sábado, junho 25, 2022

Saab RBS 70NG

Egito próximo de adquirir mísseis AV-TM 300 e sistema Astros II MK6 da Avibras

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Segundo o Tactical Report, o Egito está próximo de adquirir mísseis AV-TM 300 junto com sua plataforma de lançamento, o sistema Avibras Astros II MK6.

Diz-se que este acordo faz parte de uma série mais ampla de acordos que foram recentemente assinados entre o Egito e as empresas de defesa brasileiras.

Segundo informações do Exército Brasileiro, o AV-TM 300 ou MTC (Míssil Tático de Cruzeiro) é do tipo terra-terra, podendo atingir o alcance de até 300 quilômetros.

Ele é lançado pelas mesmas viaturas do Sistema ASTROS II, modernizadas para a versão MK6, a fim de disparar foguetes e mísseis.

O míssil será empregado em duas versões: Cabeça-de-Guerra do tipo Auto-Explosiva (AE), com peso máximo até 200 kg, contendo 109 kg de PBX como explosivo; e cabeça-de-guerra múltipla, com cerca de 66 submunições de 70 mm, podendo ser utilizado em alvo anticarro.

O programa de construção do MTC é parte do Projeto Estratégico do Exército (PEE) ASTROS 2020, uma das sete prioridades no processo de modernização da Força Terrestre. É um projeto 100% nacional, com independência tecnológica e propriedade intelectual do Exército Brasileiro.

A navegação do MTC é feita por meio de sensores de navegação inercial junto com GPS, com um sistema antijaming e rádio altímetro para mantê-lo na altitude correta em relação ao solo. Obedece seu curso em conformidade com as informações armazenadas a bordo, com possibilidade de serem estabelecidos waypoints.

O míssil poderá ser utilizado contra instalações estratégicas, alvos inimigos de valor (meios logísticos, artilharia, blindados e meios aéreos) e alvos que devam ser neutralizadas logo no início do conflito, normalmente associadas à obtenção de superioridade aérea e à quebra da capacidade de coordenação das ações pelo inimigo.

AV-TM-300-3.jpg
AV-TM-300

- Advertisement -

114 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
114 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Felipe Morais
Felipe Morais
23 dias atrás

Aí sim!!👏👏👏👏👏

Jacinto
Jacinto
23 dias atrás

Mas a avibras está em recuperação judicial. Ela terá condições de produzir estes equipamentos nestas condições? Especialmente antes da aprovação do plano de recuperação pela AGC?

Matheus
Matheus
Reply to  Jacinto
23 dias atrás

Esse negócio é capaz de salvar a empresa.
Sim, eles tem plena capacidade de produzir.

Henrique
Henrique
Reply to  Jacinto
23 dias atrás

Recuperação judicial é apenas uma renegociação das dividas com os credores e não incapacidade da empresa de operar (isto já seria falência).
.
E se a venda pro Egito estiver encaminhada é bem possível que o plano será aprovado (dai o $$$$ vai aparecer)

Jacinto
Jacinto
Reply to  Henrique
23 dias atrás

Na verdade, um dos clientes da empresa em que atuo é um dos credores da Avibrás. É um fornecedor que está tendo um prejuízo significativo (para ela), até porque o crédito que a Avibras declarou da recuperação parece ser inferior ao real. E pelo o que advogado desta empresa falou, as empresas em recuperação judicial em geral buscam descontos acima de 50% da dívida e ainda com parcelamento que pode chegar a muitos anos. OU seja, o fornecedores vão ter prejuízo proporcionalmente grande com a Avibras. Em outras palavras: os fornecedores vão topar fornecer para a Avibras com o risco… Read more »

Mercenário
Mercenário
Reply to  Jacinto
23 dias atrás

Os fornecedores neste caso devem solicitar o pagamento dos novos pedidos à vista.

Os novos débitos estarão fora da recuperação judicial.

Nonato
Nonato
Reply to  Jacinto
22 dias atrás

Desculpe perguntar, fornecedor de que?
De itens militares específicos ou de produtos comuns tipo de alimentos, agua mineral etc?
Dependendo da área é importante o fornecedor manter o cliente.

