segunda-feira, outubro 25, 2021

Saab RBS 70NG

Novo fuzil de assalto e rifles de precisão da China no show aéreo de Zhuhai

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O fuzil de serviço de nova geração do Exército Chinês, o fuzil automático QBZ 191 de 5,8 mm e dois novos rifles da série 191, estrearam no Airshow China 2021.

As novas armas são projetadas e fabricadas pela China South Industries Group Corporation (CSGC). O projetista das armas disse na quinta-feira que esses fuzis já receberam um grande feedback positivo dos soldados e oficiais do PLA que testaram essas novas armas.

Os fuzis foram revelados ao público em geral em 2019, durante o desfile militar realizado em Pequim para comemorar o 70º aniversário da fundação da República Popular da China. No entanto, o airshow, inaugurado oficialmente em 28 de setembro, marca a primeira vez que o público teve contato próximo com essas armas avançadas usadas pelo Exército de Libertação Popular (PLA).

A CSGC também exibiu uma variante mais curta e mais leve da carabina QBZ 191, a QBZ 192, e um rifle de atirador ou rifle de alta precisão da série 191, o QBU 191, bem como duas novas metralhadoras, a QJB 201 5,8 mm e a QJY 201 7,62 mm, no salão de exposições da empresa no show de Zhuhai. Essas armas atraíram milhares de convidados profissionais, jornalistas e entusiastas militares ao estande de exposição todos os dias, desde que o show aéreo foi aberto à mídia no domingo.

QBZ 191

QBU 191

QJB 201

Um projestista da série QBZ 191 que pediu para não ser identificado disse ao Global Times no salão de exposições da CSGC na quinta-feira que a série QBZ 191 iria substituir totalmente a série QBZ 95 ainda usada por muitas tropas do PLA e da Polícia Armada chinesa, e que algumas tropas que usaram a nova série deram um feedback positivo, pois estão muito satisfeitas com a precisão dos novos fuzis.

“Comparado com o QBZ 95, o QBZ 191 usa uma configuração convencional com ergonomia bastante aprimorada, usabilidade ambidestra e melhor confiabilidade em diferentes ambientes. Agora, os fuzis da série 191 têm sido usados ​​pelo PLA em todos os tipos de ambientes dentro do território do país e têm se saído muito bem. Em breve o PLA e a polícia armada estarão totalmente armados com esses novos fuzis”, disse.

FONTE: Global Times

- Advertisement -

25 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
25 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antunes 1980
Antunes 1980
23 dias atrás

Alguém sabe informar qual outro fuzil utiliza este calibre 5,8mm?

Ele seria uma cópia do mecanismo do AK12, SIG Sauer, HK416 ou Colt M4A1?

rdx
rdx
Reply to  Antunes 1980
22 dias atrás

Esse calibre é usado exclusivamente em fuzis e metralhadoras chinesas.

O QBZ-191 eliminou as deficiências do QBZ-95…reduzida precisão, durabilidade, confiabilidade, versatilidade e, sobretudo, a terrível ergonomia dos fuzis bullpup.

Não há informações precisas sobre o sistema de funcionamento do QBZ-191. Pressupõe-se que ele seja similar ao sistema do QBZ-95, que foi inspirado no sistema do fuzil vz.58.

Rzt
Rzt
Reply to  Antunes 1980
22 dias atrás

comment image

Heinz Guderian
Heinz Guderian
23 dias atrás

gostei do design, uma mistura de sig sauer, ak, acer.
Parabéns aos chineses.

Matheus Augusto
Matheus Augusto
22 dias atrás

Outro exército a abandonar a configuração bullpup, até que enfim corrigiram a cagada de adotar esse tipo de arma.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Matheus Augusto
22 dias atrás

Sim, e parece que os ingleses, vão voltar com o Fal, modernizado é claro, porque o calibre dele é melhor para o combate comparado com o 5,56mm.
(tem matéria ai na net, é só procurar)

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Heinz Guderian
21 dias atrás

Os Royal Commandos acabaram de substituir o L85 pelo C7..

O mais provável serão os ingleses seguirem o resultado do NGSW do Exército Americano.

