quinta-feira, janeiro 20, 2022

Saab RBS 70NG

29° Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado recebe segundo lote de M109A5

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Cruz Alta (RS) – No dia 02 de dezembro, o 29° Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado,(29º GAC AP), “Grupo Humaitá”, recebeu o segundo lote de 06 VBC OAP (Viatura Blindada de Combate Obuseiro Autopropulsada) M109 A5 155mm para compor as 12 bocas de fogo do grupo.

O recebimento dos novos blindados fazem parte do Programa de “Obtenção da Capacidade Operacional Plena do Exército Brasileiro – OCOP”, dentro do projeto Sistema de Artilharia de Campanha.

O 29º GAC AP vem passando por um processo de transformação. A chegada dos novos blindados aumentará sobremaneira a capacidade operacional desta tradicional Unidade de Artilharia do Exército Brasileiro.

O Comandante do Grupo Humaitá, Tenente-coronel Rafael Xavier Canes, no recebimento das viaturas discursou: “Ressalto que esta formatura é pequena pela simplicidade, mas gigantesca em termos de seu simbolismo. Os desafios lançados a esta tropa aqui formada são enormes, desde as questões operacionais, pois o recebimento destes M109 A5 abrem portas relevantes em termos de possibilidades e potencialidades tecnológicas com a sua modernização que se avizinha, passando pela responsabilidade do aumento do preparo intelectual e profissional pelos quais os oficiais e sargentos do 29º GAC AP terão que passar, até pelas questões logísticas e de manutenção, que são de vital importância para manter o nível de operacionalidade e prontidão de uma tropa blindada de elite. Na chegada das primeiras meia-dúzia peças de A5 destinadas à 1º Bateria de Obuses, eu já havia dito e repito hoje, que a história está nos brindando com uma oportunidade ímpar de registrar este momento que acredito ser relevante também para a nossa querida cidade de Cruz Alta, que completou neste ano 200 anos de sua fundação, bem como aqueles momentos históricos pelos quais o Grupo já passou. Quais sejam: mudança do material Krupp de 75 mm para os obuseiros M101 de 105mm e, em 2001, na substituição dos M101 autorrebocados para os blindados autopropulsados M109 , modelo A3 155mm, caracterizando assim, a formatação atual desta tropa blindada que compõe a Artilharia Divisionária da 3º Divisão de Exército. Soldados do Grupo Humaitá! Hoje é um dia marcante. Fazemos parte de uma constante evolução vinda de muitos sacrifícios e coragem. Parabéns ao 29º GAC AP! É uma honra fazer parte de mais uma data histórica para este Grupo. Que esta data se eternize em nossos corações. Eles que venham! Aço!”.

A cerimônia de recebimento do M109 A5 contou com a presença do Comandante da Artilharia Divisionária da 3ª Divisão de Exército, General de Brigada Moises da Paixão Júnior, do Vice-Prefeito de Cruz Alta, Luciano Florian Ardenghi, do Diretor do Parque Regional de Manutenção da 3ª Região Militar, Coronel Welson da Conceição Jorge, e do Comandante do Grupo Humaitá, Tenente Coronel Rafael Xavier Canes. Todas as medidas de prevenção ao covid-19 foram observadas durante a atividade.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

- Advertisement -

31 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
31 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
PauloR
PauloR
1 mês atrás

Finalmente a artilharia do exercito chegou na década de 90

Henrique
Henrique
Reply to  PauloR
1 mês atrás

Só a auto-propulsada. A rebocada ainda está na SGM. Ainda usamos M114, M101 e OTO Melara.

