terça-feira, junho 28, 2022

Saab RBS 70NG

Rheinmetall apresenta o Lynx 120, veículo mecanizado de apoio de fogo

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A Rheinmetall acaba de lançar a mais recente adição à família de veículos de combate de próxima geração Lynx da empresa. O grupo de tecnologia com sede em Düsseldorf desenvolveu agora uma variante mecanizada de apoio de fogo do Lynx KF41 IFV.

Chamada de Lynx 120, esta plataforma única combina um conceito de torre testado e comprovado e o canhão de alma lisa de 120 mm com o chassi Lynx KF 41. A nova variante de apoio de fogo mecanizado do Lynx oferece ao usuário excelente apoio de fogo e recursos antitanque.

Graças a uma mistura bem equilibrada de letalidade, proteção, mobilidade e capacidade de sobrevivência, o Lynx 120 é o ativo de campo de batalha adicional perfeito para usuários da plataforma Lynx. Com componentes prontos para uso, engenharia meticulosa reduz o peso do veículo, enquanto pacotes de proteção personalizáveis ​​completam o pacote. A arquitetura do veículo foi simplificada e fornece uma capacidade aberta ‘plug-and-play’ para futuras atualizações, cumprindo e adaptando-se aos padrões da OTAN.

Como as forças armadas precisam lidar com desafios futuros, como sistemas de combate de alta tecnologia, em um momento em que soluções e conceitos convencionais atingiram os limites de seu desempenho, o Lynx 120 foi projetado para fornecer letalidade e poder de fogo máximos em trilhos emparelhados com as mais recentes tecnologias de defesa. tecnologias para manter os adversários afastados.

Utilizando o chassi modular Lynx KF 41 e um conceito de torre escalável de grande calibre, o Lynx 120 é uma solução de alto desempenho, abrigando um vasto potencial de crescimento e uma capacidade de superação garantida. Apenas algumas semanas atrás, a Rheinmetall Defense Australia revelou uma variante do veículo de apoio de combate (CSV) do Lynx: agora também existe a versão de apoio de fogo.

Lynx KF41

A ideia básica por trás do conceito de design do Lynx 120 é fornecer um sistema de combate que ofereça o máximo desempenho operacional em combinação com vantagens logísticas dentro de um prazo razoável a um custo realista.

O armamento principal do veículo é um canhão Rheinmetall 120mm de alma lisa, derivado do armamento principal do Leopard 2. Ele pode disparar projéteis de alto explosivo (HE) programáveis ​​DM11 de última geração. Seu armamento secundário inclui uma metralhadora coaxial. Além disso, a estação de armas independente do comandante contará com uma metralhadora adicional de .50 cal.

Um sistema de câmera de 360° com detecção e rastreamento automáticos de alvos reduz a carga de trabalho da equipe em todos os cenários operacionais.

Módulos de proteção especiais permitem uma resposta específica da missão a ameaças balísticas, dispositivos explosivos improvisados (IED), penetradores formados por explosivos e fogo de artilharia, e podem ser montados rapidamente com ferramentas limitadas. Além disso, o Lynx 120 pode ser prontamente equipado com o já comprovado Rheinmetall Active Defense System, ou ADS, para derrotar granadas propulsadas por foguetes e mísseis antitanque. Pacotes de blindagem adicionais e sistemas de proteção ativa podem ser fornecidos mediante solicitação.

Várias nações estão interessadas em adquirir o Lynx como um substituto de última geração para suas frotas antigas. A plataforma é atualmente uma forte concorrente nos planos de modernização do IFV australiano e eslovaco e está competindo pelo programa de Veículos de Combate Opcionalmente Tripulados (OMFV) dos EUA.

A Hungria tornou-se o cliente de lançamento em 2021. Indo além dos aspectos estritamente militares, como maior interoperabilidade e atualizações de capacidade, os principais elementos de localização fazem parte integrante desses planos de compras, destinados a impulsionar a indústria local e criar empregos.

FONTE: Rheinmetall

- Advertisement -

90 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
90 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Pablo
Pablo
4 meses atrás

Como tem muitos países interessados, acho não seria ruim o EB avaliar o blindado em um futuro próximo, ja que os leopards estão chegando ao fim do ciclo.

Teropode
Reply to  Pablo
4 meses atrás

Leopardos e linces são de categorias diferentes , o MBT tem que ser substituído pelo Leopard 2 .
.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Teropode
4 meses atrás

Normalmente é assim, mas alguns países já começaram a mudar de ideias…

Teropode
Reply to  Hcosta
4 meses atrás

Sim mas a maioria não possui a importância regional que o Brasil possui , não possuem a imensa diversidade de terrenos , sou teimoso e vejo o Brasil como um player de nível 2 ( mesmo que em estado de coma leve , causado por políticos )

Gabriel
Gabriel
Reply to  Hcosta
4 meses atrás

Que país está trocando MBT’s por IFV Gambiarra de MMBT, poderia exemplificar?

Cabeça de Martelo
Cabeça de Martelo
Reply to  Hcosta
4 meses atrás

Quem?

Talisson
Talisson
Reply to  Teropode
4 meses atrás

Pensei que o EB estudava (também) um MMBT, que ao meu ver, o Lynx equipado com 120mm se enquadra.

Teropode
Reply to  Talisson
4 meses atrás

Mas isto não exclui a força bruta do MBT .

Diogo de Araujo
Reply to  Pablo
4 meses atrás

Exato, podemos comprar também o f-35, tudo vai depender da safra de bananas

Pablo
Pablo
Reply to  Diogo de Araujo
4 meses atrás

Nao precisamos de um F35, mas precisamos de um blindado novo, pq nao temos!
Nao adianta vir com essas abobrinhas!!!

J R
J R
Reply to  Pablo
3 meses atrás

Rapaz, você esta de brincadeira, substituir um MBT por essa coisa, são conceitos e utilização completamente diferentes, para substituir os Leos BR tem que ser por outro MBT, e moderno de preferência.

dretor
dretor
4 meses atrás

Agora o EB tem um troço…. ta ai o plano completo poder reequipar o blindado principal e o de tropas sobre esteira numa plataforma so. Pena que so nao vai rolar pois falta Money

Reinaldo Deprera
Reinaldo Deprera
Reply to  dretor
4 meses atrás

A solução pra falta de dinheiro é Lynx ou CV-90.
De quebra, de bonus, sem querer querendo, o Exército descobrirá que o futuro está nos MBT leves e hi-tech

Teropode
Reply to  Reinaldo Deprera
4 meses atrás

Só se for um futuro de derrota pois sem um MBT bruto nenhuma cavalaria tem vida longa no front , hi-tech pode até ser , mas peso galo no front , sozinho é pedir a decapitação .

Last edited 4 meses atrás by Teropode
Gabriel
Gabriel
Reply to  Reinaldo Deprera
4 meses atrás

Sabe quanto custa um CV90MkIV? Quase o custo de um K2, cerca de EUD 7 milhões cada, Lynx junto disso. Em que mundo vocês acham que adotar IFV com canhão é mais barato que MBT?

Reinaldo Deprera
Reinaldo Deprera
Reply to  Gabriel
4 meses atrás

O @bardini fez alguns comentários que esclarecem muito bem os problemas de um IFC com canhão ao invés de um MBT puro. Porém, o futuro, na minha opinião, está nos IFV munidos de lançadores múltiplos de ATGM. Então, uma frota baseada em IFT e IFT com canhão de 120, é uma frota baseada em um mesmo chassi, o que traz economia e melhora a logística. Além de aumentar as capacidades com relação a uma mesma frota de MBT puros. Então, sim, acho que além de melhorar as capacidades, diminui os custos. Lembrando que a hipótese de emprego onde os MBT… Read more »

Last edited 4 meses atrás by Reinaldo Deprera
Reinaldo Deprera
Reinaldo Deprera
Reply to  Reinaldo Deprera
4 meses atrás

IFC
IFT
IFV ou VCI

😳

Gabriel
Gabriel
Reply to  Reinaldo Deprera
4 meses atrás

Aliás, você havia dito acima que “o futuro estão em MBT leves high-tec”, de onde você tirou isso? Pode me mostrar qual força está substituindo ou planeja substituir MBT por MBT leve?

