domingo, junho 26, 2022

Saab RBS 70NG

Centro de Operações Urbanas prepara militares para exercício internacional

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Campinas (SP) – No período de 13 a 15 de junho, o 28º Batalhão de Infantaria Mecanizado, por intermédio do Centro de Instrução de Operações Urbanas, conduziu instruções para a preparação de 173 militares do 5º Batalhão de Infantaria Leve que participarão do exercício CORE 22 (Combined Operations and Rotation Exercises), junto com tropas do Exército dos Estados Unidos da América.

A atividade teve por finalidade contribuir com o adestramento e a validação de aspectos doutrinários do combate em área urbanizada, que serão aplicados durante a realização do exercício CORE 22, que ocorrerá em agosto deste ano, no Centro Conjunto de Preparação e Treinamento do Exército dos Estados Unidos, em Fort PoIk, Louisiana. Foram realizados os treinamentos de combate em recinto confinado, combate em área subterrânea e patrulhamento ostensivo. Ao final, foi realizado um exercício de ofensiva e defensiva em área urbana, valor pelotão e companhia.

A CORE é resultado de um programa de cooperação assinado entre o Brasil e os Estados Unidos, que estipulou a realização de adestramentos bilaterais anuais até o ano de 2028. Por meio dessas atividades, as tropas dos dois países compartilham experiências de combate e trocam conhecimentos sobre doutrina, táticas, técnicas e procedimentos operativos.

O Centro de Instrução de Operações Urbanas foi criado em 2006 e, desde então, vem trabalhando no desenvolvimento de doutrinas utilizadas no emprego de pequenas frações em operações de garantia da lei e da ordem e em combate regular em área urbana.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

- Advertisement -

46 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
46 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
sub urbano
sub urbano
4 dias atrás

Apenas uma pequena fração do Exercito brasileiro possui algum treinamento de combate em ambiente confinado de CQB vulgo “casas de matar”. Se houver uma guerra uma das estrategias do inimigo pode ser buscar o combate em ambiente urbano que é mais custoso para o invasor. Em Fallujah no ano de 2004, 3 mil insurgentes iraquianos detiveram uma divisão inteira do exercito americano por 1 mês causando 700 baixas entre mortos e feridos, quase 1/15, um numero inaceitavel para os americanos. Em Mariupol uma quantidade similar de combatentes ucranianos deteve uma força do tamanho de uma Divisão do exercito russo durante… Read more »

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  sub urbano
4 dias atrás

O Brasil não está preparado

Esse deveria ser o lema das forças armadas.

Fábio
Fábio
Reply to  Allan Lemos
4 dias atrás

Depende de quem as Forças Armadas consideram ameaças, se for os “comunistas”, MST, o povo, professores, estudantes, Globo, STF e TSE(as urnas) eles estão preparados assim como em 1964.

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Fábio
4 dias atrás

Cirúrgico

Carlos Pietro
Carlos Pietro
Reply to  Fábio
4 dias atrás

Boa noite, perfeito Fabio. Matou a charada.

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  Fábio
4 dias atrás

Ah tah, bater em gente desarmada é fácil né?

Agnelo
Agnelo
Reply to  sub urbano
4 dias atrás

Apenas uma pequena fração do Exercito brasileiro possui algum treinamento de combate em ambiente confinado de CQB

Vc tá muito muito muito enganado….. muito mesmo….

andre
andre
Reply to  Agnelo
3 dias atrás

então pode fechar as portas e entregar para o exercito do mst

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  sub urbano
4 dias atrás

Vira latismo puro. O preparo das tropas brasileiras de pronto emprego são elogiadas no mundo todo quando exercícios militares conjuntos, nosso problema e equipamento e não preparo,motivação e emprego, sem contar que know-how em combate urbano e o que não falta para militares brasileiros, e só lembrar que as polícias militares estaduais são forças auxiliares do exército, e um BOPE,rotam ou rota de qualquer estado conhece mais de combate urbano que qualquer tropa européia por exemplo.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Capa Preta
4 dias atrás

Prezado

Não são somente as “tropas de pronto emprego” q treinam em área edificada. Isso é muito comum hj em todo o exército.
Ah, óbvio, em contra guerrilha também.

