segunda-feira, junho 27, 2022

Saab RBS 70NG

Explosões na Transnístria: a guerra na Ucrânia está se espalhando?

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.forte.jor.br
Editor da Revista Forças de Defesa

Explosões misteriosas na Transnístria, um território dissidente controlado pelos russos na Moldávia, na fronteira com a Ucrânia, levantaram temores de que o conflito na Ucrânia possa estar se espalhando.

Autoridades separatistas disseram que “infiltrados” ucranianos foram os responsáveis. Mas o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky culpou os serviços especiais russos. A Rússia diz estar preocupada. Tem cerca de 1.500 soldados na Transnístria.

Uma autoridade disse que os habitantes que falam russo na Moldávia estão sendo oprimidos. Esta é a mesma desculpa usada para justificar a invasão da Ucrânia.

Nos últimos dois dias, dizem as autoridades da Transnístria, explosões tiveram como alvo:

  • O QG de segurança do Estado em Tiraspol, a principal cidade
  • Antigas torres de rádio da era soviética que costumavam transmitir notícias russas
  • Uma unidade militar em Parcani, uma vila nos arredores de Tiraspol

Nenhuma vítima foi relatada, mas um alerta vermelho “antiterrorismo” está agora em vigor, o que significa maior segurança no território, que se separou da Moldávia em uma breve guerra em 1992.

Um funcionário da Transnístria disse que três infiltrados não identificados da Ucrânia atacaram o QG de segurança com um lançador de granadas. Essa afirmação não foi verificada.

O Kremlin diz que está observando a situação de perto e “é motivo de preocupação”.

Em Kiev, o presidente Zelensky deixou claro que a Rússia estava por trás disso, acrescentando: “O objetivo é óbvio – desestabilizar a situação na região, ameaçar a Moldávia. Eles mostram que se a Moldávia apoiar a Ucrânia, haverá certos passos”.

“Mas entendemos suas capacidades, as Forças Armadas da Ucrânia estão prontas para isso e não têm medo delas”, disse Zelensky na terça-feira.

A guerra está prestes a se espalhar?

Um surto na Transnístria poderia desestabilizar a Moldávia e abrir uma nova frente na guerra da Ucrânia. Odesa, a principal cidade portuária da Ucrânia, fica a leste da Transnístria.

Se a Rússia reforçar a Transnístria, poderá avançar para Odesa a partir do oeste. Seu avanço sobre a cidade do leste foi bloqueado por tropas ucranianas. Isso desviaria as forças ucranianas que já estão seriamente sobrecarregadas.

Na sexta-feira, um alto general russo, Rustam Minnekayev, disse que “o controle sobre o sul da Ucrânia é outra saída para a Transnístria, onde também há casos de opressão da população de língua russa”.

Perfil Trans-Dniester

O presidente Vladimir Putin prometeu “proteger” os russos étnicos nas ex-repúblicas soviéticas. Esse foi seu argumento para invadir a Ucrânia. A Moldávia era anteriormente uma república soviética.

Hoje, o aliado mais próximo da Moldávia é a Romênia, mas, ao contrário da Romênia, a Moldávia não faz parte da Otan ou da UE. Muitos moldavos têm passaportes romenos e trabalham na UE.

A Moldávia é um dos países mais pobres da Europa. É também o lar de muitos ucranianos étnicos. Acolheu mais de 437.000 refugiados ucranianos e em um país de 2,6 milhões de pessoas que é maior do que qualquer outro país para o tamanho de sua população.

A presidente da Moldávia, Maia Sandu, é fortemente pró-UE, mas seu antecessor Igor Dodon – que ainda tem muitos apoiadores – era pró-Rússia.

A Moldávia proibiu a exibição pública da fita de São Jorge e do sinal Z identificado com a invasão militar russa da Ucrânia.

Onde fica a Transnístria?

A região separatista da Transnístria – uma estreita faixa de terra entre o rio Dniester e a fronteira ucraniana – proclamou a independência da Moldávia em 1990 – embora a comunidade internacional não reconheça seu autoproclamado estado.

Após a Segunda Guerra Mundial, Moscou criou a precursora da Moldávia, a República Socialista Soviética da Moldávia, da região de Dniester, principalmente de língua russa, que era uma parte autônoma da Ucrânia, e da região vizinha da Bessarábia, que fazia parte da Romênia de 1918 a 1940.

Mas com o colapso da União Soviética, o alarme cresceu na região do Dniester sobre o crescente nacionalismo moldavo e a possível reunificação da Moldávia com a Romênia, e a região proclamou sua secessão.

Até 700 pessoas foram mortas em uma curta guerra de fronteira entre a Moldávia e a Transnístria – um cessar-fogo foi assinado em 1992. O acordo foi imposto pelas tropas russas estacionadas na Transnístria.

FONTE:
BBC

- Advertisement -

49 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
49 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nilo
Nilo
1 mês atrás

Armação da inteligencia americana rsrsrsr
Maldavia que se cuide logo pode receber a visita da Sra. Bolinhos.

Last edited 1 mês atrás by Nilo
Nemo
Nemo
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Oi Kings.

Casemiro
Casemiro
Reply to  Nilo
1 mês atrás

E por falar em americanos, hoje foi postada a foto de dois deles que foram feridos com gravidade.
Eram operadores de Javelin e foram alvejados pelos tanques russos.
Seus nomes são Manus McCaffrey e Paul Gray e suas fotos, feridos, estão circulando pela rede.

Eu li que os militares russos não estão muito preocupados com esses mísseis, mas estão priorizando a destruição da artilharia e dos MLRS ucranianos.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Casemiro
1 mês atrás

Não sei se é real mas os estoques de Javelin nos EUA estão acabando e até agora o governo do véio gagá não fez encomenda, pelo jeito vão comprar os que aprendido pelos Russos, e só falta os Russos cobrarem em euros para não serem intransigentes.

Casemiro
Casemiro
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

E verdade.
E a Bloomberg noticiou que as empresas falaram que não estão preparadas para atender mais pedidos.
Ademais, a Alemanha está restringindo a entrega de vários materiais (só essas tranqueiras mais antigas) e a Bulgária está se recusando a fazer qualquer entrega.

Sagaz
Sagaz
Reply to  Casemiro
1 mês atrás

O sujeito conversa com ele mesmo em diversos perfis, doentio.

César
Reply to  Sagaz
1 mês atrás

Ele até tenta ¨personalizar¨ cada perfil mas ta na cara que é tudo do mesmo sujeito desocupado. Haja tempo livre.

Denis
Denis
Reply to  César
1 mês atrás

Mas o mais legal de tudo é que a gente pode dar mais de um deslike nele.

Denis
Denis
Reply to  Sagaz
1 mês atrás

Kkkkk! Só me resta uma dúvida: se o discurso dele será classificado como diálogo ou monólogo.

Pablo Maroka
Pablo Maroka
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

Vão compra os javelin que soltam plasma dos russos.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Pablo Maroka
1 mês atrás

Bem bem negócio é negócio né.

LUIZ
LUIZ
Reply to  Casemiro
1 mês atrás

Esses Manus deve ser parente do Martin Macfray e o outro do Dorian Gray. Tem fotos deles feridos no Telegram. Dizem que a Rússia luta apenas contra um exército fraco cheio de soldados da OTAN.

LUIZ
LUIZ
Reply to  Casemiro
1 mês atrás

Quando os estrangeiros foram mortos naquele ataque russo num acampamento de treinamento perto da fronteira com a Polônia a debandada dos aventureiros foi geral. Teve um de Maringá que era rosado ficou branco de medo quando viu os Sukhois destruir o acampamento e voar corpos pra todo lado. Esses idiotas subestimaram os russos se f3rraram.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Sempre os americanos e pelo jeito o Putin, mestre do Xadres 100D, cai em todas.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 mês atrás

Ops Xadrez

Casemiro
Casemiro
1 mês atrás

A Rússia não pode cair nessa.
Os bombardeios na fronteira e essa situação na Transnístria são apenas para tentar desviar Moscou da ofensiva que está se iniciando no leste.
Os russos estão descendo para Donbass de várias frentes e causando muitas baixas nos ucranianos.
Além de continuar apreendendo muito material dos inimigos.
A situação da Transnístria e da Moldávia será decidida depois, com a chegada de tropas russas que vão conquistar Donetsk.
Por sinal, a Moldávia acabou de declarar que não quer saber de conflitos na região.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Casemiro
1 mês atrás

Camarada Kings esse conflito é cheio de ardil, não olhe para evento como sendo antagônicos a disputa é geoeconomica, se assim não fosse o gasoduto que passa por dentro da Belarus e Ucrânia ja tinha ido pro saco.

