segunda-feira, dezembro 6, 2021

Saab RBS 70NG

Turquia e Coreia do Sul assinam declaração para fornecimento de motores para o MBT Altay

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Foi assinada uma declaração de intenções entre a Coreia do Sul e a Turquia para o fornecimento de motores para o Main Battle Tank Altay. A declaração sobre o assunto veio do Ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlüt Çavuşoğlu.

Durante sua visita oficial à República da Coreia, o Ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlüt Çavuşolu, compartilhou uma postagem sobre o motor do tanque ALTAY em sua conta de mídia social em 22 de outubro. A postagem incluía a declaração: “Somos um parceiro importante na indústria de defesa sul-coreana. Kang Eun-ho, o Ministro encarregado da Administração do Programa de Aquisição de Defesa (DAPA), anunciou hoje que assinou uma declaração de intenção de fornecer motores dos tanques Altay. No contexto do projeto, é uma etapa importante.”

Motor sul-coreano para MBT

O primeiro contrato para o tanque Altay foi assinado em 2008, e a Otokar produziu dois protótipos dentro desse escopo. O contrato de produção em série para o projeto Altay, no entanto, foi posteriormente concedido à BMC. O Contrato de Produção em Massa do Tanque Altay foi assinado em 9 de novembro de 2018, e foi declarado na cerimônia que a produção em série de 250 tanques Altay estava planejada na primeira fase.

O primeiro tanque deveria ser entregue ao Comando das Forças Terrestres após 18 meses, de acordo com o cronograma do projeto. Devido aos contratos de fornecimento de subsistema e à Operação Peace Spring da Turquia no norte da Síria, as empresas alemãs MTU e RENK optaram por “não aprovar a exportação de produtos da indústria de defesa que podem ser usados ​​na Síria” para o motor do tanque e fornecimento de transmissão. Houve atrasos nas entregas em decorrência do embargo.

Devido a problemas de fornecimento de motores com a Alemanha, a Turquia decidiu desenvolver motores domésticos e, como resultado, começou a desenvolver o motor BATU de 1.500 hp projetado pela BMC Power para tanques, veículos blindados e máquinas. O motor, que foi acionado com sucesso pela primeira vez em abril de 2021, ainda está sendo testado e qualificado no BMC Power Test Center. A data prevista para a comercialização é 2024.

BMC Batu 1,500 hp V12

- Advertisement -

35 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
35 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Adler
Adler
1 mês atrás

Que o EB tb coloque-o como um forte candidato.
2 países que o Brasil deveria aprofundar laços na defesa.

Tomcat4,2
Reply to  Adler
1 mês atrás

Lembrando que eles trouxeram o formidável e moderno T-129 Atack pra ser demonstrado e voado por militares brasileiros do EB.

Ryhan Gabriel
Ryhan Gabriel
Reply to  Adler
1 mês atrás

Segundo fontes, ele pesa 62 toneladas, acho que não serviria para o EB por conta do peso.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
1 mês atrás

fazendo uma conta de padaria, daria mais ou menos 24 a 25hp/ton, o que coloca o mbt turco no mesmo patamar que os melhores carros de combate vendidos atualmente no quesito de mobilidade …parabéns ao turcos

joão Fernando
joão Fernando
1 mês atrás

Sensacional

Zeus
1 mês atrás

Interessante como muitos dos países que tem orçamentos no mesmo patamar do brasileiro ou até inferior, optam por desenvolver seu próprio MBT.

Fora EUA, Rússia e China que adquirem muitos e Alemanha que exporta bem, onde fica a crítica de “escala de produção” em relação a Turquia, Itália, França, UK, C.do Sul, Japão, Israel?
Ou para eles escala de produção não se sobrepõe a interesses estratégicos, desenvolvimento tecnológico, domínio de know how, domínio da cadeia de produção, pelo menos na maior parte?

Hcosta
Hcosta
Reply to  Zeus
1 mês atrás

Escala de produção é na quantidade e ao longo do tempo. E estes países já têm uma indústria de defesa consolidada há décadas. Na minha opinião o Brasil perdeu essa dinâmica e pode demorar anos até recuperar. Caso das fragatas e outros. Estão a começar de novo.

Zeus
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Perdeu a dinâmica de fato.
Demonstrou no passado que é capaz de projetar e construir blindados excelentes e interrompeu os esforços.

Desprezar as próprias capacidades é algo de um absurdo surreal.