Reinaldo Deprera
Reinaldo Deprera
Reply to  Gabriel
4 meses atrás

Nenhuma. Mas a indústria está apostando nisso. Se eles estão fazendo isso, é porque há quem pense como eu nos comandos de forças menores que a do EUA.

Gabriel
Gabriel
Reply to  Reinaldo Deprera
4 meses atrás

Há quem pensa como você no comando de forças menores que o EUA? Quem? Cite! Tailândia comprou MMBT e NÃO substituiu seus MBT, aliás pensa em adquirir mais MBT’s, Indonésia idem, China Idem, EUA idem. Ninguém vai substituir MBT por MMBT por motivos que já estão claros desde a Guerra do Vietnã. Quando você estudar sobre os motivos, você verá que o que está falando é basicamente fantasia. Isso se essas gambiarras fossem realmente MMBT’s, como é o caso do Type 15. O restante, inclusive o futuro MPF quanto o Sprud são adaptações de IFV’s (ASCOD II no primeiro e… Read more »

Gabriel
Gabriel
Reply to  Reinaldo Deprera
4 meses atrás

Cara, todo seu texto esbarra em várias questões: 1º Eficácia enorme dos sistemas APS e até de novas blindagem ERA, como Relitk e M19 – que alegadamente conseguem proteger o blindado contra ameaças de dupla ogiva – contra mísseis. Mísseis anticarro são vetores lentos, grandes, robustos e com enorme assinatura RCS e IR, detectável facilmente e abatido por sistemas APS, diferente de munições APFSDS. Vai se garantir apenas com mísseis anticarro? Pode me dá o exemplo de uma única Força Armada, até de segunda linha, que está deixando de utilizar MBT por IFV com míssil AC ou que pretende fazer… Read more »

J R
J R
Reply to  Reinaldo Deprera
3 meses atrás

Sim, até eles toparem de frente com um MBT de verdade e virarem ferro retorcido.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  dretor
4 meses atrás

Eu prefiro um MBT puro sangue, tipo o Leopard 2, o Type 10. Acho que seriam excelentes aquisições para o EB, até mesmo o Altay turco serviria.
MBT + Centauro 2 , estaríamos muito bem servidos.

rdx
rdx
Reply to  dretor
4 meses atrás

Verdade. Só para se ter uma ideia dos valores envolvidos, a Hungria comprou 218 Lynx por 2 bilhões de Euros. Com certeza a versão com canhão 120 mm é ainda mais cara. O EB necessita de aproximadamente 700 veículos para equipar os RCC, RCB e BIB.

Henry
Henry
Reply to  rdx
4 meses atrás

Sim, estes 2 bilhões de Euros dariam mais de 5 bilhões no real brasileiro, e Eb só disponibilizou só menos de 1 bilhão para reequipar ou novos equipamentos modernos

RPiletti
RPiletti
Reply to  Henry
4 meses atrás

2×6=12.
12 bi de bolsonaros.

Thom
Thom
Reply to  rdx
4 meses atrás

700 MBT? Você quer falir o exército?

rdx
rdx
Reply to  Thom
4 meses atrás

700 Lynx 120 e Lynx IFV

Welington S.
Welington S.
Reply to  rdx
4 meses atrás

Nós desejarmos essa quantidade de blindados, é fácil. O difícil, é o EB. Me lembro até hoje do palestrante da BAE Systems, Marco Coffe, que esteve na 10ª CSTM, no Brasil, dar, literalmente, um puxão de orelha nos oficiais que lá estavam. O Marco Coffe apresentava o CV90 ao EB, até que ele chega na parte em que fala que o próprio EB, acaba que dificultando muita coisa. Conversar com o EB, é difícil. Pelo o que me lembro, ele falou em mais de 100 requisitos, exigidos pelo EB, no caso do CV90, mais de 100. Aí é que complica.… Read more »

Agnelo
Agnelo
Reply to  Welington S.
4 meses atrás

Conversa com o TCU

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Agnelo
4 meses atrás

Ih cara!

Pessoal do Exército não quer nem ouvir falar de TCU ultimamente.
Melhor deixar quieto, por um bom tempo.

J R
J R
Reply to  Antoniokings
3 meses atrás

que eu saiba as FA estão convidando TCU para participar das licitações justamente para não dar os problemas que já ocorreram no passado…

J R
J R
Reply to  Welington S.
3 meses atrás

reclamação de vendedor, ele quer empurrar algo que o exército não quer, e fica frustrado pq não consegue empurrar um produto que não atende os requisitos. Vida de vendedor não é fácil, melhor partir pra Jequiti…

Henrique
Henrique
Reply to  rdx
4 meses atrás

Qual a diferença dos RCC para os RCB?

rdx
rdx
Reply to  Henrique
4 meses atrás

RCB é a peça de manobra da Brigada de Cavalaria Mecanizada que, por sua organização, realiza o emprego combinado de carros de combate (Leopard 1 e M60) com fuzileiros blindados (M113). Por seus meios orgânicos, proporciona à brigada maior capacidade ofensiva e um considerável reforço à sua defesa anticarro.

RCC é a unidade tática de emprego de carros de combate (Leopard 1) nas Brigadas Blindadas.

Fonte: Manual de Campanha C2-1 (Emprego da Cavalaria)

rdx
rdx
Reply to  rdx
4 meses atrás

Curiosamente, tanto meios sobre rodas 8×8 (p. ex. Centauro II e Freccia) quanto sobre lagartas (p. ex. Lynx 120 e Lynx IFV) se encaixam na missão do RCB.

Last edited 4 meses atrás by rdx
EagleSB
EagleSB
Reply to  rdx
4 meses atrás

Explica pra os leigos por que os meios sobre rodas sem “encaixam” na missão do RCB por favor

rdx
rdx
Reply to  EagleSB
4 meses atrás

O antigo manual do EB diz que o RCB executa operações eminentemente ofensivas que exijam mobilidade e grande potência de choque. Na minha opinião o binômio Centauro e Freccia se encaixa perfeitamente na missão. Veículos 8×8 possuem boa mobilidade tática e mobilidade estratégica ideal para um país com dimensões continentais e extensa malha rodoviária…e no caso do caça-carros Centauro, poder de fogo para destruir MBTs. Aliás, ele é superior ao Leopard 1 em poder de fogo (120mm x 105mm). Lembrando que a principal missão do RCB é reforçar a defesa anticarro da brigada de cavalaria mecanizada.

rdx
rdx
Reply to  rdx
4 meses atrás

O poder de choque de um Freccia armado com canhão 30 mm e ATGM Spike também não pode ser desprezado…e é um complemento ideal ao canhão 120 mm do Centauro. O EB nunca teve nada parecido.

Last edited 4 meses atrás by rdx
Agnelo
Agnelo
Reply to  rdx
4 meses atrás

Rdx

Quando o manual fala sobre mobilidade é tática e não estratégica, para Poder de Choque.
Eu não tenho conseguido postar vídeo aqui.
Mas procura vídeos dos MBT na lama mesmo. Não em estrada barreada, mas no “lamao”. Aquele q vai ficar depois q passar o esquadrão inteiro.
É incomparável a capacidade de Vtr SL em comparação com SR.
Eu acho q os meios q vc escreveu estão ótimos pros RCMec. Mas pro RCB, só se mudarem os conceitos pra manobra onde se emprega o RCB.
O q refletiria em mais necessidade de Bda Pesada.
Sds

rdx
rdx
Reply to  Agnelo
4 meses atrás

Sim, claro. Minha proposta enfatiza a mobilidade estratégica. Tudo sobre rodas na brigada mecanizada…até por questão de custos. Esse comparativo lagarta x rodas é complexo. Os franceses trocaram o VCI AMX-10P pelo VBCI 8×8 (e não estamos falando de um exército qualquer).
Defendo a seguinte proposta para a nossa cavalaria:
RCMec com 4×4 e 6×6
RCB com Centauro e Freccia 8×8
RCC com M1 Abrams (deixa a lama para eles.rss)
Mas é apenas um devaneio, sabemos muito bem que o futuro do RCB já está definido…receber os Leopard 1A5 dos RCC quando o EB encontrar finalmente um substituto.

EagleSB
EagleSB
Reply to  Agnelo
4 meses atrás

Perfeito Agnelo, tropa sobre lagarta tem suas dificuldades e limitações, mas as qualidades de mobilidade tática são inegáveis. Só quem já pegou aquele semana de chuva no Saicã sabe como ficam as estradas, e a tropa sobre rodas sempre sendo rebocada pelos M113 do RCB.

rdx
rdx
Reply to  rdx
4 meses atrás

Doutrinariamente, RCC é a unidade que emprega o MBT.

Welington S.
Welington S.
Reply to  dretor
4 meses atrás

CV90-120T vs Lynx 120. Dá uma briga boa. Sou mais favorável ao CV90-120T.

Reinaldo Deprera
Reinaldo Deprera
Reply to  Welington S.
4 meses atrás

Também prefiro o CV90. De preferência acompanhando da versão pura IFV com canhão de 40mm, ATGM e defesas soft e hard kill. Ambos acompanhados do kit ADAPTIV da BAe System que deixa o carro praticamente invisível em quase todos os espectros visuais.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Reinaldo Deprera
4 meses atrás

Não é no espetro visual, é no infra vermelho, fontes de calor.

Reinaldo Deprera
Reinaldo Deprera
Reply to  Hcosta
4 meses atrás

Infra vermelho é apenas um dos espectros visuais.
O ADAPTIV não atua somente no infravermelho, ele é multiespectral.

Last edited 4 meses atrás by Reinaldo Deprera
Hcosta
Hcosta
Reply to  Reinaldo Deprera
4 meses atrás

Depende, se for uma cobra o infra vermelho faz parte do espectro visível. Se for humano, não.
É assim que funcionam as câmaras de IV, convertem para a faixa do espectro visível do olho humano.

E esse sistema consiste em placa que aquecem e arrefecem independentemente. Não mudam de cor ou absorvem/refletem ondas de radar, pelo menos a um nível que seja relevante.

https://www.baesystems.com/en/feature/adativ-cloak-of-invisibility

rui mendes
rui mendes
Reply to  Welington S.
4 meses atrás

Oferta para o exército Eslovaco.

rui mendes
rui mendes
Reply to  rui mendes
4 meses atrás

CV-9035 e CV-90120

CV-90.(Saab.propõe.CV-9035.e.CV-90120.para.a.Slovak).jpg
Welington S.
Welington S.
Reply to  rui mendes
4 meses atrás

Lindo, hein.

Sincero Brasileiro da Silva
Sincero Brasileiro da Silva
Reply to  dretor
4 meses atrás

Se dispensarem 50% dos “c0çad0res de s4c0”, sobra dinheiro pra comprar!!!

Robsonmkt
4 meses atrás

Havendo uma parceria entre as empresas alemãs, este produto da Rheinmetall poderia ser montado no parque da HDW no Brasil.

Krest
Krest
Reply to  Robsonmkt
4 meses atrás

Nem um leo2 operamos, quem dirá uma máquina desse porte

rui mendes
rui mendes
Reply to  Krest
4 meses atrás

Nem um Léo 2, que fará uma desse porte.
O Léo 2 é muito superior.

Israeli_Rafael_Trophy_to_protect_German_Leopard_2_main_battle_tanks.jpg
Heinz Guderian
Heinz Guderian
4 meses atrás

OFF topic: Estão sendo divulgados vários vídeos na internet, de bombardeios na fronteira ucraniana, até mesmo na cidade de Mariupol divisa com Donbas fogo de artilharia. A mídia estatal russa postou um vídeo que diz se tratar de um ataque ucraniano de artilharia contra uma estação elétrica em Donbas, o engraçado é que a equipe russa de notícias estava em frente a estação filmando no exato momento em que o ataque ocorreu. Não sei, está tudo meio estranho, é bem possível que a Russia esteja fazendo um ataque de bandeira falsa. Checkpoints ucranianos na fronteira também receberam fogo. Do lado… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Heinz Guderian
4 meses atrás

Não sei se são os mesmo vídeos, mas parece que foram filmados alguns dias antes da notícia, pela análise dos metadados, seja lá que valor isso tiver.

