segunda-feira, novembro 28, 2022

Saab RBS 70NG

Embraer e Exército Brasileiro assinam contrato para aquisição de quatro radares SABER M60 adicionais

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Brasília, DF, 5 de abril de 2022 – A Embraer e o Exército Brasileiro assinaram contrato para ampliar o uso dos radares SABER M60 nas Unidades de Artilharia Antiaérea do Exército Brasileiro.

O anúncio foi realizado durante a edição 2022 da FIDAE (Feria Internacional del Aire y del Espacio), evento que ocorre de 5 a 10 de abril, no Aeroporto Internacional Arturo Merino Benítez, em Santiago, no Chile.

Esta ampliação contará com a aquisição de quatro unidades adicionais de radares, em sua versão 2.0, e reforça a parceria estabelecida entre o Exército Brasileiro e a Embraer no contínuo desenvolvimento, implantação e aprimoramento de Meios de Emprego Militar (MEM), que contribuam para aumentar as capacidades de atuações dessas Unidades.

A obtenção dos Radares SABER M60 está prevista no Planejamento Estratégico do Exército Brasileiro 2020-2023 e amplia a capacidade operacional da Força Terrestre. Sinaliza o
compromisso com a missão constitucional de Defesa da Pátria e contribui, também, para a ampliação de parcerias entre o setor público, o meio acadêmico e a indústria, a fim de
buscar o domínio de tecnologias críticas na área de defesa.

Fruto da parceria entre a Embraer e o Exército Brasileiro em desenvolver um radar de artilharia antiaérea de baixa altura, o Radar SABER M60 possui desenvolvimento 100% nacional e teve seu início de operação em 2010, quando as primeiras unidades foram entregues ao Exército. Em 2019, houve conclusão da fase de atualização tecnológica, resultando na versão 2.0, que já conta com exportações.

O SABER M60 é um radar de busca que integra um sistema de defesa antiaérea de baixa altura, visando a proteção de pontos e áreas sensíveis como indústrias, usinas e instalações governamentais e de tropas desdobradas no terreno. Com tecnologia 3D, possui alcance de 60 quilômetros e até 16.400 pés de altura e permite rastrear até 60 alvos simultaneamente, incluindo a detecção e classificação automática de alvos. De fácil montagem e transportabilidade, pode ser montado em até 15 minutos, e possuindo tecnologia LPI (Low Probability Interception), o que permite alta capacidade de atuar na identificação de alvos sem ser facilmente identificado.

O SABER M60 pode ser integrado aos sistemas de armas baseados em mísseis ou canhões antiaéreos e pode ser customizado para ser integrado em qualquer outro si tema de defesa aérea, como o Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro (SISDABRA).

DIVULGAÇÃO: CCOMSEx / FOTOS: Cabo Estevam e ST Orlando

- Advertisement -

46 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

46 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
willhorv
willhorv
7 meses atrás

Eu penso que, a defesa aérea no e do Brasil é uma piada de muito mal gosto.
Ainda bem que os visinhos são uns pángarés também. Nos dias de hoje vc falar que existe uma defesa AA baseada em radares de baixa altura, manpads, e armas de tubo, é melhor dizer que não tem.

Boitatá
Boitatá
Reply to  willhorv
7 meses atrás

Essa defesa que vc pontuou é essencial, vide Ucrânia. Só que é apenas uma das camadas

willhorv
willhorv
Reply to  Boitatá
7 meses atrás

Por isso pontuei…baseada na camada mais baixa, sem ter nada…absolutamente nada nas intermediárias. Pq 36 caças não vão fazer a menor diferença.

RPiletti
RPiletti
Reply to  willhorv
7 meses atrás

Depende contra o que esta comparação está sendo feita. 80% disto disponível e armados, qual FA da região atravessaria a fronteira brasileira?

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  willhorv
7 meses atrás

36 caças não vão fazer a menor diferença contra o que exatamente?

Pasquale
Pasquale
Reply to  willhorv
7 meses atrás

vc quis dizer “vizinhos”?

