quinta-feira, junho 30, 2022

Saab RBS 70NG

Atrás das linhas inimigas: como atua a insurgência ucraniana nas áreas ocupadas?

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.forte.jor.br
Editor da Revista Forças de Defesa

Embora a falta de armas, munições e equipamentos dificulte os militares ucranianos, há sinais de que uma insurgência partidária nascente está crescendo em potência, permitindo que as forças ucranianas realizem ataques mortais em território controlado pela Rússia, mesmo em áreas onde é perigoso e às vezes impossível despachar tropas.

Esta semana, pessoas que trabalham para os militares da Ucrânia atrás das linhas inimigas dirigiram ataques de artilharia a duas bases russas na região ocupada de Kherson que mataram dezenas de soldados inimigos, de acordo com um alto oficial militar ucraniano com conhecimento dos ataques.

Em um episódio desta semana, os batedores se aproximaram de uma instalação do exército russo na vila de Chkalove e descobriram muitos combatentes estrangeiros estacionados na base junto com soldados russos e armamento pesado, disse o alto funcionário. Eles forneceram as coordenadas da base para uma unidade de artilharia ucraniana estacionada a cerca de 19 quilômetros de distância.

Os ucranianos então pulverizaram a base com projéteis, matando dezenas de combatentes logo após a meia-noite de quinta-feira, disse o alto funcionário, que falou sob condição de anonimato para discutir operações militares delicadas.

Mais tarde naquele dia, batedores dirigiram outro ataque de artilharia, desta vez em um complexo de resorts em Stara Zburivka, perto da foz do rio Dnipro, matando dezenas de soldados inimigos, incluindo dois generais, disse o alto funcionário. Um dos generais era do exército russo e outro do serviço de inteligência doméstico, o FSB, disse o funcionário.

Os batedores são guerrilheiros locais que ajudam os militares ucranianos em território ocupado pela Rússia. Eles podem ser ex-soldados ou simplesmente civis coletando informações como a localização de unidades inimigas. Podem ser homens empurrando carrinhos de batata, ou fazendeiros, ou uma avó com um celular.

Partidários ucranianos reivindicaram crédito por atacar trens russos; visando procuradores russos nomeados para administrações de governos locais; matando soldados russos; e apoiar os esforços militares ucranianos. O apoio deles pode ser crucial, tanto no sul da Ucrânia, onde a Rússia conquistou território, quanto no leste, onde a Ucrânia se encontra desarmada e lutando para manter suas terras.

Os detalhes dos dois ataques desta semana não puderam ser verificados de forma independente. Os militares ucranianos não responderam imediatamente a um pedido de comentário. Nem o Ministério das Relações Exteriores russo.

O ataque em Chkalove foi perto de uma área de combate no sul da Ucrânia. Para determinar o número de mortos, os observadores contaram os sacos de cadáveres à medida que eram carregados em veículos de resgate, disse o alto funcionário.

O número de mortos no ataque foi aparentemente tão alto porque os projéteis atingiram um esconderijo de munições, provocando uma explosão e um incêndio que durou seis horas na manhã de quinta-feira, disse a autoridade.

O funcionário disse que antes do ataque, os guerrilheiros abordaram alguns dos combatentes estrangeiros e, depois de tentarem falar com eles, deduziram que eram árabes. Os combatentes estrangeiros pareciam estar vivendo em tendas perto de prédios ocupados por tropas russas, disse a autoridade. Ele disse que eles possivelmente faziam parte de um contingente de tropas sírias que chegaram à Rússia há três semanas.

Há muitos rumores de que combatentes sírios se juntariam à luta da Rússia na Ucrânia, mas não houve confirmação oficial disso.

A forma e o tamanho exatos da insurgência no sul da Ucrânia não são claros e a resistência à ocupação russa pode vir de várias formas – desde ajudar a ataques diretos às forças inimigas em coordenação com os militares ucranianos até a colocação de folhetos nas esquinas para desmoralizar os ocupantes. O objetivo sempre, de acordo com os estudiosos da insurgência, é garantir que o inimigo nunca se sinta seguro.

Em 3 de junho, o comando militar ucraniano no sul da Ucrânia informou, sem fornecer nenhuma evidência, que os russos estavam mudando de comportamento por medo da crescente resistência.

“As lideranças das autoridades de ocupação circulam com grande número de guardas, em coletes à prova de balas, em carros blindados”, informou o comando militar. “Há temor por suas vidas.”

Durante os primeiros meses da ocupação, testemunhas descreveram como as forças russas tentaram localizar qualquer pessoa com experiência militar ou de segurança na região para interrogá-los. Em meio a ataques contínuos de insurgentes, testemunhas descreveram esforços cada vez mais draconianos para encontrar possíveis rebeldes.