Tomcat4,2
Reply to  Zeus
1 mês atrás

E olhem, 250 MBT’s, a mesma quantidade que o EB adquiriu do Leo 1A5. Nesse ponto a “vontade política” pesa muito e isso no Brasil em relação a defesa quase não existe pois “defesa não dá voto” como educação, saúde e segurança e por isso o MD deveria investir pesado no marketing das três forças para trazer o povo pro lado deles na hora que se fizer necessária a validação de recursos para a manutenção e modernização das forças armadas.

Salim
Salim
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Exato, defesa náo traz voto e apego as tetas nação. Coréia do sul esta ancorada nos EUA para sua defesa e vai fornecer motores pra Turquia, se EUA tentar melar vão conseguir uma bela compensação. Se fosse aqui já iam desistir ate de negociar, com medinho e colocando aos quatro ventos que náo deixam Brasil crescer, complô internacional contra gigante adormecido. Complexo de vira lata aqui e serio.

Salim
Salim
Reply to  Salim
1 mês atrás

Lembrando , aqui gastavamos USS 25 bi ano, Turquia gasta USS 15 bi ano em defesa.

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
1 mês atrás

Poderia ser o Brasil com esse MBT, mas aqui qualquer coisa do governo é mero cabide de empregos, todo o dinheiro vai para pagar salários, benesses, aposentadorias, pensões etc. Mas aí tu vai reclamar e dizem que tu é invejoso por que não passou na prova de decoreba kkkkkk

Agnelo
Agnelo
1 mês atrás

So pra lembrar:

O #ExercícioMeridiano ocorre de 25 de outubro a 17 de novembro, sendo dividido em três módulos: Meridiano Dragão, Meridiano Ibagé e Meridiano Poti.

Carlos santo
Carlos santo
1 mês atrás

Quem não tem cão, caça com gato…

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Carlos santo
1 mês atrás

Um cão desses seria bom para muitos países…

Teropode
Reply to  Adriano Madureira
1 mês atrás

Terceiro mundistas …

Adriano Madureira
Adriano Madureira
1 mês atrás

250 MBTs ? Parece um bom número, só não sei se é o suficiente para o exército do sultão Erdogangster…

Carlos Campos
Carlos Campos
1 mês atrás

Acho bem legal o Altay, a vários anos a Turquia vem comprando tecnologia da Coreia do Sul, para carros de combate, o motor devia ser alemão, mas a Alemanha pelo que eu conversei com um Turco, passou a perna neles, enrolou para entregar o motor depois sancionaram a Tuquia.

Michel
1 mês atrás

Que moderno!!! Chega a dar inveja. E o Brasil parado no séc. XX (primeira metade) afinal por aqui as prioridades são outras… Em vez de ocupar cargos de confiança na administração pública civil, somar e triplicar os vencimentos, e sei lá mais quantos benefícios, o pessoal mais graduado do exército poderia estar guerreando para termos máquinas sofisticadas como esse veículo da matéria. Não sei não, mas se me fosse permitido visitar o blog daqui, por exemplo, a 50 ou 60 anos para o futuro, pressinto que nada teria mudado em relação as forças armadas brasileiras. Enquanto o pessoal dos países… Read more »

Nascimento
Reply to  Michel
1 mês atrás

O pior é que não é só nas FAs, essa cultura se espalhou pra quase todas as instituições públicas brasileiras… As polícias estaduais não conseguem nem manter seus veículos em funcionamento e qualquer orçamento que sobra já anunciam um novo concurso…

Last edited 1 mês atrás by Nascimento
Michel
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Exatamente, colega.

Tomcat4,2
1 mês atrás

Baita MBT tbm viu e os caras estão a todo vapor na produção de seu motor para o Altay(além do motor pro T-129 Atack). O mimimi Alemão fez foi fortalecer a indústria turca.

Flanker
Flanker
1 mês atrás

Não sei se será um grande MBT, mas tem um grande potencial. Torço para que o EB o analise como substituto dos Leopard 1A5.

Tomcat4,2
Reply to  Flanker
1 mês atrás

De 6 a 9 de Dezembro vai rolar a sexta Mostra Bid Brasil, será que teremos novidades sobre os programas em andamento, em especial os do EB ???
comment image

Last edited 1 mês atrás by Tomcat4,2
Up The Irons
Up The Irons
1 mês atrás

A mesma conta de botequim que faço pra MB e pra FAB também serve pro EB:
Com uma redução de 20% no efetivo, daria 45.000 homens a menos. Se levarmos em conta, sendo BASTANTE conservadores que cada um desses militares na média, entre praças e oficiais, somando soldo, alimentação, uniformes, transporte, gastos hospitalares e pensões futuras custe mensalmente 5 mil reais, teríamos uma economia de 225 milhões de reais TODO MÊS! Quase 3 bilhões POR ANO! Quantos Leopards 2A6 conseguiríamos comprar todo ano? Dinheiro nunca faltou. Só é muito mal administrado!