Andre
Andre
Reply to  Heinz Guderian
4 meses atrás

é bem possível que a Russia esteja fazendo um ataque de bandeira falsa”

é bem provável…

737-800RJ
737-800RJ
4 meses atrás

Aos amigos que entendem de carros de combate:
O que pensam em relação aos carros de combate médios CV90120, ASCOD 2 MMBT e Lynx 120? Seriam boas opções pro EB substituir os Leopard 1A5?

Henrique
Henrique
Reply to  737-800RJ
4 meses atrás

Primeiro: eles não são baratos
Segundo: não são equivalentes aos MBT
Então na minha opinião é melhor ter menos MBT do que fazer toda a força blindada de CC médio tipo CV90120. O EB deveria substituir os Leo 1A5 por algum MBT puro na razão de 2:1 ou 3:1; iria ser uma força menor mas muito mais capaz. Achar que vai comprar um número suficiente de MBT moderno pra substituir um por um os antigos é ilusão.

Bardini
Bardini
Reply to  Henrique
4 meses atrás

Comprar esse Lynx ou CV90120, ao invés de modernizar um MBT como o Abrams ou Leopard, é loucura…

EagleSB
EagleSB
Reply to  737-800RJ
4 meses atrás

Para a doutrina do RCB se adapta bem, para atuar em uma larga frente, precisando reforçar os RCMec em tempo hábil se encaixa bem. Nosso terreno é complicado para um carro mais pesado, e necessita de um bom estudo sempre que se emprega blindados, o que muitas vezes em uma manobra do RCB não se dispõe. Um carro mais leve simplifica e se adapta bem à essa situação. Para o RCC que se espera que atue em um ambiente de maior decisão do combate, um MBT pesado, com maior proteção e capacidade de sobrevivência se adequa melhor à doutrina. E… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  EagleSB
4 meses atrás

Essa questão de se embrenhar em terreno difícil, vale para os dois lados. Se alguém usar o terreno difícil, o negócio é moer na artilharia. Kill zone. . Meios de artilharia são uma grande prioridade e é um dos melhores investimentos. Meios para detectar alvos dentro do ciclo, é outra grande prioridade. Blindado novo SL para RCB, deixa de ser investimento e prioridade, para virar útopia. O RCB deve ser equipado com roda, pq é a única forma de comprar e manter tudo o que precisam nessa atual estrutura, que deveria ser modificada para sr adequar a realidade. Se não,… Read more »

Last edited 4 meses atrás by Bardini
Thom
Thom
4 meses atrás

O Brasil deve comprar uns 200 MBT modernos. Creio que o se houver um acordo entre as empresas alemães, se torna um forte concorrente, mas torço e espero que vença o CV90120.

Lembrando que o Brasil vai comprar quase um centena de um 8×8 com um canhão de 105/120 mm.

Mercenário
Mercenário
4 meses atrás

“comprovado ADS”?

Fonte: o próprio fabricante.

Posso estar enganado, mas nem o Lynx nem o ADS podem ser considerados comprovados.

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
4 meses atrás

Eu amo a Alemanha! É o país mais incrível da Europa.

Last edited 4 meses atrás by Inimigo do Estado
Gabriel BR
Gabriel BR
4 meses atrás

Boxer caça tanques + Lynx 120mm? A proposta de financiamento vai ter que ser muito boa…

Barak MX para o Brasil
Barak MX para o Brasil
Reply to  Gabriel BR
4 meses atrás

Sim, gosto muito do Boxer em relação ao Centauro II. Da versatilidade dele em questão de módulos. Desde um lança-pontes, a um obuseiro 155mm.

images (16).jpeg
Carlos Campos
Carlos Campos
4 meses atrás

Único com capacidade para enfrentar o Centauro II. Interessante que ele usa o canhão do Leo2 o Centauro pelo que eu sei foi uma torre projetada para ele, Alguém sabe quem projetou a torre do merkava IV