Denis
Denis
Reply to  Pasquale
7 meses atrás

Hehe… Fazendo jus ao nick, né?

Antonio OS
Antonio OS
Reply to  willhorv
7 meses atrás

Alienado, vc acompanha a guerra da Ucrânia?
O maior estrago para as tropas russas partiu exatamente dos sistemas que vc critica

Joe
Joe
Reply to  willhorv
7 meses atrás

O radar detecta e começamos a jogar pedras, pois arma não tem…

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  willhorv
7 meses atrás

Oerlikon 35 mm e Bofors 40 …kkkkkkkkkkkkkk nem no Vietnan era tão miserável.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
7 meses atrás

Qual valor unitário?

OSEIAS
OSEIAS
7 meses atrás

Show de bola, fomentar a indústria brasileira e o desenvolvimento com o equipamentos modernos que irão aumentar nossas capacidades e promover o desenvolvimento de novos produtos como o M200. Parabéns aos envolvidos.

Guilherme Leite
Guilherme Leite
Reply to  OSEIAS
7 meses atrás

Tudo isso que você falo com 4 radares!

Sagaz
Sagaz
Reply to  Guilherme Leite
7 meses atrás

Se está mal tem que começar com algo, se não dá para ter mil que se comece com 4.

OSEIAS
OSEIAS
Reply to  Guilherme Leite
7 meses atrás

Pois é Guilherme o numero 1 vem antes do 30!

Elintoor-_
Elintoor-_
Reply to  OSEIAS
7 meses atrás

Deste um direto no queixo do Guilherme !!!

Last edited 7 meses atrás by Elintoor-_
ERNANI BORGES
ERNANI BORGES
7 meses atrás

Melhor que nada mas, quando surge um produto nacional as encomendas costumam ser tímidas diante das nossas necessidades e não há como a indústria sobreviver com tão poucas unidades vendidas. Não digo que devemos sustentar incompetentes, o que não parece ser o caso. Temos o produto, precisamos urgentemente dele e adquirimos tão pouco?

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  ERNANI BORGES
7 meses atrás

Ernani, são 4 radares adicionais. O EB adquiriu, até onde lembro, cerca de 20 unidades.

Sagaz
Sagaz
Reply to  ERNANI BORGES
7 meses atrás

Lembrando que o fabricante não vive apenas do fornecimento, geralmente há o pós venda, suporte, etc. Se a gestão foi corretamente realizada com os contratos bem elaborados a relação ganha ganha fica saudável tanto para o operador quanto para o fornecedor. Já a pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias que depende de novos aportes . Abç

Matheus
7 meses atrás

Bom, o radar temos, agora é ter algo que DERRUBE os alvos.
O sistema RBS sozinho não consegue dar conta.

Regis
Regis
Reply to  Matheus
7 meses atrás

Quem sabe o míssil Piranha-1B. Na versão ar-ar, empregada nos F-5M e Super-Tucanos, ele chega até 20km. Em versão terrestre usando um booster poderia alcançar até 30km. Faltaria definir a plataforma de lançamento.

RPiletti
RPiletti
Reply to  Regis
7 meses atrás

É cego…só dinheiro pelo ralo com essa série.

Foxtrot
Foxtrot
7 meses atrás

Jesus amado, mais de 10 anos após a última aquisição, vão comprar mais 4 unidades.
Deveriam é estar evoluindo o projeto do radar com melhorias como redução de peso, maior alcance, inclusão de um optrônico de logo alcance adicional decente etc etc.
Esse contrato deveria ser as 4 primeiras unidades do Saber M-200, e anúncio do protótipo da versão naval e aérea.

