domingo, junho 26, 2022

Saab RBS 70NG

O 80º Dia de Operações Russas na Ucrânia

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Prof. Dr. Ricardo Cabral*

Desde o dia 6 de maio de 2022, as Forças Ucranianas, reforçadas por mercenários e voluntários (e de provavelmente forças especiais da Otan), estão realizando uma série de contra-ataques em vários pontos da frente de batalha. Os russos, que já tinham penetrado nos subúrbios de Karkhov, tiveram que retrair em direção à fronteira. Com isso Belgorod, Kursk e outras cidades russas na região próxima à fronteira passaram a ser alvos de ataques dos mísseis ucranianos e até mesmo ataque de tropas aeromóveis.

Como isso foi possível? Os ucranianos desde abril estão convocando reservistas e os treinando suas unidades no Oeste. A Otan tem participado do treinamento dos militares ucranianos na Polônia no manuseio do armamento pesado fornecido pela Aliança. Também chegam pela Polônia mercenários e voluntários, que após uma seleção, são enviados imediatamente para o front. As unidades em combate no Leste passaram a ser recompletadas com recrutas, mercenários e voluntários, somando ao intenso fluxo de novos armamentos e dados de Inteligência que permitiram aos ucranianos explorar fragilidades nas linhas russas e lançar contra-ataques bem-sucedidos.

Os ucranianos explodiram pontes sobre o rio Seversky Donets, na região de Belegorovka e estão cercando as tropas russas, além de atacá-las quando tentam transpor o rio, acabaram por destruir mais de vinte blindados de infantaria e pelo menos uma dúzia de MBTs russos, ou seja, um grupo tático valor batalhão. Sem dúvida uma grande vitória dos ucranianos, nesse combate.

Os ucranianos têm sido mais agressivos e realizado ações de comandos nas regiões de Kherson, em várias pequenas cidades de Donbass, nas ilhas do mar Negro e ao longo rio Dnipre. Estão destruindo pontes, emboscando unidades russas e realizando ataques com drones e aviação como vimos nas fotos acima.

Kiev já implantou reforços militares em três direções:

  1. Em Severodonetsk e Lysychansk. O objetivo é defender de acordo com o princípio de Mariupol;
  2. No Norte da região de Kharkov. O objetivo é chegar à fronteira na região de Belgorod;
  3. Em Nikolaev, o objetivo é expulsar as tropas russas da margem direita do Dnieper, impedindo a progressão em direção à Odessa. Nesta região, os russos esperam um grande ataque ucraniano.

O ataque frustrado ucraniano a ilha Zmeiny, no Mar Negro, foi uma tentativa de retomar a iniciativa no Mar Negro e no Mar de Azov, mas a superioridade aérea e naval russa se impôs e provocou várias baixas e perda de material.

Os britânicos têm estimulado a liderança ucraniana atacar alvos no território russo, especialmente, em Belgorod, principal centro logístico militar russo. Os ucranianos têm feito ataques com forças especiais, artilharia, mísseis e tentaram incursões com aeronaves, drones e tropas aeromóveis. No entanto, até agora, não obtiveram grandes resultados.

https://www.topnews.ru/news_id_514264.html#:~:text=As%20For%C3%A7as%20Armadas%20da%20Ucr%C3%A2nia%20ainda,que%2C%20segundo%20dados%20oficiais%2C%20em%20maio

Havia a expectativa, por parte dos ucranianos, de cercar unidades russas na região de Izyum, mas não conseguiram, já os russos romperam as defesas na cidade e prosseguem avançando, ainda que lentamente, em determinadas regiões de Donbass e no Sul.
Podemos observar, que os russos recuaram na região de Karkhov e estão reagrupando suas forças. Os ucranianos estão tentando retomar a iniciativa em pontos específicos da linha de frente e tem obtido bons resultados, mas sem conseguir deter o avanço russo, que parece avançando nas brechas entre as unidades ucranianas ou nos pontos mais fracos. Quando derrotados ou enfrentam forte resistência os russos, recuam, reagrupam e entram em defensiva, aguando uma oportunidade para retomar o avanço ou manobram para continuar o ataque.

https://rusvesna.su/news/1652513811#:~:text=P%C3%A1ra%2Dquedistas%20russos,uma%20ampla%20cadeia

Os russos estão empregando suas tropas profissionais e mais experiente nos combates contra os ucranianos. Verificamos que as forças russas que vêm na retaguarda não são do mesmo nível e quando confrontadas cedem o terreno. Outro ponto, que até é uma característica russa, é o largo emprego de morteiros, da artilharia, de mísseis e da aviação antes, durante seus ataques ou para resistir aos contra-ataques ucranianos. A coordenação do apoio de fogos melhorou. Paraquedistas, tropas aeromóveis, mercenários e as unidades de guarda têm sido largamente empregadas nas operações ofensivas, mas nem elas conseguem obter grandes avanços, diante da resistência ucraniana. O avanço é lento e penoso.

Existem algumas razões para o atual cenário estratégico, segundo o analista russo Sergei Marzhetsky:

“- nos últimos 8 anos, as Forças Armadas da Ucrânia transformaram as cidades das aglomerações de Donetsk e Luhansk em áreas fortificadas de pleno direito.