Nascimento
Nascimento
Reply to  Capa Preta
4 dias atrás

“O preparo das tropas brasileiras de pronto emprego são elogiadas no mundo todo”

Que mundo todo é esse? Estranho seria se falassem mal, né. Nunca li nenhum relatório em lugar algum do mundo elogiando o EB em guerra urbana, nenhum mesmo. Falam dos EUA em Fallujah, da Rússia em Grozny, mas do Brasil? Curioso pra ler algo do tipo, falas aleatórias de militares em exercício não tem valor. Que eu saiba elogiaram muito o BOPE, mas o EB não.

Last edited 4 dias atrás by Nascimento
Heinz
Heinz
Reply to  Capa Preta
4 dias atrás

De fato, pode colocar qualquer tropa do mundo contra o BOPE do RJ em combate urbano…
Aposto 100 que o BOPE ganharia 90% das vezes, os caras são sinistros.

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  Heinz
4 dias atrás

Vcs andam assistindo muito tropa de elite.

rafa
rafa
Reply to  Heinz
1 dia atrás

Amigo, boa tarde. Acho que seu comentário não retrata a realidade. Explico: Só consigo comparar forças policiais contra forças policiais, pois, diferentemente de forças militares, essas utilizam outras doutrinas e equipamentos. Por exemplo: o uso de granadas de fragmentação, lança-rojão, armas de supressão. Esses são equipamentos que forças policiais não usam. Agora se compararmos com forças policiais, imediatamente me vem a mente: SWAT, GIGN, RAID entre outras. Acredito que cada força tenha suas vantagens nos seus teatros de operações. Acredito que a atuação do BOPE seja mais em ambientes urbanos como ruas, ruelas, comunidades dominadas pelo tráfico, etc. Já a… Read more »

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  Capa Preta
4 dias atrás

Kkkkkkkkk aí tu foi longe demais. Quer dizer que o BOPE que combate malaco que mal segura a Ak, combate melhor que o Heer alemão, que lutou grandes batalhas urbanas como Moscou e Stalingrado? É cada doido que só vendo. PRF outro dia perdeu dois dos seus para um mendigo. Brasileiro é muito louco para confiar em funça público brasileiro.

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  Inimigo do Estado
3 dias atrás

Isso foi há mais de 80 anos, depois disto a Europa, principalmente Alemanha traumatizada se pacificou. Agora me diga, onde você acha que o ordem nos dias de hoje mais combates urbanos contra narcoguerrilheiros? Berlim ou Rio?

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  Capa Preta
3 dias atrás

Narcoguerrilheiro tem mísseis antiaéreos, anticarro, óculos de visão noturna, drones, proteção balística, obuseiros, apoio aéreo aproximado, etc? Pqp hein?

Last edited 3 dias atrás by Inimigo do Estado
Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  sub urbano
4 dias atrás

Acho que os leitores daqui no site, dependendo de onde moram pode influenciar sua opinião das forças armadas, pois é o que eles vem no noticiário regional ou a OM que serviram, pelo menos aqui no sudeste o que mais vejo são treinamentos de combate urbano….vejo muito a 12º brigada e a 11º brigada e também pude ver a brigada paraquedista treinando. https://www.youtube.com/watch?v=7Q9tk1oNNyM O que consigo lembrar que acompanhei construção desse centro de treinamento lá em meados de 2005/2006 quando a brigada ainda era GLO e que participaram do projeto excelentes profissionais para capacitar os alunos que viriam do Brasil… Read more »

Last edited 4 dias atrás by Rafaelvbv
Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  sub urbano
4 dias atrás

Acho que esse tipo de treinamento deveria ser feito somente para o efetivo profissional…não se pode sair formando todo mundo combatente urbano, pois alguns podem cair no crime depois fica dando trabalho para a polícia.