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Up The Irons
1 mês atrás

com isso poderíamos terminar o MSS1.2 acho que é assim ou nacionalizar o Kornet-E, melhorar o IA2, compra mais do mesmo, comprar Viper financiado ou MI 28, colocar um guiador GPS nos ASTROS, Hovercraft para se deslocar na Amazônia, um IFV para fazer par com nossos nosvos MBT, drones nacioanais da Stella ou Turbomachine, continuar o Estudo de Fibra de Carbono a base de borra de Petróleo, (parece besteira, mas se desse certo as aplicações seriam imensas na civil e militar), mais helicopteros, drones terrestres de combate, satélite para comunicações em ambiantes sem cobertura de internet e celular. daria para… Read more »

Camillo
Camillo
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Inclusive a BMC britânica nem existe mais… a “marca” foi comprada pelo governo turco que a utiliza ainda hoje na sua empresa, que atualmente ja produz diversos motores utilizados em ônibus e caminhões

Foxtrot
Foxtrot
1 mês atrás

Lembro-me que há anos atrás tínhamos a FBM (Fábrica Brasileira de Motores), comandada pelo EB.
Aí venderam a fábrica,, que passou as se chamar MWM (se não me engano), e ficamos a ver navios.
Se hoje tivéssemos uma fábrica autônoma de motores, poderíamos fechar acordo com os Turcos. Fornecendo motores em troca de tecnologias de MBT.
Essa é a diferença entre desenvolver e ter uma empresa nacional da de montar e ter uma empresa de outra nação, porém que produz localmente.
Parabéns Coréia e Turquia !

Jario
Jario
1 mês atrás

BMC = British Motor Company.

Os turcos e britânicos parecem estar trabalhando muito nos bastidores. Em geral, a Coréia do Sul e o Japão não dão o que produzem no campo militar a nenhum país.

Com US $ 13,75 milhões, é um dos projetos de tanques mais caros.

Last edited 1 mês atrás by Jario
Camillo
Camillo
Reply to  Jario
1 mês atrás

Quando foi fundada na Turquia na década de 60 tinha uma parceria com a BMC da Inglaterra, mas nos anos 80 foi totalmente nacionalizada pelo governo turco, e ficou usando a sigla BMC ainda, mas sem nenhum vínculo com a empresa da Inglaterra.

Camillo
Camillo
Reply to  Jario
1 mês atrás

É que nem a Jaguar e Land Rover, que hoje pertencem ao grupo indiano Tata, mas conrinua usando a “marca” Jaguar e Land Rover.

Camillo
Camillo
Reply to  Jario
1 mês atrás

Inclusive a BMC britânica nem existe mais… a “marca” foi comprada pelo governo turco que a utiliza ainda hoje na sua empresa, que atualmente ja produz diversos motores utilizados em ônibus e caminhões…

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Jario
1 mês atrás

Sim. Os britânicos estão muito próximo dos turcos. Principalmente no estudo de turbinas para caças. Talvez forneçam peças para novo caça de 5 geração da Turquia

Teropode
1 mês atrás

E pensar que experimentamos esta fase de crescimento de produtos militares a uns 30 anos atrás , a Turquia nem sonhava com isto , imaginem se fosse dado sequência naquela indústria , tínhamos clientes e mão de obra especializada , pqp …..caímos do cavalo e batemos a cabeça .

Tomcat4,2
Reply to  Teropode
1 mês atrás

O Osório ,Tamoio, Charrua, Sucuri(que já usava a torre mais moderna da Cockerill) mandam lembranças desta época, infelizmente fomos boicotados interna e politicamente. Convenhamos que pro irmãozão do norte não era interessante ter um irmão do Sul competindo no mercado bélico de igual pra igual e fortalecido belicamente com capacidade de se manter , dai vieram as “ajudas”(nada contra pois mandam muita coisa boa mas…quanto mais independência em equipamento militar melhor) com equipamentos e dai pra cá já sabemos do resto. Lembrem que testaram o Urutu nos EUA e o Osório brigou com o Abrams no deserto e não levou… Read more »

Últimas Notícias

SIPRI: Indústria global de armas floresce apesar da COVID

Um negócio de US $ 531 bilhões: O novo relatório do SIPRI mostra que os 100 maiores produtores de...
- Advertisement -
- Advertisement -