sexta-feira, outubro 7, 2022

Saab RBS 70NG

Alltec apresenta suas inovações tecnológicas na 6ª Mostra BID Brasil

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Alltec desenvolveu uma blindagem adicional do Guarani, veículo para transporte de tropas, do Exército Brasileiro

A Alltec, empresa de Pesquisa e Desenvolvimento e engenharia de peças em materiais compósitos e moldes, sediada em São José dos Campos (SP), estará presente na 6ª Mostra BID Brasil, maior evento da Base Industrial de Defesa do país, que acontece de 7 a 9 de dezembro, em Brasília (DF).

Nos três dias de evento, a empresa apresenta para os mercados nacional e internacional suas inovações tecnológicas e o leque de produtos desenvolvidos para as áreas de Defesa e Segurança, entre os quais a sua linha especial para blindagem de veículos automotores, já aplicada pelo Exército Brasileiro, e os materiais compósitos fornecidos para a indústria Aeronáutica.

Para a diretora de Pesquisa e Desenvolvimento da empresa, Juliana Mota, a Mostra BID Brasil é uma grande oportunidade para as empresas que fornecem soluções tecnológicas para o mercado de Defesa e Segurança mostrarem a suas linhas de produtos e serviços. “Um evento de reconhecimento nacional e internacional que nos possibilita apresentar o que há de melhor sendo desenvolvido no país”.

A Mostra BID Brasil é um evento organizado pela Abimde (Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança) e promovido pela APEX (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos.

Sobre a Alltec

Fundada em 1995, a Alltec é líder no fornecimento de soluções de engenharia, peças em materiais compósitos e moldes para os mercados em que atua, por ter uma equipe que proporciona soluções inovadoras, com um ciclo rápido do desenvolvimento do produto até sua produção e por contar com o domínio completo de toda a cadeia produtiva.

A empresa possui as certificações ISO 9001:2015 e AS 9100D, além de Acreditação Nadcap para o processo de pintura de peças aeronáuticas.

DIVULGAÇÃO: Rossi Comunicação

- Advertisement -

24 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

24 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Atirador 33
Atirador 33
10 meses atrás

Seria interessante se alguns dos colegas que entendem do assunto, pudesse falar sobre essa blindagem adicional implementada no Guarani. E aumentaria a capacidade do veículo a até qual calibre?
Tomara que esse projeto agregue mais segurança ao usuários da viatura.

Abs

Marcos
Marcos
Reply to  Atirador 33
10 meses atrás

12,7×99mm também conhecido como .50

Palpatine
Palpatine
Reply to  Marcos
10 meses atrás

Esse kit extra de blindagem é adicionado na parte externa ou interna do blindado?

Agnelo
Agnelo
Reply to  Palpatine
10 meses atrás

Externa

Palpatine
Palpatine
Reply to  Marcos
10 meses atrás

A proteção contra .50 é apenas na parte frontal do blindado?

Agnelo
Agnelo
Reply to  Palpatine
10 meses atrás

Não. Lateral também. Não me recordo se na parte de cima e traseira.

João Adaime
João Adaime
Reply to  Agnelo
10 meses atrás

Caro Agnelo
Encontrei uma foto mostrando a blindagem na traseira. Não achei nada sobre blindagem em cima.
Abraço

guarani.jpg
Agnelo
Agnelo
Reply to  João Adaime
10 meses atrás

Obrigado!!!

João Adaime
João Adaime
Reply to  Palpatine
10 meses atrás

Caro Palpatine
Este modelo da foto já está com as placas adicionais de blindagem. Elas estão fixadas com estes rebites/parafusos com arruelas.
Abraço

Palpatine
Palpatine
Reply to  João Adaime
10 meses atrás

Obrigado

Atitador 33
Atitador 33
Reply to  Marcos
10 meses atrás

Noticia boa meu caro, de calibre 7.62 para calibre .50, é um ganho significativo, uma baita proteção para a tripulação.

Abs

Bosco
Bosco
Reply to  Atirador 33
10 meses atrás

Atirador,
Vale salientar que blindagem contra projéteis cinéticos oferece uma proteção variável na medida da distância do disparo, que influi na velocidade do projétil.
Ou seja, se se diz que uma blindagem é capaz de deter um projétil “ponto 50” a 500 m pode não fazê-lo a 250 metros do mesmo jeito que pode “barrar” um projétil de 20 mm a 1 km e um de 25 mm a 1,5 km ou um 7,62 a queima roupa.
Não estou querendo ser preciso nos números mas só dando um exemplo.