É de se pensar.

Agnelo
Agnelo
4 dias atrás

Muito Excelente!

Guilherme Leite
Guilherme Leite
4 dias atrás

Eu tenho a impressão que os coletes não estão com as placas de aço.

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  Guilherme Leite
4 dias atrás

Infantaria não usa colete em combate de campo, tira o principal que e a mobilidade, e colete nenhum e útil contra calibre 7’62, os de kvlar sobrepostos por cerâmica temperada podem até reduzir o impacto do projétil dependendo da distância, porém são muito pesados e tiram a mobilidade do combatente.
Outra coisa e achar que brutamontes de filme de ação são úteis em combate, as batalhas de infantaria são travadas a média e longa distância, então são privilegiados perfis ágeis e resistentes, ninguém sai na porrada com ninguém em guerra,isso e coisa de filme.

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Capa Preta
4 dias atrás

Como assim infantaria não usa colete em combate??? E todas essas fotos que vemos de militares em conflito são o quê? O que são aqueles coletes robustíssimos? Como assim colete nenhum é útil contra 7,62??? Você acha que ainda estamos na década de 50?

Last edited 4 dias atrás by Jadson S. Cabral
Cruvinel
Cruvinel
Reply to  Jadson S. Cabral
4 dias atrás

ele caiu em varias falácias que existem dentro do EB; falácias essas que existem para justificar a falta de material ou a tentativa de preservação excessiva do mesmo. Exemplos: 1- colete só resiste a um único tiro. 2- mira holográfica não serve para combate convencional. 3 – 7,62 e munição de “guerra” e 5,56 e munição para ações tipo policia. etc. Tudo isso foi surgindo para mascarar a falta de recursos ou os adestramentos mal feitos. A prova que isso tudo e lorota reside no fato que nosso próprio CFN faz todos seus adestramentos com colete balístico e optronicos nas… Read more »

Agnelo
Agnelo
Reply to  Cruvinel
3 dias atrás

Nunca ouvi essas desculpas…. pelo contrário. E tanto é q, em todas as missões, há um bom tempo, a tropa usa colete.

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Capa Preta
4 dias atrás

Isso aqui é o quê?

Screen Shot 2022-06-21 at 13.13.24.png
Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Capa Preta
4 dias atrás

Eles estão sem colete?

Screen Shot 2022-06-21 at 13.15.23.png
Capa Preta
Capa Preta
Reply to  Jadson S. Cabral
4 dias atrás

Isso e um colete tático, e não necessariamente emprega a placa balística.

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Capa Preta
4 dias atrás

Não necessariamente, mas sempre usam, afinal, nenhum país sério vai mandar militar pro fronte sem proteção. Só falta você me dizer que capacete tbm não faz diferença nenhuma.

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  Jadson S. Cabral
4 dias atrás

O capacete sim, principalmente contra estilhaços de variadas munições.
Agora eu gostaria que o Sr. Me indicasse por gentileza uma placa balística a ser usada no colete tático, que resista ao projétil 7,62 ou até o 5,56 e que não pese um paralelepípedo para a mobilidade do infante?

Cruvinel
Cruvinel
Reply to  Capa Preta
4 dias atrás

As placas balísticas nível 3 são feitas de cerâmica balística a base de aramida; os coletes mais recentes estão pesando na casa dos 3kg (o que e uma evolução absurda em pouco mais de uma década). Os principais fabricantes nacionais desse tipo de proteção e a inbrafiltros e a glagio do Brasil.