Henrique
Henrique
Reply to  Henrique
1 mês atrás

No futuro se o EB se mancar e fazer uma reforma doutrinária e organizacional a artilharia de tubo deveria ser padronizada seja em termos de calibre ou de meios. Os obuseiros de 105mm são hoje o que os 75mm eram no início da SGM; até onde sei só há um obuseiro de 105mm sendo fabricado no ocidente: o LG1. Quando for a vez de substituir os M114, os OTO, M101 e L118 também deveriam ser substituídos pelo mesmo modelo, mas de preferência novo, o ideal seria o M777 mas por ser muito caro o M71 israelense pode ser uma boa… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Henrique
Henrique
Henrique
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Outra coisa que deveria ser revista é a variedade de brigadas, elas deveriam ser padronizadas; não há razão pra um exército de campanha ter mais que dois ou três tipos de brigada; não há razão pra haver vários tipos de organização pra infantaria ligeira, pode haver apenas uma organização pra infantaria paraquedista e de selva por exemplo; pois vejamos: ambas possuem uma organização e armamento mais ligeiro seja por causa da forma em que operam (no caso da PQD sendo lançada de aeronave) ou do terreno (no caso da de selva em ambiente tropical de mata fechada e densa) ambas… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Henrique
Agnelo
Agnelo
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Prezado Não entendi…… As Brigadas são padronizadas. Com poucas diferenças. Os efetivos atuais têm maiores diferenças, pq algumas Bda tem partes de suas unidades ou algumas unidades mobilizáveis. Outras diferenças remetem a necessidades específicas regionais. No caso específico da Art, o EB está priorizando e atualizando a Art Bld, depois vira a padronização / atualização para a Art Mec e AR. No caso da AR de Bda, pelo q sei, aquelas q não estão já definidas como futuras Mec, serão AR leves. Se inclui aí a Bda Pqdt, Amv, Mth, Sl e Mtz (q não serão Mec). Mas, no todo,… Read more »

João Moita Jr
João Moita Jr
Reply to  PauloR
1 mês atrás

Pelo contrário o M-109 em número suficiente tem o poderio e precisão suficientes para imobilizar imensas colunas blindadas. Mas é primordial também o emprego de unidades anti aéreas e de infantaria para a sua proteção.

Henrique
Henrique
Reply to  João Moita Jr
1 mês atrás

Sim. Mas o problema é se do outro tiver um 2S19 ou um PzH 2000.

Matheus
Matheus
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Me diga que voce tem 15 anos sem me falar que tem 15.

Mayuan
Mayuan
Reply to  Matheus
1 mês atrás

Ele tem menos de 16

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Alguém aqui na AS tem o PZH2000 ou 2S19 ?
comment image
comment image

Last edited 1 mês atrás by Adriano Madureira
Glasquis 7
Reply to  PauloR
1 mês atrás

Mesmo assim, se torna a mais poderosa força de Obus autopropulsado de LATAM… e a mais moderna.

João Moita Jr
João Moita Jr
1 mês atrás

Estive vendo aqui que a Colombia acaba de receber uma grande doação de M-117, um carro muito robusto que conheço muito bem.

https://www.inetres.com/gp/military/cv/inf/M1117.html

M1117_Armored_Security_Vehicle.jpg
Last edited 1 mês atrás by João Moita Jr
Henrique
Henrique
Reply to  João Moita Jr
1 mês atrás

Esse tipo de veículo é interessante pra forças voltadas pra contra-insurgência que o caso dos colombianos; dá mobilidade pra infantaria e proteção, serve pra controlar distúrbio civil e combater guerrilha, mas pra guerra convencional é só um taxi.

João Moita Jr
João Moita Jr
Reply to  Henrique
1 mês atrás

E…
No caso similar da PMERJ cairiam muito bem.

Henrique
Henrique
Reply to  João Moita Jr
1 mês atrás

Ele me parece muito alto e largo para operar ali. Algo como o survivor da Rheinmetall ou o Titus da Nexter cairiam melhor.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  João Moita Jr
1 mês atrás

Olá João. Acho que precisamos superar esta visão de política de segurança pública montada em torno do enfrentamento militar. Isso vem sendo feito há décadas sem qualquer resultado. Os dados de violência cresceram nos últimos 50 anos. Existe uma pesquisadora de segurança pública (Jacqueline Muniz) que debate bastante este assunto. Ela chama a atenção para a ineficiência destas operações de demonstração de força (ela chama de operações de ostentação). Esta visão militar de segurança pública que transforma o policial em mito (“tropa de elite”) é ineficaz. È muito boa para propaganda (“blindado subindo o morro” sempre dá ibope) mas inadequado… Read more »

Mayuan
Mayuan
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Deixar de subir também não é solução e deixar de usar blindados pra proteção da tropa chega a ser criminoso.

Jodreski
Jodreski
Reply to  João Moita Jr
1 mês atrás

Problema é o tamanho incompatível com as vielas que ele necessitaria transpor!

