sábado, maio 21, 2022

Saab RBS 70NG

ESPECIAL: Milipol Paris 2021, principal evento para segurança interna e proteção

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Por Jean François Auran*
Colaborador especial do Forças Terrestres/Forças de Defesa

A 22ª edição da Milipol Paris aconteceu de 19 a 22 de outubro no Parc des Expositions de Paris-Nord Villepinte.

A Milipol Paris tornou-se um importante ponto de encontro para os Estados com 176 delegações oficiais e empresas de segurança. Trinta mil visitantes compareceram à mostra este ano para conhecer 1.000 expositores.

Os agentes de segurança e proteção se reúnem a cada dois anos para discutir e compartilhar as últimas inovações tecnológicas. A segurança é um setor da economia que, como todos os setores, tem sofrido com a queda da atividade globalmente, embora tenha sido um pouco menos impactada do que o resto da economia. Setores específicos, como a segurança cibernética, continuaram a crescer fortemente em 2020.

O exposição cobre todas as áreas da segurança interna do Estado:

  • Proteção de dados – Sistemas de informação e comunicação;
  • Inteligência econômica – relógio industrial;
  • Integrador de sistemas;
  • Análise e gestão de risco;
  • NRBC;
  • Segurança civil;
  • Polícia técnica e científica;
  • Aplicação da lei;
  • Luta contra o terrorismo – Forças especiais;
  • Proteção de instalações industriais e sensíveis – Segurança de perímetro;
  • Luta contra o tráfico organizado;
  • Segurança de lugares públicos – Segurança urbana;
  • Segurança de transporte;
  • Segurança portuária e aeroportuária – Controle de fronteira;
  • Segurança na estrada;
  • Segurança bancária e fiduciária;
  • Setor prisional;
  • Setor de petróleo e gás;
  • Luta contra ameaças cibernéticas e crimes cibernéticos;
  • Segurança privada.

O pavilhão do Estado francês

Os visitantes puderam notar uma forte presença do Ministério do Interior francês e da administração aduaneira, mesmo que o espaço de exposição tenha sido reduzido em comparação com a edição anterior. As autoridades policiais francesas apresentaram seus serviços e inovações. As forças de intervenção e os investigadores exibiram as últimas inovações.

Uma maquete do futuro helicóptero da Gendarmerie Nationale foi exibida. Como parte do plano de apoio aeronáutico de junho de 2020, o Ministério do Interior encomendou dez helicópteros H160 Pegasus por um custo de 200 milhões de euros para renovar parte dos 26 AS-350 Ecureuil em serviço por 40 anos.

Quatro GN H160 irão operar a partir da base aérea 107 de Villacoublay, perto de Paris. A máquina de 6 toneladas transportará até 12 passageiros a 280 km/h e com alcance de 850 km. Os policiais estão se preparando para os Jogos Olímpicos de Verão de 2024 em Paris.

H160
H160

H145 D3

Armamento com letalidade reduzida

Além de uma ampla gama de fuzis de assalto e metralhadoras, a empresa belga FN Herstal produz armas não letais, notadamente seu FN 303, que já vendeu 25.000 cópias.

Agora oferece o Smart ProtectoR, composto por uma pistola FN 306, acoplada a um sistema de reconhecimento de imagem FN Victor-SP e um sistema de mira red dot. Seu magazine contém cinco cartuchos de elastômero de calibre 12,55 mm com disparo elétrico.

O módulo optrônico FN Victor-SP proíbe o atirador de mirar na cabeça. A pistola elétrica de pulso TASER 7 (empresa Axon) possui uma estrutura de material sintético. É possível disparar dois cartuchos sem a necessidade de recarregá-lo.

A TASER 7 também possui uma lanterna tática integrada. A empresa Byrna, fundada na África do Sul, obteve sucesso nos Estados Unidos com armas de autodefesa. A Byrna max é semelhante a uma pistola e dispara bolas de 18 milímetros de diâmetro com ar comprimido contendo projéteis químicos irritantes.

Armas mais práticas

Diversas empresas apresentaram inovações na área de armas pequenas. O fuzil SIG MCX Rattler é a versão compacta do SIG MCX. Está disponível com munições de 5,56 x 45 mm e 7,62 x 35 mm (300 AAC). A arma está equipada com um moderador de som, o fuzil de assalto CZ Bren 2 agora é oferecido com uma coronha de metal retrátil. Foi apresentado em sua versão compacta, calibrado em 5,56 x 45 mm e um corpo de 8 polegadas (207 mm).

Para operações especiais, a B&T da Suíça também ofereceu o SPC9SD. Esta arma compacta, totalmente ambidestra, com câmara para o calibre 9 x 19 mm, está equipada com um moderador de som muito poderoso. Esta arma pode usar todos os cartuchos Glock 9 × 19 mm de pilha dupla de 10 a 33 cartuchos ou cartuchos SIG P320, M17 e M18.

Submetralhadora B&T

Óptica eficiente e sistemas de vigilância

Dispositivos de detecção de “migrantes” foram amplamente exibidos em todo o salão de exposição. A francesa HGH, especializada em sistemas eletroópticos, exibiu a série de câmeras térmicas Spinel, que promete “vigilância panorâmica de 360 ​​graus, dia e noite, até o horizonte”. A empresa acaba de fechar um contrato de um milhão de euros.

Um dos produtos mais espetaculares é esta multicâmera produzida pela empresa húngara Logipix que é composta por 16 câmeras de 20 Mpix fornecendo um fluxo de vídeo permanente de 320 Mpix a 20 fps. Esse fluxo é dissecado em tempo real por algoritmos de reconhecimento de imagem para revelar invasores em potencial. “O sistema pode detectar um humano em até 5 km”, segundo seus projetistas.

A empresa israelense Camero-Tech apresenta o XLR80, que pode detectar pessoas atrás de uma parede e seus movimentos a até 100 metros de distância. Este sistema permite que o operador obtenha informações precisas enquanto se mantém a uma distância razoável de seu alvo.

Também houve novidades na área de óculos e binóculos. Podemos citar os binóculos de visão noturna QuadEye (Night Vision Laser Spain group), que inclui quatro tubos de luz intensificadora proporcionando um campo de visão de 104 °. A empresa francesa Photonis produziu os tubos de 16 ou 18 mm.

Pixels on Target propôs duas ópticas de mira térmica, a VooDoo-S e a VooDoo-M (da LLC), que usam um sensor bolométrico de 640 x 480 pixels. A VooDoo-S mais versátil, compacta e leve (290g) pode ser usada como um telescópio monocular e binóculos de visão noturna.

Ao mesmo tempo, a empresa israelense Smart Shooter desenvolveu uma caixa inteligente, Smash AD, para guiar um tiro precisamente. Montada em um fuzil, a câmera detecta e trava o alvo mesmo se ele estiver em movimento

A Aimpoint Acro P2 red dot apresentada até agora (devido ao COVID) apenas na internet pôde finalmente ser observado na Milipol. Esta lente compacta (pesa apenas 60 g) é especialmente indicada para revólveres (exemplo da Glock MOS). No entanto, também pode ser usado em uma submetralhadora ou PDW.

Presença reforçada de drones

Os drones aéreos exibidos durante a MILIPOL 2021 se concentraram em dois temas principais. Por um lado, a capacidade de decolagem e pouso vertical (VTOL) está cada vez mais em demanda, especialmente para drones táticos. Ela elimina a necessidade de uma pista desenvolvida e facilita o emprego do vetor aéreo, independente do terreno.

Por outro lado, a categoria de mini-drones vem diversificando suas possibilidades de emprego para melhor atender às necessidades das tropas, o que se reflete na multiplicação de produtos oferecidos pelos fabricantes.

Os fabricantes europeus têm demonstrado presença no segmento de drones de asa fixa com capacidade VTOL. A versão VTOL do Penguin C Mk2 UAS é perfeita para operações exigentes, como decolagem e pouso em terrenos variáveis ​​e até mesmo com ventos de 30 nós. Sua autonomia de voo de mais de 14 horas (dependente da carga útil) e alcance de 180 km atende aos requisitos de várias missões de defesa militar. Além disso, o Penguin C VTOL se destaca como um sistema de vigilância multimissão.

A Survey Copter, filial da Airbus exibiu o UAS marítimo Aliaca. Com um comprimento de 2,2m e uma envergadura de 3,6m para um peso máximo de decolagem de 16 kg, o UAS marítimo Aliaca se beneficia de um motor elétrico potente e silencioso

Vencedora do Innovation Awards 2021 na categoria “Drones, anti-drones e robótica”, a empresa belga Sky-Hero exibiu um sistema combinando UAV e UGV. Dedicado a missões internas, é de interesse genuíno para forças especiais ou forças de segurança. A peça central do sistema Sky-Hero é o controle remoto por rádio que permite a um operador controlar até quatro equipamentos, sejam seus drones aéreos Loki Mk2 e/ou seus robôs terrestres Nidhogg Mk2. Eles foram projetados para resistir a qualquer colisão.