– Os militares e guardas nacionais ucranianos se utilizam de escudos humanos, escolas, creches, hospitais e outras instalações civis, uma das razões pela qual as Forças Armadas de Federação Russa não podem usar plenamente sua vantagem em armas de ataque pesado e aviação, apesar do número de mortos entre os civis;

– O pessoal das Forças Armadas da Ucrânia e da Guarda Nacional está muito mais bem treinado, organizado e motivado do que em 2014-2015, e sua gestão e fornecimento de toda a inteligência operacional é realmente realizada por generais da OTAN.

Nessas condições desfavoráveis, o Estado-Maior das Forças Armadas da Federação Russa teve que contar com a tática de minar lentamente as defesas escalonadas do inimigo, quando suas numerosas posições são sucessivamente destruídas pela artilharia e depois limpos pela infantaria. A libertação de Popasna, após longas e obstinadas batalhas urbanas pode ser considerada um grande sucesso. A localidade é chave para o cerco das unidades ucranianas que se encontram na República Popular Luhansk (LPR). Devido a essas táticas, as perdas próprias são minimizadas e o resultado é inevitável, mas a operação para liberar o território de Donbass inevitavelmente levará muito tempo. Isso, infelizmente, foi capaz de dar uma vantagem ao inimigo, que realizou uma contraofensiva bem-sucedida na direção norte.

Assim, até recentemente, Kharkov, uma das maiores cidades e estrategicamente importante da Ucrânia, estava em um semi-cerco. As Forças Armadas da Ucrânia transferiram forças significativas para desviar a atenção do Estado-Maior russo do Donbass, e as Forças Armadas da Federação Russa, evitando serem cercadas, foram obrigadas a recuar quase até a própria fronteira. Kiev conseguiu uma vitória inesperada.

Como isso é possível, a apenas algumas dezenas de quilômetros da Rússia, onde a supremacia aérea é russa, é completamente incompreensível. Especialistas asseguram que as próprias Forças Armadas da Ucrânia serão forçadas a recuar de Kharkov para o oeste, quando suas defesas no Donbass entrarem em colapso. Isso é verdade, mas a própria tendência que as Forças Armadas de Federação Russa ter de recuar novamente é irritante, deixando, ao que parece, assentamentos já liberados onde pode ocorrer uma nova “Bucha”.

Tudo isso levanta mais uma vez a questão de que o contingente militar envolvido na operação especial não é suficiente para ações ofensivas efetivas em várias direções ao mesmo tempo, e Moscou ainda deve pensar em uma mobilização pelo menos parcial. Unidades russas operam em território hostil contra um inimigo numericamente superior.

Para uma derrota decisiva das Forças Armadas da Ucrânia, será suficiente aumentar o número de forças para 350-400 mil militares, no total. Todo o Ocidente já está lutando abertamente contra nós, e é impossível adiar a operação especial, pois o preço da vitória só está crescendo dia a dia.”

https://www.dw.com/pt-br/r%C3%BAssia-inicia-nova-fase-da-guerra-no-leste-da-ucr%C3%A2nia/a-61514121

Não tem como não concordar com o analista russo. Até o momento não existem informações sobre a chegada de reforços russos à Ucrânia (mercenários ou tropas do Exército), ainda que exista a expectativa de que o Estado-Maior russo dê início a um novo rodizio entre as unidades empenhadas no front.

Do outro lado, existem informações confirmadas que elementos da inteligência norte-americana e britânica estão fornecendo dados de inteligência diretamente ao Estado-Maior ucraniano e que forças especiais (norte-americanas, britânicas, francesas e polonesas) estão atuando na linha de frente em combate direto contra os russos. O fluxo de voluntários e mercenários para o front se mantém constante, ainda que os números sejam ignorados.

Os ucranianos têm recebido e utilizado, amplamente, o material de origem soviética, fornecido pelos Estados Unidos e pelo Reino Unido, como também obuseiros norte-americanos M777, de 155 mm, e lançadores de mísseis britânicos Brimstone (que podem atacar alvos em terra e no mar) e drones de diversas origens, ampliaram as capacidades ucranianas. Ainda não se viu a chegada dos T-72 poloneses ao front. As baterias de mísseis S-300 recebidas estão sendo implantadas próximo às tropas na linha de frente, a fim de contestar a superioridade aérea russa.

As últimas operações podem ser resumidas assim. A ofensiva das forças russas vem de 8 direções:

  • Batalhas ferozes estão acontecendo em Belogorovka e Shepilovo;
  • As forças de Luhansk iniciaram um ataque a Privolye.
  • Da direção de Voevodovka, as forças aliadas (russos, Luhask e Donetsk) chegaram à linha do rio Borovaya;
  • Um ataque em grande escala em Severodonetsk começou, as forças aliadas estão avançando em três direções.
  • As batalhas por Orekhovo e Toshkovo continuam;
  • Uma ofensiva foi lançada de Popasnaya na direção de Kamyshevakhi.

Na fábrica de Azovstal, as forças aliadas russas ocuparam os territórios de empresas auxiliares ao longo de Kalmius.