Leonardo
Leonardo
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

“Camarada Kings”. Não era Casemiro? Se entregou, hein Kings? Esse negócio de usar vários perfis está te confundindo.

Denis
Denis
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

Kkkkk! O cara se entregou nesse comentário!

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
Reply to  Casemiro
1 mês atrás

Tem de ter muita calma nessa hora.Vão ter muitas provocações dos ucranianos.Como sempre.

Casemiro
Casemiro
Reply to  Renato de Mello Machado
1 mês atrás

Exatamente.
Os ‘inocentes’ e ‘corajosos’ ucranianos estão lançando mísseis a esmo contra prédios residenciais em Kherson.
Mas, nada que nos provoque surpresa, visto que foram capazes de bombardear a própria população, como fizeram em Bucha.

Casemiro
Casemiro
Reply to  Casemiro
1 mês atrás

E por falar em Kherson:

O novo governador da região de Kherson libertada dos nazistas, Kirill Stremousov, anunciou que:

1. A partir de 1º de maio, a região entra na zona do rublo. (O rublo de fato já começou a circular lá).
2. O período transitório será de 4 meses. Mais tarde, o hryvnia será retirado de circulação. (Tal esquema foi usado no LDNR)
3. O retorno da região de Kherson à Ucrânia está excluído,
4. Referendos sobre a independência da República de Kherson ainda não estão planejados.

George
George
Reply to  Casemiro
1 mês atrás

Ah então é guerra de anexação e não operação especial? Decida-se. Você está me deixando confuso.

Zezão
Zezão
1 mês atrás

De acordo com a análise da ISW, foram as forças russas que provavelmente realizaram ataques de bandeira falsa na Transnístria. A Rússia também pode estar planejando desestabilizar a própria Modávia, comentários do chefe da República Popular de Donetsk e de outros funcionários russos levantaram a possibilidade de Putin reconhecer a República da Moldávia Pridnestroviana (PMR) na Transnístria. Não é à toa que os russos destruiram a ponte que ligava a região de Budjak com o resto da Ucrânia. Um desembarque anfíbio russo pode ser possível se a Rússia planeja se unir com a tropas separatistas russas na Transnístria. A Rússia… Read more »

FRYtih9WQAEX0BP.jpg
Casemiro
Casemiro
Reply to  Zezão
1 mês atrás

Creio que isso ocorrerá apenas quando a Rússia conquistar Odessa.
Dessa forma, a união com a PMR será natural.

Zezão
Zezão
Reply to  Casemiro
1 mês atrás

Casemiro, aí é opinião sua de palpiteiro…
Prefiro me apoiar nos estudos da ISW (Instituto para o Estudo da Guerra), cuja análise é feita por generais e especialistas com notório conhecimento técnico e experiência em combate. (rs…)

Last edited 1 mês atrás by Zezão
Casemiro
Casemiro
Reply to  Zezão
1 mês atrás

Se a intenção da Rússia é conquistar Odessa e se unir à Transnístria, não há sentido começar um conflito agora, quando as tropas russas ainda estão relativamente longe.
E a guarnição russa na PMR é relativamente pequena.
Sei que tem o (talvez) maior depósito de armas da Europa, mas creio que seria melhor para os russos deixar isso quieto, por enquanto.

Zezão
Zezão
Reply to  Casemiro
1 mês atrás

Pois é…
O problema é que ultimamente Putin tem errado muito, tá ficando velho.

Charle
Reply to  Zezão
1 mês atrás

Colega, o presidente Putin pode estar errado à partir de seu ponto de vista. Ou do meu ponto de vista.

Ou seja, é apenas um palpite pessoal baseado em subjetividade. Na melhor das hipóteses, uma especulação.

Não há como saber como a cúpula em Moscou lida com as constantes transformações do teatro de guerra; muito menos como realmente se defendem de tanta pressão que vem dos EUA – NATO – OTAN.

Muitas das ações militares russas podem, por ex., ser ações disuassórias. Como um jogo de Xadrez.

Last edited 1 mês atrás by Charle
glasquis 7
Reply to  Charle
1 mês atrás

Colega, o presidente Putin pode estar errado à partir de seu ponto de vista. Ou do meu ponto de vista.”