Gerson Carvalho
Gerson Carvalho
Reply to  Jacinto
21 dias atrás

Sim, o novo governo que vai assumir(reassumir) foi o que mais investiu nas forças armadas, submarinos, caças, helicópteros,etc…

Henrique
Henrique
Reply to  Gerson Carvalho
21 dias atrás

tb é o mesmo governo que crio a crise de 2016… então não espere muita coisa de “é o q mais que investiu” pq ele tb é o que “mais f*deu”

Last edited 21 dias atrás by Henrique
André de Souza
André de Souza
23 dias atrás

Como seria o desempenho do sistema Astro na guerra da Ucrânia e como ele seria usado ?

Mafix
Mafix
Reply to  André de Souza
23 dias atrás

Seria usado matar matar russos aos montes fazendo grandes pilhas de corpos por toda ucrania …

Thom
Thom
Reply to  André de Souza
23 dias atrás

Pra me, é o MLRS que está em operação. MTC só vem a confirmar isso.

Jhenison Fernandez
Jhenison Fernandez
Reply to  André de Souza
23 dias atrás

Ele tem um desempenho semelhante ao HIMARS e ao M270

Last edited 23 dias atrás by Jhenison Fernandez
Rafale
Rafale
Reply to  Jhenison Fernandez
22 dias atrás

KKKKKKKKKKK

Confia!

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  André de Souza
23 dias atrás

desempenho ótimo, pq é uma peça importante de artilharia, que a Ucrania pediu tanto e só deram agora, no caso o Himars, ele poderia destruir bases dentro do Donbas, destruir aglomerações de carros e camihões do inimigo, prédios usados para coordenar os ataques, ou qualquer construção que seja necessário neutralizar, os EUA só atacam com pessoas e caças depois que já destruiu muito capacidade de reação do inimigo usando seus mísseis de cruzeiro.

Bosco
Reply to  Carlos Campos
22 dias atrás

Não é lenda, é fato. O equívoco da narrativa está em focar no Astros. O que a coalisão fez foi reduzir ao máximo a capacidade de reação dos iraquianos e isso incluía qualquer coisa que pudesse ser utilizada contra as tropas em terra, incluindo catapultas (caso existissem).
No processo de “amaciamento” das forças de terra do Iraque após a conquista da superioridade aérea tudo que pudesse reagir à invasão virou alvo, inclusive o Astros.

João Dotto
João Dotto
23 dias atrás

Previsão de entrega do primeiro lote pra 2016?seria 2026?

Henrique
Henrique
Reply to  João Dotto
23 dias atrás

Ja sabemos quem a Avibras vai contratar pra entrega aushaushauhs

maxresdefault.jpg
BK117
BK117
Reply to  Henrique
23 dias atrás

Boa hahahahahaha

João Dotto
João Dotto
Reply to  Henrique
23 dias atrás

Kkkkk

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
23 dias atrás

Torço para que a compra se concretize. Imagino que daria um pouco de fôlego para a Avibrás (que está precisando).

Teropode
Reply to  Bruno Vinícius
23 dias atrás

E certamente outros países da região vão comprar , temos Marrocos ,o próprio Iraque , Nigéria e algum reino saudita !

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
Reply to  Teropode
23 dias atrás

Inshallah meu caro Teropode, Inshallah…

O Chato
O Chato
23 dias atrás

“A previsão de entrega do primeiro lote está prevista para 2016”? Algo de errado não está certo nessa informação…

Last edited 23 dias atrás by O Chato
Marcos
Marcos
23 dias atrás

O MTC-300 também foi vendido ao Catar. O financiamento foi indeferido em 2020 e posteriormente foi aprovado em 2021.

FB_IMG_1654193022141.jpg
Marcos
Marcos
Reply to  Marcos
23 dias atrás

🙂

Screenshot_20220602-150611~2.png
Mafix
Mafix
Reply to  Marcos
23 dias atrás

Os paises do oriente medio são grandes compradores de armas do Brasil como sempre.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Marcos
23 dias atrás

eita, de onde tu tirou isso? Qatar que se dá mal com os vizinhos hein, seria tua informação vinda inteligência Saudita ?