A contra-ofensiva das Forças Armadas da Ucrânia no norte da região de Kharkiv e a artilharia e a aviação russa estão atacando duramente os ucranianos, que começaram a recuar.

As forças russas estão fortalecendo suas posições na ilha de Zmeiny para bloquear as rotas marítimas ucranianas. Além disso, os russo trouxeram um guindaste flutuante para a ilha  a fim de içar os barcos ucranianos afundados.

Em 13/5/22, o primeiro obuseiro M777A2 americano foi capturado em Donbass;

https://www.aereo.jor.br/2022/04/08/eslovaquia-transfere-sistemas-de-defesa-aerea-s-300-para-a-ucrania/

Provavelmente, a Ucrânia ainda tem 40% das suas forças da defesa aérea. São vinte divisões S300PT / PS (uma versão simplificada dos lançadores RPN + KP + 1-2), uma divisão S-300V1 e pouco menos de trinta sistemas de defesa aérea Buk-M1, MANPADS, “Tunguska” e outros. Uma imagem do espaço aéreo é fornecida por cerca de 30 radares de todas as faixas e dos aviões AWACS da OTAN do território da Romênia e da Polônia, além de aeronaves de reconhecimento e UAVs do Mar Negro para as baterias de mísseis ucranianas com as posições das forças russas e aliados. Uma das prioridades das Forças Aeroespaciais Russas (VKS) é detectar, localizar e destruir as baterias ucranianas S-300 e 9K37 BUK.

https://www.aereo.jor.br/2022/05/07/com-ajuda-do-ocidente-ucrania-colocou-cerca-de-vinte-mig-29-em-atividade/

A aviação ucraniana tem, provavelmente, 28 caças Su-27P/UB e MiG-29, que estão operacionais. Estas aeronaves estão atuando fora da zona de destruição dos sistemas de defesa aérea e caças russos, seu emprego se faz dentro da cobertura de seus sistemas de defesa aérea. Há cinco helicópteros Su-25 e 30 Mi-8 e Mi-24.
Há pouco mais de uma dúzia de drones Bayraktar. Todos os Su-24M/MR e SAM S-125M1 parecem ter sido destruídos. Quase todos os aeródromos ucranianos foram restaurados e estão prontos para o combate e a aviação está disponível. Deve-se notar que a Ucrânia usa tudo o que voa para garantir reconhecimento e transporte.

Cobrindo as posições das Forças Armadas da Ucrânia do MLRS “Grad” perto de “Artemovsk”.

Como observado anteriormente, após a captura de Popasna, além do ataque a Kamyshevakha para contornar a área fortificada de Zolote-Gorskoye, o exército de Luhasnk e as Forças Armadas da Federação Russa estão sondando a defesa das Forças Armadas da Ucrânia na direção Artemovsky. A própria Artemivsk é o centro da posição das Forças Armadas da Ucrânia no Donbass. A perda de Artemovsk pode causar o colapso de toda a frente no Donbass. Portanto, podemos esperar que o inimigo oponha resistência obstinada em Pokrovsky (leste de Artemovsk), tentando retardar o avanço de nossas tropas em Pilipchatino.

A frente de Donbass das Forças Armadas da Ucrânia está com fraturas. Kiev não conseguiu retirar forças significativas de Izyum, e eles próprios gastaram muito tempo e esforço em geral para a ofensiva estrategicamente inútil ao norte de Kharkov.

Um ponto esquecido pela mídia é o desvio, para o mercado negro, de parte dos carregamentos de armas fornecidos pela Otan para a Ucrânia. Os EUA têm cobrado dos ucranianos um controle maior sobre o material bélico fornecido, pois já existem notícias, ainda não confirmadas, da chegada de lotes de mísseis Stinger, Javelin, drones suicidas, fuzis automáticos, pistolas e outros tipos de armamento a grupos radicais, na África, no Oriente Médio e até mesmo na Europa.

Outra questão é que a entrada da Finlândia e da Suécia na Otan é o considerada pela Rússia o mesmo tipo de ameaça que a levou à “operação especial” na Ucrânia.
Abaixo uma imagem do alcance dos mísseis russos em Kaliningrado. A princípio, os russos afirmam que não têm armas nucleares implantadas no Báltico.

https://russianfleetanalysis.blogspot.com/2020/06/baltic-fleet-deployments-wk-242020.html

O envolvimento cada vez maior da Otan, em particular dos Estados Unidos e do Reino Unido Guerra na Ucrânia e diante da perspectiva do ingresso da Finlândia e da Suécia na Aliança Atlântica, está levando os analistas a especularem qual será a resposta russa a mais esse desafio da Otan.


Mestre e Doutor em História Comparada pelo Programa de Pós-Graduação em História Comparada (PPGHC) da UFRJ, professor-colaborador e do Programa de Pós-Graduação em História Militar Brasileira (PPGHMB – lato sensu), da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro/UNIRIO e Editor-chefe do site História Militar em Debate e da Revista Brasileira de História Militar. Website: https://historiamilitaremdebate.com.br

Fontes

- Advertisement -

87 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
87 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Luis Carlos
Luis Carlos
1 mês atrás

Esse texto ficou um pouquinho atrasado.
Hoje, os russos avançaram de Popasnaya em direção da Lisichiansk tomando Alexandropol e se aproximando de Vitorivka e da linha férrea que leva a Zolote.
Ao sul, tomaram o vilarejo de Niu-York e mais ao sul Neskuchne.
Esse último vilarejo é mais importante, porque fica entre dois grande grupos de defesa ucranianos e logo à frente da rodovia que liga Zaporizhzya a Donetsk.
Pessoal precisa pesquisar mais pelo Telegram que é muito mais ágil que as outras fontes.

observador
observador
Reply to  Luis Carlos
1 mês atrás

os russos acabaram de tomar New York

Jacinto
Jacinto
Reply to  observador
1 mês atrás

Well there are certain sections of New York, Major, that I wouldn’t advise you to invade.” Blaine, Rick

pangloss
pangloss
Reply to  observador
1 mês atrás

Eles também já controlam a UFRJ, a Uerj e a Praça São Salvador, aqui no Rio de Janeiro. Mas isso já faz tempo, não é novidade para ninguém.

Jagdverband#44
Jagdverband#44
Reply to  pangloss
1 mês atrás

Fora as repartições públicas…

Mafix
Mafix
Reply to  Luis Carlos
1 mês atrás

Não faz duas semanas que tomaram esse vilarejo chamado new york ?

Então eles tomaram perderam e retomaram hoje ?

Diogo de Araujo
Reply to  Luis Carlos
1 mês atrás

Vc já assistiu o filme “Antônio reis contra-ataca”?

George
George
Reply to  Luis Carlos
1 mês atrás

Meu filho. Todos os dias você anuncia avanço russo. Se eu fosse acreditar em você os russos já estariam em Lisboa.

Bosco
Bosco
Reply to  George
1 mês atrás

As duas questões que só Tonho tem a resposta mas ele as omite:

  • quando o comboio chega;
  • quando a CN vai se tornar comunista.

???????????????????????????????????????????????????????

Felipe
1 mês atrás

Tem uma errata grande aí…aquele monte de veículo destruído no rio, a maioria era Ucraniana. Desvendaram: https://rwasamizdat.substack.com/p/what-really-happened-at-the-seversky?s=r

Luis Carlos
Luis Carlos
Reply to  Felipe
1 mês atrás

Tem vários vídeos dos russos bombardeando pontões e ambas as margens desse rio que os ucranianos tentaram atravessar.
No post anterior eu publiquei um desses vídeos.

George
George
Reply to  Luis Carlos
1 mês atrás

Não, pera. Mas você disse que o avanço era russo. Então são os ucranianos que estão avançando? Seja mais claro, por favor.

Marialva
Marialva
Reply to  Felipe
1 mês atrás

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Luis Carlos
Luis Carlos
Reply to  Marialva
1 mês atrás

Toma aí, Marialva.
Russos destruindo pontão no Severodonets.
Ninguem sabe o que é o que.
Só sabemos que os ucros são os reis da mídia e fake news.

https://t.me/intelslava/28842

dfa
dfa
Reply to  Felipe
1 mês atrás

Cara… Você recebe dinheiro da Rússia pelas mentiras que escreve ou isso é torcida de quem está desesperado?

sub urbano
sub urbano
Reply to  Felipe
1 mês atrás

Tava na cara que era fake mesmo, só quem era muito neneco acreditou kkk. Ate pela disposição dos veiculos pareciam mesmo ter sido guinchados. Agora, esse tipo de analise (muito bem feita por sinal) merecia ser publicada pela Trilogia.

Silent Eagle
Silent Eagle
Reply to  Felipe
1 mês atrás

Ucraniano ?? não aceita que tem ZZZZZZZZZZZ ta precisando de óculos em, historia pra boi dormi e vem da onde fonte russa kkkkkkkk. Ohh sherlock holmes, vcs tão perdendo um recruta doido pra ajudar vcs a operação. manda esse Brasileiro lutar por ai que ele ta doido pra ajudar kkkkk.

ZzzzZ.jpg
paulotd
paulotd
Reply to  Felipe
1 mês atrás

Rapaz li a matéria e realmente faz total sentido. A maioria ali é Bmp-1 que o exército Russo não usa mais, mas o DPR e LPR usam alguns e a Ucrânia tem vários. Tem dois caminhões Kramaz destruídos do outro lado do Rio, caminhões Ucranianos. Lá atrás um T-72 dos primeiros modelos, sem blindagem reativa que a Rússia não usa, só o modelo B3. Aí tem uns 2-3 BTR do modelo Russo mas eles estão isolados, então podem ser unidades de reconhecimento que foram destruídas Ou seja, tá com toda cara de serem na maioria equipamentos Ucranianos destruídos por artilharia.

Severiano Osteich
Severiano Osteich
Reply to  paulotd
1 mês atrás

Fonte: Capitão Vladimir Mentirov editor chefe do Privada News

Alecs
Alecs
Reply to  Felipe
1 mês atrás

Mais sputinisse!