João Adaime
João Adaime
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Prezado Henrique
Considerando que este M1117 não é apropriado para guerra convencional, o que você diz sobre o Lince que o EB está comprando?
Abraço

Henrique
Henrique
Reply to  João Adaime
1 mês atrás

No nosso caso ele será usado pra reconhecimento, então é válido. Assaltar um posição ocupada por infantaria armada com RPG e ATGM com um M1117 (ou Lince) é suicídio. O M1117 pode fazer missões como o URUTU em situações de pouca intensidade e o Lince faz de jeep em missões de COIN ou dar maior proteção ao pessoal do comando que usualmente usariam este tipo de veículo.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Para reconhecimento até EE-9 Cascavel modernizado ainda seria valido, desde que bem armado…
no mínimo com uma torreta equipada com ATGMs…
comment image
comment image
comment image
comment image
comment image

Last edited 1 mês atrás by Adriano Madureira
Jeovani
Jeovani
1 mês atrás

Qual seria agora a proxima OM a receber os M109?

Henrique
Henrique
1 mês atrás

Quantos M109 A5 temos e haveremos de ter? Qual a dotação de cada GAC AP?

Grifon Eagle
Grifon Eagle
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Salvo engano, atualmente temos 92 obuseiros autopropulsados M109A5BR+ modernizados.

Flanker
Flanker
Reply to  Grifon Eagle
1 mês atrás

Modernizados ao padrão A5+BR, são 32. E mais 60 da versão original A5. Tem também 16 M109A3 no 22 GAC/AP, em Uruguaiana/RS.

Grifon Eagle
Grifon Eagle
1 mês atrás

Muito bom!!!

O Brasil deve desenvolver obuseiros próprios de artilharia autopropulsada sobre rodas que é o que o EB deseja, e também obuses de artilharia rebocada, para não ficarmos dependentes de outros países.

Quanto mais independentes formos no setor da defesa, melhor!!!

willhorv
willhorv
1 mês atrás

Inclusive….os pneus do cavalo mecânico da segunda foto estão meio assim…como podemos falar…carecas!! Kkkk

Oráculo
Oráculo
1 mês atrás

Quantos comentários ridículos.

O US Army ainda utiliza o M109.
Inclusive estão incorporando agora unidades da nova versão A7.

E utilizou muito no Afeganistão a versão A5+.

Os caras acham que equipar um Exército é Super Trunfo.
Acordem pra vida!

Taiwan acertou recentemente a compra de 40 109A6 e foi notícia em todo mundo.

Aqui os vira-latas ficam falando bobagens.

Last edited 1 mês atrás by Oráculo
Henrique
Henrique
Reply to  Oráculo
1 mês atrás

E daí que o US Army usa? Boa parte dos melhores exércitos europeus usam de 52 calibres e com capacidade de fazer MRSI. E a discussão é sobre tecnologia, então é válido discutir a respeito dos atributos de cada sistema. M109 Cadência de tiro: 4tpm Alcance (munição convencional) : 21km PzH 2000 Cadência de tiro: 10-13tpm Alcance (munição boattail): 30-36km Com esses números é possível dizer que o PzH 2000 é superior que o M109? SIM! por que vocês ficam se doendo pelo EB? Aqui estamos discutindo o material, não doutrina, nem organização, nem prontidão, nem quantidade, nem treinamento, nem… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Henrique
Fernando Mattos
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Art 155 UE = alcance no calibre (52x)
Art 155 EUA = alcance na Mun (39x)

Como Art, todo alcance a partir de 30km necessitaria de correções na precisão, pois gera muita dispersão…

Flanker
Flanker
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Então, tu consideras o M109 A5 e A5+BR ultrapassados? Consideras que somente deveríamos ter obuseiros autopropulsados sobre rodas? Em todos os TO’s previstos em curto e médio prazo para o EB, o M109 é inútil ou inválido ou obsoleto? Tu tens conhecimento que o EB está em processo de obtenção de obuseiros 155mm sobre rodas?

Últimas Notícias

Casa Branca diz que Rússia pode lançar ataque à Ucrânia ‘a qualquer momento’

A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, disse a repórteres na terça-feira que os EUA acreditam que...
- Advertisement -
- Advertisement -