha para o Biden da nova realidade dos EUA no mundo, quem manda é China e Rússia.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Camillo
8 dias atrás

A Rússia?
Perdeu a Geórgia, Ucrânia, Síria, etc…
O ditador da Bielorrússia já dá sinais de desespero…

Camillo
Camillo
Reply to  Hcosta
8 dias atrás

Não sou torcedor
São os fatos
Rússia venceu na Ucrânia, anexou a Criméia e mais adiante o leste da Ucrânia
Exército russo ocupa o norte da Geórgia
E Assad continua no poder na Síria
Todas vitórias russas colocando os EUA pra correr…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Camillo
8 dias atrás

A Índia acabou de manifestar sua insatisfação com a política americana para com ela.
Por outro, voltou a se aproximar da China através de acordos no âmbito dos Brics.
Paralelo a isso, manifestou apoio a Rússia e comunicou que vai participar do projeto russo conhecido como ‘Rota do Ártico’, que vem a ser uma nova rota de navegação Ásia-Europa que vai evitar o Canal de Suez, economia tempo e custo na travessia.
Podemos vislumbrar que novos e interessantíssimos tempos se aproximam e se os EUA não entrarem nos eixos, não serão convidados para participar.

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Antoniokings
7 dias atrás

Isso é uma ótima notícia, Kings.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  100nick-Elã
7 dias atrás

E o incrível é que com o aquecimento global essa rota pelo Ártico está se viabilizando cada vez mais.
Já estão sendo feitas viagens sem ajuda de quebra-gelos.
Só como exemplo, uma viagem de Xangai a Hamburgo pelo Ártico tem 14 mil km e pelo Suez tem 20 mil
Paralelo a isso, gigantescos campos de petróleo e gás na região, como Yamal, já estão entrando em produção.
Sem contar que milhões de quilômetros quadrados vão começar a se tornar atrativos para exploração agrícola.
Fatos novos e muito interessantes.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Camillo
8 dias atrás

Em tempo.
Eu já havia especulado que seria questão de tempo a Índia voltar a cooperar com os Brics no seio de um movimento ‘não alinhado’.
Pelo menos com os EUA.
Acho que vou ganhar essa aposta.

Camillo
Camillo
Reply to  Hcosta
8 dias atrás

Bielorrússia aliada firme da Rússia, acredito que no futuro diante da fraqueza dos EUA a Ucrânia tb volte a se aproximar da Rússia

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Hcosta
7 dias atrás

Perdeu a Geórgia? vc não leu nada sobre a guerra dos 5 dias? os russos não destruiram – ou tomaram – a capital da Geórgia porque não quiseram. Na verdade, a Rússia não tem nenhum interesse na Geórgia, a não ser um: não entrar para a OTAN. O mesmo a dizer sobre a Ucrânia, a Rússia já tomou o que queria dela, o resto, fique para o Ocidente pagar a conta. Alias, o NordStrem2 foi concluído hoje, sabia? para começar a jorrar o gás, falta agora só a papelada, burocracia. Com todas as tentativas dos EUA de impedir, não conseguiu.… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  100nick-Elã
7 dias atrás

Exatamente.
O Nordstream2 foi concluído hoje.
Péssima (e põe péssima nisso) notícia para a Ucrânia.
Prevejo ela pedindo arrego para a Rússia em breve.

Hcosta
Hcosta
Reply to  100nick-Elã
7 dias atrás

Os exemplos da supremacia Russa e a decadência dos EUA são a construção de um gasoduto e a ocupação de partes de países independentes?
Agora só falta avisar o resto do mundo…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Hcosta
7 dias atrás

Sim.
Se a Rússia fechar a torneira, a Europa congela e fica paralisada.
Trump tentou impedir a construção.
Biden também.
Merkel disse não.
Putin disse não.
E o gasoduto já vai entrar em operação.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Antoniokings
7 dias atrás

