sábado, junho 25, 2022

Saab RBS 70NG

Guerra na Ucrânia: flash hider ‘da casa’

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.forte.jor.br
Editor da Revista Forças de Defesa

A Guerra na Ucrânia permite a observação de vários armamentos e artefatos militares não tão comuns no mundo ocidental. Um deles é o supressor de chamas (flash hider) para fuzis, carabinas e armas correlatas da empresa ucraniana Strela.

Supressores de chamas são muito indicados em ações noturnas, pois ocultam o flash gerado na queima do propelente quando um tiro é disparado. Ele também é utilizado em associação com os óculos de visão noturna, pois evita que o flash cause aquela “cegueira” momentânea.

O vídeo abaixo, retirado do site do fabricante, mostra a diferença entre um disparo sem o flash hider e o outro com o dispositivo instalado.

- Advertisement -

24 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
24 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Corsário-DF
Corsário-DF
4 dias atrás

Excelente assessório no combate noturno, principalmente para um tiro sniper.

Paulo Brics
Reply to  Corsário-DF
4 dias atrás

E também para não ser localizado por um sniper em busca de alvos.

Paulo Brics
Reply to  Paulo Brics
4 dias atrás

Qual o motivo dos deslikes?
Gente incapaz de entender o óbvio que apontei ou disneyboys com birrinha de mim?

Obviamente o uso deste supressor de chamas é justamente muito mais útil para não denunciar as posições dos combatentes com seus fuzis de assalto do que para um sniper que se posicionará muito longe deles e inclusive o cano de sua arma poderá estar totalmente inserido dentro da estrura na qual o sniper se esconde.
Bom para ambos, mas principalmente para que está no chão sendo visto do alto.

Oráculo
Oráculo
Reply to  Paulo Brics
4 dias atrás

Deslike aqui é elogio.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Paulo Brics
4 dias atrás

Significa que vc esta certo.

Alecs
Alecs
Reply to  Paulo Brics
4 dias atrás

Mi mi mi mi mi

Neural
Neural
4 dias atrás

Enquanto a Ucrânia tem Ak-47, Rússia tem D-30 e Grad 122mm aos milhares. Não conseguem nem atirar, a barragem de artilharia os derrotam já nas trincheiras.

Sagaz
Sagaz
Reply to  Neural
4 dias atrás

Já estão em Lisboa?

Petrus
Petrus
Reply to  Sagaz
4 dias atrás

Hoje, Zelensky admitiu as dificuldades da Ucrânia na guerra e prevê uma ‘tempestade’ russa.
Logo, terá de sentar para assinar sua rendição.
Pode ser em Lisboa.

Petrus
Petrus
Reply to  Neural
4 dias atrás

Ontem li declarações que um mercenário americano deu sobre a situação desesperadora dos ucranianos.
Chamou o Exercito de ‘circo de aberrações’ e ‘manicômio’.
Contou que participou de um combate de duas horas contra as próprias forças ucranianas.
Definiu a situação lá como perda de tempo.
A entrevista foi publicada pelo jornalista Seth Harp.

Paulo Brics
Reply to  Petrus
4 dias atrás

Então é a mesma coisa desde o início pois no começo da guerra, mercenários espanhóis que caíram fora depois de apenas duas semanas lá disseram que o que estava ocorrendo era exatamente o que você diz, e mais. Baderna completa, falta de tudo, os 3 mil dólares de pgto mensal prometido mal chegava a 300 dólares, sem apoio médico. Em suma, uma completa roubada. E também vários combatentes que servem na legião estrangeira afirmaram em entrevistas que jamais cogitaram em ir para lá porque seria suicídio. Não são oferecidas condições mínimas para eles combaterem com alguma possibilidade de sobrevivência. Está… Read more »

Ramon
Ramon
4 dias atrás

O que me chama atenção é a grande variação presente na família Ak, recentemente eu estava vendo imagens de alguns fuzis capturados de Spetsnaz são Aks que tem a robustez do projeto original mas tem muitos acessórios que moderniza a arma, eu pessoalmente creio que o fuzil AK-47 e suas variações vão chegar fácil nos 100 anos no mercado pois é altamente letal e confiável e principalmente barato, mas ainda continuo preferindo a família Ar devido ao seu projeto que permite a grande gama de personalizações, um único Ar com algumas modificações muda seu comportamento em combate totalmente.

Sagaz
Sagaz
Reply to  Ramon
4 dias atrás

Vai ter muito Fusca e Kombi rodando após 100 anos.

Felipe Morais
Felipe Morais
4 dias atrás

Cara, que negócio interessante.

Se o resultado é realmente o mostrado no vídeo, sem a empresa ter maquiado nada, isso aí pode impactar bastante na ação.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Felipe Morais
4 dias atrás

Normalmente vemos um epi instalado no corpo do infante, curioso que esse se instala no armamento…não adianta só gastar rios de dinheiro em viaturas se o básico que é o equipamento individual do infante for precário.
Todo infante deveria ter pelo menos um monóculo de visão noturna, um óculos tático, um capacete balístico decente, um colete tático (modular) e agora acrescentamos um supressor de chamas desse …são detalhes que fazem toda diferença

Muitos pagam do bolso hein?! uma vergonha

Governo que investe na segurança do combatente fazem menos familiares chorarem, isso serve em defesa da polícia militar tb hein?!

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
4 dias atrás

Uma vez eu vi um motorista de dia ser punido na parada diária pq não conseguiu emprestar dos colegas um coldre para pistola…o governo federal não paga um coldre para tropa?…entende quando digo que temos que ter o pé no chão e resolver o básico

Last edited 4 dias atrás by Rafaelvbv
Rayan
Rayan
4 dias atrás

Essa mecanismo de supressão de chamas para inibição da chama decorrente dos gases propelidos no disparo é uma solução técnica de engenharia relativamente simples mas muito eficaz no combate noturno, principalmente em ambiente confinado.

A adaptabilidade da família de armas AK é impressionante.

Rayan
Rayan
4 dias atrás

No mais, é triste ver como a variada e rica indústria militar ucraniana se perdeu com esse conflito. Inclusive a Ucrânia tinha uma ampla e plena integração de sua industria com a Rússia até 2014, no fornecimento de uma ampla gama de equipamentos. Algo que muitos sequer se lembram ou sabem.

Heinz
Heinz
4 dias atrás

Esse tipo de acessório seria excelente para ambiente de selva e nossos guerreiros. Não sei se o EB tem algo parecido com isso.
No mais eu já observei que no geral tropas russas e ucranianas não costumam usar red dot ou miras holográficas.
Algumas unidades usam em toda tropa, os chechenos, o Azov, e as forças especiais.
Será que eles não curtem muito esse acessório?
Ou é por falta de grana mesmo?

João Dotto
João Dotto
4 dias atrás

Sera que não reduz a precisão ou a velocidade do projétil?

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  João Dotto
4 dias atrás

considerando que os combates noturnos são travados em distancias curtas e muito curtas acredito que se houver alguma queda no desempenho está seja insignificante.

João Augusto
João Augusto
4 dias atrás

Sabendo que nada é de graça nos fenômenos físicos, alguém sabe apontar as consequências desse tipo de acessório no desempenho balístico?

Jacinto
Jacinto
4 dias atrás

Acredito que o correto é flash HIDER (de esconder) e não rider (de cavalgar).

Últimas Notícias

Svatovo, primeiro alvo do HIMARS?

A mídia ucraniana tem divulgado vídeos e imagens de uma suposta explosão nas proximidades da cidade ucraniana de Svatovo,...
- Advertisement -
- Advertisement -