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  Cruvinel
4 dias atrás

O senhor já usou essa coisa? Eu trabalho com colete balístico, e já usei o de cerâmica temperada junto ao kvlar quando servi na PE, na primeira hora tranquilo, no fim do turno sua coluna parece que virou um s. Para defesa e segurança de ambientes estáticos já controlados e defesa de perímetro ou até para incursões rápidas como do treinamento aí da matéria ok, mas para infantaria avançar em uma tomada de assalto e o mesmo que encher uma mochila de pedras e pendurar no cara. E mesmo a placa de aramida dificilmente vai segurar um dispara de 7,62,… Read more »

Cruvinel
Cruvinel
Reply to  Capa Preta
3 dias atrás

sim usei; em situação foram duas oportunidades: uma pacificação e uma intervenção. O colete que vc se refere era o padrão da força, placas de aramida com 3 faces maleáveis de kevlar. Esse padrão de equipamento e uma copia do Interceptor dos EUA, sendo o mesmo padrão fabricado aqui por anos. O equipamento era pesado? sim e muito, mas nem por isso deixava-se de usar. tanto no Haiti como em intervenção dentro do território nacional a proteção balística era usada por patrulhas de 4 horas de duração (tempo mínimo); não era agradável mas vai se adaptando. Com relação ao nível… Read more »

Nascimento
Nascimento
Reply to  Capa Preta
4 dias atrás

“tropas de SELVA”

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Capa Preta
4 dias atrás

O que será que esse soldado está usando?

Screen Shot 2022-06-21 at 13.17.53.png
Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Capa Preta
4 dias atrás

Realmente, devem estar carregando peso atoa

Screen Shot 2022-06-21 at 13.19.40.png
Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Capa Preta
4 dias atrás

Alguém avisa pra eles que eles estão fazendo tudo errado

Screen Shot 2022-06-21 at 13.21.24.png
Cruvinel
Cruvinel
Reply to  Guilherme Leite
4 dias atrás

só corrigindo, as placas são de aramida. e de fato estão sem as mesmas.

Mafix
Mafix
Reply to  Guilherme Leite
4 dias atrás

‘Placa de aço’ não estamos em 1800 para usar placas de metal no colete …

Zé lesqui
Zé lesqui
4 dias atrás

Deixa que a artilharia, as termobaricas , o Sarin e os lança-chamas fazem o serviço .

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
4 dias atrás

Nas fotos da SECOM é tudo bonitinho. Mas o piá que entrar no exército vai pegar é em FAL enferrujado e receber uma proteção balística meia boca. Para terminar de completar a tragédia não tem qualquer proteção contra meios aéreos, ou seja, é um alvo fácil, sequer um transporte blindado decente, até o Talibã tem mais veículos blindados leves.

Eu tenho é pena do Brasil numa guerra, o fumo iria entrar bonito, e eu iria rir um bocado.

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Inimigo do Estado
2 dias atrás

Sabe tudo né combatente, primeiro existem vários tipos de batalhões, várias especialidades, aqui no blog existem um bando de paisanos que só falam asneiras, pessoas que apenas olham as fotos e não sabem de nada, ou que ficaram no efetivo variado. você citou o FAL não posso falar quanto a qualidade ou a manutenção do mesmo pois, fui militar da FAB, durante 6 anos estive na PA. Oque posso dizer é que mesmo o HK 33 ser da década de 70 nunca travou, sempre teve uma manutenção adequada, outra colete balístico tira toda a sua mobilidade. Por fim bando de… Read more »

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  Rodrigo
1 dia atrás

Eu denigro por que sou eu que pago teu salário, então fica quietinho aí na tua se não quiser comer barata.

Joker
Joker
Reply to  Inimigo do Estado
8 horas atrás

Que eu lembre o militar não é isento de impostos, então ele também paga o próprio salário!

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  Rodrigo
1 dia atrás

Matou a pau…Brasiiiiil.

Últimas Notícias

Svatovo, primeiro alvo do HIMARS?

A mídia ucraniana tem divulgado vídeos e imagens de uma suposta explosão nas proximidades da cidade ucraniana de Svatovo,...
- Advertisement -
- Advertisement -