George
George
Reply to  Felipe
1 mês atrás

É claro. É claro ( já tomou seu remédio hoje?)

mac
mac
Reply to  Felipe
1 mês atrás

https://www.cmjornal.pt/mais-cm/especiais/guerra-na-ucrania/detalhe/governo-britanico-alerta-para-atividade-pro-russa-de-desinformacao-na-internet Um trecho: “A Rússia está a desenvolver uma “guerra de desinformação” a partir de uma antiga fábrica de São Petersburgo, visando atingir líderes ocidentais e a retransmitir propaganda do Kremlin sobre a Ucrânia, alertou este domingo o governo britânico. Num relatório, encomendado pelo governo britânico e cujos autores não foram identificados por razões de segurança, mostra-se como “o Kremlin a divulgar mentiras nas redes sociais e nos comentários de ‘sites’ com grande audiência”. Um comunicado a propósito do relatório adianta que esta campanha de desinformação russa “é projetada para manipular a opinião pública internacional sobre a guerra russa na… Read more »

Last edited 1 mês atrás by mac
Nilo
Nilo
1 mês atrás

Os britânicos têm estimulado a liderança ucraniana atacar alvos no território russo, especialmente, em Belgorod. Os Britanicos cada dia a mais se envolvendo no conflito.

Luis Carlos
Luis Carlos
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Verdade.
A enorme quantidade de NLAWs que os russos estão apreendendo na Ucrânia mostra isso.
Figurinha fácil nas centenas de fotos de apreensões.
Em segundo lugar nas ‘paradas de sucesso’ está o Javelin.

Nilo
Nilo
Reply to  Luis Carlos
1 mês atrás

Está sendo relatado pelos oficiais ucranianos capturados que Oficiais da atual reserva da Grã-Bretanha participam da gestão das forças armadas ucranianas na linha de frente. Dizem: “Eles trabalham constantemente perto da linha de frente, visitam postos de comando nas áreas mais perigosas, fazem ajustes nas ações do comando das Forças Armadas da Ucrânia”, dizem os ucranianos capturados. Em Zaporozhye, do final de abril a 6 de maio, esses oficiais se deslocaram constantemente de um posto de comando para outro, não muito longe da linha de frente, de Zagradovka, no local do 60º batalhão de infantaria separado da reserva de comando… Read more »

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Quando você começa a conversar com você mesmo..

Velho eu n sei se dou risada ou chamo o SAMU

mac
mac
Reply to  Luis Carlos
1 mês atrás

É verdade, os russos estão ficando com todos.
Eles estão usando a seguinte armadilha para capturar os mísseis anti-tanques: colocam colunas de dezenas de tanques para atraí-los. Os Javelins vêm literalmente voando…

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Nilo
1 mês atrás

E qual o problema disto ? A Rússia, quem começou a guerra..

Os ucranianos pedem e aceitam ajuda de quem bem quiserem.

Marcos10
Marcos10
1 mês atrás

Soldados russos que estão em fase de rodizio não querem mais voltar ao front.
Em algumas áreas de combate, soldados russos pré-selecionados tem ficado na retaguarda, na tentativa de impedir que os que estão combatendo recuem.
Aja soldado russo para servir de bucha de canhão para servir uma classe parasitária.

Luis Carlos
Luis Carlos
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

Conta outra. Nas fotos abaixo, o antes e o depois do 2º Batalhão Separado de Assalto da Ucrânia destroçado em Lyman. E olha os buracos que eles chamam de fortificação, de novo ocupado pelos russos. Hoje estava assistindo um vídeo do Asia Times (acho que era isso) dizendo que a tática ucraniana de resistir e não recuar ou se render parecia a usada pela Alemanha e Japão na 2ª G.M. Só causou mais mortes entre eles e não impediu a derrota. A Ucrânia está imolando toda uma geração sua em uma guerra que não tem a mínima chance de vencer.… Read more »

Sagaz
Sagaz
Reply to  Luis Carlos
1 mês atrás

É o tipo de gente que exalta a carnificina de Stalin para segurar stalingrado, mas crítica uma nação que luta contra uma invasão.

Luis Carlos
Luis Carlos
1 mês atrás

Com o avanço russo e a possibilidade de cerco de algumas regiões como (Severodonetsk/Lisichiansk, Kramatorsk/Slaviansk, região de Lyman e região de Adviika), mais soldados russos estão chegando a Donbass.
No caso, são os temíveis chechenos.
Está comum ouvir os gritos ‘Allahu Akbar’ em plena Europa Central.

https://www.youtube.com/watch?v=8OTAYpcmll4

Oseias
Oseias
Reply to  Luis Carlos
1 mês atrás

só restou os chechenos mesmo, porque os soldados russos regulares estão com zero motivação.

Jacinto
Jacinto
Reply to  Luis Carlos
1 mês atrás

Ucrânia não é Europa Central….

dfa
dfa
Reply to  Luis Carlos
1 mês atrás

A Ucrânia fica na Europa de Leste Kings…
Em relação aos “temíveis” Chechenos os Ucranianos já os apelidaram de batalhão “Tik-Tok”.
Ao que parece muito do que fazem é propaganda e pouca ação (excepto roubos)
Espertos são eles, que não querem ser bucha de canhão por uma federação russa que matou milhares e milhares de chechenos…

dfa
dfa
Reply to  Luis Carlos
1 mês atrás

Kings a Ucrânia é na Europa de Leste.

E os Chechenos “Batalhão Tik-Tok” são mais especialistas em roubar tratores e fazer vídeos de propaganda do que combater.

Mas eu percebo o papel que eles(chechenos)fazem.
É tudo para consumo interno e em nome de uma falsa lealdade a Moscovo.
Eu também não queria ser bucha de canhão ao serviço de um regime que matou milhares e milhares de chechenos.

Luis Carlos
Luis Carlos
1 mês atrás

A análise é bastante interessante e muito do ali informado tem no excelente blog do ‘Colonel Cassad’, um dos melhores na análise da guerra e situações relacionadas.

Luis Carlos
Luis Carlos
1 mês atrás

Russos estão atacando Zolote.
Essa cidade está com a posição defensiva totalmente debilitada pelo avanço russo.
Notícias de agora é que os russos estão entrando em Azovstal também.

Thiago
Thiago
1 mês atrás

Impressionante é a quantidade de trincheiras, buracos e afins que os ucranianos cavaram por todo lugar na Ucrânia.
Levaram oito anos fazendo isso.
Toda filmagem que os russos fazem depois que tomam um local tem deles.
E muito armamento abandonado.
Vai ter que ter uma ‘Operação Tapa-Buracos’ quando a guerra acabar.

observador
observador
1 mês atrás

Fico perplexo, mais de 80 dias e o melhor exército do mundo não consegue derrotar o país mais pobre da Europa

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  observador
1 mês atrás

Olha um bot novo, seja mais criativo.

O Chato
O Chato
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

Acusar os outros do que é é feio.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

Qual a mentira do BOT ?!

Alecs
Alecs
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

Nos chamam de “bot” por falta de argumento. Mas no fundo seria melhor ser um “bot” do que um alienado de dois neurônios como vocês putinetes.

Andre
Andre
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

Cansou de usar “atlantismo”?

Luis Carlos
Luis Carlos
Reply to  observador
1 mês atrás

Será porque são 150 mil russos contra 600 mil ucranianos?
E pelo avanço russo parece ser mais que suficiente.
De resto, pode sentar no meio fio e chorar porque a Rússia chegou para ficar.

Andre
Andre
Reply to  Luis Carlos
1 mês atrás

Muito impressionante mesmo o avanço para trás russo. Depois de utilizado com enorme sucesso em kiev e sumy, estão utilizando em kharkiv.

Essa tática russa está pegando todos de surpresa. Bem, todos não né? As putinzetes já sabiam e estão muito felizes.

A NOM vem ai, deixa só a Ucrânia cair para ver. Será de Lisboa até Yongmingcheng.

Pablo Maroka
Pablo Maroka
Reply to  Luis Carlos
1 mês atrás

Sim para ficar falida e ficar sem estoque de armamento dos anos 70.

Caerthal
Caerthal
Reply to  observador
1 mês atrás

Eu não se se é o melhor exército do mundo, a gente nunca tem essas informações atualizadas. Mas sabemos que é um exército poderoso e capaz.

Não há por que subestimá-los.

JuggerBR
JuggerBR
1 mês atrás

É uma linha de combate muito extensa, em cada trecho há avanços e recuos de parte a parte. A chave pra uma vitória é cortar as linhas de suprimento, sem isso, seguirá a guerra de atrito por muito tempo…

paulotd
paulotd
1 mês atrás

Concordo no ponto de que a Rússia tá economizando demais em tropas. Atualmente tem algo em torno de 150 mil mobilizados + 50 mil entre Chechênos, LPR e DPR. Isso é pouco, pois as forças regulares Ucranianas estão na ordem de 500-600 mil só nessa frente leste.

Mas mesmo com essa inferioridade numérica estão tomando território. Basta Putin parar de escutar burocratas como Shoigu e escutar os soldados Com 400 mil eles vão tomar todo Donbass.

Last edited 1 mês atrás by paulotd
Jacinto
Jacinto
Reply to  paulotd
1 mês atrás

Estão tomando território ou enfiando a cabeça em uma forca? Veja o que Anibal fez com os romanos em Canas.

Marialva
Marialva
Reply to  paulotd
1 mês atrás

Pois, mas o “problema” é que o generalato já percebeu que está tudo doido e não está virado, para enviar mais “carne para canhão” …

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  paulotd
1 mês atrás

Discordo, a Rússia está poupando demais suas bombas, mísseis e aviões, coisa que os EUA jamais pensariam duas vezes em usar, talvez guardando seus estoques para uma possível intervenção direta da OTAN. A Ucrânia ainda operar caças é simplesmente ridículo, onde estão os AWACS russos que não descobrem de onde partem esses aviões e mandam uma chuva de Kalibrs e Iskanders em suas bases? Por que ainda tem eletricidade, água, combustível, comida, etc, nas cidades ucranianas? Tudo isso é usado pelos civis, mas também pelo esforço de guerra, corte todos eles e não haverão mais ucranianos querendo se alistar, capaz… Read more »

Andre
Andre
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

Onde estão os awacs russos? E os kalibrs e iskanders? Cade a coluna de blindados indo em direção a kiev? Como as tropas que ocupavam sumy desapareceram? Prq o armata só aparece em desfiles? Quem matou odete roitman?

Marialva
Marialva
1 mês atrás

” Há pouco mais de uma dúzia de drones Bayraktar … ” melhor anedota do dia !!! Pelo que se sabe, a Turquia já terá entregue cerca de 60 TB 2 à Ucrânia, e as entregas ainda vão continuar como o Turquia informou publicamente …

Marialva
Marialva
1 mês atrás

Não sei o que os ucranianos estarão a preparar a Oeste do Dniepr, mas eu sei muito bem o que faria. Todas as forças russas nessa localização estão a prazo …

Mafix
Mafix
1 mês atrás

Olha a quantidade de ORCS se rendendo , o incrivel é notar a idade avançada desses ‘soldados’ ….
Segue o video > https://twitter.com/WarAgainstPutin/status/1525533438383517696

Luis Carlos
Luis Carlos
Reply to  Mafix
1 mês atrás

Pegue um monte de ucranianos, coloque uma fita branca do braço e….. pronto.
Viraram prisioneiros russos.

Wellington Jr
Wellington Jr
1 mês atrás

Off Topic mas nem tanto:

Alguém poderia confirmar se essa matéria da Veja é verdadeira ou só mais uma campanha eleitoral. Caso se confirme que houve esse contato o governo Brasileiro estaria não assumindo Neutralidade, mas posição pois não adota nenhum tom duro em seu discurso e segue bajulando o governo Russo. Para piorar talvez esse contrato pudesse salvar a Avibras já que do MD não vemos nenhuma posição que pudesse ajudar a empresa. Espero muito que seja uma notícia politiqueira, pois se for verdade será decepcionante ver a pequenes do nosso governo.

https://veja.abril.com.br/coluna/radar/a-resposta-do-governo-bolsonaro-a-um-pedido-de-armas-da-ucrania/amp/

Maurício.
Maurício.
1 mês atrás

Quantos blindados russos juntos e destruídos! Que carnificina!

Felipe
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

A maior parte é ucraniana

George
George
Reply to  Felipe
1 mês atrás

E eu me chamo Edson Arantes do Nascimento.

George
George
1 mês atrás

Se você disse isso então ele é tendencioso.

Manuel Flavio Vieira
1 mês atrás

O Exército russo é um Exército venezuelano tamanho G com bomba atômica. Mas continua sendo um Exército venezuelano…

JagdVerband#44
JagdVerband#44
Reply to  Manuel Flavio Vieira
1 mês atrás

Sim. Só reflete a sociedade russa.

Pablo Maroka
Pablo Maroka
Reply to  Manuel Flavio Vieira
1 mês atrás

é a venezuela fria, sempre falei isso.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
1 mês atrás

São 3 dias com a margem de erro de 77.

Guilherme Lins
Guilherme Lins
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 mês atrás

Kkkkkkkkk

JORENE
JORENE
1 mês atrás

Depois de ler esse arrazoado percebe-se: contra-ataque ucraniano faz os orcs recuarem para a fronteira em Kharkov. Já existe guerrilheiros ucranianos agindo na região de Kherson dominada pelos russos. Contra-ataque ucraniano em direção a Kherson é positivo. Tentativa russa de atravessar o rio Dnipro fracassa com grande derrota. Conquistas de cidades ucranianas pelos orcs são metódicas e lentas a custo altíssimo. Então continua valendo: russos avançam com lentidão graças a força bruta de seus massivos bombardeios destruindo tudo a frente. Já os ucranianos agem de forma pontual, com ataques cirúrgicos causando grandes baixas aos invasores-saqueadores. É um ganha-perde no momento… Read more »

JORENE
JORENE
Reply to  JORENE
1 mês atrás

ERRATA: onde se lê rio Dnipro leia-se rio Seversky Donets. rsrsrs

sub urbano
sub urbano
1 mês atrás

Zelensky ontem reclamou que a Ucrania não pode aceitar a perda de parte do seu território para a Russia. Com certeza está sendo pressionado pelo ocidente a assinar um acordo entregando Donbass e o sudeste ucraniano para os russos e sobrevivendo politicamente debaixo do guarda chuvas de fake news que o ocidente montou. Basicamente a midia massificada afirma que a Ucrania ganhou a guerra ao mesmo tempo que Zelensky entrega uma região maior que o Uruguai à Russia. Por outro lado para pressionar os russos Usar a finllandia é uma estrategia ousada e perigosa, a Russia pode atacar alvos militares… Read more »

Last edited 1 mês atrás by sub urbano
Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

Coloque uma coisa na sua cabeça: a Rússia não têm homens o bastante para abrir um novo front. Se a Rússia tentasse invadir a Finlândia, era capaz do país recuperar os territórios perdidos após a 2GM.

Andre
Andre
Reply to  Bruno Vinícius
1 mês atrás

Poder atacar a Finlândia com armas nucleares táticas, pode. Mas seria atacar a união européia com armas nucleares táticas, e se não fizer logo, será atacar a Otan.

Poder, pode, mas não é idiota a esse ponto. Não está dando conta nem da Ucrânia…

Carlos Alceu Gonzaga
Carlos Alceu Gonzaga
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

Realmente vc continua sub inteligente. Vc acha mesmo que a Rússia usaria armas nucleares, mesmo táticas, em uma operação ofensiva? Aí sim o mundo iria contra ele. Ela só usará esse tipo de arma de forma defensiva, como último recurso. Podem ser burros e teimosos mas não são idiotas suicidas.

mac
mac
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

As vozes da cabeça do sub umano são demais!