Carlos Campos
Carlos Campos
4 meses atrás

Bom já que o pessoal fala em colocar ele como MBT, prefiro o CV90 padroniza tudo ifv e MBT, damos fim nos M113 e M60, ambos com proteção ativa, gera uma escala e tanto para BAE e para o EB. o único blindado diferente seria o Guarani

Antunes 1980
Antunes 1980
4 meses atrás

Este veículo é concorrente do Puma?

comment image

Reinaldo Deprera
Reinaldo Deprera
Reply to  Antunes 1980
4 meses atrás

Sim e não. O Puma é IFV ou VCI (Veículo de Combate a Infantaria). A versão pura do Lynx é um VCI e concorre com o Puma.
Não sei se o Puma tem alguma versão com canhão de 120mm+- para concorrer com esta versão do Lynx. Se não tem, provavelmente terá em um futuro próximo.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
4 meses atrás

Fico feliz que a Rheinmetall tenha um projeto MMBT, acho que se o e.b optasse pelo desenvolvimento de projeto de um futuro c.c e sair buscando um fabricante os custos de projeto seriam muito alto…que apareçam novos modelos como esse e aqueçam o mercado…só temos a ganhar com isso.

Bardini
Bardini
4 meses atrás

Esse tipo de blindado NÃO é ideal por dois grandes motivos: . Primeiro e mais óbvio: ele, assim como outros, carrega muito “peso morto”, por conta de ser baseado em um IFV. O IFV é projetado como uma “caixa”, visando a proteção do Grupo de Combate. Essa “caixa” que recebe um GC, demanda grande volume interno. Se tu monta uma torre de 120mm encima de um IFV, tu tens um AFV com uma quantidade enorme de volume mal aproveitado. E o custo dessa adaptação, é um sistema de blindagem mal dimensionado, que jamais vai suportar o atrito que um MBT… Read more »

Henrique
Henrique
Reply to  Bardini
4 meses atrás

Na minha opinião um CC precisa ser feito desde o início para o ser, se quer um CC leve ou médio então faça um projeto desde o início como o AMX-13. Essas modificações de IFV e de APC nunca ficam boas.

Henrique
Henrique
Reply to  Bardini
4 meses atrás

É melhor um MBT puro ainda que usado do que um CC desses daí. Melhor comprar Centauro II do que isso.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Bardini
4 meses atrás

Só complementando…como os meios estão cada vez mais tecnológicos e com necessidade da indústria acompanhar de perto permitindo assim sua operacionalidade. Partindo dessas características limitadas citadas, ter uma plataforma base acaba sendo vantajoso somente para o fabricante nos seus processos industriais.
Vejo essas viaturas mmbt como algo de apoio de infantaria apenas, não é um genuíno carro de combate.

Last edited 4 meses atrás by Rafaelvbv
glasquis 7
Reply to  Bardini
4 meses atrás

A Argentina fez isso e o chamou de TAM.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Bardini
4 meses atrás

até que concordo, mas o fato de se livrar do M113 e dos M60 Leo1A5 com o mesmo veículo, tendo só uma linha de suprimento, deixando ciclo de custo de vida mais barato, afinal vamos manter um só tipo de treinamento de manutenção para os blindados, as peças vão ser compradas em maior volume, daria até para sonhar em nacionalizar alguns itens.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Carlos Campos
4 meses atrás

fora que o principal inimigo na minha opinião é os ATGM e APFSDS, e com a sistema APS os ATGM seriam uma dor de cabeça a menos.

Henrique
Henrique
4 meses atrás

Esses conceitos de CC a partir de variantes de IFV são furada, é melhor gastar em ATGM ou mesmo nas variantes dedicadas dos IFV com ATGM.

Isso não pode fazer a missão de um verdadeiro MBT.

Eu espero que o pessoal do EB nem considere esse tipo de blindado; melhor seria avaliar a versão APC do CV90 pra substituir os M113.

Na minha opinião os RCB deveria ser mobilados com Lince e Centauro II e os RCC com algum MBT ocidental usado, mas se houver grana se podia considerar o Leo 2A7 ou aquele coreano.