Marcos
Marcos
22 dias atrás

Pelo menos eles estão bebendo de fontes realmente modernas, tem muito da Sig Sauer, HK, Colt e até Kalashnikov enquanto nós aqui vamos de FAL 2.0, terrível.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Marcos
21 dias atrás

é um tremendo complexo de vira lata. Tá doido.
Não se tem informação nenhuma da arma.
O design lembra outras armas, mas ninguém sabe sobre o funcionamento.

E aí vem os elogios pomposos e as críticas ferrenhas ao projeto brasileiro.

Queria saber. Esses elogios são baseados em que? Na opinião dos usuários divulgada na matéria?
Ai deles se disserem o contrário. Ainda mais em uma feira de exposição com milhares de participantes estrangeiros.

Wes
Wes
22 dias atrás

O interessante é notar que além da rápida aprendizagem a indústria bélica chinesa também está antenado ao design o fuzil de precisão lembra modelos ocidentais com várias regulagens da coronha, estabilizadores e etc. O que pode ser algo mais “familiar” para não tradicionais compradores de armas chinesas e países ocidentais.

Carlos Crispim
Carlos Crispim
22 dias atrás

Mais uma vez os chinas mandando muito bem, parabéns.

chapim rabilongo
22 dias atrás

eu entendo essa coisa de calibre próprio, o único problema é vc ter pouca variedade e quantidade de munições disponíveis e a exportação parece que vai ser ruim tbm

Jean Jardino
22 dias atrás

Precisam comer muito FLANGO XADLES, RISSSSSSS, para chegarem na qualidade dos Hk alemaes….

MCruel
MCruel
Reply to  Jean Jardino
21 dias atrás

A segunda guerra demonstrou que a quantidade pode sobrepujar a qualidade. Ao custo de um Tiger 1, eram fabricados 4 T-34. No campo de batalha, a longa distância,o Tiger era melhor, mas não podia se defender tantos T-34 os atacando ao mesmo tempo. Talvez a doutrina chinesa não seja a doutrina alemã, por conta disso, seu argumento é inválido.

chapim rabilongo
Reply to  MCruel
21 dias atrás

na verdade não era bem assim não…. o t-37/85 ja era superior aos tinger e era produzido em grande quantidade… oque rolou foi que os alemães eram atacados em duas ou 3 frentes ao msm tempo, não dava pra produzir tanques o suficiente sendo que suas fabricas eram destruídas a uma velocidade enorme

chapim rabilongo
Reply to  MCruel
21 dias atrás

tirando que não se tinha apenas t-34 os sovieticos antes do inicio da guerra ja produziam armas sem equivalentes no resto do mundo como os KV e posteriormente os IS….o proprio t-34 surgiu antes da guerra e os sovieticos como mantinham as fabricas longe da linha de frente tiveram tempo de sobra pra aprimorar eles

C M
C M
Reply to  MCruel
19 dias atrás

MCruel, qual argumento?

Ele não tem argumento. É só um papagaio falando bobagem.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
21 dias atrás

Eles n tem versões semi-auto para oferecer no mercado civil ?

chapim rabilongo
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
21 dias atrás

com esse calibre ai teria pouca saida pq simplesmente vc iria pagar mto caro na caixa de munição…. talvez se tiver uma em calibre mais comum

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  chapim rabilongo
21 dias atrás

Normalmente os chineses vendem versões em calibres ocidentais.

Por exemplo.. o “Dragunov” chinês exportado é em 762×51

chapim rabilongo
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
19 dias atrás

aaa então vale a pena… eu lembro que saiu uma materia do maxim popeker falando sobre armas japonesas da segunda guerra no mercado civil e que ngm comprava pq vinham naqueles calibres bizarros

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Jásinto lamas
20 dias atrás

Valeu velho!

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
20 dias atrás

Esta semana a Taurus lançou as G3 e G3C TORO no mercado brasileiro…

Vale uma matéria aqui, serão as armas que irão ajudar na popularização dos RDS em armas curtas no Brasil.

Já forçará os concorrentes a trazerem os mesmos modelos também OR.

A AREX já tem uma versão da Delta, acredito que estavam esperando este lançamento para liberarem a sua.

As outras infelizmente ainda são para importação e portanto muito caras.

Últimas Notícias

Recife (PE) sediará a nova Escola de Formação de Sargentos do Exército

O CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO EXÉRCITO INFORMA: Na 339ª Reunião do Alto Comando do Exército, realizada de 18 a...
- Advertisement -
- Advertisement -