sábado, maio 21, 2022

Saab RBS 70NG

Sirius Compact da Saab oferece nova flexibilidade para usuários de EW

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A Saab apresenta o Sirius Compact – um sensor passivo de guerra eletrônica leve para enfrentar os desafios de vigilância em todos os níveis de operações táticas, localizando ameaças sem ser detectado

O Sirius Compact traz novos recursos graças ao seu baixo tamanho, peso e potência, principalmente em comparação com soluções estáticas maiores equivalentes. Como ele pode ser facilmente integrado a drones, veículos, embarcações, mastros ou aplicativos portáteis, os usuários podem desdobrar rapidamente o sistema e dimensionar sua cobertura conforme a situação exigir.

“As operações no espectro eletromagnético de um campo de batalha moderno são um desafio em constante evolução. A necessidade de permanecer indetectável, enquanto desdobrando com discrição e agilidade tem estado na vanguarda do desenvolvimento do Sirius Compact”, diz Carl-Johan Bergholm, chefe da área de negócios de Vigilância da Saab.

O Sirius Compact é modular, escalável e pode ser usado de forma independente, em uma rede de sensores ou como complemento aos sensores existentes. Ao aprimorar a consciência situacional por meio da detecção silenciosa, classificação e priorização de emissões de radar e datalink, também é um multiplicador de força, permitindo que os usuários localizem ameaças sem serem detectados. A operação autônoma permite a assimilação e compilação de informações de consciência situacional sem a necessidade de armazenar dados sensíveis no sensor.

O desenvolvimento e a produção do Sirius Compact são compartilhados entre a Saab na Suécia e na Finlândia, de acordo com a estratégia da Saab de fortalecer ainda mais sua presença doméstica em mercados selecionados fora da Suécia.

A Saab apresentará o Sirius Compact na conferência AOC Europe em Montpellier na França de 10 a 12 de maio e no Eurosatory em Paris de 13 a 17 de junho.

Sobre a Saab

A Saab é uma empresa líder em defesa e segurança com uma missão duradoura de ajudar as nações a manter seus povos e a sociedade seguros. Capacitada por seus 18.000 funcionários talentosos, a Saab constantemente ultrapassa os limites da tecnologia para criar um mundo mais seguro, sustentável e equitativo. A Saab projeta, fabrica e mantém sistemas avançados em aeronáutica, armas, comando e controle, sensores e sistemas subaquáticos. A Saab está sediada na Suécia. Possui grandes operações em todo o mundo e faz parte da capacidade de defesa doméstica de várias nações.

FONTE: Saab

- Advertisement -

16 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
16 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos10
Marcos10
9 dias atrás

Temos algo similar?

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Marcos10
9 dias atrás

não

Wagner
Wagner
Reply to  Marcos10
9 dias atrás

Tá querendo muito rsrsrs li em outro site de defesa que desde que foi assinado o contrato das torres UT30 do Guarani em 2010 só 30 foram adquiridas. E você ainda quer saber se temos essas coisas? Rsrsrs

Bosco
Reply to  Marcos10
9 dias atrás

Temos sim! Temos um batalhão do EB dedico à EW e há o Centro de Instrução de Guerra Eletrônica do Exército.
Eles possuem equipamento similar. http://www.eb.mil.br/image/journal/article?img_id=642364&t=1339508527382

Marcos10
Marcos10
9 dias atrás

Esse equipamento é capaz de detectar ondas de rádio emitidas entre um pequeno drone, desses caseiros, e sistema de comando?

Felipe Morais
Felipe Morais
9 dias atrás

Deve ser bem legal trabalhar na área de desenvolvimento de uma empresa como a SAAB.

Sempre empenhada em inovar, aperfeiçoar. E parece que não falta fluxo de caixa para isso.

Pegando gancho na recente matéria em relação aos indianos, deveríamos procurar oportunidades com países menores que possuem boas bases tecnológicas a nos oferecer, sem tantas restrições ou exigências geopolíticas.