Não me leve a mal mas, esta “guerra fácil de uma semana” já passou do segundo mês e nada indica que acabará antes do terceiro.

Só nessa analise, o Putin errou feio.

Milhares de russos morrendo no front de batalha contra um país que, em princípio, deveria ter se rendido com o apoio da população há muito tempo mas, que resiste.

Isto é a realidade, não é ponto de vista.

Charle
Reply to  glasquis 7
1 mês atrás

Colega, a Ucrânia resiste escorada pelas potências ocidentais.

E que, aliás, estão fazendo de tudo para implementar mais e mais essa guerra. Só não vê quem não quer.

Para evitar a destruição da infraestrutura ucraniana e a perda da vida de milhares de civis, a estratégia de “Z”, poderia ter sido diferente.

Elas existem, melhor dizendo, existiam.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Charle
1 mês atrás

E na sua cabeça os ucranianos deveriam se render e viverem felizes sob o domínio dos Russos ?

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
Reply to  Casemiro
1 mês atrás

Odessa é fundamental no plano de dividir a Ucrânia.Isso se Putin não quiser pegar toda.Tem isso né?

Zé lesqui
Zé lesqui
1 mês atrás

A Finlândia que se prepare também.

Wellington Jr
Wellington Jr
Reply to  Zé lesqui
1 mês atrás

Finlandia o buraco é muito mais embaixo.

Sagaz
Sagaz
Reply to  Wellington Jr
1 mês atrás

Seria a terra do fim, fim landia. 🙂

George
George
Reply to  Zé lesqui
1 mês atrás

Fica tranquilo porque ela está se preparando… para entrar na OTAN.

Agressor's
Agressor's
1 mês atrás

“Qualquer país do mundo que intervir terá uma resposta imediatamente a altura” Putin.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Agressor's
1 mês atrás

Ele não falou qual altitude.

Last edited 1 mês atrás by Rodrigo Martins Ferreira
Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 mês atrás

Deve ser uma nota de repúdio bem redigida. A escrita está mais eficiente que as forças convencionais Russas.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Se os russos parassem de pagar gente para ficar defendendo na Internet e investissem em capacitação já teriam fechado a fatura.

E não digo nem dos pregos aqui do fórum, dos profissionais mesmo.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 mês atrás

Ao passo que se não fossem as armas nucleares, a fatura dos inimigos dos Russos já teria fechado faz tempo. E com relativamente poucas baixas.

Urso de papel.

Charle
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Nesse caso, o raciocínio também é válido para a conteção dos inimigos que os ianques fizeram ao longo das décadas.

Europeus ocidentais também entram nessa lógica.

Pablo Maroka
Pablo Maroka
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 mês atrás

Marchar para trás em direção a moscow

Anderson
Anderson
1 mês atrás

Essa doutrina russa de “Escalar para De-Escalar com Armas Nucleares” parece estar em curso. Esse artigo do Professor Janis Berzins publicado no site DefesaNet em 26SET2020 é um prelúdio do que pode está por vir.
https://www.defesanet.com.br/russiadocs/noticia/38258/Janis-Berzins—Escalar-para-De-Escalar-com-Armas-Nucleares–a-Visao-Russa/

https://youtu.be/J6KieOY-zWA

naval762
naval762
1 mês atrás

-Vejo trolls!
-Com que frequência?
-O tempo todo, eles conversam entre si.
-Don’t feed the troll.

naval762
naval762
1 mês atrás

Agora falando sério. Isso cheira à manobra diversionária, mas de quem não dá pra ter certeza ainda.

Capa Preta
Capa Preta
1 mês atrás

Ou a Moldávia se junta já na resistência ucraniana ou vai se tornar a próxima vítima do expansionismo russo no Leste europeu.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
1 mês atrás

Explosões na Transnístria: a guerra na Ucrânia está se espalhando?

Eu acho que a pergunta certa seria: A quem interessa que a guerra na Ucrânia se espalhe ?

Últimas Notícias

Stoltenberg: Diálogo amplo entre Rússia e OTAN não é mais possível

BRUXELAS, 27 de junho. /TASS/. A Otan e a Rússia devem preservar as linhas de comunicação, mas um amplo...
- Advertisement -
- Advertisement -