Todo o tráfego de entrada e saída de Kherson para terras controladas pela Ucrânia está agora fechado, e aqueles que se movimentam podem enfrentar um labirinto de postos de controle, com as forças de ocupação verificando telefones celulares em busca de simpatias pró-ucranianas.

A resistência partidária começou nos primeiros dias da guerra, quando civis armados com coquetéis molotov se juntaram aos ataques às colunas russas invasoras. Mas à medida que o domínio da Rússia sobre o sul se aprofundou, ele teve que se tornar mais clandestino.

A mídia ucraniana informou que a resistência clandestina nos territórios ocupados é coordenada por uma unidade de suas forças armadas chamada Forças de Operações Especiais. A divisão foi formada depois que as tentativas de construir uma insurgência para combater os separatistas apoiados pela Rússia na região leste de Donbas falharam em 2015.

O governo ucraniano criou um Centro de Resistência Nacional virtual que fornece instruções sobre como montar emboscadas e como lidar com a prisão.

“Para se tornar um vingador invisível que os ocupantes temerão, é preciso conhecer táticas, remédios, segurança na internet, armas caseiras e ações não violentas”, diz o site do centro.

Em um exemplo das dicas que o governo está dando à resistência, ele publicou recentemente um guia passo a passo on-line para acionar veículos da era soviética.

Vários ataques a funcionários nomeados pela Rússia nas regiões de Kherson e Zhaporizhzhia foram relatados por autoridades ucranianas e russas – embora os ataques sejam retratados de maneiras muito diferentes. Os ucranianos elogiam a resistência. Os russos chamam os ataques de atos de terror.

Andrei Shevchik, prefeito pró-Kremlin de Enerhodar – que foi empossado logo após as forças russas ocuparem a cidade ucraniana no rio Dnipro – estava do lado de fora da casa de sua mãe quando foi gravemente ferido em uma explosão. Isso parecia ser obra de insurgentes, informou a agência de notícias russa RIA Novosti em 22 de maio, citando um funcionário dos serviços de emergência da cidade como fonte.

Na semana passada, uma explosão ocorreu próximo ao escritório de Yevgeny Balitsky, um administrador ucraniano pró-Kremlin na cidade ocupada pelos russos de Melitopol. As autoridades pró-Kremlin na cidade culparam explicitamente os partidários ucranianos, e o Comitê de Investigação da Rússia – o equivalente ao FBI – culpou “sabotadores ucranianos”.

Oleksiy Arestovych, conselheiro do presidente Volodymyr Zelensky da Ucrânia, disse que há uma longa tradição de guerrilha no sul da Ucrânia, onde as vastas estepes deixam pouco espaço para o inimigo se esconder.

“Os partisans estão lutando muito ativamente” , disse ele no mês passado em seu canal no YouTube . “Tanto as tropas russas quanto a administração da ocupação estão bem cientes disso.”

FONTE: The New Yor Times

- Advertisement -

27 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
27 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos Gallani
Carlos Gallani
17 dias atrás

Vc esta dizendo air ataques de insurgência não são relevantes, arrisque teu nível de passada de pano chegou nesta altura?

Carlos Gallani
Carlos Gallani
17 dias atrás

Insurgência se bem organizada e suprida pode fazer grandes estragos principalmente no psicológico do ocupante, os exemplos históricos são muitos!

Rogério
Rogério
17 dias atrás

“Mais tarde naquele dia, batedores dirigiram outro ataque de artilharia, desta vez em um complexo de resorts em Stara Zburivka, perto da foz do rio Dnipro, matando dezenas de soldados inimigos, incluindo dois generais”

Isso pq “tende a ser de pequeníssima monta”, kkkkkkk

JuggerBR
JuggerBR
17 dias atrás

Russos acharam que seriam recebidos com flores…

Heinz
Heinz
Reply to  JuggerBR
17 dias atrás

Como eu já afirmei aqui, o poderio russo com certeza tomará todo o Donbass ou pelo menos boa parte dele.
A grande questão é se conseguirá manter.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Heinz
17 dias atrás

A princípio sim os separatistas junto com os Russos tem todas as condições de estabelecer a segurança na região e além do mais quem ficou em tese é pro Russia e com certeza os Russos também sabe fazer contra insurgência.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Nilton L Junior
16 dias atrás

Será? Ainda são separatistas…. ainda não conseguiram “tomar” a região… vão conseguir mante-la?

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Agnelo
16 dias atrás

Agnelo uma coisa era eles sozinho terem impedido as forças ucras de retomarem parte do região onde os separatista jah tinham controle a outra agora é intervenção Russa que vai do Donbass a Zaporizhia e Kersons.
Essa região é composta por pessoas pro Russia e outros que querem viver em paz, uma vez pacificada e garantida uma faixa de segurança vem a questão que tipo de status essa região terá.
Nesse sentido a Russia tem todas as condições de fazer a segurança e tambem realizar operações de contra insurgência.
Observe o mapa a baixo

Last edited 16 dias atrás by Nilton L Junior
Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Nilton L Junior
16 dias atrás

Mapa da região

mapa conflito.jpg
Agnelo
Agnelo
Reply to  Nilton L Junior
16 dias atrás

Concordo que tem boas condições. Não podem errar.