Marcos
Marcos
Reply to  Carlos Campos
22 dias atrás

Serviço de inteligência do Google. A internet é uma coisa maravilhosa, quando bem utilizada. Recomendo que leia as últimas atas das reunições do Comitê de Financiamento e Garantia das Exportações.

Teropode
Reply to  Marcos
22 dias atrás

Desconhecia a realização desta venda 😂😂😂, então só falta a AS e Bahrein na região .

Mafix
Mafix
23 dias atrás

A noticia poderia ser Egito e Ucrania compra sistema Astros mas o bozo e seus militares melancias amam os russos …

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Mafix
23 dias atrás

Ate onde sem o Egito não tem problema nenhum com a Russia, eles até compram muita coisa deles, inclusive estavam de olho no S-400.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
23 dias atrás

só não compraram mais por pressão dos EUA

Teropode
Reply to  Carlos Campos
22 dias atrás

Quem dá a mesada tem direito de opinar onde vc pode gasta-la , além disso estão se livrando de produtos inferiores russos !

Carlos
Carlos
Reply to  Mafix
23 dias atrás

Vamos colocar você pra Receber o Dinheiro da Ucrânia , igual deram pra CUBA, VENEZUELA e Angola.
ZÉ RUELA

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Mafix
23 dias atrás

acorda pra vida, Ucrania é um país falido atualmente, só está na guerra ainda pq tem ajuda da OTAN, e os EUA jamais dariam dinheiro pra nós entregarmos para os ucranianos o que a industria americana já produz.

Bosco
Reply to  Carlos Campos
22 dias atrás

E quanto à Síria? É um país falido também?

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Bosco
22 dias atrás

Não, ao contrário da Ucrânia que tá produzindo praticamente nada, a Síria tem alguns poços de petróleo sobre seu poder, mesmo assim não tem dinheiro para comprar míssil de longo alcance, a não ser que a Rússia ou Irã dê pra eles

Salim
Salim
Reply to  Carlos Campos
21 dias atrás

UcTânia entre maiores produtores exportadores grãos do mundo. Ate ONU quer a liberação Porto Odessa para escoar produção pois falta irá causar falta alimento diversos países Inglaterra e Itália estão falando em enviar frota para garantir isto é evitar catástrofe humanitária ( ladrões pudinianos roubaram bastante produção ucrania). E bom dar uma lida nas notícias pra não escrever bobagem. Ucrânia afundou na corrupção como certo gigante da América do Sul. Pela corrupção desenfreada que governo anterior caiu com fuga do dignitário para baixo asa do pudim. A entrada mercado europeu e outros organismos exigem controles que garantem governo transparente e… Read more »

Teropode
Reply to  Mafix
22 dias atrás

A Ucrânia já ta bem servida por hora e depois desta ” operação (genocida )especial ” eles voltam para a indústria local .

Sensato
Sensato
Reply to  Mafix
22 dias atrás

Tem certeza? Só vejo alinhamento de conveniência mas nada além. No momento precisamos muito mais do que eles vendem do que da grana que alguma venda para a Ucrânia poderia trazer.

Joao
Joao
Reply to  Mafix
21 dias atrás

E ucrania vai pagar com que? Quanta idiotice.

Ravengar
Ravengar
23 dias atrás

Esse sistema cairia como uma luva na Coreia do sul…
Poderia rolar um acordo Astros 2 por MBT K1A1…

Palpatine
Palpatine
Reply to  Ravengar
23 dias atrás

K1A1 pode ser uma boa opção para o Brasil, canhão de 120mm e alma lisa, sistemas de visão diurna e térmica independentes para o Comandante e Atirador, blindagem composta e peso relativamente pequeno de 53 toneladas.

A6MZero
A6MZero
Reply to  Ravengar
23 dias atrás

Amigo a Coreia do Sul já está em fase final de introdução de um sistema local bastante similar o Hyunmoo-3, que terá versões lançadas por submarino por navios de superfície e por terra.