O LOKI MK2 foi projetado para missões de reconhecimento tático interno e externo, e possui uma câmera com sensor Night-Day + IR altamente sensível, dando-lhe a capacidade de voar e ver na escuridão completa. O drone Orion 2 da empresa francesa Elistair é mantido na coleira como um cachorro usando um cabo de 70 ou 100 metros de comprimento. Este último garante a transferência de dados e energia para a máquina. A vantagem é que ele pode ficar no ar por até 24 horas seguidas.

As empresas MADDOS (Polônia) e GermanDrones (Alemanha), por sua vez, destacaram vetores aéreos elétricos: o VTOL 350e e o SongBird. Esses drones táticos têm a vantagem de ter uma assinatura acústica baixa e, ao mesmo tempo, manter a duração da bateria de algumas horas. No contexto de missões de reconhecimento de baixa altitude, drones elétricos representam uma solução particularmente atraente. A atração dessas tecnologias deve continuar, acompanhada da busca por equipamentos cada vez mais eficientes. Outros jogadores importantes participaram deste evento. Essas são as empresas israelenses, como a BlueBird Aerosystems do grupo IAI. Seus principais produtos, o WanderB VTOL e o Thunder B VTOL, estavam em exibição.

O mini-drone NOVADEM também esteve presente. Ela observou que este mini-UAV teve sucesso em designar um alvo e permitiu o sucesso de um tiro de míssil de médio alcance (MMP). A Protein e Novadem apresentaram uma solução de medição de NRBC aerotransportado.

A empresa tcheca Nuvia exibiu um pequeno UAV com seis detectores disponíveis para monitorar a radioatividade.

A luta anti-drone e anti-IED

Esses materiais são cada vez mais numerosos nas arquibancadas. Em primeiro lugar, podemos citar o C-Guard Micro (apresentado sob o nome C-Guard EOD). Este sistema compacto anti-IED foi projetado para manter o operador ao mínimo de intervenção.

A empresa holandesa Robin Radar Systems se concentra na parte de detecção de soluções anti-drone. O radar ELVIRA, de 72 kg, já foi usado em condições reais. O radar foi implantado durante a cúpula da OTAN em Bruxelas em 2018. Na feira comercial MILIPOL 2021, foi exibido um radar mais compacto e facilmente transportável: o radar IRIS.

A empresa dos Emirados Árabes Unidos STRATIGN também esteve na MILIPOL. Esta empresa exibiu sistemas de interferência para várias aplicações, incluindo anti-drone. O DRONE JAMMER pode oferecer uma solução completa para lidar com a ameaça dos drones, cobrindo todos os estágios desde a detecção até o bloqueio ou neutralização dos drones.

A tecnologia francesa MC2 apresentou a última versão do seu NEROD RF (RiFle) que é uma solução anti-drone eficaz contra 98% dos drones do mercado. Este rifle está em serviço no Exército Francês e é usado pelo grupo de intervenção policial (RAID).

NEROD RF

Veículos de intervenção

A Arquus (anteriormente Renault Trucks Defense) apresentou uma versão do Sherpa Light destinada a grupos de intervenção que se beneficiam do feedback do GIGN (Groupe d’Intervention de la Gendarmerie Nationale).

Com seus 2,2m de altura e no topo sua escada de assalto, a variante “segurança interna” do Sherpa Light é espetacular. Desenvolvido no início da década de 2010 graças à expertise do GIGN, este veículo de intervenção é um 4×4 blindado de 270 cavalos de potência, que possui uma escada de assalto HARAS (Sistema de Assalto de Resgate com Altura Ajustável).

A BMW Motorrad apresentou as versões “Police” do BMW CE 04 e BMW F 900 XR como exclusivas do mundo. O BMW CE 04 tem um motor elétrico que funciona bem na cidade e em áreas urbanas. A velocidade máxima é de 120 km/h, garantindo uma condução rápida na cidade e nas principais estradas. Com sua bateria com capacidade de 8,9 kWh, o BMW CE 04 oferece um alcance de cerca de 130 quilômetros. Este último permite que as agências de aplicação da lei realizem todos os seus movimentos diários no coração desses ambientes urbanos.