Johan
Johan
Reply to  Foxtrot
7 meses atrás

E quem disse que tem 10 anos da última aquisição? Sobre a atualização a mesma ocorreu em 2019 e, inclusive, está no texto. As compras ocorreram ao longo desse período.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Johan
7 meses atrás

“E quem disse que tem 10 anos da última aquisição?”.
Modo de dizer cidadão!
Mas faz anos da última aquisição, e aí te pergunto, que indústria consegue sobreviver com compras tão esporádicas?
Principalmente dependendo de um único cliente.
As FAAs precisam mudar o sistema de compras delas, principalmente se quiserem ter uma indústria de defesa local.
Mas os oficiais de alta patente estão preocupados com política, salários e alimentação especial, o tema defesa fica em último caso.
Aprenderam com os políticos que estão convivendo !

Nonato
Nonato
Reply to  Foxtrot
7 meses atrás

Você está equivocado.
Quem voa em jatinho particular que ninguém sabe de quem é, qie usa relógios de 80 mil reais é o pessoal de Msduro, que quer voltar…
Unidos com caciques tipo Sarney, Renan Calheiros, Omar Aziz…

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Nonato
7 meses atrás

Ai ai, quem defende essa atrocidades cometidas hoje por N,s integrantes desse des-governo o faz nem é mais por desinformação e sim porque tem o mesmo caráter deles viu.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Johan
7 meses atrás

Ps: na matéria só fala que está na versão 2.0, porém não detalha essa versão.
Esteticamente falando o equipamento continua o mesmo, o que leva a crer que essa tal versão 2.0 pode ser uma atualização de software e ou hardware.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Foxtrot
7 meses atrás

Oficialmente, a modernização envolve “desenvolvimento nacional de componentes do sensor de busca”.

https://fiesc.com.br/sites/default/files/inline-files/Apresentação%20-%20Escritório%20de%20Projetos%20do%20Exército.pdf

IBIZ
IBIZ
7 meses atrás

Antigamente eu aplaudiria, mas hj em dia dado ao fato q nossos oficiais são equivalentes aos políticos e juízes afoitos por mamatas e atolados em esquemas de corrupção não deixo de imaginar o quanto de recursos não vão ser desperdiçados por desvios e superfaturamento. Esse governo é o governo da corrupção verde oliva!

Nonato
Nonato
Reply to  IBIZ
7 meses atrás

Saudades do tempo em que assessor de irmão de chefao político era preso com 200 mil dólares na cueca.
Ou dentro do palácio, braço direito de presidente deixava envelope com dinheiro na gaveta de assessores (dá um google).
Ou candidatos vermelhos gastavam 350 milhões numa campanha, pagavam marqueteiros com caixa 2, ou em paraísos fiscais (duda mendonça, ilhas cayman).
Saudades dos tempos que estatais e ministérios eram fatiados com caciques políticos e 3% de todos os contratos eram rachados…

IBIZ
IBIZ
Reply to  Nonato
7 meses atrás

Saudades mesmo. Pq hj está mil vezes pior onde quer que vc veja!

Zé bombinha
Zé bombinha
7 meses atrás

Curioso pra saber o que essa versão 2.0 vai agregar ao modelo inicial. Quanto a quantidade, melhor pingar do que secar. Que venha o “200”… Sem esquecer do “fogo” para os tais. Saudações senhores

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Zé bombinha
7 meses atrás

Respondi mais acima, agora há pouco. Desenvolvimento nacional de componentes do sensor de busca.

Last edited 7 meses atrás by Fernando "Nunão" De Martini
Heinz Guderian
Heinz Guderian
7 meses atrás

4 unidades? Melhor que nada, mas era pra ser no mínimo umas 20.
E o M200 quando vão adquirir?
E o sistema de defesa AA de médio e longo alcance?
OK, o curto alcance é essencial e é uma das camadas essenciais numa defesa AA, mas espero que venha logo algo com maior alcance.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Heinz Guderian
7 meses atrás

“4 unidades? Melhor que nada, mas era pra ser no mínimo umas 20.” Guderian, você está falando em aquisição total ou só destas 4 adicionais? Porque “umas 20” é o que já tem. Segundo esta apresentação do EB que eu fui procurar agora pra refrescar a memória, o Exército adquiriu 22 (as quais, segundo a matéria, receberam atualizações) e agora, com estas 4 novas no padrão atualizado, o total chega a 26. Além disso tem 4 adquiridas pela FAB e 2 pelo CFN, então o total com esta nova aquisição vai ultrapassar 30 radares somando as 3 forças. Ao menos… Read more »