Se fechar a torneira vai-se buscar a outro sitio…
Tem muito mais gasodutos e portos para receber o gás. Agora se a Rússia fechar a torneira vai vender para quem? E ao preço Europeu?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Hcosta
6 dias atrás

Não quero te iludir, não, mas esse gasoduto praticamente inviabiliza as exportações de gás liquefeito americano para a Europa.
Os EUA pretendiam ser os maiores exportadores de gás do Mundo.
Não serão mais.
E com o aumento da exploração russa na Península de Yamal, as reservas russas aumentarão exponencialmente.
Comenta-se que durarão séculos.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Antoniokings
6 dias atrás

A Rússia produz 200 ( a unidade é complicado para escrever) e a UE consome 400.
Os EUA estão muito longe de serem os maiores exportadores. Deixe de simplificar as coisas em que só há os EUA e a Rússia.
Tem outros países produtores como a Noruega, os Países Baixos, o RU, a Argélia, etc… isto sem mencionar outros países aliados. O que não falta é gás natural em muitas regiões do mundo. O problema é o custo.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Hcosta
6 dias atrás

A Rússia produz 200 e subindo.
A Europa produz 400 e caindo ou estagnando, visto que estão investindo maciçamente em energia renovável.
Donde se conclui que não haverá muito espaço para a concorrência, visto que o gás russo é mais barato e está ali ao lado da Europa.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Hcosta
6 dias atrás

Por outro, é um duríssimo golpe na Ucrânia que estava ‘colocando as manguinhas de fora’ com relação à Rússia.
Logo será obrigada a pedir arrego aos russos.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Antoniokings
6 dias atrás

É o que dá ser uma colónia/lacaio. Por algum motivo a Rússia usa o fornecimento de gás como chantagem sobre a Ucrânia. E é um dos motivos para a Ucrânia querer ser independente.

É capaz de ser ao contrário. Se a Rússia deixar de ver a Ucrânia como uma ameaça às suas exportações talvez deixe -a em paz, literalmente.

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Hcosta
5 dias atrás

Se a Rússia fechar a torneira, a Europa irá buscar a outro sítio, isso é verdade. Porém, a um preço muito mais caro, o que diminui muito a competitividade dos produtos europeus, já muito difícil de competir com os produtos made in Ásia. Será que sua mente limitada consegue entender isso?

Hcosta
Hcosta
Reply to  100nick-Elã
5 dias atrás

E o que acontece aos preços do gás Russo se for vender a outros mercados?
Que mercados vão pagar o gás ao preço dos Europeus?
Noruega, Países Baixos e Argélia juntos produzem mais que a Rússia e exportam através de gasodutos. E certamente que a Rússia não quer inundar o mercado com gás barato. E provavelmente até podia produzir mais.
É também muita geopolítica, não é algo em que a Rússia domina a Europa e vice-versa.

Camillo
Camillo
8 dias atrás

China e Rússia estão prontas para a guerra com os EUA se for necessário, não irão hesitar, já os EUA estão sem ânimo, se retiraram do Afeganistão pois não queriam mais lutar contra o Talibã, por isso em todos os confrontos geopolíticos Rússia e China continuarão a dar as cartas, combinados já superam o poder militar dos EUA.

JEFFERSON FERREIRA DA SILVA
JEFFERSON FERREIRA DA SILVA
Reply to  Camillo
8 dias atrás

Geopoliticamente a Rússia é uma preocupação da UE… para os EUA o problema é a China que tem uma projeção de poder global diferente da Rússia que tem uma área de influência bem mais regional

Oráculo
Oráculo
Reply to  Camillo
7 dias atrás

Rússia entrar em guerra contra os EUA por causa da China?
Os caras se superam nas viagens na maionese.

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Oráculo
7 dias atrás

Tem razão, nem carece. A China dá conta dos EUA com sobra, sem precisar da Rússia.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Oráculo
7 dias atrás

EUA entrar em guerra com a China por causa de Taiwan?
Idem.
Ibidem.

Camillo
Camillo
8 dias atrás

Derrotas dos EUA nos últimos anos
Síria
Criméia
Leste da Ucrânia
Venezuela
Mar do sul da China
Coréia do Norte reativou reator nuclear
Com o Irã não se atrevem
E a lista continua a aumentar…

Hcosta
Hcosta
Reply to  Camillo
8 dias atrás

A sua definição de derrota é bem alargada…
Perceba a sequência.
Antes a Ucrânia era controlada por um governo fantoche. Agora controla a Crimeia e parte de 2 províncias. Algo semelhante na Geórgia.
Como perdeu o controlo desses 2 países agora tenta recuperar parte do prejuízo. Se isto é ganhar, não sei o que é perder.

E já agora o que a Rússia ganhou?

paulo araujo
paulo araujo
Reply to  Hcosta
8 dias atrás

Hcosta, A Rússia é um país bem grande. Acho que o problema deles nunca foi espaço, ainda mais com a população relativamente pequena que têm. A política da Rússia para todos estes países que citaste é de contenção e neutralização. O presidente da Geórgia, antes da guerra queria entrar para a Otan. Agora o país dele está neutralizado. E ficou menor. Na Síria o objetivo era manter Assad e evitar a fragmentação do país. Isso foi conseguido, é fato. Na Ucrânia, queriam mesmo a Criméia, com sua posição privilegiada no Mar Negro e no litoral da Ucrânia. Além de manter… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  paulo araujo
8 dias atrás

A Síria está fragmentada. Talvez seja uma visão de copo meio cheio, meio vazio. De um lado eu penso que perderam quase toda a Ucrânia, o senhor diz que conseguiram manter algum controlo, senão quase controlo total. Dá para ter as duas visões, mas não me parece que a sua influência esteja a crescer. Mudaram a sua estratégia de criarem governos fantoches para ocupação de partes do território. Mas tem consequências, as sanções atingiram fortemente a economia e deixaram de ter muita credibilidade. Do meu ponto de vista estão a perder e a reagirem mas não conseguem voltar ao ponto… Read more »

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Hcosta
7 dias atrás

As regiões desérticas da Síria que estão com os curdos e americanos, será questão de tempo para serem reintegradas à Síria. A Rússia somente está esperando o momento menos doloroso. Assad não saiu, apesar de todos os esforços do Ocidente para tirá-lo, hoje ele controla toda Síria, exceto a região dos curdos (bem pouco povoada). Claro, existem lá os melhores poços de petróleo da Síria, mas em breve serão retomados também. Aguarde e verás.

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  paulo araujo
7 dias atrás

Na realidade, na Síria, o objetivo russo era muito maior, para interesses diretos e importantes próprios. Era manter (e ampliar) a base aeronaval russa no Mediterrâneo, além de brecar as ambições do ocidente de passarem oleo/gasodutos do Iraque ou Arabia Saudita para a Europa, que precisariam atravessar a Síria. Manter o Assad no poder permitiu atingir os dois objetivos. O movimento foi brilhante.

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Hcosta
7 dias atrás

Quem disse que a Ucrânia era controlada por um governo fantoche? você um grande desinformado. Ele escolheu o acordo com a Rússia, simplesmente porque era melhor. E mais: a Rússia não exigia exclusidade (como a União Europeia exigia), ou seja, a Ucrânia poderia tanto fazer parte da União Euroasiática, quanto da União Europeia. Mas o Ocidente patrocinou um golpe, usando os neo-nazista russofóbicos ucranianos. A Rússia reagiu, tomou a Crimeia, e ocorreu a cisão da Ucrânia, com a parte mais industrial e de riqueza em carvão, independente de Kiev. A Ucrânia está destruída, que fique para o Ocidente pagar a… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  100nick-Elã
7 dias atrás

Relaxe, a Rússia já é líder mundial de “fake news”, não precisa de ajuda. Mas talvez estejam a abusar já que nem o senhor/a parece acreditar na fake news de que a Rússia não invadiu parte das duas províncias da Ucrânia. Se eu fosse Ucraniano provavelmente seria a favor de um país independente. Parece que há “alguma” incoerência nos seus comentários ao criticar os “lacaios” dos EUA mas quando são os da Rússia, e numa situação económica/social muito pior, são sempre eles os culpados e merecem serem lacaios… “A Ucrânia escolheu o acordo com a Rússia e não exigia exclusividade”…Essa… Read more »

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Hcosta
7 dias atrás

“A Ucrânia escolheu o acordo com a Rússia e não exigia exclusividade”…Essa aí já é comédia…. Informe-se antes de debater comigo, aposto que vc sequer foi pesquisar sobre os acordos propostos pela EU e pela Rússia à epoca. Perda de tempo debater com vc. Tudo bem divergir, mas com argumentos plausíveis e baseados em fatos reais. Acho que vou fazer com vc o mesmo que com o Teropode, ignorar.. Tá bom, vc está certo, a Rússia é fraquinha, não tem relevância nenhuma no mundo tá? satisfeito? vai dormir tranquilo agora? Então deixo de perder meu tempo com vc a partir… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  100nick-Elã
7 dias atrás

Sim, qualquer pessoa descreve a economia e a forma de geopolítica Russa na base de liberdade e independência, ou seja, na ausência destes.
Pelo menos admita que existem diferenças entre os países ocidentais democráticos e a Rússia e fazer a Rússia aquilo que não é, uma democracia e uma economia livre.
Se quer comparar com a UE, pelo menos, seja coerente.
Não dá para ter as duas coisas.

Zeus
8 dias atrás

“discutiram a responsabilidade de ambas as nações de garantir que a competição não se transforme em conflito”. Sendo as demandas inconciliáveis, o conflito de interesses será permanente, então resta tentar evitar um conflito armado. Ninguém vai recuar. A China não vai deter seu avanço. Ao contrário, está fortemente empenhada em ampliá-lo. E sabe que vai conseguir. Uigures, Hong Kong, ilhas desabitadas, Taiwan, com o tempo tudo será absorvido e o máximo que farão é espernear. O principal conflito dos EUA é consigo mesmo. Terá que aprender a aceitar o fato de que seu tempo como império hegemônico acabou e isto… Read more »

Matheus S
Matheus S
Reply to  Zeus
7 dias atrás

Quando a Guerra Fria terminou, os Estados Unidos seguiram os apelos de Kissinger e buscaram formas de moldar de forma decisiva o sistema internacional de acordo com os valores americanos. Em contraste, diplomatas como Jeane Kirkpatrick na década de 1990 exortou os Estados Unidos a se prepararem para um mundo multipolar dissolvendo a OTAN, retirando a maior parte de suas forças da Europa e reduzindo o orçamento de defesa. Ela acreditava que faltava aos Estados Unidos dinheiro, vontade e sabedoria para o domínio global e que a conversão do mundo à ideologia política dos Estados Unidos estava além de sua capacidade. Diante… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Zeus
7 dias atrás

Sábias palavras.

Fabricio Lustosa
Fabricio Lustosa
Reply to  Zeus
7 dias atrás

Comentário perfeito em todos os sentidos. Ênfase para esse paragrafo: “O principal conflito dos EUA é consigo mesmo. Terá que aprender a aceitar o fato de que seu tempo como império hegemônico acabou e isto não tem volta! E isto para eles é inaceitável, pois são doutrinados desde a infância a acreditarem que são um povo superior predestinado a comandar o mundo. Isto é algo que está inserido em sua educação e cultura.” Me faz lembrar das colônias de exploração modernas, das províncias em que o esgoto dos EUA é despejado, sendo o nosso país, talvez, a maior delas. E… Read more »

PauloR
PauloR
8 dias atrás

Outro arregão igual o Bozo.

Teropode
Reply to  PauloR
8 dias atrás

Direita verde e esquerda lilás , não espere nada de razoável destes mimados . ( Verde por causa da braquiária ).

Teropode
8 dias atrás

Espero que ele tenha pego algumas instruções de como proteger a nação das minorias corrosivas e também de como ser pragmático na política externa , estão tomando de goleada e já me convenci de que perderam o fôlego …

horatio nelson EX BOZO
horatio nelson EX BOZO
8 dias atrás

é o mundo em que vivemos,a china não é um monstro,só gostam de dinheiro como todos nós!

BK117
BK117
8 dias atrás

Geopolítica é um jogo que deve ser jogado com maturidade. Ficar só rosnando um para o outro não resulta em nada bom. A diplomacia é uma ferramenta poderosa no equilíbrio do poder mundial. Há momentos que você avança, outros em que você recua, nada de errado nisso. Uma simples ligação não é um sinal de fraqueza.

Maurício.
Maurício.
8 dias atrás

Essa imagem dos punhos cerrados dos EUA e da China se encontrando já é clássica.
Ainda bem que no final, tudo acaba nisso:

Screenshots_2021-09-10-13-00-06.png
Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
8 dias atrás

Acho gracioso chamarem Biden
& Bolsonaro de arregões, como se política fosse uma briga de rua. Freud explica?

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  Alex Barreto Cypriano
6 dias atrás

Não é briga de rua mas sim de idéias. Se você não segue adiante com os seus ideais você é um arregão sim.

Agressor's
Agressor's
8 dias atrás

Quem tiver o controle da economia dominará também a política, esse é um fato que mesmo o maior patriotismo não consegue impedir. A China já ultrapassou o PIB estadunidense só vendendo máscaras e tecnologia 5G. A China chegou onde está porque os donos das maiores fortunas do mundo assim o quiseram e investiram lá. Quem criou esta cobra foi o próprio Estados Unidos, transferindo seu parque produtivo para a China por pura conveniência, para obter lucros cada vez maiores, visto o custo de produção…Qual é o lugar pra onde os chineses mais exportam hoje? Qual é o maior comprador da… Read more »

Teropode
8 dias atrás

Esta bobagem , esta falácia de direitos humanos é a grande responsável pela abdução que sofre todo ocidente ,mas recitar este mantra soa hipócrita , ingênuo , fraco , criticam a CN mas abraçam a AS , malham o Irã mas abraçam o Paquistao , este discurso hipócrita só serve para fortalecer os líderes do oriente que são mais pragmáticos , com este discurso frágil e a tendência de submeter a maioria as vontades das minorias ,; o ocidente já visualiza seu fim melancólico ……

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
Reply to  Teropode
7 dias atrás

Prezado, vá ler a carta dos Direitos Humanos e pare de falar bobagem. Você claramente é mais um dos que não fazem a menor ideia do que são os Direitos Humanos.

Last edited 7 dias atrás by Bruno Vinícius
Teropode
Reply to  Bruno Vinícius
7 dias atrás

Seu problema é achar que só vc é bem informado , eu li a porcaria desta carta relativista , um lixo …

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Teropode
7 dias atrás

A declaração de direitos humanos não é uma falácia. A falácia é lançá-la como justificativa para intervenções, o que todos que já leram mais de 2 livros na vida sabem que não tem nada a ver o úc a ver com as calças. Os movimentos geopolíticos são movidos a INTERESSES puro e simples. Se os EUA possuem interesse em intervir em certa região, ele vai e intervém. Se não há, não vai intervir nem que a vaca tussa e f…a-se DHs. Os movimentos Russos ocorrem da mesma forma. E China? Tem inúmeros interesses também e vai cada vez mais se… Read more »

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Teropode
6 dias atrás

Um like foi meu. É isso ai.