Proteção das forças de intervenção

A empresa austríaca ULBRICHTS Protection apresentou o primeiro capacete capaz de paralisar as munições com núcleo de ferro Kalashnikov por conta própria, reduzindo o trauma abaixo de um nível letal de 25 joules. O novo capacete VPAM 6 Rifle pode proteger “sozinho” contra ameaças perigosas na superfície do capacete (7,62×39 M43). Estará disponível em todo o mundo a partir de 2022.

A MKU, empresa indiana, apresentou seus meios de proteção para infantaria e helicópteros e equipamentos optrônicos inovadores. A MKU oferece soluções modulares de proteção balística para aeronaves e helicópteros na área de helicópteros.

Por trinta anos, a MKU equipou nada menos que 250 helicópteros. A MKU também protege os Mi-8 e Mi-17, Bo-105s, Pumas e outros Super-Pumas. Os kits de proteção modular da MKU também conquistaram os usuários de asas rotativas americanas. Também estão em andamento discussões para fornecer kits aos usuários do NH90.

Conclusão

A exibição Milipol Paris 2021 foi muito comparável às edições anteriores. Proteção de fronteira, novas tecnologias de interceptação, guerra anti-drones e segurança cibernética estiveram no centro das conferências. Não encontramos nenhuma evolução significativa, mas uma tendência ao uso mais generalizado de UAV ou AGV, a maioria deles movidos a eletricidade.

Aliaca survey copter

Anti UAV gun

Benelli

Militares brasileiros

Estande do Brasil

Carabinieri Alpha Romeo

Barco de bombeiros

LBD 40mm

Minigun

Mockup Titus Nexter

NX70 Novadem

RAID operator

SNIPER Rifle RAID

Produtos da Taurus

UAV CBRN detector

UAV Jammer

Waterproof UAV

UAV usado pelo RAID francês

UAS Penguin MK2


*É militar reformado do Exército Francês. Faz reportagens e escreve artigos para revistas e sites de defesa

- Advertisement -

6 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
João Adaime
João Adaime
6 meses atrás

O que para nós parece ser um futuro distante e talvez inalcansável, no primeiro mundo já é realidade.

Flávio
Flávio
6 meses atrás

Nessas exposições algo fica bem claro, drones são o futuro do campo de batalha, espero que o exército brasileiro considere a possibilidade de adquirir algum sistema contra essas ameaças.

Off-Topic: Seria interessante vocês falarem da atual situação na Etiopia, vários países da região podem ser arrastados para o conflito, a Etiopia pode virar uma nova Síria ou se fragmentar em várias nações menores.
Devido o tamanho da sua população com mais de 100 milhões de pessoas, a crise de refugiados será de proporções inimagináveis.

Wes
Wes
Reply to  Flávio
6 meses atrás

O Brasil parece estar focado em produzir seus drones internamente, porém deveria adquirir alguns externamente até esses realmente voarem, realmente outra área que estamos ficando para trás vide Venezuela! Sistemas anti-drones nem se ouve falar nos bastidores militares do Brasil existem os mais diversos desde os que “lançam uma rede” sobre pequenos drones, até sofisticados que usam lasers ou bloqueio eletrônico fazendo eles pousarem por falta de sinais! Realmnte o EB e principalmente MB e FAB precisam estar atentos a essas novas tecnologias. Falando em EB alguém sabe como está o projeto CoBra?

Fagundes
Fagundes
6 meses atrás

Seria muito bom se essas grandes feiras de tecnologia civil,militar ou segurança pública vendessem coberturas jornalísticas desses eventos em canais da internet,pagava feliz.Nem todos os estudantes Universitários da área de exatas tem dinheiro para se deslocar até esses eventos.O pessoal iria sair menos perdidos da faculdade e até tendo noção de como empreender na área ou vender projetos complementares para empresas na área.O ruim é que não teria networking,mas seria um bom paliativo.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
6 meses atrás

Cacete ! a polícia italiana é elegante.. Na vestimenta e nas viaturas…

comment image

Henrique
Henrique
Reply to  Adriano Madureira
6 meses atrás

Os italianos tem bom gosto em tudo.

Últimas Notícias

‘A janela para expulsar a Rússia da Ucrânia é agora’

Por Nataliya Bugayova* O Ocidente deve ajudar os ucranianos a expulsar as forças russas do sudeste da Ucrânia, pelo menos...
- Advertisement -
- Advertisement -