Last edited 7 meses atrás by Fernando "Nunão" De Martini
Henry
Henry
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
7 meses atrás

Finalmente alguém entende de assuntos da defesa, obrigado Fernando pela lucidez

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
7 meses atrás

Caro Nunão, falei destas 4 adicionais, poderiam ter sido mais unidades, mas compreendo que tem todo um critério para se adquirir tal material, é que a gente tá tão acostumado com aquisições de poucas unidades que queremos sempre mais.
Obrigado pelas informações que você colocou, não sabia que a FAB tinha 4, Saudações.

Bardini
7 meses atrás

Este tipo de radar é muito interessante no tocante a aeronaves de asa fixa e rotativa. “Ameaças convencionais”, vamos dizer assim… . Contra UAS de menor porte, principalmente UAVs de propulsão elétrica, o SABER M60 deixa muito a desejar, ao lado de seus mísseis e é necessário um complemento. E esse complemento, deveria ser por meio de sistemas de Guerra Eletrônica. Mas falta fazer muito, em termos de GE dentro do EB. . Guerra Eletrônica deveria ser a prioridade número número 1 do EB hoje. Não é D Ciber. É GE! Em nível tático e estratégico, ofensivo e defensivo. .… Read more »

Last edited 7 meses atrás by Bardini
Kelbi
Kelbi
Reply to  Bardini
7 meses atrás

O Saber, apesar de baseado em um modelo estrangeiro, teve seus componentes desenvolvidos no Brasil. Os protótipos iniciais eram muito inferiores ao mínimo exigido pelo EB. Vc ligava o radar e perdia toda a comunicação próxima. Apresentava “ecos” dos mais estranhos etc. Hoje , depois de muito esforço, é uma realidade. Nada , absolutamente nada, no assunto DEFESA, chega grátis. Salvo quando interessa a quem cede a tecnologia. No mais, concordo que estamos muito aquém do desejável.

Last edited 7 meses atrás by Kelbi
Tiago da Cruz
Tiago da Cruz
7 meses atrás

Creio que estes 4 adquiridos estão conectados a assinatura da fase 2 do sisfron , pois são produtos da embraer com quem EB assinou contrato do sisfron fase 2 , e mobilhar com novos e atuais equipamentos esta nova fase do projeto , vamos que vamos .

CRSOV
CRSOV
7 meses atrás

Apenas 4 radares a mais para defender um país de 8,5 milhões de KM2 ??

Marcelo
Marcelo
Reply to  CRSOV
7 meses atrás

Tem usinas Itaipu em todos os lugares??!!
Lê direito e ASSIMILE o que Leu…jesuis viu

Marcelo
Marcelo
Reply to  Marcelo
7 meses atrás

Cada “ser” RASO que versa por aqui viu…dá até vergonha alheia.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
7 meses atrás

“Embraer e Exército Brasileiro assinam contrato para aquisição de quatro radares SABER M60 adicionais”.

Essas aquisições de equipamentos militares do Brasil são uma piada, especialmente nas esdrúxulas quantidades adquiridas…

Sei que um radar não é um equipamento barato como uma simples viatura marruá e sei que o Brasil já opera algumas unidades, tanto que em 2021 já haviam recebido mais quatro unidades, mas acho que as aquisições brasileiras são a conta-gotas.

O SABER M60 é utilizado pelas tropas brasileiras desde 2012,e obviamente tem um número razoável de unidades a disposição.

comment image

Last edited 7 meses atrás by Adriano Madureira
Carlos Vulcano
Carlos Vulcano
7 meses atrás

Essa defesa de curto alcance é sim importante…mais claro que devemos adquirir outros meios de médio e longo alcance!!

Últimas Notícias

Imagens de uma guerra: míssil anticarro erra o alvo por pouco

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra um ATGM russo passando sobre um carro de combate ucraniano. A...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -