sábado, junho 25, 2022

Saab RBS 70NG

Dois gráficos para pensar sobre poder econômico e poder militar

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O livro The Strategy of Denial American Defense in an Age of Great Power Conflict de Elbridge A. Colby traz muita informação e gráficos interessantes para explicar a estratégia dos EUA para manter sua hegemonia diante do crescimento econômico e militar da China.

Selecionamos os dois gráficos abaixo que mostram a distribuição do poder econômico e dos gastos militares dos principais países para comparação.

Distribuição global do poder econômico. Os círculos proporcionais representam o PIB nacional em trilhões de dólares, nas taxas de PPC de 2018. Economias acima de US$ 1 trilhão são rotuladas com o valor total do PIB. As linhas descrevem as rotas de voo direto das principais rotas aéreas globais de longa distância.

Gastos globais com defesa. Os círculos proporcionais representam os gastos com defesa em 2019, de acordo com o banco de dados do SIPRI. Valores listados em bilhões para países com gastos de defesa acima de US$ 20 bilhões.

- Advertisement -

74 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
74 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Pablo Maroka
Pablo Maroka
24 dias atrás

O desafio mais próximo para os EUA, a China mas ainda não atingiu metade dos gastos nessa imagem.

Trump apesar dos pesares, foi o primeiro a ver o real desafio ao invés de ficar usando espantalho carcomido da guerra fria.

Luis Carlos
Luis Carlos
Reply to  Pablo Maroka
24 dias atrás

O problema é que o primeiro gráfico já mostra o PIB chinês maior que o dos EUA.
E isso em 2018.
Agora a diferença é maior.
Desse modo, os EUA têm gasto maior com um PIB menor que o da China.
Houston! We have a problem.

Josebaldo
Josebaldo
Reply to  Luis Carlos
24 dias atrás

Qualidade x quantidade e dependência econômica

alemao drews
alemao drews
Reply to  Luis Carlos
23 dias atrás

sim. pode significar um desequilibrio entre gastos e arrecadacao, movimento tipoco de naçoes em crise. China, por outro lado, com medidas bem estranhas como desacelerar crescimento deve ter estabelecido proporcoes de gastos vinculadas ao crescimento economico, como sovieticos faziam no inicio de seu regime.

Munhoz
Munhoz
24 dias atrás

Se analisar o gasto militar em PPC a Rússia gasta mais de 200 bilhões!
Fora que o gasto russo não conta folha de pagamento e pensão como o do Brasil!

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Munhoz
24 dias atrás

Não faz sentido, não é tão simples assim . Com o PPC o Brasil gastaria praticamente 50 bilhões . A Índia estaria na casa dos 200 bilhões. A RPC praticamente 400 bilhões ( a única que realmente poderia ser crível ) . A Turquia 60 bilhões, apenas com o que é de conhecimento público, sabe-se que países como Turquia e Egito, por exemplo, possuem recursos extras e pouco transparentes . Sabemos que não é tão linear. Para um país que precisa importar boa parte desses equipamentos, ou maquinários e componentes para manter a própria produção o PPC tem pouca ou… Read more »

Luís Henrique
Reply to  Thiago A.
24 dias atrás

Na Rússia e China o PPC chega muito mais próximo da realidade porque estes 2 países compram quase a totalidade de seus equipamentos militares em moeda local. A Rússia não compra caças europeus Rafale, Eurofighter, nem blindados ou fragatas americanas. Um Su-57 custa menos de U$ 40 mi para a Rússia. Esse é o ponto. O que nao faz sentido é utilizar o orçamento em dólar americano convertido, como se explica o poder militar russo várias vezes maior que qualquer país europeu, gastando quase a mesma coisa que a Alemanha, Reino Unido e França? A explicação para a disparidade de… Read more »

Luis Carlos
Luis Carlos
Reply to  Luís Henrique
24 dias atrás

Luiz Henrique.

Exatamente.

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Luís Henrique
24 dias atrás

Luis, já foi debatida aqui, pouco tempo atrás, essa questão. Dóis colegas( o “Rayan” e o “Zé”) fizeram ótimos comentários . Lembra da “maior fábrica de blindados do mundo”, a Uralvagonzavod, quase paralisada e fortemente atingida pelas sanções? A Federação Russa herdou escritórios com excelente capacidade de projetar. A capacidade de produção é outra história. A cadeia produtiva russa importava maquinários, peças e componentes ocidentais essenciais para manter vivos esses projetos. Me diz um projeto, moderno/novo que tenha grandes números de produção, comparaveis aos EUA ou a RPC …O SU-57, qual a cadência e os números do pedido ? A… Read more »

Luís Henrique
Reply to  Thiago A.
23 dias atrás

Caro Thiago, a Rússia não mantém o ritmo de produção americano porque a diferença de dinheiro é grande, mesmo considerando a paridade do poder de compra. O orçamento militar russo aumenta de cerca de U$ 60 bi para U$ 180 bi com PPC, não chega perto dos mais de U$ 700 bi do Pentágono. Agora compare com Reino Unido e verá que não faz sentido. É quase o mesmo dinheiro mas a Rússia sustenta uma força militar com mais de 1 Milhão de homens vs menos de 200 mil no Reino Unido e muito mais equipamentos. E não são apenas… Read more »

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Luís Henrique
24 dias atrás

“A Rússia não compra caças europeus Rafale, Eurofighter, nem blindados ou fragatas americanas.”

Estava começando a fazê-lo, justamente por essas dificuldades e defasagem na cadeia produtiva. O processo sofreu uma interrupção pelas sanções após a anexação da Criméia. Lembre-se dos Lince e dos Mistral que foram para o Egito.

Luís Henrique
Reply to  Thiago A.
23 dias atrás

Mesmo com esses exemplos a Rússia manteria 99% dos seus equipamentos comprados em Rublos.

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Luís Henrique
24 dias atrás

“Um Su-57 custa menos de U$ 40 mi para a Rússia. Esse é o ponto.”

Os americanos alegavam que o F-35 custasse 80 milhões de dólares, depois soubemos que era valor da célula sem o motor.

Com preços e produção tão competitivas os russos seriam a nova RPC . Não me parece a realidade.

Luís Henrique
Reply to  Thiago A.
23 dias atrás

É só pesquisar. Na verdade não tem nada de nova RPC, a Rússia possui equipamentos militares mais baratos que os chineses. A discrepância no câmbio é maior para o Rublo russo do que para a moeda chinesa. E a mão-de-obra chinesa já ganha mais que a russa.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Luís Henrique
23 dias atrás

Porque muito do poder russo é herança da Guerra Fria. Porque, por exemplo, os russos não tem uma logística como a ocidental (vide pneus de 60 anos e rações da URSS).

Nascimento
Nascimento
Reply to  Agnelo
23 dias atrás

A maioria dos equipamentos americanos também é da Guerra Fria. Do EB então…

Luís Henrique
Reply to  Agnelo
23 dias atrás

Caro Agnelo, existe sim uma boa parte da frota composta por equipamentos antigos, mas mesmo considerando os equipamentos novos, a Rússia comprou muito mais que qualquer país europeu que possui orçamento parecido com o dela. E ainda mantém uma força muito maior com mais de 1 milhão de homens e mantém uma frota de equipamentos muito maior que também consome dinheiro para operações e manutenções, e tudo isso com um orçamento similar? É óbvio que isso é conseguido devido à diferença do poder de compra da moeda.

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Munhoz
24 dias atrás

“Fora que o gasto russo não conta folha de pagamento e pensão como o do Brasil!”

Sobre essa sua afirmação não tenho conhecimento, seria legal você indicar algumas fontes.

Henrique
Henrique
Reply to  Thiago A.
23 dias atrás

Caro Thiago, nesse ponto o Munhoz está certo. Nosso orçamento não diferencia verbas de custeio de investimentos em materiais e tecnologia e esse é o grande gargalo nosso. A partir do momento que houver uma reforma e isso for separado, teremos uma estratégia ou visão melhorada dos investimentos militares. Não é porque se gasta muito em pessoal até porque um país continental como o Brasil tem em torno de 300 mil efetivos, comparado com Reino Unido +/- 260 mil ou com a Coreia do Sul que tem mais de 500 mil, como exemplos, não é um efetivo grande que consiga… Read more »

Digo
Digo
Reply to  Munhoz
23 dias atrás

Mesma coisa com a China, se levar em conta o PPC e outras questões como gastos com pessoal, o gasto da PLA é quase igual ao das forças americanas.

Mauro S
Mauro S
24 dias atrás

O segundo gráfico aponta que O brasil gasta praticamente o mesmo que a Austrália em defesa. Quem é mais efetivo nesse quesito usando o mesmo orçamento?

YuriBfr
YuriBfr
Reply to  Mauro S
24 dias atrás

A questão é saber se os outros contabilizam folha de pagamento como gasto militar, tirando isso nem sei se iríamos aparecer nesse gráfico.

Luís Henrique
Reply to  YuriBfr
24 dias atrás

Folha de pagamento de ativos sim, todos eu creio. Mas folha de pagamento de Inativos (aposentados e pensionistas) não. Eu creio que a grande maioria não contabiliza o grosso dos aposentados. Até consta alguns gastos como pensões militares, mas é mais devido a militares que tiveram sequelas em conflitos, perderam as pernas, etc. E em alguns casos como complemento. Mas na maioria dos países os militares contribuem para uma previdência fora do orçamento como o nosso INSS ou Social Security. E isso realmente deturpa completamente a nossa realidade porque dos U$ 27 bi, simplesmente a METADE do nosso orçamento é… Read more »

Milton Amaral
Reply to  Luís Henrique
23 dias atrás

Nos EUA, as unidades militares estão grupadas, como no temo dos “fortes”.Uma Grande Unidade, como uma Divisão, fica toda em uma mesma cidade e dentro de um grande aquartelamento.Os militares vivem neste grupamento, juntamente com suas famílias e dependentes. Aqueles que resolverem morar fora, recebem um auxílio moradia para pagarem o aluguel de um imóvel. Estive um em “forte” nos EUA, fazendo um curso. Também conheço a Guyana Defense Force, onde os militares servem como Alistados, sob um contrato de 18 anos. Os oficiais são de carreira, formados em países como Brasil, Inglaterra, Coréia do Norte, Tailândia e Rússia e… Read more »

India-Mike
India-Mike
Reply to  Luís Henrique
23 dias atrás

Se no nosso orçamento militar tem o custo dos inativos tb tem a receita das contribuições feitas pelos militares da ativa, que são descontadas mensalmente de seus soldos para esse fim.

Se a conta não fecha é responsabilidade dos administradores militares.

Luis Carlos
Luis Carlos
Reply to  YuriBfr
24 dias atrás

Os EUA certamente contabilizam.
Inclusive despesas médicas e de assistência com milhares e milhares de veteranos e manutenção de bases militares .
Já li que a China é o País que mais gasta investindo em novos equipamentos.

Luís Henrique
Reply to  Luis Carlos
24 dias atrás

Não. Os EUA vão gastar U$ 301 Bilhões no department of Veterans Affairs em 2023.
Isso está fora dos mais de 700 bi do orçamento militar e esse departamento cobre pagamentos de pensões, gastos com saúde dos militares, entre outros.

Sem falar do social security que também pode pagar aposentadorias…fora o que eles gastam no departamento de energia atomica que cobre despesas com armas nucleares e também esta fora do orçamento militar. Se somar tudo passa fácil de U$ 1 tri.

Anônimo
Anônimo
Reply to  Luís Henrique
23 dias atrás

EUA gasta bem mais de 1 trilhão em defesa, os 700 bi é só com o efetivo de combate. A dezenas de anos que tem disparado o maior orçamento militar. Para a China alcançar teria que investir muito mais e que eles e torcer para os americanos não aumentarem, aí sim em poucas décadas poderia igualar.

Luis Carlos
Luis Carlos
Reply to  Luís Henrique
23 dias atrás

Reveja seus conceitos.
Os gastos são unificados.
E os gastos com pessoal e manutenção estão em um orçamento só.

‘A aquisição de armamento de fabricação nacional é a principal explicação para o aumento do orçamento de Defesa dos EUA. Com um Exército de quase 1,4 milhão de homens e mulheres, uma ligeira alta salarial também repercutiu no custo anual. A maior potência mundial mantém mais de 800 bases militares no exterior, distribuídas por mais de 40 países aliados.’

https://brasil.elpais.com/brasil/2019/04/28/internacional/1556487884_515159.html

Agnelo
Agnelo
Reply to  Luís Henrique
23 dias atrás

E nos EUA ainda há os gastos estaduais com as Guardas Nacionais e Guardas Aéreas Nacionais que fazem parte indissociável do poder militar terrestre e aéreo.

Palpiteiro
Palpiteiro
Reply to  YuriBfr
23 dias atrás

Se passarmos metade do efetivo para o inimigo seria suficiente para quebra-lo?

Luís Henrique
Reply to  Mauro S
24 dias atrás

A Austrália já está gastando cerca de U$ 36 bi e o Brasil cerca de U$ 18 bi. Quando o Real estava mais valorizado em relação ao dólar chegamos em U$ 27, mas lembrando que Metade desse valor vai para aposentados e pensionistas, portanto não da para comparar o dinheiro que sobra para aquisições. Do ponto de vista de aquisições de equipamentos militares a Austrália está bem melhor que o Brasil em todos os ramos das forças armadas. No entanto existe um componente importante que estamos muito à frente, número de soldados e reserva. A Austrália possui cerca de 60… Read more »

Vinicius 023
Vinicius 023
Reply to  Luís Henrique
24 dias atrás

N seria capaz? Compara o equipamento e treinamento.

Vinicius 023
Vinicius 023
Reply to  Luís Henrique
24 dias atrás

Artilharia superior, blindados, aviões e navios.

Luís Henrique
Reply to  Vinicius 023
23 dias atrás

Mas um exército com 30 mil homens dificilmente vai vencer um com 220 mil e mais 1,5 milhões de reservistas.

Mauro S
Mauro S
Reply to  Mauro S
24 dias atrás

Essa questão dos aposentados/inativos merece uma análise mais aprofundada do que simplesmente verificar se estão ou não incluídos no orçamento da defesa, creio eu.

Normalmente aposentadorias são bancadas com fundos cujos contribuintes são trabalhadores e empregadores. Mesmo que a aposentadoria dos militares inativos de algum país não saia diretamente do orçamento das forças armadas, certamente houve contribuição “patronal” no período de atividade (e que certamente estava no orçamento da defesa).

O que eu acredito que não exista em outro lugar sejam as pensões integrais para viúvas e muito menos para filhas solteiras.

Luís Henrique
Reply to  Mauro S
23 dias atrás

Concordo em partes, o problema é que quando este gasto está fora do orçamento, as pessoas não ficam achando que somos os maiores gastadores do mundo em defesa. Caso as aposentadorias estivessem fora do orçamento militar, o nosso orçamento militar cairia pela metade e desapareceria de todos os gráficos do mundo. Nós apareceríamos com míseros 0,7% do PIB para Defesa e com míseros U$ 9 ou U$ 10 bi de orçamento militar. Seria mais fácil os militares, o governo federal e o congresso convencer as mídias e a sociedade que devemos aumentar o investimento em defesa nacional, pois ficaria cristalino… Read more »

Rodes
Rodes
24 dias atrás

Though the Chinese Navy is still far behind the United States who currently has 11 Active Fixed-Wing Aircraft Carriers, but due to the new F-35B which will allow Full-Sized Aircraft to take off from Amphibious Assault Ships this will give the U.S 20 Carriers in total.

Luís Henrique
Reply to  Rodes
24 dias atrás

Em projeção os EUA ficam bem à frente, mas caso as duas super potências entrem em um conflito na região de Taiwan, a China provavelmente já tem poder de fogo suficiente para equilibrar as coisas. Os EUA podem ter muitos navios aeródromos mas os chineses estariam próximos de casa e com caças baseados em terra.

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Luís Henrique
24 dias atrás

O problema é a complexidade de uma operação anfíbia que requer o domínio em todas a três dimensões do campo de batalha, seria algo de proporções notáveis que lembraria as operações da segunda guerra mundial. E sejamos sincero, o supertrunfo da RPC foi sempre os números e sobretudo na dimensão terrestre. Seria algo inédito para a RPC, em caso de êxito mostraria ao mundo um avanço em suas capacidades bélicas ( não apenas material mas de doutrina) implacável. Seria comparavel a ascensão do Japão no início do século XX. A geografia da ilha de Formosa é extremamente favorável aos defensores,… Read more »

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Luís Henrique
24 dias atrás

Outra possibilidade seria um golpe de estado ou captura das e execução das autoridades da ilha para minar o moral da resistência.

Ainda assim algo complexo e improvável. A assimilação e integração econômica por enquanto é o caminho mais viável.

Wilton Santos
Wilton Santos
24 dias atrás

O grande problema do Brasil não é falta de dinheiro para as forças armadas, mas sim a forma como são empregados. Temos orçamento militar semelhante a países como Israel e Itália, ao mesmo tempo que tempos capacidade militar significativamente inferior. Isso ocorre por que a maior parte dos recursos vão para pagar folha de pagamento e pensões ao invés de aquisição de armamentos e investimento em tecnologias. Ainda pagamos pensões para filhas solteiras de militares e também há esses absurdos de aquisições de viagra, próteses penianas e gel lubrificantes íntimos. Também há escândalos envolvendo comidas caras com preços bem acima… Read more »

Last edited 24 dias atrás by Wilton Santos
Luís Henrique
Reply to  Wilton Santos
24 dias atrás

O maior problema é incluir o pagamento de aposentadorias dentro do orçamento. Se os militares contribuíssem pelo INSS e a aposentadoria deles fosse paga por lá, o orçamento militar seria a Metade do que é hoje, ou seja, U$ 10 bi. E não entraríamos nesses gráficos de países que mais investem em defesa. Sobre o tamanho das nossas forças, não acho exagerado. Claro que cabe uma redução principalmente na força aérea e na marinha, mas não acho exagerado pelo tamanho do nosso país. Existem países menores e mais pobres com contingente bem maior que o nosso no exército. 220 mil… Read more »

Wilton Santos
Wilton Santos
Reply to  Luís Henrique
24 dias atrás

Verdade, o problema das aposentadorias compromete o orçamento militar. O mesmo ocorre com o judiciário brasileiro. O ideal era termos um regime único de aposentadoria para todos, incluindo servidores públicos, militares e iniciativa privada. Assim não teríamos privilégios para alguns poucos em detrimento da maioria. O INSS deveria gerir todas as aposentadorias dos brasileiros, é assegurar aposentadorias complementares para quem quiser.

Last edited 24 dias atrás by Wilton Santos
Pedro
Pedro
Reply to  Wilton Santos
24 dias atrás

Não é só a aposentadoria, mas, os altos salários e benesses dos ativos. Pensem nos ativos também, foram eles que ganharam aumento em plena pandemia e ficaram mais uma vez, fora da reforma da previdência….

Josebaldo
Josebaldo
Reply to  Pedro
24 dias atrás

Havia um regime totalitário que dependia de apoio do executivo, judiciário e legislativo. Foi a festa, décadas de benesses que agora são “direito adquirido”

Agnelo
Agnelo
Reply to  Pedro
23 dias atrás

Gostei dos altos salários!!! Quando abre concurso pra isso ai????!!!

Luís Henrique
Reply to  Pedro
23 dias atrás

Os militares estavam defasados em relação à outras carreiras federais.

Mauro S
Mauro S
Reply to  Wilton Santos
24 dias atrás

A recente reforma da previdência basicamente implantou isso que você defende. Somente os militares ficaram de fora e continuam se aposentando precocemente e com salário integral.

Alois
Alois
Reply to  Mauro S
23 dias atrás

Na realidade os militares brasileiros tem muitas regalias quando se aposentam, como ir pra reserva com promoção automática, salário integral com os da ativa, durante seu serviço os oficiais em geral de moradia e segurança na Vila militar, a reforma da previdência dos militares recente foi algo pra “inglês ver”. Nos USA e na Inglaterra ao fim do serviço militar a renda do militar em relação ao da ativa cai aproximadamente 30% e muitos como são jovens ainda, na faixa dos 55 a 60 anos voltam ao mercado de trabalho. Os EUA depois da guerra do Vietnã desenvolveram e criaram… Read more »

Agnelo
Agnelo
Reply to  Alois
23 dias atrás

promoção automática – acabou em 2001 salário integral com os da ativa – sai mais barato do que pagar hora extra e adicionais m geral de moradia e segurança na Vila militar – infelizmente tá muito muito muito longe disso Nos EUA, onde não há SUS, o militar perde aproximadamente 30% (ou mais, dependendo do tempo de serviço), mas tem um amparo de saúde (pra ele e dependentes) q somente ótimos planos de saúde nos EUA tem. Um cidadão americano vive guardando $$ pra faculdade dos filhos, pra aposentadoria e pra saúde quando idoso. OS militares não se preocupam com… Read more »

Aladaf
Aladaf
24 dias atrás

Infelizmente ou felizmente, o q se gasta com defesa em tempos de paz tem pouca ou nenhuma relação com o q se pode gastar com defesa em uma guerra. O maior exemplo disso são esses gastos anunciados agora pela Alemanha. Guerras são competições de pontos corridos. Quem tem mais dinheiro tem uma chance muito maior de ganhar.

Luis Carlos
Luis Carlos
24 dias atrás

Céu de Brigadeiro para a China e sua grande aliada, a Rússia.

Flanker
Flanker
Reply to  Luis Carlos
23 dias atrás

Xings, vai dormir….

Joe
Joe
Reply to  Flanker
23 dias atrás

O cara é muito desocupado, além de maluco.

RDX
RDX
24 dias atrás

Precisamos pensar mesmo. A foto da matéria foi tirada em 2022 ou na década de 90?

Luis Carlos
Luis Carlos
Reply to  RDX
24 dias atrás

Só para atualizar.
O PIB da China já está chegando a 26 tri e o dos EUA está em cerca de 22 tri.

Rodrigo
Rodrigo
24 dias atrás

Todo e qualquer corte na área pública é motivo de alegria…não são em áreas certas mas são cortes… Privatização de Petrobras, fim do monopólio completo tanto refino como extração e preços…liberar mercado para bancos externos, liberar FGTS (ninguém aqui deve saber o que isso) para o trabalhar escolher banco e investimento, privatizar caixa e BB etc…muito aser feito ainda

Avai2022
Avai2022
24 dias atrás

Tenho dúvidas com relação a análise PPC … para algumas comparações como serviços, ela tem desvios grandes ….. exemplo: um barbeiro Londres / New York ganha em moeda forte. O barbeiro na China ganha em moeda fraca. Mas o serviço vendido seria equiparado – venda de cortar cabelo.
Mas você como barbeiro, prefere estar ganhando em que (dando-se condição de igualdades julgo que os barbeiros de moeda fraca irão querer migrar para moeda forte).
Outro detalhe eh a soma dos aliados ocidentais e anti ocidentais em eventuais conflitos. Assumindo-se os eixos de aliados atuais, o ocidente ainda tem muita lenha.

Luis Carlos
Luis Carlos
Reply to  Avai2022
24 dias atrás

E com os produtos o mesmo.
Imagine quanto custa um quilo da arroz na China e um nos EUA.
Na China, além de ser mais barato ainda divide por 6,5 que é a cotação do yuan.
Por isso que o correto é fazer pela PPC.
Produto é produto.
Serviço é serviço.
Sem a influência do câmbio.

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Luis Carlos
24 dias atrás

Bobagem. Quando moravo em Roma pagavo o litro de leite 1,30 € ( 6,5 reais no câmbio atual) . Aqui no Brasil pago 5/6 depende. O salário mínimo aqui é 1.200,00 reais. Lá na época uma pessoa com um trabalho modesto ganhava por volta dos 1.000 euros . Onde é mais barato ?
Nem tudo é branco ou preto, é bem mais complexos e quando não se tem o conhecimento necessário é melhor evitar afirmações perentorias.

Avai2022
Avai2022
Reply to  Luis Carlos
24 dias atrás

Arroz eh preço comoditizado global …. Serviço não. Então a bolsa de produtos que são definidos por preço global o cidadão local de moeda fraca perde. Salvo se você como país tem recursos para fazer tudo sem depender do exterior o PPC não seria o melhor indicador para várias análises. Exemplo real: barbeiro americano vende o serviço $20 por cabelo. O arroz está a $10 o kilo. Ele compra dois kilos. O barbeiro chinês vende o serviço de cabelo que em dólar vale que em $5. Mas o arroz custará perto de $10 (poi’s eh dolarizado). Ou seja no PPC… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Avai2022
23 dias atrás

Cara, esse aí é o xings. Não adianta colocar esses argumentos como vc colocou. Ele só enxerga o que ele quer.