Last edited 10 meses atrás by Bosco Jr
Atitador 33
Atitador 33
Reply to  Bosco
10 meses atrás

Cara Bosco, mais esse tipo de informação seria comum? Nunca li ou ouvi falar de, “até qual distancia do disparo” a proteção suporta. Porém sua colocação é bem interessante e me deixou curioso.

Mestre aproveitando sua disposição de comentar meu comentário. Aquelas proteções ativas, seriam viável para o Guarani? Ou talvez o custo não compensa para o tipo de emprego da viatura?

Abs

Bosco
Bosco
Reply to  Atitador 33
10 meses atrás

Atirador, Em relação a blindagem de carros de combate se adota o termo RHAe (equivalente a blindagem laminada homogênea) para aferir o quanto é capaz. Isso quer dizer que a blindagem pode ser metálica, cerâmica, de material composto, plástica, combinada, espaçada, reativa, etc. ela sempre será especificada sua capacidade de deter um projétil ou carga oca baseado na equivalência que teria se comparada a uma blindagem laminada de aço. Ou seja, se pegarmos uma blindagem composta , com camadas de material composto e cerâmica de 10 cm, será determinada o quanto ela se compara a uma chapa de aço .… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
10 meses atrás

Uma pergunta cabível é: por que não se utiliza somente projéteis de carga oca (HEAT) nos canhões de carros de combate já que estes não dependem da velocidade para penetrar na blindagem? A resposta é devido a vários fatores: 1- ogivas HEAT podem ser mais facilmente anuladas do que um projétil cinético, por exemplo, utilizando blindagem composta, blindagem reativa ou APS. 2- ogivas HEAT têm sua eficiência diretamente proporcional ao seu diâmetro , sendo em regra de 5 a 7 vezes a capacidade de penetração RHAe. Por exemplo, um projétil HEAD de 120 mm teria capacidade de penetração em torno… Read more »

carvalho2008
Reply to  Bosco
10 meses atrás

Excelente mestre Bosco!!! Os amigos e entusiastas normalmentedeixa de fazer a correlação e ponderação quando o equipamento é empregado no ambiente operacional ou diferenças reais de ambiente. Antigamente, cultuava-se o calibre 5,56mm, era mais leve, tinha por doutrina ferir o infante e não necessariamente matar e podia ser carregado no pente em maior qtde…mas o 5,56mm fora esta questão, mostrou-se ineficiente contra blindagens leves antigas em que eram dimensionados para 7,62….(cascavel entre outros e até o M-113) …e agora pensam em retornar… Da mesma forma, os calibres de canhões são intimos do ambiente…calibres maiores sempre são mais poderosos, mas esta… Read more »

Last edited 10 meses atrás by carvalho2008
MATHEUS AUGUSTO
MATHEUS AUGUSTO
10 meses atrás

Off topic: alguém sabe se o ALAC (cópia do AT4 BR) foi adotado/produzido em massa pelo exército ? Nunca mais ouvi nada sobre ele.

Quem souber agradeço.

Maurício Veiga
Maurício Veiga
10 meses atrás

Qual seria o peso adicional desta blindagem em relação a original?

Agnelo
Agnelo
Reply to  Maurício Veiga
10 meses atrás

Já ouvi 1,2 Ton, mas não sei se é especulação ou real.

João Adaime
João Adaime
Reply to  Agnelo
10 meses atrás

Caro Agnelo
Este acréscimo de peso, além de aumentar o consumo e reduzir a velocidade, pode trazer outros problemas no longo prazo como reduzir a vida útil do motor e afetar a suspensão por exemplo?
Ou o blindado já é projetado para receber pesos extras?
Abraço

Wellington Kramer
Wellington Kramer
Reply to  João Adaime
10 meses atrás

Se bem projetado, foi previsto o aumento de peso.

Agnelo
Agnelo
Reply to  João Adaime
10 meses atrás

Desde o início, o Guarani tinha esse requisito específico. Não trabalho com ele, mas acredito q tenha sido já feito pensado nisso.

marco antonio rocha gandolfi marcão
marco antonio rocha gandolfi marcão
Reply to  João Adaime
9 meses atrás

eu acho que esse aumento de blindagem não é preciso ser adicionado em carater permanente mas somente qual tiver que entrar em combate real portanto não acarreta aumento de peso em tempo de paz ou combate simulado/ exercicio de guerra.

Tomcat4,2
10 meses atrás

Excelente, uma empresa nacional fornecendo produtos de alto valor e essenciais a nossas forças armadas!!!?????

Últimas Notícias

Ucrânia: escassez de munição de artilharia foi resolvida graças aos russos

A Ucrânia não está mais com pouca munição de artilharia porque a Rússia abandonou muita coisa nos últimos recuos,...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -