segunda-feira, junho 27, 2022

Saab RBS 70NG

EUA avaliam incluir Índia, Japão, Alemanha e Coreia do Sul na aliança ‘Five Eyes’

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O Comitê de Serviços Armados do Congresso norte-americano considera expandir a aliança Cinco Olhos (Five Eyes), formada pelos EUA, Reino Unido, Austrália, Canadá e Nova Zelândia, para enfrentar “as ameaças atualmente provenientes da China e da Rússia”.

O Comitê de Serviços Armados da Câmara dos Representantes dos EUA pediu ao diretor de inteligência nacional e ao secretário de Defesa que identificassem os “benefícios” e “riscos” de expandir a aliança Cinco Olhos para incluir também a Índia, o Japão, a Alemanha e a Coreia do Sul.

“O pacto de compartilhamento de inteligência Cinco Olhos é um vestígio da Segunda Guerra Mundial que precisa ser atualizado para melhor manter o controle sobre a China”, disse ao Defense One o membro do comitê, Ruben Gallego.

Gallego teria apresentado uma emenda na Lei de Autorização de Defesa Nacional para o ano de 2022 a fim de formalizar a proposta do comitê.

“O comitê reconhece que o cenário de ameaças mudou muito desde o início do acordo Cinco Olhos, com as principais ameaças agora provenientes da China e da Rússia”, indica a proposta.

O Comitê de Serviços Armados acredita que os países do pacto Cinco Olhos devem ampliar o círculo de confiança para outros países no confronto entre grandes potências.

Cinco Olhos é uma aliança de compartilhamento de inteligência entre os EUA, Reino Unido, Austrália, Canadá e Nova Zelândia. Foi originalmente concebido como um acordo entre os Estados Unidos e o Reino Unido para facilitar a cooperação durante a Segunda Guerra Mundial e, mais tarde, foi expandido para incluir três outras nações de língua inglesa.

FONTE: Sputnik News

- Advertisement -

52 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
52 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Matheus S
Matheus S
7 meses atrás

Deixe-me colocar a chance de todos esses países serem incluídos: 0%.

Pedro Bó
Pedro Bó
7 meses atrás

Interessante que os EUA não contemplam nenhum país da AL nas suas principais iniciativas de inteligência e defesa. Daí, me questiono se isso é fruto de um comodismo de crer que os países latino-americanos estarão sempre sob esfera de influência de Washington, se é porque os países latinos não tem competência técnico-militar para tanto ou se os americanos já abriram mão da região para russos e chineses.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Pedro Bó
7 meses atrás

Ser aliado é dar e receber.
Esses 4 países costumam participar em todas as guerras dos EUA.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Pedro Bó
7 meses atrás

Verifique quais ameaças para os EUA (segundo a visão deles) há próximo dos países desse sistema e quais ameaças tem na AL.
Verificando isso, acredito q seja extremamente esclarecedor.

chapim rabilongo
Reply to  Pedro Bó
7 meses atrás

acho que é pelo fato dos paises da AL ja serem incluidos involuntariamente nos planos de defesa via tratados nas americas….

Alexandre
Alexandre
7 meses atrás

Atualmente o Brasil opera 36 sistemas Astros2020. Se aumentarmos a frota dos Astros2020 para 80 sistemas, seria viável para o Brasil ou não há necessidade?

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Alexandre
7 meses atrás

Seria bom, porque nunca se sabe quando um conflito ode estourar. MAS, creio que temos outras prioridades mais urgentes, como a aquisição de um ou mais sistemas de defesa AA de médio e longo alcance. Pra mim é o calcanhar de aquiles das FA brasileiras.
Obviamente que temos falta de outros equipamentos, como um MBT moderno, mísseis antitanque, peças de artilharia rebocada mais atuais. Mas creio que a defesa AA, ainda é uma urgência que precisa ser mais priorizada.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Heinz Guderian
7 meses atrás

Concordo. A defesa antiaérea de médio e longo alcance é o que mais falta no momento, além de mais caças Gripen.

MBT e blindado 8×8, infelizmente n dá pra comprar agora porque os recursos estão poucos, mas pelo menos dá pra manter os Leopard 1a5 e o Cascavel 6×6 modernizados.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Alexandre
7 meses atrás

Seria mais benéfico a venda para outros países.
Se não houver alguém que compre a um ritmo constante e previsível, nenhum projeto terá viabilidade. E não tem nada de errado em vender para o exterior.
Obriga a estas empresas a apresentarem um produto competitivo, entre outras vantagens.
.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Hcosta
7 meses atrás

Sim, concordo, seria interessante a Avibras vender estes sistemas para outros países, porém sem passar a nossa tecnologia para os outros. O importante é a lucratividade.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Alexandre
7 meses atrás

acrredito que não há necessidade

Alexandre
Alexandre
Reply to  Carlos Campos
7 meses atrás

Ainda bem, pelo menos estamos bem servidos com 36 sistemas!!!

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Alexandre
7 meses atrás

Interessante é, mas tem que ver o custo.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Diego Tarses Cardoso
7 meses atrás

Ah, o custo com certeza sairia muito alto, os sistemas Astros2020 são bem caros.

Matheus
Reply to  Alexandre
7 meses atrás

Pra conter qual ameaça?
36 já é bom suficiente pra bombardear qualquer ameaça.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Matheus
7 meses atrás

Ainda bem que 36 já é suficiente!!!

Se for conter ameaças, seriam ameaças de europeus e americanos que querem tomar a nossa soberania (Amazônia Verde).

A6MZero
A6MZero
Reply to  Alexandre
7 meses atrás

Se for os americanos pode ser 1000 astros que não ia dar conta, na verdade muitos europeus ia dar conta dos astros afinal eles são um simples sistemas de foguetes, por mais avançado que seja não tem capacidade de por si só conter uma ameaça. (agora os que já temos acompanhados de um sistema de defesa aérea, cobertura da FAB e um sistema eficiente de aquisição de alvos a conversa muda) Quanto a usa-los na região amazônica acho que não seriam úteis (na verdade não tenho recordação do uso deles nessa região) afinal sua capacidade de saturação poderia ser reduzida… Read more »

Alexandre
Alexandre
Reply to  A6MZero
7 meses atrás

Os americanos e europeus não atacariam a nossa Amazônia, eles atacariam as nossas bases logísticas e centros econômicos das cidades. O desejo deles é pelo nosso bioma, logo, seria inviável eles nos atacarem pela floresta amazônica. Se houvesse uma invasão americana e europeia no Brasil, com certeza para as nossas forças de defesa lutarem contra eles, teria que ser por meio de uma guerra de resistência, o que seria uma guerra duradoura e que teríamos que resistir aos invasores por mais superiores que eles fossem. Obviamente os Astros2020 não dariam conta de uma invasão americana e nem europeia, pois trata-se… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Alexandre
7 meses atrás

As forças armadas servem para garantir a soberania do Brasil. Mas esse discurso de invasão, principalmente no caso da Amazônia, não é o mesmo de sempre? Não contribui para concentrar os recursos para esse objetivo e negligenciar outras questões como missões internacionais, modernizações, reformas, etc…? As forças armadas, numerosas e bem treinadas, são excelentes para esse tipo de guerra de resistência/guerrilha. O problema é quase uma especialização nesse tipo de guerra básica e muito limitada. Pode até descartar o domínio aéreo e marítimo. E as “ameaças” revelam uma ausência de poder diplomático, que deriva do poder económico e num menor… Read more »

Alexandre
Alexandre
Reply to  Hcosta
7 meses atrás

As ameaças dos EUA e Europa revelam um Brasil fraco diplomaticamente e também fraco na sua defesa comparado as grandes potências militares e nucleares do mundo. Está na hora do Brasil repensar na sua defesa e na sua nuclearização.
É muita discrepância e muita falta de respeito com a nossa soberania, ver os americanos e europeus nos hostilizando o tempo todo. O Macron só é apenas mais um, isso fora o parlamento britânico, americano, francês e de demais países do bloco europeu.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Alexandre
7 meses atrás

Pois, voltamos ao mesmo assunto. Enquanto for assim as Forças Armadas ficam na mesma. Mesmo com armas nucleares. E de que forma as armas nucleares vão fazer com que o Brasil seja uma potência económica e diplomática? Seria uma potência nuclear mas isso nem garante que seja uma potência militar pois para isso é necessário umas forças armadas modernas e uma capacidade industrial/económica para as sustentar e evoluir. E hostilizar o Brasil? Quem é que faz isso? A França que vendeu PA, submarinos, navios, helicópteros, etc…? Hostilizar é uma palavra que não dá para definir a relação entre o Brasil… Read more »

Alexandre
Alexandre
Reply to  Hcosta
7 meses atrás

Vamos lá, vamos por partes, as armas nucleares não farão com que o Brasil se torne uma potência, mas garantirão uma imposição de respeito a nossa nação diante dos demais países do mundo, sem contar que o Brasil com armas nucleares passará a sentar na mesa e ser tratado como gente grande. Veja que a Coreia do Norte não tem um exército bom, é totalmente defasado e atrasado em tecnologia, mas o que impõe respeito àquela nação são justamente suas armas nucleares. Quem nos hostiliza? Simples, quem nos hostiliza são justamente países que interferem tanto no nosso país, e que… Read more »

Last edited 7 meses atrás by Alexandre
Hcosta
Hcosta
Reply to  Alexandre
7 meses atrás

A Coreia do Norte não impõe respeito, impõe medo que é muito diferente. E o medo faz as pessoas agirem de forma irracional. Principalmente os que se sentem ameaçados por essas bombas e não são só os EUA e a Europa. São também os países Latino-americanos. E, na minha opinião, possuir armas nucleares trás poucas vantagens para o Brasil tendo em conta que o país nunca foi invadido e nenhum país terá capacidade de invadir. E o respeito internacional conquista-se e para fazer isso é necessário uma maior intervenção e peso político. Algo que as bombas nucleares não conseguem fazer.… Read more »

Alexandre
Alexandre
Reply to  Hcosta
7 meses atrás

Discordo. A Coreia do Norte impõe respeito sim, veja que nenhum país tem peito para encarar de frente a Coreia do Norte, até o Japão não a encara tão de frente porque sabe o perigo daquelas armas nucleares e também porque sabe que a Coreia do Norte pode responder com ogivas nucleares. A Coreia do Norte impõe medo e respeito, não só pelas suas ogivas, mas também pela sua parceria com a China e a Rússia. Veja o tratamento que os EUA deram à Coreia do Norte na era Trump, veja como os EUA a tratam hoje, é tudo na… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Alexandre
7 meses atrás

O seu comentário está um bocado confuso. Só dei exemplos que podem ser comparados com o que se passou no Brasil. Ou acha que é só elogios e beijinhos entre políticos? São Relações Internacionais. Acontece todos os dias e não é muito diferente do que aconteceu ao governo Brasileiro. Coreia do Norte não é respeitada. É uma país isolado do resto do mundo. Isso não é respeito ou credibilidade. Respeito é ter voz nos organismos internacionais e ter argumentos económicos e diplomáticos para dar força a essa voz. A Alemanha, Japão, Itália, Espanha, etc… têm armas nucleares? E são países… Read more »

Alexandre
Alexandre
Reply to  Hcosta
7 meses atrás

Confuso está o seu comentário e posicionamento. Políticos sempre se desentendem, isto é fato, mas vai desrespeitar lá a Rússia de Putin, vai falar qualquer coisa lá pra vc ver. A Coreia do Norte é isolada do resto do mundo, isolar um país qualquer um pode fazer, assim como embargá-lo com sanções, porém ninguém mexe com a Coreia do Norte. Bem ngm faz, mal tbm ngm faz, só deixam ela lá, só isso, porque sabem que se mexerem com ela de forma ofensiva é um alto risco daquele país lançar um míssil nuclear intercontinental pra cima de outro, e uma… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Alexandre
7 meses atrás

O senhor tem problemas de interpretação? Diz uma coisa e o seu contrário ao mesmo tempo. E distorce as minhas palavras que nem dá para debater. Onde é que eu disse que os EUA e a UE devem explorar a Amazônia? O que eu disse é que muita gente utiliza esse pseudoargumento como justificação para manter tudo igual. Um Brasil sem Poder diplomático, económico e militar. E gostava de saber como a UE e os EUA são responsáveis pela situação no Brasil. Tantas palavras e nenhum exemplo. Acha que as relações Brasil e EUA/UE se resumem a um discurso de… Read more »

Alexandre
Alexandre
Reply to  Hcosta
7 meses atrás

Ah tá certo, então é um pseudo argumento achar que os americanos e europeus querem nos tirar a Amazônia? Lamentável a sua forma de pensar. Ah você ainda pergunta?? Quem é que vive querendo internacionalizar a Amazônia, é a Rússia por acaso? É a China? É a Índia? É o Paquistão? Não! Simplesmente é EUA e Europa que querem fazer isso, logo, um Brasil economicamente forte e militarmente forte não é jogo para estas nações, pois se o Brasil fosse uma potência econômica e militar, dificilmente eles tocariam adiante aquele projeto ambicioso do ”corredor triplo A”, e da ”internacionalização da… Read more »

Augusto
Augusto
Reply to  Alexandre
7 meses atrás

Realmente Alexandre, a forma como essas potencias estão nos tratando e muito humilhante para o Brasil. E nós por não sermos um pais serio acabamos ficando vulneráveis diplomaticamente com essas ameaças. Deveríamos começar a focar em relações diplomáticas com países que não são hostis com nossa soberania, mesmo que seja com a China. Belo tratamento de “aliados” os europeus e os americanos nos impõe com relação a Amazônia. Colocar em cheque a soberania de uma quantidade expressiva do “território” de um “aliado” e muito serio. Mostra que pelo menos com relação ao Brasil, as potencias ocidentais não são nada confiáveis.… Read more »

Alexandre
Alexandre
Reply to  Augusto
7 meses atrás

Exatamente Augusto,  a forma como essas potencias estão nos tratando é muito humilhante para o Brasil. O que mostra que somos um estado fraco e muito vulnerável. Concordo plenamente que temos que estreitar relações com países que não nos hostilizam como Rússia, China, Índia, Coreia do Sul, Emirados Árabes, Arábia Saudita, Catar, Israel, Bahrein… Os países árabes citados são países muito bem desenvolvidos e ricos, e isso é uma grande oportunidade para o Brasil estreitar relações com estes países já que EUA e Europa nos hostilizam tanto. Em termos de ”aliança”, o Brasil não deve se aliar com ninguém, deve… Read more »

Alexandre
Alexandre
Reply to  Hcosta
7 meses atrás

Eu vou encerrar o debate aqui, porque a moderação apagou o meu comentário de resposta, então desse jeito não dá para a gente debater, infelizmente.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Alexandre
7 meses atrás

Boa noite, eles jamais atacariam pela Amazônia, seria derrota certa para até mesmo para os eua…. Se houver um ataque será pelo nosso litoral, adentrando pelo país, dividindo as linhas de defesa, tomando Brasília e sufocando a Amazônia!!! Só existem 2 formas de rechaçar um ataque, produção de material bélico ao nível dos chineses ou a forma de dissuasão mais diplomática que existe, a independência nuclear !!! ( Enéas tinha razão ).
abraços

Alexandre
Alexandre
Reply to  Saldanha da Gama
7 meses atrás

Com certeza Saldanha, seria um tiro no pé eles atacarem a nossa Amazônia, eles com certeza nos atacariam pelo litoral e também atacariam as nossas bases logísticas e centros econômicos.

JEFFERSON FERREIRA DA SILVA
JEFFERSON FERREIRA DA SILVA
Reply to  Alexandre
7 meses atrás

Serão uns ótimos alvos para drones

Alexandre
Alexandre
Reply to  JEFFERSON FERREIRA DA SILVA
7 meses atrás

Depende. Hoje em dia é nítido que os drones já estão em ação nos combates pelo mundo, muitas nações já usam drones suicidas e drones de ataque ao solo (vide Armênia e Azerbaijão), então se um sistema Astros2020 lançador de foguetes, for alvo para drones, com certeza teremos que reforçar a nossa vigilância aérea e também desenvolver armas anti-drones, não só para os sistemas Astros, como também para os nossos blindados e MBTs.

Jacinto
Jacinto
7 meses atrás

Japão, Alemanha e Coreia do Sul são aliados antigos dos EUA e do UK e não surpreenderia a inclusão deles nos 5 Olhos. Agora, a inclusão da Índia surpreende bastante, dado que até poucos anos atrás a relação entre EUA e Índia era marcada por desconfianças mútuas e recíprocas.

Fulcrum
Fulcrum
Reply to  Jacinto
7 meses atrás

O famoso ditado, o inimigo do meu inimigo… Apesar de não serem tão inimigos, ambos tem um objetivo como, começa com “C” termina com “A”

Lala Croft
Lala Croft
Reply to  Jacinto
7 meses atrás

Pensei a mesma coisa.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Jacinto
7 meses atrás

até uns dias atrás queriam aplicar CAATSA neles, mas a India pagou pra ver e não fizeram nada. é estranho mesmo

Hcosta
Hcosta
Reply to  Jacinto
7 meses atrás

Não creio que as relações entre a Índia e os EUA sejam assim tão conflituosas mas a Índia é o país mais poderoso da região a seguir à China.
Talvez seja uma forma de passar as relações entre os dois para um novo nível, apesar de nunca ser ao mesmo nível dos atuais 5.

Antoniokings
Antoniokings
7 meses atrás

Americanos mais perdidos que cegos em tiroteio.
Em com cinco olhos.

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  Antoniokings
7 meses atrás

Boa! Kings eu te amo porra! kkkkkkk

Last edited 7 meses atrás by Inimigo do Estado
Carlos Campos
Carlos Campos
7 meses atrás

segundo o Snowden o Japão é todo bixado pelos EUA, caso algum dia queiram sair da coleira, problema, é que já estão saindo e com ajuda dos EUA, graças à China, lembrar do estoque de Plutônio do Japão, que os EUA quiseram destruir, mas o Japão não fez e manteve, acho que no fundo o Japão nunca confiou nos EUA, eles podem em questão de meses terem centenas de ogivas nucleares, Japão de certa forma já faz parte dessa aliança, a Alemanha é outra, a OTAN não foi feita para combater os Soviéticos somente, foi para manter a Alemanha quieta… Read more »

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Carlos Campos
7 meses atrás

Amigão, 
Tanto Japão quanto a Alemanha PERDERAM a guerra. Se renderam incondicionalmente. E a rendição não é um contrato com data de validade. Vale até hoje e, a princípio, até o infinito.
Portanto, por isso, os EUA possuem grandes bases militares nos territórios destes países, com grandes contingentes militares e não sairão dali sem que seja de uma alta autovontade americana ou… até se for de extrema vontade dos dois países, mas seguido de altíssimo custo, no qual até hoje, não houve sequer um mínimo de manifestação para tal.

Hcosta
Hcosta
Reply to  GFC_RJ
7 meses atrás

A Alemanha e o Japão já não são países ocupados. São aliados.
E se houver um pedido dos países, os EUA saem. Mas certamente que estas bases são regidas por acordos, que são mutuamente benéficos. Tanto no aspeto militar como no, e mais importante, económico.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  GFC_RJ
7 meses atrás

nossa se vc não me contasse eu não saberia que eles perderam a guerra, só que de lá pra cá a situação mudou, ambos os países em questão se tornaram potências econômicas e militares, no caso da Alemanha com potencial de fazer de tudo em armas, e todos longe dos EUA, com um oceano de distãnica, então se quisessem se livrar dos militares em seu solo era fácil, eles sabem o endereço uma chuva de artilharia nas bases e já eram as mesas, o que prende os EUA à eles é o dinheiro, mas pode se chegar a um momento… Read more »

Allan Lemos
Allan Lemos
7 meses atrás

Bateu o desespero rsrsrs.

sub urbano
sub urbano
7 meses atrás

Esse Five Eyes só aproximam Russia e China o que na minha opinião é uma lambança da diplomacia americana. A China rompeu com a URSS durante a guerra fria através de uma manobra americana muito inteligente. Esse quadro parece ter sido revertido hoje. China e Russia juntas são osso duro de roer e a europa continental e a asia estão muito mais vulneraveis que os americanos que tem uma marinha poderosa e os 2 maiores oceanos da Terra para se protegerem.

sub urbano
sub urbano
7 meses atrás

Julio Cesar inventou o “dividir para conquistar”, os estados unidos acabaram de inventar o “unir os inimigos pra perder” kkk Os caras perderam pro Talibã e querem vencer China e Russia.

Hcosta
Hcosta
Reply to  sub urbano
7 meses atrás

Unir os inimigos? Se o Japão e a Coreia do Sul são inimigos, então não sei os que são amigos…

Wes
Wes
7 meses atrás

E a passos largos todas as liberdades e privacidade vão diminuindo, tudo que fazemos inclusive digitar aqui é rastreado milhares de vezes, pelo navegador, sistema operacional, buscador, provedor de internet, servidores além de serviços dedicados a isso como o Prism da NSA revelado por Snowden, 1984 é real!

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Wes
7 meses atrás

“O preço da liberdade é a eterna vigilância.”

Últimas Notícias

Stoltenberg: Diálogo amplo entre Rússia e OTAN não é mais possível

BRUXELAS, 27 de junho. /TASS/. A Otan e a Rússia devem preservar as linhas de comunicação, mas um amplo...
- Advertisement -
- Advertisement -