Avai2022
Avai2022
Reply to  Flanker
23 dias atrás

Ola Flanker … sim estou ciente e obrigado. Apenas sendo gentil com ele.

Luis Carlos
Luis Carlos
Reply to  Avai2022
23 dias atrás

Prezado.
A precificação na composição do PIB é a mesma.
Lembre-se que o PIB é a soma de todos os bens e produtos.
Vc calcula e depois divide pela taxa de câmbio para calcular o PIB nominal.
Um quilo de arroz na China custa 6,70 yuans ou 1 dólar.
Um quilo de arroz nos EUA custa 4,00 dólares.

https://pt.preciosmundi.com/estados-unidos/precos-supermercado

Se o cálculo dos preços já fossem pelo preço de commodities, o PIB nominal da Índia seria gigantesco, visto ela ser grande produtora desses bens que abastecem quase 1,5 bi de pessoas.
Ok?

Avai2022
Avai2022
Reply to  Luis Carlos
23 dias atrás

Mas estamos falando de PPC ….. ou seja o valor do serviço corte de cabelo…você está utilizando o cálculo de PIB normal… No PPC o serviço eh o mesmo… Mas o americano ganha em dólar e o chines não. Cada produto dependerá da composição do custo. Mas quanto maior for a influência do preço global no custo em moeda forte, o cidadão da moeda fraca perde. Pode haver um mix de: custo do labor ser barato (custo interno do país) + custo do produto dolarizada ou custo do labor ser caro (custo interno do país) + custo do produto dolarizada… Read more »

rui mendes
rui mendes
Reply to  Luis Carlos
23 dias atrás

Isso é para enganar, vê-se por PIB total o tamanho da economia e riqueza do país em PIB per capita.

Zé lesqui
Zé lesqui
24 dias atrás

Os positivistas não acreditam nesse gráfico. Brasil deveria dobrar seu investimento nas FFAA para estar à altura da sua grandeza econômica politica e territorial e se assumindo como um poder político, econômico e MILITAR.

L G
L G
24 dias atrás

Infelizmente haverá uma terceira g mundial nuclear. O hemisfério norte será destruído. Os sobreviventes vagarao pelas estradas igual no filme de Eli ou mad Max. Mas escutarao histórias de que existe um quinto império de Daniel no Brasil. O paraíso na terra. O Brasil é zona de retaguarda nuclear, tem que ficar quieto e aguardar. Professias do padre Antônio Vieira. A terceira g mundial nuclear será muito rápida horas no máximo dias e depois todo o hemisfério norte será destruído. Vamos estudar e aguardar.

Avai2022
Avai2022
Reply to  L G
23 dias atrás

Relaxa LG … todos morrerão um dia … não precisa viver agoniado assim … aproveita sua vida ao máximo e deixa as profecias acontecerem ao seu tempo …

Alberto
Alberto
23 dias atrás

O mundo sempre foi assim, uma disputa de poder militar e econômico entre Ocidente e Oriente, infelizmente a América Latina e a África também nunca na história possuíram poder econômico ou militar, sendo apenas lugares onde há exploração de matérias primas.

rui mendes
rui mendes
23 dias atrás

Que tanga, ponham PIB total e PIB per capita.
Isso aí é à lá carte.

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
23 dias atrás

Como os gráficos da matéria mostram, a vantagem econômica da OTAN sobre a Rússia é simplesmente colossal e isso se traduz em um desequilíbrio, não só tecnológico (com os russos dependendo muito mais de projetos da Guerra Fria do que o Ocidente) mas também numérico:

Números das Forças Militares.png
Last edited 23 dias atrás by Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
Reply to  Bruno Vinícius
23 dias atrás

ERRATA

Números das Forças Militares.png

Últimas Notícias

Svatovo, primeiro alvo do HIMARS?

A mídia ucraniana tem divulgado vídeos e imagens de uma suposta explosão nas proximidades da cidade ucraniana de Svatovo,...
- Advertisement -
- Advertisement -