Os alcances previstos são:

Hyunmoo-3A – 500 km
Hyunmoo-3B – 1,000 km
Hyunmoo-3C – 1,500 km
Hyunmoo-3D – 3000 km

Hyunmoo-3_missile_carrier.jpg
Last edited 23 dias atrás by A6MZero
A6MZero
A6MZero
Reply to  A6MZero
23 dias atrás

A Coreia do Sul está investindo pesado em seu programa de misses, além do Hyunmoo, também estão em produção ou em incorporação vários outros modelos como o Cheolmae-2 um míssil anti aéreo que em sua nova versão (L-SAM) espera um alcance de até 150 Km, um míssil anticarro similar ao Javelin chamado At-1K Raybolt e um míssil anti navio o SSM-710K com mais de 180 Km de alcance.

Jhenison Fernandez
Jhenison Fernandez
Reply to  A6MZero
23 dias atrás

O astros é um Lançador Múltiplos de Foguetes, e também lançará mísseis de cruzeiros, está da Coreia do Sul não é “Só” um Lançador de mísseis Balísticos ?

A6MZero
A6MZero
Reply to  Jhenison Fernandez
23 dias atrás

O Hyunmoo é um lançador de misseis de cruzeiro, quanto ao lançador de foguetes os sul coreanos tem um de fabricação própria o K239 Chunmoo, esse lançador tem a mesma vantagem do Astros que é sua modularidade pois assim como o nosso Astros ele permite que foguete de vários calibres e alcances sejam utilizados.

Os foguetes que o Chunmoo pode utilizar são:

130 mm: 36 km
227 mm: 45 km
239 mm: 80 km

Last edited 23 dias atrás by A6MZero
Jhenison Fernandez
Jhenison Fernandez
Reply to  A6MZero
22 dias atrás

Entendi, eu achei que era de mísseis por conta dos alcances que havia informados e o formato cilíndrico dos Lançadores kkkkkkk

Bosco
Reply to  Jhenison Fernandez
22 dias atrás

Só no sentido de ilustrar o assunto há dois tipos de “armas” lançados de lançadores terrestres contra alvos na superfíci. Os foguetes e os mísseis. Tudo que é lançado por um motor foguete e assume uma trajetória balística “pura” , é foguete (burro). Tudo que após o lançamento consegue em algum momento implementar alguma correção de direção é míssil (ainda que alguns teimem em chamar foguete guiado de… “foguete”). Todo foguete sup-sup é altamente impreciso (4 x mais impreciso que um obus na mesma distância) porque se vale de aletas para estabilizar sua trajetória (enquanto um obus se vale da… Read more »

A6MZero
A6MZero
Reply to  Bosco
22 dias atrás

Excelente explicação Bosco aprendi muito.

Voltando ao K239 Chunmoo os coreanos usam então a mesma sistemática que o MLRS/HIMARS pois seus foguetes de 130mm com alcance de 36 km e os 227mm com alcance de 45 km não são guiados, já seu foguete de 239mm e grande alcance (80 km) é um foguete guiado.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Ravengar
23 dias atrás

mas será que eles já não tem algo assim? que eu saiba até míssil balístico eles já tem.

Heinz
Heinz
Reply to  Ravengar
22 dias atrás

Porque não, ser mais olho gordo e tentar um K2 black panther?
Hehehe, sou apaixonado naquele tanque.

A6MZero
A6MZero
Reply to  Heinz
22 dias atrás

O K2 é um senhor tanque (ainda que pessoalmente prefira o Type 10 japonês).

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
23 dias atrás

Oxe, eu que não pegava essa bomba, iria nos russos e pegava uns Kalibrs.

RPiletti
RPiletti
Reply to  Inimigo do Estado
22 dias atrás

Pois é… ainda bem que tu és CPF e não governante.

Teropode
Reply to  Inimigo do Estado
22 dias atrás

Um lambe saco elementar , sem surpresas Sr inimigo da coerência …

Jefferson
Jefferson
23 dias atrás

Até o Vaticano compra da avibras e o governo brasileiro gastando com picanha. 85% das receitas da avibras vem do exterior. Se depender dos nossos militares a empresa quebra.

Andre
Andre
23 dias atrás

Nossas FAs também já compraram?

O Astros deixou boa impressão por aqueles lados…

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Andre
23 dias atrás

Há muito tempo, a notícia que circulava nos meios especializados era que o EB havia adquirido um lote de 100 unidades, mas nāo faço ideia se é verdade.

Last edited 23 dias atrás by Allan Lemos
Teropode
Reply to  Andre
22 dias atrás

A mobilidade do Astros é um dos seus atrativos principais !

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
23 dias atrás

Lembrando que os armamentos da AVIBRAS usam granadas de fragmentação assim com os da Russia, China, EUA e etc. Só que a OTAN diz serem armas proibidas, que usa-las e crime se guerra e etc.
Hipocrisia pura.

Jacinto
Jacinto
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
23 dias atrás

Não é a OTAN que diz que são armas proibidas – tanto que vários de seus membros usam. O que existe é uma convenção internacional, cuja aderência é opcional, que busca banir este tipo de arma. Adere quem quer.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
23 dias atrás

bombas termobáricas também são proibidas, mas todo mundo usa

Jefferson
Jefferson
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
23 dias atrás

Por que hipocrisia? Realmente acho que alguns armas deveriam ser proibidas. Há fundamentos para essa decisão. Estranho é o brasil nao aderir.

Bosco
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
22 dias atrás

A OTAN não diz nada. Não é função dela dizer isso. Dependesse da OTAN ela faria um raio desintegrador partindo da órbita. Ela é contra todo tipo de acordo que lhe amarre as mãos já que pra ela quanto mais ela for capaz de gerar dano e sofrimento no inimigo, melhor.

Teropode
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
22 dias atrás

Vc não sabe o que fala , é uma criança !

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
23 dias atrás

Notícia estranha.
O míssil AV-TM 300 ainda não teve seu desenvolvimento concluído.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Rafael Oliveira
23 dias atrás

mas já foi lançado e está quase pronto, quando compramos os Gripen ele nem existia de verdade.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Carlos Campos
23 dias atrás

O problema é que esse quase pronto já tem vários anos (lembro das primeiras notícias relativas a esse míssil em 2002).
Não me recordo de nenhum teste de precisão, que é uma parte importantíssima.
Talvez o Egito só esteja comprando os lançadores e foguetes já existentes com a opção de comprar o míssil depois.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Rafael Oliveira
23 dias atrás

tu tá desinformado, o teste já foi realizado na barreira do inferno, antes fizeram teste com o Booster,

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Carlos Campos
22 dias atrás

Não sou desinformado, você que não entendeu o que foi testado.
O teste realizado em abril de 2022 era para verificar o correto funcionamento do lançamento e voo do míssil.
Não foi testado se o míssil é capaz de acertar um alvo. Ou seja, ainda não está finalizado o sistema de orientação do míssil.
Além disso, precisam finalizar a munição em si.
Ou seja, ainda faltam testes até esse míssil comprovar que é capaz de acertar um alvo e estabelecer seu CEP.
Enquanto isso não ocorrer, ele não está pronto.

Sensato
Sensato
Reply to  Rafael Oliveira
22 dias atrás

A notícia fala de compra mas não de assinatura de contrato ou principalmente desembolso de dinheiro. Assim sendo, o que impede que ocorra. Se o Egito já desistiu de aeronaves já fabricadas para ele, porque teria inibições de comprar o míssil brasileiro? Basta a efetivação da compra ser condicionada ao término do desenvolvimento e comprovação das capacidades.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Rafael Oliveira
21 dias atrás

não disse que você é desinformado, mas que está desinformado.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Rafael Oliveira
23 dias atrás

A FAB adquiriu o Gripen antes de seu desenvolvimento ter sido concluído. Essa era inclusive uma das principais críticas.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Allan Lemos
23 dias atrás

Mas era a SAAB que estava desenvolvendo e com uma encomenda da Suécia já realizada. Outrossim, a SAAB já fabricava o Gripen C/D, então era uma compra bem menos arriscada. Uma compra da Avibrás/Brasil é muito mais arriscada: 1 – Avibrás até hoje só fabricou foguetes; 2 – O programa se arrasta há mais de 20 anos; 3 – Outros programas de mísseis brasileiros, como o MAR-1 e o A-Darter fracassaram, mesmo as empresas e a FAB dizendo que estava indo tudo bem; 4 – Avibrás em recuperação judicial. 5 – Nem o EB comprou o míssil “matador”; 6 –… Read more »

Francisco
Reply to  Rafael Oliveira
22 dias atrás

Já lhe ocorreu que as forças armadas do Egito ou do Catar certamente tiveram acesso a informações que nós não, você acredita realmente que um país como o Egito ou Catar que possuem muita experiência com equipamentos militares de diversos países entraria numa “furada”, tudo é possível mas muito improvável não acha?

Last edited 22 dias atrás by Francisco
Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Francisco
22 dias atrás

Sim, devem ter tido acesso à informações sobre o desenvolvimento, mas isso não afasta o que eu disse de que o míssil ainda não está pronto e ainda precisa de testes cruciais e provar que funciona. Voar a gente sabe que voa. Acertar o alvo ainda é uma incógnita. Dito isso, o sistema Astros apenas com foguetes é um produto de sucesso no mercado e justifica a compra. Eles podem comprar os veículos, foguetes e, caso funcionem, os mísseis. Se não funcionarem, ainda terão um ótimo equipamento. Não custa lembrar que o Paquistão entrou numa furada com o MAR-1. E… Read more »

Francisco
Reply to  Rafael Oliveira
22 dias atrás

Caro Rafael realmente tem esse caso do MAR-1, mas a de convir que é um pouco estranha essa história com o Paquistão, de qualquer forma tudo pode acontecer sim ou no caso não acontecer, na minha opinião 2 fatores são importantes para a venda desses armamentos e que levam a nações a comprar ou assumir compromissos de compra mesmo o produto não estando pronto, o 1º o estado avançado de desenvolvimento do produto que foi apresentado e comprovado para os potenciais clientes e segundo este não é um tipo de armamento que os países que produzem tem disposição em vender.

Guacamole
Guacamole
23 dias atrás

Se cancelarem o pedido, a AVIBRAS pode acabar indo pelo mesmo caminho da ENGESA.
Tomara que dê certo.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Guacamole
23 dias atrás

Acho que nāo, o EB já comprou ou irá comprar o míssil, mas nāo estava interessado no Osório.

A venda do MBT era a última cartada da Engesa, a Avibras por outro lado é uma empresa bem mais sólida, apesar dos problemas recentes.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Allan Lemos
22 dias atrás

Allan.
O erro da Engesa foi acreditar que suas cartas eram melhores e colocar todas as fichas (e muitas outras mais) no Osório, comprometendo toda a saúde da empresa. Deram um passo maior que a perna. Uma pena.

Foxtrot
Foxtrot
23 dias atrás

Isso para mim é ótimo sinal em todos os sentidos. Pode indicar que a versão com 300 km de alcance já está pronta e operacional, e o que realmente ainda está em testes é a versão do EB, que todos sabemos terá alcance maior que 300km. Agora espero que a Avibras invista no desenvolvimento de novos equipamentos e tecnologias e ou evolua os produtos que já tem. Pode desenvolver versão morenas do MPM com guiagem autônoma, foguetes 70 mm guiados, nova versão da EDT FILA, Terminar o Vant Falcão, novo Guará 4WS (apesar que o veículo já era muito bom)… Read more »

Last edited 23 dias atrás by Foxtrot
Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Foxtrot
23 dias atrás

Duvido muito essa tal versāo com mais de 300km existir.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Allan Lemos
23 dias atrás

Espero que sim viu.
Porque um míssil estratégico para defesa nacional com 300 km de alcance e 200 kg de carga é ridículo.
Se usar esse míssil (300 km ) em Minas Gerais, Belo Horizonte por exemplo, não conseguiria defender nem Uberlândia, Ipatinga etc.

Bosco
Reply to  Foxtrot
22 dias atrás

Foxtrot, O míssil tem função tática. Tanto a ogiva quanto o alcance estão muito bem alinhados com a função. Ogivas com mais de 200 kg são para alvos enterrados, subterrâneos, bunkers. Geralmente esse tipo de alvo não é tático. Quanto ao alcance , idem. Além de 300 km deixa de ser tático. Os mísseis balísticos “taticos” vão até 300 km, haja vista o ATACMS com 300 km de alcance que os americanos não parecem dispostos a ceder aos ucranianos. O maior problema de um míssil tático subsônico como o AVTM300 é por conta de que para percorrer esses 300 km… Read more »

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Bosco
22 dias atrás

Obrigado pelas explicações Bosco
Então o EB tem projeto de míssil estratégico, pois sabe-se que a versão nacional terá alcance maior.
A limitação a 300km (para exportação) é para não violar o MCTR.
Porém o MCTR não impede que para uso próprio o alcance e capacidade de carga sejam maiores.
E segundo o gerente do projeto, a versão nacional terá ” o alce que for necessário a defesa do Brasil” (palavras do mesmo).
Ou ele foi falastrão nessa frase, ou está dizendo a verdade..
Eu sinceramente espero que seja a última opção.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Bosco
22 dias atrás

Correção, uma refinaria de petróleo, central elétrica, grande concentração de tropas e veículos etc , são sim alvos estratégicos e que serão batidos pelo MT-300 e isso prevè em suas funções.
Sendo assim, isso pode classifica-ló como estratégico .

Last edited 22 dias atrás by Foxtrot
Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Foxtrot
22 dias atrás

Exato. No que pese a diferença semântica referente aos conceitos de tática e estratégia. O MTC-300, assim como qualquer outro míssil de cruzeiro, poder servir tanto ao alcance dos objetivos táticos como os estratégicos. O conceito de tática se refere aos métodos utilizados em um determinado campo de batalha, estratégia aos utilizados para vencer a guerra. Não existe, porém, nenhum padrão objetivo que estabeleça que a distância entre 0-300km seja referente à tática e que 301-∞km seja referente à estratégia. Os russos utilizaram mísseis de cruzeiro para destruir os principais alvos ucranianos no começo da guerra, isso foi parte da… Read more »

RPiletti
RPiletti
Reply to  Allan Lemos
22 dias atrás

Produzida ou em projeto?

Carlos Campos
Carlos Campos
23 dias atrás

Se for verdade é uma notícia maravilhosa, talvez o EAU ou ArSaudita se interessem

Tallguiese
Tallguiese
23 dias atrás

Pera aí. O sistema todo já está pronto e operacional? O míssel já existe e está operacional? Como que é isso?

Barak MX para o Brasil
Barak MX para o Brasil
23 dias atrás

O próximo é a Espanha provavelmente.

Frank fonseca
Frank fonseca
23 dias atrás

Seria maravilhoso essa venda,afinal o próprio EB seria beneficiado com essa venda,além óbvio da entrada do Brasil no mercado de mísseis de cruzeiro,os países do oriente médio sempre foram assíduos clientes brasileiros,torcendo para que seja concretizada a venda

Adriano madureira
Adriano madureira
23 dias atrás

Ótimo🤔‼️ Primeiro cliente internacional do AV-TM300 e o principal: cliente com grana…

Esse daí pode comprar mísseis a dezenas e não unidades.

rafael
rafael
23 dias atrás

Noticia Boa pra Industria Nacional

Heinz
Heinz
22 dias atrás

Que alegria em ler essa notícia, espero que de fato isso se concretize, é uma das armas mais importantes pra se ter no arsenal, como podemos ver na guerra da ucrânia, se eles tivessem um sistema assim, iam dificultar muito mais para a Rússia e com toda certeza as baixas do outro lado iam aumentar exponencialmente.
Espero que chegue logo também as fileiras do EB.

Bispo
Bispo
22 dias atrás

Mais afinal: quanto sai cada unidade ?