Bardini
Bardini
Reply to  Henrique
4 meses atrás

Eu já falei isso aqui uma vez: no meu entendimento, nós teríamos uma única “Brigada Pesada” estacionada em Formosa, colado no Forte Santa Bárbara, onde podem realizar grandes treinamentos. Seria equipada com coisa parruda e muito forte em artilharia. Poderia ser Leopard 2, Lynx, Kodiak, PZH 2000, ASTROS 2020, Caminhões miliares TATRA, Pontes M3, etc e etc… O que der. Pacotão logístico, centros de manutenção, treinamentos e etc. . Essa “Brigada Pesada” seria a bala de prata do EB e deveria estar inserida em um plano de longo prazo. É coisa cara, mas contaria com estruturas e meios para durar… Read more »

Henrique
Henrique
Reply to  Bardini
4 meses atrás

Isso só ocorreria de fora para dentro, nunca que o pessoal do próprio EB iria tomar alguma medida inovadora como essa, todos continuam de onde o antigo deixou. Mas eu tenho opinião semelhante, talvez com o esgotamento do surplus dos exércitos das grandes potências o EB se veja necessário a tomar medidas mais drásticas; Leo 1A5 e M113 não vão rodar pra sempre.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Bardini
4 meses atrás

Bardini
É achismo mesmo….
1 pesada e 4 médias é MUUUUUUUITO pouco.
Há um estudo pra reduzir o Eb de 25 para 16 Bda (aproximadamente), mas são as leves q diminuirão em maior proporção.

Henrique
Henrique
Reply to  Agnelo
4 meses atrás

Sim é pouco por quê o que se tem no estado da arte é muito caro então não vamos ter muito mesmo.

Henrique
Henrique
Reply to  Agnelo
4 meses atrás

É só você ver quanto custa as peças de artilharia AP no mercado, não tem como ter vários GAP com essas peças mais modernas, até os A5+ foram bem caros pra nossa realidade e não vão ser o padrão, ainda vamos ter peças mais antigas agora imagina peças mais sofisticadas.

Bardini
Bardini
Reply to  Agnelo
4 meses atrás

É realmente muito pouco. Mas o achismo é de que não se resolve o problema dos ciclos de modernização do EB, cortando unidades leves, que são as mais baratas de equipar, manter e empregar nas funções de Guarda Nacional.
.
1 Brigada Pesada e 4 Médias, já seria dinheiro alto, para deixar tudo equipado, mantendo uma atualização contínua. Imagina mais que isso…

pedro
pedro
4 meses atrás

Resumo, é o TAM 2025 com uma repaginada boa! Podem ver que é o mesmo conceito, um IFV com uma torre de carro de combate com blindagem leve. Tem serventia? Ate tem, desde que seja barato, facil de operar e principalmente, leve. Um veiculo desse pesar mais do que 30t-35t é ridiculo.

Para comparação, o 2S25 usa o chassi do BMD-4 e uma torre com o canhão de 125mm do T-90, mas pesa 22t e é anfibio e pode ser lançado de paraquedas.

Henrique
Henrique
4 meses atrás

Os nossos RCB seriam semelhantes doutrinariamente aos armored cavalry regiment do US Army?

BrunoFN
BrunoFN
4 meses atrás

Boa opção pra quem quer gastar dinheiro atoa ,parece um brinquedo …. e como deve ser caro em…. 1000x um K2 Coreano , ou o Type 10 japona … e por incrível q pareça essas 2 opçoes são mais baratas q esse ”Lynx”… se o EB quer mesmo um MBT .. q vá atrás da Hyundai e Mitsubishi …. doidinhas pra uma pareceria com o BR/EB ..pior de tudo q tal pareceria n seria so no setor militar… um acordo amplo envolvendo setor automobilístico por exemplo, deveria tornar o acordo relativamente facil …mas ja desisti de pensar q tem alguem… Read more »

Últimas Notícias

Stoltenberg: Diálogo amplo entre Rússia e OTAN não é mais possível

BRUXELAS, 27 de junho. /TASS/. A Otan e a Rússia devem preservar as linhas de comunicação, mas um amplo...
- Advertisement -
- Advertisement -