Índia, Suécia, Itália, Coreia do Sul, Turquia etc.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Felipe Morais
9 dias atrás

vi uma entrevista do Marcos Pontes onde ele disse que foi na Coreia do Sul pra tentar copiar o sistema de P e D deles, disse que começou a implementar no Brasil, mas agora ele vai sair.

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  Carlos Campos
9 dias atrás

Vai se candidatar ao congresso, por isso saiu. O cara fez MUITO, bem mais que os últimos ocupantes, foi um monstro, colocou o Brasil novamente no jogo, mas não devemos nos iludir, o Brasil não tem pesquisa,não tem empresas de ponta, o máximo que fazem é adaptar o que vem de fora, a “pesquisa’ é essa. Somos um país do Agro, é muito difícil deixar essa vocação enquanto tiver terras e mais terras inexploradas ou para serem desmatadas pra serem usadas como pasto, infelizmente.

Wellington jr
Wellington jr
Reply to  Carlos Crispim
9 dias atrás

O Agro não é o problema, o problema do Brasil é que o brasileiro se acostumou com soluções mágicas para problemas complexos. O pobre não entrava na faculdade, ao inves de descobrir o porque o governo foi lá de abriu a maleta de ferramentas de soluções populistas e enfiou o pobre na faculdade sem se importar se ele sabia somar 2+2. O pobre não comprava casa, o governo ao inves de reduzir o custo da construção abriu as contas publicas para o financiamento imobiliario e o pobre se afundou em uma compra de casa de 30 anos em locais que… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Wellington jr
8 dias atrás

o governo até queria, o molusco tentou, mas se acovardou na hora de fazer uma reforma da previdência. entre outros erros horríveis que levaram ao fim ParTido.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Carlos Crispim
8 dias atrás

o que eu gostava nele é que falava mesmo, batia de frente com o guedes e não tava nem aí. lutou muito por recursos segundo ele, vai deixar o MinC e T com mais recursos desde o segundo mandato da dilminha

Wellington Jr
Wellington Jr
9 dias atrás

Numa guerra Rússia x Suécia aposto 10 mil na Suécia. Os caras são muito bons em fazer equipamentos de ponta e confiáveis. O baixinho do Putin jogou uma presente gigante no colo da OTAN a Suécia pelo que está na mídia quer as mesmas liberdades do Reino Unido e isso significaria que a indústria de defesa sueca iria expandir dentro da OTAN e participar do desenvolvimento de novas tecnologias conjuntas.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Wellington Jr
9 dias atrás

A Suécia sempre fez parte da OTAN, só que por baixo dos panos já que a população era contra a Suécia entrar na organização, inclusive eles tinham tropas no Iraque e enviaram caças Gripen para a guerra na Líbia, mas depois dessa guerra provavelmente a população sueca já tenha mudado de opinião.

Santiago
Santiago
9 dias atrás

Seria um ótimo equipamento EW (Eletrônic Warfare) para ser instalado no LMV Br.

Juggerbr
Juggerbr
9 dias atrás

Quantos desses estão em teste na Ucrânia? Melhor propaganda que existe é ser competente num TO. Javelin, Neptune e drone turco que o digam. Do outro lado a Rússia não quer fazer propaganda dos Armata…

Carlos Campos
Carlos Campos
9 dias atrás

equipamento muito legal, mas não é pra nos, temos até FAL para substituir, fui no site da SAAB e vi o vídeo do Arexis e imaginei um combate com o F35, o Gripen perdeu mas foi osso duro derrotar mesmo não sendo Stelth.

Últimas Notícias

‘A janela para expulsar a Rússia da Ucrânia é agora’

Por Nataliya Bugayova* O Ocidente deve ajudar os ucranianos a expulsar as forças russas do sudeste da Ucrânia, pelo menos...
- Advertisement -
- Advertisement -