Zé lesqui
Zé lesqui
22 dias atrás

De volta aos anos 80, com Top Gun e indústria bélica brasileira no “oriente médio”…KKK

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Zé lesqui
12 dias atrás

Bem lembrado kkkk bons tempos estão voltando, embora eu não tenha vivido nos anos 80 para poder afirmar isso

Oráculo
Oráculo
22 dias atrás

Quem compraria esse sistema AV-TM 300 + Astros II MK6 rapidinho são os países que vivem em “pé de guerra” – aqueles que estiveram ou estão próximos de entrar num conflito bélico – tipo Armênia, Sérvia, Irã, Jordânia, Iraque… Oriente Médio todo na verdade. E alguns países africanos também. Cabe a Avibrás explorar comercialmente esse “nicho de mercado”. Os dos países que vivem em torno do perigo. Alguns deles já possuem sistemas similares, porém um produto de qualidade que fuja da bolha de fornecedores “Ocidente”/Rússia/China tem muito espaço no mercado. Sem falar que o preço final deve ficar mais atrativo… Read more »

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Oráculo
12 dias atrás

Irã não. EUA não deixam. A gente vende esses mísseis pra eles e no dia seguinte o tio Sam diz que não vai nos fornecer os motores do Gripen. Só uma ameacinha básica pra fazer brasileiro se colocar em seu lugar

Last edited 12 dias atrás by Jadson S. Cabral
Sequim
Sequim
22 dias atrás

Àqueles que duvidavam da viabilidade do AV-TM 300 aí está a resposta. O Egito, que está localizado próximo a uma região complicada do mundo, jamais investiria dinheiro em algo que não existe.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Sequim
22 dias atrás

O míssil foi testado com telemetria e radar e ainda tem gente duvidando que ele está praticamente pronto.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Carlos Campos
22 dias atrás

Praticamente pronto não é pronto. O dia que ele acertar o alvo e causar os danos previstos você diz que ele está pronto.
MAR-1 e A-Darter ficaram prontos e nem a FAB comprou.

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Rafael Oliveira
12 dias atrás

E quem disse a vc que isso já não aconteceu? Por acaso o EB ou a Avibras são obrigados a divulgar essas informações? Até onde a gente sabe o míssil pode até já estar operacional e ninguém aqui pode afirmar que sim ou que não.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
22 dias atrás

Isto está com pinta de ser o mesmo vaporware da venda do MAR para o Paquistão..

Pq os “egiptianos” iriam comprar um missil que ainda não está pronto já tendo o seus fornecedores tradicionais sistemas prontos ?

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
22 dias atrás

Pra mim a venda ao Paquistão é suspeita, até hoje, pq como o próprio galante já mostrou aqui, enviaram um cargueiro da forças aérea deles meio mundo pra pegar uma carga e foram embora, a pergunta é, eles levaram o míssil? Protótipos, dados do projeto? Ninguém sabe.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Carlos Campos
22 dias atrás

Eles receberam mísseis MAR-1. Quantos é uma incógnita, mas duvido muito que tenham recebido 100 mísseis.
https://www.aereo.jor.br/2014/06/02/armas-do-caca-sino-paquistanes-jf-17-thunder-fc-1/

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Rafael Oliveira
20 dias atrás

Caro Rafael, a verdade é que o MAR-01 está pronto. Li certa vez em um PDF do MD, que ele se encontrava pronto e esperando aquisição. O grande problema que temos aqui é esconder a verdade das coisas e nossas FAAs trabalharem com “arsenais virtuais”. Não sei o porquê não dizemos realmente para que as coisas servem e e se estão prontas ou não. Veja o exemplo do Subnuc, a MB vem com a conversa fiada de que ele será usado para “patrulhar o pré sal”. Ora bolas, todos sabem que um Subnuc serve para negação do mar em sua… Read more »

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Foxtrot
12 dias atrás

A informação oficial é que o míssil não atendeu os requisitos da FAB e pronto

AMX
AMX
21 dias atrás

Excelente notícia!!!!!

Diego
Diego
21 dias atrás

Por que a MB não íntegra uma versão navalizada na única Fragata Classe Greenhalgh na ativa ?

Grande
Grande
20 dias atrás

Excelente e perigosa arma. Paeabéns a Avibras. E ao Exército.

Últimas Notícias

Svatovo, primeiro alvo do HIMARS?

A mídia ucraniana tem divulgado vídeos e imagens de uma suposta explosão nas proximidades da cidade ucraniana de Svatovo,...
- Advertisement -
- Advertisement -