Temos dois exemplos recentes de erro: os EUA erraram no Iraque, quando foram recebidos com abraços e flores e deixaram desandar, pela forma como conduziram.
No Afeganistão fizeram até melhor, mas o tempo “os cansaram” e abandonaram.
Há relatos de pessoas mais velhas q apoiam os russos, até por terem as mesmas origens, e pessoas mais novas q odeiam.

Hermes
Hermes
Reply to  JuggerBR
17 dias atrás

Os únicos tipos de flores que esses caras tem que ter são sementes de girassóis nos bolsos….assim, quando morrerem, deixarão os campos floridos!

Luis
Luis
Reply to  Hermes
17 dias atrás

Algumas sementes, como a deste general, já brotou, cresceu e floriu.

girassol.jpg
Fabio Jeffer
Fabio Jeffer
17 dias atrás

Mais uma matéria pra tentar encobrir a vitória Russa e o iminente colapso Ucraniano e tbm pra tentar de alguma forma enaltecer os Ucranianos e dizer que estão impondo pesadíssimas baixas aos Russos

Mafix
Mafix
Reply to  Fabio Jeffer
16 dias atrás

Ai a guerra dura mais de 1 ano a Russia fali e os mesmo continuam falando no ‘colpaso’ do exercito ucraniano …

Machado
Machado
17 dias atrás

Quanto aos ucranianos eu não sei, mas os espetnaz estão fazendo a festa na retaguarda inimiga. Quando vemos aquelas imagens de vans/furgões capturados cheios de equipamentos doados pela OTAN na maioria das vezes são os Spetnaz os responsáveis. Sem contar as sabotagens, emboscadas e captura de tropas ucranianas para informações.

Recruta zero
Recruta zero
17 dias atrás

Niguem questiona a eficácia da insurgência mas a questão que fica e o preço que os civis pagam em operações COIN:Iraque, Afeganistão e Vietnã a quase totalidade de baixas civis foi em operações de contra-insurgencia .

FERNANDO
FERNANDO
16 dias atrás

Este tipo de ataque, diminui a moral de qualquer tropa.
Imagina, a vovó que vende hot dog na esquina é espião e está passando informações.
Se bobear, ela sabe até as suas informações mais intimas.
Se me lembro foi assim que os americanus se ferrão no Vietnã.

Joelson
Joelson
16 dias atrás

O título da matéria me lembrou de um filme muito bom!

Atrás das Linhas Inimigas (Behind Enemy Lines) https://en.wikipedia.org/wiki/Behind_Enemy_Lines_(2001_film)
Alguém sabe onde tem ele para assistir??

https://www.youtube.com/watch?v=TmMin2mr9aM

FERNANDO
FERNANDO
16 dias atrás

Para mim, está guerra não terá vencedores ou vencidos.
Ambos os lados vão estar tão desgastados daqui um tempo, que vão preferi a paz.
Enfim, dará um belo 0X0
Mas, acredito que Donbas será independente e a Ucrânia terá que aceitar.
Se tivessem aceitado lá atrás não teriam perdido tanto território como estão perdendo e teriam evitado a guerra.

Sagaz
Sagaz
Reply to  FERNANDO
16 dias atrás

Se tivesse entregue as suas pernas nao perderia os braços, ou prefere se tivesse entregue um dos seus filhos não perderia os outros?

Salustiano Salve Ukraine
Salustiano Salve Ukraine
16 dias atrás

Reino da Síria e reino da Ucrânia, os feudos de dom Putin, reino de senegal e reino do Planalto daqui uns dias

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Salustiano Salve Ukraine
16 dias atrás

olha um bot novo

César
Reply to  Nilton L Junior
16 dias atrás

Disse o bot velho…

Mafix
Mafix
Reply to  Salustiano Salve Ukraine
16 dias atrás

O bolsa queria ‘dar’ digo vender uma ala da petrobras de fertilizantes..

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Mafix
16 dias atrás

Não vai dar tempo.

Agnelo
Agnelo
16 dias atrás

Está redondamente enganado.
A previsão é de um destacamento de FOpEsp exigir o emprego de uma Divisão para combater o efetivo q ele prepara na área de retaguarda inimiga.

Júnior
Júnior
16 dias atrás

Opa, a Ucrânia voltou a ganhar a guerra. Que maravilha.

Últimas Notícias

Apresentação sobre Estudos Estratégicos – Prof. Dr. Vitelio Brustolin

O Prof. Dr. Vitelio Brustolin, Professor de Direito Internacional, Organizações Internacionais e Estudos Estratégicos do INEST/UFF e pesquisador da...
- Advertisement -
- Advertisement -