Thiago Santos
Thiago Santos
1 mês atrás

“Um ponto esquecido pela mídia é o desvio, para o mercado negro, de parte dos carregamentos de armas fornecidos pela Otan para a Ucrânia. Os EUA têm cobrado dos ucranianos um controle maior sobre o material bélico fornecido, pois já existem notícias, ainda não confirmadas, da chegada de lotes de mísseis Stinger, Javelin, drones suicidas, fuzis automáticos, pistolas e outros tipos de armamento a grupos radicais, na África, no Oriente Médio e até mesmo na Europa.”

Se isso aqui é verdade a Ucrânia tá de sacanagem, como é que eles deixam isso acontecer.

Severiano Osteich
Severiano Osteich
Reply to  Thiago Santos
1 mês atrás

Mais um ótimo artifício para desviar a atenção do fiasco que está se tornando a Operação Militar Especial para desarmar e desnazificar a Ucrânia. Malditos yankes e atlanticistas malvados

T.H
T.H
1 mês atrás

“Especialistas asseguram que as próprias Forças Armadas da Ucrânia serão forçadas a recuar de Kharkov para o oeste, quando suas defesas no Donbass entrarem em colapso.”

“A própria Artemivsk é o centro da posição das Forças Armadas da Ucrânia no Donbass. A perda de Artemovsk pode causar o colapso de toda a frente no Donbass.”

Kornet
Kornet
1 mês atrás

“Um ponto esquecido pela mídia é o desvio, para o mercado negro, de parte dos carregamentos de armas fornecidos pela Otan para a Ucrânia. Os EUA têm cobrado dos ucranianos um controle maior sobre o material bélico fornecido, pois já existem notícias, ainda não confirmadas, da chegada de lotes de mísseis Stinger, Javelin, drones suicidas, fuzis automáticos, pistolas e outros tipos de armamento a grupos radicais, na África, no Oriente Médio e até mesmo na Europa.” O ceguismo de alguns ,pq vc não pode falar mal da Ucrânia e do Zé Lensquisse,chega a ser risível. A Ucrânia é um dos… Read more »

Grifon
Grifon
Reply to  Kornet
1 mês atrás

Eles deveriam publicar também que tropas mercenárias ucranianas reclamam de ”abandono”, de condições precárias, e estão deixando a Ucrânia, e que oficiais militares ucranianos já deixaram o país. Eles deveriam publicar os dois lados, mas a trilogia como ”torce” pela Ucrânia, só publica matérias relacionadas às baixas russas e não da Ucrânia.
A Ucrânia já está tão desestabilizada e desestruturada, que ela já é uma nulidade militar, e ainda tem gente que acha que a Ucrânia vai ”derrubar” a Rússia kkkkkk

Kornet
Kornet
Reply to  Kornet
1 mês atrás

Tô dizendo,eh ceguismo miserável, rs.

Jacinto
Jacinto
Reply to  Kornet
1 mês atrás

Cegueira é não ver que isso já acontece há muito tempo com equipamentos russos. O Hezbollah usa misseis Kornets, de fabricação russa, embora a Rússia não tenha vendido este mísseis a eles; em 2015 traficantes de drogas mexicanos derrubaram um EC 725 Caracal da Força Aérea Mexicana (sim, os mesmos que temos no Brasil) com RPG´s 7 e 27, de fabricação russa.

Grifon
Grifon
1 mês atrás

A torcida pela Ucrânia aqui está a todo vapor rsrs

naval762
naval762
1 mês atrás

Esse professor da federal deve ser outro nick do Kings.

Mercenário
Mercenário
1 mês atrás

Cogitei para de ler em “provavelmente forças especiais da OTAN”.

Uma ideia baseada simplesmente em suposição.

Se nesta altura da guerra membros das forças da OTAN estivessem participando dos combates os russos já teriam alertado.

E mercenários existem dos dois lados, vide sírios e wagner group ao lado dos russos.

mac
mac
1 mês atrás

Um artigo tão tendencioso que já soa como má-fé, com o artigo do “professor” usando os gráficos do ISW mas com uma avaliação completamente distorcida. Cuidado com os especialistas escolhidos pelo site. Credibilidade demora para conquistar, mas se perde rapidinho… Vejam a tradução de um trecho da postagem da página: “AVALIAÇÃO DA CAMPANHA OFENSIVA RUSSA – 15 DE MAIO DE 2022 As forças russas provavelmente abandonaram o objetivo de completar um cerco em larga escala de unidades ucranianas da cidade de Donetsk a Izyum em favor de completar a apreensão de Luhansk Oblast.  O chefe da administração do Oblast de… Read more »

Last edited 1 mês atrás by mac

Últimas Notícias

Svatovo, primeiro alvo do HIMARS?

A mídia ucraniana tem divulgado vídeos e imagens de uma suposta explosão nas proximidades da cidade ucraniana de Svatovo,...
- Advertisement -
- Advertisement -