Oráculo
Oráculo
7 dias atrás

Lendo essa manchete chego a ficar com pena dos americanos. Os caras colocaram “Sleepy” Joe Biden pra “competir” com Xi Jinping, o maior líder da história recente chinesa. Como dizem no MMA, os Chineses vão “passar o carro” por cima dos Estados Unidos. Vão virar a maior potência econômica do planeta muito antes do que planejavam. A vitória de Biden ficará conhecida como o maior suicídio geopolítico da história da humanidade. Será o primeiro caso em que um império se autodestruiu. Vejam o mal que uma imprensa corrputa e parcial pode fazer a uma nação. Para tirar Trump a qualquer… Read more »

LUCIANO DO PRADO
Reply to  Oráculo
7 dias atrás

Sério esse texto? O problema dos EUA vem de muito antes do Biden sonhar em assumir a presidência.

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  LUCIANO DO PRADO
7 dias atrás

Problema histórico, você quer dizer, como a escravidao, a guerra civil, os direitos civis, etc? Tá, mas e daí? Aqui no Brasil existem problemas assim: a escravidão, a ditadura, o exterminismo, o subdesenvolvimento, etc. Já deu pra entender que os grandes dilemas históricos nunca são resolvidos: são apenas esquecidos pelas novas gerações ou lembrados como causa de empréstimo pras lutas do dia, que hoje prometem carnificinas fratricidas lá e cá.
Pra mim, justificar um absurdo atual como necessário corretivo de absurdo passado é húbris, desmedida e ilusão além de um passepartout repugnante.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Alex Barreto Cypriano
7 dias atrás

Não pode ser a deslocalização da indústria para a China?

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Hcosta
6 dias atrás

Reestruturação das cadeias produtivas, você quer dizer Hcosta? A China aproveitou o máximo que pôde, ainda que tardiamente, essa decisão do capitalismo lá dos 1970 que visava simplesmente tornar supérfluo o trabalho humano (no ocidente do welfare state) e incrementar a extração de lucro pela exploração sem limites em outros lugares. Na verdade, o capitalismo, na sua compulsão em destruir (coisas e seres) pra criar valor e extrair lucro, é o problema principal do mundo há seculos…

Hcosta
Hcosta
Reply to  Oráculo
7 dias atrás

A imprensa e outros meios de “comunicação” corrupta e parcial tirou Trump?
Trump foi lá colocado por esses senhores. E Trump ficará para a história como o pior presidente da história dos EUA, nem Nixon foi tão incompetente.

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Hcosta
6 dias atrás

Não, não foi a imprensa. Trump redescobriu, como Bolsonaro, a ideia de política como guerra na qual todos os meios devem ser mobilizados, do ressentimento redneck ao uso de algoritmos manipuladores, pra chegar lá no “poder” e dalí mudar o jogo. Por assim dizer, abriram caminho às cotoveladas, como antigamente comunistas e socialistas o faziam. Não conseguiram, de qualquer maneira, mudar grande coisa, mesmo porque não ligam pros outros nem pra verdade e só pensam em dinheiro. Mas deram um baita susto nas esquerdas establishment (que, esquecidas de suas promessas, vinham apenas administrando massas humanas em perigo de extinção, coisa… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Alex Barreto Cypriano
6 dias atrás

Mas existem fenómenos como a Fox News, que são anteriores a Trump.
Apesar das campanhas digitais serem a novidade e serem um “game changer” ainda temos que ter em conta os media tradicionais. Não é por acaso que durante Trump surgiram canais ainda piores que a Fox.

É uma outra forma do que falou, se dá audiência não importa que seja verdade. Outra faceta da capitalismo desregulado e do abuso da liberdade de expressão. É assim que muitas democracias caem. Por dentro.

Últimas Notícias

Saab recebe pedidos de Carl-Gustaf M4 e munições

A Saab recebeu pedidos para o rifle sem recuo Carl-Gustaf® M4 com munição incluída. O valor do pedido combinado...
- Advertisement -
- Advertisement -